VEJA reconhece erro e pede desculpas a Romário



Em seu perfil no Instagram e em sua página na internet, o senador Romário de Souza Faria publicou a informação de que recebeu do banco suíço BSI um documento (leia a íntegra em francês) enviado por aquela instituição financeira às autoridades daquele país. "Nós estabelecemos como certo que este extrato bancário é falso e que o Sr. Romário de Souza Faria não é o titular desta conta em nosso banco na Suíça."
O extrato em questão foi publicado há duas semanas por VEJA como prova de que Romário era titular de uma conta bancária na Suíça com saldo equivalente a 7,5 milhões de reais. O comunicado do BSI não deixa dúvida sobre as adulterações no documento e pede às autoridades que investiguem a autoria da falsificação.
Por ter publicado um documento falso como sendo verdadeiro, VEJA pede desculpas ao senador Romário e aos seus leitores. Esse pedido de desculpas não veio antes porque até a tarde desta quarta-feira ainda pairavam perguntas sem respostas sobre a real natureza do extrato, de cuja genuinidade VEJA não tinha razões para suspeitar.
A nota do BSI dissipou todas as questões a respeito do extrato. Ele é falso.
A investigação desse episódio, no entanto, continuará sendo feita por VEJA.
Estamos revisando passo a passo o processo que, sem nenhuma má fé, resultou na publicação do extrato falso nas páginas da revista, evento singular que nos entristece e está merecendo toda atenção e cuidado para que nunca mais se repita.

Viúva de piloto de Eduardo Campos diz que houve falha em avião


Em carta, Flávia Martins afirma que o avião pilotado pelo marido apresentava defeito que contribuiu para o acidente

REDAÇÃO ÉPOCA
05/08/2015 - 11h55 - Atualizado 05/08/2015 12h05
Assine já!
Marina Silva (PSB) vela o aliado Eduardo Campos após morte trágica em acidente  (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Flávia Martins ,mulher do piloto Marcos Martins – morto no acidente de avião que vitimou o candidato a presidência Eduardo Campos, em agosto de 2014 – enviou uma carta para o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e para Anac. No documento, ela afirma que a nave que Martins pilotava na ocasião, um Cessna 560 Citation EXCEL (XL, XLS, XLS +), apresentava um erro de projeto que pode ter comprometido o voo e contribuído para o acidente. Flávia contou com a ajuda de consultores especializados para chegar a essa conclusão. Segundo o documento, obtido pelo G1, as aeronaves Cessna dessa família saem de fábrica com um defeito nos estabilizadores horizontais – o equipamento responsável por apontar o sentido que o nariz da aeronave deve estar durante o vôo. Segundo o G1, neste modelo, se a velocidade está acima de 200 nós (cerca de 400 km/h) e os flaps são recolhidos  — superfícies de sustentação nas asas — o estabilizador horizontal provoca uma tendência do nariz para baixo. No momento do acidente, o avião estava em aceleração e com um ângulo de 38º em relação ao solo, segundo o Cenipa.

>> Lava Jato: Fernando Collor é suspeito de receber R$ 26 milhões em propina

Na carta de Flávia são detalhados outros dois casos em que, de acordo com os consultores, a falha de projeto nessa família de aeronaves foi a responsável pelo acidente -  um incidente aéreo que ocorreu em 2 de dezembro de 2002, na Suíça (prefixo HB-VAA); e outro mais recente, em aeronave que voava de Manaus para Orlando (prefixo PP-MDB).

>>Roseana Sarney organiza jantar em Brasília para caciques do PMDB

G1 lembra que há um alerta sobre a combinação velocidade/flaps/estabilizador horizontal no manual dos aviões dessa família. O aviso diz, em livre tradução: "Caso ocorra uma falha do sensor de velocidade, ao se comandar o recolhimento dos flaps e estando a velocidade acima de 200 KIAS (200 nós ou cerca de 400 km/h), poderá ocorrer a movimentação do nariz para baixo de forma intensa. A tripulação não terá qualquer forma de controle no posicionamento do estabilizador horizontal. O movimento do estabilizador só é controlado pela posição da alavanca de acionamento dos flaps do avião, quando a mesma é levada para a posição zero grau (up) aba".

A carta, de 16 páginas, foi enviada ao Cenipa no dia 06 de julho deste ano. Ao G1, a assessoria do órgão afirmou que as considerações da família do piloto serão levadas em conta, e que uma nota sobre o andamento das investigações deve ser divulgada ainda nesta semana. Nas últimas informações divulgadas pela Cenipa, em janeiro deste ano, o órgão afirmou que, no momento do acidente, os pilotos aceleravam o avião em direção ao solo. As investigações até aquele momento indicavam que não houve falha técnica e que os pilotos faziam um trajeto diferente do previsto – o que pode ou não ter contribuído para o acidente.
O avião que transportava Eduardo Campos caiu na cidade de Santos, São Paulo, no dia 13 de agosto de 2014. Sete pessoas morreram:  além do candidato à presidência, os pilotos Marcos Martins e o copiloto Geraldo Magela, os fotógrafos Alexandre Severo e Macelo Lyra, jornalista Carlos Percol e o assessor Pedro Valadares também morreram.

Collor nega envolvimento em esquema de corrupção na Petrobras e ataca Janot


Senador se defendeu em plenário após suspeitas de ter recebido R$ 26 milhões em propinas terem sido reveladas

REDAÇÃO ÉPOCA
05/08/2015 - 18h29 - Atualizado 05/08/2015 18h29
Assine já!
O senador Fernando Collor (PTB-AL) discursa no plenário do Senado Federal  (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
O senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) negou nesta quarta-feira (5), na tribuna do plenário do Senado, participação no esquema de corrupção na Petrobras descoberto na Operação Lava Jato. Mais cedo, G1 revelou que a Polícia Federal (PF) suspeita que o ex-presidente tenha recebido R$ 26 milhões em propinas de contratos da BR Distribuidora. Ele é um dos 48 políticos investigados pela Lava Jato e é alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por lavagem de dinheiro e evasão de divisas.
"Reafirmo que tudo não passa de ilações. São falsas versões impingidas à opinião pública de forma a esterilizar a verdade, a escamotear as reais intenções midiáticas do procurador-geral da República e a impor a narrativa que a ele interessa. Principalmente num momento como esse, de sua campanha pela recondução ao cargo que agora ocupa. Utilizam-se do meu nome, utilizam-se da minha imagem, utilizam-se dos meus bens para se autopromoverem, para fazer aquele espetáculo", afirmou Collor na tribuna em trecho reproduzido pelo G1.
Rodrigo Janot, procurador geral da República, segundo Collor, pratica "vazamentos seletivos" de informações e promove uma "sórdida estratégia midiática". O senador também disse que carros de luxo apreendidos na Operação Politeia, desdobramento da Lava Jato, são de propriedade de empresas das quais é sócio majoritário e "pediu" a devolução deles. "São bens de minha propriedade, adquiridos de forma lícita, correta, e portanto, devem ficar sob a minha guarda, mesmo na condição de fiel depositário", afirmou.

Sergio Moro condena presidente da OAS por corrupção


Cinco executivos da OAS foram condenados a até 16 anos de prisão por corrupção em contratos com a Petrobras

REDAÇÃO ÉPOCA
05/08/2015 - 19h51 - Atualizado 05/08/2015 20h14
Assine já!
O juiz federal Sergio Moro condenou cinco executivos daconstrutora OAS à prisão por esquema de desvio de recursos investigado na Operação Lava Jato. Os cinco, entre eles o presidente da empresa, José Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Leo Pinheiro, foram condenados por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa. Ainda cabe recurso.
Os executivos foram condenados por crimes cometidos em contratos da OAS com a Refinaria Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, e com a Refinaria de Abreu e Lima (Renest), em Pernambuco. As duas refinarias são da Petrobras.
O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Segundo Moro, a OAS participava de um "clube" de empresas que se uniram, por meio de cartel, para fraudar licitações na Petrobras. As fraudes eram feitas por meio de pagamentos de propina a políticos e partidos.
Além dos executivos, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa também foram condenado. Como eles fizeram acordo de delação premiada, entretanto, suas penas foram reduzidas.
O portal G1 publicou a lista dos executivos condenados.
- José Aldemário Pinheiro Filho (presidente da OAS) – 16 anos e quatro meses de reclusão
- Agenor Franklin Magalhães Medeiros (diretor-presidente da Área Internacional) - 16 anos e quatro meses de reclusão
- Fernando Augusto Stremel de Andrade (funcionário) - 4 anos de reclusão
- Mateus Coutinho de Sá Oliveira (funcionário) - 11 anos de reclusão
- José Ricardo Nogueira Breghirolli (apontado como contato de Youssef com a OAS) - 11 anos de reclusão
- Paulo Roberto Costa (ex-diretor da Petrobras) – 6 anos e 6 meses no regime semiaberto
- Alberto Youssef (doleiro) – 16 anos, 11 meses e 10 dias de reclusão
Operação Lava Jato investiga um esquema de corrupção envolvendo contratos da Petrobras com as principais empreiteiras do país - entre elas a Odebrecht e a Andrade Gutierrez.

Rapaz conhece namorada pela internet e doa um rim para salvar a vida dela


Gugu conta a história emocionante nesta quarta-feira (5), às 22h +

Do R7
Conheça essa emocionante história nesta quarta (5), às 22hReprodução/Rede Record
O Gugu desta quarta-feira (5) conta a história de um rapaz que conheceu a namorada pela internet  e foi capaz de um gesto para salvar a vida dela.
Jaqueline teve um problema sério de saúde e precisava de um transplante de rim.
Ela tem oito irmãos, mas nenhum deles tinha condições para fazer a doação.
Publicidade
Fechar anúncio
Foi quando o namorado, Júlio, que a conheceu há pouco mais um de ano pela internet, se ofereceu para doar um rim.
A chance era mínima, segundo os médicos, mas o resultado surpreendeu a todos. O rapaz que ela conheceu na internet agora pode salvar a vida dela.
O final dessa história e muitas surpresas emocionantes para o casal no programa de hoje à noite, a partir das 22h. Não vai perder, vai?


Fonte; Portal R7

Durante o mês de agosto a saúde do homem estará em destaque em Colombo


WEBMASTER 5 DE AGOSTO DE 2015

Ações preventivas e de incentivo à saúde da população masculina como testes e orientações serão realizadas

Agosto AzulNeste mês, comemoramos o Agosto Azul, onde a atenção à saúde é voltada aos homens. Orientar e prevenir são as principais finalidades da campanha, que traz como tema nesta quarta edição “Escolha cuidar de você: Quem cuida de si já fez a melhor de todas as escolhas”.
A iniciativa acontece em todo o Paraná, e pretende desenvolver atividades que incentivem e promovam cuidados à saúde do homem. Desde o inicio do mês, a campanha é desenvolvida em Colombo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde. Nos próximos dias serão realizados testes e orientações para os funcionários de empresa sediada no município.
Além disso, cartazes em relação à campanha foram colocados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e panfletos serão entregues para promover uma conscientização geral. Ações como aferição de pressão arterial, glicemia, peso e altura e também orientações sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), já estão sendo desenvolvidas nas UBSs do município.
De acordo com o secretário da Saúde, Fernando Aguilera mesmo nos dias atuais com várias informações disponíveis, poucos homens estão preocupados com a saúde, por isso a intenção é reverter esse quadro, por meio de campanhas. “Com este trabalho queremos promover uma mudança cultural. Os homens devem procurar atendimento médico e verificar com mais frequência a sua condição de saúde, isso é necessário antes que doenças mais graves se manifestem,” afirmou.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Divulgação.

Colombo comemora Dia do Skate neste domingo


WEBMASTER 5 DE AGOSTO DE 2015

O espaço, que foi resgatado pelos skatistas do município, reuniu crianças, jovens e adultos

O espaço, que foi resgatado pelos skatistas do município, reuniu crianças, jovens e adultos
O espaço, que foi resgatado pelos skatistas do município, reuniu crianças, jovens e adultos
Dia do Skate de Colombo, foi comemorado neste domingo na quadra Social Plaza, no Guaraituba
Dia do Skate de Colombo, foi comemorado neste domingo na quadra Social Plaza, no Guaraituba
O evento foi um sucesso e contou com diversas provas da modalidade
O evento foi um sucesso e contou com diversas provas da modalidade
Aconteceu neste domingo, 2 o Dia do Skate de Colombo, na quadra Social Plaza – localizado na Rua Campo Largo, nº 158 – Guaraituba. O espaço, que foi resgatado pelos skatistas do município, reuniu crianças, jovens e adultos. Durante o evento, que teve apoio da Prefeitura de Colombo por meio do departamento de Esportes, foi realizada uma free session. Já os obstáculos foram construídos com dinheiro arrecadado entre os próprios skatistas.
O evento contou com diversas provas da modalidade, entre elas: Game Cisco – com jogos de skate valendo brindes aos vencedores. A Posible Linha – ganha o skatista que realizar a melhor Linha na sequencia dos novos bancos da Social. A avaliação das manobras será feita pela equipe da marca. E por fim, a Marreta da ÖUS – durante a Free Session a melhor manobra executada leva a Marreta da ÖUS.
“Foi um dia muito divertido, onde as famílias puderam praticar o esporte e ter um momento de lazer. Quero agradecer a presença de todos e também pela contribuição daqueles que ajudaram a concretizar este evento”, ressalta o diretor do departamento de Esporte, Paulo Cesar Cardoso.
Em breve, será construída uma pista coberta na quadra Social Plaza, o projeto foi orçado e aguarda a licitação. “O objetivo é formar uma grande parceria com a associação dos skatistas e o poder público junto com a instituição civil organizada para buscar a valorização e o fomento do esporte no município”, destaca o coordenador do departamento de Esporte, Gilmar Franco.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Fotos: João Senechal/PMC

Exposição de agosto mostra a arte com materiais recicláveis


WEBMASTER 5 DE AGOSTO DE 2015

As 11 obras são do artista plástico colombense Rogério Aquino

O artista Rogério Aquino cria obras feitas com materiais recicláveis
O artista Rogério Aquino cria obras feitas com materiais recicláveis
A Casa da Cultura recebe neste mês de agosto a exposição do artista plástico Rogério Aquino. Estão a mostra 11 obras, feitas com diversos materiais recicláveis. Todas as peças foram produzidas pelo artista colombense, que desde criança desenvolveu seu talento com as artes.
“Comecei há uns 15 anos a usar materiais recicláveis nas minhas obras, buscando esse contexto ambiental. Minha intenção é usar as peças para falar do nosso cotidiano e fazer com que as pessoas reflitam sobre o meio ambiente, a sustentabilidade, entre outros” conta.
Toda esta história começou quando Rogério Aquino e mais dois artistas, desciam a Serra do Mar de bicicleta e no caminho iam fazendo peças com cipó, porém durante o percurso acabavam se deparando com lixo descartado pelas pessoas.
“Comecei a ver aquilo, pessoas jogando o lixo pelas janelas dos carros e dei a ideia de usar aquele material para fazer arte, falando de meio ambiente e com o tempo foram aparecendo outros temas,” explica Aquino. O artista vem trabalhando com materiais recicláveis desde 2000, junto com o grupo Reciclarte.
São 11 peças que ficarão expostas até o fim do mês; a entrada é franca
São 11 peças que ficarão expostas até o fim do mês; a entrada é franca
As peças expostas pelo artista vêm com questionamentos feitos propositalmente por ele, para incentivar as pessoas a refletir sobre o dia a dia e como elas estão levando a vida. Os materiais usados variam entre papeis, latas de tintas, plásticos e até janelas. Todos foram os materiais foram descartados.
A exposição vai até o fim deste mês e é aberta ao público. Algumas obras expostas do artista colombense estão à venda. O horário de atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, durante todo o mês de agosto.
Serviço:
Casa da Cultura
Endereço: Rua XV de Novembro, 105
Telefone: 3656-6423
Horário de atendimento: das 08h às 11h e das 13h às 16h
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: João Senechal/PMC

Em 60 dias o Centro do Empreendedor já atendeu 373 pessoas em Colombo


WEBMASTER 5 DE AGOSTO DE 2015

Os atendimentos são rápidos e sem burocracia, tornando-se uma ótima oportunidade para os micros empreendedores se formalizarem

Em apenas 60 dias, o Centro do Empreendedor de Colombo prestou 373 atendimentos. O processo para formalizar uma empresa é simples, rápido e sem burocracia, o que tem chamado à atenção de várias pessoas na região que desejam se tornar um Microempreendedor Individual (MEI) e aproveitar as vantagens da formalização.
São vários os serviços disponíveis no Centro do Empreendedor, alguns deles mais simples como, orientações contábeis e auxilio para emitir nota fiscal eletrônica. Já outros, mais específicos como, abertura de CNPJ, alvará de funcionamento e certificado da condição de Microempreendedor Individual. As vantagens são muitas para quem deseja se formalizar, foi pensando nisso que o artista plástico, Carlos de Lira procurou o Centro do Empreendedor.
“Sempre tive muitas dúvidas e quando fiquei sabendo do Centro do Empreendedor em Colombo, me interessei e decidi buscar por mais informações. Gostei muito do atendimento, pois me explicaram quais seriam os procedimentos. Foi tudo muito rápido, fiquei satisfeito com o atendimento e me tornei um MEI em poucas horas”, conta Carlos de Lira, morador de Colombo, que trabalha há 35 anos com comunicação visual.
Segundo o secretário da Indústria, Comércio Turismo e Trabalho, Antonio Ricardo Milgioransa, a expectativa é dobrar o número de atendimento para os próximos meses. “Sabemos que ainda existem muitas pessoas com um sonho, mas com pouca informação sobre como se tornar um micro empreendedor, nosso trabalho tem sido desburocratizar e simplificar esse processo de abertura e regulamentação dessas empresas,” afirmou.
Vantagens do MEI
E as vantagens são muitas para aqueles que querem sair da informalidade e tornar-se uma pessoa jurídica e estar regularizado perante as Fazendas públicas, federal, estadual e municipal. Entre as principais estão: o direito ao CNPJ; abertura da empresa sem custos; acesso ao crédito; emissão de nota fiscal; isenção de todas as taxas referentes ao Alvará de Funcionamento; contratação de até um empregado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria; aposentadoria por idade; auxílio doença e maternidade; pensão por morte aos dependentes e o apoio técnico do SEBRAE na organização do negócio.
Requisitos para se formalizar como MEI
É necessário possuir um faturamento bruto de no máximo R$ 60.000 por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular, não possuir cadastro municipal de contribuinte e não receber benefício da Previdência Social.
Os documentos necessários são: cópia do RG, CPF, Título de Eleitor e Certidão de Casamento, recibo do Imposto de Renda (caso faça a declaração), comprovantes de endereço autorizado da residência e do local onde será o estabelecimento e a inscrição imobiliária (número do IPTU) do local onde será o estabelecimento.
Serviço
Centro do Empreendedor
Local: Rua José Leal Fontoura, 414, no Centro de Colombo,
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h
Contato: 3656-2235 ou pelo e-mail: centrodoempreendedor@colombo.pr.gov.br
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: João Senechal/PMC

RELEMBRE O roubo da Festa da UVA, onde a irmã do ex prefeito JOTA é acusada de planejar o roubo - VÍDEO






Jeimis Marcondes confirma em entrevista para o PARANÁ TV que era o namorado da ex SECRETÁRIA DA FAZENDA  Maria Amélia na administração do seu irmão ex prefeito J. Camargo  e o mesmo acusa a namorada por planejar o roubo, segunda matéria da RPC.

ASSISTA A MATÉRIA E VEJA A VERDADE.

RPC TV JOTA CAMARGO E SUA IRMÃ ESTÃO ENROLADOS COM A JUSTIÇA - VEJA VÍDEO









http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-2edicao/videos/t/curitiba/v/ex-prefeito-da-regiao-metropolitana-e-condenado-a-prisao-em-regime-semiaberto/4372548/

Justiça mantém Marcelo Odebrecht na prisão


7

De São Paulo

  • Antônio More/Gazeta do Povo/Estadão Conteúdo
    Marcelo Odebrecht
    Marcelo Odebrecht
A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) considerou prejudicado o julgamento do mérito dos pedidos de habeas corpus dos cinco executivos da Odebrecht presos preventivamente, entre eles o presidente da empreiteira, Marcelo Bahia Odebrecht. Eles estão presos desde 19 de junho, quando foi deflagrada a Operação Erga Omnes, 14ª fase da Operação Lava Jato.
Odebrecht e os executivos César Ramos Rocha, Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, Márcio Faria da Silva e Rogério Santos de Araújo, ligados à empreiteira, foram alvos de dois mandados de prisão preventiva. A primeira ordem de prisão foi substituída por uma segunda, pelo juiz federal Sérgio Moro, em julho, quando a Suíça remeteu para a Lava Jato, extratos bancários que, segundo o Ministério Público Federal, comprovariam pagamento de propina a diretores da Petrobras no exterior.
Segundo o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no tribunal, cabe às defesas impetrarem novos habeas corpus, dessa vez baseados na nova argumentação apresentada em primeira instância.
"Dessa forma, seguem presos o presidente da empresa Marcelo Bahia Odebrecht, e os executivos", informou a assessoria de Comunicação Social do TRF4.
Ampliar

Operação Lava Jato da PF206 fotos

204 / 206
4.ago.2015 - Luiz Eduardo Oliveira e Silva (centro), irmão do ex-ministro José Dirceu, detido na operação Lava Jato, chega ao IML de Curitiba (PR) para realizar exame de corpo de delito. Luiz Eduardo é sócio de Dirceu na empresa JD Consultoria, investigada por suposto recebimento de propina em contratos da Petrobras Leia mais Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo

Collor declarou à Justiça que fez 15 empréstimos para empresa 'de fachada












Brasília - O senador Fernando Collor (PTB-AL) declarou à Justiça Eleitoral, nas eleições de 2014, ter realizado 15 empréstimos para a empresa Água Branca Participações, que somam um total de R$ 7,4 milhões. A empresa, que pertence ao senador, é considerada "de fachada" por investigadores da Operação Lava Jato, pelo fato de não ter funcionários, sede ou participação em outras companhias.
Os valores dos empréstimos registrados no ano passado variam de R$ 51 mil a R$ 1,2 milhão, de acordo com levantamento feito pela reportagem. A Procuradoria-Geral da República (PGR) suspeita que as operações de empréstimo sejam parte do "sofisticado esquema" de lavagem de dinheiro ilícito realizado pelo parlamentar.
Estão registrados em nome da Água Branca três carros de luxo do senador, das marcas Bentley, Range Rover e Lamborghini. A Ferrari apreendida na casa de Collor em julho, durante a Operação Politeia, está registrada em nome de instituição financeira com a qual a Água Branca contratou um financiamento.
Nas investigações, foram apontados empréstimos considerados "fictícios" em anos anteriores. Em 2011, 2012 e 2013 os investigadores encontraram empréstimos nos valores de R$ 2,1 milhões, R$ 4,2 milhões e R$ 3,3 milhões, segundo documentos enviados à Procuradoria pela Receita Federal. Em 2011 e 2012, a movimentação financeira registrada da empresa foi zero. Em 2013, a movimentação foi de R$ 436 mil. A discrepância entre os empréstimos feitos e as operações da Água Branca chamaram a atenção de investigadores.
Em parecer encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Procuradoria pediu que os carros de luxo apreendidos na Operação Lava Jato não sejam devolvidos ao parlamentar. Para os investigadores, os veículos são possivelmente produto de crime e as investigações apontam que Collor recebeu R$ 26 milhões em propina, entre os anos de 2010 e 2014.
O advogado do parlamentar, Fernando Neves, disse que não poderia se manifestar, pois não teve acesso ainda ao documento encaminhado pela PGR. No Senado, Collor acusou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de ter vazado o parecer para a imprensa antes de ele ser remetido ao relator do seu inquérito, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki.
Collor rebateu a alegação de que os carros de luxo teriam sido adquiridos a partir de operações de lavagem de dinheiro. Segundo ele, os automóveis foram adquiridos de forma lícita, por meio de empresas legalmente constituídas. Para o senador, há uma sórdida estratégia midiática promovida por Janot. "Utilizam-se do meu nome, da minha imagem, dos meus bens para se autopromover, para fazer aquele espetáculo", disse. "Que humilhação vem me impondo essa alcateia que se apoderou do Ministério Público Federal", afirmou o senador na tribuna.