É falsa a joia de Eike avaliada em R$ 56 milhões, diz a Polícia Federal


Inicialmente avaliado em US$ 20 milhões, réplica custaria pouco mais de US$ 65

A Polícia Federal do Rio confirmou nesta sexta-feira que é realmente falso o ovo Fabergé apreendido na residência de Eike Batista no último dia 6 de fevereiro durante cumprimento de mandado de busca e apreensão decretado pela Justiça Federal. Segundo peritos federais, trata-se de uma réplica.
O objetivo chegou a ser avaliado em cerca de U$ 20 milhões. A informação foi antecipada pelo jornalista Lauro Jardim, em sua coluna no site da revista "Veja".
Além do ovo, foram apreendidos pela Polícia Federal no dia 6 de fevereiro na casa do empresário no Jardim Botânico, um Lamborghini Aventador LP700-4 — que era usado como peça de decoração da sala de estar na casa onde mora no Jardim Botânico — avaliado em R$ 2,8 milhões, outros cinco veículos, um computador, uma escultura, 16 relógios, dois motores de lancha e até o telefone celular de Eike, além de um piano de meia cauda e R$ 90 mil em dinheiro e R$ 37 mil em moedas estrangeiras.
As operações estão sendo determinadas pelo juiz Flávio Roberto de Souza, titular da 3ª Vara Criminal da Justiça Federal, atendendo a pedido do Ministério Público Federal do Rio. A decisão, que inclui um conjunto de medidas cautelares, foi assinada no início de janeiro.
ovo.png
Fonte: Com informações do Extra Online
Publicado Por: Fábio Carvalho

'Foi mamão com açúcar', diz suspeita de dopar agentes para fuga em cadeia


Mulheres seduziram servidores e 27 presos fugiram em Nova Mutum (MT)
Ex-diretor da Cadeia de Nova Mutum (MT) e agentes estão presos.

Do G1 MT
Mulheres suspeitas de dopar agentes penitenciários foram presas em Cuiabá. (Foto: Reprodução/TVCA)Mulheres suspeitas de dopar agentes penitenciários foram presas em Cuiabá. (Foto: Reprodução/TVCA)
Uma das duas mulheres suspeitas de ter dopado agentes penitenciários da Cadeia de Nova Mutum, a 269 km de Cuiabá, detalhou a facilidade da ação, durante entrevista à TV Centro América em Cuiabá. Nayara Mendes Pereira de Souza, de 27 anos, foi presa nesta quinta-feira (12) após uma denúncia. Também foi presa outra suspeita, um fugitivo e um rapaz que é namorado de uma das garotas.
“Foi mamão com açúcar. Os agentes caíram. Eles ficaram ligando para nós e pediram para levar uísque e eu levei. Eu levei o remédio e ele [o agente] tomou”, relatou Nayara à TVCA. Segundo a suspeita, um dos agentes desmaiou logo após ingerir o remédio. O outro ainda demorou um pouco mais. “Eu peguei todas as chaves de todas as celas e foi todo mundo saindo”, completou a suspeita.

O delegado do Goe, Antônio Carlos Garcia de Matos, contou que a prisão ocorreu após denúncia de que o detento e as garotas estavam em uma quitinete, no Bairro Altos da Serra. A outra jovem e um dos rapazes ficaram em silêncio e não falaram com a imprensa. O quarto suspeito confessou a participação na fuga.
De acordo com as investigações da Polícia Civil, as duas mulheres seduziram e doparam os dois agentes da cadeia no último dia 5 de fevereiro, ocasião em que pegaram as chaves das celas e 27 detentos fugiram pela porta da frente da unidade. Até o momento, apenas 13 presos foram recapturados. Os agentes foram encontrados desacordados, sem roupas e amarrados.
Na quinta-feira a delegada de Nova Mutum, Angelina de Andrade, pediu a prisão de mais cinco pessoas suspeitas de participar da fuga em massa na cadeia pública do município, e indiciou oito pessoas pelos crimes de formação de quadrilha, facilitação de fuga e furto de armas. O inquérito aberto para apurar o caso foi concluído pela Polícia Civil.
Servidores presos
Os dois agentes penitenciários e o ex-diretor da Cadeia Pública, exonerado logo após o caso, estão presos na Cadeia de Santo Antônio do Leverger, a 35 km da capital mato-grossense. A Polícia Civil continua a investigação para encontrar pessoas que possam ter ajudado na fuga, além de tentar recapturar os outros presidiários.

Justiça hipoteca sede da Petrobras para evitar calote bilionário da estatal


Decisão tomada nesta quinta-feira visa a indenizar em quase R$ 1 bilhão a Refinaria Manguinhos, que processa a estatal em virtude prejuízos com a política de controle de preços da gasolina

FILIPE COUTINHO
13/02/2015 15h49 - Atualizado em 13/02/2015 20h55

 
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro (Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo)
Está na hora de convocar um padre para benzer – ou exorcizar – a Petrobras. É uma bruxaria atrás da outra. Não bastasse o impacto da operação Lava Jato nas finanças da empresa, entre outros tantos problemas que vêm a público dia sim, outro também, a Petrobras teve sua sede hipotecada pela Justiça do Rio de Janeiro, em decisão tomada nesta quinta-feira (12). A hipoteca serve como forma de garantir o pagamento de uma dívida de R$ 935 milhões, causada por “conduta predatória” da estatal. Os oito mil funcionários da empresa, que estão sem norte, podem ficar sem teto. A estatal, naturalmente, pode e ainda vai recorrer da decisão.

O edifício hipotecado é a tradicional sede da estatal, localizada na Avenida Chile, no centro do Rio. Chamado de Edise, uma abreviação de Edifício Sede, o prédio inaugurado em 1974 foi construído por uma antiga parceira da Petrobras, a Odebrecht – agora investigada na Lava Jato. A sede que conta com 26 andares e jardins suspensos.
A derrota judicial é mais um capítulo da disputa que a Petrobras trava com a Refinaria Manguinhos, localizada no Rio de Janeiro. A refinaria cobra da Petrobras danos materiais pela política de preços da estatal.

A crise enfrentada pela Petrobras foi um dos argumentos utilizados pela juíza Kátia Torres, da 25ª Vara Cível do Rio de Janeiro, para determinar a hipoteca da sede da estatal. Na prática, a hipoteca significa que, em caso de calote, a sede poderia ser usada para o pagamento. “Além do julgado envolver expressiva condenação de valor líquido, os problemas financeiros enfrentados pela ré são públicos e notórios, impondo-se a adoção da medida constritiva com vistas à efetividade do processo”, diz a decisão da juíza.
>> Leia mais notícias sobre a Petrobras

A hipoteca judiciária é um desdobramento de outra decisão judicial, também da 25ª Vara Cível do Rio de Janeiro, tomada em novembro do ano passado. Na decisão inicial, a juíza Simone Chevrand determinou o pagamento de R$ 935 milhões à Refinaria Manguinhos, por danos materiais. “Além de ser fato notório que há controle de inflação pelo governo federal através da política de preços de combustíveis, tal grande ingerência à qual o réu está submetido é admitida pelo mesmo em sua contestação e o leva a praticar, sim, preços que inviabilizam a concorrência”, escreveu a juíza.

De acordo com a sentença, ficou comprovado o dano causado pela Petrobras. “É bem verdade que não cabe ao Judiciário, no âmbito do processo judicial, realizar discurso político partidário. O que lhe cabe é constatar que se o réu – movido por injunções políticas governamentais -, em sua atividade empresarial ocasiona danos a terceiros, deve indenizá-los. E por isto se adiantou que a solução da questão passa, na realidade, por aplicação de regra elementar de responsabilidade civil. Como demonstrado, a conduta predatória ocorreu e o dano restou comprovado”.

Em nota, a Petrobras afirmou que irá recorrer à decisão e que "a hipoteca noticiada representa garantia de condenação que ainda não é definitiva". Leia a íntegra do comunicado abaixo:
"A Petrobras esclarece que trata-se de decisão de primeiro grau, sujeita a recurso ao tribunal local e aos tribunais superiores. A Petrobras, tão logo intimada, vai recorrer. Portanto, não se pode falar em 'dívida', muito menos na possibilidade de 'calote', termo pejorativo utilizado na matéria.
A hipoteca noticiada representa garantia de condenação que ainda não é definitiva e, portanto, inadmite execução. A companhia também avalia os reflexos do prematuro ônus imposto pelo juízo de primeira instância para adoção das medidas judiciais cabíveis".

Petrobras reduz preço do combustível para o Paraguai


Quem mora em Ponta Porã, MS, atravessa uma avenida e faz economia. Preço da gasolina está mais barato que no Brasil e deve cair ainda mais.
do G1:
A Petrobras anunciou a quarta redução seguida nos preços dos combustíveis, só que no Paraguai. A empresa brasileira é uma das principais fornecedoras para o país vizinho.
Quem mora em Ponta Porã só precisa atravessar uma avenida para fazer economia, na hora de encher o tanque. O preço da gasolina já está mais barato que no Brasil, R$ 2,97, e vai cair ainda mais.
A Petrobras anunciou que a partir da segunda-feira de carnaval (16), o litro deve chegar a R$ 2,80, valor que pode ter uma pequena variação por causa da cotação do dólar, referência para a conversão de moedas.
Esta é a quarta vez, só este ano, que a Petrobras anuncia uma redução nos preços dos combustíveis, no Paraguai. Outras duas distribuidoras seguem o mesmo caminho de queda nos valores da gasolina e do óleo diesel porque no mercado internacional, o preço do barril de petróleo vem caindo.
No Brasil, o cenário é diferente e para o consumidor, a matemática está complicada. O que provocou o reajuste dos preços, no início de fevereiro, foi o aumento dos impostos sobre os combustíveis: PIS e Cofins, que tiveram impacto médio de R$ 0,22 sobre a gasolina e R$ 0,15 sobre o diesel.
A presença de brasileiros nos postos paraguaios aumentou mais de 20% nos últimos 15 dias e a expectativa de vendas é ainda melhor para a próxima semana, quando os preços na bomba devem cair ainda mais.

Soldado da PM salva casal de afogamento após carro capotar e cair em banhado na BR-277


Da Redação com Polícia Militar

Um homem de 54 anos e uma mulher de 32 foram salvos de um afogamento por um soldado da Polícia Militar (PM) após o veículo deles capotar e cair em um charco na BR-277 na manhã do último sábado (7). As vítimas seguiam de Matinhos em direção à Paranaguá em um Fiat Strada vermelho no momento do acidente.
Com apoio de uma aeronave do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), o motorista foi encaminhado ao hospital da região. No início da manhã, o soldado Saulo da Rocha Pina, que estava de serviço no Posto Rodoviário de Alexandra-Matinhos, foi acionado por um colega que saía de serviço para dar apoio a um veículo quebrado que estava na rodovia. Após atender a situação e realizar as medidas de praxe, o policial retornou ao posto.
“No caminho, um rapaz sinalizou para eu parar e ao indagá-lo sobre o que precisava, ele informou que havia um carro capotado e atolado no banhado às margens da rodovia. Entrei na água, que é contaminada e cheia de resíduos, e consegui virar o carro, onde vi um homem e uma mulher, sendo que o homem aparentava estar morto, pois estava arroxeado e com a língua para fora”, contou o soldado.
O policial retirou a mulher do veículo, que estava consciente e, depois, o motorista. “Durante o período de formação na PM, fui instruído para agir em situações como essa, porém, em 11 anos de serviço, nunca havia precisado fazer algum tipo de reanimação. Mesmo assim, comecei a fazer massagens cardíacas e outras técnicas de reanimação. Verifiquei que as vias aéreas estavam obstruídas e retirei bastante sujeira da garganta. Aos poucos ele foi soltando água e começou a reagir”, contou Pina. “Várias pessoas foram chegando ao local e me ajudaram no resgate”, completou.
As testemunhas que se aglomeraram no local e acompanharam o esforço do soldado Pina em salvar a vida da vítima aplaudiram e elogiaram o atendimento dado por ele. Em apoio ao resgate, uma ambulância da concessionária da rodovia chegou ao local. Devido a gravidade do acidente e por ter engolido água contaminada, foi solicitado apoio de uma aeronave do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas. “Isolei o local para o pouso do helicóptero, que encaminhou o homem até um hospital. Mesmo após o resgate e todo sujo, trabalhei todo o plantão, atendendo outras ocorrências durante o dia, pois meu compromisso é com a corporação e com a segurança das pessoas“, afirmou.
Há 11 anos na corporação, o soldado Pina pertence à 4ª Companhia do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), e trabalha em Cianorte (PR), no noroeste do estado. Durante a “Operação Verão Paraná 2014/2015”, Pina atua no posto de Alexandra-Matinhos. “Nós policiais militares sempre temos que estar preparados para qualquer situação de emergência, pois as pessoas esperam que façamos algo para resolver o problema. Nesse caso, conseguimos sucesso no resgate e tanto o homem como a mulher foram salvos e encaminhados ao hospital com vida”, destacou.

Bandidos rendem primeira-dama e assaltam casa do prefeito de Almirante Tamandaré


Por Felipe Ribeiro e Danaê Bubalo

Quatro bandidos armados assaltaram a casa do prefeito de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, Aldinei Siqueira (PSD), durante o final da manhã desta sexta-feira (13). De acordo com a polícia, os bandidos renderam a esposa de Siqueira, o motorista e uma empregada, fugindo com R$ 10 mil em um veículo Corsa preto.
Segundo o delegado Hertel Heiben, Siqueira já havia registrado boletim de ocorrência relatando ameaças que vinha recebendo. “Os bandidos demonstraram conhecer a rotina da família e que sabiam que uma mala de dinheiro ali estava”, disse. O dinheiro levado da primeira-dama era referente ao pagamento dos funcionários da auto escola que a família é proprietária.
Para o delegado, a primeira-dama chegou a relatar que os bandidos foram muito violentos e fizeram várias ameaças de morte. “Eles chegaram a dizer que já tinham visto até o preço de um caixão de casal para enterrar os dois. Acreditamos que eles só fugiram porque o prefeito não estava em casa e o filho deles chegou no exato momento”, comentou.
O filho do casal também foi agredido pelos dois bandidos que executavam a ação do lado de dentro.
A Delegacia de Almirante Tamandaré investiga o caso.

Como chegar a Lula no escândalo da Petrobras


Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil lula -22
O cerco começa a se fechar em torno da Odebrecht, a maior empreiteira do país suspeita de envolvimento com a corrupção na Petrobras.
Em delação premiada ao Ministério Público Federal, Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras preso em Curitiba desde o ano passado, disse que a Odebrecht lhe pagou propinas a “cada dois ou três meses” em suas contas na Suíça entre 2008 e 2013.
Por baixo, Paulo Roberto calcula que recebeu no total algo como US$ 31,5 milhões. Os pagamentos tiveram a ver, segundo ele, com uma política da empreiteira de “bom relacionamento”.
A iniciativa partiu do diretor da Odebrecht Plantas Industriais Rogério Araújo. Paulo Roberto confessa que ouviu dele:
– Você é muito tolo, você ajuda mais os outros que a si mesmo. E em relação aos políticos que você ajuda, a hora que você precisar de algum deles eles vão te virar as costas.
A empreiteira desmentiu Paulo Roberto.
Há uma força tarefa formada por representantes do Ministério Público Federal e da Polícia Federal que atua desde a fase inicial da Operação Lava-Jato investigando contratos da Odebrecht com a Petrobras e o eventual pagamento de suborno.
A empresa sabe disso. E está pronta para rebater o que lhe imputem tão logo isso ocorra. E por meio da Odebrecht que o Ministério Público e a Polícia Federal imaginam que podem chegar ao ex-presidente Lula.
Assim que largou a presidência da República, Lula passou a prestar serviços a empreiteiras com negócios no exterior. A Odebrecht é uma delas. A OAS, outra.
Lula aproveita relações que estabeleceu com governos na época em que era presidente para defender os interesses das empreiteiras.
O que ele faz não é ilegal. Imoral? Pode ser.

Ex-prefeito é denunciado por utilizar bomba de oxigênio em barril de chope


Cilindro de oxigênio foi retirado de posto de saúde de Luiziana, no Paraná.
Segundo MP, equipamento foi utilizado em festa particular de ex-prefeito.

Luciane CordeiroDo G1 PR
MP-PR sustenta a ação com foto publicada pela filha do ex-prefeito em uma rede social (Foto: Divulgação/ Ministério Público do Paraná)MP-PR sustenta a ação com foto publicada pela filha do ex-prefeito em uma rede social (Foto: Divulgação/ Ministério Público do Paraná)
O Ministério Público do Paraná (MP-PR) propôs uma ação civil pública por improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Luiziana, no centro-oeste do estado, José Claudio Pol (PMDB). De acordo com o MP-PR, Pol teria desviado o único cilindro de oxigênio móvel disponível em uma unidade municipal de saúde para bombear o barril de chope durante uma festa particular.
Ainda conforme o Ministério Público, o fato ocorreu na festa de virada de ano de 2012 para 2013. O mandato de Pol como prefeito terminou no dia 31 de dezembro de 2012. "Esse foi o último ato dele como prefeito", ironiza o promotor do Patrimônio Público Marcos José Porto Soares. Atualmente, José Cláudio Pol exerce a função de secretário municipal de Finanças de Luiziana.

Para Pol, a investigação não passa de intriga política. "É um caso político, o prefeito e o vice-prefeito da gestão anterior a minha foram os responsáveis pela denúncia. O Ministério Público não tem como comprovar que eu utilizei o cilindro do posto de saúde", argumenta José Claudio Pol.
 O ex-prefeito de Luiziana disse ao G1 que um amigo da família alugou o cilindro de oxigênio e o barril de chope em Maringá, no norte do estado. Segundo Pol, esse mesmo amigo pediu a casa dele emprestada para fazer a festa da virada.

"Nós temos como comprovar que alugamos esses equipamentos em Maringá. Temos extrato do cartão de crédito, e a empresa está puxando as notas fiscais que ficaram registradas no computador", alega.
Pol ainda disse ao G1 que não foi intimado pela promotoria para prestar esclarecimentos e, quando for chamado, levará as provas comprovando que não tem envolvimento no caso. "Se, de repente, um servidor da saúde buscou esse cilindro no posto, ele terá que responder pelo caso e não eu", finaliza o ex-prefeito.
MP-PR ainda divulgou uma foto que comprova que ex-prefeito participou da festa (Foto: Divulgação/ Ministério Público do Paraná)MP-PR ainda divulgou uma foto que comprova que
ex-prefeito participou da festa (Foto: Divulgação/ MP-PR)
De acordo com o MP-PR, o ex-prefeito ordenou, no dia 31 de janeiro de 2012, que um servidor público fosse até o posto de saúde e levasse o balão de oxigênio móvel, que equipava a ambulância, para a casa do político. Lá, amigos e familiares de Pol confraternizavam a virada do ano com um barril de chope.

"Como era necessário bombear o chope, Pol pediu para trazer o cilindro. E isso pode ser comprovado através de fotos que a filha dele publicou em uma rede social. O perfil dela é público, quem quiser pode entrar e ver", detelha Soares.
A ação do MP-PR aponta que a retirada do equipamento do posto de saúde prejudicou o atendimento a uma paciente, levada à unidade na madrugada de 1º de janeiro de 2013 com suspeita de infarto. No posto, a mulher respirava com a ajuda de um cilindro de oxigênio grande. Porém, a paciente piorou e os médicos pediram a transferência dela para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI)  em Campo Mourão, a 30 quilômetros de Luiziana.
Conforme o MP-PR, para a paciente ser transportada precisava estar conectada a um cilindro de oxigênio. Mas, como o único equipamento móvel foi retirado da unidade de saúde, a mulher viajou sem receber oxigenação. No dia seguinte, 2 de janeiro de 2013, a paciente morreu em Campo Mourão.
"Nós conseguimos apurar todos os detalhes com funcionários da unidade, que confirmaram a retirada. Os servidores disseram que não tiveram escolha a não ser acatar a ordem do ex-prefeito", afirma o promotor. 
O MP-PR pede a condenação do ex-prefeito por improbidade administrativa. Além disso, foi requerido liminarmente o afastamento do ex-prefeito do cargo de secretário municipal de Finanças.
"Encaminhei o caso para a promotoria criminal que vai analisar se o ex-prefeito foi responsável pela morte da paciente de Luiziana", pontua Marcos José Porto Soares. O promotor ainda acrescenta que os sete filhos da vítima não foram encontrados, pois foram embora da cidade alguns meses depois da morte da mãe.
Até as 11h30 desta sexta-feira (13), nenhum representante da prefeitura foi localizado pela reportagem para informar se José Claudio Pol será afastado do cargo.

Ônibus com torcedores do Paraná é apedrejado e só consegue seguir viagem escoltado


Por Luiz Henrique de Oliveira


Um ônibus com torcedores do Paraná Clube foi vítima de uma tocaia no Terminal do Capão da Imbuia, em Curitiba, na noite desta quinta-feira (12). A Urbanização de Curitiba (Urbs) confirmou o atentado contra o biarticulado da Linha Pinhais Rui Barbosa e informou que seis janelas foram danificadas, em um prejuízo calculado em R$ 6 mil. Para seguir ao destino, que era Pinhais, foi necessária uma escolta por parte da Guarda Municipal (GM).
capao
Ônibus foi escoltado até o Terminal de Pinhais (Foto: Bruno Ferreira)
Segundo um leitor do Portal da Banda B, Bruno Ferreira, dentro do ônibus estavam torcedores do Paraná que voltavam do jogo contra o J. Malucelli, que terminou com derrota por 3 a 1.
“Do lado de fora um grupo de jovens atirou pedras contra o ônibus. Uma menina foi ferida na cabeça e um menino na perna, de maneira leve. Foi um susto o que aconteceu. É lamentável danificarem o transporte público desta forma”, contou.
Além da GM, a Polícia Militar (PM) foi chamada para atender a ocorrência. Ninguém foi preso até o fechamento desta reportagem.

Bandidos assaltam chácara, trocam tiros com PM e GM e três morrem na RMC


Por Luiz Henrique de Oliveira


Uma intensa troca de tiros – entre policiais militares, guardas municipais e suspeitos de assalto a chácaras – terminou com três bandidos baleados, na noite desta quinta-feira (12), na Colônia Marcelino, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.
Segundo a Polícia Militar (PM), por volta das 22h40 cinco homens armados invadiram uma chácara de alto padrão próximo à Igreja Ucraniana. As equipes policiais chegaram ao local e a troca de tiros aconteceu. Os suspeitos atiraram contra as equipes quando saiam da residência e houve o revide.
Três suspeitos foram baleados e outros dois conseguiram fugir, sem serem localizados. Os corpos dos suspeitos foram recolhidos ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).

Caminhoneiro é rendido enquanto dormia e pede socorro em matagal; ladrão foi preso em seguida


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento
caminhaouberaba
Caminhão foi recuperado pela PM no Uberaba (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Um caminhoneiro catarinense passou por momentos de tensão na madrugada desta sexta-feira (13) na Grande Curitiba. Ele foi rendido enquanto dormia em um posto de combustíveis na BR-376, entre Tijucas do Sul e São José dos Pinhais, e abandonado na PR-423, em Araucária. Apesar de tudo, o final foi positivo para o trabalhador, já que a Polícia Militar (PM) recuperou o caminhão carregado de cerveja e prendeu um suspeito, na Av. Salgado Filho, no bairro Uberaba.
A prisão do suspeito aconteceu com a ajuda do rastreador do caminhão. “Aqui no Uberaba o suspeito foi abordado e jogou o caminhão contra a viatura policial. Outra equipe que vinha na cobertura parou e os policiais conseguiram detê-lo, recuperando também toda a carga que havia sido roubada”, descreveu à Banda B o tenente Nicácio, da PM.
O caminhoneiro foi localizado em um matagal na zona rural de Araucária, na PR-423. “Nossa equipe patrulhava na região quando ouvimos um pedido de socorro. Ele estava lá amarrado e nos contou o que tinha acontecido”, explicou o guarda municipal Ramos, de Araucária, responsável por libertar o trabalhador.
Ainda traumatizado, o caminhoneiro comentou que foi dormir tranquilamente e acordou vivendo o momento mais difícil de sua vida. “É complicado ficar na mira de armas. Não me machucaram, mas foi um pesadelo. Estava indo de Brusque (SC) até o Rio de Janeiro e parei para descansar. Por sorte tudo terminou bem”, afirmou.
O suspeito será encaminhado à Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (Dedec), onde deve ficar preso à disposição da Justiça. A busca agora é por encontrar outros membros da quadrilha.
.

Câmara Municipal de Colombo envia MOÇÃO de apoio a APP Sindicato


A Câmara Municipal de Colombo, através de seu presidente Prof Waldirlei Bueno, envia Moção de apoio ao Sr. Hermes Silva Leão, presidente da APP - Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná .

Veja abaixo a integra da Moção:







Ofício nº 110/2015/GP
Colombo, 11 de fevereiro de 2015.






Senhor Presidente,

Comunicamos a Vossa Senhoria que em Sessão Ordinária realizada no dia 10 de fevereiro de 2015 por este Legislativo, tendo em vista os direitos que estão sendo retirados dos nobres educadores do nosso querido Estado do Paraná, os vereadores manifestaram apoio, colocaram-se a disposição e destacaram a importância da Classe na construção do nosso cidadão colombense. Solidarizaram-se à greve dos Professores da Rede Pública do Estado e a mobilização realizada por essa importante entidade representativa de classe na Assembleia Legislativa da Paraná. Na oportunidade cada partido integrante desta Casa de Leis comprometeu-se em enviar solicitação de apoio aos Deputados de suas siglas partidárias.

Os 19 vereadores presentes nessa sessão, a seguir relacionados, compartilham do ideal pleiteado pelos professores do Estado do Paraná: Vereadores - Antonio Alves Batista ( Pastor Antonio ), Givanildo da Silva (Gilgera), Waldirlei Bueno de Oliveira ( Professor Waldirlei ), Renato Tocumantel ( Renato da Farmácia , Eurico Braz de Bomfim ( Eurico Dino ), Renato Lunardon, Clodoaldo Camargo, Vagner Brandão ( Vagner da Viação ), Anderson Ferreira da Silva ( Anderson Prego ), Helio Feitosa, Nivaldo Paris ( Nivaldo JNP ), Luiz Sala, Maria Micheli Mocelin ( Professora Micheli ), Doliria Strapasson, João Marcos Berlesi ( Marquinho Berlesi ), Sidinei Campos, José Aparecido Gotardo ( Ratinho ), Sergio Pinheiro e José Renato Strapasson (Pelé). 
                                

Atenciosamente,



WALDIRLEI BUENO DE OLIVEIRA,
                                                       Presidente




Ao Senhor
HERMES SILVA LEÃO
APP - Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná
Avenida Iguaçu, 880 – Rebouças
80.230-020 – Curitiba – PR

Força de Pacificação fuzila carro com cinco jovens na Maré; um corre risco de morte


Vitor Santiago Borges, de 29 anos, foi atingido duas vezes
Vitor Santiago Borges, de 29 anos, foi atingido duas vezes Foto: Reprodução / Facebook
Luã Marinatto

Depois de assistirem juntos ao jogo Flamengo x Cabofriense, na noite de quarta-feira, Vitor Santiago Borges, de 29 anos, e outros quatro amigos foram comemorar a vitória rubro-negra num bar em Bonsucesso. Por volta das 3h, o grupo voltou de carro para o Complexo da Maré, onde mora. Na entrada da favela Salsa e Merengue, porém, foram surpreendidos por militares da Força de Pacificação, que abriram fogo contra o automóvel.
Vitor foi atingido no braço e na barriga. Até a noite desta quinta-feira, ele continuava em estado grave no Hospital estadual Getúlio Vargas, após passar por cirurgia. Um segundo passageiro foi atingido de raspão no braço. O veículo levava ainda um sargento da Aeronáutica que serve no Amazonas e passava férias na Maré.
— Eles chegaram a dizer que os rapazes atiraram primeiro. Depois, quando viram que tinha um militar no meio, mudaram a versão. Vamos atrás de Justiça — disse o repositor Luciano Borges, de 26 anos, irmão de Vitor.
Em nota, a Força de Pacificação afirmou que havia uma troca de tiros com traficantes no momento em que os jovens passaram “em alta velocidade”, e os militares atiraram porque o carro desobedeceu à orientação de parar. “Visando a cessar a atitude suspeita que ameaçava a integridade física de dois militares da tropa que estavam na trajetória do veículo, foram realizados quatro disparos de armamento letal”, alegou o texto.
A família nega que as vítimas tenham desrespeitado qualquer ordem, bem como o confronto com criminosos. Até o fim da noite desta quinta, o caso estava sendo registrado, na presença de quatro dos jovens, na Delegacia Judiciária Militar, no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva, na Avenida Brasil, perto da Maré.
O sargento da Aeronáutica Pablo Filho também estava no carro
O sargento da Aeronáutica Pablo Filho também estava no carro Foto: Reprodução / Facebook
Veja, abaixo, a íntegra da nota enviada pela Força de Pacificação da Maré:
“A Força de Pacificação da Maré informa que, no dia 12 de fevereiro, por volta das 03:00 horas, durante patrulhamento na região de Salsa e Merengue, houve troca de tiros entre criminosos e tropas do Exército. Durante o incidente, um veículo em alta velocidade entrou na área conflagrada e recebeu orientação de parar. O veículo não interrompeu seu deslocamento e foram efetuados disparos de armamento menos letal na direção deste, na tentativa de que o condutor interrompesse a atitude do suspeito. Em acordo com as regras de engajamento, observando os princípios da proporcionalidade e progressividade das ações e visando cessar a atitude suspeita que ameaçava a integridade física de dois militares da tropa que estavam na trajetória do veículo, foram realizados 4 (quatro) disparos de armamento letal.
Após os disparos, o veículo parou e a tropa imediatamente prestou socorros aos passageiros e encaminhou os feridos à UPA da Vila do João.
A Força de Pacificação informa que já iniciou procedimento administrativo para apurar o ocorrido e que seus integrantes são militares treinados para Garantir a Lei e a Ordem (GLO), estando preparados para esse tipo de situação”.


Paulo Roberto Costa depõe como testemunha de acusação contra Youssef e Cerveró


Justiça Federal de Curitiba encerra nesta sexta oitivas em seis processos.
Encerrada essa fase, serão ouvidas testemunhas de defesa e réus.

Rosanne D'AgostinoDo G1 PR
Justiça Federal (Gnews) (Foto: Reprodução GloboNews)Testemunhas de acusação continuam prestando
depoimentos (Foto: Reprodução GloboNews)
A Justiça Federal de Curitiba deve encerrar nesta sexta-feira (13) os depoimentos das testemunhas de acusação arroladas em seis processos da sétima fase da Operação Lava Jato. É o décimo dia de oitivas comandadas pelo juiz Sergio Moro.
Entre as testemunhas está o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que depõe em processo em que o doleiro Alberto Youssef e Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobras, são réus no suposto esquema de pagamento de propina na estatal.
Além de Costa, também deve prestar depoimento o advogado Carlos Alberto Pereira da Costa, sócio de Youssef e apontado como braço direito do doleiro.
A audiência está prevista para as 11h e é fechada para a imprensa. São réus neste processo:
São réus neste processo:
Alberto Youssef (doleiro)
Fernando Antônio Falcão Soares (lobista conhecido como Fernando Baiano)
Julio Grein de Almeida Camargo (executivo da Toyo Setal)
Nestor Cunat Cerveró (ex-diretor da área Internacional da Petrobras)
O único dos réus que responde em liberdade é Julio Camargo
Encerrada essa fase, começam a oitivas das testemunhas de defesa e os interrogatórios dos 39 réus.
Os depoimentos fazem parte dos processos da sétima etapa da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, deflagrada em novembro e que culminou na abertura de seis ações penais contra executivos de empreiteiras, além de ex-diretores da estatal e pessoas acusadas de operar o esquema de pagamentos de propina.
Os executivos são ligados às empresas Engevix, Mendes Júnior, Galvão Engenharia, OAS, Camargo Corrêa e UTC. Segundo o Ministério Público Federal, as empreiteiras participaram do chamado “clube”, cartel formado pelas maiores construtoras do Brasil para garantir contratos com a Petrobras.
Delações
Youssef e Costa assinaram acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal para colaborar com a Justiça em troca de redução da pena. O conteúdo das delações foi divulgado pela Justiça Federal de Curitiba na quinta (12).
O doleiro Alberto Youssef afirmou ter intermediado pagamento de propina das empresas Camargo Corrêa e Mitsui Toyo ao Partido dos Trabalhadores (PT) por meio do ex-ministro José Dirceu e do tesoureiro petista João Vaccari Neto.
Em outro depoimento concedido no mesmo mês à Polícia Federal (PF), Youssef disse que Dirceu e o ex-chefe da Casa Civil Antônio Palocci eram "ligações" do executivo da Toyo Setal Júlio Camargo com o Partido dos Trabalhadores (PT). O partido nega o recebimento de propina.