Foto mostra Muhammad Said Ismail Musallam sendo morto por menino

EI afirma ter executado árabe-israelense acusado de espionagem


Da France Presse
Estado Islâmico divulga nesta terça-feira (10) vídeo em que afirma mostrar execução de árabe israelense acusado de espionagem (Foto: Reprodução/ Twitter/ Rita Katz)EI divulgou nesta terça (10) vídeo em que afirma mostrar execução de árabe israelense acusado de espionagem (Foto: Reprodução/ Twitter/ Rita Katz)
O grupo Estado Islâmico (EI) postou nesta terça-feira (10) um vídeo que afirma mostrar a execução por um menino de um árabe-israelense, acusado de espionar para o serviço secreto de Israel.
No vídeo de mais de 10 minutos, um homem vestido com um uniforme laranja se apresenta como Muhammad Said Ismail Musallam e mostrar seu passaporte israelense. Em seguida, ele é morto com um tiro na cabeça por um garoto.
Na sequência, um jihadista, falando em francês, faz referência aos recentes ataques contra judeus na França, ameaça atacar israelenses e conquistar Jerusalém.
O vídeo continua com uma lista de nomes acompanhados por fotos de homens apresentados como espiões de Israel.
Família
Em fevereiro, após a Dabiq (a revista em inglês do EI) publicar uma entrevista que dizia ser de um jovem de 19 anos enviado à Síria como espião de Israel, o pai de Muhammad Said Ismail Musallam negou que seu filho trabalhava para o Mossad – o serviço israelense de Inteligência.
"Meu filho é inocente. O ISIS (um dos nomes dados ao Estado Islâmico) o acusa porque ele tentou fugir", declarou à AFP, sem contestar o fato de o seu filho ter interrompido seu serviço civil israelense para partir e se juntar aos jihadistas na Síria.
Um porta-voz do Shin Beth, o serviço de segurança israelense, afirmou na ocasião que o jovem havia partido em 24 de outubro para a Turquia, e depois para a Síria, e que, segundo as informações israelenses, ele teria se juntado ao EI.
"Mas por sua própria iniciativa e sem o conhecimento de seus pais", segundo o porta-voz.
A mãe de Muhammad Musallam segura a foto de seu filho em Jerusalém, em foto de arquivo de 12 de fevereiro deste ano, antes da divulgação do vídeo que mostra o que seria a execução do jovem pelo Estado Islâmico (Foto: Ammas Awad/Reuters)A mãe de Muhammad Musallam segura a foto de seu filho em Jerusalém, em foto de arquivo de 12 de fevereiro deste ano (Foto: Ammas Awad/Reuters)

Toffoli pede transferência para turma que julgará Lava Jato


Ministro foi advogado do PT e ministro-chefe da Advocacia Geral da União no governo Lula

  • Fernando Diniz

O ministro Dias Toffoli manifestou interesse a integrar a 2ª turma da Corte, que julgará ações da Operação Lava Jato Foto: Ueslei Marcelino / Reuters
O ministro Dias Toffoli manifestou interesse a integrar a 2ª turma da Corte, que julgará ações da Operação Lava Jato
Foto: Ueslei Marcelino / Reuters
O ministro José Antonio Dias Toffoli encaminhou pedido nesta terça-feira (10) ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, no qual manifesta interesse a integrar a 2ª turma da Corte, que julgará ações da Operação Lava Jato. Como foi o ministro mais antigo da 1ª turma do STF a manifestar interesse, Lewandowski vai autorizar a mudança.

A 2ª turma do Supremo é presidida atualmente por Teori Zavascki e será a responsável por acolher ou não eventuais denúncias da Operação Lava Jato. Nesta terça, o ministro Gilmar Mendes reclamou da falta de um integrante no colegiado, já que a presidente Dilma Rousseff ainda não indicou um substituto para a vaga deixada por Joaquim Barbosa.
Pezão e Cunha se defendem de envolvimento na Lava Jato
Cada turma é composta por cinco integrantes. Além de Zavascki e Gilmar Mendes, a 2ª turma é integrada por Cármen Lúcia e o decano Celso de Mello. O ministro Marco Aurélio Mello, o mais antigo da 1ª turma do STF, chegou a ser consultado para ser transferido, mas recusou a proposta. Dessa forma, a nomeação de Toffoli é obrigatória.
Toffoli foi advogado do PT e ministro-chefe da Advocacia Geral da União no governo Lula. No julgamento do mensalão, foi um dos ministros que votou pela absolvição de José Dirceu, mas pediu a condenação de José Genoino. Atualmente o ministro é também presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Estelionatário que desviou R$ 70 mil de empresária pela internet é preso em Curitiba


Da Polícia Civil


Policiais civis da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) prenderam, na manhã da última segunda-feira (10), no bairro Sítio Cercado, Sandro Nunes de Oliveira, 37 anos, suspeito de integrar uma quadrilha que cometia crimes de estelionato pela internet. Oliveira já tinha um mandado de prisão em aberto, por participar de um golpe contra uma empresária na cidade de Maringá, norte do Estado.
Segundo investigações, a conta bancária da vítima foi violada quando cerca de R$ 70 mil da empresária, foi transferido para a conta de Flávia Rodrigues Telles, 23 anos. No momento da transferência, Flávia estava em um caixa eletrônico quando foi presa em flagrante.
Flávia denunciou Oliveira como uma das pessoas envolvidas no crime. O suspeito foi preso. Ele responderá pelos crimes de associação criminosa e estelionato. As investigações prosseguem.
.

Troca de tiros termina com adolescente apreendido e homem morto em Curitiba


Por Marina Sequinel e Juliano Cunha
(Fotos: Juliano Cunha – Banda B)

Uma troca de tiros após perseguição policial terminou com um adolescente de 17 anos apreendido e um homem morto no Pinheirinho, em Curitiba, na tarde desta terça-feira (10). O caso começou na Rua Rubem Berta, onde três suspeitos assaltaram uma loja de informática e fugiram em um veículo Fox roubado.
Após o crime, uma testemunha acionou a polícia, que iniciou as buscas pelo trio. Durante a perseguição, o Fox colidiu contra um caminhão na Rua Francisco de Camargo Pinto e os assaltantes fugiram a pé, pulando os muros das casas da região.
Em seguida, eles teriam atirado contra os policiais, que revidaram. Um homem morreu na hora e o adolescente foi apreendido. Um terceiro indivíduo fugiu do local. De acordo com a polícia, o veículo Fox havia sido roubado há dois dias em um assalto à residência conduzido pelos mesmos criminosos, quando uma família foi feita refém.
O corpo do suspeito morto foi recolhido ao Instituto Médico Legal e a polícia ainda faz buscas na região para tentar localizar o terceiro assaltante.
.

Felipe Francischini pede Vara especial para o crime organizado

Índice
Nesta terça-feira (10), o deputado estadual Felipe Francischini (SD), apresentou requerimento no Plenário da Alep, para que seja encaminhado ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJ/PR) expediente para que o órgão crie uma vara especializada em crimes praticados por organizações criminosas. “A intensão é agilizar o julgamento dos crimes praticados por organizações criminosas e contribuir com o combate à corrupção”, afirmou. Mas o objetivo é que a vara também investigue crimes praticados contra a ordem tributária e econômica, contra a administração pública e de lavagem de dinheiro. Francischini justificou sua iniciativa citando a lei 6.806, de 2007, que criou a 17ª Vara Criminal no estado de Alagoas. Além disso, há também precedente e contornos jurídicos discutidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para que os estados criem órgãos colegiados especializados no combate a organizações criminosas.

Extinção da Comissão Geral é uma vitória da sociedade paranaense, afirma Plauto Miró


unnamedpmg
Deputados aprovam o fim do recurso regimental que atropela o processo legislativo
“O recurso de votação em Comissão Geral foi definitivamente sepultado. Agora, todos os projetos terão o seu curso de tramitação normal e a devida discussão na Casa”, afirmou o 1º secretário da Assembleia Legislativa, deputado Plauto Miró (DEM), após a promulgação do projeto de resolução nº 1/15, e que extingue o artigo 107, do Regimento Interno, prevendo a transformação das votações em Comissão Geral. A promulgação aconteceu após aprovação da redação final da proposta, nesta terça-feira (10), durante a sessão Plenária. Plauto assinou o projeto, que teve ainda o apoio de mais de 30 parlamentares. Com a revogação do mecanismo de Comissão Geral, as proposições legislativas protocoladas na Mesa deverão passar obrigatoriamente pela discussão e apreciação das comissões técnicas da Assembleia, no seu curso normal.
A Comissão Geral era uma alternativa regimental para acelerar a aprovação dos projetos de lei, sem o devido tempo para o debate entre os deputados e a sociedade.
“Avançamos em mais um importante aspecto da transparência na Assembleia. Apoiamos irrestritamente a tramitação deste projeto e agora comemoramos a aprovação da extinção da Comissão Geral. Ganha a Assembleia Legislativa. Mas mais do que isto, ganha a sociedade paranaense”, disse o 1º secretário.
Revisão do Regimento – A Comissão Especial para analisar a reforme do Regimento Interno também foi instalada nesta terça-feira pela manhã. O deputado Pedro Lupion (DEM) será o presidente. A vice-presidência ficou com a deputada Maria Victória (PP) e a relatoria com o deputado Edson Praczyk (PRB). A CE terá até 180 dias para a conclusão dos trabalhos. As reuniões vão acontecer sempre às terças-feiras, às 10 horas, na Sala de Reuniões das Comissões. “Será um trabalho importante para modernizarmos o nosso Regimento. Embora tenhamos um prazo longo, nossa expectativa é de conclusão da revisão o quanto antes”, avaliou Lupion.

‘Greve é página virada’, diz Richa


images
Governador Beto Richa avalia greve de 29 dias que deixou um milhão de estudantes sem aula
Em quatro entrevistas para rádios e TV’s nos últimos dois dias, o governador Beto Richa (PDSB) diz que a greve dos professores estaduais “é uma página virada”, mas lamentou o que classificou de “interferência político-partidária” na paralisação que durou 29 dias e deixou um milhão de estudantes sem aulas.
“Houve, sim, a presença articulada de interesses do PT para embaralhar o jogo em função do difícil momento que esse partido atravessa, com denúncias, com petrolão, com mensalão, tudo vindo à tona, a lista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a manifestação contra o governo federal marcada para 15 de março”, disse Richa.
Segundo Richa, o governo sempre está aberto ao diálogo com os servidores e também está otimista com o retorno das aulas na próxima quinta-feira (12). “Fazemos um governo aberto ao diálogo. Sempre tratamos as reivindicações dos servidores com respeito e buscamos o entendimento”, afirmou. O calendário escolar, de 200 dias, será cumprido integralmente, garantiu Richa. Veja os principais trechos da entrevista.
Governador, o país vive uma turbulência e está assustado. A própria presidente foi fazer um discurso no Dia Internacional da Mulher e recebeu um panelaço. O que o senhor atribui este momento da política brasileira?
Beto Richa – É inquestionável o que acontece hoje no país: uma crise política, econômica e moral, que traz recessão e estagnação. Uma queda brutal das receitas dos estados e municípios e, hoje, todos os estados estão fazendo um reajuste fiscal. Nós possivelmente somos os primeiros a apresentar a necessidade de um conjunto de medidas para ajustar a nossa economia e, por essa razão, alguns quiseram dar a impressão de que problema é só no Paraná. Mas o problema é conjuntural, em função deste grave cenário que atravessa o nosso país. O enfrentamento da crise é para que possamos preservar a nossa economia e garantir, acima de tudo, a capacidade de investimentos do estado, para que a população seja preservada com os serviços públicos de maior qualidade e obras em todo o estado.
Há a sensação de que houve um aproveitamento político da greve dos professores?
Beto Richa – A greve é uma página virada, mas não tenho a menor dúvida que houve uma conotação política nesta greve. Os professores foram usados por um sindicato, que é comandado pelo PT. O motivo da greve foi marcado a pretexto de pagarmos o de terço de férias que estava atrasado, nunca o salário – o salário e 13° estavam em dia -, e também a rescisão de alguns professores temporários. Já está paga a rescisão e estamos pagando neste mês o terço de férias.
É importante dizer para estabelecer a verdade, fazer justiça. Nós concedemos em quatro anos, 60% de aumento salarial aos professores. E eu não me arrependo, porque tenho pelos professores um reconhecimento, uma grande consideração e a necessidade de valorizarmos os servidores públicos, em especial os professores. Porque educação é prioridade da nossa administração.
Então, o que aconteceu?
Beto Richa – O sindicato inflamou os servidores públicos, os professores contra o governo do Estado para me causar desgaste político, para me tirar este vínculo de amizade, respeito, relação de trabalho que existe entre o governo e os professores.
Como o senhor avalia a participação dos seus adversários, derrotados na última eleição, nessa greve?
Beto Richa – Foi uma afronta. Um deles, o ex-governador (Roberto) Requião entrou na Justiça contra o piso nacional dos professores, à época de pouco mais de R$ 900. Hoje nós pagamos acima do piso nacional. O Requião entrou na Justiça contra a hora-atividade. Eu concedi 75% de aumento na hora atividade. O ex-governador vetou a lei que reconhecia o curso da Vizivale. Trinta mil professores angustiados, aguardando há 10 anos o reconhecimento deste curso. Em seis meses, nós atendemos e conseguimos articular com o MEC (Ministério da Educação) o reconhecimento deste curso pra 30 mil professores. Esse o perfil dos políticos que se somaram à greve.
Então, o senhor encontrou uma educação sucateada…
Beto Richa – Sim, encontramos, mas mudamos essa situação em pouco tempo. Nós quadruplicamos o repasse dos prefeitos para cobrir gastos com transporte escolar, criamos a brigada escolar. Não tinha sequer um extintor de incêndio nas escolas, compramos 7.500 extintores para todas as escolas, merenda escolar melhorou muito. Antes era carne enlatada, alimentos em conserva. Hoje, são alimentos frescos.
Houve muita propagação de mentiras na greve?
Beto Richa – Muitas mentiras. Uma das mentiras que se espalhou na greve e que nós iríamos meter a mão – foi o termo que usaram – na previdência dos servidores. Teve ate deputado de oposição, que disse que os R$ 8 bilhões seriam para cobrir furos do governo. Mentira maldosa e irresponsável dos meus adversários, pois no corpo do projeto da lei, apresentado na Assembleia Legislativa, tinha um parágrafo único, exclusivo, que dizia, “os recursos do fundo do Paraná Previdência, são exclusivos para pagamento de beneficio de inativos, aposentados e pensionistas”. Eu nunca faria isso. Em 2012, aprovei uma lei garantindo o equilíbrio do fundo previdenciário e trouxe o aporte de R$ 2,1 bilhões para este fundo.
No início da greve dos professores teve a participação de outras categorias, o que tornou uma situação assustadora…
Beto Richa- Primeiro deixar claro, eu respeito as revindicações de todas as categorias do funcionalismo. Não tem problema isso, manifestações ordeiras, pacificas. O que não podemos permitir são arruaças, depredações de patrimônio público como houve naquelas manifestações de junho de 2013.
Os professores são ordeiros. O problema é que eles foram inflamados por ações político-partidárias, com outros interesses que não os legítimos avanços da categoria dos professores, que nunca deixamos de atender.
Houve, sim, a presença articulada do PT, para embaralhar a situação que eles passam, de crise, petrolão, mensalão, tudo vindo à tona. A ideia era esticar esta greve para chegar o mais perto do dia 15 de março, embaralhar para confundir o público. Tanto é que sindicatos, comandados pelo PT, marcaram uma manifestação para sexta-feira, dia 13. O mesmo sindicato que foi a rua há um ano e meio atrás para defender os mensaleiros de PT que estavam presos.
O senhor acredita que a discriminação do governo federal com o Paraná vai acabar.
Beto Richa – É lamentável este tipo de comportamento e eu dou meu exemplo para dizer que sou contra perseguições político-partidárias. Quando isso aconteceu no passado, no governo da truculência, da bravata, do desrespeito, não se atendia prefeitos que não fossem aliados políticos, não se mandava recursos aos municípios.
Comigo foi diferente, eu visitei todos os 399 municípios e em todos tem um investimento em obras do governo do Estado. Tive o apoio de prefeitos do PT pela boa relação que o meu governo, pela relação de respeito, o volume de obras nas suas cidades.
Não posso, lamentavelmente, dizer o mesmo da relação do governo federal com o Paraná. Não foi minha culpa. Eu sou do diálogo e tenho entendimento que se passou a eleição é um momento do embate de ideias, discussão de propostas. Nós devemos descer do palanque e cada qual cumprir com suas obrigações. Nós não fomos eleitos para um ficar brigando com o outro. Nós fomos eleitos pra trabalhar e defender os interesses da população, não apenas dos que nos elegeram, mas de todos os cidadãos do nosso Estado. É assim que eu ajo.
Eu recebi um forte bloqueio de recursos. O Paraná é o quinto maior contribuinte da União e o último ou antepenúltimo a receber repasses federais. Isso nós não podemos aceitar. Mas espero que agora isso mude com o novo ocupante da Casa Civil. Antes tinha lá uma paranaense, que era minha adversária na disputa do governo e que foi responsável pelo bloqueio de recursos ao estado do Paraná.
Agora acho que as relações devem melhorar. Os petistas mudaram aquela postura de arrogância em função de todas estas denúncias e da cobrança por passar o Brasil a limpo.

Ministério Público denuncia Nelson Justus e mais 31 funcionários da Assembleia


nelsonjustus
O deputado Nelson Justus e 31 funcionários do gabinete do ex-presidente da Assembleia Legislativa foram denunciados pelo Ministério Público, em 350 páginas que descreve crimes de formação de quadrilha, peculato, desvio de dinheiro e nomeação indevida de comissionados no gabinete da presidência, além de funcionários fantasmas. As informações são do G1 Paraná, divulgadas no jornal da RPC, 2ª Edição, que obteve a informação com exclusividade no Ministério Público.
Nelson Justus, recém eleito presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia, não quis dar entrevista à imprensa.

Vereadores querem saber quem são comissionados da prefeitura de Curitiba


bernardi
Pedido partiu de Jorge Bernardi, que sugere que funções sejam extintas. Executivo enviou como resposta uma lista que não estava no Portal da Transparência.
Da Gazeta do Povo
A Câmara de Curitiba aprovou, nesta segunda-feira (9), requerimento do vereador Jorge Bernardi (PDT) solicitando à prefeitura informações sobre cargos em comissão. O vereador pediu a listagem de todos os funcionários lotados nas funções de gestor público e agente municipal. Bernardi também sugeriu oficialmente à prefeitura que essas duas funções fossem extintas do organograma – o que, nos cálculos dele, representaria uma economia anual de mais de R$ 30 milhões.
A prefeitura informou que, ao todo, conta com 271 funcionários lotados nessas duas funções – de um total de 307 vagas. Isso representa 48% de todos os funcionários comissionados da administração direta do município – ao todo, 556. No total, o município tem 35 mil funcionários ativos. A lista dos servidores nessas funções, que não constava no Portal da Transparência da prefeitura, também foi encaminhada a Bernardi e aos veículos de imprensa.
Na semana passada, Bernardi sugeriu em plenário que a prefeitura cortasse todos esses cargos para economizar. Para o vereador, essas vagas são um “trem da alegria” que estariam sendo usadas pelo prefeito Gustavo Fruet (PDT) para aparelhar a gestão pública com correligionários. Bernardi e Fruet são do mesmo partido, mas estão rompidos desde a eleição da Mesa Executiva da Câmara.
Histórico
Esses cargos foram criados em 2000, pelo então prefeito Cássio Taniguchi. Cada um deles é dividido em três níveis hierárquicos – cujos salários variam entre R$ 1,7 mil e R$ 8,5 mil. Somados, os vencimentos brutos dos 271 servidores atualmente lotados nestas funções são de R$ 1,3 milhão por mês.
Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, parte dos ocupantes desses cargos exercem funções técnicas e administrativas e suprem necessidades de pessoal em secretarias nas quais há um déficit de servidores – em decorrência de aposentadorias, falecimentos e motivos diversos. Outra parte atua nas administrações regionais, fazendo verificação de demandas formuladas pelo 156.
Pelo menos cinco ex-vereadores estão na lista de ocupantes desses cargos: Jorge Yamawaki (PSDB), Zezinho do Sabará (PSB), José Roberto Sandoval (PTB), Geraldo Bobato (PDT) e José Gorski (PSB).
Transparência
O episódio mostrou um problema de transparência no site da prefeitura. Na listagem de funcionários no Portal da Transparência, todos os comissionados constam como “cargo em comissão”, sem distinção por função exercida – incluindo até mesmo secretários. Logo, antes de a prefeitura repassar essa lista, era impossível checar quantos e quais funcionários estavam lotados nos cargos em questão.
A prefeitura admitiu a deficiência nesse quesito, mas comunicou também que “o Portal da Transparência está em permanente processo de melhoria desde 2013, o que lhe valeu o reconhecimento de duas instituições nacionais”.

Sem ajuda do SUS, mulher com lesão no olho precisa entrar na Justiça para não ficar cega


Por Marina Sequinel e Antônio Nascimento
simone-costa
Simone sofre de uma infecção bacteriana, que se espalhou pelo corpo e atingiu os seus olhos. (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Uma moradora do bairro Orleans, em Curitiba, pede ajuda para não perder completamente a visão: ela precisa de uma injeção para combater a infecção bacteriana que enfrenta desde outubro do ano passado. O valor do tratamento é R$ 1 mil – R$ 500 para a aplicação em cada olho – e ela não tem condições de arcar com os custos.
“Eu não consigo mais trabalhar, já que só enxergo vultos e, por isso, o que nós temos em casa vem apenas do serviço do meu marido. Originalmente, a injeção custa, no total, R$ 3 mil, mas encontramos uma clínica que faz por R$ 1 mil. Mesmo assim, ainda é difícil pagar”, explicou Simone Costa, de 43 anos, em entrevista à Banda B nesta terça-feira (10).
Como o tratamento não está na lista de remédios fornecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ela teve que entrar na Justiça para conseguir que o governo custeie a injeção. Simone já foi a uma audiência, mas a resposta da avaliação do caso só deve ser passada para ela daqui a 15-40 dias.
“Infelizmente, eu não tenho todo esse tempo, eu preciso dessa injeção para ontem. Se eu não conseguir o tratamento, vou perder completamente a visão”, completou ela. A infecção a atingiu depois que ela sofreu um corte em um dedo do pé esquerdo, enquanto estava internada em um hospital de Curitiba.
A patologia, então, se espalhou e Simone teve que amputar o pé. Posteriormente, os olhos foram afetados e a visão prejudicada. “Eu estou pedindo ajuda porque não sei mais a quem recorrer. Se alguém encontrar uma clínica que possa custear a injeção, ou queira colaborar com os gastos, eu vou agradecer muito”, concluiu ela. O telefone para contato em caso de ajuda é (41) 3372-7290.
.

Senado aprova fim de coligações em eleição para deputados e vereadores


Da Redação com Agência Senado
Foto: Agência Senado
Foto: Agência Senado

Por 61 a 7, com 2 abstenções, o Plenário do Senado aprovou na tarde desta terça-feira (10), em primeiro turno, o texto-base da proposta de emenda à Constituição que proíbe coligações partidárias nas eleições para deputados federais e estaduais e vereadores. Falta ainda o exame de emendas.
A PEC, do ex-presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), precisa passar por mais três sessões de discussão antes de ser votada em segundo turno.
Pelo texto, as coligações valerão somente para eleições majoritárias (presidente, governador, senador e prefeito), sendo vedada a associação de partidos para as disputas de deputados federais e estaduais e vereadores.
A justificativa, segundo os defensores da PEC, é que, nas eleições proporcionais, em que o número de votos do partido conta mais que o do candidato, as coligações muitas vezes são feitas apenas por conveniência. O objetivo, geralmente é aumentar o tempo de propaganda no rádio e na TV e para permitir que partidos menores atinjam o quociente eleitoral, número de votos necessários para eleger um parlamentar.

Espelho cai de teto e deixa casal ferido durante encontro em motel na RMC


Por Luiz Henrique de Oliveira

Um homem de 33 anos e uma mulher de 32 ficaram feridos durante um encontro em um motel na Rodovia do Xisto, em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, por volta das 21h desta segunda-feira (9). O espelho do teto que fica sobre a cama do quarto caiu em cima do casal, que foi encaminhado ao Hospital Municipal de Araucária, sem risco de morte.
Segundo o apurado pela Banda B, o casal devia estar fazendo sexo quando aconteceu a queda do espelho. A cama em que os dois estavam ficou repleta de sangue. Não se sabe ainda o que motivou o acidente. “Já tinha visto várias ocorrências policiais em motel, mas que nem essa, nunca”, disse uma testemunha que não quis se identificar.
De acordo com a Guarda Municipal (GM), ninguém da direção do motel falou sobre o caso. “Nossa equipe foi em apoio ao Siate do Corpo de Bombeiros. Acredito que agora o caso vai até a Polícia Civil. Foram ferimentos relativos, principalmente na mulher que levou um corte nas costas. Estavam sem roupas no momento do acidente”, descreveu o supervisor Celso dos Santos Junior, da GM de Araucária.

Prefeitura de Colombo Informa: Exposição “Futuro Integral” acontece no Sesc


WEBMASTER 10 DE MARÇO DE 2015
Entre os dias 11 e 12, acontecerá a exposição “Futuro Integral”, um projeto do Sesc e Fecomércio PR em parceria com a Prefeitura de Colombo. O evento terá jogos de letramento e raciocínio lógico; oficina de decoração em caixa MDF e oficina de confecção de bonecas Abayomi.
As inscrições poderão ser feitas através do telefone. O horário é das 10h ás 16h, no Sesc Colombo: Rua Dorval Ceccon, 664.
O que é
Desenvolvido desde 2009, o Futuro Integral é um projeto do Sesc PR que oferece ações em turnos contrários aos da educação regular para alunos de escolas públicas da educação básica. As atividades, desenvolvidas com recursos próprios, englobam as áreas de Letramento e Raciocínio Lógico.
Serviço:
Exposição Futuro Integral – Sesc Colombo
Rua Dorval Ceccon, 664 – CEP: 83405-030 | Colombo – PR
Telefone: (41) 3220-8012
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Profissionais do CRAS de Colomvo recebem capacitação para orientar a população


WEBMASTER 10 DE MARÇO DE 2015

Parceria é fruto entre a Secretaria de Assistência Social e a Caixa Econômica Federal

Coordenadores e gestores dos Centros de Referência de Assistência Social participam de capacitação para melhor atender o cidadão
Coordenadores e gestores dos Centros de Referência de Assistência Social participam de capacitação para melhor atender o cidadão
Mais de 40 coordenadores e gestores dos Centros de Referência de Assistência Social – CRAS, participaram na última quinta-feira (05), de uma capacitação e sensibilização sobre o Cadastro Único, que abrange os programas sociais do Governo Federal, em que o principal foco do encontro foi o Bolsa Família.
Segundo dados da Secretaria de Assistência Social, em Colombo estão cadastradas 25 mil famílias no Cadastro Único que abrange diversos programas e benefícios sociais, entre eles o Bolsa Família que contempla atualmente sete mil famílias do município.
O objetivo do encontro foi agregar todas as informações do município de Colombo com os programas sociais do Governo Federal. O Cadastro Único é um conjunto de informações sobre as famílias em situação de pobreza e extrema pobreza.
Durante a reunião, discutiu-se a quantidade de famílias de baixa renda no município de Colombo; o cadastramento, o diagnóstico da cidade e as formas de informar e atender o cidadão. Para a próxima reunião, que deverá acontecer em abril, entrará em debate a quantidade de pessoas com o cadastro irregular e as medidas cabíveis contra essa situação.
Estavam presentes a Secretária de Assistência Social, Maria da Silva Souza, acompanhada dos profissionais da secretaria e o representante da Caixa Econômica Federal, Celso Fernando Marruco e equipe.
Programas e benefícios que utilizam o Cadastro Único:
​​Programa Bolsa Família
Programa Minha Casa, Minha Vida
Bolsa Verde – Programa de Apoio à Conservação Ambiental
Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI​
Fomento – Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais
Carteira do Idoso;
Aposentadoria para pessoa de baixa renda;
Programa Brasil Carinhoso;
Programa de Cisternas;
Telefone Popular;
Carta Social;
Pro Jovem Adolescente;
Tarifa Social de Energia Elétrica;
Passe Livre para pessoas com deficiência;
Isenção de Taxas em Concursos Públicos.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Luciane Alves Lopes/PMC