Incêndio no shopping Nova América, Rio, atinge grandes proporções


Centro de compras estava fechado quando o fogo começou.
Imagens aéreas mostra chamas por todo o prédio do shopping.

Do G1 Rio
Chamas consomem parte do shopping Nova América (Foto: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo )Chamas consomem parte do shopping Nova América (Foto: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo)
Um incêndio de grandes proporções atingiu o Shopping Nova América, em Del Castilho, no Subúrbio do Rio, no começo da tarde desta segunda-feira (16).
Pelo menos cem bombeiros de dez quartéis (entre eles Méier, Ramos, Central, Vila Isabel, Caxias, Jacarepaguá) combatem o fogo, com 30 carros. 

A intensidade do fogo era tanta que paredes do prédio desabaram por volta das 13h55. A assessoria do shopping afirmou que não havia vítimas. Por volta das 15h30, a Av. Pastor Martin Luther King Junior estava interditada no sentido Inhaúma. O desvio é feito pela Avenida Dom Helder Câmara. Bombeiros e CET-Rio atuam no local e o trânsito era lento no entorno.
O fogo teve início pouco depois do meio dia. As chamas se alastraram rapidamente. Imagens aéreas mostravam o telhado do prédio sendo consumido. Uma intensa nuvem de fumaça podia ser vista de longe.
Segundo a assessoria do shopping, o centro de compras estava vazio no momento em que o fogo começou, já que está fechado por causa do carnaval. A praça de alimentação abriria ao meio-dia. Nesta segunda e na terça (17) haveria banda de marchinhas na Rua do Rio.
Ainda segundo a assessoria do shopping, o fogo começou em uma área de escritórios e depósitos. As causas ainda são desconhecidas. O local tem cerca de 300 lojas.
Isaías de Oliveira Ferreira, funcionário de um restaurante do Nova América (Foto: Henrique Coelho/G1)Isaías de Oliveira Ferreira, funcionário de um
restaurante do Nova América
(Foto: Henrique Coelho/G1)
Isaias de Oliveira Ferreira, funcionário do shopping, estava perto do local de início das chamas, e disse que a fumaça comecou por volta de 12h40.
"Começou o fogo e percebemos que a fumaça estava forte. A brigada do Shopping tentou controlar, mas não conseguiu. E demoraram 40 minutos para chamar o corpo de bombeiros", disse ele, funcionário de um restaurante.
"Demorou uma hora para chegar o primeiro carro de bombeiros", disse outro funcionário.
André Mariano de Araújo, dono de uma loja de sorvetes, disse que teve perda total.
"Vamos agora aguardar e ver quanto tempo vai demorar para reconstruir. Pelo menos eu tenho seguro", disse ele.

A concessionária do Metrô Rio também informou que a estação Del Castilho continuou funcionando normalmente.
    A antiga fábrica de tecidos Nova América no final da década de 1920 (Foto: Reprodução da internet)A antiga fábrica de tecidos Nova América no final da década de 1920 (Foto: Reprodução da internet)
    História
    O Shopping Nova América foi inaugurado em 1995, preservando a arquitetura original da fábrica da Companhia de Tecidos Nova América, toda em tijolinhos, estilo inglês do início do século. Ao longo de duas décadas, ganhou várias extensões, com segmentos para salas comercias onde se instalaram escritórios, escolas, universidades, consultórios médicos.
    Em 1925, era inaugurada a Companhia de Tecidos Nova América, numa época em que o Rio de Janeiro passava por uma completa remodelação e se modernizava com a instalação de fábricas, e com a facilidade de transporte dos bondes.
    A Nova América Tecidos chegou a ser uma das maiores e mais tradicionais fábricas do de tecidos do país.
    Em 1991, a fábrica foi desativada e transferida para a unidade de Fonte Limpa, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.
    O shopping é muito visitado por moradores da Zona Norte e do Subúrbio do Rio por causa de suas lojas âncoras, pela facilidade de transporte, já que há uma estação de metrô dentro da área do shopping, e pela Rua do Rio, uma alameda de paralelepípedos e postes de iluminação que simula uma rua do Rio Antigo, onde funcionam vários bares e restaurantes.
    Nuvem de fumaça podia ser vista de longe (Foto: Henrique Coelho / G1)Nuvem de fumaça podia ser vista de longe (Foto: Henrique Coelho/G1)

'Muita raiva', diz esposa de holandês assassinado em veleiro no MA


Ronald Wolbeek, 60, foi assassinado na Baía de São Marcos, em São Luís.
Corpo está no Instituto Médico Legal (IML) e será liberado após autópsia.

Do G1 MA
Maria Rawi, 69, esposa de holandês assassinado em veleiro em São Luís (Foto: Reprodução / TV Mirante)Maria Rawi, 69, esposa de holandês assassinado
em veleiro no MA (Foto: Reprodução / TV Mirante)
A holandesa Maria Rawi, de 69 anos, esposa deRonald François Wolbeek, 60, morto com um tiro dentro de um veleiro ancorado na Baía de São Marcos, em São Luís, disse, em entrevista ao G1 nesta segunda-feira (16), que sente raiva do que aconteceu e pede que as autoridades brasileiras olhem mais pelos turistas.
"Estou com raiva. Muita raiva. Louca de raiva. Apenas furiosa. Eu espero que a polícia e o governo olhem mais para pessoas como ele para que outros turistas estejam seguros. Ele trabalhou no barco durante 25 anos até agora. E agora ele se foi", lamentou, emocionada.
Rawi contou que os dois viajavam pelo mundo no veleiro e vieram parar em São Luís depois de ver fotos das praias do Maranhão. Segundo a holandesa, eles nunca passaram por nada parecido em países da Índia e da África, por exemplo, ou mesmo em outros lugares do litoral brasileiro.
"[Não houve perigo] em todos os lugares que eu estive... Em Natal, Jacarta, Cabo Verde, Marrocos, em todos os lugares... Quando estávamos na cidade, eu vi as fotos da areia e da água azul e um dia ele [perguntou], 'você quer ver?' e então nós viemos. E então iríamos para o Amazonas e então para a Guiana Francesa e então Suriname, mas agora acabou. Eu vou pra casa", revelou.
A holandesa, que está hospedada na residência do dono de uma funerária de São Luís, disse que espera ir para casa após a polícia terminar as investigações. "[Vou embora] na próxima semana, quando a polícia terminar. Vou limpar o barco, tirar a comida e as roupas e dar para outras pessoas, porque ele viveu pelas pessoas", finalizou Rawi.
Segundo informações da polícia, Maria Rawi prestou depoimento na Delegacia de Homicídios e foi submetida a exames toxicológicos e residuográficos, que permitem comprovar se houve uso de substâncias proibidas ou de arma de fogo. O procedimento tem o objetivo de atestar o depoimento da viúva, única testemunha do crime até o momento.
O corpo de Ronald Wolbeek está no Instituto Médico Legal (IML). A polícia aguarda resultado de autópsia para liberar o corpo à família.
Ronald François, 60, foi morto atingido com um tiro (Foto: Reprodução / TV Mirante)Ronald François, 60, foi morto atingido com um
tiro (Foto: Reprodução / TV Mirante)
Investigações
Ronald François Wolbeek, 60, foi assassinado na madrugada de domingo (15), dentro de um veleiro que estava ancorado na Baía de São Marcos, em São Luís. Segundo a viúva, eles dormiam juntos quando ouviram disparar o alarme da embarcação e saíram para checar o local. Ainda de acordo com Rawi, três homens armados teriam invadido o barco e o marido discutiu com um deles, que o atingiu com um tiro no peito. Os homens fugiram sem levar nada.
Nesta segunda-feira (16), especialistas do Instituto de Criminalística (Icrim) e investigadores voltaram ao local do crime para ouvir depoimentos de turistas, pessoas que trabalham nas proximidades e moradores da região. Segundo a polícia, as entrevistas reforçam a possibilidade do crime ter resultado de uma tentativa de assalto.
Segundo o delegado Jeffrey Furtado, Ronald e Maria teriam sido alertados por pessoas da região via rádio sobre os riscos de ancorar na região, que é margeada por favelas. O casal teria ignorado os alertas por não entender bem o português.
"Estamos entrevistando as pessoas que estavam aqui presentes no momento e que viram o veleiro se aproximar da enseada. Conseguimos informações de que as pessoas teriam visto o barco chegando e, como essas pessoas sabem que o local é perigoso, onde já ocorreram outros crimes do tipo, eles tentaram, através do canal 16, avisar do perigo iminente. Eles não conseguiram entender o comunicado e ficaram ali até a noite, quando ocorreu o fato", revelou Furtado.
O sistema de navegação da embarcação também foi submetido à perícia com o objetivo de descobrir a trajetória real feita pelo barco e testificar o depoimento da viúva. "A perícia do sistema de navegação será nosso ponto de partida, pois vai permitir saber o momento exato da ancoragem na baía, quando chegaram em São Luís e estabelecer relações para a investigação", finalizou o delegado.

'Miss Simpatia', DJ de Santa Maria morre em hospital de Porto Alegre


Jovem estava internada desde dezembro tratando um câncer no pulmão.
Muito carismática, Kaká era conhecida como Miss Simpatia das pick-ups.

Do G1 RS
DJ Kaká Angel (Foto: Divulgação)Kaká Angel costumava tocar em festas de música
eletrônica (Foto: Divulgação)
Conhecida como Miss Simpatia das pick-ups, a DJ Kaká Angel morreu nesta segunda-feira (16) no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre. Natural de Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul, Kaká tinha 32 anos e lutava contra um câncer de pulmão. Ela estava internada desde dezembro do ano passado.
A DJ começou sua trajetória na música eletrônica em 2003, mas sua carreira começou a decolar dois anos depois, quando ela se mudou para Balneário Camboriú, no Litoral de Santa Catarina.
Kaká tocava com frequência nas principais casas noturnas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e chegou a se apresentar em estados como São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Espírito Santo. Em outubro de 2009, Kaká Angel fez um tour pela África do Sul e tocou em boates de Johannesburg, Cape Town e Moçambique, também no continente africano.
O corpo de Kaka Angel será cremado na noite desta segunda-feira (16) no Crematório Metropolitano Saint Hilaire, em Viamão.

Vídeo e áudio ajudarão polícia em morte de mãe e sumiço de gêmeos


Câmera em Uberaba flagrou carro do principal suspeito.
Jovem foi morta e filhos desapareceram; possível pai é suspeito do crime.

Do G1 Triângulo Mineiro
As gravações em vídeo e áudio conseguidas pela Polícia Civil de Uberaba ajudarão na investigação do assassinato de Izabella Gianvechio, de 22 anos, e no desaparecimento dos filhos gêmeos dela. Segundo a família, antes de desaparecer, a jovem se encontrou na última quinta-feira (12) com o suposto pai dos bebês, que é tido pela polícia como principal suspeito do crime.
No áudio disponibilizado para a polícia por familiares, Izabella contou para uma amiga que iria encontrar o homem de 48 anos, que ainda não tinha reconhecido a paternidade dos gêmeos. Já uma câmera nas imediações do Parque Fernando Costa, em Uberaba, flagrou o momento em que um indivíduo entrou no carro do principal suspeito, onde já estavam Izabella e os bebês.


Já o vídeo divulgado pela Polícia Civil mostra o momento em que o carro do suspeito, onde já estavam Izabella e os bebês, parou próximo ao Parque Fernando Costa. Nas imagens, um indivíduo que ainda não foi identificado, aguardava no local e carregava uma bolsa quando entrou no veículo e saiu em seguida. "Várias buscas estão ocorrendo de forma sigilosa para não atrapalhar as investigações", contou a delegada Carla Bueno, responsável pelo caso em Uberaba.
Na conversa que teve com a amiga, Izabella Gianvechio afirmou que o homem de 48 anos, que mora em Sacramento, pediu para ela levar os bebês Ana Flavia e Lucas, de dois meses. Ele chegou a dizer para a jovem que ninguém poderia saber do encontro. No entanto, ela pediu para um parente, que é taxista, levá-la até o local combinado. Após deixá-la, o taxista seguiu o carro do suspeito, mas perdeu o veículo de vista e que não os viu mais desde então.
Fotos gemeos Uberaba (Foto: Reprodução/Facebook )Gêmeos ainda não foram encontrados
(Foto: Reprodução/Facebook )
O principal suspeito do crime é casado e está foragido. O homem conduzia um veículo com placas HCU-5674, de Uberaba. A delegada pediu, durante entrevista nesta segunda-feira (16), para que a placa fosse divulgada para ajudar no paradeiro do suspeito. Segundo ela, quem tiver informações pode ligar no 181 ou enviar uma mensagem via WhatsApp (31) 7542-3456. Denúncias também pode ser feitas no site da Polícia Civil de Uberaba. "Já fizemos contato com as polícias em todo o país para tentar interceptar o veículo e encontrar os suspeitos", ressaltou.

Pedidos da família
Nesta segunda-feira a mãe de Izabella, que preferiu ter a identidade preservada, fez um apelo. "Quero os bebês de volta. A mãe deles morreu, mas vou criá-los", desabafou.
Tereza Marques é tia da vítima e ressaltou que qualquer informação é importante no caso. "A família inteira está sensibilizada. Se alguém ver os meus sobrinhos avise a polícia e nos procure", pediu.
Corpo encontrado
A jovem de Uberaba foi encontrada morta com um ferimento na cabeça às margens da Rodovia José Schavotelo, perto de um trevo de acesso à Rodovia Anhanguera, na noite da última quinta-feira (12). 
Izabella Gianvechio estava desaparecida em Uberaba (Foto: Reprodução/Facebook)Izabella Gianvechio estava desaparecida e foi
encontrada morta (Foto: Reprodução/Facebook)
Izabella chegou a ser enterrada sem que fosse reconhecida, mas uma equipe de investigação em Uberaba, ao saber da localização do corpo, solicitou fotos da vítima e confirmou que se tratava da jovem.

O pai da vítima foi à delegacia de Aramina (SP), onde oficialmente reconheceu que a pessoa encontrada morta é a filha, por intermédio de fotos. O corpo foi enterrado neste domingo (15) no cemitério Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, em Uberaba.

Mãe e filho são presos suspeitos de participarem de roubo contra loja de eletrodomésticos


Por Felipe Ribeiro

Uma mulher de 43 anos e um homem de 21, mãe e filho, foram presos no começo da tarde desta segunda-feira (16) suspeitos de participarem do roubo de vários celulares em uma loja de eletroeletrônicos da Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com o delegado Fábio Machado, a mãe não participou diretamente do roubo, mas o Fox utilizado no crime está em seu nome e é suspeito de acobertar vários assaltos. Um adolescente de 15 anos também foi apreendido.
celulares
Foto: Colaboração Barbosa Junior
“Assim que a Polícia Militar chegou ao local, iniciou a perseguição que terminou no bairro Parolin, em Curitiba. A mochila que eles esconderam os aparelhos já foi reconhecida e vários foram apreendidos”, comentou o delegado.
Segundo Machado, o valor dos aparelhos ainda não foi totalizado, mas pode girar entre R$ 60 mil e R$ 100 mil.
Eles foram encaminhados à Delegacia de Fazenda Rio Grande e ficam à disposição da justiça. O suspeito de apontar a arma contra os vendedores segue sendo procurado.

Com apoio dos bombeiros, familiares e amigos fazem carreata para homenagear Dionísio Filho


Por Felipe Ribeiro
Foto: Banda B
FotoBanda B

A emoção do tomou conta de todos os amigos que participaram da carreata que levou o corpo de Dionísio Filho do Cemitério Municipal de Curitiba até o Cemitério Vertical, onde deve ser sepultado na manhã desta terça-feira (16). Levado por um caminhão do Corpo de Bombeiros, os acenos foram diversos no percurso, sendo a maioria de fãs.
Foram 58 anos de risos e alegria, mas o choro de todos foi inevitável. Natural de Ribeirão Preto (SP), foi lá que Djonga iniciou sua trajetória pelos gramados brasileiros. O lateral esquerdo tevepassagens ainda por Atlético, Coritiba e Pinheiros.
Luta contra o racismo
Vítima de ofensas racistas enquanto jogador e em sua breve passagem como técnico, Dionísio Filho chegou a reagir contra insultos durante sua carreira dentro das quatro linhas. Mesmo após o encerramento de sua trajetória pelos campos, lutou contra o preconceito. Participou de diversas palestras, debates e tornou-se uma referência quando o assunto era o combate ao racismo.
O velório de Djonga acontece no Cemitério Vertical, no bairro Tarumã, que já recebe centenas de visitas. O sepultamento está marcado para as 9 horas de terça-feira.
.

Mocidade, Salgueiro e Vila Isabel se destacam no 1º dia do carnaval no Rio


Noite teve cobertor LED, fogo em porta-bandeira, peladões e super musas.
Viradouro, Mangueira e Grande Rio também desfilaram na Sapucaí.

Do G1 Rio e do G1 em São Paulo
No primeiro dia (chuvoso) de desfiles do Grupo Especial do Rio, não caiu água o suficiente para apagar o fogo da estreia de Paulo Barros na Mocidade.
Todas as escolas - Primeiro dia do carnaval do Rio de Janeiro (Foto: G1)
Foi uma noite de ousadia e alegria, graças aos peladões em um dos carros da escola e a uma comissão de frente incendiária. Ela pegou fogo.
Rolou também carro motel, com dezenas de camas surgindo nas laterais com casais (e trios) de todos os gêneros debaixo do edredon.
Ao cantar o "fim do mundo", a Mocidade trouxe inovações, como a apresentação de alegorias e alas legendadas. Além dela, o Salgueiro foi destaque.
Versando sobre a culinária mineira, a escola vermelha e branca deixou muita gente boquiaberta com a comissão de frente. Os integrantes vieram paramentados com um cobertor (de 100 kg) no qual centenas de luzes de LED faziam projeções.
A Vila Isabel mostrou carros de visual impactante para superar o trauma do carnaval passado, quando desfilou com carros inacabados e alas inteiras sem fantasias.
A Vila levou um pouco de música erudita para a Sapucaí, com direito a comissão de frente gringa com "notas musicais" pulando de uma cama elástica.
Musas de sobra
A noite, claro, também foi toda das super musas. Juliana Paes representou a Viradouro, escola que foi a primeira a desfilar, logo na comissão de frente.
Claudia Leitte sambou e cantou vestida de sol na Mocidade e Sabrina Sato "voou" como um cisne negro, na Vila Isabel.
Leandra Leal chamou a atenção ao desfilar pelo Salgueiro, que teve ainda a rainha de bateria Viviane Araújo.
Pela Mangueira, que falou das mulheres brasileiras, Evelyn veio de coroa, cedro e bota com sola antiderrapante.
Chuva atrapalhou
O maior obstáculo das escolas foi a chuva, que começou a cair forte minutos antes do desfile e se manteve ao longo dos três primeiros desfiles.
A trégua só veio com a  Vila Isabel, mas a água voltou a cair quando o Salgueiro estava no sambódromo.
Pouco antes do desfile, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, ironizou as críticas que recebeu quando afirmou que ia rezar para chover - o estado enfrenta uma crise hídrica nos reservatórios que o abastecem. Ele acrescentou que não havia informação de incidentes graves com as fortes chuvas deste domingo.
Veja os principais destaques do primeiro dia de desfiles do Carnaval 2015 no Rio:
VIRADOURO
Em seu retono ao Grupo Especial, a Viradouro desfilou com o samba-enredo "Nas veias do Brasil, é a Viradouro em um dia de graça", sobre a importância da raça negra na formação do povo brasileiro.
A escola sofreu um pouco com a chuva, principalmente nas penas de algumas fantasias. Foi prejudicada também com falhas no som, duas somente nos 10 minutos iniciais. Já o último carro entrou com uma das figuras de anjos negros com o braço danificado.
Juliana Paes, principal musa da escola, veio logo na comissão de frente. Outros famosos que marcaram presença foram o tenista espanhol Rafael Nadal e o ex-tenista Gustavo Kuerten, que percorreram o sambódromo com capas de chuva e camisas da Viradouro (leia o relato completo)
MANGUEIRA
A Estação Primeira veio mais rosa do que verde para cantar as grandes mulheres da história do Brasil e da escola. O carnavalesco Cid Carvalho, que neste ano voltou para a Mangueira, preferiu um desfile mais tradicional e sem muitos futurismos. Mas, nem por isso, menos impactante.
A verde e rosa, entretanto, enfrentou uma série de problemas: o som falhou e o telão que projetava imagens de mulheres mangueirenses apagou várias vezes, deixando a alegoria com um grande quadrado preto. Pelo menos três carros apresentaram contratempos. A cantora Alcione queimou o pé em uma lâmpada e precisou ser levada para o posto médico.
O abre-alas foi o destaque com uma escultura de 9,5 metros de um menino dormindo à sombra de um jequitibá. A beleza feminina foi representada pela rainha da bateria, Evelyn Bastos, que veio de coroa, cedro e bota com sola antiderrapante, para evitar tombos (leia o relato completo).
MOCIDADE
Na estreia de Paulo Barros na verde e branco, a Mocidade Independente de Padre Miguel apresentou um show de efeitos visuais, luzes de LED e fogo para tentar por fim ao jejum de 18 anos sem um titulo.
Com um enredo que brincou com o "fim do mundo", a escola inovou ao colocar legendas nos carros alegóricos, além de placas com balão de texto para explicar as alas.  A comissão de frente literalmente pegou fogo na avenida e ousou ao interagir com um casal de mestre-sala e porta-bandeira, cuja saia também ficou em chamas na avenida. Um carro repleto de peladões causou frisson. Outro destaque foi a alegoria em que dezenas de camas surgiam nas laterais com casais (até trios) de todos os gêneros.
Em sua estreia no carnaval carioca, Claudia Leitte desfilou fantasiada de sol. A cantora chegou a chorar durante o desfile e se esforçou para mostrar samba no pé, mas se valeu também de passinhos com o bumbum empinado ao melhor estilo axé (leia o relato completo).
VILA ISABEL
A Vila Isabel homenageou Isaac Karabtchevsky, maestro paulistano de 80 anos, em um desfile de superação do trauma de 2014, quando sofreu com falta de fantasias. A azul e branca teve a seu favor a trégua da chuva e fez uma apresentação marcada por carros de visual impactante. O "Navio Fantasma", por exemplo, fez referência à ópera do alemão Richard Wagner
A comissão de frente teve bailarinos, alguns deles representando notas musicais, pulando em uma cama elástica. Os setores da escola fizeram lembrar instrumentos musicais como flautas, tímpanos e uma orquestra, em destaque no abre-alas, onde estava Karabtchevsky.
Sabrina Sato veio à frente da bateria, vestida de "Cisne Negro". A rainha dos ritmistas teve um problema com sua fantasia no início. Ela chegou a discutir com membros do apoio da escola e começou o desfile sem as asas do figurino (leia o relato completo).
SALGUEIRO
Consagrado na Mocidade com o estilo high-tech que marcou o carnaval dos anos 90, Renato Lage regatou essa tendência no desfile deste ano. A comissão de frente usou um cobertor com centenas de luzes de LED que fazia projeções. O item pesa 100 kg e exigiu força e coordenação dos componentes da comissão.
Outras alegorias tinham luzes estroboscópicas, efeitos holográficos, neons e espelhos. A bateria da escola trouxe ritmistas vestidos de chefs. Alguns usaram frigideiras, caçarolas e colheres de pau como instrumentos.
Além da rainha de bateria Viviane Araújo, que sambou e tocou tamborim, o elenco da novela "Império" desfilou pela escola vermelha e branca (leia o relato completo).
GRANDE RIO
Última escola a entrar na Sapucai, a Grande Rio apostou todas as suas cartas no baralho. As alegorias não chegaram a impactar, mas a escola trouxe um bom samba-enredo e fez um desfile colorido e divertido, repleto de truques e números circenses, terminando a apresentação dentro do tempo limite, sem contratempos.
A grande cartada foi lançada já na comissão de frente com um coreografia cheia de truques ao redor do universo de "Alice no País das Maravilhas", incluindo até troca de roupa em plena avenida e momentos de ilusionismo. Durante a evolução, personagens tinham o tronco cortado e as pernas seguiam andando, empurrando mesas (leia o relato completo).