Feira de adoção animal terá Cãominhada em Colombo


WEBMASTER 11 DE MAIO DE 2015

Evento acontece neste domingo, 17, no Parque Municipal da Uva

AumigosAcontece neste domingo, 17, a 2ª Feira de Adoção e Conscientização de “Aumigos” de Colombo, no Parque Municipal da Uva. Para o evento, os visitantes poderão trazer seus bichos de estimação para participar da Cãominhada que acontecerá a partir das 15h30.
Durante o encontro, cães filhotes e adultos serão encaminhados para a adoção. Segundo o secretário de Meio Ambiente, Evandro Busato, a ação visa sensibilizar a população e incentivar a adoção de cães de rua.
“Não importa a origem, desde que consiga uma família. Porém, o evento não recolhe animais, mas, é aceito ração, medicamentos, jornais, cobertores e casinhas que já foram utilizadas”, disse.
A diretora de Projetos da Secretaria de Meio Ambiente, Daniele Gasparin, conta que os animais vêm de protetores da região, que recolhem estes animais em péssimas condições de vida. “Após isso, os animais são vacinados, castrados e cuidados para a adoção”.
Para conseguir um animal de estimação é necessário possuir 18 anos, apresentar RG, comprovante de residência e assinar o Termo de Adoção. A feira ainda terá exposição e venda de produtos pet.
O evento é uma realização da Prefeitura Municipal de Colombo por meio da Secretaria de Meio Ambiente.
Serviço:
“2ª Feira de Adoção e Conscientização de “Aumigos” de Colombo” e Cãominhada
Data: 17/05/15 (domingo) – Horário: das 10 às 17h
Local: Parque Municipal da Uva
Endereço: Rua Marechal Floriano Peixoto, 8771 – Centro
Contato: 41-3656.4849
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

A 39º Romaria e Festa de Nossa Senhora de Carvaggio acontece no próximo dia 26 em Colombo

WEBMASTER 11 DE MAIO DE 2015

A festividade é marcada pela novena preparatória, realizada todos os sábados até o dia 16, no bairro Capivari

A 39º Romaria e Festa de Nossa Senhora de Carvaggio acontece no próximo dia 26
A 39º Romaria e Festa de Nossa Senhora de Carvaggio acontece no próximo dia 26
A tradicional Romaria e Festa de Nossa Senhora de Carvaggio, que acontece todos os anos no dia 26 de maio, no bairro Capivari, chega a sua 39º edição. A comemoração já faz parte do calendário oficial do município, sendo uma das maiores festas religiosas de Colombo.
A estimativa para este ano será de aproximadamente 10 mil participantes. “A romaria para os devotos de Nossa Senhora de Caravaggio, significa um ato de amor e renovação da fé. Pois, é um momento para fortalecer a religiosidade, reunir as famílias e os amigos para celebrar a fé e a devoção à padroeira dos agricultores”, ressalta a prefeita Beti Pavin.
O tema para este ano será “Maria, exemplo de serviço na Igreja e sociedade”. De acordo com um dos organizadores, Carlos Dallazuanna o inicio das festividades é marcado pela novena preparatória, seguida pelos jantares, que acontece, durante nove sábados, na capela São Pedro, no Capivari.
“Aproximadamente, dois meses antes da romaria é realizada a novena preparatória em celebração a Nossa Senhora do Caravaggio, com a participação das comunidades da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, tendo para cada um dos nove dias da novena, um tema específico. Neste tempo, a união se transforma em fé e confraternização”, destaca.
A novena preparatória acontece todos os sábados, às 19h30 e chegará ao fim no próximo dia 16 de maio. Lembrando, que neste dia, a novena será celebrada pelo Padre Nilton Santos Lopes.
Transladação da imagem
No dia 23 de maio haverá a solene transladação da imagem de Nossa Senhora de Caravaggio. A concentração será em frente à Igreja São Pedro, às 18h30, no bairro Capivari. Os romeiros das comunidades próximas seguem em uma procissão motorizada até o centro de Colombo. Às 19h30, os fieis serão acolhidos, junto à Imagem, na Igreja Matriz para a celebração da santa missa.
Dia da Romaria
No dia 26 de maio, a romaria sairá, às 6 horas da manhã, da Igreja Matriz dando início a peregrinação, que será coordenada pelo Provincial Passionista, Padre Amilton Manoel da Silva. A Imagem de Nossa Senhora do Caravaggio será conduzida até a Igreja São Pedro, ou seja, um percurso de aproximadamente 12 quilômetros de caminhada. A chegada da procissão está prevista para as 9h30, na comunidade Capivari.
E, às 10 horas, acontecerá a missa solene em celebração a Nossa Senhora do Caravaggio, presidida pelo Arcebispo da Arquidiocese de Curitiba, D. José Antônio Peruzzo e animada pela equipe litúrgica da Capela São Pedro.
Logo após, haverá o tradicional almoço, apresentações artísticas, show de prêmios e diversões populares. O Evento conta com o apoio do Circuito Italiano de Turismo Rural de Colombo.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Obras de pavimentação chegam a Rua Francisco Antônio Coradin em Colombo


WEBMASTER 11 DE MAIO DE 2015

O serviço conta com aproximadamente 800 metros de extensão, sendo uma importante via, interligando o bairro Roseira e o Jardim Monte Castelo

Obras de pavimentação chegam a Rua Francisco Antônio Coradin
Obras de pavimentação chegam a Rua Francisco Antônio Coradin
A pavimentação asfáltica na Rua Francisco Antônio Coradin, no bairro Roseira foi concluída. O serviço conta com aproximadamente 800 metros de extensão, sendo uma importante via, interligando o bairro Roseira e o Jardim Monte Castelo.
“O intuito destes serviços é melhorar qualidade de vida tanto dos moradores, quanto dos turistas que passam pelo local e visitam os empreendimentos do Circuito Italiano como, por exemplo, Hotel Estância Betânia”, explica a prefeita de Colombo, Beti Pavin.
O Programa de Pavimentação Comunitária, realizado através das Secretarias de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Planejamento, Orçamento e Gestão e de Obras e Viação, é um exemplo deste esforço do poder público do município que desenvolve ações do programa em diversas ruas de Colombo.
De acordo com Regiane Antonia Torques Andreatta, que mora no bairro Roseira há 25 anos, com as obras finalizadas, solucionou-se o problema com o pó e assim, melhorou também a qualidade de vida dos moradores.
“Sem o pó na rua, minha filha não reclama mais de renite alérgica e problemas de respiração. Também melhorou em relação à limpeza da casa e das calçadas, reduzindo o resumo de água e facilitando o trabalho doméstico”, conta a moradora. As intervenções incluem a terraplenagem, pavimentação asfáltica, sistema de drenagem e captação de águas pluviais.
O secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso ressalta que a equipe vistoriou a obra, e que a prioridade do serviço é em relação à qualidade e a durabilidade do asfalto. “Nossa intenção é levar aos bairros um serviço adequado e que atenda a população em um todo”.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Com bate-boca, CPI da Petrobras ouve sete investigados em Curitiba


Sessão da CPI ocorreu na Justiça Federal do Paraná nesta segunda (11).
Alberto Youssef afirmou que governo sabia do esquema de corrupção.

Do G1 PR
O doleiro Alberto Youssef presta depoimento na CPI da Petrobras, no prédio da Justiça Federal, em Curitiba (PR). A CPI deve ouvir os 13 investigados pela Operação Lava Jato que estão presos no Paraná (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters)Youssef afirmou acreditar que governo sabia
de esquema (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters)
A CPI da Petrobras ouviu nesta segunda-feira (11) sete dos 13 investigados pela Operação Lava Jato que estão presos no Paraná. As oitivas ocorreram em um auditório da Justiça Federal em Curitiba desde a manhã, até o início da noite, com quase dez horas de duração, e registrou momentos de animosidade, com bate-boca entre deputados e o advogado do empresário Fernando Baiano. Uma nova sessão está marcada para terça-feira (12), no mesmo local, para ouvir os outros seis presos.


Foram ouvidos nesta segunda-feira:
- Alberto Youssef
- Mário Góes
- Nestor Cerveró
- Fernando Soares
- Guilherme Esteves
- Adir Assad
- Iara Galdino.
Destes, apenas os doleiros Alberto Youssef e Iara Galdino responderam aos questionamentos dos parlamentares. Os demais optaram por permanecer em silêncio, o que não impediu alguns deputados de fazerem as perguntas programadas. Outros deputados, diante do silêncio, optaram por anexar as perguntas à ata da sessão.  assista vários vídeos abaixo
‘Planalto sabia’
O doleiro Alberto Youssef reafirmou, no depoimento, que ele acredita que o alto escalão do governo federal sabia do esquema de corrupção na estatal. A confirmação de Youssef foi feita após o deputado Bruno Covas (PSDB-SP) ler depoimento de delação premiada do doleiro, em que ele citava políticos que, segundo o próprio Youssef, tinham conhecimento das irregularidades.
Na lista do depoimento prévio de Youssef, o deputado leu os nomes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da presidente Dilma Rousseff e dos ex-ministros Antonio Palocci, Gleisi Hoffmann, José Dirceu, Ideli Salvatti, Gilberto Carvalho e Edison Lobão. Após a leitura dos nomes, Covas perguntou se Youssef confirmava se, na opinião dele, essas pessoas tinham conhecimento do esquema.
“Confirmo e digo que isso é no meu entendimento", afirmou o doleiro.
 ‘Injustiçada’
Já Iara Galdino disse que se sentia injustiçada com as acusações. Ela afirmou que abria as empresas de fachada, em nome de laranjas, mas não tinha contato com clientes. Galdino garantiu que jamais assinou nenhum contrato de câmbio, que fazia parte do “terceiro escalão” do esquema, e que foi usada por uma “organização criminosa”.
A doleira já foi condenada em um dos processos decorrentes da Lava Jato por evasão de divisas, por operar instituição financeira irregular, corrupção ativa e por pertencer a organização criminosa. Somadas as penas foram de 11 anos e nove nesses de reclusão.
Bate-boca
A sessão da CPI teve um momento acalorado durante o depoimento de Fernando Soares, o Fernando Baiano, que permaneceu em silêncio. Em determinado momento, o deputado Onix Lorenzoni (DEM-RS) sugeriu ao investigado que considerasse fazer um acordo de delação premiada, porque o silêncio não seria uma boa estratégia. O advogado de Fernando Baiano retrucou: “A estratégia de defesa é minha, não é sua”, o que deu início a uma discussão.
Os parlamentares criticaram a postura do advogado, uma vez que apenas o investigado teria direito à palavra. O bate-boca durou cerca de dois minutos até que foi controlado pelo presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB). Lorenzoni e o criminalista voltaram a discutir ainda ao final da sessão pelo mesmo motivo.
Cerveró
O ex-diretor área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró também não quis responder às perguntas dos parlamentares. Ele afirmou, no início do depoimento, que deveria estar respondendo aos processos em liberdade, e que só falaria após “ser devolvido” o seu direito constitucional à liberdade.
Os depoimentos de Mário Góes, Guilherme Esteves de Jesus e Adir Assad, acusados de serem operadores do esquema também transcorreram com silêncio dos investigados.
Segundo dia
Na terça-feira (12), estão marcados os depoimentos da doleira Nelma Kodama, do operador René Luiz Pereira, dos ex-deputados Luiz Argôlo (SD-BA), André Vargas (sem partido-PR) e Pedro Corrêa (PP-PE) e, por fim, do doleiro Carlos Habib Chater, dono do posto de gasolina em Brasília que deu nome à operação da Polícia Federal.

Polícia investiga se homicida do Pará praticava canibalismo


Vítimas foram esquartejadas e partes dos corpos estavam em geladeira.
Suspeito confirmou homicídios, mas nega consumo de carne humana.

Do G1 PA
Rafael Ribeiro  (Foto: Reprodução/ TV Liberal)Rafael Ribeiro confessou o assassinato de duas
vítimas. (Foto: Reprodução/ TV Liberal)
Os corpos das duas mulheres enterrados no terreno de uma casa no município de Breu Branco, sudeste do Pará, foram esquartejados e o coração de uma das vítimas, assim como outros pedaços de carne e sangue humanos, foram encontrados dentro da geladeira da casa onde vivia o assassino confesso, Rafael Ribeiro da Silva, 27 anos. Os detalhes do caso chocaram a população da cidade. Os corpos foram liberados nesta segunda-feira (11) pelo Instituto Médico Legal de Tucuruí, no sudeste do estado.
De acordo com a polícia, pedaços das coxas das vítimas estavam em sacos plásticos e armanezados no congelador. Uma garrafa com cerca de 2 litros de sangue também estava na geladeira. Em depoimento, Rafael negou o consumo de carne humana, mas a polícia diz que há vários indícios da prática e que não descarta a possibilidade de canibalismo.
O Instituto Médico Legal periciou os corpos. A polícia ainda está coletando depoimentos sobre o caso, e informou que não descarta a existência de outras vítimas em cidades por onde o homem tenha passado.
Maria Zélia Ribeiro dos Santos (Foto: Reprodução/ TV Liberal)Maria Zélia  foi vista pela última vez em companhia
de Rafael. (Foto: Reprodução/ TV Liberal)
"Ele era uma espécie de nômade, não tinha uma cidade fixa. Temos notícia dele em Redenção, no Mato Grosso, no Tocantins. Tudo será investigado”, concluiu o delegado.
Os corpos das vítimas deverão ser enterrados no final da tarde desta segunda-feira (11), em Breu Branco. O suspeito foi transferido para o Centro de Recuperação de Tucuruí, onde está à disposição da Justiça.
Crimes bárbaros
A primeira vítima, Joana Cristina Soares da Silva, de 50 anos, era companheira do suspeito, e estava desaparecida. A polícia estima que sua morte ocorreu há 15 dias. A segunda vítima, Maria Zélia Ribeiro dos Santos, 46 anos, estava desaparecida há quase uma semana. De acordo com testemunhas, Maria foi vista em um bar da cidade acompanhada do suspeito. Foi a partir dessa informação que a polícia chegou até o homem que, na delegacia, teria confessado os crimes.
"Ele relutou bastante, mas depois de muito tempo de interrogatório, ele assumiu a autoria dos dois crimes", contou o delegado Rommel Souza. Ainda de acordo com o delegado, em depoimento, o suspeito indicou o local onde os corpos foram enterrados: a parte externa da casa onde morava com Joana.
Segundo o perito criminal Andrey Fernandes, foram encontrados fragmentos dos corpos em vários lugares do imóvel. “Encontramos partes dos corpos em uma fossa da casa, em um local próximo à cerca do lado direito do imóvel e também na saída da cozinha da casa", informou o perito.

Ele falou: 'agora você vai morrer', diz rapaz atacado em banheiro do Metrô


Ataque ocorreu quinta-feira (7) na estação Santana, Zona Norte de SP. Criminoso tentou levar bolsa que estava presa ao corpo do jovem.

Do G1 São Paulo
Atingido no pescoço por um golpe de faca durante suposta tentativa de assalto ocorrida no banheiro da estação Santana da Linha 1-Azul do Metrô, o cabeleireiro Demerval de Carvalho Júnior disse nesta segunda-feira (11) ao SPTV que sua bolsa estava presa ao corpo e um dos assaltantes o atacou por pensar que ele resistia à ação dos criminosos. assista ao vídeo acima
“Como eu estava com jaqueta e uma bolsa atravessada, conforme ele (criminoso) puxava, a impressão que dava é de que eu estava recusando, mas na verdade não, a bolsa estava presa. Foi quando o que estava por trás falou: ‘agora você vai morrer’. E passou algo cortante na minha garganta", afirmou. A agressão aconteceu na noite de quinta-feira (7).
Como eu estava com jaqueta e uma bolsa atravessada, conforme ele  puxava, a impressão que dava é de que eu estava recusando, mas na verdade não, a bolsa estava presa"
Cabeleireiro Demerval de Carvalho Júnior
O rapaz conta que correu em direção às catracas e reclama que os seguranças do Metrô demoraram a agir. “Gritando, e pedindo ajuda, pedindo 'socorro, socorro'. Nada. E ele me seguindo, ele me seguiu até a catraca. Foi quando eu falei para o guardinha: 'fui roubado, olha isso aqui ó, está sangrando, foi ele'. Aí ele falou: 'então passa para cá'."

O passageiro usou uma rede social para denunciar o crime. O Metrô confirmou que prestou socorro ao jovem, mas não a tentativa de roubo porque o rapaz se recusou a registrar boletim de ocorrência na polícia.
A polícia soube nesta segunda do assalto. E disse que saiu à procura dos bandidos antes de encontrar a vítima. Em frente ao banheiro da estação Santana há duas câmeras. Mas o Metrô informou aos investigadores que elas não funcionavam no dia do assalto.

Primeiros socorros
O passageiro publicou fotos do ferimento no Facebook. Na mensagem, ele contou que foi até a estação para recarregar o cartão do Bilhete Único. Como a fila estava grande, o jovem decidiu ir ao banheiro antes de retornar ao guichê de recarga. Quando estava dentro de uma das cabines do banheiro, a dupla arrombou a porta. O passageiro escreveu que conseguiu sair da cabine, mas um dos assaltantes o imobilizou e o outro tentou levar a bolsa.
O Metrô informou, em nota, que agentes de segurança da estação prestaram os primeiros socorros ao jovem e o levaram para o pronto-socorro de Santana para atendimento médico. Ainda segundo o comunicado, o rapaz se recusou a ser acompanhado por funcionários do Metrô até uma delegacia para registro de boletim de ocorrência.
“Se fiz B.O.? Nem fiz... Estava cansado, sujo, com dor... Ia perder a noite na delegacia, como não conseguiram pegar o cara e não teve roubo, ia servir somente de estatística. Se estou bem? Eu diria, estou vivo”, escreveu o passageiro no Facebook.
O Metrô disse que formalizou um registro em seu sistema interno, com detalhes do ocorrido. Imagens de segurança serão fornecidas caso a polícia solicite o material. O Metrô afirmou ainda que conta com 1,3 mil agentes de segurança que executam rondas nas estações e nos trens e mais de 3,5 mil câmeras de vigilância eletrônica para monitoramento.
Passageiro tem pescoço cortado em estação do Metrô, em SP (Foto: Reprodução Facebook)Passageiro tem pescoço cortado em estação do Metrô, em SP (Foto: Reprodução Facebook)

Ladrões arrombam carro e não levam presente de Dia das Mães


'Dei risada quando vi no mesmo lugar', diz jovem de Sorocaba (SP).
Criminosos levaram o estepe do veículo e danificaram o som.

Do G1 Sorocaba e Jundiaí
Presentes estavam no banco trazeiro (Foto: Danilo Corrêa/Arquivo pessoal)Ladrões não levaram os presentes, que ficaram no banco traseiro (Foto: Danilo Corrêa/Arquivo pessoal)
Um situação inusitada chamou a atenção de um jovem de Sorocaba (SP) que teve o carro arrombado e furtado. Segundo Danilo Corrêa, de 23 anos, os ladrões quebraram a fechadura do veículo, furtaram o estepe, e danificaram o som ao tentar retirá-lo do painel – mas deixaram no banco de trás dois presentes, comprados para a mãe e a sogra.
"Dei risada quando vi no mesmo lugar", diz Danilo. O crime foi na noite de sábado (9), véspera do Dia das Mães, no Jardim Santa Rosália, em Sorocaba.
Reclamação foi colocada em rede social (Foto: Reprodução/Facebook)Danilo comentou sobre o roubo em uma rede
social (Foto: Reprodução/Facebook)
“Na hora que entrei [no carro], vi que o som estava puxado para frente, mas que não haviam levado, pois ele é embutido. Tinha certeza que o presente tinha sido levado, por sorte estava no mesmo lugar. Percebi que o banco traseiro estava solto, já imaginei que haviam levado o estepe”, disse o rapaz.
Ao G1, ele conta que chegou a pensar que tinha esquecido o carro aberto, mas na sequência percebeu o arrombamento.
De acordo com Danilo, o dia foi de correria para comprar os presentes para o Dia das Mães que, foram deixados no banco de trás e estavam intactos.
O jovem havia estacionado o carro para jantar com a namorada e só percebeu o crime ao voltar para o veículo.
Fechadura do lado do motorista foi arrombada (Foto: Danilo Corrêa/Arquivo Pessoal)Fechadura do lado do motorista foi arrombada
(Foto: Danilo Corrêa/Arquivo Pessoal)
De acordo com Danilo, o sentimento foi de “amor e ódio” – por ser a primeira vez que é roubado e por estar agradecido de não ter os presentes levados pelos ladrões. 
“A sensação é horrível, não sei o que faria se encontrasse o responsável por isso, mas chegando em casa, minha mãe e a minha namorada me acalmaram", afirma.
Sobre o prejuízo, Danilo revela que acredita que o estepe não será recuperado, porém já comprou um novo e irá registrar o caso na delegacia. Ninguém foi preso.

Polícia Federal indicia 22 envolvidos na 11ª fase da Operação Lava Jato


Três ex-deputados foram presos nesta fase: Vargas, Pedro Corrêa e Argôlo. 
Inquéritos foram encaminhados ao Ministério Público Federal (MPF).

Do G1 PR
A Polícia Federal (PF) informou nesta segunda-feira (11) que encaminhou 30 indiciamentos, contra 22 pessoas, ao Ministério Público Federal (MPF), após concluir sete inquéritos policiais que apuraram a responsabilidade criminal de ex-parlamentares presos na 11ª fase da Operação Lava Jato. Dentre eles estão os ex-deputados André Vargas (sem partido), Pedro Corrêa (PP-PE) e Luiz Argôlo (SDD-BA), que estavam entre os sete presos desta etapa. A PF não informou os nomes dos demais indiciados.
(Correção: ao ser publicada, esta reportagem errou ao informar que 30 pessoas foram indiciadas na 11ª fase da operação Lava Jato. A informação havia sido divulgada pela Polícia Federal no Paraná. O erro foi corrigido às 16h19)
Ainda de acordo com a PF, os inquéritos tinham como objetivo apurar crimes de corrupção, fraude a licitações, lavagem de dinheiro e organização criminosa, entre outros. Alguns investigados foram indiciados em mais de um procedimento.
Paraná, Bahia, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo foram os seis estados envolvidos nesta ação, que foi batizada de "A Origem".
O MPF informou que recebeu os inquéritos, e que o conteúdo será analisado para que se avalie se serão oferecidas denúncias. Não há prazo para análise, conforme o órgão.
Caso o MPF denuncie os indiciados, cabe à Justiça Federal apreciar as denúncias. Se aceitar, os acusados passam a ser réus.
Foram presos na 11ª fase da Lava Jato:
-André Vargas, ex-deputado pelo PT, foi preso em Londrina;
- Leon Vargas, irmão de André Vargas, preso em Londrina;
- Luiz Argôlo (SDD-BA), ex-deputado, preso em Salvador;
- Élia Santos da Hora, secretária de Argôlo, presa em Salvador;
- Pedro Corrêa (PP-PE), ex-deputado que já cumpre prisão pelo mensalão do PT no Centro de Ressocialização do Agreste (CRA), em Canhotinho (PE), em regime semiaberto;
- Ivan Mernon da Silva Torres foi preso em Niterói;
- Ricardo Hoffmann, diretor de uma agência de publicidade em Curitiba, foi preso em Brasília.
Destes, os três ex-parlamentares e Ricardo Hoffmann continuam presos na carceragem da PF em Curitiba.

A 11ª fase da investigação foi feita a partir da remessa das apurações do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre fatos criminosos atribuídos a três grupos de ex-agentes políticos. Os crimes investigados nesta fase, conforme a PF, são: organização criminosa, quadrilha ou bando, corrupção ativa, corrupção passiva, fraude em procedimento licitatório, lavagem de dinheiro, uso de documento falso e tráfico de influência.
Entenda a operação

A Operação Lava Jato foi deflagrada pela PF em março do ano passado e investiga um esquema  bilionário de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.
A investigação desta fase também abrange, além de fatos ocorridos no âmbito da Petrobras, desvios de recursos ocorridos em outros órgãos públicos federais, segundo a PF.
Depois da 11ª fase, ainda foi realizada a 12ª, quando o então tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Netto, foi preso. Ele segue detido na carceragem da PF, na capital paranaense.