Prefeita Beti Pavin visita obras de pavimentação na Rua Portugal


WEBMASTER 6 DE JULHO DE 2015

A obra conta com uma extensão de 1240 metros de pavimentação asfáltica; e contempla os serviços de alargamento de via e duplicação em alguns trechos, drenagem, calçada e canteiro

Prefeita Beti Pavin acompanha obras de pavimentação na rua Portugal, na Vila Guarani
Prefeita Beti Pavin acompanha obras de pavimentação na rua Portugal, na Vila Guarani
A prefeita Beti Pavin, acompanhada do secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso, visitou as obras de pavimentação asfáltica que acontecem na Rua Portugal, localizada no bairro Jardim Eucaliptos.
“Todo o nosso planejamento tem um único objetivo, promover melhorias para a população de Colombo. E, é isso o que podemos ver aqui na Rua Portugal, vias adequadas para os moradores e para os motoristas que passam por aqui”, afirma a prefeita Beti Pavin.
Entre os serviços que foram executados estão: alargamento de via e duplicação em alguns segmentos, drenagem, calçada e canteiro local, o que representa 95% da obra.
Com 95% dos serviços já executados, obras contemplam nova pavimentação, alargamento das vias, drenagem, calçada e canteiro
Com 95% dos serviços já executados, obras contemplam nova pavimentação, alargamento das vias, drenagem, calçada e canteiro
Com a proximidade da conclusão dos serviços, os moradores já começam a fazer planos futuros, como é caso da comerciante, Keli Lima da Paes: “Com o fim das obras a expectativa é que as vendas cresçam com a nova pavimentação. Pois, o fluxo de veículos pode aumentar e, consequentemente, a de clientes também”.
A obra conta com uma extensão de 1240 metros de pavimentação asfáltica e custará cerca de R$ 1.818.804,72. A realização é uma parceria entre a prefeitura de Colombo e a Secretaria Estadual do Desenvolvimento Urbano (Sedu).
Outras vias
A prefeita aproveitou a oportunidade para conversar com comerciantes da região
A prefeita aproveitou a oportunidade para conversar com comerciantes da região
Os benefícios da pavimentação, não contemplam apenas os moradores do bairro Jardim Eucaliptos. As obras na Rua Aristóteles, no bairro Vila Guarani, também seguem a todo o vapor. Pois, 50% dos serviços, que incluem pavimentação, alargamento da via, paisagismo e passeio, já foram executados. Vale lembrar que as obras no local estão sendo realizadas por meio do programa Asfalto Comunitário.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/PMC

O 4° Encontro de Violeiros de Colombo contou com a presença de 150 pessoas


WEBMASTER 6 DE JULHO DE 2015

O evento agitou o Pavilhão de Eventos do Parque Municipal da Uva, neste domingo

O 4° Encontro de Violeiros contou com a presença de aproximadamente 150 pessoas
O 4° Encontro de Violeiros contou com a presença de aproximadamente 150 pessoas
O 4° Encontro de Violeiros, que aconteceu neste domingo, (5) contou com a presença de aproximadamente 150 pessoas, entre elas, os músicos, participantes, organizadores e autoridades do município. O evento foi promovido pela Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria de Esporte, Cultura, Lazer e Juventude, com a parceria do departamento de Cultura.
A abertura do encontro contou com a presença de 16 alunos do 4° ano da Escola Municipal Isolina Ceccon, que dançaram a música. “Isso aqui tá bom demais – Dominguinhos”. Logo após, os violeiros começaram suas apresentações individualmente e em duplas. Todos os músicos tiveram a oportunidade de cantar três músicas, algumas de própria autoria.
A prefeita Beti Pavin ressaltou sobre a importância do evento para o resgate e valorização desses violeiros tradicionais  para manter que o  gênero musical
A prefeita Beti Pavin ressaltou sobre a importância do evento para o resgate e valorização desses violeiros tradicionais para manter que o gênero musical
A prefeita Beti Pavin esteve no local e disse que o encontro foi animado. “Essa realização é de grande importância para o resgate e valorização desses violeiros tradicionais que mantém vivo esse gênero musical da nossa cultura,” afirmou a prefeita.
A diretora do departamento de Cultura, Rita Straioto ficou satisfeita com os resultados do encontro. “Foi com grande satisfação que recebemos todos os músicos da nossa região. Eles tiveram a oportunidade de se conhecerem, desfrutar e proporcionar a todos um momento animado com muita música boa,” afirmou.
Ao final do encontro os violeiros, Devanil Ribeiro e José Vicente da dupla “Beny e Benony” ganharam durante o sorteio – um violão, já a dupla “Cláudio José e Mariano” foram contemplados com uma viola. Todos os músicos receberam um brasão da Prefeitura de Colombo em agradecimento pela participação. Os prêmios foram entregues pelo vice-prefeito, Ademir Goulart e pelo secretário de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Antonio Milgioransa.
A abertura contou com apresentação de dança de 16 alunos, do 4° ano da Escola Municipal Isolina Ceccon 
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Está aberto para visitação o Memorial do Imigrante Italiano em Colombo


WEBMASTER 6 DE JULHO DE 2015

A Casa Eugênio Mottin passou por uma reforma e restauração; agora os visitantes podem conhecer como era a vida dos imigrantes italianos do município

O Memorial do Imigrante Italiano passou por uma revitalização e está reaberto para visitação
O Memorial do Imigrante Italiano passou por uma revitalização e está reaberto para visitação
Na tarde desta sexta-feira, (3) a Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho realizou a reabertura do Memorial do Imigrante Italiano, Casa Eugênio Mottin, localizada no Parque Municipal da Uva e a homenagem aos parentes de Eugênio Mottin.
A prefeita Beti Pavin participou da cerimônia de entrega, e contou histórias sobre alguns momentos que viveu na infância. “Eu morei em uma casa parecida, quando era criança, e essa casa me traz boas lembranças. Eu a vejo como uma oportunidade para aqueles não viveram nessa época, os mais jovens e as crianças, principalmente, podem ter contato com o passado através dela”, ressalta.
Estiveram presentes membros das famílias que contribuíram com a doação da casa e dos objetos e na oportunidade receberam uma homenagem
Estiveram presentes membros das famílias que contribuíram com a doação da casa e dos objetos e na oportunidade receberam uma homenagem
A Casa Eugênio Mottin, foi construída em 1932 e realocada para o Parque Municipal da Uva em 2007, e representa uma parte da cultura e da tradição de todos os imigrantes italianos que chegaram a Colombo. No Memorial, o passado se faz presente por meio de pequenos detalhes como objetos, utensílios, roupas e memórias que relembram os primeiros imigrantes que chegaram ao município.
“O Memorial do Imigrante Italiano é muito importante para o município, principalmente para o Circuito Italiano. Pois, faz parte do nosso turismo, e conta com uma carga histórica muito grande, devido a todos os objetos que estão dentro dela, que resgatam a história e a memória dos nossos imigrantes”, explica o secretário da pasta, Antonio Ricardo Milgioransa.
Durante a entrega, estiveram presentes membros das famílias que contribuíram com a doação da casa e dos objetos expostos nela, e receberam uma homenagem promovida pela Prefeitura; cada um recebeu um certificado de agradecimento pela contribuição.
A Casa Eugênio Mottin, foi construída em 1932 e realocada para o Parque Municipal da Uva em 2007
A Casa Eugênio Mottin, foi construída em 1932 e realocada para o Parque Municipal da Uva em 2007
“Eu morei nessa casa durante 23 anos. E tudo faz lembrar a minha família, meus nove irmãos e meus pais. E estar aqui é voltar ao passado, ver a casa é muito emocionante, pois está como antigamente, do jeito que eu me lembrava”, conta Sr. Rui Alceu Mottin, membro da família que doou a casa.
A Sra. Tecla Beninha Cavassin Mottin, esposa do Sr. Francisco Mottin – o filho mais velho do seu Eugênio Mottin e Maria Toniolo Mottin – aproveitou a ocasião e fez a doação de outros objetos, sendo eles uma Traverse (travessa) e escudela (bacia). A Sra. Tecla recebeu os utensílios da sogra, Maria Toniolo Mottin.
Ao total, foram investidos mais de R$ 26 mil para a restauração de um espaço de 96,63 m². As obras contemplaram a reposição de tábuas, a descupinização interna e externa, substituição de janelas danificadas, reassentamento de pedras no entorno da casa, lixamento e enceramento de todo o assoalho, e por fim a pintura interna e externa do Memorial.
A ação faz parte do pacote de obras do Circuito Italiano de Turismo Rural de Colombo, em comemoração aos 16 anos, completados no dia 05 de fevereiro deste ano.
A prefeita Beti Pavin participou da cerimônia de entrega, e contou histórias sobre alguns momentos que viveu na infância
A prefeita Beti Pavin participou da cerimônia de entrega, e contou histórias sobre alguns momentos que viveu na infância
Estiveram presentes durante a reabertura do Memorial, a prefeita Beti Pavin, o vice-prefeito Ademir Goulart, o presidente da Câmara dos Vereadores Waldirlei Bueno, o secretário Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Antônio Ricardo Milgioransa, o secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso, o secretário de Meio Ambiente, Evandro Busato, o secretário de Fazenda, Márcio Strapasson, o vereador Sidnei Campos e o poeta Zaro.
Serviço:
O Memorial do Imigrante Italiano
Local: Anexo ao Parque Municipal da Uva, Rua Marechal Floriano Peixoto, 8771 – Centro.
Atendimento: quarta a domingo e feriados; das 9h às 12 e das 13h às 16h.
Mais informações: 3656-6458
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Fotos: Márcio Fausto/ PMC

Ex-diretor da Alep mantinha rede para lavagem de dinheiro, afirma MP-PR


Abib Miguel, o Bibinho, já foi preso por outro esquema na Assembleia.
Escutas gravadas pelo Ministério Público revelam depósitos ilegais.

do G1 PR, com informações da RPC
Abib Miguel, ex-diretor da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), o Bibinho, mantinha uma rede de lavagem de dinheiro com empresas e contas em nome de outras pessoas, segundo o Ministério Público (MP-PR).
Ele foi preso em novembro de 2014, acusado de desviar mais de R$ 200 milhões do Legislativo usando funcionários fantasmas. No momento em que foi detido, ele recebia uma mala com R$ 70 mil, no Aeroporto de Brasília.
saiba mais
Escutas gravados pelo MP durante três meses revelaram como o esquema de lavagem de dinheiro, revelado agora, funcionava.
No dia 25 de setembro, por exemplo, há uma ligação telefônica entre Edivan Bataglin, apontado como um dos laranjas de Bibinho, e uma mulher, para quem ele pergunta sobre um depósito para o ex-diretor.
- Sabe se caiu o crédito na conta do Abib de R$ 70 mil aí? -, pergunta Bataglin.
- Hum. Só um minutinho. Na conta do Abib, né? Por enquanto, não.
- E na minha? Caiu alguma coisa?
- Hoje, não.
- Então vai entrar daqui a pouco. Tem uma previsão de saque de menos de 70 mil, né?
- Tenho.
No mesmo dia, um homem que administrava as contas de Bibinho, segundo o Ministério Público, confirma o recebimento do valor em outra ligação.
- Tem um depósito para o "seu" Abib aí, correto?
- Deixa eu ver. R$ 70 mil?
- Isso. Foi para o banco?
- Foi, foi para o banco.
Um mês depois, Bataglin conversa com a filha de Abib Miguel, Luciana. Ele pede para que ela avise o pai que o "feijão" será entregue em casa. Conforme o MP, feijão quer dizer dinheiro.
- Teu pai tá em Curitiba? -, pergunta o suposto laranja de Miguel.
- Tá.
- Fala para ele que o César tá levando um feijão lá para ele na (...), tá?
- Tá, tá bom.
Os advogados de Bibinho informaram que não vão se manifestar sobre o processo. Bataglin foi preso em novembro, mas já está em liberdade - ele não foi localizado. A defesa da filha de Abib, Luciana, foi procurada e não retornou às ligações da reportagem.

PMDB deve lançar filho de Requião em Curitiba, diz Diário de Pernambuco


requiaofilho 3
Está cada dia mais difícil do PMDB esconder as intenções de lançar o filho do senador Roberto Requião, o deputado estadual Requião Filho, candidato à prefeito de Curitiba nas eleições de outubro de 2016. A boa performance do rapaz nas pesquisas de intenções de voto, aparece na segunda posição empatado com o atual prefeito Gustavo Fruet (PDT), tem refletido na imprensa nacional. Nesta segunda-feira (6), o Diário de Pernambuco, um dos mais importantes veículos daquele Estado, afirma que a tendência é o PMDB lançar Requião Filho à prefeitura de Curitiba. Nos corredores da Assembleia, a candidatura do filho de Requião é dada como certa, deixando de lado nomes como do ex-prefeito Rafael Greca, do ex-deputado estadual Stephanes Junior e dos dois ex-deputados federais Marcelo Almeida e Rocha Loures.

Complicou para Gleisi


Fica mais complicada a situação da senadora (ex-chefe da Casa Civil de Dilma) Gleisi Hoffmann (PT-PR): o juiz Sérgio Moro autorizou a PF a ouvir Ricardo Pessoa, da UTC, amanhã em São Paulo sobre o esquema que investiga a participação dela no petrolão. Ela já admitiu que conhece Pessoa e já pediu doações de campanha para ele. Nas delações de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef, Gleisi teria levado R$ 1 milhão de caixa dois da UTC.

Dilma sanciona Estatuto da Pessoa com Deficiência


Texto da lei foi aprovado pelo plenário do Senado no mês passado. Segundo governo, objetivo é assegurar direitos e oportunidades.
Foto: divulgação
A presidenta Dilma acaba de sancionar o Estatuto da Pessoa com Deficiência – Lei Brasileira de Inclusão. Uma lei cidadã, à luz dos direitos humanos, que elimina barreiras para 50 milhões de brasileiros.
O texto foi  sancionado com o trecho que redistribui a arrecadação das loterias federais para o esporte. Pelo texto, 2,7% da arrecadação das loterias federais devem ser investidas no esporte. Hoje esse percentual é de 2%. Da parte a ser destinada ao esporte, o Estatuto prevê que 37,04% devem ser repassados ao Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e 62,96% ao Comitê Olímpico (COB). Atualmente o CPB fica com a fatia de 15% e o COB, 85%.
A lei também acaba com a cobrança de taxa-extra para pessoas com deficiência em escolas particulares, conforme prevê um projeto de minha autoria. Além disso, garante o auxílio-inclusão, um incentivo para que pessoas com deficiência possam entrar no mercado de trabalho sem perder o valor equivalente ao que recebem com o Benefício da Prestação Continuada (BPC).
A lei também trata de mobilidade, saúde, inclusão social, saúde, transporte, prestação de serviços, turismo e tudo que uma sociedade precisa para se adaptar às pessoas com deficiência.

Justiça prorroga prazo para a PF concluir inquérito da Odebrecht


Diretoria da empresa é investigada na Operação Lava Jato.
Presidente da companhia, Marcelo Odebrecht, está preso desde junho.

Do G1 PR
O juiz federal Sérgio Moro concedeu, nesta segunda-feira (6), um novo prazo para que a Polícia Federal conclua o inquérito que investiga a prática de crimes pela diretoria da construtora Odebrecht. A empresa é investigada no âmbito da Operação Lava Jato por suposto pagamento de propina a funcionários do alto escalão da Petrobras.
No despacho que autorizou a ampliação do prazo para que o inquérito seja concluído, o juiz Sérgio Moro destacou que entende "não ter havido tempo hábil para a análise de todo o material apreendido". Ele reconhece que, inicialmente, "há provas de materialidade de crimes e indícios de autoria em relação aos investigados".
Moro, no entanto, adiantou que não deverá prorrogar novamente o prazo para a conclusão do inquérito. Os trabalhos que deveriam ter sido encerrados no último dia 3, devem ser estendidos até 18 de julho.
A participação da Odebrecht se tornou conhecida quando a Polícia Federal deflagrou a 14ª fase da Lava Jato, no dia 19 de junho deste ano. Na ocasião, os policiais destacaram ainda a participação da construtora Andrade Gutierrez. Para cada empreiteira, há um inquérito específico, assim como em outras fases da Lava Jato.
Quando a operação foi deflagrada, a Polícia Federal seis pessoas ligadas à Odebrecht. Entre elas, está o presidente da empresa, Marcelo Odebrecht e um ex-diretor da Braskem, braço da companhia que atua no setor de petroquímica.

Prisão de Jobson não muda visão do Botafogo contra suspensão da Fifa; advogado no caso prefere não opinar


Imagem de Jobson algemado e sem camisa circulou pela Web Foto: Reprodução/Internet / Reprodução/Internet
Nelson Lima Neto

A detenção do atacante Jobson por dois dias, por dirigir alcoolizado e desacato a autoridade em Conceição do Araguaia, no Pará, gerou posicionamentos distintos entre o seu advogado no caso de suspensão na Fifa e o Botafogo.
Mesmo sem contrato com o clube, a diretoria alvinegra continua a monitorar a situação do jogador e avaliou que a prisão pode ter relação com a punição de quatro anos imposta pela Fifa ao jogador, por se recusar a fazer um exame antidoping, em 2014, quando jogava na Arábia Saudita.
Em um primeiro momento, o Botafogo não deve modificar a postura de apoiar o pleito de Jobson junto a Fifa, e liberar o jogador para voltar a atuar.
Já o defensor de Jobson na Fifa, o advogado Bichara Neto disse que não comentará o caso até que tenha acesso aos detalhes da ocorrência.
— Soubemos apenas do que foi noticiado. Prefiro não opinar — afirmou.
Jobson ficou preso da madrugada de sexta até a tarde de sábado em Conceição do Araguaia, sua cidade natal. Os policiais abordaram o jogador, que resistiu à prisão e foi detido dentro de sua casa. O atacante foi liberado após pagar dois salários mínimos de fiança e responderá ao processo em liberdade.
Essa não é a primeira vez que Jobson foi parar na delegacia. Quando atuou pelo São Caetano, em 2013, foram duas ocorrências na cidade paulista. A primeira, ao ser preso por agredir a ex-mulher, Thayne Bábarara. A segunda veio meses depois, por desacato a autoridade. Esse processo, por sinal, segue aberto após o ex-camisa 7 não comparecer às audiências do processo que aconteceram em março e abril deste ano, no Rio.
Punido pela Fifa em abril, Jobson decidiu voltar a sua cidade natal depois de ser informado de que não poderia nem treinar com o elenco alvinegro. O atacante garantiu que, mesmo punido, manteria a forma física no Pará.


Jovem é preso acusado de matar e esconder corpo de namorada


Geovane Brea foi preso por matar a namorda
Geovane Brea foi preso por matar a namorda Foto: CléberJunior
Igor Ricardo

Agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) prenderam, neste domingo, Geovane Breia, de 25 anos, acusado de matar e esquartejar a professora universitária Andreia Oliveira Pinto, de 37, em Paracambi, na Baixada Fluminense. O corpo da docente foi dividido em três partes e encontrado no sábado dentro da caixa d’água da casa da mulher. O crime ocorreu no último dia 30.
Segundo a Polícia Civil, Geovane confessou o crime e deu detalhes do ocorrido. A professora foi morta após ser agredida durante uma discussão por ciúmes. O jovem, dois dias depois, resolveu então cortar o corpo dela em pedaços. Ele usou uma faca de serra.
— O rapaz não demonstrou nenhum tipo de arrependimento. Ele ficou com o corpo dela em casa durante um tempo e depois resolveu esquartejar porque não sabia o que fazer com o corpo. Prendemos ele na casa de um amigo em São Gonçalo (Região Metropolitana do Rio) - conta o delegado adjunto da DHBF, Evaristo Pontes Magalhães.
Andreia Oliveira foi morta no último dia 30
Andreia Oliveira foi morta no último dia 30 Foto: Reprodução de Facebook
Geovane e Andreia tinham um relacionamento de apenas dois meses, segundo afirmou familiares para os policiais. Ela era funcionária da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.
O rapaz já teve a prisão temporária decretada pela justiça e deve responder por homicídio qualificado, além de ocultação de cadáver. A pena pode chegar a 30 anos.


Cardeal arcebispo do Rio é assaltado pela 2ª vez em menos de um ano


Ação foi filmada por uma testemunha. Ela flagrou o carro dos bandidos momentos depois de terem fechado o carro onde estava Dom Orani.

Quatro assaltantes atacaram o cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, na noite de domingo (5), quando ele voltava de uma missa.(veja vídeo)
Toda a ação foi filmada por uma testemunha. Ela flagrou o carro dos bandidos momentos depois de terem fechado o carro onde estavam Dom Orani, o motorista e um casal de amigos italianos. Eles foram obrigados a sair do carro.
E os assaltantes fugiram nos dois veículos levando o motorista refém. Só então a testemunha se aproximou: “Ele estava bem tranquilo, tava bastante calmo e o casal que tava mais nervoso. E a menina, ela desmaiou. Aí eu peguei ela no colo, coloquei ela no nosso carro e ficamos tentando parar um veículo para ele poder ir embora. O Dom Orani esperou o motorista voltar, só aí depois ele quis ir embora”, conta.
O motorista de Dom Orani foi liberado dois quilômetros depois. Nesta segunda-feira (6), o cardeal arcebispo trabalhou normalmente. Ele não pretende alterar a rotina, nem andar com seguranças.
“É sempre algo que nos assusta e que nos compromete com a cidade. São efeitos de uma cidade que necessita ainda mais de tratar bem a suas crianças, adolescentes, dar educação, cuidar da família. Temos muitas coisas a fazer”, diz Dom Orani Tempesta, cardeal arcebispo do Rio de Janeiro.
Em menos de um ano, essa foi a segunda vez que Dom Orani foi assaltado. E novamente, os bandidos levaram um objeto que era muito estimado por ele: um crucifixo de prata, presente do Papa João Paulo II.
O primeiro assalto foi em setembro passado, na região central do Rio. Na época, os policiais contaram que um dos bandidos reconheceu Dom Orani e pediu desculpas. Mesmo assim, os criminosos fugiram levando as joias, que depois foram abandonadas na rua, entre elas, o crucifixo de prata.
O carro roubado, na noite deste domingo (5), foi encontrado a cerca de nove quilômetros do local do assalto. Os bandidos não levaram batinas e nem os objetos usados por Dom Orani para celebrar as missas.

“Eu creio que não sou diferente daquilo que acontece no Rio de Janeiro com tantas pessoas. Tanta gente no Rio de Janeiro sofre assalto, tem dificuldades, acho que a vida foi preservada, não houve ferimentos, levaram apenas coisas materiais”, diz Dom Orani.
A Polícia Civil disse que o carro da Arquidiocese do Rio passa por perícia e que testemunhas estão sendo ouvidas para ajudar a identificar os autores do crime.

Carro de doleiro preso na Lava Jato é vendido em leilão por R$ 109 mil


Veículo pertence a Carlos Habib Chater, que já foi condenado pela Justiça.
Valor foi menor que o lance inicial do primeiro leilão feito pelo carro.

Do G1 PR
Volvo pertencia ao doleiro condenado na Lava Jato Carlos Habib Chater (Foto: Divulgação)Carro tem motor 2.0 e apenas 14.456 quilômetros rodados (Foto: Divulgação)
O Volvo XC60 que pertencia ao doleiro Carlos Habib Chater, condenado em processo derivado da Operação Lava Jato, foi vendido na tarde desta segunda-feira (6), durante um leilão realizado emCuritiba. O carro foi vendido por R$ 109 mil para uma pessoa que fez um lance pela internet. O lance mínimo era de R$ 104 mil O leilão durou cerca de cinco minutos.(veja vídeo)
Veja as imagens do leilão registradas pelo repórter-cinematográfico Feliphe Abhreu
Esta foi a segunda vez que a Justiça Federal colocou o carro à venda. Na primeira, em 26 de junho, o lance inicial era de R$ 130 mil.No entanto, não houve nenhum lance pelo carro. O Volvo é modelo 2013/2014, tem motor 2.0 e 14.456 quilômetros rodados. O leilão visa evitar a depreciação dos bens durante a tramitação dos processos.
A pessoa que comprou o veículo terá que desembolsar ainda outros R$ 5.450,00, para poder ficar com o carro. O valor é referente à comissão de 5% ao leiloeiro designado pela Justiça Federal. Sendo assim, o carro saíra R$ 114.450,00 para a pessoa que fez o lance vencedor.
O preso
Carlos Habib Chater está preso no sistema prisional do Paraná, em Piraquara, e já acumula duas condenações na Lava Jato, que somam pena de dez anos e três meses. Chater responde ainda a mais um processo na primeira instância.
A primeira condenação de Chater foi por lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas. Nesse processo, ele recebeu a pena de cinco anos e seis meses em regime fechado.
O restante do tempo de prisão consta em uma sentença sobre a lavagem de dinheiro do ex-deputado federal José Janene, morto em 2010. Em ambas as sentenças, ainda cabem recursos.
Ele é dono do Posto da Torre, um posto de gasolina em Brasília, que foi usado para lavagem de dinheiro. Por ter um serviço de lava a jato, o local inspirou o nome da operação.
Nelma foi condenada a 18 anos de prisão pela prática de crimes de evasão de divisas, além de operação de instituição financeira irregular, evasão de divisas tentada, corrupção ativa, pertinência a organização criminosa e lavagem de dinheiro. O Volvo será o segundo bem apreendido na Lava Jato que será leiloado.
O carro que será leiloado está no depósito na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba