Paciente recebe rim da esposa e Santa Casa diz faltam doadores em MS


     
Paciente recebe rim da esposa e Santa Casa diz que faltam doadores em MS
Depois de realizar o primeiro transplante renal de doador vivo, no qual a esposa doou o rim para o marido, a equipe médica da SantaCasa de Misericórdia de Campo Grande destaca a necessidade de doadores. Dados do setor de nefrologia revelam que atualmente 20 pessoas estão aptas a receber o procedimento, no entanto, não existe órgão disponível.
Em dezembro de 2013, o Ministério da Saúde suspendeu os transplantes para que o hospital pudesse passar por readequações tanto na estrutura física, quanto na qualificação dos profissionais, que participaram de cursos em hospitais renomados de São Paulo.
Em março de 2015, depois de cumprir as exigências do Ministério da Saúde, o hospital foi liberado para a realização do procedimento, mas conforme a urologista Viviane Orro, ainda não havia doadores vivos ou falecidos.
“Existem mil renais crônicos em todo o Estado. Fizemos uma reavaliação com mais de 200 pacientes. Sabemos que 20 estão prontos para receber o transplante, mas não temos doadores. Precisamos de uma campanha de conscientização de doação de órgãos.No mês passado cinco famílias de pacientes mortos foram entrevistadas e se recusaram a doar os rins”, frisa.
O primeiro a receber o transplante foi o pastor, Vanildo Pereira dos Santos, de 47 anos. Renal crônico ele fazia hemodiálise há 11 anos. O procedimento raro foi realizado no dia 21 de julho. O paciente recebeu o rim da esposa, Fabiana dos Santos, de 42 anos. O casal está junto há 26 anos e tem dois filhos.
“Fiquei muito feliz pela compatibilidade. É uma vida nova, renasci. Foram anos de hemodiálise. Eu não podia tirar férias e a minha família ficava presa comigo porque precisava fazer a hemodiálise. Não acreditava muito no transplante. Ela [Fabiana] me transmitiu muita confiança. Agora vou poder tirar férias”, brinca.
Santos teve alta médica no dia 27 de julho. A esposa afirma que não imaginava que poderia ser compatível com o marido e que a cirurgia uniu ainda mais o casal. “Achava que não poderia doar por ser esposa, mas fiz os exames e deu certo. Esperamos as readequações do hospital e quando voltou fizemos a cirurgia. São dias de muita alegria. Estamos ainda mais unidos”, ressalta.
Segundo o urologista Adriano Augusto, o transplante demorou aproximadamente quatro horas e foi necessária uma equipe multiprofissional. “O pós-operatório também foi ótimo”, frisa. Segundo a equipe médica, o paciente terá de fazer acompanhamentos periódicos.
No primeiro mês o retorno será feito duas vezes por semana. No segundo mês uma vez por semana e no terceiro mês a cada 15 dias. Depois desse período o paciente terá de realizar acompanhamento a cada seis meses.
Fonte: Aquidauana News – 04/08/2015 

Dirceu pagou R$ 1 mi a empresa de deputado do PT de SP

O deputado estadual Ênio Tatto
O deputado estadual Enio Tatto é suspeito de receber propina vinda do Petrolão(Divulgação/Alesp/VEJA)
A Operação Pixuleco, deflagrada na 17ª fase da Operação Lava Jato, revelou que a JD Assessoria e Consultoria, de José Dirceu, pagou 1,161 milhão de reais para a empresa da qual o deputado estadual por São Paulo Enio Tatto (PT) é sócio - a Unicon-Serviços. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.
Tatto é o primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa da cidade. Segundo investigações da PF, os pagamentos foram feitos entre janeiro de 2009 e dezembro de 2014. Nesse mesmo período, o ex-ministro José Dirceu foi condenado e preso por corrupção ativa pelo mensalão.

A PF suspeita que a JD foi usada para receber propina de empreiteiras no esquema do petrolão, por meio de consultorias nunca prestadas. Segundo a Lava Jato, a empresa faturou 39 milhões de reais em oito anos - destes, pelo menos 21,3 milhões de reais foram recebidos por depósitos mensais de três empresas.
Entre os presos pela Pixuleco está Bob Marques - braço direito de Dirceu que trabalhou por anos na liderança do PT. Bob era funcionário efetivo da 1ª Secretaria da Assembleia Legislativa de São Paulo desde 2003, assumida por Tatto em 2013.
Unicon e JD - Na Pixuleco, os agentes destacaram que a Unicon foi responsável por toda a contabilidade da JD desde que esta foi fundada. Yolanda Tatto - esposa de Enio Tatto e sócia da Unicon - negou o recebimento de propina e alegou que o dinheiro era proveniente dos honorários contábeis mensais. Ela também afirmou que o marido mal aparecia pela empresa. "Nos últimos dezessete anos, ele passou aqui umas cinco vezes para tomar café", disse.

A crise atual é consequência do modo petista de fazer política


Má gestão, erros políticos e arrogância existem no PT desde os tempos de Lula e José dirceu

07/08/2015 - 21h49 - Atualizado 07/08/2015 22h04
Assine já!
Existem cidades assentadas sobre falhas geológicas, o que aumenta a probabilidade de terremoto – casos de Tóquio, Los Angeles e Istambul. Seus habitantes têm de se acostumar a pequenos sismos cotidianos e preparar-se para a ocorrência de grandes tremores. Em sua relação com o mundo político, os brasileiros vivem como os habitantes dessas cidades. Ocorrem terremotos todas as semanas – e, depois deles, terrenos que pareciam firmes se tornam movediços. Dois desses terremotos ocorreram neste início de agosto. O primeiro foi a prisão de José Dirceu, na segunda-feira, dia 3. O segundo foi a rebelião da base aliada do governo, na quarta-feira, dia 5, que se somou àdivulgação de uma pesquisa em que a presidente Dilma Rousseffaparece com seus piores índices de popularidade.

A prisão de José Dirceu representou um grande baque para oPartido dos Trabalhadores. Primeiro, porque dirige os holofotes daLava Jato para o primeiro mandato do ex-presidente Lula, onde foram montados os esquemas do mensalão e do petrolão. Revelações incômodas sobre a gênese da corrupção podem ferir gravemente uma candidatura de Lula à Presidência no futuro. Segundo porque, em meio às provas abundantes contra Dirceu, há sinais de enriquecimento pessoal. Isso torna difícil defender Dirceu junto à militância. Quando foi preso no mensalão, Dirceu deixou-se fotografar erguendo o punho cerrado – no gesto que os Panteras Negras, militantes do movimento negro nos anos 1960, tornaram célebre. Naquela ocasião, nas redes sociais, militantes petistas apresentaram Dirceu como vítima de um “julgamento político”. Desta vez, o partido abandonou Dirceu.
Revista ÉPOCA - capa da edição 896 - Como tudo começou (Foto: Revista ÉPOCA/Divulgação)

A semana atribulada de Dilma começou na quarta-feira, quando a Câmara, em sua estratégia irresponsável de explodir o Orçamento, aprovou um dos itens da “pauta-bomba”: a vinculação dos salários da Advocacia-Geral da União, delegados civis e federais a 90,25% da remuneração dos ministros do Supremo. Isso significa um gasto adicional de R$ 2,4 bilhões por ano, numa época em que qualquer gasto adicional pode representar uma piora sensível da situação econômica e dos cidadãos. É aquela situação em que os eleitos pelo povo, por puro oportunismo, prejudicam os próprios eleitores. Na mesma quarta-feira, dois partidos da base aliada, o PDT e o PTB, romperam com o governo – que ficou, assim, ainda mais frágil. A semana de más notícias se completou com a divulgação, na quinta-feira, de uma pesquisa em que Dilma atingiu seu pior resultado: 71% dos brasileiros consideram seu governo “ruim” ou “péssimo”, em comparação a 65% da pesquisa anterior. É o pior resultado da série histórica de Dilma.

Existem muitas conexões entre os dois fatos, a prisão de Dirceu e a crise do governo Dilma. A mais importante – e talvez menos aparente – é que uma coisa é consequência da outra. Muitas das agruras do governo Dilma foram plantadas durante o governoLula, especialmente na época em que José Dirceu era o todo-poderoso ministro da Casa Civil. Se o governo sofre hoje com as investigações da Lava Jato, isso se deve a uma decisão tomada no início da era Lula. Em entrevista recente, o deputado Miro Teixeira disse que participou de uma reunião na qual estiveram quatro integrantes do governo. O tema da reunião era como formar uma base de apoio político. Alguns, como o ex-­ministro da Fazenda Antonio Palocci, defendiam que deveria ser via convencimento, negociando propostas com outros partidos – na mesma linha do que ocorrera com o PFL, fiel aliado do governoFernando Henrique. A proposta vencedora, no entanto, foi a via “orçamentária”: a base de apoio seria negociada caso a caso, com uso de dinheiro como argumento, de acordo com as “demandas” de cada partido ou parlamentar. O cinismo em relação à democracia levou aos esquemas de compra de apoio, mensalão e petrolão.
>> Resignado com a prisão, Dirceu disse a amigo estar propenso a contar o que sabe

Se Dilma enfrenta problemas na economia, isso se deve a uma mentalidade estatizante que começou ainda no governo Lula. Que, num primeiro momento, ficou sob controle. Lula, pragmaticamente, adotou o arcabouço econômico do governo anterior, cujos fiadores eram o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. A partir da crise de 2008, no entanto, criou-se a “Nova Matriz Econômica”, política aprofundada no governo Dilma. A reboque da Nova Matriz, implantada na gestão de Guido Mantega, o mais longevo ministro da Fazenda da era democrática, o governo perdeu o controle dos gastos, tentou maquiar o deficit com as “pedaladas” e jogou o país na crise que vivemos.
>> Delator da Lava Jato diz que entregou R$ 4 milhões a José Dirceu

Por fim, se Dilma enfrenta animosidade no Legislativo, e tem dificuldades para firmar um pacto nacional, isso se deve, em grande parte, à arrogância que se instaurou no governo desde os tempos de Lula e Dirceu. Como relembra o economista Ricardo Paes de Barros, Lula teve humildade, no início do mandato, para implantar várias políticas do governo anterior – além do já citado arcabouço econômico, Lula “importou” da era tucana o programa de combate à pobreza criado pela equipe de Paes de Barros no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Lula implantou o Bolsa Família com competência e convicção. Os bons resultados desta e de outras políticas acertadas, aliados a uma conjuntura internacional favorável, levaram os petistas a achar que a política brasileira se dividia entre “antes” e “depois” deles – ideia expressa num dos bordões mais arrogantes de nossa história política, o “nunca antes neste país”. O crescimento brasileiro no período democrático, e a melhoria das condições de vida da população, se deve a uma sequência de fatos que começa na Constituição de 1988 e deve muito à estabilização econômica obtida no governo Fernando Henrique. Dizer que tudo começou com o governo do PT equivale a alguém comprar uma casa térrea, transformá-la num sobrado e maldizer quem construiu os alicerces (Constituição) e a parte de baixo (governos anteriores) – como se fosse possível erguer um segundo andar sem a existência do primeiro.

Corrupção na base política, má gestão econômica e a arrogância que divide o país. Três erros do modo petista de governar que, hoje, têm influência decisiva na crise. Neste momento em que urge criar um pacto nacional, é hora de reconhecer tais erros – e aprender com eles. 
Investigação sobre  Dirceu  (Foto: época )
O círculo  (Foto: época )

Carta-renúncia de Dilma está pronta, dizem fontes do Planalto


Apesar de ter declarado que “suporta a pressão”, a presidente Dilma já teria preparado uma carta-renúncia. Fontes do Palácio do Planalto garantem que a redação da carta não foi um ato solitário, como é comum nesses casos: Dilma teria contado com a ajuda de dois dos seus ministros mais próximos, Aloizio Mercadante (Casa Civil) e José Eduardo Cardozo (Justiça), apesar de ambos serem contrários à ideia.
Temer assume
Confirmada a renúncia de Dilma, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) assumiria imediatamente o comando do Executivo.
Cerco apertado
Além da renúncia, há outras hipóteses para a saída de Dilma: ação na Justiça Eleitoral e representação da oposição por crime financeiro.
Ação dupla
A ação eleitoral por financiamento ilegal de campanha pode culminar no cancelamento do registro da chapa. Assim, cairiam Dilma e Temer.
Última hipótese
Se prosperar a representação da oposição na Procuradoria-Geral da República por crimes financeiros, Dilma também poderia ser cassada.

Operador do PMDB pode iniciar delação


fernando baiano2
O lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, apontado pela Lava Jato como operador do PMDB no esquema de desvios de dinheiro da Petrobras , é mais um dos investigados que está prestes a fechar um acordo de colaboração premiada com o MPF. Baiano falou ontem por mais de três horas com o defensor que deve assumir as negociações. O advogado Sérgio Guimarães Riela informou que o processo ainda é incipiente e que nenhum representante do MPF participou do encontro. “Ainda estou conversando com o Fernando para vermos qual será o nosso posicionamento frente às investigações. Hoje é apenas nossa segunda reunião com ele. Ele ainda deve falar com sua família antes de oficializarmos nossa representação”, afirmou. Ele ainda ressaltou que se reunirá novamente com Baiano na próxima terça-feira, para “bater o martelo”. As informações são da Folha de Londrina.
Considerado uma das “peças-chave” de todo o esquema, Baiano é réu em duas ações penais que tramitam na Justiça Federal. Em uma delas, é acusado pelo pagamento de propinas ao ex-diretor Nestor Cerveró. Segundo as investigações, Baiano intermediou propina de US$ 40 milhões na compra de duas sondas da coreana Samsung, nos anos de 2006 e 2007, por US$ 1,2 bilhão. O negócio também teve como intermediário o consultor Júlio Camargo, que se tornou um dos delatores.
Em interrogatório realizado em julho, Camargo disse que Baiano atuava como uma espécie de sócio oculto do deputado e presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele disse ter pagado US$ 10 milhões em propina no esquema, sendo que US$ 5 milhões teriam sido destinados a Cunha; e os outros US$ 5 milhões para Baiano. Fernando também é acusado dos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção no processo em que também são réus o presidente da Odebrecht, Marcelo Bahia Odebrecht; e outros executivos da empresa.
Ainda na defesa de Baiano perante à Justiça Federal, Nélio Machado apresentou ontem ao juiz Sérgio Moro as alegações finais na ação movida contra o lobista por lavagem de dinheiro e corrupção ativa no caso da venda das sondas. Ele argumentou que o delator Júlio Camargo disse ter pagado comissão a Baiano, não “propina”, como os investigadores apontam. Ainda não se sabe se, caso o acordo seja fechado, ele continue no caso. Nélio já foi advogado do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, mas deixou sua defesa quando ele decidiu por um acordo de delação.

Traiano reúne prefeitos do PSDB para preparar as eleições municipais


traiano - psdb
O presidente do PSDB do Paraná, deputado Ademar Traiano, vai comandar uma reunião com prefeitos, vice-prefeitos e lideranças do partido no próximo dia 15 de agosto (sábado) na sociedade Thalia. O encontro, com a presença do governador Beto Richa, terá como tema central campanha eleitoral do ano que vem. “O partido já deliberou que terá candidatos a prefeito em todos os municípios do Paraná”, diz Traiano.
O encontro vai reunir 76 prefeitos e 47 vice-prefeitos que a legenda tem no estado, além de vereadores e lideranças do Paraná inteiro. A reunião vai servir para avaliar a situação do partido em todo estado e analisar a densidade eleitoral das lideranças do PSDB que pretendem disputar as eleições.
O presidente do PSDB pretende também acelerar o processo de reorganização da legenda com vistas às datas limites de prazo de filiação partidária. O PSDB, partido que completou 27 anos este ano, tem uma presença marcante no Paraná. O partido já comandou a prefeitura de Curitiba por duas vezes, preside a Assembleia e governa o estado. “Nas eleições de 2016 a expectativa é aumentar ainda mais a presença tucana no Paraná”, resume Traiano.

Pai morre após ver filha desacordada em pronto-socorro de Pompeia


Jovem de 21 anos foi atropelada por caminhonete no centro da cidade.
Homem teve parada cardíaca e morreu na hora; filha está em estado grave.

Do G1 Bauru e Marília
Na saúde, alunos também aderem à greve da Famema (Foto: Reprodução TV TEM)Jovem está internada no Hospital das Clínicas em
Marília (Foto: Reprodução TV TEM)
Um pai teve uma parada cardíaca e morreu ao ver a filha acidentada no pronto-socorro, em Pompeia (SP). Raíssa Zanin Doi, de 21 anos, havia sido atropelada por uma caminhonete na tarde de quarta-feira (5).
Com o impacto, ela caiu, bateu a cabeça e foi levada ao pronto-socorro. Quando o pai chegou ao local e viu a filha desacordada, sofreu uma parada cardíaca e não resistiu.
A jovem foi transferida para a UTI do Hospital das Clínicas de Marília, em estado grave. Como pai e filha viviam sozinhos, a polícia informou que o Instituto Médico Legal (IML) aguarda a chegada do filho, que mora no Japão, para liberar o corpo.
O homem que morreu é brasileiro, mas também trabalhava no Japão e voltou ao Brasil há seis meses. A assessoria de imprensa do Hospital das Clínicas informou que Raíssa segue internada na UTI, com traumatismo craniano. O estado da jovem ainda é grave.
Segundo informações da funerária de Pompeia, que vai realizar o velório, a cerimônia só deve acontecer na próxima semana. Até lá o corpo vai permanecer no IML de Marília.

A verdade sobre o Dízimo, pare de ser enganado por pastores gananciosos











OS DÍZIMOS ANTES DA LEI

O DÍZIMO DE ABRAÃO – Abraão deu o dízimo dos despojos da guerra ao Rei Melquisedeque.

O DÍZIMO DE JACÓ – Jacó fez um voto ao Senhor, prometendo dizimar tudo quanto ganhasse, se em sua jornada fosse por Ele protegido e abençoado.

Hoje não se pode tomar como exemplo os dízimos de Abraão e Jacó, como fundamento para implantá-los como regra geral de doutrina na igreja, com o propósito de receber bênçãos e salvação. Veremos com detalhes neste estudo que ambos acontecimentos não são ensinados de acordo com o que constam na Palavra.

O DÍZIMO PELA LEI

O pagamento do dízimo, como veremos, foi ordenado pela lei do Antigo Testamento, e tinha caráter de caridade, pois a sua principal finalidade era suprir as necessidades dos Levitas que não tinham parte nem herança na terra prometida, e também dos estrangeiros, órfãos e viúvas.

Hoje é empregado para outros fins, diversos, daquele que o Senhor ordenou.

Mas, ainda que revertessem todo tributo dos dízimos em obras sociais, ainda não estavam em conformidade com a palavra do Senhor, pois além do dízimo ter sido abolido (Hebreus 7.5-12), a caridade ou amor ao próximo, é algo muito profundo, é individual e intransferível, é uma obra entre você, o próximo e o Senhor teu Deus.

O DÍZIMO NO EVANGELHO DE CRISTO

Por que persistem em pregar e manter as ordenanças da lei, as quais foram por Cristo, abolidas?
Veremos através deste estudo, que pregar a velha aliança é exumar uma lei sucumbida e mutilar o Evangelho de Cristo, sobrecarregando as ovelhas do pesado fardo que Cristo levou sobre si.

No Evangelho de Cristo Ele nos ensina fazer caridade, nos ensina a orar, a jejuar (Mateus 6.1 a 18), e uma infinidade de outros ensinamentos, porém nas duas únicas vezes que Ele referiu-se aos dízimos, foi com censura.

Vejamos:

Mateus 23.23 – Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas e não omitir aquelas.  

Alguém poderá considerar que Jesus ordenou que se dizimássemos, porque Ele disse:
Deveis fazer estas coisas. Vamos buscar o entendimento espiritual na palavra do Mestre:
Jesus era um judeu, nascido sob a lei (Gálatas 4.4). Portanto, viveu Jesus na tutela da lei de Moisés, reconhecendo-a, e disse dessa forma, pela responsabilidade de cumprir a lei.

Vejamos:
Mateus 5.17,18: Disse Jesus: Não cuideis que vim abolir a lei e os profetas, mas vim para cumpri-la, e, nem um jota ou til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.
E verdadeiramente Ele cumpriu a lei. Foi circuncidado aos oito dias, foi apresentado na sinagoga (Lucas 2. 21-24), assumiu o seu sacerdócio aos trinta anos (Lucas 3.23, Números 4.43, 47), curou o leproso e depois o mandou apresentar ao Sacerdote a oferta que Moisés ordenou (Mateus 8.4, Levíticos 14.1…), e cumpriu outras formalidades cerimoniais da lei.

Porém, quando Cristo rendeu o seu espírito a Deus (Mateus 27.50,51), o véu do templo rasgou-se de alto a baixo, então passamos a viver pela graça do Senhor Jesus, encerrando-se ali, toda ordenança da lei de Moisés, sendo introduzido o Novo Testamento, o Evangelho da Graça, para salvação dos que creem no Senhor Jesus Cristo.

O que precisamos entender uma vez por todas, que Cristo não veio a ensinar os Judeus a viverem bem a Velha Aliança, Ele disse: Um novo mandamento vos dou (João 13.34) e, se a justiça provem da lei, segue-se que Cristo morreu em vão (Gálatas 2.21). 

Em Mateus 5.20 disse Jesus: Se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus. 

Observem que o Senhor Jesus Cristo mandou justamente os escribas e fariseus (os quais o Senhor sempre os tratava por hipócritas, falsos) que cumprissem a lei de Moisés, lei que ordenava o dízimo. Nós porém, para herdarmos o reino dos céus, não podemos de forma alguma voltar no ritual da lei Mosaica como faziam os escribas e fariseus, com hipocrisia, mas precisamos exceder essa lei, a qual foi por Cristo abolida. O amor, a graça e a paz do Senhor Jesus excede a lei de Moisés e todo entendimento humano.

A Segunda vez que o Senhor Jesus referiu-se ao dízimo, foi na Parábola do Fariseu e do Publicano (Lucas 18.9 a 14) e outra vez censurou os dizimistas. Tomou como exemplo um homem religioso, que jejuava duas vezes por semana e dizia ser dizimista fiel, porém, exaltava a si mesmo e humilhava um pecador que suplicava a misericórdia do Senhor. 

Nesta narrativa alegórica, o Senhor Jesus Cristo exemplificou que no Evangelho da Graça, não há galardão para os dizimistas fieis, ao contrário, Jesus sempre os censurou.

A ABOLIÇÃO DOS DÍZIMOS 

Hebreus 7.5: E os que dentre os filhos de Levi receberam o sacerdócio tem ordem, segundo a lei, de tomar os dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. 

Observe, a palavra afirma que Moisés deu uma lei ao seu povo, a qual é direcionada aos filhos de Levi, especificamente aos que receberam sacerdócio para trabalhar nas tendas das congregações, os quais têm ordem segundo a lei de receber os dízimos dos seus irmãos. 

Agora note o relato do versículo 11:

Hebreus 7.11: De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade se havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque (referindo-se a Jesus Cristo) e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? (menção a Moisés, o qual introduziu a lei ao povo).

Hebreus 7.12: Porque mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança na lei.

Meditando no texto acima, especificamente nestes versículos, onde a palavra do Senhor assegura que os sacerdotes Levíticos recebiam os dízimos segundo a lei (Hebreus 7.5), Porque através deles (sacerdotes Levíticos) o povo recebeu a lei (Hebreus 7.11) e mudando se o sacerdócio, necessariamente se faz também, mudança na lei (Hebreus 7.12), porque se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (pelo qual o povo recebeu a lei), qual a necessidade do Senhor enviar outro Sacerdote? 

A palavra não deixa sombra de dúvida que não só o dízimo, mas toda a lei de Moisés foi por Cristo abolida. Mudou o Sacerdócio, necessariamente se faz mudança na Lei.

Se hoje, usarmos essa lei que fora direcionada especificamente aos filhos de Levi, aos que receberam o sacerdócio do Senhor Deus e aplicada ao povo, ela torna-se ilegítima, porque os “pastores” de hoje não são sacerdotes levitas, e Jesus afirmou que a lei e os profetas duraram até João (Lucas 16.16), e mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz mudança na lei (Hebreus 7.12).

Portanto, apenas esses três versículos (5,11,12) do capítulo 7 da carta aos Hebreus, seria suficiente para entendermos a abolição de toda lei, e não falarmos mais em obras mortas como dízimo na era da Graça do Senhor Jesus.

AQUI TOMAM DÍZIMOS HOMENS QUE MORREM

A nossa maior preocupação em relação aos pregadores que tomam o dízimo dos fieis, vem incidir sobre o versículo 8 do Capítulo 7 da Carta aos Hebreus, observem o porquê:

Hebreus 7.8: Aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive.

Toda cautela no que diz a palavra: Aqui tomam dízimos homens que morrem, ali aquele que se testifica que vive (alusão ao Rei Melquisedeque).

No Evangelho de Mateus 22.32, disse Jesus que Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos. O Senhor Jesus Cristo afirma que Deus, éDeus dos vivos e não é Deus dos mortos, e a palavra diz que aqui tomam dízimo homens que morrem, no que está legitimado noEvangelho de João 11.26, onde disse Jesus: Todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Essa afirmativa do Senhor é mais uma evidência que nos faz entender que, os que tomam o dízimo não crêem em Jesus, porque a palavra está dizendo que morrem os que assim procedem, tomando o dízimo do povo, voltam a viver as ordenanças da lei de Moisés que fora por Cristo abolida.

Diante da Palavra de Deus, até onde recebemos entendimento, dar e receber dízimo é obra morta, ou seja, obra da justiça da Lei do Velho Testamento.
Pois a palavra afirma que nenhuma alma será justificada diante d’Ele pelas obras da lei (Romanos 3.20,28 – Gálatas 2.16).

Veja neste estudo que:
No Evangelho de Cristo, não há ordenança para se tomar o dízimo ou para se cumprir qualquer outro rito da lei. Jesus nos deu um Novo Mandamento, mandou pregar o seu Evangelho, ordenou amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, isto é, com caridade, e não estipulou percentual ou limite. 

Em Mateus 10.42 o Senhor mandou dar pelo menos um copo de água fria. Para o mancebo rico Ele mandou vender tudo e dar aos pobres (Mateus 19.21); e quando Zaqueu lhe disse que daria até a metade de seus bens aos pobres, Ele não confirmou a necessidade desse procedimento (Lucas 19.8, 9), disse apenas: Zaqueu, hoje veio salvação a esta casa.

Muitos saem em defesa do dízimo afirmando: Mas o Dízimo é bíblico (Número 18.21 a 26).

Certamente, como também é bíblico: A circuncisão (Gênesis 17.23 a 27), o sacrifício de animais em holocausto (Levíticos Capítulos do 1 até 6.8-13), a santificação do sábado (Levíticos 23.3), o apedrejar adúlteros (Levíticos 20.10 e Deuteronômio 22.22), etc. É bíblico, mas pela ordenança da lei que Moisés introduziu ao povo.

Então porque hoje não cumprem a lei na sua totalidade, ao invés de optarem exclusivamente pelo dízimo.
O que também é bíblico, e o homem ainda não se conscientizou, é uma grande divisão existente na Palavra, separando a Velha Aliança do Novo Mandamento do Senhor Jesus; o qual testifica a doutrina para salvação (I Coríntios 15.1, 2). Porém hoje, qualquer esforço para voltar a lei de Moisés que Cristo desfez na cruz, é anular o sacrifício do cordeiro de Deus e reconstruir o muro por Ele derrubado (Efésios 2.13 a 15).

SUA MORTE, FOI O PREÇO PAGO PELA NOSSA SALVAÇÃO
Apocalipse 5.9: Porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de todas as tribos, e línguas, e povos, e nações.

Portanto irmãos, o preço pela nossa salvação, o Senhor Jesus Cristo já pagou o mais alto preço, com o seu sangue inocente na Cruz. O Senhor ainda alerta: Fostes comprados por bom preço, não vos façais servos de homens (I Coríntios 7.23).

O dízimo hoje é remanescente por razões óbvias: Primeiramente, pela contribuição dos que arcam com essa pesada carga tributária.

Outra presunção vem por parte dos que são beneficiados pelos dízimos, esses incorrem no erro pela ausência de entendimento espiritual da Palavra de Deus não diferenciando a lei de Moisés feita de ordenanças simbólicas e rituais, com a Graça e a Verdade do Senhor Jesus Cristo, ou mesmo consciente da abolição dessa prática, assumem o risco dolosamente na desobediência à Palavra do Senhor.

Porem, seja por uma ou por outra razão, o homem querendo ou não, aceitando ou não, o dízimo, como toda a lei cerimonial do Antigo Testamento, foi por Cristo abolida pela aspersão do seu sangue na cruz do Calvário: (Lucas 16.16, Romanos 10.4, Efésios 2.15, IICoríntios 3.14, Hebreus 7.12,18, 19).

Gálatas 5.14: Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amaras ao teu próximo com a ti mesmo. 

Leiam cada página deste estudo, meditem nos detalhes de cada tópico, tirem suas próprias conclusões sem contudo negligenciar a PALAVRA DA VERDADE.

Façam seus comentários!
Ajudem no que puderem, contem os seus relatos com as falsas “obras”, e o que mais acharem coerente dizer.

Os seus comentários serão preciosos para o crescimento desta obra, ajudando assim a libertar mais e mais pessoas das prisões psicológicas, espirituais e mentiras!

Vídeos mostram tiroteio no Shopping Tucuruvi, em São Paulo


Apesar dos disparos, ninguém ficou ferido dentro do centro de compras.
Um suspeito foi morto por policial militar de folga na rua.

Do G1 São Paulo
Clientes e funcionários do Shopping Tucuruvi, na Zona Norte de São Paulo, gravaram com celulares o tiroteio entre seguranças e assaltantes que aconteceu na manhã desta sexta-feira (7). Segundo a polícia, um criminoso morreu ao tentar roubar o carro de um PM à paisana, fora do centro de compras.
saiba mais

Passava pouco das 11h quando dois homens e uma mulher anunciaram o assalto a uma loja de telefonia. As imagens que circulam nas redes sociais mostram seguranças do lado de fora e, em seguida, gritaria.
Dois homens saem levando dois reféns como escudo. Eles dão poucos passos e, segundos depois, o tiroteio começa. Foram cinco disparos que provocaram muita correria. Ninguém ficou ferido, mas o pânico entre os clientes e vendedores foi grande.
Do lado de fora, os bandidos tentaram roubar o carro do PM, que tinha uma arma escondida e reagiu, matando um deles. Os outros dois ladrões conseguiram fugir. A área foi isolada e o caso será registrado no 39º Distrito Policial (DP). Às 19h desta sexta, o shopping estava com muito movimento e funcionava normalmente, com exceção da loja onde aconteceu o crime.
Nota oficial - Shopping Metrô Tucuruvi
Na manhã desta sexta-feira (7 de agosto de 2015) houve uma tentativa de assalto a uma loja do Shopping Metrô Tucuruvi. Três pessoas (dois homens e uma mulher) tentaram se passar por clientes, mas foram descobertos. Na fuga, dispararam tiros, que não atingiram ninguém. Já fora do shopping, na Rua Claudino Inácio Joaquim, os assaltantes enfrentaram a polícia e um deles, atingido, veio a falecer.
Local do assalto

Suspeito é morto por policial de folga após roubo em shopping da Zona Norte de São Paulo, diz Polícia Militar (Foto: Reprodução TV Globo)Suspeito é morto por policial de folga após roubo em shopping de SP, diz PM (Foto: Reprodução TV Globo)