Traiano diz que Polícia não vai evacuar o Plenário


plenarioocupadoHM
curitiba_ocupacao_assembleia_dia_2_06_jc
O Plenário da Assembleia continua ocupado por manifestantes, além de áreas contíguas. Na sessão de hoje, feita em outra sala, o deputado Nereu Moura se disse preocupado com a presença da polícia bastante armada para dar segurança aos deputados. O presidente Ademar Traiano disse que não há autorização para a Polícia usar armas de fogo ou de qualquer violência. Disse também que o plenário não será desocupado pela força. Ele espera que consumada a aprovação dos projetos que geraram o protesto, mais a proximidade do carnaval, faça com que os manifestantes saiam da Casa naturalmente. Pode haver corte de água, luz, ar condicionado, o que também estimularia a saída dos manifestantes.
ple
Segundo o líder do Governo, Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), as mudanças em relação ao primeiro projeto garantem aos professores que nada será mudado com a aprovação. “Eu respeito os movimentos sociais, respeito a democracia, mas fechar o parlamento é uma afronta a ela. Todos os direitos aos professores estão mantidos, mas infelizmente estamos tendo de enfrentar isso”, comentou.

Fim da integração do transporte coletivo de Curitiba e RMC


integração
Fim de integração muda trajeto de diversas linhas da região metropolitana; confira lista
Da Banda B
O fim do contrato de integração financeira do transporte coletivo entre a Urbanização de Curitiba (Urbs) e a Coordenação da Região Metropolitana (Comec) irá alterar várias linhas de ônibus a partir do próximo sábado. De acordo com a Urbs, as alterações serão feiras na operação de ligeirinhos que atendem usuários de Araucária, Campo Largo, Colombo e São José.
integração.
“As mudanças são necessárias em função da decisão da Comec de reduzir a extensão das linhas metropolitanas integradas desses quatro municípios e estão sendo informadas aos usuários por meio de cartazes e mensagens nos painéis eletrônicos nos terminais, estações e ônibus de Curitiba”, disse a Prefeitura de Curitiba.
Confira as alterações:
Ligeirinho Colombo/CIC – por decisão da Comec, a partir de sábado vai terminar no Terminal Cabral. Para que o usuário que embarcou em Colombo consiga chegar ao mesmo destino na CIC, passando pelo mesmo trajeto, a Urbs vai colocar em operação a linha CIC/Cabral, a partir do Terminal Cabral.
Ligeirinho Barreirinha/São José – da mesma forma, para atender os passageiros que se deslocam no trajeto entre a Barreirinha e o município de São José dos Pinhais, a Urbs vai implantar o Ligeirinho Barreirinha/Guadalupe, que faz parada nas estações tubo Prefeitura, Comendador Fontana e Círculo Militar, onde é possível pegar o ônibus Boqueirão Centro Cívico e, no terminal Boqueirão, fazer a integração para São José.
Esta alteração também foi necessária para garantir o deslocamento, com integração, dos usuários da linha metropolitana Barreirinha/São José que, segundo anunciado pela Comec, também fará um trajeto bem menor a partir do próximo sábado, fazendo a ligação apenas de São José ao Terminal Boqueirão.
Ligeirinho Araucária/Curitiba – esta linha também será encurtada pela Comec. Deixará de vir até o centro de Curitiba para terminar no Terminal Capão Raso. Com isso será desativada a estação Rui Barbosa, na Desembargador Westphalen, quase esquina com Visconde de Guarapuava. Em função da mudança feita péla Comec, o ligeirinho Curitiba/Araucária não vai mais parar na estação tubo Vila Guaira.
Ligeirinho Campo Largo/Curitiba – também o teve a extensão da linha reduzida pela Comec, passando a ter ponto final no Terminal Campina do Siqueira e não mais na estação Hospital Militar, na rua Vicente Machado. Como este era o único ônibus que parava nessa estação, ela será desativada.
Cortes
As quatro linhas metropolitanas que passarão a fazer trajetos mais curtos a partir de sábado (14) atendem, por dia, 82 mil passageiros. O mais carregado deles é o Colombo/CIC que transporta por dia 35,8 mil passageiros e tem um trajeto, ida e volta, de 43,2 quilômetros.
A segunda linha mais carregada é a Curitiba/Araucária, que atende 19,9 mil passageiros por dia, com um trajeto total de 54,9 quilômetros. O Barreirinha/São José transporta por dia 17,5 mil passageiros e faz um trajeto total de 43,1 quilômetros. O Campo Largo/Curitiba atende 8,1 mil passageiros com um trajeto de 54,7 quilômetros.
A decisão da Comec representa, na prática, um corte na oferta do transporte metropolitano integrado, com a redução do trajeto. A linha São José/Boqueirão terá uma extensão de 7,2 quilômetros, enquanto a linha Barreirinha/São José tem 43,2 quilômetros.
O trajeto da Araucária/Capão Raso será reduzido de 54,9 para 39,5 quilômetros. A Colombo/Cabral fará um trajeto de 18 quilômetros, enquanto a Colombo/CIC faz 53,2 quilômetros. A linha Campo Largo/Curitiba será reduzida de 54,7 para 49,8 quilômetros.
Serviço
Quem usa o Colombo/CIC será atendido pela metropolitana Colombo/Cabral. Para o restante da viagem, o atendimento será feito pela linha urbana de Curitiba CIC/Cabral.
Quem usa o Barreirinha/São José será atendido pelas linhas São José/Boqueirão (metropolitana) e Barreirinha/Guadalupe (urbana Curitiba). A linha Barreirinha/Guadalupe fará integração com o ligeirinho Boqueirão/Centro Cívico, que passa nas estações Prefeitura, Comendador Fontana e Círculo Militar e no Terminal Boqueirão.
Quem usa o ligeirinho Curitiba/Campo Largo (metropolitano) vai desembarcar no Terminal Campina do Siqueira podendo usar qualquer ônibus que passa no terminal para se deslocar em Curitiba. Os passageiros com interesse na região do Batel poderão utilizar a linha Campina do Siqueira/Batel ou ainda fazer a integração temporal, utilizando o cartão transporte, com a linha Interbairros I.
Quem usa o ligeirinho Araucária/Curitiba (metropolitano) vai desembarcar no Terminal Capão Raso, onde poderá fazer integração com as linhas deste terminal.

Manifestantes protestam contra aumento da passagem


acampamento2-600x309
Manifestantes acampam em frente à prefeitura – Foto: Frente de Luta pelo Transporte
Da Banda B
Manifestantes ligados à Frente de Luta Pelo Transporte acamparam em frente à prefeitura de Curitiba na noite desta terça-feira (10). Pelo menos quatro barracas foram montadas na calçada. O número de manifestantes chegou a 150 pessoas, segundo os organizadores do ato, mas, com o avanço da noite, parte das pessoas deixou o local.
O grupo protesta contra o aumento da passagem de ônibus em Curitiba e Região Metropolitana. A tarifa foi reajustada na capital na semana passada de R$ 2,85 para R$ 3,30 (em dinheiro) e R$ 3,15 (no cartão-transporte). Na RMC, a tarifa passou para R$ 3,30 na última segunda-feira.
O acampamento aconteceu logo depois que servidores da educação, ligados a APP-Sindicato, ocuparam o plenário da Assembleia em protesto contra o projeto do governo que corta benefícios da categoria.
Em nota divulgada no facebook da Frente de Luta pelo Transporte, os manifestantes dizem que esperam que representantes da Prefeitura ouçam as reivindicações.
Segue nota dos manifestantes:
“Nas Jornadas de Junho de 2013, milhares de pessoas foram às ruas por todo pais para lutar por transporte público e depois por outras pautas como saúde e educação. Aqui em Curitiba o povo também ocupou a cidade e conseguimos reduzir o preço da tarifa do transporte coletivo.
Hoje, dia 10 de fevereiro de 2015, diante do absurdo aumento do preço da passagem para R$3,30 – sabendo de seu superfaturamento –estamos novamente nas ruas! Depois de 3 manifestações contra o aumento da tarifa ainda não conseguimos diálogo com a Prefeitura, que prefere ignorar a população e beneficiar os empresários da máfia do transporte.
Por isso, estamos acampados em frente ao Palácio das Araucárias, no Centro Cívico, esperando que a Prefeitura venha ouvir as demandas daqueles que dependem do transporte público para trabalhar, estudar, cuidar da saúde, ter lazer, enfim, viver em Curitiba.
Aqui ao lado, na Assembleia Legislativa, milhares de professores, servidores da educação, saúde e diversas outras categorias do funcionalismo público do Estado permanecem em Greve Geral e acampam para exigir seus direitos. Nos colocamos lado a lado também desses lutadores e convidamos a todas e todos que se solidarizam às nossas lutas para virem até aqui unir forças para conquistar vitórias!
Compartilhe e venha para o acampamento contra o aumento!
ESSA LUTA TAMBÉM É SUA!”.

Instituições sociais recebem alimentos arrecadados na 52ª Festa da Uva em Colombo


WEBMASTER 11 DE FEVEREIRO DE 2015

Com ingresso solidário do 1º dia do evento foram arrecadados mais de 800 quilos de alimentos, que foram entregues a Provopar e a Pastoral Social

Representando a Comissão Organizadora da 52ª Festa da Uva, Antonio Ricardo, realiza entrega de 806 quilos de alimentos arrecadados
Representando a Comissão Organizadora da 52ª Festa da Uva, Antonio Ricardo, realiza entrega de 806 quilos de alimentos arrecadados
Nesta terça-feira, 10, o integrante da Comissão Organizadora da 52ª Festa da Uva, Antonio Ricardo Milgioransa, realizou a entrega dos alimentos que foram arrecadados durante o evento, que aconteceu nos dias 05, 06, 07 e 08 de fevereiro, no Parque Municipal da Uva.
Os alimentos que foram entregues haviam sido arrecadados no dia 05, primeiro dia de festa, quando aconteceu a entrada solidária. No total, 806 quilos foram doados. Arroz, feijão, macarrão, fubá e muitos outros alimentos não perecíveis serão destinados aos assistidos pelo Provopar Colombo e Pastoral Social da Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário.
O integrante da Comissão, Antonio Ricardo Milgioransa, lembra que além do momento de diversão que é proporcionado ao público, a Festa da Uva também tem um engajamento social. “Além da diversão e do incentivo aos produtores rurais do município, a Festa da Uva também tem o objetivo social, que é arrecadar alimentos e distribuir para essa parcela da população de Colombo que está em situação de vulnerabilidade”, explicou.
Ingresso solidário, referente ao primeiro dia de Festa, foi distribuído entre a Provopar Colombo e a Pastoral Social da Igreja Matriz
Ingresso solidário, referente ao primeiro dia de Festa, foi distribuído entre a Provopar Colombo e a Pastoral Social da Igreja Matriz
“Muitas famílias serão atendidas através desta doação. Nós, da Provopar, somos muito agradecidos a Comissão Organizadora da Festa, ao padre Cleber e aos voluntários”, agradeceu a diretora do Provopar Colombo, Neosete de Fátima Faria. Leoni Kusma, da Pastoral Social da Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário, também fez questão de agradecer os alimentos que foram entregues. “Essa ajuda é muito bem vinda, há vários anos a arrecadação da festa é dividida dessa maneira e com certeza fará a diferença para aqueles que receberão essa ajuda.”
Dos 806 quilos de alimentos arrecadados, 500 terão como destino a Provopar Colombo, o restante irá para a Pastoral Social, que atende moradores do município que se encontram em situação de vulnerabilidade social.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: João Senechal/PMC

Mãe recebia dinheiro para companheiros abusarem de filhos


Outros três homens foram presos na operação em Teresópolis, no RJ.
Em outro caso, pai abusava da filha nos finais de semana.

Do G1 Região Serrana
Suspeitos foram apresnetado à imprensa durante coletiva (Foto: Polícia Civil/Divulgação)Suspeitos foram apresentados à imprensa durante coletiva (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Serão transferidas nesta quinta-feira (12), as quatro pessoas presas em uma operação de combate à pedofilia e exploração sexual infantil, realizada pela equipe da 110ª Delegacia de Polícia emTeresópolis, na Região Serrana do Rio, nesta quarta (11). As prisões aconteceram nos bairros Meudon, Barra do Imbuí e Cruzeiro, em Teresópolis, e no Catete, no Rio de Janeiro. Os presos foram apresentados à imprensa durante uma coletiva na tarde desta quarta.
Em um dos casos, a mãe, de 31 anos, é suspeita de obrigar seus quatro filhos - meninos e meninas com idades entre três e nove anos - a terem relações sexuais com dois companheiros, um de 54 anos e outro de 33, em épocas diferentes.

O segundo caso investigado pela Polícia Civil acabou prendendo um outro homem, de 49 anos, que abusava sexualmente da própria filha, de nove anos, quando a criança, que morava com a mãe, passava os finais de semana com ele. A ele foi determinada a prisão preventiva.
Segundo as investigações, as crianças eram abusadas sexualmente e a mãe recebia dinheiro dos companheiros por permitir a prática. Além disso, a mulher fazia a filha de nove anos consumir cocaína para suportar os abusos. 
“Estamos firmes no combate a este tipo de delito, que atinge a sociedade de forma contundente, além da própria dignidade do ser humano em desenvolvimento vítima deste tipo de monstruosidade", disse o Delegado Titular da 110ª DP, Heberth Tavares Cardoso.
A ação, que ganhou o nome de “PedofiliaFobia”, teve como objetivo cumprir quatro mandados de prisão, expedidos pela Vara Criminal de Teresópolis, decorrentes de dois casos diferentes investigados pela 110ª DP.

Policial militar atira acidentalmente e mata filha de 11 meses ao limpar a arma


Luciano e a filha, Eloá, que tinha apenas 11 meses. Foto: Reprodução / Facebook
Breno Boechat e Giovanni Sanfilippo

Um policial militar identificado como Luciano Batista Coelho matou a própria filha, de 11 meses, com um disparo acidental, na manhã desta quarta-feira, em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio. Segundo a polícia, o PM estava limpando um revólver calibre 38, que disparou e atingiu a cabeça da menina. A criança, identificada como Eloá, chegou a ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento da cidade, mas não resistiu.
Luciano é morador do centro de São Pedro D’Aldeia, mas está lotado na Unidade de Polícia Pacificadora da Fazendinha, no Complexo do Alemão desde o fim de 2013.
Segundo um amigo e colega de trabalho de Luciano, que prefere não se identificar, o policial entrou em desespero após o acidente e pensou até em se matar.
— Aquela menina era tudo na vida dele. Ele era maluco pela filha. Ele estava tão desesperado que falou em se matar. É um cara gente boa, nunca faria nada de mau para a filha — conta o amigo.
Luciano é professor de educação física e se preparava para fazer o processo seletivo de entrada para o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope).
A Polícia Civil informou que, de acordo com o delegado titular da 125ª DP (São Pedro D'Aldeia), Carlos Abreu, as circunstâncias do homicídio estão sendo investigadas. A perícia foi realizada no local. O PM foi ouvido e sua mulher está sendo aguardada para prestar depoimento.
Luciano está lotado na UPP da Fazendinha, no Complexo do Alemão
Luciano está lotado na UPP da Fazendinha, no Complexo do Alemão Foto: Reprodução / Facebook
Eloá morreu com um tiro na cabeça


Explosão em navio-plataforma deixa 3 mortos e 10 feridos no litoral do ES


Bombeiros estão no local buscando 6 pessoas desaparecidas.
Navio é operado por empresa estrangeira a serviço da Petrobras.

Do G1 ES
Uma explosão em um navio-plataforma a serviço da Petrobras deixou três mortos e dez feridos nesta quarta-feira (11), em Aracruz, no litoral Norte do Espírito Santo, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP).
Seis pessoas estão desaparecidas. Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública, uma equipe de nove bombeiros foi enviada ao navio em dois helicópteros da Marinha para realizar as buscas. O orgão informou que o trabalho seguirá durante toda a madrugada e que na manhã desta quinta-feira (12) dará um novo posicionamento sobre as buscas.
A suspeita dos bombeiros, ainda segundo a secretaria, é de que os funcionários estejam em alguma sala não atingida pela explosão e sem forma de se comunicar. O navio-plataforma está sem iluminação, o que dificulta o resgate.
(O G1 acompanhou em tempo real o resgate das vítimas)
Nota divulgada pela ANP informa que ocorreu uma explosão na casa de bombas às 12h50 e que foi comunicada 1 hora depois. Segundo a agência, 74 pessoas estavam no navio-plataforma. Não houve vazamento de óleo no mar.
Infraero informou que os feridos foram levados de helicóptero para o Aeroporto de Vítória, de onde saíram nove ambulâncias com vítimas para os hospitais Vitória Apart Hospital e Metropolitano, em Serra, Grande Vitória. Os veículos foram escoltados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), para garantir rapidez no trânsito.
Momento de resgate de feridos, no Aeroporto de Vitória (Foto: Internauta/ G1)Ferido em explosão no navio-plataforma chega ao Aeroporto de Vitória (Foto: Arquivo Pessoal)
Vitória Apart Hospital, unidade referência em tratamento de queimados, informou que recebeu para atendimento emergencial seis vítimas da explosão e que cada uma delas está sendo avaliada por uma equipe médica.
Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), dois feridos tiveram queimaduras graves e oito trauma.
A suplente de coordenação do Sindipetro-ES, Mirta Chieppe, informou que 32 trabalhadores foram resgatados do navio-plataforma por um baleeiro e já estão hospedados em um hotel em Vitória. Outras cerca de 30 pessoas que permaneceram na plataforma após a explosão estão a caminho da capital e também vão ficar na mesma hospedagem, junto com familiares. Segundo o sindicato, todas essas pessoas estão sendo assistidas por psicólogos, médicos e assistentes sociais.

O sindicato ainda informou que os três corpos ainda pemanecem no navio-plataforma, que está totalmente desligado. Por esse motivo, ainda não foi possível chegar onde eles estão.
O QUE É FPSO
Floating Production Storage and Offloading
É um navio adaptado para funcionar como plataforma de produção, armazenamento e transferência de gás ou petróleo para outras embarcações.
Petrobras
O navio-plataforma FPSO Cidade de São Mateus é operado pela BW Offshore e afretado (contratado) pela Petrobras, que confirmou o número de vítimas e informou que havia 74 pessoas embarcadas no total – mas não especificou quantas trabalham para a petroleira.
"A unidade opera, desde junho de 2009, no pós-sal dos campos de Camarupim e Camarupim Norte, no litoral do Espírito Santo, a cerca de 120 km da costa", afirma o texto.
A plataforma, que armazena e produz petróleo e gás, tem foco maior na produção de gás. Segundo a ANP, sua produção é de 2,250 milhões de metros cúbicos de gás/dia e 350 metros cúbicos de óleo/dia.
O FPSO Cidade de São Mateus foi o primeiro para gás instalado no Brasil. O contrato entrou em vigor em 2009 e tem duração até 2018.
O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, comentou nesta tarde o acidente: “A diretora de Abastecimento e Gás [da Petrobras] já se deslocou até o local, estamos esperando um relatório do ocorrido. Mas quero desde já, em nome do governo federal, prestar condolências aos familiares das vítimas e pedir a Deus que aqueles que foram feridos tenham o pronto restabelecimento.”
Ambulâncias aguardam chegada de feridos em acidente de plataforma no Espírito Santo (Foto: Internauta/ Gazeta Online)Ambulâncias aguardam por feridos no Aeroporto de Vitória (Foto: Internauta/ Gazeta Online)
O ministro disse que estava com a presidente Dilma Rousseff quando recebeu a notícia da explosão na plataforma. “A presidente lamentou muito e ficou muito sentida porque, afinal de contas, houve perda de vidas humanas”, disse Braga.
Brasileiros e estrangeiros
Mais cedo, Kristian Flaten, vice-presidente de relações com investidores da BW Offshore – sediada na Noruega – já havia informado sobre mortes, porém não sabia afirmar o número exato. Flaten afirmou que a tripulação da embarcação é mista de brasileiros e estrangeiros. Segundo ele, a BW irá divulgar um comunicado ainda nesta quarta com mais detalhes sobre o caso.
Vice-presidente de projetos da BW no Brasil, Benito Ciriza, lamentou o acidente e disse ao G1 que, no momento, a empresa está dando assistência às vítimas e auxiliando no resgate.
Resgate
As informações da Petrobras e da ANP confirmam os primeiros dados sobre o acidente, passados no início da tarde pelo Sindipetroleiros do Espírito Santo.
O sindicato afirmou que 32 pessoas que estavam na plataforma conseguiram desembarcar, sendo transportadas por um baleeiro (um tipo de barco).
Ao ser informado sobre o ocorrido, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, entrou em contato com a direção da Petrobras e colocou o estado à disposição para o socorro e atendimento às vítimas. O governo estadual ainda ofereceu ambulâncias e suporte à logística da operação.
Acidente em plataforma a serviço da Petrobras no ES - VALE ESTE (Foto: Arte/G1)
Investigações
A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES), informou que tomou conhecimento da explosão na plataforma e encaminhou um navio e duas aeronaves para a área, “com a prioridade inicial de realizar a evacuação de pessoal e remover as vítimas para os hospitais da Grande Vitória". 
A CPES diz ainda que será aberto um Inquérito Administrativo sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN), para esclarecer as causas e responsabilidades pelo ocorrido na plataforma. "O prazo para a conclusão do inquérito é de 90 dias”, diz a nota.
Imagem de arquivo da plataforma FPSO da Petrobras, em São Mateus, Espírito Santo (Foto: Divulgação)Imagem de arquivo da plataforma FPSO da Petrobras, em São Mateus, Espírito Santo (Foto: Divulgação)

Governo federal não cumpre decisão judicial e deixa menino à beira da morte, diz advogado


Da Redação
antonio
(Foto: Divulgação)

Em agosto do ano passado, a vida do adolescente Antonio Gleiber, de 15 anos, deu uma triste guinada. Após dores fortes na barriga, ele entrou em cirurgia emergencial e teve quase todo o intestino delgado retirado, como única forma de sobreviver, e foi diagnosticado comSíndrome do Abdômen Agudo. Após a cirurgia, realizada em Minas Gerais, terra natal dele, o garoto foi transferido para o Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, para outro procedimento cirúrgico, desta vez para alongamento de intestino, com um dos principais especialistas do Brasil neste procedimento.
Um imprevisto, no entanto, mudou os planos: ao iniciar a cirurgia, o médico da capital paranaense teve que recuar, pois havia restado apenas 10 cm de intestino. Com os dias contados e sobrevivendo por meio de alimentação parenteral, enquanto tenta preservar a última veia disponível para o tratamento cirúrgico, Gleiber precisa de um transplante de intestino, procedimento que só foi realizado quatro vezes no Brasil, todas com morte dos pacientes.
Diante disso, os pais de Gleiber, pequenos agricultores em Minas Gerais ingressaram com ação judicial exigindo que a União custeie a cirurgia no Hospital Jackson Memorial Medial, em Miami, nos Estados Unidos, cujo setor de transplantes, chefiado pelo médico brasileiro Rodrigo Vianna, tem taxas de sobrevida superiores a 80% em transplantes desse tipo. Ganharam na Justiça, em decisão da 5ª Vara Federal. A União, porém, não cumpriu a decisão e recorreu ao TRF da 3ª Região, onde novamente perdeu. Os magistrados confirmaram a decisão judicial e reafirmaram a obrigação da União de viabilizar a cirurgia. A juíza Alessandra Rodrigues, por sua vez, determinou multa diária de R$ 200 mil contra a União. Ainda assim, a União não cumpre a decisão. No dia 30 de janeiro, a multa já somava 1,8 milhões, bem mais que o custo total para viabilizar a cirurgia de Gleiber.
“Com a morte do menino, a União espera se livrar da obrigação de fazer a cirurgia e também de pagar a multa”, denuncia o advogado Claudinei Szymczak, que defende a família. Na semana passada, os advogados do menino já entraram com pedido de prisão do Ministro da Saúde, Arthur Chioro, por descumprimento de ordem judicial.
À beira da morte
O menino Gleiber, há cinco meses sem comer e 20 kg mais magro do que quando saiu do interior de Minas Gerais, tem como único remédio a esperança de que o Governo Federal cumpra a ordem judicial antes que a última veia para alimentação parenteral seja utilizada. Sua alimentação, feita por inserção de nutrientes diretamente nas veias, tem tempo limitado, pois as únicas quatro veias que aceitam esse procedimento no corpo humano infeccionam após semanas de uso. Três das quatro veias de Gleiber ja infeccionaram, torando-se inutilizadas. No momento, está se alimentando por uma menor, improvisada, para que não se começasse a usar a última veia, necessária para o transporte aos EUA e cirurgia.
 Outros casos
Este não é o primeiro caso envolvendo a necessidade de realização de transplante no exterior. No início de 2014, a família de uma bebê, chamada Sofia, nascida com uma doença rara que impossibilita a absorção dos nutrientes pelo intestino, entrou com ação judicial pleiteando que a União providenciasse transplante multivisceral, que envolve tanto o intestino delgado como outros órgãos, no mesmo hospital, Jackson Memorial Medical, em Miami. Após perder na Justiça, a União adotou a mesma tática: não cumprir a decisão judicial. Diante disso, o advogado da família pediu a prisão do ministro da Saúde. Dois dias depois da União ser intimada do pedido de prisão, a União providenciou a viagem e o transplante. Hoje, a pequena Sofia tem um ano de idade, está em Miami, em segurança, com tratamento home care junto à família, enquanto aguarda doador.
Entenda o caso ponto a ponto
Agosto de 2014: Gleiber sente dor de barriga e é tratado apenas com analgésicos para dor
Agosto de 2014: Com muita dor, Gleiber é transferido ao Hospital Universitário Alzira Velano, em Alfenas, Minas Gerais.
23 de Agosto de de 2014: Gleiber é diagnosticado com Síndrome do Abdômen Agudo.
24 de Agosto de de 2014: Gleiber é submetido a tratamento cirúrgico, onde se verifica que quase 100% do intestino está necrosado. Tem o mesmo retirado.
Setembro de 2014: Gleiber é transferido para o Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, para realizar procedimento de alongamento de intestino.
24 de Setembro de 2014: Médicos descobrem que Gleiber tem apenas 10 cm de intestino restantes. É necessário realizar transplante de intestino como única opção de vida do paciente.
28 de Outubro de 2014: Chefe do Serviço de Transplante de Fígado do Hospital Pequeno Príncipe e médico de Gleiber, afirma em relatório, posteriormente encaminhado à Justiça Federal, que essa modalidade de transplante nunca foi realizada com sucesso no Brasil e recomenda que seja encaminhado ao serviço de Transplante da University of Miami, nos EUA, chefiado pelo também curitibano, professor Rodrigo Vianna. Sendo o centro com maior experiência mundial no tratamento de insuficiência intestinal, as taxas de sobrevida superam os 80% em três anos de acompanhamento.
13 Novembro de 2014: Pais de Gleiber contratam advogados, que entram com pedido na 5ª Vara da Justiça Federal de São Paulo.
25 de novembro de 2014: A Juíza Federal Alessandra Rodrigues, determina que sejam ouvidos especialistas do Hospital de Clínicas da USP e do Hospital Albert Einstein, as duas instituições que já haviam tentado realizar transplantes de intestino, sem sobrevida dos pacientes.
9 de Dezembro de 2014: União Federal junta relatório médico do Dr. Sérgio Paiva Filho, da Equipe de Transplante Órgãos Abdominais HIAE, do Hospital Israelita Albert Einstein, onde informa que o referido hospital iniciou o programa de Transplante de Intestino em 2010. Em 2011 foi realizado o primeiro transplante, o paciente morreu oito meses depois. Em 2014, realizou-se o segundo transplante, o paciente morreu três meses depois. Ainda em 2014 foi feito um terceiro transplante, o paciente morreu na mesa de operação.
9 de dezembro de 2014: União Federal junta relatório médico do Dr. Rafael Antonio Pécora, da Equipe do Hospital das Clínicas da USP, no qual afirma que o Hospital das Clínicas iniciou seu programa de Transplante de Intestino Delgado em 2010. Em 2014 realizou dois transplantes – mas não cita o resultado (o qual sabemos que foi, mais uma vez, a morte dos pacientes). O médico cita que desde 2010, mesmo período das cinco tentativas mal sucedidas no Brasil, os EUA realizou 479 transplantes, sendo que, somente nos últimos 23 meses, 27 pacientes foram submetidos a tal modalidade de transplante, no Hospital Jackson Memorial, com sobrevida de 23 pacientes, resultando em uma taxa de sobrevida de mais de 85% dos pacientes transplantados no hospital norte-americano.
12 de dezembro de 2014: Após ouvir os dois médicos, é publicada decisão proferida pela Juíza Federal Alessandra Rodrigues, onde determina que a União providencie o custeio integral de tudo o que for necessário para que Cassiano seja submetido à cirurgia de transplante de intestino e aos respectivos tratamentos no Hospital Jackson Memorial Medical, em Miami, nos EUA. A determinação inclui o custeio de tratamento ambulatorial, de nutrição e medicamentos, além do que mais a equipe do hospital recomendar.
Que a União auxilie o paciente e os pais dele a obter os vistos junto às autoridades norte americanas, inclusive solicitando urgência em virtude de sua grave situação de saúde, bem como valendo-se dos serviços diplomáticos.
Que a União providencie o transporte aéreo do garoto do hospital Pequeno Príncipe em Curitiba até o hospital dos Estados Unidos – em veículos aéreos e terrestres equipados com o aparelhamento necessário para a manutenção e suporte à sua vida.
Que a União providencie depósito em dinheiro que exige o hospital dos Estados Unidos, bem como adequada instalação dos pais, com o fornecimento de residência próxima ao hospital.”
A Justiça deu prazo de 15 dias para o cumprimento total da medida.
23 de dezembro: A União, ao invés de buscar primeiramente cumprir a medida imposta pela Justiça Federal, devido à urgência da situação, mobiliza seus advogados contra a família de Gleiber, que entram com recurso de “agravo de instrumento”, pedindo que fosse suspendida a decisão da Juíza Federal. A desembargadora Consuelo Yoshida nega o efeito suspensivo ao referido recurso no mesmo dia.
27 de dezembro: Vence prazo dado pela Justiça, sem cumprimento ou qualquer satisfação dada pela União.
13 de janeiro: É publicada decisão da Juíza Federal Alessandra Rodrigues, concedendo prazo de dez dias e estipulando R$ 200 mil de multa por dia, caso a decisão não seja cumprida novamente.
23 de janeiro: Prazo vence novamente, sem cumprimento da União.
26 de janeiro: Advogados da família de Gleiber solicitam a majoração da multa para R$ 500 mil por dia, bem como que o Ministro da Saúde, Dr. Arthur Chioro, seja preso, por desobediência de ordem judicial.
28 de janeiro: União Federal alega que está cumprindo a decisão, informando que pagou a empresa de taxi aéreo e que depositou U$ 50 mil na conta do hospital norte americano.
30 de janeiro: Publicada decisão da Juíza Federal Alessandra Rodrigues, concedendo novo prazo de 15 dias para a União Federal e suspendendo a multa diária durante tal período.
5 de fevereiro: Hospital norte-americanoem e-mail endereçado aos advogados da família de Gleiber e ao representante do Ministério da Saúde informa categoricamente que nenhum valor foi depositado na sua conta. Advogados entram com recurso de “agravo de instrumento” ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região, pedindo que seja revogada a decisão da juíza, que concedeu novo prazo e suspendeu a multa diária já fixada.

Comec diz que quem tiver prejuízo financeiro com mudança de cartão na RMC deve procurar a Urbs


Por Marina Sequinel

O presidente da Coordenação da Região Metropolitana (Comec), Omar Akel, informou que o usuário que tem o cartão transporte urbano deve procurar a Urbanização de Curitiba (Urbs)em caso de prejuízo financeiro com as mudanças no pagamento da passagem. Segundo ele, como o órgão é fornecedor da bilhetagem atual, é responsabilidade dele o retorno do dinheiro.
cartao-transporte
Cartão da Urbs não poderá mais ser utilizado na região metropolitana a partir de sábado, segundo Comec. (Foto: Luiz Costa/SMCS)
Do outro lado, a Urbs declarou que não foi avisada sobre as alterações com antecedência e que não tem como viabilizar esse serviço. A partir do próximo sábado (14), os passageiros das linhas metropolitanas vão ter que usar um “vale de papel” enquanto o novo sistema de bilhetagem será atualizado. Com a medida, o cartão da Urbs não valerá mais em terminais e estações-tubo de Curitiba. Na cidade de origem, a população só poderá pagar a passagem em dinheiro ou por meio do vale provisório.
Muitas pessoas se sentiram prejudicadas com a alteração, por terem recarregado o cartão urbano para pagar os R$ 2,85 válidos durante um mês após o anúncio da nova tarifa. De acordo com a Urbs, existe uma lei federal que garante que, quando há mudança na tarifa do transporte coletivo, o preço ‘velho’ deve ser mantido por até 30 dias. “Esses créditos não serão perdidos, já que podem ser usados no trajeto de volta da capital. Mas quem se sentir lesado financeiramente deve procurar a Urbs para reaver o dinheiro. Agora cada um cuida do seu caixa”, declarou Akel durante entrevista ao jornalista Adilson Arantes no Jornal Banda B da tarde desta quarta-feira (11).
Segundo ele, quando a Prefeitura de Curitiba decidiu romper a integração, novos projetos tiveram que ser implantados para garantir a manutenção do sistema. “Nós precisávamos de uma medida que fizesse com que o recurso fosse direto para as linhas metropolitanas. Não tinha como ficar com a Urbs no esquema ‘uma vende e outra paga’. Ficaria inviável, daí a necessidade desse novo bilhete”, concluiu o presidente.
Quem quiser adquirir o vale de papel precisará ir até o Centro de Curitiba ou aos terminais metropolitanos. Para mais informações, clique aqui.
Urbs
Em nota, a Prefeitura de Curitiba afirmou que, no documento de encerramento do convênio, a Comec se comprometeu a dar tempo para o usuário se adequar a eventuais mudanças que poderiam acontecer. O órgão ainda reconheceu a dívida com a Urbs e autorizou a retenção de recursos para abater essa dívida.
Linha Tamandaré/Cabral
O transtorno noticiado pela Banda B nesta terça-feira (10) sobre a retirada de veículos da Linha Tamandaré/Cabral já foi resolvido, segundo a Comec. A empresa Glória deve fazer, a partir de agora, o transporte de passageiros na região do Cachoeira, enquanto a linha de Tamandaré será responsabilidade dos ônibus da empresa Tamandaré.

Mulher que saía de Unidade de Saúde morre atropelada por carro em Curitiba


Por Luiz Henrique de Oliveira


Um acidente no bairro Xaxim, em Curitiba, terminou com a morte por atropelamento de uma pedestre na tarde desta quarta-feira (11). A mulher estava na calçada da Rua Primeiro de Maio quando foi atingida por um Corsa Prata, que teria se perdido na curva, segundo o relato de testemunhas. Esse veículo também bateu contra um Renault, que estava estacionado.
xaximdentro
Mulher não resistiu aos ferimentos (Foto: Bruna Santana)
Bruna Santana trabalha próximo ao local e contou o que teria acontecido. “Falaram que o motorista se perdeu e atingiu em cheio essa mulher, que voltava da Unidade de Saúde Vila São Pedro. Ele estava a cerca de 70 km/h, pelo que informaram”, disse àBanda B.
A testemunha não soube informar se o motorista tinha Carteira Nacional de Habilitação. “O rapaz ficou no local, mas ao perceber que a família da senhora chegou, ficou nervoso e quase saiu, só que os bombeiros não deixaram”, relatou.
Ainda de acordo com Bruna, a vítima aparenta ter 70 anos e o primeiro nome dela seria Adelina. O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML). O motorista será encaminhado à Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran).

Decisão judicial obriga desocupação da Assembleia


bagunça
A Procuradoria Geral do Estado do Paraná conseguiu na madrugada desta quarta-feira (11) um mandado de reintegração de posse para que os manifestantes desocupem imediatamente o prédio da Assembleia Legislativa, ocupado desde a tarde de terça-feira (10) por integrantes da APP- Sindicato.
O oficial de Justiça está desde às 3h30 no prédio tentando localizar o líder do movimento, Hermes Silva Leão, presidente da APP Sindicato, para comunicar a decisão judicial e exigir a desocupação imediata. Até a manhã de hoje, o presidente da APP não havia sido localizado.
Na liminar, o juiz de Direito Substituto, Paulo Guilherme Mazini, estabelece multa individual para os três líderes da invasão, Hermes Silva Leão, Cleci Martins e Giovani Vieira.
A multa fixada é de R$ 10.000,00 para cada um por hora de atraso no cumprimento da liminar de reintegração de posse, a partir das 5h30 desta quarta-feira.
De acordo com a decisão, se não houver imediata desocupação do prédio de forma voluntária, pacífica e organizada até às 5h30 de hoje, a polícia militar e outros órgãos da força policial pública ficam autorizados a cumprir o mandado de reintegração de posse.

Corrupção e vandalismo do PT afrontam a democracia, diz Doatico Santos


doatico180612
Artigo de Doático Santos
Primeiro eles criaram o maior esquema de corrupção já visto no país, indo do mensalão ao assalto da Petrobras. Agora para desviar o foco do mar de lama que cerca o partido programam greves e manifestações pelo país.
Este é o legado do PT no poder. No Paraná, infiltrados na agitação da greve dos professores patrocinam ato vergonhoso de vandalismo tentando impedir votação no plenário da Assembleia Legislativa. Ao invés de manifestação de professores (as), concentração transformou-se em selvageria de fazer inveja aos black blocs.
São os obstáculos da democracia. Enquanto a presidente Dilma se mostra envolvida na corrupção e desmandos que assustam o Brasil, aqui nas araucárias, os petistas aliados ao aloprado Requião, tentam atrapalhar a todo custo o trabalho do governador Beto Richa.
A sociedade paranaense derrotou exemplarmente esses larápio nas últimas eleições. Plano de ajustes para governabilidade do nosso Estado terá o respaldo social e político para sua aprovação e picaretas, tanto os do roubo da Petrobras, quanto os travestidos de professores na greve política contra o Paraná, serão devidamente punidos.