Carta de demissão sarcástisca vira hit na internet


Cheio de sarcasmo, funcionário expõe toda a frustação com o trabalho em carta de demissão
Cheio de sarcasmo, funcionário expõe toda a frustação com o trabalho em carta de demissão Foto: Reprodução / Imgur / gahdzuks
Extra
Tamanho do texto A A A
Um usuário do Reddit cansou das cobranças de seu chefe por infortúnios que aconteceram recentemente em sua vida. Decidido a abandonar a vaga na escola em que trabalha, o usuário, identificado apenas como gahdzuks, resolveu escrever uma carta para sua chefe e publicou a foto da mensagem na rede. Emociolnamente abalado após a morte da madrasta e com problemas de saúde, o usuário disse que, nos últimos três anos, faltou menos de cinco vezes e nenhuma das ausências foi consecutiva.
Cheio de sarcasmo, funcionário expõe toda a frustação com o trabalho em carta de demissão
Cheio de sarcasmo, funcionário expõe toda a frustação com o trabalho em carta de demissão Foto: Reprodução / Imgur / gahdzuks
“Eu fiquei um dia fora por causa da minha madrasta, saí uma hora e meia antes um outro dia por causa de seu funeral, e fiquei doente na segunda e não pude ir ao trabalho. Considerando meus registros, isso não é muito tempo. Eu dificilmente falto ao trabalho (faltei menos de cinco dias nos últimso três anos, e nenhum deles consecutivos). Agora, nós estamos atolados. Por que não tenho ninguém além da minha chefe (que normalmente sai todos os dias 11:30 e não volta) para me cobrir.” explicou o usuário em um comentário no Reddit.
Segundo usuário, as vezes em que falou com a chefe quando precisou faltar recebia respostas na defensiva e sem nenhuma empatia por sua situação.
O nome da empresa, do usuário ou da chefe não foram revelados, mas o jornal britânico Daily Mail acredita que se tratar de um cidadão americano, por causa das expressões usadas na mensagem.
Leia a tradução da carta:
“Desculpe se minha madrasta morreu tão de repente de câncer. Desculpe se eu não sou um robô e fiquei desestabilizado emocionalmente por sua morte e tive que faltar o trabalho. Desculpe se eu fiquei doente e tive que faltar o trabalho para que ninguém mais ficasse doente. Desculpe por trabalhar 47,5 horas por semana (sem receber o extra que eu legalmente deveria) nos últimos 7 meses, e por ter escolhido ir às necessárias consultas médicas durante meu horário de faculdade.
Claramente, sou um empregado terrível, e por isso eu peço desculpas. Eu sei como você odeia quando a pessoas dizem como deve fazer o seu trabalho, mas eu sugiro a você a começar a procurar um substituto para minha vaga. Imediatamente”.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/carta-de-demissao-sarcastisca-vira-hit-na-internet-15998355.html#ixzz3Yew332eU

Homem é preso acusado de atear fogo na esposa, que está internada no CTI


Erlon da Silva Araujo, de 40 anos, foi preso acusado de tentar matar a esposa
Erlon da Silva Araujo, de 40 anos, foi preso acusado de tentar matar a esposa Foto: Fabiano Rocha / Extra
Lígia Modena

Acusado de tentar queimar a mulher e quase matá-la enquanto ela cozinhava, o vigilante Erlon da Silva Araújo, de 40 anos, foi preso na tarde desta terça-feira por policiais da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam/Caxias). Ele estava na casa do pai na comunidade da Fazendinha, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio.
O caso aconteceu na madrugada de sábado, na casa da vítima, Adriana Moreno do Nascimento, de 36 anos, na Vila Sarapuí, em Duque de Caxias.
— Adriana afirmou em depoimento que estava fritando umas batatas para o marido, mas ele teria se irritado com a demora e jogou álcool nela — disse a delegada Débora Rodrigues: — Como Adriana estava perto do fogão, o fogo acabou pegando todo em seu corpo.
Com queimaduras de segundo e terceiro graus, a auxiliar de serviços gerais está internada no CTI de um hospital particular. Os parentes registraram o caso na 59ª DP (Duque de Caxias), que encaminhou a investigação para a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher. Além disso, para ajudar a polícia a localizar o vigilante, os familiares de Adriana compartilharam imagens de Erlon nas redes sociais.
— Graças a depoimentos e amigos, que denunciaram, conseguimos prendê-lo — ressaltou a delegada.
De acordo com Débora, Erlon ainda tentou se esconder dos policiais na cozinha da casa do pai quando percebeu a chegada dos agentes.
Ele vai responder pelo crime de tentativa de feminicídio e pode pegar até dez anos de prisão.
Casados há 12 anos, Adriana e Erlon têm duas filhas — uma de 11 e outra de 4 —, mas não viviam no mesmo local. Segundo ele, a discussão aconteceu justamente porque ele queria levar Adriana e as meninas para sua casa:
— O acidente aconteceu porque a cozinha da minha mulher é muito pequena. Estava pedindo para a gente ir para a minha casa, que é maior — defendeu-se o vigilante: — Eu tinha acabado de passar álcool na minha filha, que é alérgica a mosquitos, e deixei perto do fogão. Em algum momento esbarrei e caiu em cima dela. Foi um acidente, eu não faria aquilo.
A delegada, porém, não acredita nesta versão:
— Adriana mesma contou que ele sempre bateu nela, sempre foi violento. Mas ela nunca teve coragem de denunciá-lo pelas agressões.


Irmãs são presas por chantagear homem sob ameaça de divulgar vídeo íntimo


Maria Helena, de blusa azul, e Maria Elisa foram detidas nesta terça-feira
Maria Helena, de blusa azul, e Maria Elisa foram detidas nesta terça-feira Foto: Divulgação / Polícia Civil
Beatriz Medeiros

Duas irmãs foram presas no Recife por chantagearem um homem sob ameaça de divulgarem um vídeo íntimo, gravado quando os três mantiveram relações sexuais. Maria Elisa, de 21 anos, e Maria Helena Marques dos Santos, de 22 anos, foram presas na última quarta-feira, no local onde esperavam a vítima para a entrega de uma das parcelas combinadas. Ao todo, elas exigiram o valor de R$ 28 mil.
Segundo a delegada responsável pelo caso, Silvana Carla, da delegacia de Espinheiro, as irmãs estavam chantageando a vítima desde janeiro e ameaçavam divulgar o vídeo íntimo no Tribunal de Justiça, onde ele trabalha.
- Segundo a vítima, ele se envolveu primeiro com uma das irmãs, que era ascensorista no prédio onde ele trabalhava, depois conheceu a outra e começou a se relacionar com as duas. Elas começaram a chantagem em janeiro e ele só denunciou na última semana porque não suportava mais aquele tipo de prática e não tinha mais dinheiro para manter o acordo - explicou a delegada.
Com as duas, a polícia encontrou celulares e grande quantia em dinheiro
Com as duas, a polícia encontrou celulares e grande quantia em dinheiro Foto: Divulgação / Polícia Civil
Maria Elisa e Maria Helena começaram pedindo valores baixos, entre R$ 50 e R$ 150, mas foram aumentando com o passar do tempo. O último pedido feito era de R$ 9.500, mas a vítima havia conseguido apenas R$ 2.500, após fazer um empréstimo bancário. Com medo de ter o vídeo divulgado por não dar o valor exigido, ele chamou a polícia.
- Qualquer pessoa que estiver sofrendo esse tipo de crime precisa entender que é importante procurar a polícia a partir do primeiro momento, pois é um caminho sem fim. Elas foram pedindo dinheiro aos poucos e agora a vítima não tinha mais como custear e se desesperou. Qualquer um pode vir à delegacia para denunciar que sua identidade será preservada - afirmou.
Em depoimento, as irmãs disseram que usariam o dinheiro para construir a laje da casa da mãe e usavam o cartão da poupança de uma terceira pessoa, para evitar que os depósitos fossem identificados. Essa pessoa ainda será ouvida.


Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/irmas-sao-presas-por-chantagear-homem-sob-ameaca-de-divulgar-video-intimo-16001640.html#ixzz3YeuNS1Ng

Karl Max é preso após deixar a faculdade para vender drogas na Zona Sul do Rio: ‘Apesar do nome, sou capitalista’


Karl Max e parte do farto material apreendido
Karl Max e parte do farto material apreendido Foto: Divulgação
Paolla Serra

Um jovem de 23 anos, morador no Flamengo, na Zona Sul do Rio, foi preso no início da tarde desta terça-feira por agentes da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), após 30 dias de investigações. De acordo com a polícia, Karl Max Azevedo Wiborg é ex-estudante de pedagogia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas trancou o curso para dedicar-se à importação e venda de anabolizantes, termogênicos, comprimidos para impotência sexual e drogas como o LSD.

Karl Max esconde o resto enquanto é acompanhado pelos agentes em apartamento no Flamengo
Karl Max esconde o resto enquanto é acompanhado pelos agentes em apartamento no Flamengo Foto: Thiago Freitas
O rapaz foi localizado em um apartamento no Rocha, Zona Norte do Rio, que utilizava para guardar os entorpecentes e outras substâncias proibidas. Vestindo camisa da Nike, Karl Max justificou-se aos agentes: “Apesar do nome, sou capitalista” — na verdade, a grafia do nome do filosófo alemão considerado o pai do comunismo é Karl Marx. Com o jovem, havia cerca de R$ 60 mil só em suplementos.
Em seguida, os policiais seguiram com o suspeito para a Rua Senador Vergueiro, no Flamengo, onde mais material ilegal foi apreendido em sua casa, além de comprovantes de depósitos de altos valores. Filho de arquitetos, o traficante faz parte de uma família de classe média e repassava as drogas por academias da Zona Sul da cidade.
Karl Max Azevedo Wiborg, de 23 anos
Karl Max Azevedo Wiborg, de 23 anos Foto: Divulgação
Ainda segundo a Polícia Civil, a mãe do rapaz ficou em choque com a prisão. Ela contou aos agentes que o filho dizia atuar como microempresário no setor de suplementos alimentares. Karl Max será autuado por tráfico de drogas e crimes contra a saúde pública, cujas penas podem chegar a até 15 anos de reclusão.
— Que os pais fiquem atentos à prosperidade financeira sem explicação dos jovens. Normalmente, é sinônimo de atividades ilícitas cujas consequências são gravíssimas. Lamento que um jovem com todas as oportunidades jogue sua vida fora traficando drogas — disse o delegado Antenor Lopes, titular da Dcod.
Parte do material apreendido na casa do rapaz
Parte do material apreendido na casa do rapaz Foto: Thiago Freitas


'Laranja' diz que recebia dinheiro de empreiteiras para repassar a Youssef


Waldomiro de Oliveira depôs à Justiça Federal nesta terça-feira (28).
Ele já foi condenado em uma ação a 11 anos e seis meses.

Fernando CastroDo G1 PR
Waldomiro de Oliveira prestou depoimento nesta terça à Justiça Federal (Foto: Reprodução)Waldomiro de Oliveira prestou depoimento nesta
terça à Justiça Federal (Foto: Reprodução)
A Justiça Federal do Paraná ouviu nesta terça-feira (28) Waldomiro de Oliveira, apontado pelas investigações da Operação Lava Jato como laranja do doleiro Alberto Youssef em empresas de fachada. Ao juiz Sergio Moro, ele disse que fornecia as empresas para receber recursos de empreiteiras, e depois repassar ao doleiro. Ele garantiu que não sabia de ilicitudes nas transações.
Recentemente, Waldomiro de Oliveira foicondenado a 11 anos e seis meses pelos crimes de lavagem de dinheiro, e por pertencer a organização criminosa. “A participação do Waldomiro é de menor importância nos fatos, e ele teve uma das penas mais altas, baseado única e exclusivamente na delação premiada do Youssef”, questionou à época o advogado Jeffrey Chiquini, que vai recorrer da sentença.
No depoimento desta terça, Waldomiro deu detalhes da participação dele no esquema. Conforme o relato, ele forneceu as empresas MO Consultoria, Empreiteira Rigidez e RCI Software para que Youssef pudesse receber dinheiro de empreiteiras. “As empreiteiras deviam dinheiro para ele, e ele precisava de documentos, contratos e notas fiscais, para receber. Ele precisava de alguém para dar respaldo”, disse.
Segundo Waldomiro, as empresas comandadas por ele não executaram nenhum dos serviços apontados nos contratos e notas fiscais, serviam apenas de ponte para que Youssef pudesse receber os valores. O percentual recebido por Waldomiro variava entre 1% e 5%, ainda conforme o depoimento.
Waldomiro foi questionado pelo Juízo sobre as relações com empreiteiras e executivos. Em resposta, afirmou que conheceu alguns deles quando foi até as sedes das empresas para buscar os contratos que deveria assinar. Ele confirmou que assinou contratos das empresas que gerenciava com a OAS, Galvão Engenharia, Engevix, e Coesa, mas negou ter conhecimento sobre os conteúdos dos contratos, restringindo-se apenas a assinar os papeis e repassar o dinheiro para Youssef.
Estes repasses, ainda conforme Waldomiro, eram feitos através de transferências bancárias, ou ainda entregas em espécie. Nestas tarefas, as atividades eram divididas com outra pessoa, identificada como Antônio Almeida Silva, o “Toninho”. De acordo com o depoimento, Toninho era quem fazia as operações tributárias e as transferências eletrônicas, uma vez que Waldomiro não sabia utilizar computadores.
Perguntado por Moro se tinha conhecimento da origem ilícita dos recursos, Waldomiro disse que não, e que o doleiro se recusava a responder quais os serviços que havia prestado para as empreiteiras para receber os valores. “Se eu sonhasse que estava sendo feito algo ilícito, jamais teria feito. Com essa idade, não ia fazer uma coisa dessas”, disse.

Bebê deixa hospital após morte de mãe adolescente grávida no Rio


Família diz que jovem morreu após médicos forçarem parto normal.
Parentes levaram recém-nascido na tarde desta terça.

Cristina BoeckelDo G1 Rio
Parentes de Rafaela Cristina Souza dos Santos, de 15 anos, que morreu na noite de sábado (25) no Hospital de Acari, para onde foi transferida após dar à luz no Hospital da Mulher Mariska Ribeiro, em Bangu, Zona Oeste do Rio, buscaram o bebê Miguel no hospital na tarde desta terça-feira (28). Emocionada, a mãe de Rafaela, Ana Carla Silva de Souza, de 41 anos, disse acreditar que a morte da filha aconteceu devido a um erro da equipe que a atendeu.
Segundo a família, a equipe teria forçado um parto natural sem verificar a pressão arterial da menina, que teve uma convulsão por eclâmpsia. Só então foi levada para o centro cirúrgico para uma cesariana, quando teve o útero perfurado. Com hemorragia, foi transferida para o Hospital de Acari, onde morreu.
Ana Carla buscou o bebê na tarde desta terça (Foto: Cristina Boeckel/G1)Ana Carla buscou o bebê na tarde desta terça (Foto: Cristina Boeckel/G1)
O pai do bebê, Deoglas Cláudio da Silva, de 20 anos, auxiliar de serviços gerais, disse que o  que aconteceu com Rafaela foi uma brutalidade.
Ela se foi, mas deixou um presente para mim, que é o nosso bebê, Miguel, que é a cara dela"
Deoglas Cláudio da Silva,
pai do bebê
"Ela se foi, mas deixou um presente para mim, que é o nosso bebê, Miguel, que é a cara dela.Estávamos juntos há 3 anos. Eu estava construindo uma casa, que era o sonho dela. Ia ficar pronta daqui a três meses. Assim como ela queria, eu vou terminar a obra e cuidar dele", disse.
Nesse primeiro momento, a criança vai ficar com a avó Ana Carla.
"Depois nós vamos nos dividir para cuidar do bebê. O Miguel é de todos nós. Quero pensar só no meu filho, já que perdi meu grande amor", acrescentou Deoglas.
A mãe de Rafaela afirmou que a filha se cuidou durante a gravidez:
Deoglas Claudio da Silva deixa hospital com o bebê (Foto: Cristina Boeckel/G1)Deoglas Claudio da Silva deixa hospital com o bebê (Foto: Cristina Boeckel/G1)
"Ela fez o pré-natal direitinho. Não faltou nenhuma vez. Foi na Clínica da Família David Capistrano Filho, na Avenida Cesario de Melo. Eu fico triste porque tínhamos a expectativa de a minha filha sair daqui andando com o bebê. Por um erro deles eu estou saindo só com a criança", lamentou Ana Carla.
De acordo com a mãe de Rafaela, a enfermagem não verificou a pressão da adolescente.

Ana Carla, mãe da adolescente, com a foto da filha grávida nas mãos. (Foto: Cristina Boeckel/ G1)"Das 3h às 14h de sábado, não verificaram a pressão dela. 
Uma enfermeira olhava para a cara da outra, sabendo que algo estava errado. Mas não faziam nada. Eu pretendo processar. Sei que isso não vai trazer a minha filha de volta. Mas acho que e necessário para que não aconteça com outras gestantes. É uma questão de justiça.As enfermeiras fazem tudo. Não tem médico aqui. Por mais que elas estudem, elas não são como os médicos, que estudam dez anos", ressaltou.
Ana Carla, mãe da adolescente, com a foto da filha
grávida nas mãos. (Foto: Cristina Boeckel/ G1)
Revolta
Parentes de Rafaela estão inconformados com a morte da menina e acusam o hospital de negligência.
"Não levei a minha filha viva, para trazer ela de volta dentro de um caixão", disse a mãe Ana Carla.
De acordo com a família, os médicos teriam forçado demais o parto.
“Colocaram ela no soro, a pressão aumentou e ela teve uma convulsão de eclampse. Só depois disso é que levaram ela para o centro cirúrgico”, afirmou a irmã Daiane Caroline da Silva.
Rafaela entrou em trabalho de parto por volta das 3h de ssábado e até as 14h a equipe médica tentou induzir o trabalho de parto.
Ela fez o pré-natal direitinho. Não faltou nenhuma vez."
Ana Carla Silva de Souza,
mãe de Rafaela
"Meu neto nasceu com 3 quilos e 335 gramas e medindo 53 centímetros. Minha filha tinha 15, mas tinha porte de 13 anos. Como fizeram uma coisa dessa?", pergunou Ana Carla. Ainda de acordo com ela, durante o processo de trabalho de parto não havia médico na equipe, apenas enfermeiros.
Segundo a mãe, durante a cesariana a menina chegou a ter o útero perfurado, provocando uma hemorragia. A jovem foi transferida de ambulância para o Hospital de Acari, mas acabou não resistindo e morreu.
"Tiveram que arrancar o útero dela fora. Aí entubaram ela e levaram para o Hospital de Acari. Quando cheguei lá ouvi do próprio médico do CTI: 'Mãe, o que fizeram com a sua filha?'", lamentou Ana Carla.
De acordo com a direção do Hospital da Mulher Mariska Ribeiro a paciente era assistida por profissionais da unidade quando apresentou complicações durante o trabalho de parto. Em nota a secretaria Municipal de Saúde alegou que deu todo o suporte necessário.
“A paciente recebeu todo o suporte necessário, sendo transferida imediatamente após o parto para uma unidade de terapia intensiva, onde apresentou rápida piora no quadro e faleceu. O bebê permanece internado na unidade e passa bem. A Secretaria Municipal de Saúde lamenta o ocorrido e informa que toda morte materna é investigada por comissões técnicas especializadas na unidade e na secretaria. A direção do Hospital da Mulher Mariska Ribeiro permanece à disposição da família da paciente para mais esclarecimentos”.
 De acordo com o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, uma sindicância será aberta para apurar as circunstâncias da morte de Rafaela.
“Temos que apurar detalhar, ouvir especialistas e todas as equipes envolvidas no atendimento para saber o que aconteceu”.
Ainda de acordo com Soranz, em 2008 só 43% dos casos de morte materna eras investigados e hoje, 100% das mortes são investigadas. “Por enquanto a secretaria não identificou nenhuma imperícia, mas a investigação está muito no começo”, destacou o secretário, ressaltando que o Hospital Mariska Ribeiro é a maior unidade de maternidade da região e possui profissionais qualificados.
Fachada do hospital onde Rafaela Cristina foi atendida. (Foto: Cristina Boeckel/ G1)Fachada do hospital onde Rafaela Cristina foi atendida. (Foto: Cristina Boeckel/ G1)

‘O que foi pactuado com APP-Sindicato sobre a previdência, o governo cumpriu’, diz Sciarra


Eduardo Sciarra, secretário da Casa Civil do Governo do Paraná.Foto: ANPr
O chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra, disse nesta terça-feira (28) que o projeto proposto pelo governo é a melhor opção para reestruturação da previdência estadual. “A medida é totalmente adequada e não trará nenhum prejuízo aos servidores públicos”, garantiu. Sciarra defendeu os ajustes e disse que o projeto foi amplamente discutido com as entidades sindicais.
“Existe equilibrou nos Fundos e temos no projeto nota técnica dos atuariais que asseguram a solvência de mais 29 anos do sistema, que aliás é o melhor do Brasil”, disse ele. O secretário ressaltou que houve diálogo com os servidores na elaboração da proposta mais adequada. “Cumprimos todo o cronograma que estava acordado com os sindicatos dos servidores”.
“Nós já tiramos o projeto em fevereiro para debatermos exaustivamente com todas as classes do funcionalismo”, afirmou. Além dos servidores, a proposta foi discutida com especialistas na área. É o caso de Renato Follador, idealizador da ParanaPrevidência. “Ele falou claramente que a proposta do governo estadual é viável e que trará maior segurança aos servidores”, afirmou Sciarra.
O secretário criticou a direção do APP-Sindicato. “Temos situação de greve dos professores sem reivindicação. Temos um cenário político onde a discussão está descaracterizada”, afirmou o secretário. “Discutimos o projeto com a entidade, só que, pelo que parece, a direção não repassou as propostas para seus filiados”.
Sciarra disse que nesta terça-feira pela manhã o governo convocou uma reunião com a entidade para debater a data base da categoria. “A reunião foi abandonada pelos representantes dos servidores. Eles não querem diálogo”, afirmou. O secretário defendeu ainda o amplo direito de manifestação dos servidores, desde que de forma pacífica.
O secretário explicou ainda o cerco policial feito no entorno da Assembleia. “A Justiça pediu reforço policial para garantir o trabalho dos deputados. Estamos cumprindo a prerrogativa do Estado de garantir a ordem. O Estado defende a manifestação desde que não haja depredação do patrimônio público”, afirmou.
PROJETO – O projeto da Previdência propõe a migração do Fundo Financeiro, que é custeado pelo Tesouro do Estado, para o Fundo Previdenciário, de 33.556 beneficiários, entre aposentados e pensionistas, que tiverem 73 anos ou mais até 30 de junho de 2015. Com isso, os recursos usados para pagar esses aposentados e pensionistas serão direcionados para áreas de atendimento à população. Hoje, o desembolso é de R$ 125 milhões mensais, só para aposentados e pensionistas do Poder Executivo.
A expectativa é economizar R$ 1,5 bilhão anualmente. O novo projeto não altera em nada o pagamento dos proventos para aposentados e pensionistas. Mesmo com a alteração, o Governo do Estado continuará arcando, mensalmente, com R$ 380 milhões para os benefícios de aposentados e pensionistas civis e militares. “O projeto prevê ainda o aporte de R$ 1 bilhão a partir de 2021, com o reinício de repasse ao Estado dos royalties da usina de Itaipu”, disse Sciarra.

Pizzolato voltará para o Brasil no dia 11 de maio


pizzolato-1
de Josias de Souza:
O governo italiano informou à embaixada do Brasil em Roma que o mensaleiro Henrique Pizzolato estará pronto para ser extraditado no dia 11 de maio. A partir dessa data, as autoridades brasileiras teriam 20 dias para buscá-lo. Decidiu-se recolher o preso no mesmo dia 11, informa o repórter Jailton de Carvalho. Condenado a 12 anos e 7 meses de cana em regime inicialmente fechado, o petista Pizzolato fugira para a Itália em 2013. De volta, será recolhido à penitenciária brasiliense da Papuda, a mesma que hospedou a bancada petista do mensalão.

Prefeitura Informa: Senac Colombo tem inscrições para atividades gratuitas na Feira de Profissões


WEBMASTER 28 DE ABRIL DE 2015

Entre as atividades haverá palestras, aulas-show, oficinas e atendimentos ao público com serviços de corte de cabelo, escova, maquiagem e manicure

Na semana do Trabalho, o Senac Colombo abre as portas para a edição 2015 da Feira de Profissões. No dia 29 de abril, entre as 8h30 e 12h e das 13h30 às 18h. A unidade de Colombo oferece uma programação especial para quem quer conhecer os cursos profissionalizantes do Senac e ficar informado sobre o mercado de trabalho.
Entre as atividades, todas gratuitas, haverá palestras, aulas-show, oficinas e atendimentos ao público com serviços de corte de cabelo, escova, maquiagem e manicure. Duas oficinas a distância – Como criar um blog e Culinária light e diet, também estarão disponíveis no ambiente virtual do Senac, por meio da Unidade de Educação a Distância (EAD). As inscrições para as oficinas a distância devem ser feitas no site www.pr.senac.br/profissoes.
Cursos
Com aproximadamente 800 títulos no portfólio, a instituição oferece opções de cursos presenciais e a distância nas áreas de Artes, Beleza, Comércio, Comunicação, Conservação e Zeladoria, Design, Educacional, Gestão, Hospitalidade, Idiomas, Informática, Lazer, Meio Ambiente, Moda, Produção de Alimentos, Produção de Bebidas, Saúde, Segurança, Social, Telecomunicações e Turismo, abrangendo capacitações e aperfeiçoamentos, cursos técnicos e programa de aprendizagem.
De acordo com o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier, o Senac promove a segunda Feira de Profissões na semana do trabalhador porque acredita que o trabalho é o que nos move em direção ao futuro. Monastier acredita que, em tempos de crise econômica, a formação profissional é o grande diferencial para se conquistar um espaço no concorrido mercado de trabalho. “Não há progresso sem trabalho e não há boas oportunidades de trabalho sem qualificação profissional”, defende.
Informações pelo site www.pr.senac.br/profissoes, pelo 0800 643 6346 ou na página do Facebook “Senac Profissões”.
Serviço:
Feira de Profissões Senac
Data: quarta-feira, 29 de abril de 2015, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h
Local: Senac Colombo (Rua Dorval Ceccon, 664, Nossa Senhora de Fátima – Colombo/PR)
Informações: www.pr.senac.br/profissoes, 0800 643 6346 ou na página do Facebook “Senac Profissões”
Atividades gratuitas

Caminhada Internacional da Natureza reuniu cerca de 500 participantes em Colombo


WEBMASTER 28 DE ABRIL DE 2015

O evento arrecadou 190 quilos de alimentos que foram entregues para a Provopar

A caminhada reuniu cerca de 500 participantes, que se prepararam para o passeio com alongamentos
A caminhada reuniu cerca de 500 participantes, que se prepararam para o passeio com alongamentos
Nesse domingo, (26) aconteceu no bairro Campestre, mais uma edição da 11ª Caminhada Internacional na Natureza. Na oportunidade os participantes percorreram mais de 11,1 quilômetros em meio a trilhas e estrada rural cercada pela vegetação, lavouras e muitas Araucárias, árvore que é símbolo do nosso Estado.
“Colombo é conhecida pelo seu ambiente rural e a produção familiar agrícola. A caminhada uniu esses dois aspectos turísticos permitindo aos participantes terem um contato direto com a cultura local”, disse o secretário da Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Antonio Ricardo Milgioransa.
A concentração da caminhada em frente da Igreja Imaculada Conceição, no bairro Campestre reuniu cerca de 500 participantes, que se prepararam para o passeio com alongamentos.
Os participantes também tiveram a oportunidade de conhecer uma feira com produtos artesanais
Os participantes também tiveram a oportunidade de conhecer uma feira com produtos artesanais
Na Igreja também foi arrecadado a doação de um quilo de alimento não perecível, repassados para a Provopar Colombo que distribuirá para a comunidade. Ao todo, foram recebidos 190 quilos de alimentos.
A ação da Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho e com o apoio do Circuito Italiano de Turismo Rural de Colombo, incentiva a qualidade de vida das pessoas e também proporciona momentos de descontração e alegria.
Ao todo, foram recebidos 182 quilos de alimentos, repassados a Provopar
Ao todo, foram recebidos 182 quilos de alimentos, repassados a Provopar
“Esses momentos são importantes para a nossa população. A caminhada ao ar livre traz benefícios para o corpo e a mente, além de ter um contato maior com a natureza do nosso município e entre os amigos”, ressalta a prefeita Beti Pavin.
Após a caminhada os participantes se reuniram em um tradicional almoço preparado pela comunidade local. O cardápio disponível foi polenta, frango ao molho, frango assado, arroz, macarrão e saladas.
A turista Leila Sevilha, que mora em Santa Felicidade, veio com a família pela primeira vez para participar da caminhada. “Recebi o convite de uma amiga e convidei meu marido e meu filho de oito anos. Adoramos o trajeto da caminhada, fizemos fotos e compramos vários produtos artesanais. Parabéns a todos que organizaram este lindo evento”.
Os caminhantes percorreram mais de 11,1 quilômetros em meio a trilhas e estrada rural
Os caminhantes percorreram mais de 11,1 quilômetros em meio a trilhas e estrada rural
Os participantes também tiveram a oportunidade de conhecer uma feira com produtos artesanais e comidas típicas enriquecendo a produção local. “Os participantes conheceram um pouco dos produtos do Circuito Italiano, como por exemplo, os sucos, geleias, conservas, chocolates artesanais, vinhos e também visitaram a igreja”, conta, Antonio Ricardo.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/PMC