No Acre, suspeito de agredir esposa é espancado pelo sogro


Rapaz nega agressão à esposa e diz que era tudo ‘brincadeira’.
Partes envolvidas no caso se recusam a registrar queixa, diz delegado.

Adelcimar CarvalhoDo G1 AC
Homem foi espancado após dar empurrão na esposa (Foto: Adelcimar Carvalho/ G1)Homem foi espancado após dar empurrão na esposa (Foto: Adelcimar Carvalho/ G1)
Com o braço e cabeça enfaixados e um olho roxo, Jardson Souza Costa, de 26 anos, chegou a delegacia de Cruzeiro do Sul para prestar depoimento. Ele foi espancado no domingo (31) supostamente pelo sogro após agredir a esposa, no bairro Miritizal. De acordo com a polícia, o pai da vítima, revoltado com a agressão, teria atacado o suspeito com um pedaço de ferro. Jardson sofreu luxação no ombro direito, escoriações pelo corpo, rosto e cabeça. 
saiba mais

O delegado Vinícius Almeida diz que aguarda o resultado do exame de corpo de delito para decidir que procedimento adotar. Segundo ele, as partes envolvidas se recusam a registrar queixa. “Ouvimos a suposta vítima de violência doméstica, que relatou ter sido agredida pelo marido. Ele nega a agressão e disse ter dado apenas um empurrão na mulher. A esposa não quer representar contra o marido. Estou aguardando o exame do corpo de delito para decidir qual o procedimento irei adotar”, informa.
O marido nega que tenha agredido a esposa e garante que tudo não passou de um mal entendido. “Eu estava brincando com minha mulher, dei um empurrão e o pai dela pensou que eu a tivesse agredido. Daí, ele e meu cunhado passaram a me espancar. Fiquei desacordado e fui socorrido pelos meus vizinhos que me acudiram e chamaram o Samu”, relata.
Segundo o delegado, o sogro de Jardson confessou o espancamento na delegacia. Ele e Jardson foram liberados após prestar depoimento. O caso de violência doméstica está sendo acompanhado pela Delegacia  Especializada de Violência à Mulher.

Cabeleireira foi morta após contar de gravidez ao pai do bebê, diz polícia


Setor de Homicídios de Mogi prendeu suspeito na manhã desta segunda.
Vítima foi morta a facadas no dia 12 de maio, em Mogi das Cruzes

Jamile SantanaDo G1 Mogi das Cruzes e Suzano
Albani com cabelo longo Mogi (Foto: Reprodução/Facebook)Segundo o Setor de Homicídios, cabeleireira foi morta após contar para o namorado que estava grávida (Foto: Reprodução/Facebook)
O Setor de Homicídios de Mogi das Cruzes prendeu, na manhã desta segunda-feira (1º) um frentista de 34 anos suspeito de ter assassinado a cabeleireira Albani Joanita Magalhães do Prado, de 27 anos. A vítima foi morta a facadas em casa. O corpo foi achado pela mãe no dia 12 de maio, que resolveu ir até a o local depois de inúmeras tentativas de falar com ela. O bebê da vítima, de 1 ano e 10 meses, estava no berço.
Segundo o delegado Luiz Roberto Billó, o suspeito matou a vítima após descobrir que ela estava grávida. A Justiça concedeu apenas cinco dias de prisão, mas um pedido de prorrogação deve ser feito pelo setor.

O suspeito foi preso por volta das 9h30 em sua casa, na Vila Cléo. De acordo com as investigações, ele tinha um relacionamento extraconjugal com a vítima há três meses. “Ele é noivo e também era namorado da vítima. Vamos ouvir mais gente porque ele tinha outros relacionamentos extraconjugais”, disse o delegado.
saiba mais

O homem já tinha prestado depoimento, mas negou qualquer envolvimento com o crime. Com as provas recolhidas durante a investigação, a prisão foi decretada.  “Ele disse que desconhecia que a moça estava grávida dele. Mas existem mensagens em que ela relata isso a ele. Também temos mensagens que mostram que ele combinou de ir à casa dela no dia do crime. A vítima estava de roupa íntima quando foi encontrada morta. Nós juntamos e conseguimos a prova, junto aos exames que comprovam a gravidez, que também juntamos no inquérito.”

A polícia também conseguiu, em uma câmera de circuito de um estabelecimento comercial da Avenida Japão, flagrar o suspeito de moto entrando na rua da casa da vítima, no dia do crime, por volta das 22h13. Ele sai do local por volta das 23h25. “São imagens que demonstram mais um fator. Outro detalhe, quando prestou depoimento o suspeito estava com cortes nas mãos, que ele alegou ter feito no trabalho, em um tambor. Nós interrogamos os demais funcionários e conseguimos comprovar que estes cortes não foram feitos em serviço”, detalhou Billó.

O celular do suspeito também havia sido apreendido. “Ele disse que apagou todas as mensagens com a vítima porque não queria ter descoberto o seu relacionamento extraconjugal, que tinha uma noiva e não queria perder esse relacionamento de 7 anos. Só que ele tem outras namoradas, outras mensagens que denotam outros casos. Então por que apagar somente as da Albani e não das demais?” defendeu.

Segundo o delegado, nos próximos dias um pedido de prorrogação da prisão preventiva será feito, já que, em um primeiro momento, a justiça só concedeu 5 dias. Outras pessoas devem ser ouvidas nos próximos dias para a conclusão e encerramento do caso.
Albani com cabelo curto Mogi (Foto: Reprodução/Facebook)Segundo a polícia, Albani estava grávida do sus-
peito. (Foto: Reprodução/Facebook)
Entenda o caso
A cabeleireira Albani Joanita Magalhães do Prado,de 27 anos, foi encontrada morta em casa no Jardim Layr, em Mogi das Cruzes, na noite de 12 de maio. O corpo foi achado pela mãe, que resolveu ir até a casa da filha depois de inúmeras tentativas de falar com ela. O bebê da vítima, de 1 ano e 10 meses, estava no berço.

Segundo o boletim de ocorrência registrado no 2º Distrito Policial, a mãe disse que encontrou Albani caída no chão da cozinha por volta das 22h30. O imóvel, na Rua Beatriz Medeiros Rodrigues, era a residência e também o salão de cabeleireiros onde a vítima trabalhava. De acordo com a Polícia Militar, a faca não foi localizada na residência. Uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi até o local, mas constatou que a mulher já estava morta há pelo menos seis horas e que tinha ferimentos na altura da lombar e pescoço.

O padrasto da mulher contou que ela morava sozinha com o filho e tinha terminado recentemente um casamento. Ele disse que o ex-marido da enteada tinha viajado para Minas Gerais. Segundo o padrasto, os dois mantinham um relacionamento bom mesmo após a separação. Segundo informações de familiares, a vítima estaria em outro relacionamento amoroso, mas não souberam informar mais nada sobre o namorado. A Polícia Civil foi ao local e não constatou sinais de arrombamento na casa, somente registrou que o celular da vítima foi levado.
SMS
A prima de Albani, Renata da Silva Teixeira, recebeu uma mensagem pelo celular com um pedido de socorro, às 0h 47. Renata da Silva Teixeira, porém desconfia que não foi sua prima que lhe enviou a mensagem. “Eu achei isso muito esquisito. Para quem está passando por um momento de nervoso, como um assalto, não se preocupa em escrever todas as palavras certas, quer logo pedir ajuda”, afirma.

As suspeitas de Renata ainda aumentam pelo fato das duas não terem um contato próximo. “Nessas horas a gente lembra sempre dos familiares mais próximos. Por que ela não avisou a mãe dela?”, questiona.

Renata ainda ressalta que não conversava com a prima há pelo menos uma semana. Quando as duas trocavam mensagens pelo celular costumam usar o whatsapp. Já a mensagem enviada para o celular de Renata foi através de um SMS.

Assassinato na região da Berrini foi encomendado, diz delegado


Bandido tinha no celular uma foto da vítima, um diretor comercial de empresa.
Investigação apura os motivos e quem teria encomendado a morte.

Glauco AraújoDo G1 São Paulo
assassinato de um funcionário de uma empresa de informática no Brooklin, Zona Sul de São Paulo, foi encomendado, segundo o delegado responsável pela investigação. O crime aconteceu na tarde desta segunda-feira (1º), na Rua James Watt, perto da movimentada Avenida Engenheiro Luiz Carlos Berrini. Um suspeito de 46 anos foi preso.asssista ao vídeo
saiba mais

O diretor comercial Luiz Eduardo de Almeida Barreto, de 49 anos, voltava do almoço com outro colega de trabalho, por volta das 14h30, quando ambos foram abordados. O criminoso roubou celulares e carteiras. "Ele [ladrão] disse para o meu amigo ficar. O outro caminhou 10 metros e, quando virou para entrar no estacionamento do prédio, ouviu três tiros e o grito dele", afirmou ao G1 um conhecido da vítima. Ele não quis que seu nome fosse divulgado.
Segundo o delegado Anderson Pires, titular do 96º Distrito Policial, no Brooklin, o assassino, Elizer Aragão da Silva, de 46 anos, estava estudando a rotina da vítima e até tinha uma foto de Barreto no celular. “Ele foi contratado para matar a vítima. Ele simulou o assalto e nos passou uma motivação, que ainda estamos apurando, porque não está batendo direito", afirmou o policial.
O delegado trata o caso como homicídio doloso. "Foi crime de mando. Ele veio para matar a vítima. Vai responder pelo homicídio e pelo assalto qualificado, mas o objetivo era matar a vítima." Ainda de acordo com ele, Barreto morava sozinho na capital e tinha parentes no interior.
"Ele coloca um nome como mandante no papel, mas nós vamos apurar essa informação. Para nós a motivação é diferente. Não descartamos nenhuma hipótese", afirmou o delegado quando perguntado se o mandante pode ter motivo passional ou profissional. "Provavelmente o crime foi encomendado enquanto ele ainda estava no cárcere."
Prisão
Polícia apresentou a arma que teria sido usada no crime na Berrini (Foto: Glauco Araújo/G1)Polícia apresentou a arma que teria sido usada no crime na Berrini (Foto: Glauco Araújo/G1)
De acordo com a PM, o criminoso fugiu após os disparos, mas foi detido perto da estação Berrini da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O suspeito estava com um revólver calibre 38 com numeração raspada e os objetos roubados.
Segundo policiais que trabalharam na ocorrência, ele estava em liberdade condicional havia menos de um mês após cumprir parte da pena por latrocínio (roubo seguido de morte). Ele estava preso na Penitenciária de Valparaíso, cidade a 564 km da capital paulista. Atualmente, estava morando em São Miguel Paulista, bairro da Zona Leste da cidade.
Números
A região do Brooklin é considerada segura levando-se em conta os dados estatísticos da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Neste ano, foram registrados, até abril, dois homicídios dolosos (quando há intenção) e nenhum latrocínio. O número representa 0,5% dos 410 mortos até abril na cidade inteira. A critério de comparação, foram registrados no 1º DP (Sé) sete assassinatos.
No ano passado inteiro ocorreram quatro homicídios dolosos e um latrocínio no Brooklin. O número representa 0,33% dos 1.198 assassinatos ocorridos no período. Em comparação, em 2014 inteiro ocorreram 16 assassinatos na região da Sé.
Corpo de homem assassinado ao voltar do almoço na região da Avenida Luís Carlos Berrini (Foto: Glauco Araújo/G1)Corpo de homem assassinado ao voltar do almoço na região da Avenida Luís Carlos Berrini (Foto: Glauco Araújo/G1)

Irmão de gêmeos que morreram em acidente tem estado grave de saúde


Criança de dois anos continua internada em hospital de Itabuna, na Bahia.
Gêmeos de 5 anos morreram em batida a caminho da igreja na BR-101.

Do G1 BA, com informações da TV Santa Cruz
Os pais dos gêmeos de cinco anos que morreram em um acidente na BR-101, região entre os municípios de Jussari e São José da Vitória, no sul da Bahia, receberam alta médica do hospital onde estavam internados. Os outros dois filhos do casal, um de dois anos e outro onze anos, permanecem internados em um hospital de Itabuna. O motorista do caminhão teve ferimentos leves.(assista ao vídeo)
Família se envolveu em acidente na manhã de domingo  (Foto: Reprodução / TV Santa Cruz)Família se envolveu em acidente na manhã d
e domingo (Foto: Reprodução / TV Santa Cruz)
O acidente ocorreu por volta das 7h de domingo, após o carro da família bater contra um caminhão no km-554 da rodovia. Segundo o Hospital Manuel Novais, onde as crianças estão internadas, o menino de dois anos está em coma e o estado de saúde dele é grave. Já a outra criança está fora de perigo.
Segundo José Jerônimo Araújo, amigo das vítimas, a família estava indo para uma reunião da igreja. "Um choque muito grande na minha casa porque a minha esposa e os meus filhos acompanham o crescimento desse casal de gêmeos, essas crianças, essa família. Nós quando trabalhamos, plantamos igreja, as pessoas que estão na nossa igreja são nossa família. O momento é de muita dor", lamenta.
Acidente na BR-101, região sul da Bahia (Foto: Ednaldo Pinto/Arquivo Pessoal)Carro da família ficou destruído na batida
(Foto: Ednaldo Pinto/Arquivo Pessoal)
Batida
A PRF afirma que o carro da família viajava entre as cidades baianas de Ipiaú e Pau Brasil, enquanto o caminhão saiu de Porto Seguro com destino a Itabuna. A polícia vai investigar as circunstâncias do acidente. As informações colhidas pela PRF no local da batida apontam que a pista estava molhada e o motorista do carro perdeu o controle da direção em uma curva muito perigosa.
Acidente na BR-101, região sul da Bahia (Foto: Ednaldo Pinto/Arquivo Pessoal)Acidente na BR-101, região sul da Bahia, ocorreu no domingo (Foto: Ednaldo Pinto/Arquivo Pessoal)
Acidente na BR-101, região sul da Bahia (Foto: Ednaldo Pinto/Arquivo Pessoal)Duas crianças morreram no local (Foto: Ednaldo Pinto/Arquivo Pessoal)
Acidente na BR-101, região sul da Bahia (Foto: Ednaldo Pinto/Arquivo Pessoal)Batida deixou veículos destruídos (Foto: Ednaldo Pinto/Arquivo Pessoal)

PF indicia ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira por quatro crimes


Acusação envolve lavagem de dinheiro, evasão de divisas, falsidade ideológica e falsificação de documentos. Investigação aponta R$ 464 mi em transações suspeitas

Por Rio de Janeiro

A Polícia Federal (PF) indiciou, sob suspeita de quatro crimes, o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira. O ex-dirigente é acusado de participar de ações de lavagem de dinheiro, evasão de divisas, falsidade ideológica e falsificação de documentos. O processo corre em paralelo ao escândalo de corrupção da Fifa - que resultou na prisão de sete pessoas, entre elas outro ex-presidente da CBF, José Maria Marin. São casos diferentes. O pedido de indiciamento da PF cita ainda outras três pessoas, entre elas, o antigo presidente do Barcelona, Sandro Rosell, acusado de falsidade ideológica e falsificação de documentos.
As informações fazem parte de um relatório produzido pela PF em janeiro deste ano e enviado ao Ministério Público Federal do Rio de Janeiro. O ponto de partida para a investigação são as relações de Teixeira com a empresa Ailanto Marketing, e propriedade de Sandro Rosell. É a mesma firma acusada de irregularidades na realização de um amistoso disputado no Distrito Federal pelas seleções de Brasil e Portugal, em 2008. A partida custou R$ 9 milhões ao Governo do DF, dinheiro que teria sido pago a Ailanto, criada um mês antes do jogo.
Em resposta ao GloboEsporte.com, por email, a assessoria do MPF do Rio afirmou que "as  investigações estão sob sigilo" e que nenhuma informação poderia ser passada no momento de forma oficial.
Relatório Ricardo Teixeira 1 (Foto: Reprodução)Trecho do relatório da Polícia Federal que detalha suspeitas sobre Ricardo Teixeira 1 (Foto: Reprodução)
Ricardo Teixeira é investigado por movimentações financeira suspeitas no valor de R$ 464,5 milhões, entre 2009 e 2012 (quando ainda era presidente da CBF e do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014). As transações foram consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf.
Diz o texto do documento: "Juntada das informações do Coaf, onde constam informações sobre altas movimentações financeiras realizadas por Ricardo Terra Teixeira, no montante de R$ 464.560.000,00 (quatrocentos e sessenta e quatro milhões, quinhentos e sessenta mil reais), entre os anos de 2009 e 2012, sendo que tais foram considerados atípicos pelo Coaf". As informações sobre o relatório foram publicadas primeiramente pela revista Época.
O relatório aponta que Ricardo Teixeira mantinha contas no exterior e movimentou valores para comprar um apartamento de R$ 720 mil no Rio de Janeiro - cujo real valor de mercado seria de R$ 2 milhões. A investigação alega que o ex-dirigente não teria como comprovar os valores e suspeita da negociação, visto que o proprietário, Claudio Abrahão, teria comprado o imóvel sete anos antes pelo mesmo valor e ainda teria gasto com impostos para a transferência. Cláudio é irmão de Wagner Abrahão, sócio do Grupo Águia, que até hoje atende a CBF.
Ricardo Teixeira presidente da CBF com as taças da Copa do Mundo em 2003 (Foto: Arquivo / Ag. Estado)Ricardo Teixeira foi presidente da CBF entre 1989 e 2012 (Foto: Arquivo / Ag. Estado)
Outro item trata de fraude em movimentações de compra e venda de ações envolvendo Teixeira, Rosell e Cláudio Honigman, parceiro comercial dos dois. Há ainda suspeitas de irregularidades envolvendo a compra de uma aeronave particular envolvendo a empresa Ailanto Marketing.
Ricardo Teixeira, 67 anos, foi presidente da CBF de 1989 a 2012, quando deu lugar a José Maria Marin, que está preso na Suíça desde a semana passada. Ele também presidiu o Comitê Organizador da Copa de 2014, no período entre 2009 e 2012, quando foi novamente sucedido por Marin.