Estudantes criam ‘turma do estupro’ em jogos universitários e debocham em rede social


Após críticas, estudantes que criaram #turmadoestupro debocham
Após críticas, estudantes que criaram #turmadoestupro debocham Foto: Reprodução / Facebook
Breno Boechat

No último feriado, cerca 1.500 estudantes participaram da quarta edição dos Jogos Universitários de Comunicação Social (JUCS), na cidade de Vassouras, na Região Centro-Sul do estado do Rio de Janeiro. Entre competições acirradas e festas, o evento, que era para ser uma confraternização entre alunos, foi marcado por discriminações de gênero, raça, orientação sexual, tipo físico e até apologia aoestupro.
Nas arquibancadas dos JUCS, estereótipos e ofensas comuns em estádios de todo o Brasil são reproduzidos por estudantes não só de comunicação, mas também por outros jovens que vão para acompanhar as disputas e as festas. Terminada a competição, as redes sociais viraram espaço de discussão, provocação e ainda mais ofensas. Pessoas que estavam presentes relataram que alunos de uma universidade particular da capital se classificavam como a “turma do estupro”. Nas redes, alguns deles ainda debocharam de uma crítica feita anonimamente, em um grupo que reúne pessoas que participaram do evento. “Fazemos sim e no próximo vamos fazer pior #turmadoestupro”. Questionado sobre o fato de fazer apologia ao estupro ser considerado crime, o aluno seguiu desdenhando: “Me prenda!”, escreveu.
Após críticas, estudantes que criaram #turmadoestupro debocham
Após críticas, estudantes que criaram #turmadoestupro debocham Foto: Reprodução / Facebook
Alunos também relatam que foram vítimas de ofensas racistas. Uma estudante, que prefere não se identificar, conta que ouviu, enquanto participava de uma das competições, gritos preconceituosos contra ela.
— Algumas pessoas da PUC falaram que meu cabelo era “de bandido”, me chamaram de piranha. Como isso pra mim não é nenhuma ofensa, pedi para cantarem mais alto. Nesse dia eu sofri várias provocações e, claro, não cedi a nenhuma. Antes do jogo, ouvi algumas meninas da PUC cantarem “Ai ai ai”, da Vanessa da Mata, enquanto eu passava. A tentativa de ofensa virou elogio. Comecei a cantar mais alto que elas, já que a música é ótima e a cantora também — conta a estudante, de 19 anos.
Estudantes debocharam após serem criticados por #turmadoestupro
Estudantes debocharam após serem criticados por #turmadoestupro Foto: Reprodução / Facebook
Comentários machistas são comuns entre as discussões dos alunos, no Facebook
Comentários machistas são comuns entre as discussões dos alunos, no Facebook Foto: Reprodução / Facebook
A aluna revela ainda que manifestações machistas são comuns entre todas as torcidas que participam do evento. Nos Jogos Jurídicos, realizados no mesmo feriado, alunos de Direito realizaram uma campanha para evitar que atletas e torcedores usassem gritos e cânticos machistas durante os jogos.
— Não sabia dessa iniciativa dos jogos (jurídicos). Achei ótimo, já está na hora dessa situação absurda ser reconhecida como tal: um absurdo — opina.
Comentários machistas são frequentes na discussão entre os estudantes pela internet
Comentários machistas são frequentes na discussão entre os estudantes pela internet Foto: Reprodução / Facebook
Ao EXTRA, Rafael Cotta, representante da JC2 Esportes, empresa que organiza os JUCS, disse que a companhia repudia qualquer ato discriminatório dentro dos jogos e que o evento conta com um tribunal de justiça desportiva para avaliar a conduta de atletas e torcidas durante as competições. Segundo Cotta, durante o evento, houve apenas um caso de racismo registrado com a administração, que foi apurado e encerrado. Ele conta ainda que já há uma mobilização para que, na próxima edição, a ser realizada em 2016, haja maior conscientização dos participantes sobre a postura no evento.
— Nunca tinha tido nada nessa esfera, então ninguém se preocupou em fazer nada previamente. Sempre foi uma festa bonita, de integração. Durante o evento, chegaram alguns boatos, reclamações sobre xingamentos generalizados, coisa normal em torcida. Quando chega um registro formal de uma torcida com esse tipo de atitude, há a apuração dos fatos com a nossa comissão. O único caso formal que chegou pra gente foi apurado e foi constatado que não houve o fato.


Ladrões invadem obra no Bom Retiro pra levar carro zerinho do mestre de obras


Por Denise Mello e Djalma Malaquias

casa sobrado
Bandidos agiram rápido e levaram o Focus – Foto: Djalma Malaquias/Banda B

Dois bandidos armados invadiram um sobrado em obras no bairro Bom Retiro, em Curitiba, na manhã desta terça-feira (9). Invadiram sabendo exatamente o que queriam: um veículo Focus, zero km, que o mestre de obras tinha acabado de comprar. Conseguiram levar o carro, mas antes renderam todos os seis operários que estavam no local, além do mestre, que ficou arrasado em perder o veículo que nem aproveitou.
O assalto aconteceu por volta das 9h15 e durou cerca de 10 minutos. Dois homens armados invadiram a obra na Rua João Guilherme Guimarães e ordenaram que todos os trabalhadores fossem para os fundos e olhassem para o alto. “Já quando entraram falaram que queriam o carro do mestre de obras. Sabiam o que queriam”, disse um dos operários rendidos.
O dono do veículo imediatamente deu a chave e se reuniu com o grupo rendido. Eles entraram no carro e fugiram.
A polícia foi chamada e conversou com o mestre de obras, que estava bastante chateado. Ele tinha acabado de comprar o Focus branco e nem lembrava a placa do carro de tão nervoso. O proprietário contou que o carro, comprado em 20 parcelas de R$ 1.970,00, todas ainda em aberto, tem seguro.
A PM deve verificar no sistema, pelo nomo do dono, a placa do veículo roubado e demais características para o alerta de busca. Ninguém ficou ferido no assalto.

Em relatório, deputado propõe reduzir maioridade penal para 16 anos


Laerte Bessa (PR-DF) sugere ainda um referendo em 2016 sobre o tema.
Texto será lido nesta quarta em comissão; Cunha quer votá-lo neste mês.

Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília
O relator da comissão especial da maioridade penal, deputado Laerte Bessa (PR-DF), entregou nesta terça-feira (9) um parecer em que defende a redução da idade penal de 18 anos para 16 anos. O relatório deverá ser lido na comissão nesta quarta (10) e poderá ser votado pelos parlamentares. O texto votado na comissão como forma de Proposta de Emenda à Constituição precisa passar também pelos plenários da Câmara e do Senado.
saiba mais

Bessa propõe também a realização de um referendo popular junto com as próximas eleições, em 2016, para que a população dê seu aval sobre eventual mudança feita pelo Congresso em relação à maioridade.
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já anunciou que pretende levar o tema para ser votado pelo plenário até o fim de junho.
No relatório, Bessa argumenta que a diminuição para 16 anos é necessária diante dos altos índices de cooptação de adolescentes para a prática de atos ilícitos. Ele propõe que a redução seja válida para todos os tipos de crime, sem exceção.
Pela proposta do deputado, o adolescente infrator de 16 ou 17 anos deverá cumprir  punição, de caráter “educacional” e “ressocializante”, em local separado dos adultos.
No documento, Bessa afirma ter "plena convicção" de que a redução da maioridade penal não fere qualquer direito fundamental das crianças e adolescentes. Para ele, a medida garante a sua “harmonização" desses direitos "com os direitos coletivos da segurança e da paz social”.
Ele reconhece que a redução da idade penal não resolverá o problema da violência urbana, cuja solução, diz, “passa, principalmente, pela ampliação e efetividade dos programas sociais educacionais, culturais e de pleno emprego”.
No entanto, reitera que a Câmara não pode ficar “inerte” ao clamor da sociedade, que exige a “justa punição dos adolescentes que praticam crimes graves e restam impunes, segundo as normas atualmente em vigor”.
Na avaliação dele, as estatísticas governamentais sobre a questão da criminalidade juvenil no Brasil são “extremamente deficientes”, mas os estudos disponíveis apontam que a criminalidade juvenil não é “insignificante”.
Como base, ele cita dados apresentados em audiência pública na comissão pela presidente da Fundação Casa de São Paulo (ex-Febem), Berenice Maria Gianella, que mostram que o número de adolescentes apreendidos no estado em 2013 representou uma média de 13% do total de adultos presos.
Alternativa do governo
Também nesta terça, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que o governo quer investir em diálogo para chegar a um projeto alternativo à redução da maioridade penal.
Segundo Cardozo, o governo pode, por exemplo, apoiar projeto apresentado pelo senador José Serra (PSDB-SP), que aumenta o limite de internação de um jovem infrator de três para dez anos.
o vice-presidente da República Michel Temer, responsável pela articulação política do governo, se reuniu no Palácio do Planalto com líderes da base aliada na Câmara dos Deputados e Cardozo para discutir o tema.
Após o encontro, ele afirmou que o governo vai “colaborar” com o Congresso, mas ressaltou que o assunto é “exclusivo” do Legislativo. Na avaliação do vice-presidente, “toda a sociedade” deve se envolver na discussão sobre a redução da maioridade penal.
“Eu quero registrar, como tenho dito ao longo do tempo, que esta é uma matéria exclusiva do Congresso Nacional. O Congresso é quem decide. [...] Acho que é um tema envolve toda a sociedade brasileira, é preciso haja uma solução e o governo colabora nessa medida, colabora com o Congresso Nacional”, disse o vice-presidente.
Presente na reunião com Temer, o líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães, defendeu “cautela” nas discussões sobre a redução da maioridade penal e disse que o tema “não é questão de oposição e governo.”
“Esta é uma questão do país. Não é questão de oposição e governo. Muito pelo contrário, é uma questão do país. Temos de ter cautela na condução política em busca de uma resposta para a sociedade”, disse o deputado.

Suspeito de arrombar loja de surf em shopping é preso em Curitiba


Da Redação com Polícia Civil


Após investigações, policiais civis da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) elucidaram, nessa última semana, um furto em uma loja de roupas de surf. O crime aconteceu no mês de fevereiro deste ano, em um shopping localizado no bairro Jardim das Américas, em Curitiba. Duas pessoas que participaram do crime foram identificadas pela polícia.
Ao analisar imagens do circuito de segurança do estabelecimento, realizando o cruzamento com informações, a polícia conseguiu identificar um adolescente de 17 anos, participante do crime. O jovem já é conhecido no meio policial pela prática de furtos semelhantes, também foi reconhecido praticando o furto na loja de roupas.
Seguindo as diligências, os policiais também identificaram, Rafael Tomaz Aquino, 20 anos, sendo mais um participante do crime. Ao ser interrogado, Aquino disse que foi convidado pelo adolescente e por um homem chamado “Henrique”, para cometer o delito.
Depois do fechamento do shopping, os suspeitos arrombaram a porta do estabelecimento e furtaram todo o material de vestuário, estimando um prejuízo de aproximadamente R$ 15 mil para a loja.
Segundo informações apuradas pela polícia, o adolescente ficou responsável pela venda dos produtos e entregou a Aquino o valor de R$ 500 por sua participação no crime.
Os dois envolvidos pelo crime foram ouvidos pela polícia e respondem pelo crime em liberdade, onde aguardam decisão judicial. Um terceiro envolvido foi identificado pela polícia que segue com as investigações para a localização do suspeito que está foragido.

Empresário é cercado por bandidos e perde R$ 35 mil que levava para o banco


Por Denise Mello e Djalma Malaquias

Um empresário de Paranaguá, no litoral do Paraná, foi assaltado dentro do próprio carro na tarde desta segunda-feira (8), enquanto seguia para uma agência bancária. Dois bandidos levaram R$ 35 mil de um malote que seria depositado. Ninguém foi capturado.
A ação foi rápida, de acordo com informações do boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar. Dois homens em um Fiat Palio fecharam o veículo do empresário, um Peugeot e o obrigaram a descer. Armados, os homens foram direto para o malote que estava no banco de trás, no chão. Segundo a PM, tudo indica que os ladrões sabiam que o empresário levava o dinheiro no carro. Os R$ 35 mil foram arrecadados durante o feriado no comércio da vítima. A PM não informou que tipo de comércio.
O empresário foi abandonado na rua enquanto um dos bandidos ocupou seu carro e saiu atrás do outro veículo. Não há informações dos assaltantes. A vítima não ficou ferida.

Cão se atira em frente a ônibus para salvar a dona cega nos EUA


Figo, de oito anos, absorveu impacto e salvou vida de Audrey Stone, em NY.
Após cirurgia, cão 'herói' aguarda alta de dona, que teve diversas fraturas.

Do G1, em São Paulo
Figo, o cão 'herói' de Brewster, NY (Foto: Reprodução/Facebook/Middlebranch Veterinary )Figo, o cão 'herói' de Brewster, NY (Foto:
Reprodução/Facebook/Middlebranch Veterinary )
Um cão-guia que se atirou na frente de um micro-ônibus para salvar sua dona está sendo tratado como herói em Brewster, Nova York. Figo, de oito anos, absorveu a maior parte do impacto com o veículo e, segundo a equipe de paramédicos que atendeu a dupla, provavelmente salvou a vida de Audrey Stone, de 62 anos.

O motorista do micro-ônibus escolar, que transportava dois alunos do jardim da infância do St. Lawrence O'Toole Childhood Learning Center, não viu a mulher que estava prestes a atravessar a rua, por volta das 8h15 da manhã de segunda (8). Mas Figo, ao perceber o risco, se colocou em frente a ela, segundo diversas testemunhas.

Stone chegou a ser atingida e está em um hospital, onde se recupera de fraturas em três costelas, um tornozelo e um cotovelo, enquanto Figo, que teve um corte profundo na pata dianteira direita, foi operado e descansa em uma clínica veterinária.

Os profissionais da Middlebranch Veterinary dizem que o corte chegou ao osso da pata do golden retriever, mas que ele está se recuperando muito bem e que poderá ficar no local até que sua dona tenha alta. Em seu perfil no Facebook, a clínica divulgou fotos do “herói”, e escreveu que ele não parece nada perturbado com o assédio da mídia.

A lealdade de Figo comoveu inclusive os paramédicos e bombeiros que auxiliaram no socorro a Stone. Eles afirmaram que o cachorro, mesmo mancando, não quis sair do lado de sua dona em nenhum momento enquanto ambos recebiam atendimento.

Ele depois deixou que socorristas enfaixassem sua pata tranquilamente e só ficou agitado quando Stone foi colocada em uma ambulância, na qual ele não podia entrar. Figo foi transportado até a clínica veterinária em um carro dos bombeiros.

Nuno Melo é homenageado pela filha em foto recente dos dois: ‘Palmas para o meu pai’


Joana e o pai, Nuno Melo: homenagem no Facebook
Joana e o pai, Nuno Melo: homenagem no Facebook Foto: reprodução

Joana Duarte de Melo, filha de Nuno Melo, decidiu homenagear o pai nas redes sociais. Através de seu perfil no Facebook, Joana postou uma foto recente na companhia do ator. “Palmas para o meu pai”, escreveu ela, que mora em Lisboa, mas chegou a estudar no Brasil, na UFF, em Niterói.
Nuno Melo, que ficou conhecido por aqui ao interpretar o taxista Constantino, em “Senhora do destino”, morreu nesta terça-feira, vitima de complicações da Hepatite C e do câncer no fígado. Nuno esperava por um transplante.
A morte aconteceu quase um mês depois de revelar à revista “VIP” portuguesa o assunto delicado que o assustou. “Soube que a situação era grave há um mês, 15 dias antes de ser internado”, contou em 4 de maio: “Houve um choque inicial, nada positivo, em que fiquei assustado, mas agora, emocionalmente, estou noutra fase. É um assunto delicado. Não deixo de estar numa situação grave, mas há pessoas piores do que eu. E sabia que normalmente a hepatite tem este desenvolvimento”.
À mesma publicação, ele disse que não se submeteria à quimioterapia. “Para já, não vou fazer quimioterapia, nem radioterapia, porque não vale a pena. O fígado tem de ir para o lixo”, contou.
Joana e o pai, Nuno Melo: homenagem no Facebook
Joana e o pai, Nuno Melo: homenagem no Facebook Foto: reprodução
Quando esteve morando no Brasil, Nuno sofreu um sequestro relâmpago e ficou três horas nas mãos de bandidos.


Torneio de Voleibol arrecada 150 pacotes de fraldas geriátricas em Colombo


WEBMASTER 9 DE JUNHO DE 2015

Cada equipe, como pagamento de taxa de inscrição, contribuiu com cinco pacotes de fraldas

O evento conseguiu arrecadar quase 150 pacotes de fraldas geriátricas
O evento conseguiu arrecadar quase 150 pacotes de fraldas geriátricas
O 1º Torneio Aberto Solidário de Voleibol reuniu mais de 220 atletas em Colombo. Cerca de 20 equipes de Curitiba e região metropolitana participaram da 1ª fase do torneio. O evento foi promovido pela Prefeitura de Colombo por meio da secretária de Esporte, Cultura, Lazer e Juventude com a parceria da secretaria de Assistência Social.
O objetivo da ação é proporcionar uma competição esportiva com o intuito de arrecadar fraldas geriátricas. Cada equipe, como pagamento de taxa de inscrição, contribuiu com cinco pacotes de fraldas. Ao total, foram arrecadadas 150 unidades que foram entregues, na última terça-feira, 02, na Secretaria de Assistência Social.
A prefeita Beti Pavin esteve presente durante a entrega das fraldas e garante que essas iniciativas impulsionam as doações no município “É muito importante ver as secretaria promovendo ações como essa para beneficiar os idosos carentes de Colombo”.
A ação mobilizou e beneficiou duas secretarias e reuniu mais de 220 atletas
A ação mobilizou e beneficiou duas secretarias e reuniu mais de 220 atletas
A ação também contribuiu para reacender a prática do voleibol, uma das modalidades fortes no município, em uma ação que mobilizou e beneficiou duas secretarias. “A competição não só incentivou a prática do esporte, mas também promoveu uma ação de solidariedade, por meio das doações”, destacou o secretário da pasta, José Mauri Henemann.
A semifinal e a final serão realizadas no próximo domingo, (14), às 13h, no Ginásio de Esportes de Colombo, antiga Associação Banestado. Os times participantes serão: FAPI/NALE, Ação Vôlei, Apolo Hot Dog Benaci, Colégio Plínio (equipes 1 e 2), Voleysys Team, CIA Voleibol, JAC, Univolei Curitiba, Inspirar/NALE, Shot Team Santa Felicidade, Universidade Positivo, Cavalo Manco, Bosque e Almirante Tamandaré.
A Prefeita Beti Pavin garante que essas ações impulsionam o município
A Prefeita Beti Pavin garante que essas ações impulsionam o município
“É muito importante para o departamento promover eventos como esse, no qual percebemos que, por meio do esporte, ajudamos as ações sociais do município. Desenvolver o esporte e ajudar quem precisa faz com que, no final, todos sejam beneficiados”, declara Paulo Cesar Cardoso, diretor de esportes.
Confira os resultados do torneio:
Semifinal (masculino):
Inspirar x Plínio 2
FAPI x Plínio 1
Semifinal (feminino):
Apolo x Voleysys Team
FAPI x Plínio 2
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/ PMC

ABCDT denuncia atraso no repasse da HEMODIÁLISE no GDF (BRASILIA)




A Secretaria de Estado da Saúde do Distrito Federal mais uma vez atrasa o repasse do pagamento da TRS. O Ministério da Saúde liberou o recurso em 30 de abril e até a presente data o recurso não foi repassado para os prestadores SUS.
A ABCDT mais uma vez enviou notificação à Secretaria cobrando o repasse, fez denúncia no Tribunal de Contas do GDF e acionou a imprensa. A Rede Globo se interessou pelo assunto e gravou matéria esta manhã (segunda-feira 08/06/2015). O assessor técnico da ABCDT, Dr. Olympio Távora Correa, deu entrevista falando sobre o atraso e da defasagem no valor pago pela sessão de hemodiálise.
Desde o início do ano que os atrasos vêem acontecendo. E há prestadores que ainda estão sem receber o repasse referente às competências de novembro e dezembro de 2014. E como conseqüência desses constantes atrasos, uma clínica já devolveu os pacientes SUS, caracterizando menos 200 vagas; outras duas clínicas já entregaram documento informando que se não receberem também devolverão os pacientes e há mais de 80 pacientes na fila de espera aguardando por uma vaga para fazer hemodiálise.

ASSISTA A MATÉRIA NO LINK ABAIXO

II Jornada de Atualização Multiprofissional em Doença Renal Crônica


     

MPF pede condenação de executivos ligados à OAS na Operação Lava Jato


Procuradores da Lava Jato apresentaram alegações finais em processo.
Paulo Roberto Costa, Youssef e Waldomiro Oliveira também são réus.

Fernando CastroDo G1 PR
O Ministério Público Federal (MPF) pediu, em alegações finais, as condenações de acusados ligados à OAS, empreiteira investigada pela Operação Lava Jato. José Aldemário Pinheiro Filho, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Fernando Augusto Stremel de Andrade, Mateus Coutinho de Sá Oliveira e José Ricardo Breghirolli respondem a acusações de crimes cometidos em contratos com a Petrobras.
Além deles, o MPF pediu condenações para o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, para o doleiro Alberto Youssef e para Waldomiro Oliveira.
O prazo do MPF para apresentar as alegações finais expirava nesta terça-feira (9). As defesas dos acusados têm até o dia 24 de junho para apresentar os memoriais e, então, o processo está finalizado para sentença do juiz federal Sergio Moro. Este é o segundo processo contra executivos de empreiteiras em que o MPF apresenta as alegações finais – os procuradores já haviam pedido condenações de executivos da Camargo Corrêa.
Além das condenações, o MPF pede o pagamento de R$ 29.223.962,40 por perdimentos do produto e proveito dos crimes de corrupção que ficaram comprovados no processo. O valor corresponde a 1% de todos os contratos e aditivos firmados pelas OAS com a Petrobras em que o MPF aponta pagamento de propina a Paulo Roberto Costa ou agentes indicados por ele.
Os procuradores requerem, ainda, R$ 211.823.336,28 referentes ao dano mínimo que deve ser ressarcido à estatal. O cálculo foi feito em 3% do valor de todos os contratos e aditivos em que houve corrupção de empregados da Petrobras, conforme o MPF.
Na ação, foram examinados contratos da Camargo Corrêa com a Refinaria Getúlio Vargas (Repar), no Paraná; com a Refinaria de Abreu e Lima (Renest), em Pernambuco; e com o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).
Na petição, o MPF ressalta que, em virtude de acordos de delação premiada, o juiz Sergio Moro deve levar em consideração no cálculo da pena os acordos de colaboração de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef. Pede, ainda, a extinção da punibilidade a João Alberto Lazzari, quemorreu no fim de maio.
Veja por quais crimes o MPF pede condenações:
José Aldemário Pinheiro Filho – organização criminosa, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, uso de documento falso, falsidade ideológica
Agenor Franklin Magalhães Medeiros - organização criminosa, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, uso de documento falso, falsidade ideológica
Fernando Augusto Stremel de Andrade - organização criminosa, lavagem de dinheiro
Mateus Coutinho de Sá Oliveira - organização criminosa, corrupção ativa, lavagem de dinheiro
José Ricardo Breghirolli - organização criminosa, corrupção ativa
Paulo Roberto Costa – corrupção passiva, lavagem de dinheiro
Alberto Youssef – corrupção passiva, lavagem de dinheiro
Waldomiro de Oliveira - lavagem de dinheiro
Participação das empreiteiras
Conforme as investigações da Lava Jato, um grupo formado por empreiteiras praticou crimes de cartel e licitatórios contra a Petrobras através da corrupção de funcionários da estatal e da lavagem dos recursos obtidos com os crimes. “O núcleo formado pelas empreiteiras, aproveitando-se da garantia de altos lucros pela eliminação da concorrência, subverteu fundamentos da República Federativa do Brasil, como a livre concorrência e o pluralismo político”, diz trecho do documento.
Para tanto, o MPF sustenta que representantes das empreiteiras se reuniam para dividir as obras licitadas pela Petrobras, através de regras previamente estabelecidas. Este grupo foi denominado de “Clube das Empreiteiras”, conforme depoimentos colhidos ao longo do processo.
Os procuradores ainda afirmam que a ação das empreiteiras colaborou para fraude do processo eleitoral democrático, através do pagamento de propinas sob a rubrica de doações oficiais a partido políticos e formação de “caixa-dois”. “Sem sombra de dúvida, prejudica a realização de eleições dos representantes do povo, uma vez que os partidos políticos e candidatos que não possuem tal relação de promiscuidade são vítimas de competição desleal no processo eleitoral”, concluem.

Daniela Mercury e Malu Verçosa querem aumentar a família


Elas vão adotar a quarta filha

08/06/2015 - 09h00 - Atualizado 08/06/2015 13h03
Daniela Mercury e Malu Verçosa - casal pretende adotar mais uma filha  (Foto: Reprodução Instagram)

Mães adotivas de três crianças, Ana Isabel, de 5 anos, Analice, de 13, e Márcia, de 16, a cantora Daniela Mercury e sua mulher, a jornalista Malu Verçosa, estão na fila para adotar a quarta. “Estávamos quase adotando uma menininha, mas ainda não deu certo. Vamos aumentar a família”, diz Malu.
Malu, inclusive, dedica um capítulo do livroUma História de Amor, sobre a vida amorosa do casal, às filhas, comentando que elas assimilaram aos poucos a notícia sobre o casamento. “O início não foi fácil. Elas estavam desconfiadas, e eu mais ainda. Mas o amor, ah o amor. Ele vence tudo e todos. Eu sou a mãe delas. Vejo o dever de casa, converso com as professoras, dou bronca, arrumo o cabelo, maquio, dou banho, vejo a roupa para passar, emfim, tudo que uma mãe faz. A certeza que tenho é que as crianças se sentem hoje acolhidas em uma família”.
A propósito, Mercury completa 50 anos em 28 de julho e já sabe como comemorar: um show de voz e violão no palco do Teatro J. Safra, em São Paulo, de 31 de julho a 2 de agosto, acompanhada pelo violonista Alex Mesquita. Será a primeira vez na carreira que a cantora se apresentará sem uma banda.
Daniela e Malu com as três filhas  (Foto: Reprodução Instagram)