Como cães podem ajudar a curar crianças


A cada 15 dias, um grupo de cachorros faz uma visita à ala pediátrica de um hospital em São Paulo

RAFAEL CISCATI COM RENATO TANIGAWA
13/07/2015 - 08h01 - Atualizado 13/07/2015 11h08
Assine já!
Os cães do Inataa (Foto: Divulgação)
Mambo é um terapeuta jovem. Dedica-se à carreira há dois anos. E pode dizer que acumula relativo sucesso. Basta que as crianças do hospital avistem seus "cabelos" dourados para ficar animadas. Mambo é um golden retriever tranquilo que, algumas vezes ao mês, junta-se à dona, Carla Bononi, para fazer trabalho voluntário. Em uma tarde de quinta-feira de junho, os dois estavam no Hospital Cruz Azul, no Cambuci, em São Paulo. Sua missão, em companhia de outros quatro cachorros e de seus respectivos tutores, era alegrar as crianças internadas e, com isso, ajudá-las a se recuperar melhor e mais rapidamente.
Mambo e sua dona são voluntários do Instituto Nacional de Ações e Terapias Assistidas por Animais (Inataa). A ONG paulista, fundada em 2008, leva cães para visitar asilos e hospitais infantis por toda a cidade. São quatro asilos e dois hospitais que recebem visitas regulares dos cachorros. O time habitual, montado para cada visita, é composto por três cães de médio porte, como Mambo, dois cachorros menores e seus tutores humanos - que podem ser os donos do animal ou algum voluntário da ONG. No Inataa, trabalham pouco mais de 40 cães. 

>> Os jovens que moram em Estados onde a maconha é legal usam menos a droga
A ideia do Inataa, e de outras organizações que fazem trabalho parecido, é de que o contato com os animais ameniza as tensões do meio hospitalar, e ajuda o paciente a se sentir melhor. “Passar 20 minutos na presença desses animais já melhora os seus batimentos cardíacos, a sua pressão sanguínea”, diz Vera Abruzzini, presidente do Inataa. “Eles também trazem conforto para quem vive em asilos e se sente só.”

>>Comer amendoim reduz o risco de morrer por câncer e outras doenças, diz estudo
As visitas ao Cruz Azul ocorrem nas tardes de quinta-feira, semana sim, semana não. Começaram por iniciativa de Claudia Begueldo, assistente social do hospital e responsável pelas iniciativas que tentam humanizar o ambiente hospitalar. A decisão de Claudia foi influenciada por dois fatores: primeiro, há evidências científicas de que a presença de animais ajuda na recuperação de pacientes. Cláudia teve a ideia de trazer cães terapeutas para o Cruz Azul depois de ver experiências bem-sucedidas em outros hospitais. Inspirou-se na iniciativa do Hospital São Paulo, instituição ligada a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Lá, as intervenções com animais acontecem há 9 anos.

>>Algumas pessoas têm predisposição genética para sorrir, diz pesquisa
Em segundo lugar, ela mesma adora cachorros. Não é a única: “Os funcionários daqui também ficam animados quando é dia de visita”, diz ela.  Quem andava pelo corredores do hospital, naquela quinta-feira, percebia certa excitação. “Hoje é o dia dos cachorros? Já já eu subo lá”, disse uma médica ao encontrar Cláudia no elevador. Ela respondeu com um sorriso. (ASSISTA AO VÍDEO)
  
Tratamentos assistidos por animais, ou TAAs, são antigos. Há sinais de que ocorram há séculos, de maneira quase informal. Um dos registros mais antigos da técnica foi feito pela britânicaFlorence Nightingale, considerada a mãe da enfermagem moderna. Em 1860, Nightingale observou que aqueles pacientes que contavam com a companhia de pequenos animais domésticos manifestavam sensível melhora de saúde. “O comentário dela influenciou muitos médicos a aplicar as terapias assistidas por animais aos seus próprios tratamentos” diz Aubrey Fine, psicólogo clínico e professor da Universidade Politécnica da Califórnia. Fine se dedica à área desde 1973. Seu interesse surgiu por acaso, ao trabalhar com crianças hiperativas. Numa tarde, Fine levou Sasha – uma pequena ratinha-do-deserto – para brincar com as crianças. Notou como elas mudavam de comportamento: “Mesmo as crianças mais agitadas se aquietavam, e esperavam a vez para pegar Sasha nas mãos”.
O campo ganhou fôlego científico – ainda que fraco – a partir de 1961. Naquele ano, o psicólogo Boris Levinson defendeu, em uma palestra que ficaria famosa, os méritos dos bichos terapeutas. Seus comentários foram recebidos com entusiasmo por alguns, e com deboche por outros. No Brasil, alguns dos trabalhos mais importantes foram publicados pela psiquiatra Nise da Silveiradurante a década de 1990. No livro Gatos, a emoção de lidar, ela relata suas experiências com o uso de gatos no tratamento de pacientes com esquizofrenia. Além de gatos e cachorros, há terapias desenvolvidas com uma infinidade de animais – de cavalos a cobras.
Ainda faltam evidências científicas quem amparem as TAAs. Fine diz que a maioria dos trabalhos hoje publicados se resume a revisar os resultados de pesquisas antigas, sem que novas experiências sejam realizadas. A maioria defende que a presença dos animais interfere na regulação de três tipos de substâncias importantes para o bem-estar dos humanos:  endorfina, oxitocina e as catecolaminas. As duas primeiras são hormônios associados às sensações de prazer. Elas aumentam na presença dos animais. Jás as catecolaminas são hormônios como a adrenalina, que contribuem para que a pessoa se sinta estressada. Quando os animais estão por perto, seus níveis caem.
Os efeitos das visitas são sentidos também nos cãezinhos. Um estudo desenvolvido por veterinários parceiros do Inataa constatou que a frequência cardíaca dos animais salta quando em contato com as crianças. Por isso, as visitas tendem a ser curtas – duram entre 40 minutos e 1 hora. É importante não deixar os cachorros estressados demais.
No Cruz Azul, as crianças usam os cães para perder o medo do tratamento. Enfaixam os cahorros, fingem que vão fazer operações, trocam órgãos de mentira entre os cães. Os cachorros recebem os afagos e puxões docilmente. Essa é uma característica importante do cão terapeuta: ele precisa ser receptivo ao toque.
Na teoria, qualquer cachorro pode virar terapeuta: “Um cão terapeuta não precisa ter raça”, diz Vera. Mas carece de alguma vocação. Os interessados passam por testes do Inaata, para assegurar que vão se manter dóceis quando puxados, apertados ou afagados. E para saber como reagem na presença de bengalas, cadeiras de rodas ou do cheiro do hospital. O cachorro também precisa obedecer a alguns comandos básicos – “deita”, “fica”, “senta”. uma vez aprovado nos testes, ele passa por um período de estágio: começa a frequentar asilos por períodos curtos, em seções de 10 ou 15 minutos. Visitas a crianças, só depois da graduação.
Durante aquela tarde, Mambo se comportou como um cão modelo. Derreteu-se aos pés de Vitor, um menino de dois anos, internado há três dias. O encanto era recíproco. “A gente não tem muito espaço em casa, então ele não está acostumado com cachorros grades”, diz Manoel Rodrigues, pai do menino. Carla Bononi, a dona de Mambo, estava orgulhosa. “Não tem nada melhor do que a gente receber sorrisos”.

20 curiosidades sobre o WhatsApp que talvez você não saiba


O aplicativo "queridinho" dos brasileiros tem alguns fatos e números interessantes que fazem parte de sua história

BRUNO FERRARI
23/07/2015 - 15h30 - Atualizado 23/07/2015 16h09
Assine já!
Aplicativos em celular do tipo iPhone mostram WhatsApp e Facebook (Foto: getty images)
Quando você troca de smartphone, qual é o primeiro aplicativo que você instala? Se fosse preciso chutar, eu apostaria no WhatsApp. É raro ver alguém que tenha um smartphone e não use o aplicativo para trocar mensagens, fotos, vídeos e, mais recentemente, fazer chamadas de voz.
Fui pesquisar algumas curiosidades sobre o aplicativo. Algumas você deve saber. Outras, eu espero, vão te deixar surpreso. Vamos a elas:
1. O Facebook comprou o WhatsApp, criado em 2010, no ano passado. Pagou por ele US$ 22 bilhões, algo como metade do valor de mercado da Petrobras...
2. … ou 22 vezes o que Mark Zuckerberg pagou pelo aplicativo Instagram, em 2012. Foi uma pechincha!
3. O fundador do WhatsApp, Jan Koum, concorreu a uma vaga no Facebook em 2008, mas não foi aprovado.
4. Meses antes da oferta do Facebook, Koum recusou US$ 10 bilhões do Google.
5. Mark Zuckerberg precisou justificar aos americanos o caminhão de dinheiro destinado ao WhatsApp. Isso porque o aplicativo nunca fez tanto sucesso lá.
6. Os americanos se acostumaram a usar aplicativos de troca de mensagens dos próprios smartphones. Antes, com o BBM, do BlackBerry. Depois, com o iMessage, do iPhone. Ninguém pagava por SMS lá, como ocorria aqui e em outros países.

>
7. Em abril deste ano, o WhatsApp revelou ter 800 milhões de usuários no mundo.
8. Em outra estimativa, a empresa diz ganhar pouco mais de 1 milhão de usuários por dia. Quer dizer que em algum momento deste ano o aplicativo deve romper a barreira de 1 bilhão de usuários. 
9. A Índia é o país com maior número de usuários de WhatsApp no mundo. Pela estimava mais recente, o Brasil é o segundo, seguido de México, Alemanha e Espanha.
10. A China, maior mercado para quase tudo que existe no mundo, também não dá muita bola para o WhatsApp. Lá, a turma gosta de um concorrente chinês chamado WeChat. O WeChat tentou entrar no Brasil no ano passado, com uma campanha de marketing faraônica, mas não conseguiu vencer o WhatsApp.
11. O WhatsApp foi o aplicativo mais baixado no Brasil em 2014, segundo a consultoria App Annie. O segundo, terceiro e quarto colocados também são de Mark Zuckerberg. Na ordem, Facebook Messenger, Facebook (a rede social) e Instagram.

12. Estima-se que 80% dos smartphones no Brasil tenham um aplicativo do WhatsApp instalado.
13. Os usuários do WhatsApp trocam cerca de 30 bilhões de mensagens todos os dias.
14. Cada usuário checa, em média, 23 vezes por dia seu smartphone para ver mensagens no WhatsApp.
15. São mais de três horas por semana dedicadas ao aplicativo. Por dia, um usuário passa 27 minutos pendurado no app.
16. O tempo perdido por uma pessoa nascida nos anos 1980 usando o WhatsApp por uma semana equivale a todo tempo perdido na vida tentando abrir o plastiquinho que cobria os CDs (ok, essa estimava eu inventei).
17. É provável que, ao final de um mês, você tenha enviado cerca de 1 000 mensagens para seus amigos e parentes.
18. Apesar de toda a audiência, o WhatsApp ainda dá um prejuízo exorbitante para o Facebook. Nos primeiros seis meses pós aquisição, Zuckerberg perdeu US$ 232 milhões com o aplicativo.
19. Fora o Facebook, o WhatsApp causou impacto  negativo nas contas das operadoras de telefonia. Segundo um estudo da consultoria Teleco, o tempo total de ligação mensal dos brasileiros caiu de 140 minutos para 111 minutos no primeiro trimestre deste ano. O maior culpado? Ele mesmo, o “Whats”.
20. O Facebook estuda algumas formas de fazer dinheiro com seu aplicativo de US$ 22 bilhões. Uma das possibilidades seria transformá-lo numa carteira virtual. Além de mensagens, emoticons, fotos e vídeos, você também poderá enviar dinheiro a outro usuário. Seria o fim dos “DOCs”? Bom… pelo menos seria o fim da tática do "Depósito io iô", aquele do "eu fiz, mas voltô". 

Quando a quimioterapia prejudica mais do que ajuda pacientes terminais de câncer


Apesar de o tratamento salvar muitas vidas, pesquisa sugere que este caminho nem sempre é o melhor

REDAÇÃO ÉPOCA
23/07/2015 - 16h41 - Atualizado 23/07/2015 16h49
Assine já!
Decidir qual o melhor tratamento para uma doença é uma tarefa difícil. Com um diagnóstico de câncer terminal, é ainda mais complicado: alguns defendem que a luta deve ir só até certo ponto, sem ultrapassar limites. Segundo estudo publicado no periódico científico JAMA Oncology, a quimioterapia pode ser ineficaz em alguns casos de câncer terminal.
Os pesquisadores avaliaram um grupo de 312 pacientes terminais, que não tinham mais de seis meses de vida. Para metade deles, pelo menos uma – ou múltiplas – etapa da quimioterapia não teve resultado: os tumores continuaram se espalhando para outras partes do corpo. Além disso, a diminuição de tumores foi de 0% a 2%, o que não é uma grande mudança neste caso.
Nesses casos, a pesquisa sugere que não há evidências de que a quimioterapia seja a escolha certa para o tratamento. Holly Prigerson, diretor do Centro de Pesquisas na Universidade de Cornell, percebeu uma queda na qualidade de vida desses pacientes quando realizavam a quimioterapia em comparação aos que optavam por não fazê-la. Além disso, o tratamento prejudicava as atividades diárias, fazendo com que eles se sentissem pior. Em outras palavras, não ofereceu nenhuma mudança ou benefício significante para a saúde.
A decisão de continuar ou não os tratamentos depende de cada paciente, mas o pesquisador espera que os resultados ajudem a informar sobre as escolhas de quem tem câncer terminal. Muitos pacientes acreditam que as etapas da quimioterapia podem fazer com que se sintam melhor, o que está sendo colocado em xeque. “A constatação de que a qualidade de vida foi prejudicada com a quimioterapia não foi surpreendente em si. Mas o que surpreendeu foi que as pessoas que estavam se sentindo melhor no início da terapia terminaram se sentindo bem pior”, disse àTIME. A quimioterapia fez os pacientes se sentirem pior sem trazer benefícios significantes para a saúde deles.
A quimioterapia diminuiu a capacidade de alguns pacientes terminais de praticar atividades do cotidiano (Foto: Thinkstock)

Pão de Açúcar afirma a MPF que Palocci não entregou serviços pelos quais foi pago


Procuradores usarão relatório para investigação sobre ex-ministro

THIAGO BRONZATTO
27/07/2015 - 14h30 - Atualizado 27/07/2015 19h41
Assine já!
Antônio Palocci (Foto:  Marcelo Camargo/Folhapress)
O Pão de Açúcar acaba de entregar ao Ministério Público Federalum relatório mostrando que o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci não entregou o trabalho de consultoria pelo qual faria jus a R$ 5,5 milhões. Os procuradores usarão a informação numa investigação para apurar improbidade administrativa do ex-ministro.

Acossado por denúncias, Fernando Collor consegue um aliado no PTB


Secretário-geral da legenda afirma ser “questão de honra” oferecer apoio ao senador e ex-presidente

NONATO VIEGAS
28/07/2015 - 10h00 - Atualizado 28/07/2015 10h00
Assine já!
O senador Fernando Collor  (Foto: André Coelho / Agência O Globo)
Sentindo-se abandonado por seu partido, o PTB, o senador Fernando Collor ganhou um defensor. Secretário-geral da Executiva Nacional, o deputado Campos Machado (SP) garante ser uma "questão de honra" oferecer "todo o apoio" ao ex-presidente da República. "Ao partido, não cabe julgar, e o senador pode ter certeza de que não está sozinho. Vamos dar a ele a retaguarda que asseguramos a todos os petebistas. Garantimos isso até que haja uma decisão conclusiva da justiça”, diz. Entretanto, para Cristiane Brasil, presidente nacional da legenda e filha de Roberto Jefferson, há indícios contra Collor. Interlocutores do PTB afirmam que numa provável cassação do senador poucos ficariam tristes na sigla.

PF mira irregularidades em Angra 3 em nova fase da Lava Jato


180 policiais cumprem 30 mandados, dois de prisão, em Brasília, Rio de Janeiro, Niterói, São Paulo e Barueri na 16ª fase da operação

REDAÇÃO ÉPOCA
28/07/2015 - 10h03 - Atualizado 28/07/2015 10h48
Assine já!
Obras na usina Angra 3 (Foto: Felipe de Souza/Futura Press)
Polícia Federal deflagrou na madrugada desta terça-feira (28) a 16ª fase da Operação Lava Jato. A investigação foca nos contratos entre as empresas envolvidas na Lava Jato e uma subsidiária da Petrobras, a Eletronuclear, além de cartel formado para ajustamento de licitações nas obras da usina nuclear Angra 3. Esta nova fase foi batizada de operação “Radioatividade”.

>> As ações da polícia terão consequências políticas?
Ao todo 180 policiais federais cumprem 30 mandados judiciais, sendo 23 de busca e apreensão, dois de prisão temporária e cinco de condução coercitiva em Brasília, Rio de Janeiro, Niterói, São Paulo e Barueri. De acordo com informações do O Globo, os cinco andares da Eletronuclear, no Rio, foram lacrados, e o diretor afastado da estatal, Othon Luiz Pinheiro da Silva, foi preso em Niterói. A empresa foi criada em 1997 para operar e construir usinas termonucleares e responde a geração de cerca de 3% da energia consumida no país.

>> As ações da polícia terão consequências econômicas?

Outro detido é Flávio David Barra, executivo da Andrade Gutierrez, preso no Rio de Janeiro, segundo o G1. Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde as investigações da Lava Jato são conduzidas. A prisão temporária tem prazo de cinco dias e pode ser prorrogada pelo mesmo período ou ser convertida em preventiva, quando o réu fica à disposição da Justiça sem prazo determinado.

A nova fase é baseada em informações prestadas em delação premiada pelo ex-presidente da construtora Camargo CorrêaDalton Avancini, que delatou o pagamento de propina a políticos e fraude na licitação da montagem da usina nuclear Angra 3.

>> Delação da Camargo Corrêa envolve Angra 3

Segundo o depoimento de março, Avancini disse que havia um acordo de que o edital seria direcionado para que seis empresas vencessem a licitação, se houvesse o pagamento de propina a políticos do PMDB.
Sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba (Foto: André Richter / Agência Brasil)

Em região de tráfico, adolescente de 15 anos é baleado e morre no meio da rua; polícia tem nomes


Por Elizangela Jubanski e Juliano Cunha

araucária
Adolescentes foram baleados e polícia já tem nome de suspeitos. foto: JC/Banda B
Em uma região bastante conhecida pela venda de drogas, dois adolescentes foram baleados na noite desta segunda-feira (27) em Araucária, na região metropolitana de Curitiba. Um deles, de apenas 15 anos, morreu na hora. O outro foi baleado nas costas e encaminhado ao Hospital do Trabalhador, em Curitiba. A polícia já tem os nomes dos suspeitos.
De acordo com testemunhas, os dois conversavam na rua João Halinski, no bairro Thomaz Coelho, quando foram abordados pelos atiradores.O crime aconteceu por volta das 22 horas e uma  moto e um carro foram vistos fugindo em alta velocidade. “Temos algumas informações sobre tráfico de drogas, mas precisamos checar isso, temos que verificar. Sabemos que a região é propícia, até nomes nos foram cogitados, mas agora cabe a Civil investigar”, disse o tenente Ivair.
O corpo do adolescente foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba e o amigo segue internado. A Polícia Civil de Araucária investiga o caso.

Homem que vendia fogos de artifício clandestinamente é preso no Fazendinha


Polícia Civil

fogod
No local além dos 800 quilos de fogos de artifícios e dos mais de 20 balões. Foto: PC

Márcio José Pinto, 27 anos, foi autuado por policiais da Delegacia de Explosivos Armas e Munições (DEAM), na segunda-feira (27), na posse de 800 quilos de fogos de artifício, mais de 20 balões, além de vários equipamentos para prática desse crime, no bairro Fazendinha. O suspeito responderá por exposição ao perigo de vida e crime ambiental.
De acordo com informações policiais o suspeito é proprietário de uma empresa que não possui autorização para comercializar fogos de artifícios. No local além dos 800 quilos de fogos de artifícios e dos mais de 20 balões, foram apreendidos ainda cangalhas para soltura de balões, grande quantidade de algodão para fazer as buchas dos balões, lanternas e mais de cinquenta carretéis de linha cerol – pronto para comercialização -, além de inúmeros frascos de líquidos que seriam transformados em cerol para futuras vendas.
De acordo com o delegado titular da DEAM, Vinícius Borges Martins, “O crime ambiental, proíbe a prática de soltar, vender e expor a venda de balões prevista em Lei, bem como proíbe a comercialização e confecção da cola conhecida como cerol e linha chilena”, afirma Martins.
Além do suspeito responder pelos crimes autuados, ele terá que pagar multa por não possuir alvará de funcionamento, vender balões e comercializar cerol. A legislação prevê ainda o pagamento de até vinte salários-mínimos. Vale lembrar, que Márcio já é reincidente nesta prática.
.

Bandidos amarram funcionários de mercado no estoque e fogem tranquilamente


Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

mercado
Bandidos roubaram dinheiro do caixa e fugiram, tranquilamente, andando. Foto: DJ/Banda B

Dois homens assaltaram um mercado no Conjunto Flamboyant, na Cidade Industrial de Curitiba, na manhã desta terça-feira (28). Eles renderam e amarraram uma dupla de funcionários que tinham acabado de chegar –  a caixa e o açougueiro. Os bandidos roubaram dinheiro, alguns produtos e saíram tranquilamente, andando. Um deles estava armado.
De acordo com as vítimas, os bandidos renderam o açougueiro no momento em que ele levava o lixo para fora do mercado, que estava abrindo as portas. Logo depois, ele foi levado para o estoque junto com a caixa. Lá, eles foram amarrados com uma fita plástica.
“Eles não me pareciam nervosos, estavam calmos e tranquilos. De cara limpa e também saíram andando, normalmente. Ficamos apavorados, é o segundo assalto em menos de 8 meses”, disse a caixa. Todo o dinheiro foi levado e, ainda, gazetas e balcão revirados.
A ação durou cerca de 6 minutos e os bandidos fugiram, tranquilamente, andando. A Polícia Militar (PM) foi acionada e chegou em torno de 15 minutos depois. Os suspeitos não foram encontrados.
.

Cobrador que furtou estação-tubo registrou 10 B.O.s relatando assaltos que pode ter cometido


Por Marina Sequinel e Antônio Nascimento

Um dos cobradores acusados de roubar o dinheiro de uma estação-tubo no bairroBoqueirão, em Curitiba, chegou a registrar, nos últimos meses, 10 boletins de ocorrência (B.O.s) relatando assaltos no local. A Polícia Civil deve investigar agora se ele realmente foi vítima ou se desviou o montante nessas ocasiões.
O homem foi preso nesta segunda-feira (27) com o outro cobrador da estação Érton Coelho, depois que a dupla denunciou um falso roubo no local de trabalho. “Eles disseram, inicialmente, que duas pessoas armadas os renderam e fugiram com todo o dinheiro. Ao longo dos depoimentos nós percebemos que eles estavam entrando em contradição e descobrimos que um deles tinha, inclusive, o montante dentro da carteira no momento em que registrou o B.O”, disse o delegado Matheus Laiola, do 7º Distrito Policial, em entrevista à Banda B na tarde de hoje.
De acordo com Laiola, após a confissão, a dupla deu detalhes de como desviava o dinheiro já que a “polícia não fazia nada”. “Eles disseram ainda que isso é comum entre os cobradores. Claro que nós não podemos generalizar e acreditar que todos fazem isso, porque a maioria é trabalhadora e honesta. Pena que alguns poucos prejudicam a categoria”, completou o delegado.
A dupla, identificada como Jair Charello dos Santos, de 29 anos, e Gilmar de Jesus, 24, foi detida e encaminhada à delegacia. Os dois devem responder por furto qualificado e comunicação falsa de crime.

Pedreiro é socorrido pelo Siate após ser agredido por bandidos que fugiam de assalto no Água Verde


Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento
Foto: Antônio Nascimento - Banda B
Foto: Antônio Nascimento – Banda B

Um pedreiro de 68 anos do Cemitério Municipal do Água Verde, em Curitiba, foi socorrido pelo Siate na tarde desta terça-feira (28) após ser agredido por bandidos que fugiam de um assalto. De acordo com testemunhas, o crime ocorreu no cruzamento das avenidas República Argentina e Silva Jardim e três homens estariam envolvidos no crime.
“Eu só vi eles vindo na minha direção, até pensei que era uma brincadeira, mas daí vi a arma. Infelizmente me agrediram e eu não tive nem tempo de esboçar reação. Com a coronhada, eu acabei perdendo muito sangue”, relatou a vítima.
Segundo os socorristas, o pedreiro conversava com outra pessoa quando acabou ficando no portão 5, caminho dos assaltantes. “A pancada foi muito forte, ele acabou tendo um corte na cabeça, mas já está bem”, disse.
A Guarda Municipal foi acionada e o 2° Distrito Policial deve investigar o caso.

Cachorros da PM se apresentam para crianças internadas em Ponta Grossa


Técnicas de treinamento policial foram apresentadas nesta terça-feira (28).
Crianças e acompanhantes também puderam interagir com os cachorros.

Do G1 PR, em Ponta Grossa
Canil da PM se apresentou nesta terça (18) no pátio do hospital (Foto: Divulgação/PM)Canil da PM se apresentou nesta terça (18) no pátio do hospital (Foto: Divulgação/PM)
Cães da Polícia Militar (PM) de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, se apresentaram nesta terça-feira (28) no pátio do Hospital da Criança Prefeito João Vargas de Oliveira.
saiba mais

Os policiais do Pelotão de Choque exibiram o treinamento realizado para a descoberta de drogas e objetos roubados.
Um filhote também foi usado na demonstração. As crianças e os acompanhantes puderam tocar nos animais.
“Tentamos levar um pouco de alegria e quebrar a rotina das crianças que estão no hospital”, comentou o sargento Tiago Faria Szczerepa. A apresentação faz parte das comemorações dos 161 anos da PM no estado.
O canil tem cinco animais, sendo três fêmeas e dois machos. Segundo a PM, os cães são treinados para ajudar os policiais nas investigações. O treinamento começa quando os cães ainda são filhotes.
Eles trabalham por até sete anos e se aposentam. Depois da aposentadoria, os animais são encaminhados para adoção.