Gleisi é aliada de Requião será que ajuda ou lhe atrapalha?


unnamed
A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) resolveu sair da toca ou do limbo político em que se encontra desde que seu nome foi listado por receber dinheiro suspeito de empreiteiras envolvidas no escândalo do Petrolão. A petista, em artigo distribuído à imprensa, pede que o governador Beto Richa (PSDB) vire o disco numa tentativa de faturar com a greve dos professores e com o resultado da invasão na Assembleia Legislativa.
Trata-se um movimento comum de Gleisi e seu maior aliado de agora, o senador Roberto Requião (PMDB), num momento em que o governo do Paraná procura ajustar a sua máquina para recuperar, de forma mais rápida, sua capacidade de investimento. Esquece Gleisi que o governo Requião, do qual o PT, seu partido, fez parte, deixou mais de R$ 4 bilhões em dívidas com a falta de professores – e com salários defasado – nas salas de aula e de policiais nas ruas.
A educação e a segurança foram sucateados pelo governo que o PT fez parte, apoiou e defendeu no legislativo. Foram oito anos, de 2003 a 2010, de um PT mudo e pianinho, posando com uma “faixa no rabo” nas palavras do próprio Requião.
O que poderia fazer o governador Beto Richa, o fez. Recuperou o salários dos professores com aumento de 60% contra 24% da inflação, contratou mais 30 mil professores e 10 mil policiais. Eram medidas essenciais para prestar um bom atendimento à população em duas áreas vitais. A contratação de professores e policiais, mais o reajuste dos salários do servidores em todas as áreas do funcionalismo público explica um pouco da situação em que o Estado se encontra. O que fez Gleisi? Em entrevista à jornalista Joice Hasselmann, a petista chegou a criticar os reajustes concedidos ao funcionalismo.
Esse não foi o único movimento de Gleisi. Guindada a Casa Civil, a petista fez pior. Trabalhou intensamente para prejudicar o Paraná. fez o que pode e o que não pode para barrar os empréstimos pleiteados pelo Estado e que dependiam da chancela da Secretaria do Tesouro Nacional e do governo federal. Eram recursos para obras de infraestrutura, saúde, família e projetos chaves do governo do Estado que, em muitas vezes, adiantou sua parte e ficou esperando a liberação dos empréstimos para saldar a outra parte do custo das obras.
Gleisi sentou em cima dos empréstimos e de outros recursos federais porque tinha um só objetivo: disputar e vencer as eleições estaduais de 2014. A petista veio com tudo só não contava com escândalos do assessor pedófilo, Eduardo Gaievski, e do coordenador de campanha, o então deputado André Vargas, flagrado em jatinhos alugado por doleiro e envolvido em outro escândalo maior que o mensalão: R$ 10 bilhões desviados da Petrobras e que hoje, conforme notícias da própria estatal, podem chegar a R$ 88 bilhões.
O Paraná rejeitou Gleisi e seus comparsas. A petista não chegou a 15% dos votos. Seu aliado, Requião, instado a ser um candidato acessório, fez mais que ela: 27,5% dos votos. Os dois perderam as eleições no Estado. Sua candidata, Dilma Rousseff (PT), também perdeu feio no Estado nos dois turnos.
Está aí também, na eleição presidencial, parte dos problemas enfrentados atualmente no Paraná. O PT e o governo federal escondiam dos brasileiros a real situação econômica do país. E assim do resultado as eleições no segundo turno vieram o arrocho e a realidade: a luz aumentou, a gasolina subiu, a inflação voltou, a produção de bens, consumos e serviços caiu. Ou seja, estamos vivendo uma época de recessão econômica e o que Dilma fez: mandou duas medidas provisórias ao Congresso cortando R$ 18 bilhões dos direitos dos trabalhadores.
E Gleisi fez alguma coisa? Claro que fez. Defendeu de forma veemente o pacote de Dilma no Senado assim como fez em 2014 quando articulou o trancamento da pauta de votação do novo indexador das dívidas estaduais no qual o Paraná pode economizar R$ 14 bilhões se o projeto for aprovado no Congresso. Gleisi trabalhou duro contra o projeto que atende os estados e municípios.
São esses alguns dos motivos que levaram o Paraná e a totalidade dos estados a tomar medidas de ajustes no seu orçamento, cortando despesas e outros tipos de custeio. A recessão e a queda da arrecadação é de agora, é recente, dos últimos seis meses, o que também conflui na queda de repasses de verbas federais como o FPE (Fundo de Participação dos Estados) e do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) às cidades. Se o Estado não ajustar suas contas e despesas vai entrar num espiral de uma crise aguda, a qual já passa o país, sobrando a conta, como sempre, aos estados e municípios.
E que faz Gleisi. A petista tenta desviar o foco da barafunda de corrupção em que estão envolvidos o PT, grande parte do governo federal e seus principais aliados. Aliás, Gleisi tem mesmo que explicar os R$ 4,7 milhões recebidos das empreiteiras denunciadas no Petrolão e outro R$ 1 milhão não declarado na justiça eleitoral, conforme delatado por Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa. É por isso que ela e Lula, entre outras lideranças do petismo, incentivam tanto os ataques aos governos adversários do PT. Gleisi quer o terceiro turno, mas seu mandato corre sério risco de ser interrompido já em março com a revelação da lista dos políticos envolvidos no Petrolão. Como já noticiado pela imprensa, o nome de Gleisi figura na lista.

Barbosa reage a críticas do PT e ataca ação de advogados


IMG_1889
Foto de Barbosa no camarote da Viradouro, no desfile das escolas do Rio. Ex-presidente do Supremo voltou a usar o Twitter nesta terça-feira para defender sua opinião sobre a demissão de Cardozo
O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, voltou a usar seu perfil no Twitter nesta terça-feira para defender sua opinião sobre a demissão do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e reagiu às críticas de parlamentares do PT e militantes que o condenaram pelos comentários sobre as audiências com os advogados de empreiteiras envolvidas na Operação Lava-Jato. “Sobre as reações aos meus posts recentes sobre confusão entre Política e Justiça: meus críticos fingem não saber que hoje sou um cidadão livre”, diz uma das publicações. E continua: “‘Cidadão livre’: livre das amarras do cargo público. Cidadão na plenitude dos seus direitos, pronto para opinar sobre as questões da ‘Pólis’”.

Governo cede e Sciarra chama APP para conversar


unnamed
Governo do Estado espera o início das aulas na rede estadual de educação nos próximos dias
O governo cedeu. O secretário-chefe da Casa Civil agendou para amanhã (quinta-feira, 18) uma reunião com a direção da APP-Sindicato, que representa os professores estaduais, para discutir o fim da greve da categoria e o início das aulas na rede estadual de educação. O encontro vai acontecer no Palácio Iguaçu às 14h30 e dele vai participar ainda o secretário estadual de Educação, Fernando Xavier.
“Vamos conversar. A maior parte das reivindicações está atendida. Os projetos dos ajustes foram retirados da pauta de discussão da Assembleia Legislativa e não haverá mais mudanças, como já anunciamos, no quinquênio, anuênio, e os vales transportes dos professores serão mantidos, como também o Plano de Desenvolvimento da Educação, o que garante as promoções e progressões”, disse Sciarra.
Um outro da pauta, o pagamento da rescisão dos professores contratados em processo seletivo, os chamados PSS’s, será paga já na próxima semana. “Abrimos novamente o diálogo com o sindicato e esperamos agora o início das aulas, o mais importante para os pais e os estudantes. Esperamos um bom entendimento já nesta reunião de quarta-feira”, completou Sciarra.
Mais professores – O chefe da Casa Civil também tranquilizou os pais e adiantou que não há falta de professores, merenda ou material de consumo nas 2,5 mil escolas paranaenses. “Antes da greve, ainda em fevereiro, o governador Beto Richa autorizou a contratação de 10 mil professores PSS e convocou mais 4,5 mil dos que passaram em concurso público. São 60 mil professores para a volta às aulas”, disse. No total, são mais de 1,3 milhão estudantes que iniciam o ano letivo nos próximos dias.
Sciarra atentou ainda que deste 60 mil professores, 40% foram contratados por concursos públicos nos últimos quatro anos. “São mais 23 mil professores nomeados pelo governador Beto Richa entre 2011 e 2015″, disse. “As escolas receberam R$ 4,2 milhões do fundo rotativo para compra de material de expediente, consumo e limpeza. E além do estoque de merenda escolar, as escolas vão começar a receber ainda em fevereiro o primeiro lote da merenda. Só em merenda, o governo vai gastar R$ 154 milhões em 2015″.
Governo afirma que
valoriza o professor
Em nota à imprensa, o Governo do Estado sustenta que a carreira de professores da rede estadual teve avanços históricos nos últimos quatro anos, como aumento salarial de 60% e a ampliação da hora-atividade. Também aponta que regularizou a vida profissional de 30 mil professores que cursaram a Vizivali e há 10 anos não tinham seus cursos reconhecidos. “Em quatro anos foram 26% de equiparação com os demais técnicos de nível superior do Poder Executivo, mais as datas-bases, totalizando 60% de aumento salarial acumulado”, diz a nota. Leia a seguir os principais trechos.
Diferente de outros estados, o Paraná não limitou o reajuste de 26% da equiparação aos níveis iniciais. Os demais professores, de níveis mais avançados da carreira, também foram beneficiados com os mesmos índices de correções salariais. Atualmente, o salário de um professor que ingressa na rede estadual do Paraná é de R$ 3.194,71 somado o auxílio transporte, para trabalhar 40 horas por semana. Em 2010, era R$ 2.001,87.
A evolução no regime de hora-atividade é histórico. Em menos de um dois anos (2013 e 2014) a hora-atividade passou de 4 para 7 aulas semanais, o que representa 75% de aumento no tempo extraclasse para os professores prepararem aulas, corrigirem provas e se dedicarem a outras atividades para melhoria na qualidade do ensino e da aprendizagem dos alunos e alunas.
A ampliação significa que os professores com jornada de trabalho de 20 horas semanais têm seis aulas garantidas de hora-atividade, quando ficam sem interação com os estudantes. Assim, podem preparar melhor suas aulas, corrigir provas, fazer pesquisa e outras atividades.

Ator que faz o ‘Zé Bonitinho’ está internado em UTI de hospital no Rio


Ainda não foram divulgados os motivos da internação de Jorge Loredo, de 89 anos

17 de fevereiro de 2015 14:29:22 Atualizado em 17 de fevereiro de 2015 15:10:18Renato Cantharino
Ator que faz o ‘Zé Bonitinho’ está internado em UTI de hospital no RioJorge Loredo, o Zé Bonitinho
O ator Jorge Loredo, de 89 anos, conhecido por interpretar o personagem ‘Zé Bonitinho’, está internado na UTI do Hospital São Lucas, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Loredo deu entrada na unidade no dia 03 de fevereiro.  Ainda não foram divulgados os motivos da internação do ator. A sobrinha dele, Jussara Lorêdo, pediu orações para o tio em uma rede social.
  • Postagem da sobrinha do ator Jorge Loredo. Reprodução / Facebook

Jorge Loredo tem histórico de problemas de saúde desde muito jovem. Ele foi diagnosticado aos 12 anos com uma inflamação óssea na perna esquerda. A dor constante, só curada na década de 1970, fez de Loredo um garoto introvertido e cabisbaixo. Aos 20 anos, devido a uma tuberculose, foi internado em um sanatório. Incentivado pelos médicos, Jorge Loredo participou de um grupo teatral no hospital e descobriu sua vocação de ator.  
A estreia do personagem Zé Bonitinho foi no programa “Noites Cariocas”, na antiga TV Rio, em 1960. O personagem ‘Zé Bonitinho’ fez muito sucesso na Escolinha do Professor Raimundo, da Rede Globo. O ator também fez parte do elenco dos programas Escolinha do Barulho, da Record, e A Praça É Nossa, do SBT.

Homem é preso após tentar beijar à força menina de 11 anos em Itupeva


Ato foi considerado como estupro de vulnerável.
Garota teve escoriações pelo corpo.

Do G1 Sorocaba e Jundiaí
Garota teve escoriações pelo corpo após ser agarrada durante festa de carnaval (Foto: Divulgação / PM)Garota foi agarrada durante festa de carnaval
(Foto: Divulgação / PM)
Um homem de 23 anos foi preso na madrugada desta terça-feira (17) após tentar beijar à força uma menina de 11 anos durante o carnaval emItupeva (SP). Ele foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável.
Segundo a polícia, a menina estava com a mãe na festa de carnaval quando foi agarrada pelo suspeito. Ao tentar beijar a garota à força, ele acabou deixando escoriações pelo corpo da vítima.
O segurança da festa notou a confusão e levou o suspeito até a Polícia Militar. O homem tentou fugir, mas não conseguiu.
O delegado de plantão considerou que houve o crime de estupro de vulnerável, já que a lei 12.015/09 envolve qualquer tipo de ato libidinoso praticado por meio de violência ou grave ameaça.
Após o registro da ocorrência ele foi levado ao Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista(SP).

No AC, foliões fazem parto de mulher dentro de carro na 4ª noite de carnaval


'Ela estava deitada no chão gritando de dor', diz o estudante Deivid Braga.
Amigos fizeram parto dentro do carro em um posto de combustível da capital.

Caio Fulgêncio e Janine BrasilDo G1 AC
Cinco amigos fizeram parto de mulher dentro de um carro, em Rio Branco (Foto: Deivid Braga/Arquivo Pessoal)Cinco amigos fizeram parto de mulher dentro de um carro, em Rio Branco (Foto: Deivid Braga/Arquivo Pessoal)
Parecia apenas mais uma noite de carnaval para o estudante de enfermagem Deivid Braga, de 25 anos, que se divertia com mais quatro amigos. Porém, durante um passeio por Rio Branco, no bairro Sobral, na madrugada desta terça-feira (17), os cinco encontraram uma mulher sentada no chão da calçada em trabalho de parto. Na tentativa de levá-la à maternidade, os amigos precisaram fazer o parto ainda no carro. "Foi tudo lindo e emocionante", diz o estudante.
"Eu e mais quatro amigos, por volta das 2h da madrugada, passeando pela cidade, nos deparamos com uma mulher que estava em uma esquina chorando de dor. Eu podia parar ou ir embora. Fui chegando mais perto e vi que era uma senhora e ela estava com a barriga grande e chorando demais", lembra Braga.

"Não conseguimos chegar na maternidade, porque ela começou a gritar muito, chorando, disse que o bebê ia nascer e começou a tirar a roupa. Paramos em um posto, quando descemos do carro e abrimos a porta, a cabeça do bebê já tinha saído. Uma das minhas amigas e um mototaxista, que estava no local, foram puxando o bebê. Era uma menina", fala Lohana Martins, de 20 anos, que também estava no grupo.
Mesmo com todos os lugares do carro ocupados, e depois de pedir ajuda a taxistas que passavam no local, eles decidiram levar a mulher para a maternidade. No entanto, não deu tempo e os amigos tiveram que estacionar em um posto de combustível próximo.
Durante o parto, os amigos contam que ligaram para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que chegou para cortar o cordão umbilical e fazer os primeiros atendimentos na mãe e no bebê. Deivid Braga diz que foi a "experiência mais inusitada e emocionante" de sua vida, já que cursa apenas o primeiro período de enfermagem.
Deivid Braga (de amarelo) e outros quatro amigos fizeram o parto em um posto de combustível (Foto: Deivid Braga/Arquivo Pessoal)Deivid Braga (de amarelo) e outros quatro amigos fizeram o parto em um posto de combustível (Foto: Deivid Braga/Arquivo Pessoal)
"Deu tudo certo, o que importa é que a mãe e a criança estão bem. Tivemos medo de parar, porque a cidade está muito perigosa, tem muito assalto, mas a força de vontade em ajudar, o instinto, falou mais alto e fez com que parássemos para socorrer aquela mulher", declara Braga, proprietário do veículo.
Sensação semelhante tem Lohana, amiga de Deivid, que diz que nunca imaginou que algo parecido pudesse ocorrer. "Foi uma experiência nova, nunca imaginava que uma pessoa ia ganhar bebê do meu lado, dentro de um carro. Foi muito emocionante e nem tenho palavras. Mas só pelo fato da mãe e bebê terem sobrevivido, ficamos muito felizes", acrescenta.
G1 entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio da assessoria de comunicação, para saber o estado de saúde da mulher e do bebê, mas foi informado que não seria possível localizá-la.

Spider não comparece à audiência da NSAC e é suspenso temporariamente


Flagrado em exames antidoping pela segunda vez, lutador leva suspensão preventiva

Por Las Vegas

 A Comissão Atlética de Nevada (NSAC) resolveu suspender temporariamenteAnderson Silva durante audiência realizada nesta terça-feira, em Las Vegas (EUA). O brasileiro já havia sido flagrado em um exame surpresa no dia 9 de janeiro, menos de um mês antes do UFC 183, quando venceu Nick Diaz, e voltou a ser pego nos exames pós-luta. O de urina acusou drostanolona, como no exame anterior, e o de sangue apontou para temazepam e oxazepam, substâncias que são usadas como sedativos e proibidas de acordo com a entidade. Com isso, o lutador fica impedido de voltar ao octógono até ser julgado pela NSAC. 
Anderson Silva não apareceu na audiência e foi representado pelo seu advogado, Michael Alonso, que participou por telefone e pediu mais tempo para se preparar para uma audiência. Ele deve ser julgado em março pela Comissão Atlética. A tendência é que a vitória de Anderson sobre Nick Diaz no UFC 183, dia 31 de janeiro, se transforme em "No Contest" (luta sem resultado), mas isso só deve ser oficializado após o fim do processo.
Audiência NSAC, MMA (Foto: Evelyn Rodrigues)Audiência na NSAC definiu suspensão temporária de Anderson Silva (Foto: Evelyn Rodrigues)
Nick Diaz também foi julgado por seu exame pós-luta ter dado positivo para maconha e, assim como o Spider, não compareceu à audiência, sendo representado por seu advogado. A comissão votou rapidamente pela suspensão temporária do atleta, até a data do seu julgamento. Hector Lombard, que foi pego no antidoping após a vitória sobre Josh Burkman com uma substância proibida conhecida como DMT (desoximetiltestosterona), um esteroide anabolizante, também está temporariamente suspenso. Ashlee Evans-Smith, que foi pega por uso de diuréticos no UFC 181, contra Raquel Pennington, foi suspensa por nove meses e multada em 30% de sua bolsa de US$ 8 mil. Ela terá que passar por exame antidoping antes de sua próxima luta.
Na mesma reunião, a polêmica da luta entre Urijah Faber e Francisco Rivera, quando o California Kid acertou seu dedo no olho do rival de forma involuntária e conseguiu a vitória por finalização na sequência, também foi colocada em pauta e teve votação favorável ao atleta da Team Alpha Male

Sem conseguir liberar corpo da irmã, mulher protesta no IML: “Disseram que a responsável viajou

Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Sem conseguir liberar o corpo da irmã para sepultamento, Amanda Marcondes entrou emcontato com a Banda B nesta terça-feira (17) para pedir ajuda. Segundo ela, já são dois dias dentro do Instituto Médico Legal (IML) e nem a identificação do corpo a família teve direito neste Carnaval.
“Estamos lutando desde ontem, só queremos que a minha irmã descanse e temos que passar por este constrangimento”, comentou.
Segundo Amanda, a família recebeu a informação de que a responsável pela liberação teriaviajado para o interior do Paraná e viajado com a chave. “O diretor veio depois e disse que isso não acontece, porque é aberto, mas ainda então parem de nos enrolar, concluiu.
Até as 17h30, o corpo seguia no IML sem previsão de liberação. A Banda B tentou contato com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, mas ninguém atendeu as ligações.
.

Soldado da Polícia Militar é preso em abordagem pós-Carnaval no Litoral


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Um soldado da Polícia Militar foi preso por embriaguez ao volante na madrugada desta terça-feira (17) em Guaratuba, no litoral do estado. De acordo com a PM, a prisão aconteceu em flagrante durante uma abordagem de rotina realizada no trânsito da cidade após as festas de Carnaval.
De acordo com a assessoria da PM, o soldado se negou a realizar o teste do bafômetro e foi detido por um oficial da própria corporação. A PM afirmou que “não compactua” com esses tipos de desvios de conduta.
Ele foi encaminhado à Delegacia de Guaratuba e liberado após pagamento de fiança.
.

Corpo de jovem com as mãos amarradas é encontrado na beira de rua da RMC


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

mortotamandare
Foto: Juliano Cunha – Banda B
O corpo de um jovem ainda não identificado foi encontrado no começo da tarde desta terça-feira (17) na beira de uma rua da Vila Prado, em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba.
De acordo com a Polícia Militar, o corpo estava em avançado estado de decomposição e estava com as mãos amarradas. A polícia suspeita que ele tenha sido morto com um ferimento na cabeça.
A Delegacia de Almirante Tamandaré investiga o caso.
.

A importância da fisioterapia em pacientes renais crônicos submetidos à hemodiálise:



 A Doença Renal Crônica é uma perda de forma progressiva e irreversível da síndrome caracterizada pela perda lenta, progressiva e irreversível da função renal. O objetivo desse estudo é revisar artigos originais que estudem a influência da Fisioterapia em portadores de Doença Renal Crônica. Foram utilizadas para a pesquisa as bases de dados Scielo e Lilacs. A metodologia utilizada foi a revisão integrativa através de artigos que foram selecionados verificando as informações relevantes para o presente estudo com publicação entre ano de 2007 a 2013, sendo identificados 14 artigos através da busca dos descritores fisioterapia, doença renal crônica e exercício físico. Desta forma verificou a importância da adesão da fisioterapia nos centros nefrológicos durante a hemodiálise através de programas de exercícios físicos adequadamente prescritos durante a hemodiálise são seguros podendo gerar benefícios a fim de promover melhoras no condicionamento funcional, função pulmonar e força muscular.

          Unitermos: Fisioterapia. Doença renal crônica. Hemodiálise. Exercício físico.


A Doença Renal Crônica (DRC) é uma síndrome metabólica que leva a perda irreversível da função renal, gerando alterações fisiológicas e funcionais em todo e sistema corporal, causadas pela redução da atividade física, hipotonia, anemia e alterações no metabolismo com prejuízo na qualidade de vida, acarretando problemas físicos, psicológicos, sociais e econômicos na vida diária destes pacientes (RIELLA, 2010).
    As principais causas da DRC também chamadas de doenças de base são o diabetes melittus, a hipertensão arterial e as glomerulonefrites. Uma vez estabelecida no organismo humano, a DRC pode levar a um conjunto de complicações e morbidades.
    Estudos apontam alguns fatores que contribuem para a progressão da DRC estabelecida, tais como: proteinúria persistente; dieta elevada de proteína e fosfato, dislipidemia, hiperfosfatemia, anemia, doença cardiovascular, tabagismo e obesidade (TERRA, 2010).
    Alterações cardiovasculares e músculo esquelético são comuns nessa população. Inúmeras desordens bioquímicas e circulatórias trabalham juntas para promover alterações musculoesqueléticas. Além disso, o estilo de vida sedentário acentua ainda mais essas manifestações.
    Pacientes com insuficiência renal crônica sofrem uma série de comprometimentos e limitações nas atividades diárias, isso se deve a síndrome urêmica, que vem a ser uma alteração dos sistemas no qual envolve anemia, uremia, alterações metabólicas, doenças cardiopulmonares, imunológicas e psíquicas, além das disfunções musculoesqueléticas que acarretam no comprometimento físico. (GUYTON; HALL, 2011).
    As principais complicações durante a hemodiálise são: câimbras, fraqueza muscular, lombalgia, dor em membros inferiores e parestesia. Isto se deve a uma série de fatores como a anemia, a miopatia urêmica e a neuropatia, a atrofia de desuso, o prejuízo do metabolismo muscular, a disfunção autonômica, a má nutrição e algumas comorbidades associadas. (TERRA, 2010)
    Esses pacientes, principalmente os sedentários, apresentam menor aptidão física, o que ocasiona o aceleramento e o agravamento da doença. De acordo com Barbieri (2007) e Martins e Cesarino (2005), o sedentarismo nos indivíduos com IRC é consequência de suas limitações em um cotidiano monótono, principalmente após o inicio do tratamento hemodialítico que se realiza em média, por quatro horas e três vezes por semana, e assim influenciando diretamente na capacidade funcional e a qualidade de vida (QV) desses pacientes.
    Na Insuficiência Renal Crônica (IRC), os pacientes demonstram diminuição da capacidade funcional devido a baixa tolerância ao exercício. Essa diminuição dos exercícios físicos pode causar alterações musculoesqueléticas como fadiga e diminuição da resistência. Sendo assim o exercício físico se apresenta como recurso terapêutico na prevenção e no retardo destas alterações.
    A fisioterapia é um instrumento de grande importância à pacientes com DRC, principalmente quando sua intervenção das manifestações musculoesqueléticas já ocorre dentro dos centros nefrológicos, melhorando significativamente nas alterações fisiológicas e funcionais desses pacientes. (COELHO, 2007)
    As atividades fisioterapêuticas tem sido bem reconhecidas como uma forma de intervenção terapêutica que pode melhorar as alterações fisiológicas, psicológicas e funcionais desses pacientes, pois a IRC é considerada um problema de saúde pública devido sua evolução progressiva, sem alternativas de melhoras rápidas tem como consequência altas taxas de morbidade e mortalidade (CHERCHIGLIA et al, 2010).
    Oportunizar e inserir o fisioterapeuta a equipe é de fundamental importância tendo como propósito estabelecer programas de exercícios durante a diálise para pacientes em hemodiálise dando motivação em um ambiente estruturado e monótono a fim de prevenir e diminuir os efeitos da condição clínica da doença renal, como as manifestações musculoesqueléticas, cardiovasculares e respiratórias nos pacientes. (SOARES; ZEHETMETER; RABUSKE, 2007); (MEDEIROS; PINENT; MEYER, 2002); (ROCHA et al,2010).
    Desta forma verificou-se a necessidade de realizar esta pesquisa de revisão integrativa com o objetivo verificar a importância da fisioterapia em pacientes renais crônico submetidos à hemodiálise.
Metodologia
    Realizou-se uma revisão integrativa de artigos científicos sobre a importância da fisioterapia em pacientes renais crônicos submetidos a hemodiálise, indexados nas bases de dados: LILACS (literatura latino-americana e do Caribe em ciências da saúde) e SCIELO Brasil (Scientific Electronic Library Online). Para busca, foram utilizados os seguintes descritores: fisioterapia, doença renal crônica, hemodiálise, exercício físico.Estas palavras-chave poderiam estar no titulo ou no resumo. Como estratégia complementar utilizou-se a busca manual em listas de referências dos artigos selecionados.
    Os títulos e resumos dos artigos foram analisados e incluíram-se os estudos que tiveram como desfecho a fisioterapia e sua importância em pacientes com DRC em Hemodiálise (HD), artigos disponíveis por completo nas bases de dados pesquisadas, escritos em português e publicados entre os anos de 2007 e 2013. Quando o titulo e o resumo não eram esclarecedores, o artigo era lido na integra para que estudos relevantes não fossem excluídos da revisão.
    A busca foi conduzida de março a agosto de 2013 de forma independente, seguindo os critérios de inclusão e exclusão. Foi realizada uma análise descritiva de dados extraídos dos estudos selecionados que foram: autor, ano de publicação, número da amostra, objetivos, principais resultados observados.

    A busca aos artigos, segundo a estratégia definida, resultou em 26 artigos, e, de acordo com os objetivos do estudo e os critérios de inclusão, apenas 14 artigos foram selecionados.

Cientistas desenvolvem tratamento 'verde' para hemodiálise na Austrália


No mundo, 2 milhões de pessoas utilizam 'rins artificiais'.

Do G1, em São Paulo

Três cientistas desenvolveram um programa de hemodiálise na Austrália que utiliza energia solar como opção ecológica e mais barata para fazer funcionar as máquinas que retiram artificialmente impurezas do sangue de pacientes. O trabalho foi divulgado pela Sociedade Americana de Nefrologia e será divulgado em uma revista médica da instituição em 19 de janeiro de 2012.
Somente nos primeiros 12 meses de uso do método, os médicos australianos obtiveram uma redução de 76,5% no consumo de energia dos equipamentos. Usados para realizar a limpeza do sangue humano quando os rins dos pacientes já não funcionam corretamente, os aparelhos de hemodiálises utilizam muita água e energia elétrica. Os testes foram realizados no centro médico Barlow Health, na cidade de Geelong, no sudeste do país.
Sessões comuns com os “rins artificiais” levam até cinco horas e ocorrem a cada três vezes por semana. No mundo, quase 2 milhões de pessoas utilizam algum tipo de tratamento de hemodiálise, na maior parte das vezes por conta de doenças nos rins como a insuficiência renal crônica.
Para a equipe, o sistema com energia solar pode se tornar até rentável nos próximos anos. O trio defende pesquisas sobre conservação de água e controle no despejo de dejetos ligados aos tratamento renais. Como justificativa, eles citam a degradação ambiental e as mudanças climáticas motivos suficientes para justificar a busca por métodos alternativos às diálises atuais
.

Roberto Justus estreia, ao lado da namorada, iate de R$ 10 milhões


Carnaval em grande estilo: o empresário dá a primeira voltinha com a embarcação Ferretti feita sob medida


Roberto Justus (Foto: Reprodução / Instagram)

O Carnaval de
 Roberto Justus foi o típico sombra & água fresca (com um pouquinho de sol, vai!). É que neste feriado o empresário está estreando seu novíssimo iate, um Ferretti Alfa Nero de 75 pés, com 4 quatros, cozinha com visão de 360 graus, customizado de acordo com suas indicações e avaliado em R$ 10 milhões. 

O passeio inaugural foi ao lado da amada, Ana Paula Siebert, pelas praias de Santa Catarina.
Roberto Justus (Foto: Reprodução / Instagram)