ONG organiza “telefonaço” contra aumento de benefícios dos deputados


Da Agência Brasil

A decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de aprovar dispositivo que dá direito aos cônjuges de deputados a usar passagens áreas pagas pela Casa, entre seus estados de origem e Brasília, tem mobilizado as redes sociais. Antes do meio-dia deste sábado (28) um abaixo-assinado virtual promovido pela Avaaz – organização não governamental (ONG) em prol de causas sociais – já contava mais de 200 mil assinaturas.
A expectativa é que até terça-feira (3) a meta de 500 mil adesões seja atingida, e um “telefonaço” seja feito para a presidência da Câmara com objetivo de que a Casa desista de conceder o beneficio. A ONG também pretende colocar em painéis de destaque os nomes dos deputados que aceitaram o aumento da verba. Outra medida que está em estudo, segundo o coordenador de campanhas da Avaaz, Diego Casaes, é entregar pessoalmente as assinaturas aos parlamentares.
“É no mínimo um abuso. Num momento de tantas dificuldades financeiras, em que o próprio Congresso quer votar medidas para diminuir orçamento em ministérios e de outras áreas do governo, como é que eles mesmos aumentam seus benefícios? Não dá para o brasileiro ficar em dificuldade enquanto deputados legislam sobre seus próprios benefícios”, acrescentou Diego.
Anunciado na última quarta-feira (25), o pacote de medidas aprovado pela Mesa da Câmara faz parte das promessas de campanha de Cunha para a presidência da Casa. Além da novidade das passagens para cônjuges, o chamado “cotão” (verba indenizatória) teve reajuste de 8%, passando de R$ 27.977,26 para R$ 30.215,44 – o menor valor recebido por deputados, no caso, os do Distrito Federal. O maior é destinado aos deputados de Roraima e passará de R$ 41.612,80 para R$ 44.941,62.

Novas provas sugerem que o empresário Mario Góes recebeu propina de R$ 40 milhões


Empresário Mário Góes é um dos presos da Operação Lava Jato. 
Ele é acusado de ser um dos operadores de esquema de corrupção.

Adriana Justi e Camila BonfimDo G1 PR, com informações do Jornal Nacional
O empresário Mário Góes, preso da Operação Lava Jato, e apontado pelo Ministério Público Federal como um dos operadores do esquema de corrupção na Petrobras, recebeu R$ 40 milhões de empresas sob suspeita. A informação foi revelada pela jornal Folha de São Paulo, neste sábado (28). A reportagem informou ainda que documentos encontrados pela Polícia Federal (PF) na casa e no escritório do empresário oferecem novos indícios de que empreiteiras investigadas pela Lava Jato pagaram propina para fazer negócios com a estatal.
Mário Góes é suspeito de ser um dos operadores do esquema envolvendo a empresa Arxo. Ele está preso Superintendência da Polícia Federal (PF) de Curitiba desde o dia 8 de fevereiro.
Jornal Nacional teve acesso à decisão do juiz que pede a apresentação de documentos que possam confirmar a efetiva prestação dos serviços. Os contratos, segundo o MPF, comprovam que o acusado seria um intermediador de propinas entre empreiteiras contratadas para obras na Petrobras e dirigentes e empregados da Petrobras.
Ainda conforme o MPF, durante os cumprimentos de busca e apreensão nos endereços de Góes foram apreendidos diversos contratos celebrados entre a Riomarine Oil e Gas Engenharia e Empreendimentos Ltda e diversas empreiteiras como a Andrade Gutierrez, Mendes Júnior, MPE, OAS, Setal e UTC ou consórcios por elas integrados.
Segundo o MPF, os contratos visavam habilitar Goes a receber propinas, que depois seriam repassadas a empregados e dirigentes da Petrobras. O juiz Sérgio Moro pediu que a defesa de Mario Goes comprove se os serviços foram realmente prestados.
A construtora Camargo Corrêa declarou, em nota, que não participou do acordo dos executivos com o MPF. A norte energia - que faz parte do consórcio responsável pela construção da Usina Belo Monte - declarou que só vai se manifestar depois de ter acesso aos depoimentos.
O consórcio construtor Belo Monte afirmou que não houve a divulgação de um só depoimento que contenha acusações contra o consórcio e refutou com veemência o que chamou de ilações irresponsáveis. A construtora Andrade Gutierrez, afirma que cumpriu todos os processos legais de contratação.
A Mendes Júnior declarou que não tem conhecimento das apreensões citadas pelo MPF. A OAS afirmou que todos os contratos da empresa obedecem à legislação. A UTC só vai se pronunciar na Justiça. A Setal e MPE não quiseram se pronunciar.
Acordo de delação premiada
Mais dois executivos, suspeitos de envolvimento no esquema bilionário de corrupção e desvio de dinheiro na Petrobras, firmaram acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) na sexta-feira (27). Dalton Avancini, presidente da Camargo Corrêa, e Eduardo Leite, vice-presidente da empresa, irão colaborar com as investigações da Operação Lava Jato passando informações sobre o funcionamento do esquema e a participação de suspeitos em troca de benefícios, como redução de pena, em caso de condenação.
Ao todo, 15 investigados já fizeram acordo de delação premiada da Operação. Até este sábado (28), não havia data marcada para o início dos depoimentos.

A Camargo Corrêa é uma das empresas citadas na sétima fase da Operação Lava Jato, que teve como alvo executivos e funcionários de empresas com contratos com a Petrobras. A empreiteira é suspeita de integrar o chamado "clube" que, por meio de um cartel, manipulava licitações da estatal em troca de propina paga a diretores e partidos políticos, como PP, PT e PMDB.
Dalton Avancini e Eduardo Leite também estão presos na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde novembro de 2014, ao lado de João Ricardo Auler, presidente do Conselho Administrativo da Camargo Corrêa e de outros executivos das empresas investigadas.
O acordo de delação premiada foi firmado no mesmo dia em que a Justiça Federal (JF) realizou audiência com as testemunhas de defesa dos executivos – todos funcionários da Camargo Corrêa.

Em nota, Presidência da República lamenta morte de caminhoneiro no RS


Secretaria-Geral da Presidente Dilma Rousseff lamentou acidente. 
Acidente aconteceu na manhã deste sábado (28) em São Sepé. 

Do G1 RS
A Secretaria-Geral da Presidente Dilma Rousseff lançou uma nota oficial lamentando a morte do caminhoneiro Cléber Adriano Machado Ouriques, de 38 anos, que foi atropelado na manhã desta sábado (28) em São Sepé, na Região Central do Rio Grande do Sul.
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a vítima participava de uma manifestação que fechava a rodovia e acabou atingido por um caminhão. O motorista fugiu sem prestar socorro à vítima. O manifestante morreu no local e houve novos protestos da categoria.
Confira na íntegra:
A Secretaria-Geral da Presidência da República lamenta a morte por atropelamento do caminhoneiro Cléber Adriano Machado Ouriques, na manhã deste sábado, na BR-392, em São Sepé, no Rio Grande do Sul.
Ao mesmo tempo em que se solidariza com familiares e amigos da vítima, o governo federal reforça o compromisso e a disposição para o dialogo.
As propostas anunciadas nesta semana em reunião, em Brasília, entre representantes dos caminhoneiros, empresários e governo são o caminho para a normalização das rodovias.
Secretaria de Imprensa
Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

'Morreu lutando', diz pai de motorista morto em protesto na BR-158 no RS


Manifestante foi atropelado por caminhão durante bloqueio em São Sepé.
Emocionado, pai da vítima teve de ser retirado de uma nova manifestação.

Do G1 RS
O orgulho do caminhoneiro Lauro Ouriques contrastou com o desespero na tarde deste sábado (28), dia em que perdeu o filho Cleber, vítima de um atropelamento durante um bloqueio de caminhoneiros na BR-158 em São Sepé, Região Central do Rio Grande do Sul. Em uma manifestação realizada após o acidente, Lauro não suportou a emoção e precisou ser retirado, como mostra reportagem do RBS Notícias (confira no vídeo).
'Morreu lutando', diz pai de motorista morto em protesto na BR-158 no RS (Foto: Reprodução/RBS TV)Emocionado, Lauro é retirado de homenagem ao
filho Cleber (Foto: Reprodução/RBS TV)
"Morreu lutando por nossa classe. Estou arrasado. Não sei o que vai ser de mim", disse Ouriques, enquanto chorava pela morte do filho.
Conforme a PRF, o acidente ocorreu por volta das 7h. A vítima participava do ato quando um caminhão chegou próximo ao ponto, no km 297. O condutor do veículo passou em alta velocidade pelo trecho, apesar dos apelos do grupo. O corpo de Cleber será sepultado neste domingo (1º). A Polícia Civil solicitou à Justiça a prisão temporária do suspeito.
Ao longo da tarde, os protestos se intensificaram após a notícia. Principalmente no local do atropelamento. Para homenagear o colega morto, os caminhoneiros fizeram uma oração  sobre a rodovia, e muitos moradores da cidade foram prestar apoio ao grupo.
"Estamos muito abalados, mas não é por isso que vamos desistir. Vamos nos unir cada vez mais e batalhar pela nossa causa", disse a presidente da Associação dos Caminhoneiros de São Sepé, Vera Moraes.
O caminhão usado pelo motorista que atropelou o manifestante foi encontrado em Cachoeira do Sul, na mesma região. Segundo a polícia, o motorista abandonou um veículo em um posto de combustível e deixou o local a pé. No final da tarde, técnicos do Instituto-Geral de Perícias (IGP) analisavam o veículo.
Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência da República lamentou a morte por atropelamento do caminhoneiro Cléber Adriano Machado Ouriques, 38 anos, na manhã de hoje na BR-392 em São Sepé, no estado. "Ao mesmo tempo em que se solidariza com familiares e amigos, o governo federal reforça o compromisso e a disposição para que a normalidade volte às rodovias brasileiras", diz o texto.
Desde segunda-feira (23), caminhoneiros bloqueiam estradas federais e estaduais do país como forma de protesto contra o aumento do preço do óleo diesel, as más condições da pista e o alto preço dos transportes de carga. Atualmente, há bloqueios em cinco estados brasileiros. 

Justiça pede que MPF se manifeste sobre investigação de André Vargas


Sem foro privilegiado, investigação sobre ex-deputado desceu à 1ª instância.
Operação Lava Jato indicou relação entre Vargas e doleiro Alberto Youssef.

Do G1 PR
O deputado André Vargas (PT-PR), ao se defender no plenário no início de abril (Foto: José Cruz/Agência Brasil)O deputado André Vargas teve o mandato cassado
em dezembro de 2014
(Foto: José Cruz/Agência Brasil)
A Justiça Federal pediu para que o Ministério Público Federal (MPF) se manifeste quanto ao envolvimento do ex-deputado federal André Vargas com o doleiro Alberto Youssef – considerado líder do esquema de corrupção e desvio de dinheiro bilionário desvendado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

A solicitação foi feita via despacho do juiz federal Sérgio Moro. O intuito é saber do MPF, por exemplo, se serão necessárias mais investigações do caso ou se já existem elementos suficientes para apresentar uma denúncia e dar continuidade ao processo na Justiça.

O processo da Lava Jato relacionado ao ex-deputado André Vargas estava em Brasília, noSupremo Tribunal Federal (STF), porém, retornou para a primeira instância, em Curitiba, depois que Vargas teve o mandato cassado, em dezembro de 2014, por quebra de decoro parlamentar. Desta forma, ele perdeu também o chamado foro privilegiado.

Denúncia
Vargas respondeu por quebra de decoro por ter usado um avião alugado pelo doleiro Alberto Youssef. Segundo a Polícia Federal, o doleiro chefiou um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou R$ 10 bilhões. Vargas também é suspeito de ter cometido tráfico de influência ao intermediar um contrato entre o laboratório Labogen e o Ministério da Saúde.
Em agosto de 2014, o Conselho de Ética aprovou relatório do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) que recomenda a cassação do mandato de Vargas. O deputado, então, recorreu à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara sob a alegação de que o processo tramitou pelo conselho de forma “açodada” e “excessivamente politizada”.
A defesa do deputado cassado argumentava que o cliente não teve direito à ampla defesa e, segundo ele, o colegiado se baseou em provas ilícitas. A defesa também questionou a troca de dois integrantes do colegiado no dia da votação que aprovou o relatório que recomendava a cassação do parlamentar.

Após seis adiamentos consecutivos, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara rejeitou o recurso contra a decisão do Conselho de Ética de recomendar a cassação. Com a decisão, o processo por quebra de decoro parlamentar seguiu direto para o Plenário.

Cão atropelado por Van dos Correios terá que fazer fisioterapia


Médico veterinário disse ainda que animal passará por cirurgia.
Imagem do atropelamento causou grande repercussão na internet. 

Douglas PiresDo G1 Mogi das Cruzes e Suzano
Roda dianteira direita da Van dos Correios atinge cão (Foto: Reprodução/YouTube)Roda dianteira direita da Van dos Correios atinge cão (Foto: Reprodução/YouTube)
O cão atropelado por uma van dos Correios em Itaquaquecetuba (SP) terá de ter submetido a sessões de fisioterapia. A informação é do médico veterinário Edson Rodrigues que atendeu o cachorro em uma clínica veterinária na cidade. O médico disse neste sábado (28) que o cão ainda deverá sofrer uma intervenção cirugica. "Temos que corrigir a fratura dele", explica. O vídeo do atropelamento foi divulgado no YouTube e causou grande repercussão nas redes sociais. (Veja imagens). O caso está sendo investigado pelos Correios.
Na noite desta sexta (27), o cão foi levado para uma ONG na Capital. A diretora da Associação de Proteção aos Animais São Francisco de Assis (Aspafa), Giuliana Stefanini está cuidando do cão. "Nós colocamos o nome dele de Sedex. Vamos tratá-lo [cão] até que apareça alguém para adotá-lo quando se recuperar. Nós recebemos a ligação de uma pessoa lá de Itaquaquecetuba pedindo ajuda e nós fomos capturar o cachorro. A imagem do atropelamento imagem é clara e mostra que o motorista não prestou socorro ao animal", disse Giuliana.
O cãozinho sofreu uma fratura de coxal. Segundo o veterinário, é como se fosse fratura da bacia em humanos. Ele teve também uma eventração. É quando o trauma rompe a musculatura, as víceras saem por esse orifício.

O vídeo teve milhares de compartilhamentos nas redes sociais. Alguns internautas criticam a ação do motorista que não prestou socorro. Outros comentam que o atropelamento foi intencional.
O atropelamento foi na tarde do dia 9 de fevereiro. A imagem do circuito interno de uma empresa mostra duas vans dos Correios trafegando pela Rua Campinas, no bairro Monte Belo. De repente, o cão atravessa a rua e é atingido.
Cão está recebendo os cuidados na ONG  (Foto: Giuliana Stefanini / Arquivo Pessoal)Cão está recebendo os cuidados na ONG
(Foto: Giuliana Stefanini / Arquivo Pessoal)
O cão chegou a ser levado para o setor de zoonoses de Itaquaquecetuba. Também recebeu atendimento em uma clínica veterinária na cidade. O técnico em segurança Cícero Pedro de Souza socorreu o animal ferido no dia do acidente. Ele trabalha em uma empresa que fica na rua do atropelamento. "As pessoas precisam ter mais consicência. Fiz o que eu pude", desabafa.
De acordo com nota dos Correios, a empresa está verificando os fatos junto à unidade em que o empregado trabalha. "Os Correios disponibilizará todas as informações sobre o ocorrido, bem como as providências adotadas", conclui.
Solidariedade canina
Logo após o cão ser atropelado, surge um outro cachorro em cena. Ele tenta reanimar o cão ferido. "Assim que aconteceu o atropelamento, o outro cachorrinho saiu correndo e latindo atrás das vans. Depois ele correu em direção ao cão ferido e ficou tentando retirá-lo de lá. Esse outro cachorrinho companheiro ficou aqui na rua durante mais de 15 dias. Era como se ele estivesse esperando notícias do amigo que está internado. Quando o pessoal da zoonoses chegou para socorrer o atropelado ele quis ir junto no carro", disse o o técnico de segurança Cícero Pedro de Souza. Ele trabalha em uma empresa que fica na rua onde o cachorro foi atropelado. Desde então, Souza passou a cuidar do cão, que continua internado em estado grave.
De acordo com Edson Rodrigues, o médico veterinário que fez o atendimento, o animal teve graves ferimentos. "Ele sofreu uma fratura de coxal. É como se fosse fratura da bacia em humanos. Ele teve também uma eventração. É quando o trauma rompe a musculatura, as víceras saem por esse orifício. Fizemos exames de ultrassom e raio-x", diz
Na tarde desta sexta-feira (27), a Prefeitura de Itaquaquecetuba informou que o cachorro deixou o setor de zoonones na parte da manhã. Ele foi levado novamente para a clínica veterinária onde recebeu os primeiros socorros. De acordo com o governo municipal, o setor não tem estrutura para abrigar cães.
Sem socorro
O vídeo do atropelamento chegou a ser compartilhado milhares de vezes em redes sociais. Internautas criticaram o fato do motorista da van não ter socorrido o cão. "Dá impressão, olhando o vídeo, que ele [motorista] viu o cachorro sendo atropelado, sim", diz Souza.
Em nota, os Correios informaram que "a respeito do vídeo que mostra o atropelamento de um cão em Itaquaquecetuba (SP), os Correios informam que estão verificando os fatos junto à unidade em que o empregado trabalha. A empresa disponibilizará todas as informações sobre o ocorrido, bem como as providências adotadas", conclui.
Após o atropelamento, segundo cão surge para ajudar amigo (Foto: Reprodução/YouTube)Após o atropelamento, segundo cão surge para ajudar amigo (Foto: Reprodução/YouTube)

Menina morre em explosão de bueiro provocada por amigos


Brincadeira termina em tragédia na China. Veja o que aconteceu nas imagens gravadas pela câmera de vigilância de um supermercado.

Uma brincadeira inconsequente terminou em tragédia na China. Veja o que aconteceu nas imagens gravadas pela câmera de vigilância de um supermercado.
O episódio aconteceu no sul da China. Dois meninos que estavam acompanhados de uma menina pequena jogaram bombinhas dentro de um bueiro. Em seguida, uma explosão provocada por gás metano fez voar a tampa do bueiro.
Atingida em cheio, a menina foi lançada com violência para dentro de um bueiro ao lado, que também tinha perdido a tampa com a explosão. Os meninos conseguiram escapar e nada sofreram.
Cercados por curiosos, os integrantes de uma equipe de socorro conseguiram retirar a criança, mas a menina não resistiu aos ferimentos.

Ministro Zavaski do STF nega liminar que questiona passagens a cônjuges de parlamentares


Deputado Carlos Sampaio argumentou que novo benefício deveria ter sido avaliado pelo plenário da Casa, e não pela mesa diretora. Teori Zavascki negou

BRASÍLIA
  •  
  •  
  • ESTADÃO CONTEÚDO
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki negou liminar que questiona a extensão da cota de passagens aéreas a cônjuges de parlamentares. O mandado de segurança é de autoria do deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP).
Na ação, o deputado alega que as alterações feitas pela Mesa Diretora da Câmara deveriam ter sido feitas por meio de aprovação em Plenário e não por decisão única da Mesa. Segundo Sampaio, o próprio Regimento Interno da Câmara diz que modificações como essa deveriam ser feitas por meio de resolução, sob consulta dos demais parlamentares. Com base nesses argumentos, o parlamentar pediu liminar para suspender os efeitos da decisão da mesa diretora da casa.
O ministro Teori Zavascki negou a liminar e pediu mais informações à Mesa Diretora da Câmara. Apesar da negativa, a decisão pode ser revista pelo próprio ministro, diante das novas informações, e também por decisão do Plenário da Suprema Corte, que julgará o mérito ada ação. Como não há prazo para nova análise, não há uma previsão para que isso aconteça.
A Mesa Diretora da Câmara aprovou nesta semana mudança, em um Ato da Casa, que permite que cônjuges de parlamentares, a partir de abril, possam viajar de seus Estados de origem a Brasília às custas da Câmara. Em meio a um momento de ajuste fiscal, foi oferecido aos parlamentares um pacote de bondades que representará custo adicional de R$ 112,8 milhões até o fim do ano e de R$ 150,3 milhões em 2016. Os cônjuges dos parlamentares haviam perdido o direito a bilhetes aéreos financiados pela Câmara em 2009 e, desde então, apenas parlamentares e assessores eram permitidos em viagens oficiais.
A decisão do comando da Câmara provocou reações da população e também de parlamentares da oposição. Diante da polêmica, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), chegou a declarar que os parlamentares não são obrigados a usar o benefício, dizendo que “só usa quem quiser”.
O PSDB, partido ao qual pertence Sampaio, reagiu logo após a decisão, alegando que a terceira secretária da Mesa Diretora, deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), votou contra a medida. Já Cunha disse que Mara questionou a proposta, mas acabou concordando na hora da votação.

Musa do bumbum bizarro terá que retirar produto para concurso


Segundo a organização do Miss Bumbum Brasil 2015, Renata Pinheiro precisa deixar os glúteos 100% naturais para poder se candidatar.


Renata Pinheiro, a musa do bumbum bizarro que roubou todos os holofotes para si neste carnaval em São Paulo, teria procurado o concurso Miss Bumbum Brasil 2015 pra se candidatar, porém, segundo a organização, terá que mexer em seu "patrimônio" para poder participar da competição.
Renata teria que se submeter a uma cirurgia de retirada dos produtos que aplicou nos quadris e deixar seu bumbum 100% natural. "Esta é a regra principal do concurso, não tem como aceitá-la assim", declarou o organizador Cacau Oliver. Essa não seria a primeira inscrição da modelo que já participou do Miss Bumbum no ano passado.
Procurada pelo EGO, Renata explicou que não pretende fazer qualquer intervenção cirúrgica para se enquadrar nos padrões da competição e, mesmo que não precisasse da cirurgia para se inscrever, tem dúvidas se participaria. "Não me interessa participar de novo e nem passar por cirurgia para participar. Primeiro porque pretendo aumentar um pouco o bumbum apenas mais para frente. Não mexeria em nada agora. Segundo porque os concursos de uma maneira geral, não só esse, acabam sendo muito cansativos porque você precisa correr atrás de votos, divulgar, tem que se dedicar, trabalhar as redes sociais, só que eu também tenho uma vida normal particular. E isso tudo toma muito tempo", esclareceu.

Renata Pinheiro (Foto: Divulgação)Recentemente a loira falou ao EGO sobre as intervenções que fez no derrière. Ela revelou que investiu R$ 15 mil na lipoescultura, procedimento onde o médico retirou gordura abdominal e injetou em seu bumbum, que hoje mede 111cm. “Sempre sonhei em ter um bumbum grande, afinal, é preferência nacional, né? Há seis meses vendi uma moto que tinha por R$ 15 mil e paguei pela intervenção cirúrgica. Não me arrependo. Achei o resultado perfeito. Hoje meu bumbum ganhou forma e tamanho. Ninguém nunca reclamou”, contou a modelo.
Renata Pinheiro (Foto: Divulgação e Celso Tavares/EGO
)

Modelo que teve a perna amputada: "Prefiro não saber sobre a motorista que me atropelou e focar na recuperação"


Era pra ser uma viagem de sonhos com o namorado. Mas um acidente na porta de casa lhe custou uma das pernas e quase a vida!


  •  
Na Real (Foto: Estevão Andrade)

l

Era pra ser uma viagem de sonhos com o namorado. Mas um acidente na porta de casa lhe custou uma das pernas e quase a vida. Duas amputações depois e ainda reclusa pelo risco de infecção, a modelomineira Paola Antonini, 20 anos, fala àGlamour“Prefiro não saber sobre a motorista que me atropelou e focar na recuperação. Não vejo a hora de pôr a prótese e voltar a andar!” 

"Dia 26/12/2014. Acordei às 5h da manhã. Combinamos, meu namorado Arthur, eu e alguns amigos, de sair às 5h30. Íamos passar o réveillon em Búzios, litoral do Rio... Como estava escuro e a avenida de casa é movimentada pra caramba, pedi que o porteiro me acompanhasse até o carro do Arthur, estacionado bem ali na frente. Agradeci, dei um beijo nos dois amigos que iriam com a gente e fui colocar as coisas no porta-malas (...) E de repente... Ouvi um estrondo. Um clarão enorme me cegou. Foi tudo muito, muito rápido. Durou uma fração de segundo. Mas lembro com clareza de pensar, antes de ser jogada ao chão: “Meu Deus, e agora? O que vai acontecer comigo?”. Tive esse lampejo de consciência no meio daquela cena de horror. Uma motorista bateu na traseira do carro e esmagou minha perna no para-choque. Felizmente, o reflexo do Arthur foi rápido: ele se atirou na calçada pra não ser atingido. Eu não tive a mesma sorte".

"Mesmo atordoada, tive uma sensação de alívio instantânea. Estava viva e consciente. Tão consciente que sentia uma dor lancinante na perna esquerda. Impossível descrever essa dor. Era cortante, penetrante (...) Não sabia quanto tempo mais eu suportaria. Foram longuíssimos 45 minutos até o SAMU aparecer."
 
"Bem, a cirurgia durou 13 horas. Àquela altura, eu estava ansiosa pra saber quantos pinos eles haviam colocado. Perguntei, minha mãe desconversou (...) Às 6h, meus pais chegaram cabisbaixos dizendo que tínhamos que conversar. Perguntei, desconfiada: “É uma coisa que já aconteceu ou que ainda vai acontecer?”. Minha mãe, nervosa, respondeu que já tinham feito. Na hora entendi que haviam amputado minha perna".

"Não sinto raiva. Aliás, nem penso nisso. Melhor assim. Preciso focar na recuperação. Neste semestre, começo o curso de Comunicação Social na PUC Minas, com acompanhamento em casa até me recuperar e poder sair. Tenho ficado direto aqui, já que o risco de infecção ainda é grande. Faço fisioterapia diariamente pra estar 100% quando a prótese chegar. E quando isso acontecer vou tocar minha vida normalmente. Vou usar shorts, ir pra balada, postar fotos nas redes sociais e jamais esconder minha nova perna. E quero continuar minha carreira de modelo. Tomara que seja na Glamour, já imaginou?"