Padre é agredido por quatro ladrões durante assalto em Maringá


Religiosos foi amarrado e colocado dentro do porta-malas do veículo.
Bandidos levaram dinheiro, cartões de crédito e até o sapato do padre.

Do G1 PR, com informações da RPC de Maringá
Um padre de Paranacity, no noroeste do Paraná, foi agredido por ladrões quando saia de um shopping em Maringá. Jeferson Batista da Cruz tem 33 anos e é pároco da Igreja Nossa senhora de Lurdes. Segundo a polícia, ele estava parado com o carro em um semáforo quando foi abordado por quatro pessoas encapuzadas na noite de sexta-feira (17).

Jeferson foi encontrado por uma família e conseguiu chamar a polícia. Ele ficou bastante abalado e foi levado para o hospital, onde ficou em observação até receber alta médica, por volta das 2h.
O religioso foi amarrado, espancado e colocado no porta-malas do carro. Os ladrões abandonaram o veículo horas depois em uma propriedade rural, na região sul da cidade. Os bandidos levaram dinheiro, cartões de crédito e até os sapatos do pároco.
A polícia ainda não identificou os suspeitos. "As equipes, desde o conhecimento do fato, já conversaram com o padre e segundo ele, os autores seriam quatro jovens que estavam encapuzados. Então, no primeiro momento, nós não temos as características deles. As equipes estão trabalhando para identificar e estamos atrás de informações", disse o delegado, Leandro Munin. 
O arcebispo de Maringá, Dom Anuar Batisti, divulgou nota oficinal lamentando o caso.

Carga de celulares e tablets furtada em Cumbica é recuperada pela polícia


Os mais de 7 mil itens avaliados em R$ 5,5 milhões estavam em galpão.
Polícia encontrou imóvel que servia de esconderijo no ABC após denúncia.

Do G1 São Paulo
Uma carga com mais de 7,2 mil itens, entre celulares e tablets, que tinha sido furtada de um terminal de cargas do aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, foi recuperada na noite de sexta-feira (17) pela polícia. A carga, avaliada em mais de R$ 5,5 milhões, havia sido levada pela manhã.
Cinco pessoas foram presas no galpão onde a carga estava, na Vila Vivaldi, em São Bernardo do Campo. A polícia chegou até lá após receber uma denúncia anônima. Dois dos criminosos usavam uniformes parecidos com o dos supervidores do terminal, o que teria enganado os vigias no aeroporto.
Segundo o delegado Adriano Neto, os cinco serão investigados, assim como o dono do imóvel onde a carga foi encontrada. Será feito também um confronto com as imagens do aeroporto para tentar esclarecer a participação de cada um.

Um outro vigia que trabalha dentro do terminal contou à polícia que viu o caminhão estacionar. Um dos homens usava uma roupa azul, parecida com o uniforme dos funcionários do terminal. Por isso, ele pensou que fosse o supervisor, que faz a liberação das cargas. Os ladrões mandaram o funcionário da empilhadeira colocar a carga no caminhão. E saíram.
O carregamento chegou de Manaus e seguiu direto para um terminal da TAM Cargo. Antes das 5h, um caminhão-baú vermelho encostou na guarita. Os dois vigias anotaram a placa do veículo e os documentos dos dois homens que estavam nele e liberaram o acesso do caminhão ao terminal de cargas.
O vigia disse à polícia que só percebeu que havia algo errado quando ligou para o supervisor de cargas, meia hora depois. O funcionário descobriu que não era ele o homem que tinha mandado carregar o caminhão no terminal.
A polícia ainda vai ouvir os funcionários da TAM Cargo e solicitou à companhia e ao fabricante os números de identificação dos aparelhos celulares e tablets para que eles sejam bloqueados.
Em nota, a TAM Cargo confirmou o furto de carga em uma das unidades da empresa e disse que está colaborando com a polícia nas investigações.
Caminhão foi usado no furto de celulares e tablets (Foto: Reprodução/TV Globo)Caminhão foi usado no furto de celulares e tablets (Foto: Reprodução/TV Globo)

Aposta de MG acerta Mega-Sena e leva prêmio de R$ 32 milhões


135 apostas acertaram a quina e levaram R$ 27.832,74 cada.
Confira as dezenas sorteadas: 01 - 12 - 17 - 31 - 37 - 46.

Do G1, em São Paulo
 
MEGA-SENA
CONCURSO 1696
1 12 17
31 37 46
Uma aposta da cidade de Diamantina (MG) acertou as seis dezenas da Mega-Sena sorteadas na noite deste sábado (18) e levou sozinha o prêmio de R$ 32.909.935,88. A Caixa Econômica Federal sorteou os números do concurso 1696 em Marília (SP).
Veja as dezenas: 01 - 12 - 17 - 31 - 37 - 46.
A quina teve 135 apostas ganhadoras e o prêmio para cada uma delas é de R$ 27.832,74. A quadra teve 9.824 apostas ganhadoras, cada uma delas com direito a R$ 546,39.
Para apostar
A Caixa Econômica Federal faz os sorteios da Mega-Sena duas vezes por semana, às quartas-feiras e aos sábados. As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 2,50.

Inauguração de loja da Apple em São Paulo leva multidão a shopping


Segundo loja da empresa no Brasil foi aberta neste sábado (18).
Dona do iPhone espera que seja uma das mais movimentadas do mundo.

Do G1, em São Paulo
Movimentação na inauguração da mega loja da Apple Store no shopping Morumbi, na zona sul da cidade de São Paulo, SP, na manhã deste sábado (18) (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo)Movimentação na inauguração da mega loja da Apple Store no shopping Morumbi, na zona sul da cidade de São Paulo, SP, na manhã deste sábado (18) (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo)
A segunda loja da Apple no Brasil, primeira localizada em São Paulo, abriu às 10h deste sábado (18) para o público, atraindo uma multidão ao Shopping Morumbi, na Zona Sul de São Paulo.
A empresa dona do iPhone realizou a inauguração com a mais das expectativas: espera que o local seja um dos movimentados do mundo.
Menor que a primeira da empresa do Brasil, aberta no Rio há um ano, o ponto de venda paulista tem mais pontos para exibição de produtos: 169.
A equipe também é maior. Tem 80 funcionários, entre músicos, artistas, fotógrafos e, é claro, vendedores. Segundo a Apple, o processo de seleção foi tão rígido que chegou a entrevistas mais de mil pessoas. “O nosso processo seletivo foi tão rico que, para cada funcionário contratado, entrevistamos 15 pessoas”, diz o executivo. A título de comparação, a concorrência é igual à relação de candidatos por vaga no vestibular de 2014 para o curso de Relações Públicas na USP.

Atendimento
Para passar por treinamento, alguns deles foram enviados à Califórnia e outros, os Genius, especializados em dar dicas sobre os produtos da Apple, foram para Londres. No espaço, a Apple oferece também workshops, aulas e excussões para familiarizar os clientes com os eletrônicos e serviços da Apple e levar as pessoas, principalmente crianças, para dentro da loja.
Para Enrique Atienza, diretor sênior de marketing da Apple, é o atendimento que faz a loja superar a de rivais, e o corpo de funcionários e a game de atividades no espaço são o coração dessa estratégia. Comparada a rivais, a empresa possui presença tímida no Brasil. A Samsung, por exemplo, tem 184 lojas próprias no país.
A inauguração da nova loja não significa que os preços cairão. Neste mês, os preços de iPads no Brasil aumentaram em até 36,4%, um reajuste que, em janeiro, fizera os iPhones ficarem até13,6% mais caros – se já eram os mais caros do mundo, os smartphones da ficaram ainda mais salgados. À época, a Apple não explicou a elevação. Quando questionado sobre como os tributos contribuem para isso, Atienza preferiu não polemizar. “O preço é composto por muitas variáveis, como os tributos”, disse, acrescentando que “isso não é algo com que somente a Apple tem que lidar, é algo com que todas as empresa têm que lidar”.
Diferentemente de outras ao redor do mundo, a loja também não finaliza as compras na tela do celular. Segundo a Apple, a legislação brasileira exige que todas as vendas passem por máquinas de pagamento. Outras ausências são o Apple Watch e o novo MacBook. Tanto o relógio inteligente quanto o computador não têm data para chegar ao país.
Apple abre no Shopping Morumbi, na Zona Sul de São Paulo, sua nova loja, a segunda da empresa no Brasil. (Foto: Helton Simões Gomes/G1)Apple abre no Shopping Morumbi, na Zona Sul de São Paulo, sua nova loja, a segunda da empresa no Brasil (Foto: Helton Simões Gomes/G1)

De biquíni, ex-BBB Aline exibe resultado das novas próteses


'Hoje fui à praia conhecer melhor o slackline, um esporte que exige equilíbrio e concentração', disse ela, que está no Rio.

Luciana Tecidiodo EGO, no Rio
Aline Gotschalg (Foto: Instagram / Reprodução)Aline Gotschalg (Foto: Instagram / Reprodução)
Louca para trabalhar como apresentadora, Aline Gotschalg deu uma palinha para seus seguidores do Instagram de como poderá ficar em frente às câmeras, neste sábado, 18. Napraiada Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, vestindo um sutiã cortininha e um short, a ex-BBB contou que começou a aprender a se equilibrar na corda. Mas o que chamou mesmo a atenção não foi bem a sua performance como repórter e, sim, o resultado das novas próteses dos seios recém-operados. A cirurgia que trocou as antigas de 285ml para 400ml aconteceu no dia 25 de março.

Em conversa com o
 EGO, Aline explicou que fez o vídeo para interagir com seus fãs das redes sociais. Esse foi o primeiro de muitos que ela pretende fazer. "Realmente quero ser apresentadora e é isso que gosto de fazer: praticar esportes. Farei mais daqui para a frente. Conheci esse instrutor hoje, lá na praia, e experimentei o slackline. Mas é muito difícil! Não deu para filmar minha performance porque só consegui ficar alguns segundos sobre ela. Só conseguimos fazer fotos", explicou Aline.
"Hoje fui à praia conhecer melhor o slackline, um esporte que exige equilíbrio e concentração. Foi difícil no começo, mas com a prática a gente vai aperfeiçoando. Eu adorei!", contou. Veja aqui a versão de Aline como futura apresentadora de um canal de esportes.
Aline posou para o Paparazzo antes da cirurgia plástica. Relembre seu ensaio.
Aline Gotschalg  (Foto: Instagram / Reprodução)Aline Gotschalg disse que ficou poucos segundos nesta posição: 'Muito difícil!' (Foto: Instagram / Reprodução)
Aline, ex-BBB (Foto: Reprodução/Instagram)Aline, ex-BBB (Foto: Reprodução/Instagram)

HSBC PODE DEIXAR O BRASIL, DIZ FINANCIAL TIMES


DESINVESTIMENTO NO PAÍS, CONFORME O JORNAL, FAZ PARTE DO PLANO DO BANCO DE SAIR DE MERCADOS EMERGENTES EM UM ESFORÇO PARA SER "SIMPLES E MENOR"

37
HSBC (Foto: Internet / Reprodução)
Envolvido em uma série de escândalos e diante de fracos resultados financeiros em vários países, o banco britânico HSBCconsidera vender a operação de varejo e uma parte do seu banco de investimento no Brasil como parte do seu novo plano estratégico, segundo a edição online do jornal Financial Times. O desinvestimento no Brasil, conforme a publicação, faz parte do plano do banco de sair de mercados emergentes em um esforço para ser "simples e menor".
Essa estratégia está acelerada e inclui não só venda de ativos no Brasil, mas também na Turquia, conforme publicou o FT, citando fontes que pediram anonimato. A saída de mercado emergentes vai, de acordo com a publicação, de encontro com o direcionamento anterior, que durante anos foi seguido pelo HSBC, de ser um banco global com atuação local.
Considerado o maior banco europeu em valor de mercado e com presença em mais de 80 países, a instituição tem adotado uma postura mais defensiva após o envolvimento em uma série de escândalos e ter apresentado o lucro anual mais baixo dos últimos cinco anos. A filial do HSBC na Suíça é personagem central de um escândalo tributário que está sendo investigado em vários países. A subsidiária teria colaborado com algumas dezenas de milhares de clientes para evitar o pagamento de impostos. No Brasil, o HSBC também está sendo investigado por suposta relação entre contas da filial suíça com o escândalo de corrupção na Petrobras.
A Agência Estado entrou em contato com a área de comunicação do HSBC em Londres, mas nenhum porta-voz estava disponível para comentar o tema. Em fevereiro, o HSBC anunciou que a filial brasileira registrou prejuízo de US$ 247 milhões em 2014. Esse foi o pior resultado entre todas as filiais latino-americanas. A direção do banco explicou que o prejuízo foi gerado pelo ambiente econômico desfavorável e a continuidade dos ajustes gerados pelo reposicionamento do banco no país.

Sem a provisão, o conjunto das unidades da América Latina do HSBC teria tido lucro ao invés do prejuízo reportado. Na região, as filiais mais importantes são do Brasil, Argentina e México. O HSBC detalha anualmente o resultado financeiro de 21 filiais. Entre todas as subsidiárias, Brasil e Turquia têm reportado prejuízos consecutivos no segmento de varejo. Na filial brasileira, as perdas acontecem desde 2013. Na Turquia, a o resultado não é positivo desde 2012. Junto, o varejo das duas unidades gerou perdas de US$ 549 milhões nos últimos anos à sede. Entre as demais filiais, não há persistência de prejuízos como nos dois países emergentes.Em meio ao fraco resultado no Brasil, a instituição financeira fez uma grande provisão de US$ 640 milhões durante o 4º trimestre na América Latina, sem detalhar em qual país. Vale lembrar, porém, que várias instituições financeiras fizeram provisão ante o risco de eventual problema em empréstimos corporativos, especialmente ligados ao setor de petróleo e gás e construção.
No ano passado, a unidade de varejo da França também teve perda de US$ 181 milhões. O resultado negativo, porém, parece um ponto fora da curva, já que a unidade francesa apresenta normalmente o segundo melhor resultado da Europa - atrás apenas da sede no Reino Unido. No início do mês, a imprensa mexicana também publicou que o banco inglês estuda vender os ativos no país e no Brasil. Segundo o jornal El Financiero os bancos Scotiabank e Ve por Más estariam negociando a compra. Procurado, o HSBC disse que não comentaria especulações de mercado.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Os negócios de Palocci, contratos feitos de boca


unnamed
Ricardo Noblat
Em três de dezembro de 2010, dia em que foi anunciado como o chefe da Casa Civil da recém-eleita presidente da República Dilma Rousseff, Antonio Palocci, ex-prefeito de Ribeirão Preto (SP), ex-ministro da Fazenda do primeiro governo Lula, recebeu R$ 1 milhão do escritório de Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça nos dois mandatos de Lula. O dinheiro foi depositado na conta da Projeto, sua empresa de consultoria.
Duas semanas depois, recebeu mais R$ 1 milhão. Aos R$ 2 milhões somaram-se R$ 3,5 milhões recebidos por Palocci durante a campanha e a pré-campanha de Dilma. No total foram 11 pagamentos. Com um detalhe que nada tem de insignificante: todos os pagamentos foram feitos sem contratos que os justificassem. Contratos feitos de boca. É o que conta reportagem de capa da revista ÉPOCA, que chegará às bancas neste sábado.
Qual a origem do dinheiro repassado a Palocci pelo escritório de Thomaz Bastos, que morreu no ano passado? O grupo Pão de Açúcar, dizem os advogados de Palocci e os que trabalhavam com Thomaz Bastos. Médico sanitarista, ocupado na época com as tarefas de campanha de Dilma, Palocci teria assessorado o grupo do empresário Abílio Diniz a se fundir com as Casas Bahia. Mas ele fez exatamente o quê? Durante quanto tempo?
A consultoria Estáter, contratada de forma exclusiva pelo Pão de Açúcar para tocar a fusão, informou ao Ministério Público Federal (MPF) que Palocci não prestou qualquer serviço. Em ofício ao MPF, o Pão de Açúcar disse que “em função da relação de confiança desenvolvida” é comum que os “serviços de assessoria jurídica sejam contratados de modo mais informal”. Procurado por ÉPOCA, o Pão de Açúcar informou que não vai se pronunciar.
Em 2010, segundo a revista, Palocci recebeu, ao menos, R$ 12 milhões em pagamentos considerados suspeitos pelo MPF. Além dos pagamentos do escritório de Thomaz Bastos, supostamente em nome do Pão de Açúcar, os procuradores avaliaram como suspeitos os pagamentos do frigorífico JBS e da concessionária Caoa. Eles somam R$ 6,5 milhões. São suspeitos porque Palocci também não conseguiu comprovar que prestou serviços às duas empresas.
Palocci disse ter recebido dinheiro do grupo JBS para ajudar a buscar negócios no mercado de frango, nos Estados Unidos. O grupo nega que tenha pagado qualquer soma a ele. O JBS, em 2010, foi o campeão em doações para a campanha de Dilma – R$ 13 milhões. No ano passado, doou R$ 70 milhões. Palocci disse que foi pago pela Caoa para lhe arranjar um sócio na China. A Canoa também nega. Todo esse dinheiro recebido pelo ex-ministro foi parar aonde?
Não é fora de propósito, como desconfia o MPF, que todo ou parte do dinheiro tenha sido injetado na campanha de Dilma via Caixa 2.

Grupo Schahin, que teria ligações com Paulo Bernardo, pede recuperação judicial


unnamed
Do Ucho Haddad
A Operação Lava-Jato fez mais uma “vítima”. Trata-se do Grupo Schahin, que protocolou pedido de recuperação judicial nesta sexta-feira (17). Trata-se da sexta companhia envolvida na Lava-Jato que recorre à Justiça para não ir à bancarrota. Já pleitearam a proteção judicial as empresas Inepar, Alumini, Jaraguá, Galvão Engenharia e OAS.
O Grupo Schahin teria ligações especiais com pelo menos um político do Paraná. Em 12 de abril do ano passado, o então deputado André Vargas (ex-PT), que à época teve escancarada sua ligação com o doleiro Alberto Youssef, fez acusações contra os petistas Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo da Silva (então ministro das Comunicações) em entrevista à revista Veja: “Vargas insinuou que [Paulo] Bernardo é beneficiário do propinoduto que opera na Petrobras. O ministro, segundo o deputado, seria o intermediário de contratos entre o grupo Schahin, recorrente em escândalos petistas, e a petroleira”.
“Bernardo teria recebido uma corretagem por isso, recolhida e repassada pelo “Beto”. É assim, com intimidade de sócio e amigo, que Vargas trata o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal sob a acusação de chefiar um esquema de lavagem de dinheiro que teria chegado a 10 bilhões de reais. Parte desse valor, como se revelou nas últimas semanas, são as propinas de negociatas na Petrobras”. O Grupo Schahin – que é associado à empreiteira Andrade Gutierrez, grande financiadora das campanhas de Gleisi Hoffmann.

PT convoca militância para ‘tempos de guerra’


unnamed
Claudio Humberto
Resolução da facção Articulação de Esquerda revela os planos do PT para o próximo Congresso Nacional do partido. Dividido em cinco tarefas, o documento batizado de “Um partido para tempos de guerra” define como “golpe” a crise de corrupção que engoliu o partido e ainda defende a “reocupação das ruas”. Segundo o documento petista, o objetivo máximo é “derrotar a direita, mesmo sem a ajuda do governo”.
Segundo a Articulação, os protestos de 15 de março foram uma forma de “criminalizar o PT, os movimentos de esquerda, os sem-terra”, etc. Para a facção, o PT deve lutar pela “mídia democrática” e “engajar e orientar seus quadros e militantes” a brigar pela imprensa monitorada. O documento admite que o PT foi incapaz de “retirar do grande capital” o controle da economia e da política. E convoca militantes para a briga. Mencionado sete vezes no documento do PT, Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara, é acusado de liderar a “ofensiva da direita”.

Com pés e mãos amarrados, homem é morto com sete tiros no Hauer


Por Denise Mello e Danaê Bubalo
morto hauer3
Homem foi morto com 7 tiros – Foto: Danaê Bubalo/Banda B

Um homem aparentando cerca de 30 anos foi assassinado a tiros na tarde deste sábado (18) no bairro Hauer, em Curitiba. Ele foi encontrado por moradores por volta das 16 horas, com os pés e mãos amarrados e sinais de que teria sido jogado de um carro em movimento. A perícia da Polícia Civil foi chamada, mas não há pista dos assassinos até o momento.
O corpo foi encontrado na Rua Raggi Izar quase esquina com Rua Vitorio Malucelli. Vizinhos disseram que ouviram sete tiros e, quando saíram, viram o homem caído na rua já morto. Ele trajava uma bermuda colorida e um moletom preto.
De acordo com as primeiras apurações da polícia, a vítima deve ter sido jogada de um carro em movimento, com os membros amarrados, e morta a tiros na sequência. Ninguém soube dar informações sobre a cor ou o modelo do carro usado pelo (s) assassino (s).
O corpo foi encaminhado para o IML e a investigação segue com a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Irmão é principal suspeito de matar mulher a machadadas; na saída, ainda deu R$ 10 paras crianças do bairro


Por Denise Mello e Danaê Bubalo

morte tamandare
Mulher foi encontrada morta dentro de casa – Foto: Danaê Bubalo/Banda B
Um crime bárbaro chocou os moradores do Parque São Jorge, em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba. Uma mulher de 61 anos foi morta a machadadas dentro da própria casa e o corpo só foi encontrado três dias depois. O irmão, um ex-presidiário de 50 anos, é o principal suspeito do crime.
A polícia descobriu a morte de Divair do Rocio Bruneti após investigar o abandono de um carro Fiat Uno vermelho, abandonado no final da Rua São João desde a última quarta-feira (15). Ao verificar o nome do dono do veículo, a polícia chegou até a vítima. No documento constava que ela era morava a apenas duas quadras do local em que o veículo estava abandonado.
Os policiais foram então até a casa neste sábado, por volta das 13 horas, e encontraram tudo fechado. Um sobrinho de Divair, que mora ao lado, disse que não via a tia há vários dias e autorizou a entrada da polícia. A dona da casa estava morta caída no chão do quarto. Segundo os peritos, ela foi assassinada com golpes de machado e a morte aconteceu há cerca de três dias.
“Conversamos com vizinhos e descobrimos que o irmão dela, um ex-presidiário que ficou na cadeia por 15 anos, foi até a casa da vítima há uns três dias. Ele ofereceu R$ 10,00 para crianças do bairro cuidarem do veículo e foi embora”, contou o sargento Nenetz, do 22º Batalhão da PM.
A polícia suspeita que o irmão tenha discutido com Divair, pego o carro e parado em seguida por causa da trava anti-furto. Ele pode ter então voltado até a casa e a matado. Na sequência, pediu para meninos da rua cuidarem do carro e saiu a pé com uma mochila nas costas.
A polícia busca pelo suspeito e um pedido de prisão deve ser decretado pela Justiça nas próximas horas.
morte sjp
Casa em que foi encontrado corpo de homem em São José dos Pinhais
Outro crime
Também na região metropolitana, outro assassinato foi descoberto neste sábado. Um homem foi encontrado morto em uma casa abandonada na Rua do Amanhã, no Jardim Alvorada, em São José dos Pinhais.
Moradores disseram que ouviram tiros por volta das 22 horas de ontem e hoje de manhã encontraram o corpo na casa. O homem, não identificado, aparentava ter 30 anos e não era conhecido no bairro. A polícia investiga o assassinato.