Mulher é agredida pelo marido por querer ir à igreja, diz polícia


Vítima afirma não ter sido a primeira agressão e não denunciou por medo. 
Homem deu socos e tentou enforcar a companheira, em Araçatuba (SP).

Do G1 Rio Preto e Araçatuba
Um ajudante de pedreiro de 27 anos foi preso depois de agredir a esposa no bairro Jardim Planalto, em Araçatuba (SP). O motivo da discussão do casal é porque a vítima, de 28 anos, queria ir à igreja, segundo a polícia. O caso foi registrado na noite de segunda-feira (18).
saiba mais

De acordo com o boletim de ocorrência, a agressão aconteceu quando a vítima iria assistir uma missa, mas o suspeito não gostou da ideia dela sair de casa, então, passou a dar socos e enforcar a mulher. Ainda conforme a polícia, ele chegou a pegar uma faca e a ameaçou de morte.
Segundo a polícia, ela revelou que esta não foi a primeira vez que ele a agrediu, mas não fez nenhuma denúncia porque o marido fazia ameaças, incluindo levar embora o filho do casal, de 5 anos.
O suspeito foi preso e levado à delegacia da cidade para prestar depoimento, e como não havia a quantia de R$ 1 mil para pagar a fiança, foi encaminhado à cadeia de Penápolis (SP). A faca utilizada pelo homem foi apreendida e apesar das agressões, a mulher passa bem.

Richa, em Brasília, com o alto comando do tucanato

unnamed3
O governador Beto Richa está em Brasília. Hoje, reuniu-se como os tucanos de alto coturno da República para trocar ideias sobre a conjuntura, a crise nacional, e também sobre o esforço petista para desgastar o governo do Paraná como forma de tentar colocar todos os governos na vala comum. Recebeu apoio dos senadores Aécio Neves e Tasso Jereissati, que consideram o comportamento do PT e seus aliados a maior demonstração de práticas típicas do fascimo em seu desespero para se manter no poder.
Agora, Beto Richa acompanha a votação em Plenário da indicação de Edsob Fachin para o STF. Amanhã, participa da reunião de governadores com o presidente do Senado, Renan Calheiros, para tratar do novo pacto federativo.
Richa pediu votos para o jurista Luiz Edson Fachin a Aécio Neves, Cássio Cunha Lima e Tasso Jereissati. “Estive agora à tarde com senadores Aécio Neves, Cássio Cunha Lima e Tasso Jereissati para conversar sobre a votação da indicação do professor Luiz Edson Fachin no plenário do Senado, prevista para hoje à noite. O assunto gerou grande polêmica nas últimas semanas, mas estou otimista: acredito que finalmente o Paraná terá um jurista como ministro do Supremo Tribunal Federal”.
unnamed4

Médico é condenado a 37 anos de prisão por abuso sexual de pacientes


Profissional é de Marmeleiro, no Paraná; ele foi denunciado pelo MP-PR.
Além da prisão, o médico também foi condenado a indenizar cinco vítimas.

Do G1 PR
A Vara Criminal de Marmeleiro, no sudoeste do Paraná, condenou a 37 anos e 20 dias de prisão o médico Carlos Horácio Pontes Borges. O profissional foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por abusar sexualmente de pacientes. Além da prisão, o médico também deverá indenizar cinco vítimas. A condenação foi divulgada na segunda-feira (18).

O médico está preso desde o dia 10 de março deste ano. Atualmente ele está detido no Centro de Detenção e Ressocialização (CDR) de Francisco Beltrão, cidade vizinha. Segundo o MP-PR, quatro vítimas afirmaram que foram abusadas sexualmente pelo profissional e que ele as fazia  acreditar que o ato se tratava de um procedimento necessário para a realização de exames clínicos.
Em 2009, Borges havia sido notificado pelo Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) por atentado violento ao pudor, como ficou constatado durante a investigação do MP-PR.
Ainda de acordo com o MP-PR, no consultório do profissional, havia câmeras no banheiro e espelhos na sala onde eram realizados exames ginecológicos. Os espelhos eram colocados em posições que permitiam ao médico observar as vítimas em vários ângulos.
O advogado de Borges, Maurício Ghettino afirmou ao G1 que vai recorrer da decisão. Mas não quis comentar o caso porque as ações contra o médico seguem em segredo de Justiça.
saiba mais

Outras denúncias
Outras duas vítimas afirmaram ao MP-PR que o médico também teria cobrado por exames de ultrassom que são oferecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Conforme o órgão, a namorada de Borges e outras duas pessoas chegaram a ser presas por suspeita de tentar intimidar vítimas e testemunhas do processo. Durante o mandado de busca e prisão, armas e celulares foram apreendidos.
Duas testemunhas do caso também são suspeitas de mentir em juízo. O MP-PR denunciou e pediu a prisão preventiva de uma delas. Com relação a outra, foi instaurado procedimento de investigação criminal para apurar a suspeita.
O MP-PR investiga ainda a forma de contratação de Borges pela Prefeitura de Renascença. Segundo o órgão, durante as investigações foram levantadas provas que colocam em suspeita a contratação do médico para atuar em um posto de saúde do município.
O secretário de Saúde de Renascença, Giovani Senatti disse ao G1 que entrou todos os documentos solicitados pelo MP-PR e que não vai comentar o caso.

Mulher que ateou fogo em jovem bebia com amigos: 'agi por impulso'


Vítima estava dormindo na rua, na frente da casa da suspeita, em Bauru.
Segundo a Polícia Civil, o caso foi registrado como lesão corporal.

Renata MarconiDo G1 Bauru e Marília
A suspeita de atear fogo em uma mulher, de 27 anos, que estava dormindo na rua, no Jardim Nova Esperança, em Bauru (SP), no começo do mês, falou com o G1 sobre o caso nesta terça-feira (19). A mulher, que pediu para não ser identificada, contou que estava bebendo com alguns amigos e que foi incentivada por eles a praticar o ataque. “As pessoas ficavam falando que iam colocar fogo. E eu agi no impulso, tinha que ter pensado. Não tinha intenção de matar ninguém. Se eu tivesse, não tinha socorrido ninguém, tinha deixado pegar fogo”, afirma.
Aninha foi atingida pelas chamas e está em estado grave (Foto: TEM Você)Ana Carolina foi atingida pelas chamas e está
em estado grave (Foto: TEM Você)
Ana Carolina Soares segue internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Unidade de Queimados, em estado grave, porém estável. Segundo a Polícia Civil, o caso foi registrado como lesão corporal.
Ainda de acordo com as investigações, a moradora ateou fogo nos pertences de Ana e de um morador de rua. Ana acabou sendo atingida pelas chamas, ficando gravemente ferida.
A suspeita diz que logo após o ato se arrependeu do que fez e acionou o socorro, esperando até que uma equipe chegasse. “Saiu do controle, minha vida acabou. Eu mais que ninguém quero que ela saia do hospital.”
No depoimento que deu à polícia, a suspeita disse que pegou um litro de álcool em sua casa e jogou sobre as roupas e colchões da jovem e de um morador de rua que estava com ela no momento, sob o toldo de um antigo bar, já fechado, localizado em frente à sua residência.
A mulher afirma que usou o álcool comum e que não tinha intenção de atingir eles. “Eu ainda procuro um porquê, mas não consigo achar. Nunca imaginei que passaria por isso. Queria pedir perdão para esta família. Não queria que a Ana nesta situação, nem a minha família”, afirma.
  •  
saiba mais

Em tratamento
A irmã da vítima, Juliana Talita Soares dos Santos, contou ao G1 que Ana Carolina é viciada em álcool e drogas desde os 20 anos e, dias antes do ataque, estava internada para se tratar. “Fazia apenas três dias que ela [Ana Carolina] estava na rua, ela se tratava há dois meses”, contou.
Juliana afirma que apesar do problema com vícios, a irmã não morava na rua e que sempre que estava com fome voltava para casa dela, no bairro Nova Bauru, ou para casa da mãe, no Jardim Nicéia. "Mas ela preferia ficar na rua", completa.
A irmã disse ainda que conhecia o homem que estava com Ana. Juliana diz que ele também é alcoólatra e que a casa da família dele é ao lado da casa da mulher que ateou fogo neles.
Segundo Juliana, ele é casado, mas como ele prefere ficar na rua, a esposa cuidava dele todo dia ali. Por isso ela acredita que a irmã não mantinha nenhum tipo de relacionamento amoroso com o homem, que, segundo ela, aparenta tem uns 60 anos.
Entenda o caso
Ana Carolina e um homem estariam ingerindo bebida alcoólica quando a mulher ateou fogo, segundo o boletim de ocorrências. Ao se levantarem assustados, a bebida teria caído sobre o corpo de Ana, o que teria facilitado com que as chamas se alastrassem e a atingissem.
Ainda conforme o boletim de ocorrência, a mulher disse que cometeu o crime porque queria que os moradores de rua deixassem o local, onde eles estariam dormindo, ingerindo bebidas alcoólicas e mantendo relações sexuais.
Moradores do Jardim Nova Esperança, em Bauru, fizeram um protesto no domingo (18) e pediram Justiça pela agressão. No protesto, cerca de 20 manifestantes fecharam a quadra 2 da rua Sargento Moraes Celso Pinto e incendiaram pneus e entulhos. O protesto durou cerca de uma hora e só terminou com a chegada do Corpo de Bombeiros.
Moradores protestaram e pediram Justiça pelo suposto crime  (Foto: Divulgação/ Polícia Militar)Moradores protestaram e pediram Justiça pelo crime (Foto: Divulgação/ Polícia Militar)

Polícia detém 9 pessoas envolvidas em roubo milionário em Londres


Crime contra empresa de segurança é avaliado em R$ 944,8 milhões.
Objetos de valor foram recuperados e devem ser devolvidos às vítimas.

Do G1, em São Paulo
Agente forense entra na empresa de segurança Hatton Garden, em Londres; companhia sofreu roubo milionário (Foto: Dominic Lipinski/PA via AP)Agente forense entra na empresa de segurança Hatton Garden, em Londres; companhia sofreu roubo milionário (Foto: Dominic Lipinski/PA via AP)
A polícia britânica deteve nesta terça-feira (19) nove suspeitos de terem participado do roubo em abril de dezenas de cofres da companhia de segurança londrina Hatton Garden, um crime avaliado em cerca de 200 milhões de libras (R$ 944,8 milhões).
Os agentes revistaram 12 domicílios em Londres e no condado de Kent (sudeste da Inglaterra), detiveram primeiramente sete homens com idade entre 48 e 75 anos e recuperaram grandes bolsas com objetos de valor que, acredita-se, que foram subtraídos do depósito de segurança, situado em um distrito de joalherias de luxo no centro de Londres, de acordo com a agência EFE.
Outros dois homens, de 43 e 58 anos, foram detidos mais tarde, segundo a polícia, informa a France Presse.
Feriado prolongado
Os ladrões aproveitaram um feriado prolongado no Reino Unido, de 3 a 6 de abril (Semana Santa), para realizar o roubo.
A polícia britânica foi criticada quando o roubo foi revelado por não ter respondido aos alarmes de segurança que dispararam quando os ladrões entraram no edifício, na sexta-feira, às 23h31 local (20h31, em Brasília).
"Estamos em posição de confirmar que nesta ocasião nosso sistema de recepção de chamadas e procedimentos para lidar com as companhias de alarmes não foram seguidos", admitiu nesta terça-feira o detetive superintendente Paul Turner.
"Nossos procedimentos frequentes teriam feito com que os agentes se apresentassem na cena. Pedimos desculpas porque isso não ocorreu", ressaltou Turner.
Devolução dos pertences
Desde que aconteceu o roubo, a polícia britânica "trabalhou sem descanso" para encontrar os supostos culpados, relatou por sua parte o comandante Peter Spindler.
Os responsáveis da polícia pediram às vítimas do roubo, no qual foram levados joias e dinheiro que estavam em 72 cofrres, que tenham "paciência" na hora de reivindicar seus pertences.
"A polícia entrará em contato com eles para que possamos devolver o que é deles", disse Turner.
Os sete suspeitos permanecem detidos em uma delegacia de Londres enquanto continuam em andamento as revistas que começaram nesta manhã, que têm a participação de mais de 200 agentes.

PRF prende traficante com 11 quilos de crack e dez de cocaína na região de Curitiba


Da assessoria


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na tarde desta terça-feira (19) em Balsa Nova, região metropolitana de Curitiba, um homem que transportava 11,3 quilos de crack e 9,8 quilos de cocaína. As drogas estavam escondidas em um fundo falso, sob o assoalho do porta-malas de um automóvel Peugeot 206.
PRF
(Foto: Divulgação PRF)
O veículo foi abordado em frente ao Posto São Luiz do Purunã da PRF. Preso em flagrante por tráfico de drogas, o motorista, de 27 anos de idade, disse aos policiais rodoviários federais que carregou a droga em Foz do Iguaçu (PR), e que a levaria para Içara (SC).
A PRF encaminhou a ocorrência para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Com 52 votos favoráveis, Senado aprova indicação de professor da UFPR para o STF


Da Redação com Agência Brasil
Jurista Luiz Edson Fachin é o quinto ministro indicado por Dilma Rousseff para o STF Divulgação/TJPR
Jurista Luiz Edson Fachin é o quinto ministro indicado por Dilma Rousseff para o STF Divulgação/TJPR

O Senado aprovou nesta terça-feira (19) a indicação do jurista Luiz Edson Fachin para o Supremo Tribunal Federal. Com votação apertada, ele foi aprovado com 52 votos a favor e 27 contra e nenhuma abstenção. Fachin assumirá a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Joaquim Barbosa.
O jurista Luiz Fachin é advogado e professor universitário e tem amplo apoio da comunidade jurídica. No entanto, diversas polêmicas marcaram a análise de seu nome pelo Senado, entre elas um vídeo em que ele pede votos para a então candidata Dilma Rousseff, em 2010, e textos publicados nos quais assume posições polêmicas sobre a função social da propriedade e a aplicação da legislação.
Professor de Direito Civil da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Luiz Edson Fachin é sócio-fundador de um escritório em Curitiba, especializado em arbitragem e mediação no direito empresarial. O advogado é mestre e doutor em Direito das Relações Sociais e tem pós-doutorado no Canadá.
Formado pela UFPR em 1980, ele ocupa atualmente uma das cadeiras da Academia Brasileira de Letras Jurídicas. Desde os anos 1980, atua na área acadêmica, tendo publicado dezenas de livros, principalmente sobre direito civil. Embora tenha feito carreira no Paraná, Fachin nasceu na cidade gaúcha de Rondinha.
Luiz Edson Fachin também compõe a Academia Brasileira de Direito Constitucional, a Academia Brasileira de Direito Civil, o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) e o Instituto dos Advogados do Paraná (IAP).
Anteriormente, ele integrou a comissão do Ministério da Justiça sobre Reforma do Poder Judiciário e o Instituto de Altos Estudos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Também atuou como colaborador do Senado Federal na elaboração do novo Código Civil brasileiro.

Bandidos mantém família em casa sob mira de arma durante assalto no Mossunguê


Por Luiz Henrique de Oliveira


Uma família moradora próxima ao setor de jurídicas da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), nobairro Mossunguê, em Curitiba, passou por momentos de tensão na noite desta segunda-feira (18). Pai, mãe e dois filhos ficaram sob a mira de revólver em uma ação de bandidos que durou aproximadamente 20 minutos.
Os marginais levaram vários objetos da casa, o de mais valor material um videogame. Eles fugiram com o carro da família, um Astra prata 2006 Elegance, quatro portas, placa ACP 8188. Ainda no carro, há o adesivo de família feliz de quatro pessoas, com a “mãe” branca e o resto com adesivo preto.
Uma parente das vítimas relatou como foi a ação dos suspeitos. “Minha tia sempre retorna do trabalho a pé e meu tio estava esperando no portão, para que ela entrasse. Nesse momento, um rapaz veio junto e apontou a arma. Logo em seguida vieram outros dois que estavam na esquina. Ali é uma região muito escura, acho que seria necessário melhorar a iluminação para que esse tipo de crime seja evitado”, contou à Banda B.
De acordo com a parente, os bandidos não agrediram ninguém, mas mantiveram a arma apontada contra a família. “Estavam meu tio, minha tia e meus dois primos, de 15 e seis anos. Em seguida ao crime, eles fugiram sentido BR-277. Queremos ajuda para tentar localizar o carro”, disse.
Qualquer denúncia sobre onde está o carro poder feita pelo 190 da Polícia Militar (PM).

Comediante confunde assalto com pegadinha e é agredido em Guarujá


Carlinhos Aguiar foi abordado por criminosos no feriado de 1º de maio
Polícia Civil diz que ator não registrou boletim de ocorrência sobre o caso.

Do G1 Santos
Ator Carlinhos Aguiar, durante visita a Guarujá (Foto: Mariane Rossi/G1)Ator Carlinhos Aguiar durante visita a Guarujá, SP
(Foto: Mariane Rossi/G1)
O ator Carlinhos Aguiar afirma ter sido vítima de um assalto em Guarujá, no litoral de São Paulo, durante o feriado de 1º de maio. A princípio, o ator pensou que participava de uma ‘pegadinha’ de um amigo mas, depois, percebeu que os suspeitos queriam dinheiro. Eles agrediram o comediante e fugiram sem levar nada.

A informação sobre o assalto foi revelada na noite deste domingo (17), durante participação de Carlinhos Aguiar no programa Silvio Santos, do SBT. O caso aconteceu perto da Praia de Pitangueiras, por volta das 22h, na Rua Mário Ribeiro. 

O ator apareceu de óculos escuros no programa porque, segundo ele, ainda carregava a marca do soco de um dos assaltantes. "Eu fui assaltado em Guarujá. Estava saindo do bar, às 22h, e vieram dois suspeitos em uma bicicleta e me abordaram. Pediram para eu dar dar dinheiro e falei que não tinha", disse.
Carlinhos Aguiar disse ainda que os criminosos o reconheceram e até ‘brincaram’ com ele. “Falaram que eu devia ter dinheiro, porque o meu patrão joga dinheiro para o alto”, falou o ator. Um deles desceu da bicicleta e deu um soco no olho de Carlinhos, que caiu no chão. Em seguida, eles fugiram sem levar nada.
G1 entrou em contato com a Delegacia Sede de Guarujá. De acordo com o setor de investigação, o ator não registrou Boletim de Ocorrência e, por isso, não há como iniciar uma investigação sobre o caso. A orientação da polícia é de que qualquer pessoa que seja assaltada na cidade procure as autoridades para que as investigações possam ser feitas. Ainda segundo a investigação, os policiais ficaram sabendo do caso apenas nesta semana, pelas redes sociais.

Mulher que gravou vídeo tentado sufocar filha de seis meses é presa


Jovem de 18 anos confessou o crime e foi autuada em flagrante no Maranhão.
Vídeo mostra bebê sendo sufocado por alguns segundos com uma fralda.

Catarina CostaDo G1 PI
Mãe foi presa no Maranhão após divulgação de vídeo (Foto: Polícia Civil/Divulgação)Mãe foi presa no Maranhão após divulgação de vídeo (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
mulher suspeita de tentar sufocar a própria filha de seis meses foi presa em São Raimundo das Mangabeiras, no Maranhão, por volta das 12h desta terça-feira (19). Segundo o delegado Jarbas Lima, titular da Delegacia de Uruçuí, cidade do Piauí onde a jovem de 18 anos mora e trabalha, ela confessou o crime e foi autuada em flagrante.
A jovem filmou a agressão e enviou o vídeo para o pai da criança, na tentativa de pressioná-lo a reatar o relacionamento. Revoltado, ele compartilhou as imagens nas redes sociais.
Segundo Lima, cabe ao delegado de Mangabeiras decidir se vai autuar a mãe por tentativa de homicídio ou apenas maus tratos.
"As diligências foram iniciadas nessa segunda-feira (18) em Uruçuí, onde ela morava e trabalhava. Após confirmar que ela tinha viajado para a cidade do Maranhão e conversar com a jovem pelo telefone, acionamos a Polícia Civil do estado vizinho", afirmou o delegado. A identidade da mãe está sendo preservada para não expor a criança.
Bebê de seis meses chora após tentativa de sufocamento  (Foto: Polícia Civil/Divulgação)Bebê de seis meses chora após tentativa de
sufocamento (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
A suspeita admitiu ao delegado Jarbas Lima que fez o vídeo e enviou para o pai da bebê para pressioná-lo.
"A mãe da criança confirmou ter feito o vídeo para atingir o ex, mas que tudo não passava de uma brincadeira. As imagens, segundo relato da jovem, foram feitas no domingo no estado do Maranhão. Brincadeira ou não, o que ela fez é crime e agora responderá por isso. O pai ainda não foi localizado", disse o delegado.
Vídeo
No vídeo gravado pela mãe, ela pressiona uma fralda de pano contra o rosto da bebê por alguns segundos. A criança chega a pegar no braço dela como se quisesse se defender. Quando a fralda é retirada, a menina está ofegante e chorando.
Revoltado, o pai da criança compartilhou o vídeo e ainda imagens de uma conversa que teve com a ex-mulher por meio do aplicativo WhatsApp, em que ela diz não suportar mais a criança. A polícia só tomou conhecimento do caso na segunda, após repercussão do material.