Impostômetro alcança R$ 1 trilhão; Paraná arrecadou R$ 11,2 bi


impostometro29.06.15
Nesta segunda (29), o Impostômetro, painel eletrônico instalado na fachada da Associação Comercial de São Paulo, registrou R$ 1 trilhão em tributos arrecadados em todo o país nas três esferas de governo desde 1º de janeiro até hoje. No Paraná, foram arrecadados R$ 11,2 bilhões. O imposto arrecadado no Estado viabilizaria a construção de 320,2 mil casas populares.
No ano passado, levantamento da Gazeta do Povo com dados de 2002 a 2013, revelou que, em média, o paranaense destinou R$ 42,60 em impostos para Brasília para receber R$ 1 em empenho de recursos para obras ou aquisição de equipamentos no estado. No ranking dos 27 estados, o Paraná fica em 24.º lugar. Em relação ao volume total de arrecadação federal, o estado era, em 2002, o 5.º em contribuição por habitante. Entre 2003 e 2010, variou entre 4.º e 6.º na comparação per capita. Nos últimos três anos, ficou duas vezes em 6.º até voltar ao 5.º lugar em 2013.

Moro autoriza ida de presos na Lava Jato a Brasília para acareações


Renato Duque, João Vaccari e Alberto Youssef vão ao Congresso Nacional.
Audiências da CPI da Petrobras serão realizadas em julho e agosto.

Thais KaniakDo G1 PR
Vaccari, Youssef e Renato Duque (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters, Vagner Rosário/Futura Press/Estadão Conteúdo e Reprodução Rede Globo)Vaccari, Youssef e Renato Duque vão participar de acareações na CPI da Petrobras, em Brasília (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters, Vagner Rosário/Futura Press/Estadão Conteúdo e Reprodução Rede Globo)
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, autorizou que presos na operação participem de audiências na CPI da Petrobras no Congresso Nacional, em Brasília, quando serão realizadas acareações entre envolvidos na Lava Jato.
Detidos no Paraná, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) João Vaccari Neto e o doleiro Alberto Youssef poderão participar das audiências da CPI. Elas ocorrerão em julho e agosto.
No dia 8 de julho, o ex-gerente de Serviços da Petrobras Pedro José Barusco, réu colaborador que não chegou a ser preso na operação, e Duque serão acareados. Já Barusco e Vaccari vão passar pela acareação no dia 9 do mesmo mês.
A acareação de Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que cumpre prisão domiciliar no Rio de Janeiro, será no dia 6 de agosto.
“Tendo em vista que as datas indicadas são compatíveis com as audiências designadas neste juízo, autorizo a condução dos acusados presos, Renato de Souza Duque, João Vaccari Neto, Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef, nas respectivas datas até o Congresso Nacional”, diz o despacho do juiz.
A decisão de Moro é de sexta-feira (26), mas foi divulgada nesta segunda (29). Todos os participantes das acareações são réus em processos originados na Operação Lava Jato.
Duque e Vaccari estão presos no Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba; enquanto Youssef está detido na carceragem da Polícia Federal (PF), na capital paranaense.

Amigos e familiares homenageiam Cristiano Araújo em partida de futebol


O jogo foi realizado nesta segunda-feira, 29. No campo, os times usaram um uniforme com uma foto do cantor e uma mensagem de saudade.

Lucas Pasindo EGO, no Rio

Quase toda segunda-feira, Cristiano Araújomorto no dia 24 deste mês em um acidente de carro, costumava encontrar os colegas para sua tradicional pelada. Para homenagear o cantor apaixonado por futebol, amigos e familiares do sertanejo se reuniram nesta segunda-feira, 29, para uma partida, que desta vez se iniciou com uma oração e muita emoção. veja vídeo
No campo, os jogadores usaram uma camiseta que trazia a foto do cantor e uma mensagem que lembrava a letra de uma de suas canções: "O que temos pra sempre é de saudade".
Luís Henrique, empresário do irmão do sertanejo, é quem organizou o jogo, que contou também com a participação de Kassim e Marquim, primos de Cristiano Araújo.
Mais cedo, em entrevista ao EGO, Luís Henrique falou sobre a homenagem. "O Cristiano sempre pedia para marcar o futebol. Eu e um amigo começamos organizando e fomos nos tornando uma família, o time Futebol Araújo, que agora será Eterno Futebol Araújo. Hoje vai ter muita emoção por lá, mas alegria também. Porque era assim que o Cristiano era. Brincalhão, gozador, adorava tirar sarro dos outros... Vou chamar o irmão dele também, o Felipe. Devem ir primos, outros amigos. Ele sempre levava os filhos para brincarem lá", afirmou.
Luis Henrique e Keudson (Foto: Arquivo Pessoal)Luis Henrique e Keudson (Foto: Arquivo Pessoal)
Motorista também ganhou homenagem:
Além do cantor, Ronaldo Ribeiro, seu motorista e amigo pessoal - que dirigia o carro no momento do acidente - também foi homenageado. Ele faz parte do grupo, mas continua muito abalado com tudo que aconteceu e não tem falado com os colegas.
"O Ronaldo também joga sempre. Os uniformes, inclusive, têm o símbolo do Corinthians, que era o time do Cristiano, e o do Palmeiras, que é o dele. Estamos tentando dar força para ele agora. Nas costas da camiseta que fizemos para hoje vai ter uma mensagem: 'Força, Ronaldo... Estamos com você!'. Ele está muito abalado, nem está conversando no nosso grupo de whatsapp. Estamos tentando levar sempre mensagens de carinho", lamenta Luís.
Ronaldo Miranda e Vitor Leonardo (Foto: Reprodução/ Instagram)Ronaldo Miranda e Vitor Leonardo: motorista e
empresário que estavam com Cristiano no acidente
(Foto: Reprodução/ Instagram)
Ronaldo pode responder por homicídio culposo
Neste domingo, 28, Ronaldo admitiu, em depoimento à Polícia Civil, que dirigia acima dos 110 km/h permitidos na rodovia BR-153 no momento do acidente em que morreu o sertanejo. O delegado Fabiano Henrique Jacomelis, responsável pelo caso, aguarda agora a análise que está sendo feita por dois peritos da montadora Land Rovernas informações salvas no sistema eletrônico do Range Rover.
"Com base nesses dados, poderemos verificar se ele estava realmente acima da velocidade permitida. Se for confirmado a imprudência, o motorista poderá ser indiciado por homicídio culposo (quando não há a intenção de matar) na direção de veículo automotor", informa o titular da delegacia de Morrinhos, ao EGO. A pena para esse tipo de crime pode variar de dois a quatro anos de detenção, com suspensão da Carteira Nacional de Habilitação ou proibição de se obter uma nova.
Segundo o delegado, Ronaldo reafirmou que não cochilou ao volante, como chegou a ser cogitado pela polícia, e nem estava mexendo no celular durante o acidente, ocorrido na altura do km 614, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina, em Goiás. A hipótese do cochilo na direção foi levantada por causa da ausência de marcas de frenagem no asfalto. Ele contou que perdeu o controle do carro porque um dos pneus furou e ele não ouviu o estouro. Quando escutou o barulho do pneu vazio, já não teve tempo de contornar a situação. "Essa versão condiz com a ausência de frenagem no asfalto", explica o delegado.
A versão de que as rodas do carro não eram originais de fábrica foram confirmadas pelo motorista. De acordo com ele, elas foram alteradas por estética e doadas por um amigo em comum de Ronaldo e Cristiano Araújo. Esse amigo também tinha um Range Rover e quis vendê-lo. Para comercializá-lo, ele colocou as rodas originais de volta no veículo e retirou as modificadas, doando-as a Cristiano.
Futebol  (Foto: Arquivo Pessoal)Futebol (Foto: Arquivo Pessoal)

Polícia está a caça de suspeito de matar ex-mulher e fugir com as filhas: “Não deve ter ido longe”


Por Marina Sequinel e Djalma Malaquias

Polícia Civil de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, está a procura de Marins Hernandes, de 39 anos, acusado de matar a ex-mulher na frente das filhas na noite da última quarta-feira (24). Após o crime, o suspeito fugiu com as duas meninas, de cinco e seis anos de idade, que só foram encontradas no dia seguinte nas proximidades do bairro Borda do Campo.
suspeito-matar-ex-mulher
Segundo informações da polícia, recentemente, Hernandes estaria com cabelo, barba comprida e com o rosto mais magro. (Foto: Reprodução/Giro 190)
“As crianças levadas por ele foram entregues à Guarda Municipal por um parente do suspeito. Devido à natureza do crime, que foi extremamente bárbaro, nós já decretamos a prisão preventiva de Hernandes e seguimos com as buscas pela Região Metropolitana. Acreditamos que ele não deve ter ido muito longe”, explicou a delegada Selma Braga, da Delegacia da Mulher de São José dos Pinhais, à Banda B nesta segunda-feira (29).
Arabel Simone Oliveira Freitas, de 45 anos, foi morta dentro de casa com golpes de rastelo. O crime aconteceu na rua Fioravante Zocolotti, no Jardim Itália, por volta das 22h30. Um vizinho teria desconfiado após dar carona para o pai e as meninas. Assim que voltou, foi até a casa da vítima e a encontrou caída, coberta de sangue, no chão da sala.
As crianças, que foram levadas pelo suspeito, foram encontradas no dia seguinte e encaminhadas ao Conselho Tutelar. “Agora elas estão sob a custódia do Estado em uma Casa Lar, e devem ficar lá até que familiares decidam requerer a guarda delas. Antes do assassinato, classificado como feminicídio, Arabel já tinha uma medida preventiva contra o ex-marido, que não podia se aproximar dela”, completou Braga.
Qualquer informação sobre o suspeito pode ser repassada para a Delegacia da Mulher por meio do telefone (41) 3753-2050.

Pais da namorada de Cristiano Araújo dizem não ter mágoas por acidente


Eles afirmam que, apesar da perda da filha, não culpam cantor e o motorista.
Allana Moraes, 19, morreu no mesmo acidente que o sertanejo, em Goiás.

Do G1 GO
Os pais da estudante Allana Moraes, namorada de Cristiano Araújo, que morreu no mesmo acidente que ele, em Goiás, dizem que não têm mágoas e não culpam o músico e o motorista, Ronaldo Miranda, pela perda da filha. veja vídeo
“De jeito nenhum, eu queria encontrar o seu João [Reis, pai de Cristiano], pessoas da equipe e, de um modo especial o Ronaldo, pois eu queria tirar esse peso, pois vão colocar uma carga muito pesada em cima dele por estar dirigindo esse carro", afirmou a mãe da jovem, Miriam Coelho Pinto.
Segundo ela, Allana, que tinha 19 anos, era apaixonada pelo sertanejo, de 29, e partiu com quem mais amava. "Ela gostava muito dele. Então, na verdade, foi no amor, por amor e com o amor da vida dela", disse.
O pai da estudante, o representante comercial Frank Moraes, também afirmou que não encontra um único responsável pelo acidente. Ele disse que Cristiano sempre voltava dos shows dormindo no colo de Allana, no banco traseiro do carro, e sempre alertava a filha para usar o cinto de segurança.

“Eu mandava mensagem mandando ela usar o cinto e falava para ele também. Mas não tinha jeito, a vida desse povo era muito corrida, uma loucura, sempre tentando abraçar o mundo. Ele [Cristiano] era uma pessoa boa, um menino jovem e precisava de uns cinco anos para se estabilizar. Coitado, não teve tempo”, lamentou o pai de Allana.

O sertanejo e a namorada morreram após um acidente de carro no último dia 24. Eles voltavam de um show em Itumbiara, no sul do estado, quando o carro em que estavam saiu da pista e capotou. Além de Cristiano e Allana, seguiam no veículo o motorista Ronaldo Miranda e o empresário Victor Leonardo – os dois se feriram, mas já receberam alta do Instituto Ortopédico de Goiânia (IOG).

Irmão de Ronaldo, Roberto Miranda afirmou que o acidente foi causado por um problema no carro, um Range Rover Sport, ano 2015. Segundo ele, o motorista está chocado com a morte do casal. "Ele mesmo vai esclarecer o que houve, porque ele ainda está abalado. Para mim, ele contou, mas eu vou deixar ele explicar os detalhes. A gente sabe que foi falha do carro, foi falha mecânica, a gente sabe disso”, disse.
Pais de Allana Moraes não culpam motorista e o cantor pelo acidente (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Pais de Allana não culpam motorista e o cantor
pelo acidente (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Namoro
Apesar de ter conquistado a confiança e carinho dos parentes de Allana, Cristiano passou mais de um ano tentando namorar a jovem. O casal se conheceu durante um churrasco na casa de um amigo, em 2013, e após muitas investidas ela aceitou namorar com o cantor.

No começo, os pais contam que foram contra, pois tinham medo do estilo de vida que ele levava, mas dizem que o sertanejo provou que tinha boas intenções. “No começo eu fui contra, pois uma mulher que casa com alguém do show business não tem uma vida familiar, todo dia em casa. Ela era muito emotiva, então eu sabia que ela teria uma vida de sofrimento. Aí eu mandei um recado e falei para ele sumir”, lembra o pai de Allana.

No entanto, apesar do alerta, Cristiano continuou insistindo e fez questão de pedir a aprovação da família. “A partir do momento que ela quis, eu fiquei contrariado. Mas ele teve uma hombridade muito grande, foi ao meu escritório e ficou duas horas lá conversando comigo. Ele me disse que ia provar que não era um cara ruim. Aí eu disse que o que eu queria é que minha filha fosse respeitada”, conta.

Apesar da conversa, Frank diz que alertou o cantor que iria analisá-lo. “Aí eu disse que ia saber quem ele era quando visse como ele tratava os pais, os funcionários, os amigos, as mães e os seus filhos. Mas aí eu abençoei ele e disse que ele era bem-vindo na minha casa. Mas ele era uma boa pessoa e também um exemplo de pai".
Cristiano Araújo e namorada morrem em acidente de carro na BR-153 em Morrinhos, Goiás (Foto: Arquivo Pessoal)Cristiano Araújo e Allana Moraes namoravam há 1 ano e 2 meses (Foto: Arquivo Pessoal)
A partir daí, Allana e Cristiano viraram parceiros inseparáveis e ela o acompanhava em todos os shows. Os dois já estavam juntos há 1 ano e 2 meses, quando houve o acidente que tirou a vida dos dois.

A mãe de Allana revela, ainda, que, apesar do relacionamento de muito amor, o casal ainda não tinha marcado casamento. “Desde o começo do namoro ele sempre falou em casamento para ela, mas ainda não tinha nada definido. Aí, no último Dia dos Namorados, ele comprou as alianças de compromisso”, conta. Porém, os anéis, que ainda passavam por ajustes de tamanho, não chegaram a ser usados.

Rodas do carro de Cristiano Araújo estavam com defeito nas soldas

Ex-jogador presenteou motorista do cantor: 'Hipocrisia achar culpado'.
Sertanejo e a namorada morreram após acidente na BR-153, em Goiás.

Sílvio TúlioDo G1 GO
O ex-jogador de futebol Tiago Ferreira dos Santos, de 29 anos, afirmou que deu de presente ao motorista do cantor Cristiano Araújo, Ronaldo Miranda, as quatro rodas que estavam no carro no momento do acidente que matou o sertanejo, na BR-153, em Goiás. Conhecido como Simão, ele revelou, em entrevista exclusiva ao G1 e à TV Anhanguera, que já havia feito reparo em duas das rodas, mas em momento algum acreditou que essa alteração pudesse ocasionar a saída de pista. (veja vídeo)
"Eu não imaginava que o acidente pudesse ocorrer. A gente está chateado, mas o Ronaldo não iria colocar uma roda com problema em um carro que ele mesmo está dirigindo, porque ele também poderia ter morrido. Se as rodas estivessem com algum problema, eu mesmo poderia ter morrido, porque rodei com elas por um ano e meio. É hipocrisia das pessoas ter que achar um culpado", disse.
O acidente aconteceu na madrugada do último dia 24, quando o sertanejo voltava de um show em Itumbiara, no sul do estado. Além de Ronaldo e de Cristiano, estavam no carro Allana Moraes, namorada do músico, e Victor Leonardo, um dos empresários dele. A jovem de 19 anos morreu no local. Já Ronaldo e Victor se feriram, foram atendidos no hospital, mas já receberam alta.
Simão já jogou e hoje trabalha com o atacante Welliton, revelado pelo Goiás, com passagens pelo Grêmio e São Paulo, e que atualmente está no Mersin, da Turquia. Ele explicou que o atleta e Cristiano Araújo eram muito amigos e que dessa proximidade, ele conheceu Ronaldo.
O ex-jogador explicou que tirou as rodas aro 22 que usava em sua Range Rover 2012 porque iria vender o veículo. As quatro acompanhadas dos pneus custaram R$ 15 mil. "Procurei saber e me informei que para vender, era melhor colocar as rodas originais", disse.
Em janeiro deste ano, em conversa com Ronaldo, o motorista de Cristiano Araújo mostrou interesse nas rodas. Segundo ele, o modelo havia chamado a atenção do amigo.
"Eu vi na Rússia e fiz a mesma coisa. Comprei as rodas e pintei de branco. Quando tirei, o Ronaldo mostrou interesse e me perguntou o que iria fazer com ela. Disse que se ele quisesse, poderia pegar para ele. Não tinha porque vender rodas para um cara que sempre quando precisei, em ajudou. Dei as rodas para ele", lembra.
Tiago Ferreira dos Santos, o Simão, deu as rodas do carro de Cristiano Araújo, em Goiânia, Goiás (Foto: Sílvio Túlio/G1)Tiago Ferreira dos Santos disse que presenteou o motorista de Cristiano Araújo (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Reparos
Por duas vezes, uma em Porto Alegre, onde mora, e outra em Goiânia, Simão fez reparos em duas das rodas. Ele negou que o procedimento era uma solda e alegou que este tipo de procedimento é comum.
"Todo mundo que tem roda esportiva faz reparo. Não creio que se pudesse tirar a vida de alguém, esse procedimento seria feito. Eu rodei bastante com essas rodas e elas não estavam destruídas. Acontece que quando se passa em estradas ruins, com buracos, elas emperram", afirma.
Em nota enviada ao G1, a Jaguar Land Rover, fabricante dos carros tanto de Simão como de Cristiano Araújo, informou que "não recomenda em nenhuma circunstância o uso de peças e acessórios não originais em seus veículos". A empresa disse ainda que continua colaborando com as investigações da Polícia Civil de Goiás. Por telefone, a assessoria informou ainda que as rodas originais do modelo são de aro 20.
Cristiano Araújo sofre acidente na BR-153 Goiás (Foto: Renato Melo/Arquivo Pessoal)Carro do cantor ficou completamente destruído após o acidente (Foto: Renato Melo/Arquivo Pessoal)
Questionado se sabia da recomendação, Simão foi categórico. "Não sei se é legal, mas você vai a um estacionamento do São Paulo ou do Corinthians e não vê rodas originais, só esportivas. Se fosse ilegal, a polícia já teria apreendido [os carros]", salienta.
Acima da velocidade
No depoimento, Ronaldo confessou ao delegado Fabiano Henrique Jacomelis, responsável pelas investigações, que conduzia o veículo acima da velocidade permitida no onde ocorreu o acidente, que é de 110 km/h. Ele explicou ainda que perdeu o controle do carro depois que um dos pneus estourou.
“Ele disse que estava correndo um pouco, mas não soube precisar exatamente qual era a velocidade no momento do acidente, já que o carro era muito potente e ele não percebeu o excesso. Ele também informou que ouviu um barulho de pneu furado e, em seguida, perdeu o controle”, relatou o delegado ao G1.
Motorista de Cristiano Araújo, também vítima do acidente que matou o cantor, está abalado Goiás Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Ronaldo, com Cristiano: velocidade acimda da
permitida (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Segundo o delegado, o motorista, que chorou durante todo o depoimento, afirmou que não faz consumo de bebidas alcoólicas e negou que estivesse usando celular ou que tenha dormido antes de perder o controle, o que já havia sido informado por Jacomelis após Ronaldo ser submetido ao teste do bafômetro e atestar negativo.
O condutor perdeu o controle da direção 21 minutos após o grupo fazer uma parada em um posto de combustíveis, a cerca de 57 km do local do capotamento. O físico Reges Guimarães analisou a velocidade média feita pelo carro com base no horário das imagens de uma câmera de segurança. "Ele fez uma velocidade média de 162 km/h", diz.
Já o pai de Cristiano, João Reis de Araújo, disse que já havia alertado o filho sobre excesso de velocidade. "Eu sempre ia a todos os shows e neste eu não estava. Fico muito entristecido por isso, pois eu não estava lá no último show dele. E tem coisas que a gente fica com um porquê na cabeça. Se eu tivesse junto, tenho certeza que eu ia brigar, porque eles foram muito rápido. Eu sempre puxava a orelha dele quanto a isso, pois ele deixava o pessoal correr um pouco”, afirmou.
O delegado também solicitou um laudo cadavérico das vítimas fatais e uma perícia no local do acidente para comprovar se Cristiano Araújo e Allana Moraes usavam cinto de segurança no banco de trás no momento do acidente. Ele ainda vai ouvir Victor, por considerá-lo peça-chave.
Cristiano Araújo e a namorada, Allana Moraes morreram em acidente em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Cristiano Araújo e Allana Moraes morreram em
acidente (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Sem mágoas
Os pais da estudante Allana Moraes dizem quenão têm mágoas e não culpam o músico e o motorista pela perda da filha. “De jeito nenhum, eu queria encontrar o seu João [pai de Cristiano], pessoas da equipe e, de um modo especial o Ronaldo, pois eu queria tirar esse peso, pois vão colocar uma carga muito pesada em cima dele por estar dirigindo esse carro", afirmou a mãe da jovem, Miriam Coelho Pinto.
Segundo ela, Allana era apaixonada pelo sertanejo e partiu com quem mais amava. "Ela gostava muito dele. Então, na verdade, foi no amor, por amor e com o amor da vida dela", disse.
O pai da estudante, o representante comercial Frank Moraes, também diz que não encontra um único responsável pelo acidente. Ele diz que Cristiano sempre voltava dos shows dormindo no colo de Allana, no banco traseiro do carro, e sempre alertava a filha para usar o cinto de segurança.