Cunha e Renan foram avisados que estão na lista de Janot


Eduardo Cunha (PMDB-RJ), atual presidente da Câmara dos DeputadosEduardo Cunha (PMDB-RJ), atual presidente da Câmara dos Deputados

De acordo com informações do jornal O Globo, os presidentes da Câmara, deputado Eduardo Cunha, e o presidente do Senado, senador Renan Calheiros, ambos do PMDB, foram informados que estarão na lista de envolvidos com a operação Lava Jato que Rodrigo Janot, procurador-geral da República, enviará ao STF.

O Globo cita que Renan dava desde a semana passada sinais de irritação relativos ao tema — inclusive, teria declinado jantar com a presidente Dilma Rousseff na última segunda (2) por conta disso. Já Cunha não teria reagido publicamente à suposta presença de seu nome na lista.

Os dois presidentes foram enfáticos em responder que não estão envolvidos no escândalo. Questionado durante entrevista, Renan afirmou "não ter nenhuma informação" sobre o suposto aviso. Já Cunha, em mensagem enviado a'O Globo, afirmou "não ter sido avisado por ninguém". O presidente da Câmara também disse se tratar de uma mentira.

Janot deverá entregar o documento ao STF nesta terça-feira (3). A partir de então, o ministro Teori Zavascki irá divulgar os nomes investigados — ele o pretende fazer de uma vez, não em conta-gotas. O ministro entende que, desta forma, evita que os primeiros nomes divulgados corram risco de ter juízo na sociedade e na imprensa maior que os outros.

Investigação de políticos deve ser igual a de traficantes, diz Moro


sergio moro
O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, disse nesta segunda-feira, sem citar o escândalo envolvendo os desvios de recursos da Petrobras, que políticos desonestos têm vantagens sobre políticos honestos e, por isso, é sempre preciso rastrear o dinheiro movimentado ilegalmente para “se chegar ao chefe”. Numa aula sobre lavagem de dinheiro na Escola da Magistratura Federal do Paraná, Moro afirmou que, nesses casos, a investigação contra políticos deve ser tal qual se faz contra chefes de tráfico de drogas: é preciso seguir o “velho conselho norte-americano” se quiser chegar ao chefe “follow the money“, ou “siga o dinheiro”.
Nesta terça-feira, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai enviar ao Supremo os pedidos de abertura de inquéritos contra políticos e pedirá o fim o sigilo das investigações da Operação Lava-Jato contra algumas autoridades suspeitas de integrar o esquema, o que deve ser feito pelo relator do processo, o ministro Teori Zavascki, alguns dias depois.
– Numa democracia, o político desonesto tem vantagens que um político honesto não tem ao usar dinheiro de origem ilícito para ganhar apoio popular para suas ideias – disse Moro.
Para o juiz, se as investigações não forem suficientes para punir o chefe do crime, é preciso fazer com que ele fique sentado sobre o dinheiro sujo e não consiga usar para nenhuma finalidade.
Moro lembrou que as lei que punem a lavagem de dinheiro, no mundo todo, são novas, surgiram a partir da década de 80 (Brasil, é de 1998), e apenas a sanção privativa da liberdade não é suficiente.
– É preciso privar o criminoso do “produto” de sua atividade. O crime não deve compensar – assinalou.
Moro explicou que raramente os chefes estão diretamente envolvidos nos atos criminais mais básicos, pois ele é o último beneficiário da atividade criminosa. Por isso, acrescentou, é preciso seguir o “velho conselho norte-americano” se quiser chegar ao chefe “follow the money”, ou “siga o dinheiro”.
– Fatalmente o dinheiro vai chegar em quem tem o poder de controle sobre o grupo criminoso.
O juiz lembrou que o “lavador” de dinheiro tem sido um terceirizado profissional, que “recebe informações ótimas sobre origens e destino do dinheiro”.

Lava Jato: Janot pede abertura de 28 inquéritos sobre 54 pessoas ao STF


Janot
BRASÍLIA – Chegaram nesta terça-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) 28 pedidos de abertura de inquérito contra 54 pessoas suspeitas de participar do esquema de desvios de dinheiro da Petrobras. No grupo, existem políticos e também pessoas que não ocupam cargo público. Também foi solicitado o arquivamento de sete petições que estavam no tribunal citando outras pessoas, porque os indícios não eram suficientes para embasar investigações. Os pedidos foram feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Os documentos chegaram ao tribunal às 20h11, mas Janot não esteve pessoalmente no local.
Os procedimentos estão em segredo de justiça. Portanto, não é possível saber ainda quantas autoridades serão investigadas ou quais são os fatos imputados aos suspeitos. Mas conforme adiantou o GLOBO, os presidentes da Câmara, deputado Eduardo Cunha, e do Senado, senador Renan Calheiros, ambos do PMDB, foram informados que estarão na lista do procurador-geral da República. A informação foi confirmada por assessores do Planalto.
O relator do caso, ministro Teori Zavascki, deverá instaurar os inquéritos e derrubar o sigilo de todos eles nos próximos dias. Só então serão divulgados os detalhes dos procedimentos judiciais.
Com a abertura dos inquéritos, as investigações serão formalmente iniciadas. Janot teria pedido ao STF, junto com a instauração dos inquéritos, as primeiras diligências: quebras de sigilo bancário e fiscal, bem como a tomada de novos depoimentos e o compartilhamento de provas adquiridas na primeira instância do Judiciário.
Os pedidos foram feitos nas petições que estão no STF desde dezembro. Essas petições contêm indícios apresentados pelos principais delatores da Lava-Jato: o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. As petições estão protegidas pelo mais alto grau de sigilo e não são sequer mencionadas no andamento processual do tribunal na internet. As petições foram divididas de acordo com temas, para facilitar as investigações.
Zavascki quer que as apurações sejam públicas, conforme solicitação do procurador-geral. No entanto, poderá ser mantida em sigilo uma ou outra prova cuja divulgação prejudicaria o andamento das investigações. O sigilo também é previsto em lei para provas com conteúdo íntimo do investigado, como os sigilos bancário e fiscal.
Além das investigações que serão abertas no STF, existem três petições no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Devem ser investigados pelos desvios da Petrobras os governadores Luiz Fernando Pezão, do Rio, e Tião Viana, do Acre, além do ex-deputado Mario Negromonte (PP-BA), hoje conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia. Os três têm direito ao foro especial, pelos cargos que ocupam. Há também inquéritos abertos na primeira instância, em Curitiba, contra pessoas sem direito ao foro especial, entre eles pelo menos quatro ex-deputados federais: André Vargas (ex-PT-PR), Luiz Argôlo (SDD-BA), Pedro Corrêa (PP-PE) e Aline Corrêa (PP-SP).
Existe também na corte uma petição com documentos incriminando o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR), que teria recebido dinheiro do doleiro Carlos Habib Chater. O caso também está em segredo de justiça, aguardando Janot se pronunciar pelo arquivamento ou pela abertura de inquérito.

Corpo do cantor José Rico é velado na Câmara de Americana, SP


Cerimônia deverá ser aberta ao público em geral a partir das 21h.
Enterro será na quarta (4), por volta das 9h30, no Cemitério da Saudade.

Do G1 Campinas e Região
Milionário se despede do parceiro José Rico em Americana (Foto: André Bordim/ EPTV)Milionário (de boné preto) se despede do parceiro José Rico em Americana (Foto: André Bordim/ EPTV)
O corpo do cantor José Rico, que fazia dupla com o sertanejo Milionário, está sendo velado na Câmara Municipal de Americana (SP). No início, o velório foi restrito à família e aos amigos próximos. O parceiro Milionário foi até o local se despedir do amigo e se emocionou durante a cerimônia. Os portões foram abertos para os fãs às 21h. O músico não resistiu a uma parada cardíaca causada por um infarto nesta terça-feira (3). O enterro será nesta quarta-feira (4), por volta das 9h30, no Cemitério da Saudade.
Corpo do cantor José Rico é velado na Câmara de Americana (Foto: Gustavo Biano/ EPTV)Corpo do cantor José Rico é velado na Câmara de
Americana (Foto: Gustavo Biano/ EPTV)
Música em luto
O cantor Cezar, da dupla Cezar & Paulinho, afirmou que nesta terça-feira a música sertaneja está em luto. "O Brasil perdeu hoje um dos maiores ícones da música. José Rico nos deixou, de forma inesperada. Nossa família lamenta a sua partida e, assim como todos os seus fãs, deseja que o amigo Zé Rico descanse em paz. Que Deus, na sua infinita bondade, dê forças para sua família neste momento difícil. O seu legado será eterno", afirma.
Os cantores Chitãozinho e Xororó também lamentaram a morte de José Rico. “Com grande tristeza recebemos a notícia de que ícone da música sertaneja e parceiro de tantos momento, José Rico (da dupla Milionário e José Rico) falecera", dizia a nota oficial enviada pelos músicos.
O baterista Magrão, que tocava com a dupla Milionário & José Rico, afirmou estar em choque com a morte do cantor. " Fizemos shows no sábado e domingo, ele estava bem. Íamos começar uma turnê de 15 shows nesse mês de março, agora acabou tudo. É um baque", conta.

O cantor Pedro Leonardo também comentou em um vídeo a morte de José Rico. "Nossa perda foi muito grande porque desde 1970 ele vinha construindo com o Milionário uma história muito grande. O que vai ficar com a gente são suas alegrias", disse.  VEJA O VÍDEO
 Ídolo
O cantor Edson Silva, da dupla Edson e Hudson, afirmou que perdeu um de seus ídolos. "Não tenho palavras para descrever o tamanho da perda. Meu coração está pequeno demais. Milionário e José Rico sempre foram nossos ídolos. Meu Deus, estou mal com a notícia. Um dos nossos últimos encontros foi no Programa Festival Sertanejo, junto com Chitãozinho & Xororó. Que dia! Que oportunidade ímpar", relata.

A cantor Paulinho, da dupla Cezar & Paulinho, também declarou estar abalado com a notícia da morte de José Rico. “Estamos muito abalados. É uma perda irreparável como amigo e profissional. O Brasil hoje está muito triste e não será mais o mesmo sem a garganta do Zé Rico. Estávamos gravando em um estúdio na cidade de Iracemápolis e, quando recebemos a notícia, paramos tudo. Tive uma dor de estômago na hora em que soube da morte do Zé Rico. Não consigo imaginar a dor do Milionário”, contou.

"É com muita dor no coração e profunda tristeza que comunicamos o falecimento do nosso ídolo José Rico. Vamos rezar por este homem que tanta alegria nos deu. É impossível descrever nossa tristeza, estamos todos em estado de choque", diz a nota oficial.
Morte
O cantor José Rico Alves dos Santos morreu aos 68 anos nesta tarde de terça-feira (3) em Americana (SP).
O velório está marcado para esta terça-feira, a partir das 19h30, na Câmara Municipal de Americana, de acordo com a funerária Americana. E o enterro será nesta quarta-feira (4), por volta das 9h30, no Cemitério da Saudade.
Fãs aguardando momento de se despedir de José Rico (Foto: Gustavo Biano/ EPTV)Fãs aguardando do lado de fora momento de se despedir de José Rico (Foto: Gustavo Biano/ EPTV)

Mulher tem mal súbito e bate contra carros estacionados próximo à Arena da Baixada


Da Redação
acidente-reboucas
(Foto: Reprodução)
Um acidente entre pelo menos cinco veículos assustou quem passava próximo à Arena da Baixada, no bairro Rebouças, em Curitiba, na tarde desta terça-feira (3). O caso aconteceu no cruzamento das ruas Engenheiro Rebouças com a Brigadeiro Franco.
Segundo testemunhas, um carro Jaguar perdeu o controle e bateu contra um Logan que saía de uma vaga de estacionamento. “Em seguida, esse veículo colidiu contra outros três, um Celta, um Fiat 147 e um Jetta. Foi tudo muito rápido e todo mundo se assustou com a batida e com o estado dos carros”, disse Ritchielle, que trabalha em frente a área do acidente, em entrevista àBanda B.
Informações apuradas no local indicaram que a motorista do Jaguar teria tido um mal súbito e perdido o controle do veículo, causando o acidente. Ela foi socorrida e encaminhada ao hospital com ferimentos leves.
Assista ao vídeo que mostra o estado dos veículos após a ocorrência:


Operários desmaiam em obra e dois morrem por falta de oxigênio no Mercês


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Foto: Juliano Cunha - Banda B
Foto: Juliano Cunha – Banda B
Uma tragédia chocou Curitiba na tarde desta terça-feira (3). Dois operários, que trabalhavam em um prédio do bairro Mercês, morreram após ficarem desmaiarem em um ambiente sem oxigênio na Rua Desembargador Isaías Bevilaqua. Duas outras vítimas chegaram a desmaiar e foram socorridas às pressas pelo Corpo de Bombeiros.
Segundo as primeiras informações, o trabalho das vítimas era realizado em uma cisterna e os operários teriam ficado presos por pelo menos 15 minutos antes do socorro ser acionado. O helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) chegou a ser chamado para apoio, mas dois dos operários não resistiram.
De acordo com o capitão Daniel, do Corpo de Bombeiros, ainda não se sabe se faltou entrada de oxigênio no local ou se um produto químico teria provocado os desmaios. “Nós tentamos tudo. Duas das vítimas conseguimos reanimar e agora serão encaminhadas ao hospital após chegarmos aqui e infelizmente duas não resistiram”, comentou.
A Polícia Civil agora deve investigar se houve negligência por parte da empresa em que eles trabalhavam.

José Rico deixa 'castelo' inacabado com mais de 100 quartos em Limeira


Obra fica às margens da Rodovia Anhanguera e começou há 24 anos.
Músico fazia dupla com Milionário e morreu nesta terça em Americana.

Do G1 Piracicaba e Região
Castelo José Rico em Limeira (Foto: Reprodução/Tv Globo)Castelo de José Rico em Limeira (Foto: Reprodução/TV Globo)
O cantor José Rico, de 68 anos, da dupla sertaneja com Milionário, morreu nesta terça-feira (3) e deixou um "castelo" inacabado com mais de 100 quartos, em construção há 24 anos. A obra fica às margens da Rodovia Anhanguera (SP- 330), em Limeira (SP), no interior de São Paulo. No local, o músico pretendia montar um estúdio, mas a intenção também era fazer do lugar um recanto para a família.
José Rico com Michel Teló no quadro 'Bem Sertanejo', do Fantástico, em outubro de 2014 (Foto: Reprodução/TV Globo)José Rico com Michel Teló no 'Bem Sertanejo', do
Fantástico, em 2014 (Foto: Reprodução/TV Globo)
"Ali é meu mundo. Estou construindo para mim e para os meus", disse José Rico em entrevista ao cantor Michel Teló para o Fantástico, em outubro de 2014. O parceiro de Milionário desmentiu, na época, que a mansão foi feita porque uma cigana disse que ele jamais poderia parar de construir sua própria casa: "São lendas", afirmou ele durante a entrevista ao cantor Michel Teló (clique aqui e assista).
José Rico também compôs uma canção chamada “Castelo”. A letra diz: “Construí um castelo bonito para dar de presente a pessoa amada”. Os versos da música ainda falam que o amor é tudo o que se tem na vida. "Para viver sem ela (a pessoa amada), tudo isso é nada."
Castelo José Rico em Limeira (Foto: Reprodução/Tv Globo)Obra tem mais de 100 quartos e já durava 24 anos (Foto: Reprodução/TV Globo)

A perda
José Alves dos Santos, de nome artístico José Rico, nasceu em São José do Belmonte (PE), em 20 de junho de 1946. Ele morreu aos 68 anos nesta tarde de terça-feira (3) em Americana (SP). De acordo com a nota oficial publicada na rede social dos músicos, ele foi internado nesta manhã com complicações no coração, rins e joelho e não resistiu.

O velório está marcado para esta terça-feira, a partir das 19h30, na Câmara Municipal de Americana (SP), de acordo com a Funerária Americana. E o enterro será nesta quarta-feira (4), às 9h30, no Cemitério da Saudade.
"É com muita dor no coração e profunda tristeza que comunicamos o falecimento do nosso ídolo José Rico. Vamos rezar por este homem que tanta alegria nos deu. É impossível descrever nossa tristeza, estamos todos em estado de choque", diz a nota oficial.
Castelo José Rico em Limeira (Foto: Reprodução/Tv Globo)Local serviria de estúdio e também refúgio para a família (Foto: Reprodução/TV Globo)

Morre Jose Rico que fazia dupla com Milionário

Morre o cantor Jose Rico que por mais de 40 anos fez dupla com Milionário.  Jose Rico morreu nessa manhã na cidade de Americana. Mais tarde traremos novas informações.

Vereadores querem cerveja de volta aos estádios de Curitiba no Campeonato Brasileiro


Por Luiz Henrique de Oliveira


Seis vereadores de Curitiba irão protocolar nesta terça-feira (3) um projeto de lei para que a cerveja volte a ser vendida nos estádios de futebol da capital nos próximos meses. Se aprovada, a medida se sobrepõem à regulamentação da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) que não permite o consumo e a venda de bebidas alcoólicas.
cerveja-estadios
(Foto: Getty Imagens)
O projeto inicial do vereador Pier (PTB) também teve a assinatura de Felipe Braga Cortes (PSDB), Paulo Rink (PPS), Jairo Marcelino (PSD), Bruno Pessuti (PSC) e Helio Wirbiski (PPS). Segundo a assessoria de Pier, o projeto passará pela Procuradoria de Justiça da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), pelas comissões da Casa e em seguida vai à votação pelos vereadores.
Com esse cronograma, em caso de aprovação o projeto, que pode ser vetado pelo prefeito Gustavo Fruet (PDT), passará a valer no período do Campeonato Brasileiro, no fim do primeiro semestre e início do segundo. Ainda de acordo com a assessoria de Pier, com a lei em vigor caberá a cada clube definir se vai ou não realizar a venda, que será permitida dentro do estádio antes, no intervalo e após o jogo, mas não durante.
Semelhante
O projeto dos vereadores paranaenses é semelhante a um de Porto Alegre e foi aprovado pela Casa. Na capital gaúcha, falta apenas a sação do prefeito para a lei entrar em vigor.

FENAPAR E SBN SE UNEM PARA PREVENÇÃO DE DOENÇAS RENAIS NO DIA MUNDIAL DO RIM

Dia Mundial do Rim une esforços para a prevenção das doenças renais

SBN, ABCDT e FENAPAR se reúnem em São Paulo
"Campanha para rins saudáveis" é o slogan da edição deste ano do Dia Mundial do Rim, comemorado no próximo dia 12 de março. E para discutir as ações e unir esforços na prevenção nesta data especial, a presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), doutora Carmen Tzanno, se reuniu nesta quarta-feira, dia 25, com o vice-presidente da Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante (ABCDT), Dr. Paulo Luconi, e o Presidente da Federação Nacional das Associações de Pacientes Renais e Transplantados do Brasil (Fenapar), Renato Padilha,na sede da SBN, em São Paulo.
O Dia Mundial do Rim promete movimentar dezenas de cidade em todo o País. Iluminação especial nas cores vermelho e azul de monumentos como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, Viaduto do chá e Monumento às Bandeiras, em São Paulo, estão entre as iniciativas programadas para a data. Nefrologistas, enfermeiros e voluntários participarão de mutirões para aferição da pressão arterial, verificação de glicemia capilar, entre outros serviços, distribuição gratuita de água mineral, entrega de panfletos com regras para se prevenir das doenças renais. Um passeio ciclístico vai agitar as ruas da capital paulista, na noite do dia 12.
"A Sociedade Brasileira de Nefrologia quer unir todos os setores envolvidos para uma ação mais ampla que fortaleça as iniciativas de prevenção, desenvolva a especialidade e priorize o cuidado e atenção ao paciente", afirmou a presidente da SBN. De acordo com o vice-presidente da ABCDT, Dr. Paulo Luconi, o Dia Mundial do Rim é uma data que marca a importância de discutir a prevenção às doenças renais. "Acreditamos que é importante estreitar os laços entre as três instituições e estamos confiantes no fortalecimento deste trabalho", destacou. Para a Fenapar o resultado desta união só tende a ser positivo para todos os lados. "Os pacientes contam com o apoio da nova diretoria da SBN para implementar ações mais efetivas", afirmou Padilha.
 


Dra. Carmen Tzanno com o vice-presidente da ABCDT, Dr. Paulo Luconi, e o Presidente da Fenapar, Renato Padilha

O pagamento da TRS ( hemodiálise ) competência janeiro/2015 foi liberada em 02/03/2015


     
O pagamento da Terapia Renal Substitutiva TRS referente à competência janeiro/2015 foi liberado pelo Ministério da Saúde em 02 de fevereiro de 2015 para os Estados e Municípios que estão no primeiro processo.
A lista completa do pagamento será disponibilizada para consulta no site da ABCDT em TRS - www.abcdt.org.br
A ABCDT acompanha de perto todo o processo de pagamento da TRS, desde que o Ministério libera o recurso até chegar no prestador. Os gestores que atrasam o repasse são notificados extrajudicialmente pela entidade, que também faz a denúncia no Ministério da Saúde e Ministério Público e ainda informa a imprensa para que faça pressão.
Caso seu gestor atrase o repasse entre em contato com a ABCDT pelo email: abcdt@abcdt.org.br
 

Tratamento de 15.000 pacientes de diálise é ameaçado por falta de água no estado de São Paulo


     
Sabesp diz não ter um plano especial para abastecer clínicas que atendem SUS. Mesmo com chuva acima da média, crise ainda é “gravíssima”.
Simone Borges da Silva, 32, chegou a uma clínica de hemodiálise em Itaquera, zona leste de São Paulo, por volta das 10h40. “Eu estava com dois quilos e meio de líquido retido para drenar”, explica a jovem, que perdeu a função dos rins por problemas urinários não tratados durante a infância. A sessão de filtragem do sangue que costuma durar quatro horas, no entanto, foi finalizada em sessenta minutos. “'Estamos sem água, me disseram”.
Para quem não tem a função plena dos rins, a hemodiálise é questão de vida ou morte: a alta concentração no corpo de água, sal e substâncias que deveriam ser excretadas com a urina pode provocar uma insuficiência cardíaca aguda. Um dia após a visita à clínica, Silva começou a se sentir mal: “Eu vim pra casa com medo. Acordei bastante inchada, e aí meu coração ficou acelerado, tive falta de ar e não consegui me movimentar muito. Tive que ficar deitada”.
A situação de Silva se repete pelas clínicas de todo o Estado. De acordo com dados da Sociedade de Nefrologia do Estado de São Paulo (Sonesp), apenas no município de São Paulo 15.000 pacientes dependem de diálise, e no Estado inteiro o número chega a 35.000. Na capital o serviço é oferecido em 51 unidades nefrológicas, sendo que grande parte delas atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). “Só para o processo de diálise se gasta em torno de 250 litros por paciente. Se você imaginar que um paciente faz três sessões por semana, ele gasta 750 litros por semana", explica Rui Barata, 70, médico nefrologista e diretor da Sonesp. "Isso sem contar as outras demandas das clínicas, para esterilização de equipamentos, por exemplo”.
A entidade tentou, em vão, estabelecer um canal de diálogo com a fornecedora de água. “Uns trinta dias atrás pedimos uma audiência com o presidente da Sabesp para formular uma estratégia de contingência", afirma Barata, que diz ter enviado uma relação de todas as unidades de diálise do Estado. "Mas até o momento não recebemos resposta alguma deles, nem fomos informados sobre a existência de um plano emergencial para atender a nossa demanda. Assim como os hospitais, as unidades de diálise não podem ter cortes de água”, afirma Barata. Segundo ele, a maioria das clínicas tem recorrido a caminhões pipa e outras fontes externas de água.
Mas mesmo assim a escassez assombra as unidades. Na Clínica Medicina Interna Nefrologia, na Barra Funda, zona oeste da cidade, a falta de água prejudicou a diálise de 30 pacientes. Médicos da unidade registraram um boletim de ocorrência na delegacia contra a Sabesp por ter sonegado as informações que permitiriam o funcionamento adequado da unidade. “Ficamos dois dias sem abastecimento adequado de água e em contato com eles, que disseram o tempo todo que o fornecimento jamais seria suspenso, que era apenas uma redução do fluxo”, diz Maria Eugenia Canziani médica nefrologista da clínica. Na terça-feira (24) não houve fornecimento de água durante a madrugada, e os pacientes do turno da manhã fizeram diálise por três horas ao invés de quatro.
Canziani afirma que o registro do boletim de ocorrência, ainda que simbólico, deixa claro que “não é possível ser conivente em dar aos pacientes uma diálise inadequada. E isso foi impingido a nós por uma má informação da Sabesp. Quisemos nos organizar para lidar com a crise hídrica, mas a companhia não fornece as informações necessárias”.
Um diretor de clínica da zona leste enviou mensagem para a Sonesp afirmando que sua unidade recebe água “apenas das 8h às 16h”, e que tem tido “problemas para a lavagem das fistulas [acessos no corpo para a conexão com as máquinas de diálise] dos pacientes”.
“A situação nos preocupa devido à fragilidade da vida dos pacientes que dependem da diálise. E o pior é não saber se as autoridades estão tomando alguma providência”, diz Barata. Em nota, a Sabesp informou que “escolas, hospitais e penitenciárias sempre terão atendimento prioritário”, e que “em relação a clínicas particulares, a companhia ressalta a importância desses locais terem caixas de água adequadas ao seu consumo diário”.
O médico nefrologista Waldir Falani, diretor da Clínica Nefrológica de São Miguel Paulista, na zona leste da capital, afirmou que no início do mês o atendimento na unidade foi prejudicado pela falta de água: “Nós havíamos solicitado para a Sabesp um caminhão pipa para abastecer nossa caixa, mas eles não entregaram. Os pacientes que iriam fazer diálise pela manhã ficaram menos tempo na máquina”.
Para resolver o problema, Falani comprou mais uma caixa d’água de 30.000 litros para enfrentar os períodos sem água, e diz que continua recorrendo aos caminhões pipa.
Cerca de 95% dos pacientes da clínica administrada por ele são do SUS, mas para o médico essa não é uma questão relevante: “Eu acho que mesmo as clínicas que só atendem pacientes particulares precisam de uma atenção especial. Não importa se é particular ou SUS. É uma casa de saúde, se o paciente não fizer a diálise pode morrer”.
Fonte: El País – 02/03/2015

Perseguição pela Linha Verde termina com carro capotado e suspeito baleado


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique


Uma intensa perseguição policial na manhã desta terça-feira (10) deixou um suspeito baleado no braço na Linha Verde, no bairro Pinheirinho, em Curitiba. Os bandidos em um carro roubado foram perseguidos pela Polícia Militar (PM) e capotaram o carro, fugindo em direção a um matagal.
carro
Um dos suspeitos que estava no carro foi baleado (Foto: Bruno Henrique – Banda B)
A informação é que os suspeitos roubaram uma padaria no bairro Xaxim e fugiram com o veículo do dono do comércio. O suspeito baleado foi socorrido ao Hospital do Trabalhador (HT). Ele foi encontrado ferido na Rua José Percival Sobrinho. Ainda não há informações de quando o roubo foi realizado e de onde estão os outros suspeitos.
Uma testemunha da troca de tiros, que trabalha em uma fábrica na região, contou que parecia uma Festa de São João. “Foram vários tiros aqui na frente. O negócio foi bem feio. Eu acho que pelo menos uns 30 tiros foram disparados”, descreveu à Banda B.

Churrasco com veículo oficial no Parque Barigui gera denúncia, mas as aparências enganam…


Por Luiz Henrique de Oliveira


Uma situação diferente que aconteceu em Curitiba foi trazida à tona pelo Facebook da Prefeitura na manhã desta terça-feira (3). Denúncias chegaram ao órgão oficial de que estariam usando um veículo oficial, uma Kombi da Fundação de Ação Social (FAS), para a realização de um churrasco no Parque Barigui, só que as aparências enganam. No Facebook, a Prefeitura confirmou que se tratava de um churrasco, porém…
“No último sábado (28), a Fundação de Ação Social (FAS) recebeu uma denúncia preocupante: um de seus veículos oficiais estaria sendo usado na organização de um churrasco no Parque Barigui. Apurados os fatos, afirmamos que: tratava-se de um churrasco, sim! O churrasco foi oferecido para os meninos da Casa do Piá II e quem se divertia na festa era a piazada acolhida na unidade, que tem de 14 a 18 anos”, diz a nota.
exatamente
Churrasco era para adolescentes carentes (Foto: Reprodução Prefeitura de Curitiba)
Em seguida, o perfil comenta como aquilo que se imagina não necessariamente é o que acontece de fato. “A FAS agradece o zelo de quem fez a denúncia imaginando que o fato se tratasse de alguma conduta imprópria. Mas tem vezes que as aparências enganam, não é mesmo?”, completa a nota.
Mais dúvidas
Apesar da justificativa, ainda houve questionamentos à Prefeitura. “Quem garante? Tem ofício assinado?”, perguntou um internauta. A Prefs, como é carinhosamente chamada pelos seguidores, respondeu da seguinte forma:
“Os carros tem seu itinerário registrado. Há vastas provas do que estamos afirmando e total segurança de que iniciativas como essa ajudam a criar um ambiente familiar para os meninos da unidade”, disse o perfil.
.

Prefeita Beti Pavin entrega hoje (03) na Câmara Municipal de Colombo selo dos 125 anos aos vereadores



Na sessão ordinária desta terça-feira, 03, a Prefeita Beti Pavin, o secretário da Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Antonio Ricardo Milgioransa e a diretora de Cultura, Rita Straioto irão entregar aos 21 vereadores, na Câmara Municipal, selos comemorativos ao aniversário de 125 anos da cidade.
As 16h, o selo confeccionado alusivo a data de Emancipação Política de Colombo e lançado no dia 05 de fevereiro, na abertura oficial da 52ª Festa da Uva, será apresentado nesta casa de leis. A iniciativa é uma realização da Prefeitura Municipal em parceria com os Correios.

Sobre o Selo
O Selo traz a imagem da bandeira do município, com fundo verde representando o brasão da cidade que constitui-se em um escudo clássico do tipo tripartido, a direita todo em branco, símbolo da paz, tendo ao centro uma cruz toda em vermelho, simbolizando o sacrifício do trabalho.
No campo a esquerda do escudo, dividido em duas partes iguais, encontra-se na parte superior, toda em verde, um arado representando a terra virgem desbravada pelo colono, pelo imigrante, que extraiu dela as riquezas. O campo inferior, toda em amarelo, tem ao centro um cacho de uva, que representa o fruto do trabalho do homem que tira do solo uma das principais riquezas do município.
Os selos circularão nas peças filatélicas dos colecionadores e em correspondências propagando para o mundo essa importante data. A primeira obliteração foi realizada pela Prefeita Beti Pavin e esta peça carimbada e assinada, o Olho de Boi, já faz parte do acervo Filatélico dos Correios do Paraná e servirá como fonte de pesquisas e registro deste acontecimento, bem como serão distribuídas para Entidades Sócio Educacionais de Colombo.


Em Colombo a Unidade Moinho Velho realiza mutirão de exames de prevenção


WEBMASTER 2 DE MARÇO DE 2015

Foram realizados exames de preventivo do câncer do colo do útero, Mamografia, testes de HIV e Sífilis, aferição da pressão arterial, glicemia

Mulheres aproveitaram para fazer exames diversos e foram orientadas a cuidar da saúde
Mulheres aproveitaram para fazer exames diversos e foram orientadas a cuidar da saúde
A Prefeitura Municipal de Colombo por meio da Secretaria da Saúde realiza constantemente diversas ações de conscientização e exames para incentivar a prevenção da saúde. E neste sábado, 28, a Unidade de Saúde Moinho Velho esteve aberta e promoveu uma série de serviços que evidenciam a saúde da mulher.
Em alusão ao Dia Internacional da Mulher que se aproxima e que será celebrado no próximo dia 08 de março, durante todo o dia as mulheres tiveram acesso a exames de preventivo do câncer do colo do útero (Papanicolau), Mamografia, testes rápidos de HIV e Sífilis, aferição da pressão arterial, glicemia, entre outros.
“Os nossos esforços em atuar na prevenção iniciam pelas mulheres, pois são elas que cuidam e zelam pela saúde da sua família. Geralmente são elas que levam os filhos ao médico e que marcam consulta para o esposo, então ela estando saudável e com os exames em dia, a família também vai estar bem”, ressaltou o secretário da Saúde, Fernando Aguilera.
Equipe da Unidade Moinho Velho promoveu mutirão de serviços durante um sábado dedicado à elas
Equipe da Unidade Moinho Velho promoveu mutirão de serviços durante um sábado dedicado à elas
Com o objetivo de estimular os cuidados com a saúde, a enfermeira da Unidade Moinho Velho, Suzana Rabelo, destacou o trabalho da equipe e a adesão das mulheres da região neste mutirão de serviços. “Ficamos satisfeitos com a presença de todas estas mulheres e da nossa equipe de profissonais que foram fundamentais para a realização destas atividades”, disse.
De acordo com Suzana, foram realizados até o final do dia, 44 exames de Papanicolau, também 44 de HIV e Sífilis. “Queremos chamar a atenção destas mulheres para que cada dia mais se cuidem e olhem para si, e como está chegando o dia da mulher, achamos nesta data uma boa ocasião para promover esta ação.”
Serviço:
Unidade de Saúde Moinho Velho
Endereço: Rua Capivari, 37
Telefone: 3663.6392
Leia também:
Obras da saúde:
http://portal.colombo.pr.gov.br/prefeita-visita-obras-da-saude-que-estao-sendo-realizadas-em-colombo/
Contra o HIV:
http://portal.colombo.pr.gov.br/saude-faz-campanha-de-conscientizacao-contra-o-hiv/
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Fotos: João Senechal/PMC

Pedidos para investigar políticos devem chegar nesta terça ao STF


Procurador-geral passou o fim de semana e a segunda revisando pedidos.
Nomes só serão conhecidos após decisão do ministro Teori Zavascki.

Renan Ramalho e Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília
Quase um ano após a revelação da existência de desvios de bilhões de reais da Petrobras, a Procuradoria Geral da República deve apresentar nesta terça (3) à Justiça pedidos para investigar políticos e autoridades que teriam se beneficiado do esquema de corrupção. Os pedidos, no entanto, devem chegar ao Supremo Tribunal Federal em segredo de Justiça, o que impede que os nomes dos supostos envolvidos sejam imediatamente conhecidos.

Durante todo o fim de semana e nesta segunda, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, responsável pela acusação, revisou as peças a serem apresentadas.
A partir de uma divisão de delações premiadas já realizada pela PGR, supõe-se que cheguem cerca de 40 pedidos de abertura de inquérito ao STF, a mais alta instância do Judiciário e a única que pode julgar deputados, senadores e ministros do governo federal.
Janot deve pedir o fim do segredo de Justiça para todos os casos, mas essa decisão depende do relator do processo no tribunal, ministro Teori Zavascki, o que deve ser feito em seguida. Mas dificilmente essa análise será concluída ainda nesta terça.
Para cada pedido de inquérito haverá um pedido de fim do segredo; Zavascki deve analisar cada caso separadamente para decidir. Se derrubado o segredo, os nomes devem ser conhecidos em bloco, de uma vez só.
Além de pedidos no STF, a PGR pode também apresentar petições no Superior Tribunal de Justiça (STJ), caso se confirmem indícios de crimes cometidos por governadores; neste caso, os pedidos serão analisados pelo ministro Luís Felipe Salomão.
Após receberem os documentos da PGR, os dois ministros decidirão se atendem o que foi requisitado por Janot. É praxe, porém, os magistrados aceitarem a abertura de inquérito ou ação penal mediante o pedido do Ministério Público Federal.

Fatos
Os pedidos serão divididos em fatos, cada um contendo indícios de que houve crime e suspeita de quem os praticou. Por isso, é possível que um mesmo pedido de inquérito envolva mais uma pessoa e que uma mesma pessoa apareça em mais de um caso.
A base desses pedidos serão depoimentos dados pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, e pelo doleiro Alberto Youssef, considerado o principal operador do esquema, que teria lavado R$ 10 bilhões em dinheiro desviado da estatal.
Também serão usados dados já apurados na Lava Jato, que já levou à abertura de mais de uma dezena de ações penais e investigações contra pessoas sem foro privilegiado, julgados na primeira instância da Justiça Federal no Paraná.
Em alguns pedidos, no entanto, é possível que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, entenda que não é possível verificar a existência de delitos com base nas afirmações ou mesmo não ser possível chegar aos culpados. Nestes casos, pedirá o arquivamento das investigações. Se considerar que já há provas, poderá apresentar uma denúncia, passando a uma fase mais adiantada do processo penal.

Do inquérito à ação penal
O pedido de abertura de inquérito no STF é o primeiro passo para se investigar um político.
Caberá também a Teori Zavascki abrir o inquérito e autorizar diligências para a descoberta de irregularidades, como a quebra de sigilos telefônico, bancário ou fiscal; novas buscas e apreensões de documentos; ou mesmo interceptações telefônicas. Várias dessas ações podem permanecer sob sigilo, para evitar que o investigado apague os rastros dos crimes.

Durante a fase investigatória, os advogados dos investigados ainda não podem fazer a defesa judicial ou contestar as diligências. Só depois de aberta a ação penal, eles poderão apontar irregularidades na produção de provas e anular acusações feitas com base nelas.
Encerradas as investigações, caberá à PGR apresentar as denúncias, que são as acusações formais contra os investigados, apontando os crimes, culpados e provas. Se aceita pela Justiça, a denúncia leva à abertura de uma ação penal, que é próprio processo judicial, em que serão ouvidas testemunhas e quando a defesa poderá apresentar outras provas que contestem a acusação, além de contestar as investigações.
Só ao final do processo, os ministros julgam e decidem pela inocência ou culpa do réu; no último caso, determinando as penas, multas e ressarcimento de danos aos cofres públicos.
No caso da Operação Lava Jato, a eventual abertura de ações penais caberá à Segunda Turma do STF, composta, além de Zavascki, pelos ministros Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Celso de Mello. Atualmente, há uma vaga aberta nesta turma, que deve ser preenchida por um novo ministro a ser indicado pela presidente Dilma Rousseff.
Quebras de sigilo
Nos pedidos de inquérito, o procurador já pode pedir quebras de sigilos bancário e fiscal e deverá propor oitivas de testemunhas. A avaliação da PGR é de que a quebra de sigilo telefônico pode não ser eficaz, já que os suspeitos devem ter adotado cautela após a deflagração das primeiras fases da Operação Lava Jato.
Se aberto o inquérito, é possível que parte dessas diligências sejam mantidas em sigilo - não apenas o pedido para realizá-las, como também as informações e provas coletadas. O objetivo, novamente, é evitar que o investigado se antecipe e elimine rastros de crimes cometidos.
Durante o recesso do Judiciário, em janeiro, Teori Zavascki decidiu dividir em 42 partes os depoimentos dados por Paulo Roberto e Youssef ao Ministério Público Federal. Esses procedimentos tramitam no Supremo como processos ocultos, que têm grau de sigilo maior que o dos processos comuns em segredo de Justiça.
Lista de políticos
Nos depoimentos ao Ministério Público, Paulo Roberto Costa disse que empresas que atuavam em contratos da Petrobras pagavam propina aos diretores da estatal e que parte desses valores foidirecionada  atender a PT, PMDB e PP, inclusive na campanha eleitoral de 2010.

Costa integrou a diretoria da Petrobras entre 2004 e 2012, nos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Ele foi preso em março pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, sob a acusação de integrar a quadrilha comandada pelo doleiro Alberto Youssef. Após fazer acordo de delação premiada com a Justiça, Costa foi autorizado a ficar em prisão domiciliar.
Nos pedidos de inquérito, o procurador solicitará quebras de sigilos bancário e fiscal e deverá propor oitivas de testemunhas. A avaliação da PGR é de que a quebra de sigilo telefônico pode não ser eficaz, já que os suspeitos devem ter adotado cautela após a deflagração das primeiras fases da Operação Lava Jato.
Segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”,  o ex-diretor revelou o nome de 28 políticos supostamente beneficiados pelo esquema de corrupção na Petrobras. A publicação afirma que entre os mencionados estão o ex-ministros Edison Lobão (Minas e Energia); Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil), Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Mário Negromonte (Cidades); o governador do Acre, Tião Viana (PT); os ex-governadores Sérgio Cabral (Rio) e Eduardo Campos (Pernambuco), além de deputados e senadores de PT, PMDB, PSDB e PP. Os políticos citados negaram participação.
Entenda a Lava Jato
A Operação Lava Jato começou investigando um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões. A investigação resultou na descoberta de um esquema de desvio de recursos da Petrobras, segundo a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

Na primeira fase da operação, deflagrada em março deste ano, foram presos, entre outras pessoas, o doleiro Alberto Youssef, apontado como chefe do esquema, e o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. A sétima fase da Lava Jato, deflagrada em novembro de 2014, teve como foco executivos e funcionários de nove grandes empreiteiras que mantêm contratos com a Petrobras em um valor total de R$ 59 bilhões.

Parte desses contratos está sob investigação da Receita Federal, do MPF e da Polícia Federal. Só na sétima etapa da operação, foram expedidos 85 mandados de prisão, de busca e apreensão e de condução coercitiva (quando o investigado é levado pela polícia para depor) em municípios do Paraná, de Minas Gerais, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Pernambuco e do Distrito Federal.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a Lava Jato cumpriu 64 mandados de prisão, 201 de busca e apreensão e 55 de condução coercitiva. Ao todo, 150 pessoas e 232 empresas estão sob investigação da Procuradoria.

Dinheiro desviado e recuperado
Informações divulgadas pelo MPF apontam que os crimes investigados pela Lava Jato desviaram ao menos R$ 2,1 bilhões da Petrobras, com base apenas nos crimes denunciados até agora.
Ao todo, a Procuradoria apresentou 19 acusações criminais contra 87 pessoas, por ilícitos como corrupção, crime contra o sistema financeiro, tráfico internacional de drogas, formação de organização criminosa e lavagem de dinheiro.

MPF informou já ter assegurado a recuperação de R$ 500 milhões desviados por investigados na operação. Segundo o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Douglas Fischer, para permitir o resgate da quantia, o MPF fechou acordos de cooperação internacional com 12 países, entre os quais Suíça, Estados Unidos e Holanda. Além disso, foram bloqueados R$ 200 milhões em bens de réus dos processos decorrentes da Lava Jato.
VALE ESTE - Arte Lava Jato 7ª fase (Foto: Infográfico elaborado em 15 de novembro de 2014)