Bando especializado em assaltar famílias chinesas é preso no RJ


Vítima dos integrantes da quadrilha especializada chegou a perder R$ 5 milhões. Em apenas um ano, 28 casos foram registrados no Rio.


A polícia do Rio prendeu integrantes de uma quadrilha especializada em assaltar casas de famílias chinesas. O bando agia em três estados. Uma vítima chegou a perder R$ 5 milhões.assista ao vídeo
“A gente se sente muito mal, a casa da gente invadida, é uma paranoia, ninguém dormiu aquela noite”, conta uma vítima da quadrilha.
Imagens de câmeras de segurança mostram os assaltantes entrando e saindo tranquilamente dos prédios onde moram as vítimas.
“Têm uma boa aparência, eles passam como se fossem convidados ou moradores”, conta outra vítima.
Fotos mostram portas arrombadas, quartos e armários revirados. Eles analisam os hábitos das famílias e depois agem quando não há ninguém em casa. As ferramentas usadas pelos bandidos são objetos simples, mas que fazem muito estrago.
Um homem que não quis se identificar chegou em casa na hora do assalto e levou vários golpes com uma grande chave de fenda.
“Foi uma luta corporal, nessa luta eles me agrediram muito, ainda me ameaçaram de morte. Levei três pontos na cabeça, arranhões no braço esquerdo, com hematomas, muita pancada na cabeça”, conta o homem.
O bando especializado em roubar casas de famílias chinesas é da capital paulista, e costuma agir não só no eixo Rio-São Paulo, mas também em Belo Horizonte.
Cinco assaltantes foram presos em Copacabana. Eles estavam hospedados num endereço nobre, num apartamento na Avenida Atlântica, bem em frente à praia.
Policiais disseram que todos confessaram participação nos crimes.
Há duas semanas, um deles havia sido preso em Belo Horizonte. Pagou fiança e foi liberado. A Polícia Civil do Rio também prendeu nesta sexta-feira (5) em São Paulo um outro bandido. E dois criminosos que estão foragidos já foram identificados. A delegada suspeita que a quadrilha seja chefiada por um chinês.
“E ele é o responsável por passar informação de chineses bem sucedidos e que guardam também dinheiro em casa”, disse a delegada Izabela Santoni.
Em apenas um ano, 28 casos foram registrados no Rio. Mas, para os investigadores, esse número pode passar de 100, porque a maioria das vítimas não procura a delegacia.
“Uma única vítima perdeu em torno de R$ 5 milhões entre joias e dinheiro”, conta a delegada.
“É um fantasma que vai levar muito tempo pra ser apagado”, diz mais uma vítima.

Famoso nas redes sociais, Bar do Araújo 'não resiste' e muda de local


Milhares de internautas fizeram campanha pelo não fechamento do boteco.
Estabelecimento ficava entre duas igrejas evangélicas, em Palmas.

Jesana de JesusDo G1 TO, com informações da CBN Tocantins
Internautas lançaram a #resistearaujo em apoio ao dono do estabelecimento (Foto: Reprodução/Twitter)Internautas lançaram a #resistearaujo em apoio ao dono do estabelecimento (Foto: Reprodução/Twitter)
Milhares de internautas se manifestaram nas redes sociais nos últimos dias para dar apoio ao Bar do Araújo. A campanha começou depois da divulgação de uma imagem que mostra o estabelecimento entre duas igrejas evangélicas. Para muitos, a imagem não passava de uma montagem, mas a verdade é que o bar existiu e funcionou de julho a dezembro do ano passado, no setor Jardim Aureny III, na região sul de Palmas. Para a tristeza dos fãs de Araújo, ele "não resistiu" e teve que se mudar do local, mas não foi por causa das igrejas, segundo o proprietário.
Famoso na internet, Joaquim Araújo, de 53 anos, disse à CBN que o ponto era pouco movimentado. "Minha venda caiu quase 80%. Quando dava 22h acabava o movimento, tinha que fechar e ir embora. Hoje, existe igreja de um lado e do outro, mas não foi por isso que me mudei de lá", revelou.
Joaquim Araújo ficou surpreso com a repercussão do bar nas redes sociais (Foto: Gleydsson Nunes/CBN Tocantins)Joaquim Araújo ficou surpreso com a repercussão
do bar nas redes sociais
(Foto: Gleydsson Nunes/CBN Tocantins)
Segundo Araújo, quando o bar foi instalado no local, em julho de 2014, não havia nenhuma igreja ao lado. Depois de alguns dias a primeira apareceu. A segunda surgiu após dezembro, quando o bar mudou de endereço.
Hoje o estabelecimento funciona no mesmo bairro, mas em outro ponto da quadra. No novo endereço do botequim, Araújo não corre riscos de ter vizinhos inesperados, o imóvel fica em uma esquina. Além dessa vantagem o espaço é bem maior.
Araújo tem uma vida corrida. Durante o dia trabalha como agente de saúde e à noite atende aos clientes no bar. Ele não tem contas em redes sociais e não tinha ideia do sucesso que o bar faz na internet. Ele tomou conhecimento da fama instantânea por meio dos filhos e das pessoas que o cumprimentam na rua.
"Me deparei com gente que disse: 'Ah você é o famoso Araújo? Moço eu vi uma reportagem na internet sobre você'. Beleza, é bom eu saber disso e saber que meu bar está fazendo sucesso na mídia."
O local onde funcionava o Bar do Araújo está vazio. O dono do imóvel, que não teve o nome divulgado, disse que desistiu de alugar e que vai transformar o ponto em um depósito.
Enquanto isso, no outro ponto da quadra, a intenção de Araújo é movimentar o estabelecimento e lucrar com o sucesso obtido na internet. "Eu quero participar desse sucesso juntamente com o movimento do Bar do Araújo", disse.
Bar do Araújo não resistiu e teve que sair o local (Foto: Marcos Jardim/Arquivo Pessoal)Bar do Araújo não resistiu e teve que sair o local; foto do local sem a fachada foi tirada essa semana
(Foto: Gleydsson Nunes/CBN Tocantins)
Apoio nas redes sociais
A campanha #resistearaujo começou no mês de maio em uma rede social após a divulgação da imagem na internet. Não é possível dizer quem postou a foto, o certo é que a imagem se tornou um viral. Araújo ficou tão famoso que até virou perfil nas redes sociais.
Nos comentários na internet, as pessoas deram apoio ao Araújo, lançaram tags e também foram polêmicas ao falarem sobre a imunidade de impostos concedida às igrejas. "Na foto vemos três típicos estabelecimentos comerciais, apenas o do meio paga impostos. #ForçaAraújo #ResisteAraújo", disse um internauta.
Internautas criticam imunidade de impostos concedida às igrejas (Foto: Reprodução/Twitter)Internautas criticam imunidade de impostos concedida às igrejas (Foto: Reprodução/Twitter)
  •  
Bar do Araújo mudou de local por causa do baixo movimento; o ponto fica no Jardim Aureny III em Palmas (Foto: Gleydsson Nunes/CBN Tocantins)Bar do Araújo mudou de local por causa do baixo movimento; o ponto fica no Jardim Aureny III em Palmas (Foto: Gleydsson Nunes/CBN Tocantins)

Número de mortos em naufrágio na China passa dos 300


Segundo agência estatal, 331 morreram e 111 continuam desaparecidos.
Mais de 450 estavam a bordo no momento do acidente no Rio Yangtze.

Do G1, em São Paulo
  •  
Vista aérea da equipe de resgate trabalhando para endireitar o navio de cruzeiro Estrela do Oriente que naufragou em Jianli, na China. O número de mortes no acidente subiu para 97  (Foto: Reuters)Vista aérea da equipe de resgate trabalhando para endireitar o navio de cruzeiro Estrela Oriental, que naufragou no rio Yangtze, na China (Foto: Reuters)
O número oficial de mortos no naufrágio de um navio de cruzeiro chinês no rio Yangtze, na província de Hubei, chegou a 331 às 8 horas da manhã de sábado (6, horário local), de acordo com a agência oficial de notícias do país, a Xinhua.
saiba mais

No momento do acidente, na noite de segunda-feira, havia 456 pessoas a bordo. Ainda segundo a Xinhua, 111 pessoas são consideradas desaparecidas. Apenas 14 foram resgatadas com vida, entre elas o comandante do “Estrela Oriental”.
Às 2h30 da madrugada, a agência havia informado que os mortos eram 154. O grande aumento em poucas horas aconteceu depois que o navio foi endireitado com o auxílio de guindastes e as equipes de resgate puderam entrar na embarcação. A medida só foi tomada na sexta porque antes as autoridades ainda consideravam possível a localização de mais sobreviventes.
Familiares das vítimas, que enfrentaram horas de viagem para chegar ao local do acidente e chegaram a entrar em conflito com policiais, continuam reclamando da falta de informações e da demora na identificação dos mortos. 
O cruzeiro do "Estrela Oriental" era considerado uma viagem de luxo para muitos chineses, e a maioria dos passageiros, na faixa dos 50 aos 80 anos, teria pago US$ 300 (cerca de R$ 950) por um cabine compartilhada da classe econômica.

Atleta morre durante voo com wingsuit, no Espírito Santo


O acidente ocorreu nesta quinta-feira, na cidade de Castelo, no Espírito Santo
O acidente ocorreu nesta quinta-feira, na cidade de Castelo, no Espírito Santo Foto: Reprodução/Facebook
Júlia Zaremba

O atleta Keds Skediver, conhecido por saltos com wingsuit - macacão com asas utilizado para voos de alta performance -, morreu nesta quinta-feira após sofrer um acidente durante um voo. O acidente aconteceu na cidade de Castelo, no Espírito Santo, a cerca de 180 quilômetros de Vitória. Segundo o presidente da Associação de Vôo Livre de Castelo, Domingos Aguinaldo Burguês, Keds saltou da Pedra do Fio, mas, quando tentou passar entre duas árvores, bateu numa delas.
Keds era conhecido por saltar de grandes alturas
Keds era conhecido por saltar de grandes alturas Foto: Reprodução/Facebook
- Apesar de não o conhecer pessoalmente, sabia que era um piloto muito experiente e conhecido. Soube que ele havia alugado uma casa em Castelo para saltar de wingsuit - conta, lembrando que a Pedra do Fio tem mais de 900 metros de altura.
Segundo a Gazeta Online, o corpo do atleta foi encaminhado para o Serviço Médico de Itapemirim, onde aguarda a liberação da família.
Os praticantes dessa modalidade de paraquedismo são popularmente conhecidos como “homens-pássaro”.


Celso Santebanes, o Ken Humano, é enterrado em Araxá, Minas Gerais


Enterro começou às 17h30 desta sexta-feira, 5, com a presença de amigos e familiares. Modelo morreu na quinta, 4, vítima de câncer.

Diogo Meira
Enterrro do Ken Humano (Foto: EGO)Jennifer Pamplona (à esquerda, de óculos escuros), amigos e familiares no enterrro de Celso Santebanes, mais conhecido como Ken Humano, em Araxá, Minas Gerais (Foto: EGO)
O corpo de Celso Pereira Borges, conhecido como Celso Santebanes, o Ken Humano, foi enterrado nesta sexta-feira, 5, no cemitério São João Batista, em Araxá, Minas Gerais. A cerimônia, que teve a presença de familiares e amigos do modelo, começou pouco antes das 17h30.
Enterrro do Ken Humano (Foto: EGO)Jennifer é amparada por amiga dursnte o enterrro do
Ken Humano (Foto: EGO)
Durante o enterro do modelo - que morreu na tarde de quinta-feira, 4, no Hospital das Clínicas de Uberlândia, onde fazia tratamento contra a leucemia - toda a família estava presente, com exceção de Marília Pereira Borges, tia de Celso, e José Pereira Borges, avô do modelo - que passou mal ainda durante o velório. A estilistaJennifer Pamplona, namorada do modelo,era uma das mais emocionadas e teve que ser amparada por uma amiga em alguns momentos.
O caixão foi sepultado por volta das 17h40 no mesmo jazigo do irmão, Celimar Pereira Borges, que morreu aos 18 anos, vítima de pneumonia, em 2011.
Enterrro do Ken Humano (Foto: EGO)Jennifer, amigos e familiares dão o último adeus a Celso
Santebanes (Foto: EGO)
Emocionado, o pai de Celso, Celio Antonio Borges, deixou o local antes do final do enterro. Já Jennifer foi a última a deixar o local, sempre chorando muito.

Após o enterro, ainda muito abalada, a estilista conversou com o EGO e afirmou que não vai desistir de lutar pelos sonhos do rapaz. “Ele tinha muitos sonhos. Vou dar continuidade ao sonho dele para que ele, lá no céu, esteja olhando e fique feliz. Eu vou estar aqui, lutando sempre pelo grande sonho dele... Lançar a linha de bonecos, ajudar a minha família e a família dele, que agora é minha também”, afirmou ela com a voz embargada.

Jennifer lembrou também que o casal tinha muitos planos. “Jamais pensei que estaria enterrando o Celso... Nossos planos não eram de estar aqui. Nossos planos eram  estudar. Mas acabou acontecendo isso”, disse, chorando. “O Celso não morreu, iniciou a vida eterna. Tínhamos uma irmandade de estar sempre juntos até o fim. Ficam as lembranças. Na vida, não  somos nada”
O Celso não morreu, iniciou a vida eterna. Tínhamos uma irmandade de estar sempre juntos até o fim. Ficam as lembranças. Na vida, não  somos nada"
Jennifer Pamplona
Família planeja biografia
De acordo com Marília Pereira Borges, tia de Celso, a família agora quer eternizar a história do modelo em uma biografia. Ela, no entanto, ainda não tem maiores detalhes do projeto.

Avô passa mal em velório
Mais cedo, José Pereira Borges, avô de Celso, passou mal enquanto velava o corpo do neto. Ele teve um pico de pressão e precisou ser amparado e medicado. O velório aconteceu na casa da família, em Araxá, desde as 7h da manhã desta sexta. Já Jennifer Pamplona, namorada de Celso, chegou ao velório muito abalada e não conseguiu falar com a imprensa.
Pela manhã, ao chegar à cidade, no entanto, a estilista conversou com o EGO. "Estou hospedada na casa do pastor que acompanhava o Celso, em Araxá. Está muito difícil de acreditar. Essa vida nos engana muito", disse ela, emocionada.
Enterrro do Ken Humano (Foto: EGO)Caixão de Celso Santebanes pouco antes do
sepultamento (Foto: EGO)
Jennifer fez ainda uma declaração de amor a Celso. "Quando o conheci, perguntei a ele como Deus não tinha colocado ele na minha vida antes. Fazíamos juras de nunca mais nos separarmos e a vida nos surpreendeu. Estou sem chão. Será difícil retomar minha vida. Hoje Deus ganhou um anjo que esta lá no céu", disse ela.
"Sinto a presença dele perto de mim. Foi a minha primeira perda grande. É muito doloroso, até agora a minha ficha não caiu. Olho as mensagens dele no Whatsapp e é como se ele estivesse aqui. Não tem explicação. Essa foi a pior perda da minha vida. Vou viver na esperança de encontrar meu irmão de alma. Prometi que ia ficar com ele para sempre. Então me espera! Um dia vamos estar juntos de novo. Jamais te esquecerei."
Família lamenta perda
Pouco antes da chegada de Jennifer, a mãe de Celso, Marli Pereira Borges, também conversou com o EGO sobre a perda do filho. "É muito dolorido. Ele era um bom menino, um bom rapaz. Ele teve o apoio de toda família, menos o meu, queria que ele ficasse aqui em Araxá. Sempre fui uma mãe ciumenta, não queria que ele fosse para São Paulo", disse ela, referindo-se ao desejo do modelo de buscar a fama.
Enterrro do Ken Humano (Foto: EGO)Caixão do Ken Humano (Foto: EGO)
"Os últimos dias foram muito tristes. Eu estava dando assistência para ele, cuidava dele. É muito triste, a leucemia foi se agravando, o câncer... Ele estava fazendo quimioterapia demais. Ele mesmo falou para mim: 'Marli, eu não vou resistir, vou morrer'. Eu dizia: 'Celso, não fala assim. Você é um rapaz novo, tem muita vida pela frente'. Ele dizia que não ia aguentar a quimioterapia, que era forte demais. Ele descansou, se livrou de todo sofrimento", comentou ela. (Confira no vídeo abaixo).
  •  
  •  
Entenda o caso - Celso Santebanes (Foto: EGO)
Dia de luto
O corpo de Celso Santebanes chegou à casa da família, no bairro de Santo Antônio, em Araxá (MG), onde foi velado, às 4h desta sexta-feira, 5.
O translado, velório e sepultamento do modelo somaram a quantia aproximada de R$ 10 mil e a família do modelo pediu ajuda no custeio dos gastos.

Família pede ajuda com despesas do velório e enterro
Celso morava em São Paulo havia cerca de cinco anos, quando começou sua transformação para se parecer com o boneco Ken. Segundo o pai, Célio Borges, o modelo queria ajudar a família e o hospital do câncer de Uberaba (Hospital Regional Hélio Angotti).
"Minha última conversa com o Celso foi quando ele estava internado em Uberlândia e ele me pediu que orasse para a saúde dele melhorar. Na família, todos ajudaram, os amigos também deram muito apoio durante a doença dele, as orações foram muito importantes para nós. A situação foi complicada porque ele não morava aqui e foi transferido de hospital tantas vezes, foi muito difícil para nós. Ele sempre agradecia, dizia que queria melhorar para continuar com a carreira dele, mas Deus fez outro plano para a vida dele", disse Célio, que afirmou ainda estar com dificuldade para pagar as despesas médicas em função da internação de Celso e que toda ajuda é bem-vinda.
Luta contra a doença
Celso estava internado desde 26 de maio em tratamento contra leucemia. Ele lutava contra a doença desde janeiro, quando teve o diagnóstico. Depois disso, passou três meses internado no hospital das Clínicas de Uberlândia, onde chegou a ficar em coma por um mês.
Vilmar Araújo, tio de Celso, falou sobre o estado de saúde do sobrinho sobrinho antes de sua morte. "Ele estava entubado e começou a sangrar pela gengiva e pelo nariz. Teve uma parada respiratória e, infelizmente, não resistiu. Ele estava muito fraco, há muitos dias sem se alimentar. O corpo humano não aguenta, essa doença deixa a pessoa muito debilitada. Foi um choque muito grande para a família".
Quem estava com Celso no momento em que o quadro de saúde do modelo se agravou era o avô dele, José. "O Celso não fez nenhum pedido especial. Ele não pensava na morte, achava que iria sobreviver. O sonho dele era ter um programa e dar uma casa para a Dona Teresinha, a avó que o criou", contou o tio do modelo.
Muito emocionada, Irani Pereira, irmã de Celso, falou ao EGO: "Fazer o quê, né? Infelizmente, Deus quis assim. Agora pelo menos ele vai descansar", disse ela. "A gente sempre espera o melhor, por mais difícil que seja. Ele era um bom menino e vão ficar muitas lembranças".

 

NOVA DENÚNCIA CONTRA EIKE BATISTA CITA NOME DE SUA EX-MULHER, LUMA DE OLIVEIRA


DE ACORDO COM DENÚNCIA, EM NOVEMBRO DE 2011, LUMA INVESTIU R$ 20 MILHÕES EM AÇÕES DA MPX, ÀS VÉSPERAS DE A COMPANHIA FIRMAR SOCIEDADE COM A ALEMÃ E. ON; UM MÊS DEPOIS, VENDEU SUA PARTE E TEVE LUCRO DE 27%

Luma de Oliveira e Eike Batista (Foto: Rogério Domingues / AG. O DIA)
empresário Eike Batista é alvo de nova denúncia por crime contra o mercado financeiro no Ministério Público Federal do Rio, pelo vazamento de informações que teriam beneficiado sua ex-mulher, Luma de Oliveira, emoperações de compra e venda de ações. De acordo com denúncia, em novembro de 2011, Luma investiu R$ 20,6 milhões em ações da MPX, às vésperas de a companhia firmar sociedade com a alemã E. ON, atual controladora da empresa rebatizada de Eneva. À época, Eike já negociava a parceria que seria formalizada em janeiro. Um mês após o acordo, Luma vendeu parte de suas ações, obtendo lucro de 27%.

De acordo com a denúncia, entre 22 e 28 de novembro de 2011, Luma se tornou a "principal compradora individual" de ações da empresa de geração de energia do grupo EBX. Ela adquiriu no total 508 mil ações da companhia. Naquele momento, Eike estava "para fechar" o negócio com a E.ON e apenas "poucos diretores da MPX e da holding sabiam que o grupo estava muito próximo de fechar o acordo", conforme a denúncia.

"É mais do que evidente que Luma de Oliveira somente fez esta operação com base nas informações privilegiadas detidas por Eike Batista", alega a Associação Nacional de Proteção dos Acionistas Minoritários (ANA) na notícia crime protocolada na quinta-feira, 4, no MPF. "Esta é, notoriamente, incapaz de fazer análises negociais. Entretanto, foi tomada, subitamente, por uma especial motivação para compras de ações da empresa", diz outro trecho.
 
SAIBA MAIS

Em 11 de janeiro de 2012, a MPX divulgou Fato Relevante formalizando a criação de uma "joint venture" com a E.ON, que previa aporte de R$ 850 milhões da empresa alemã para aquisição de 10% em ações, que registraram forte valorização nos dias seguintes à operação. Menos de um mês depois, em 9 de fevereiro, a ex-mulher de Eike vendeu um terço de suas ações na empresa e, até maio, Luma já havia liquidado toda sua participação na MPX, conseguindo um lucro estimado em 27% com as operações, nos cálculos da denúncia.

"É uma situação gravíssima, uma operação claramente criminosa que lesa os outros investidores. Eike estava dando dinheiro para a ex-mulher à custa dos acionistas, que venderam ações por não terem as informações", avalia Aurélio Valporto, conselheiro da associação de minoritários responsável pela ação.

A denúncia foi protocolada contra Eike e Luma de Oliveira, classificando as operações como crime de "insider trading", a negociação com uso de informações privilegiadas. Agora cabe ao Ministério Público avaliar se abrirá ou não inquérito. A pena para o crime é de prisão de até cinco anos e multa de até três vezes o valor da "vantagem ilícita". O documento também cita a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para apresentar relatórios sobre as negociações.

Procurada, Luma não comentou as denúncias. O advogado de Eike Batista informou "não ter nenhum registro de compra de ações" por parte de Luma, de quem o empresário é separado desde 2002. "Se ela comprou, há de ter sido uma compra legítima, como qualquer pessoa", afirmou Sérgio Bermudes. Segundo ele, "há ações mentirosas" contra o empresário. "Se o MPF encontrar consistência, quando abrir inquérito receberá os esclarecimentos devidos", completou.

A Eneva não quis se posicionar sobre "questões relativas a seus acionistas". A MPX foi criada em 2001, com foco na geração e comercialização de energia. Em 2007, angariou R$ 2,2 bilhões com a primeira oferta pública de ações, para construir oito usinas térmicas. Era o auge dos negócios de Eike, controlador da empresa. Em 2012, o empresário passou a buscar parceiros estrangeiros para financiar seus projetos, e associou-se à E.ON.

Antes dos investimentos de Luma, as ações da MPX eram negociadas por R$ 38. Com a entrada da sócia alemã, as ações chegaram a R$ 50. A ex-modelo vendeu parte de suas ações por R$ 48. Em março de 2013, quando Eike repassou mais 24,5% das ações aos sócios, as ações foram negociadas a R$ 10. Cinco meses depois, Eike deixou o comando da empresa, rebatizada de Eneva. Hoje, o empresário possui 20% do capital e a E.ON, 42,9%. Em fevereiro, a empresa pediu recuperação judicial com dívidas de R$ 2 bilhões e ações cotadas a R$ 0,15.