Biografia de Rafael Ilha fala de tentativa de suicídio de ex-Polegar


Livro, escrito pela apresentadora Sônia Abrão, será lançado dia 25 deste mês.

Eliane Santosdo EGO, no Rio
Rafael Ilha (Foto: Reprodução/Reprodução)Capa do livro de Rafael Ilha: balanço de vida 
Apesar das passagens dolorosas, nemRafael Ilha, nem Sônia Abrão – autora da biografia do ex-Polegar -, quiseram deixar nada de fora em “Rafael Ilha: as pedras do meu caminho”, 304 páginas, da editora Escrituras. O livro, que conta a vida do ex-Polegar, chega às livrarias no dia 25 deste mês, e já em seu primeiro capítulo, fala da tentativa de suicídio a que Rafael se submeteu cortando o próprio pescoço.

“Não havia o que negociar. Não aguentava mais, não queria mais, vida sem sentido, vazio, fúria. Com um caco de vidro pontiagudo encostado no pescoço, ameaçava um ponto final. E foi mais rápido que os apelos dos socorristas: abriu um corte no pescoço, da nuca até o lado esquerdo”, diz o trecho.

O livro fala ainda das várias internações por causa das drogas – a primeira delas com 15 anos, das paixões do cantor e traz as orelhas do livro escritas pelo apresentador Fausto Silva e o prefácio por Gugu Liberato.
“Meu nome é Rafael Ilha Alves Pereira, estou na casa dos 40 anos, tempo de um balanço de vida. Para os que achavam que já conheciam minha história, fica aqui o que nunca foi contado! O que deixei guardado no sótão.  Entre o sucesso e a dor, a angústia e o vício, a música e a marginalidade, entre o amor e o crack, o microfone e um fuzil, o auditório e o morro, os fãs e os traficantes, entre ser ídolo e bandido, eu me perdi”, diz a apresentação do livro nas palavras do próprio biografado.
A biografia de Rafael Ilha vai virar filme, e terá direção de Lucas Margutti.
  •  
Rafael Ilha, com a mulher e Fausto Silva (Foto: Reprodução/Instagram)Rafael Ilha, com a mulher e Fausto Silva: apresentador escreveu orelha do livro (Foto: Reprodução/Instagram)

Traficantes presos pelo Bope no Rio se refugiavam em casa simples; veja


Imóvel tinha sala pequena, três quartos e não possuía móveis. 
'Tiveram essa ideia para não despertar suspeitas', disse coronel.

Do G1 Rio
Os seis traficantes presos pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) nesta terça-feira (11) estavam instalados em uma casa simples, no Morro do Chapadão, em Costa Barros, no Subúrbio. Segundo a polícia, a quadrilha ficava na residência três vezes por semana para evitar chamar a atenção para a localização, como mostrou o RJTV com exclusividade.( assista a vídeos)

A casa tem uma sala pequena, três quartos, banheiro e cozinha. Não havia móveis, apenas uma torradeira, um micro-ondas e um colchão. O traficante Fu da Mineira estava na sala quando a polícia chegou. Ele guardava um fuzil atrás da porta, mas não reagiu.

"Tem outras pessoas que moram nesse condomínio que são ligadas à quadrilha. Então existem familiares de traficantes que moram no condomínio. E eles vislumbraram, tiveram essa idéia de usar uma casa alugada e se refugiar e não despertar suspeitas", explicou o coronel Antônio Goulart, da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar.
  •  
Colchão usado por traficantes em esconderijo (Foto: Reprodução / Globo)Colchão usado por traficantes em esconderijo (Foto: Reprodução / Globo)
As seis prisões realizadas pela Polícia Militar do Rio de Janeiro foram fundamentais para desarticular a cúpula de uma das principais facções criminosas que ainda estava solta e atuando no estado.
Pezão e Piloto no exterior
Além de Ricardo Chaves de Castro Lima, o Fu da Mineira, Cláudio José de Sousa, o CL da Mineira, e Eduardo Luiz Paixão, o 2D, a facção tem outras duas lideranças soltas, que seriam os traficantes Pezão e Marcelo Piloto. Segundo informações da Inteligência da PM, os dois estariam fora do país.
"Essa ação do Bope hoje foi fundamental para desarticular a cúpula da facção solta, porque eles vão ter que buscar novas lideranças. Ou essas lideranças que estão no Paraguai retornam ou eles vão ter que eleger novos líderes, porque numa única ação a gente conseguiu tirar de cena seis pessoas que estavam à frente do que a gente chama de guerra", afirmou o coronel Antônio Goulart, coordenador de Inteligência da PM.

Os presos foram levados para o presídio de Bangu 1, mas o Governo do Estado vai pedir a transferência deles para presídios federais.
De acordo com o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, as prisões foram importantes para tirar das ruas criminosos com extensa ficha criminal e já condenados pela Justiça.
"Essas pessoas juntas produzem 120 anos de cadeia. Dois daqueles ali, um tinha condenação até 2053, outro até 2035 e saiu para visitar a família em 5 dias e nos causou todo aquele problema no São Carlos que os senhores acompanharam muito bem. Agora eles estão voltando para um presídio Federal", criticou Beltrame.
Prisões sem troca de tiros
O serviço de Inteligência da Polícia Militar estava atuando na região do Chapadão e da Pedreira desde sábado, quando o traficante Playboy foi morto. De acordo com o tenente-coronel Carlos Eduardo Sarmento, comandante do Bope, os agentes já tinham a informação que os líderes da quadrilha utilizavam uma casa dentro de um condomínio na Pavuna, perto ao Morro do Chapadão, para dormir.

"Cercamos o imóvel e não encontramos maiores resistências. Chegamos numa ação cirúrgica e houve uma rápido negociação", afirmou o oficial, destacando que toda a operação ocorreu sem nenhuma troca de tiros.
Quadrilha era rival da de Playboy
Fu era considerado a principal liderança de uma das maiores facções criminosas que atua no Rio de Janeiro e dominava o tráfico no conjunto de favelas do Lins, no Subúrbio. Ele pertencia a uma facção criminosa rival à do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, morto no sábado (8) durante uma operação no conjunto de favelas da Pedreira, no Subúrbio.
Em maio, o Disque Denúncia havia aumentado a recompensa para quem desse informações que levassem à prisão de Fu e de Claudinho. Atualmente, a recompensa era R$ 10 mil por cada um dos criminosos.
Fu é apontado pela polícia como o responsável por confrontos nos morros da Mineira, do Fallet e da Coroa, no Catumbi e em Santa Teresa, no Centro do Rio, em maio deste ano. Estava foragido desde agosto de 2013, quando recebeu o benefício da progressão de pena para o regime semiaberto.
Claudinho, que é primo de Fu, é acusado de tráfico e homicídio. Ele também fugiu do presídio de Porto Velho, em Rondônia, em agosto de 2013 ao receber o mesmo benefício de progressão de regime.
Por volta das 9h desta terça, a Polícia Militar continuava a operação no Conjunto de Favelas do Chapadão, onde já tinham sido apreendidos fuzis, pistola e farta munição.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1 RJ ou por Whatsapp e Viber.
PM do Rio concede entrevista coletiva após prisão de Fu e comparsas no Rio (Foto: Janaína Carvalho/G1)PM do Rio concede entrevista coletiva após prisão de Fu e comparsas no Rio (Foto: Janaína Carvalho/G1)

Promotora do Gaeco terá CNH suspensa por um ano e será indiciada por crime previsto no CTB


A promotora do Gaeco Leila Schimiti, presa embriaguez ao volante neste sábado, 8, em Londrina, vai responder por infração “gravíssima” e crime previstos no Código de Trânsito Brasileiro. Pelo artigo 165 – dirigir sobre influência de álcool ou de qualquer substância psicoativa – a promotora será penalizada com multa de R$ 1.915,40 e infração de trânsito gravíssima, com 7 pontos na carteira, perdendo assim o direito de dirigir por 12 meses.
Leila também será enquadrada por crime previsto no artigo 306 do código de trânsito – conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa. Nesse caso, se condenada, a pena será de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.
“Mesmo que a pessoa se recuse a fazer o teste do bafômetro, já que ninguém é obrigado a fazer prova contra si mesmo, outras provas podem ser consideradas válidas para atestar a embriaguez do condutor do veículo como: vídeos, relatos, testemunhas e outras provas”, disse um especialista de trânsito ao blog.
É o caso da promotora que se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas tem vídeos e testemunhas que acusam seu estado alcoólico agudo. Segundo o especialista, a Polícia Civil abriu inquérito sobre o caso e assim que concluí-lo deve remetê-lo direto ao Tribunal de Justiça, já que a promotora tem essa prerrogativa de julgamento. “O que ela fez é grave. É crime sujeito a multa, sanções e pena previstos no código de trânsito”, disse.
Fonte> Blog do Fabio Campana

Promotora do Gaeco que dirigia bêbada se licencia para sair de cena


leila bebada
Não tinha outro jeito. A repercussão foi tão grande não só em Londrina ou no Paraná. É notícia nacional com repique em órgãos da mídia internacional. A promotora pública Leila Schimiti entrou de férias depois de dirigir embriagada no sábado, em Londrina. O desgaste passou para o Ministério Público do Paraná, especialmente depois que o Procurador Cláudio Esteves tentou tirar Leila do flagrante e protegê-la da imprensa e na delegacia de Polícia. Para sair do foco, Leila aceitou a recomendação: pediu férias e ficará 30 dias afastada do cargo, bom tempo para aproveitar a praia neste verão fora de época.
Leila Schimiti coordena as operações Gaeco que investigam casos de corrupção dentro da Receita Estadual do Paraná e também problemas em licitações do estado. Gosta de se apresentar como guardiã da honestidade e grande combatente contra a corrupção e os maus costumes.
No sábado ela foi levada à delegacia após se envolver em um acidente de trânsito. No Boletim de Ocorrência os policiais disseram que a promotora apresentava sinais de embriaguez. Leila foi liberada logo depois de prestar depoimento, pois uma lei do Ministério Público impede a prisão de promotores em crimes afiançáveis. Ou seja, como costuma acontecer no Brasil, a lei é mais igual para uns do que para outros,
O presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia Civil se manifestou nesta terça-feira e questionou o privilégio previsto em lei para promotores públicos. Para o sindicato, tanto a polícia civil quanto a polícia militar agiram de forma correta e nenhum policial favoreceu a promotora.
leila
“Surgiram muito boatos após a promotora ter sido liberada, mas infelizmente é isso que prevê a lei orgânica do Ministério Público. É um tratamento diferenciado que só agora a sociedade descobriu que existe. É um tratamento inconstitucional, pois não se pode criar leis que vão contra a Constituição Federal. Delegados, policiais, juízes e promotores devem dar exemplo, afinal todos conhecem a lei”, diz o presidente do sindicato Claudio Marques Rolin e Silva.
A Associação do Ministério Público emitiu nota dizendo que o caso foi isolado e de índole particular. O acidente envolvendo a promotora não fere a imagem do Ministério Público e nem irá atrapalhar as investigações do Gaeco.
Nota do Ministério Público
O Ministério Público do Paraná informa que a promotora Leila Schimiti, que se envolveu em um acidente, no último sábado (8) em Londrina, pediu suas férias hoje e vai ficar 30 dias afastada.
O caso segue sendo investigado e conforme o Boletim de Ocorrência, a promotora apresentava sinais de embriaguez e não quis fazer o teste do bafômetro. O MP reafirma, conforme nota enviada, que embora o fato não esteja relacionado ao exercício das atividades funcionais, a conduta dos membros do ministério público requer exemplaridade tanto na vida pública quanto privada.
Ainda com relação aos fatos, o Ministério Público do Paraná esclarece que, desde o primeiro momento, adotou, por meio da Procuradoria-Geral de Justiça, as providências cabíveis, delegando atribuições ao procurador de justiça Claudio Rubino Zuan Esteves para acompanhar o caso naquele momento, zelando pela estrita observância da lei.

A culpa é do Fruet, explica o Atlético


mail.google.com
O Atlético-PR culpa a prefeitura pelo atraso no pagamento das parcelas dos dois financiamentos da obra da Arena da Baixada. De acordo com petição da 4ª Vara da Fazenda Pública, a CAP S/A, criada pelo Atlético para gerir a reforma da Arena, tem até quinta-feira (13) para quitar a dívida total de R$ 226,1 milhões com a Fomento Paraná. Caso não pague, o clube corre risco de ter o CT do Caju, o potencial construtivo cedido pela prefeitura, receitas de faturamento do estádio, além da própria Arena, penhorados. As informações são da Gazeta do Povo.
Em nota, o Atlético afirma que “o pagamento das parcelas destes dois financiamentos se dá com os valores advindos da venda de potencial construtivo – o que é de responsabilidade do município de Curitiba”. Como teria ocorrido um atraso no repasse desse dinheiro e alguns títulos foram vendidos a prazo, as parcelas desde fevereiro do financiamento não teriam sido pagas.
Mesmo assim, o clube afirmou que entrou em contato com a Fomento para estabelecer negociações. Diz também que paralelamente irá provocar o município “sobre a venda do potencial e respectivo repasse dos valores para a Fomento”.
A tendência é de que o Atlético utilize os 15 dias previstos na ação para se defender na Justiça e em paralelo tente chegar a um acordo com a agência estadual, o que significaria o fim do processo. “O Clube e a CAP S/A reafirmam o compromisso na quitação das obrigações assumidas”, diz o clube.
Confira abaixo a nota na íntegra:
“O Atlético tomou conhecimento hoje que a Fomento Paraná executou dois contratos de financiamento contratados com a CAP S/A. Imediatamente o clube entrou em contato com a Fomento para estabelecer negociações. O Clube e a CAP S/A reafirmam o compromisso na quitação das obrigações assumidas. Importante esclarecer que o pagamento das parcelas destes dois financiamentos se dá com os valores advindos da venda de potencial construtivo – o que é de responsabilidade do Município de Curitiba.
Paralelamente às negociações, Atlético e a CAP S/A vão provocar o Município sobre a venda do potencial e respectivo repasse dos valores para a Fomento”.

Delegado condena o privilégio no caso da prisão da promotora “tragueada”


mail.google.com
O presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia Civil, Claudio Marques Rolim e Silva, questionou nesta terça-feira (11) o privilégio previsto em lei para promotores públicos e citou, de forma específica, o caso da promotora Leila Schimiti, presa pela Polícia Militar no sábado, 8, por dirigir embriagada em Londrina. A promotora após registro de boletim de ocorrência foi liberada pela Polícia Civil.
Para o sindicato, tanto a Polícia Civil quanto a Polícia Militar agiram de forma correta e nenhum policial favoreceu a promotora. “Surgiram muito boatos após a promotora ter sido liberada, mas infelizmente é isso que prevê a lei orgânica do Ministério Público. É um tratamento diferenciado que só agora a sociedade descobriu que existe. É um tratamento inconstitucional, pois não se pode criar leis que vão contra a Constituição Federal. Delegados, policiais, juízes e promotores devem dar exemplo, afinal todos conhecem a lei”, disse Marques Silva.

Deputado contrata consultoria para escolher nome de viaduto


mail.google.com
O deputado Edmar Arruda (PSC-PR) usou pouco mais de R$ 79 mil em cotas parlamentares, em cinco meses de mandato, para terceirizar pareceres técnicos sobre 20 proposições legislativas. A Fuzetti Marketing Empresarial e Ideriha Assessoria Empresarial foi contratada para dar parecer externo ao projeto que denomina de “Viaduto Elizete Aparecida Romangnoli Piveta Assunção”, o viaduto construído na rodovia BR-376, em Maringá. As consultorias privadas foram contratadas por Arruda para emitir parecer jurídico sobre requerimentos de convocação de audiência pública e sobre sugestões para que ministros adotassem medidas para autorizar a liberação dos recursos destinados.

Ladrões trapalhões entram na janela de loja errada e ainda deixam comparsa ‘entalado’ para trás


Da Redação


Três ladrões trapalhões queriam fazer a festa dentro de uma loja de celulares na Rua Reinaldino S. de Quadros, no bairro Alto da XV, em Curitiba, no fim da madrugada desta terça-feira (11). Porém, tudo deu errado e um deles acabou preso em flagrante pela Polícia Militar (PM).
O primeiro erro dos trapalhões foi não acertar a janela. “Eles queriam entrar em uma loja de celulares, mas acabaram entrando na de bijuteria que fica ao lado. Eles tiraram a janela do banheiro e um deles passou, enquanto os outros dois ficaram para fora. Daí eles se assustaram com a movimentação aqui perto e tentaram fugir. Só que o rapaz ficou ali entalado na janela”, descreveu à Banda B uma testemunha.
Em vez de ajudar o comparsa entalado, os ladrões fugiram deixando tudo para trás. “O pessoal percebeu e chamou a Polícia Militar que chegou rapidamente. Fizeram uma operação e conseguimos tirar o rapaz que entalou”, contou a testemunha.
O suspeito foi encaminhado à Polícia Civil, para ser autuado em flagrante.

Curso para empreendedores criativos movimenta Colombo


WEBMASTER 11 DE AGOSTO DE 2015

O curso visa incentivar os colombenses criativos a colocarem suas ideias em prática

Ao total, 31 pessoas se inscreveram nas oficinas e cerca de 100 pessoas participaram das palestras, que tiveram como tema principal o Empreendedorismo e Gestão Financeira.
Ao total, 31 pessoas se inscreveram nas oficinas e cerca de 100 pessoas participaram das palestras, que tiveram como tema principal o Empreendedorismo e Gestão Financeira.
A Prefeitura de Colombo, por meio do departamento de Cultura, promoveu nos dias 6, 7 e 8 de agosto o evento Procuram-se Sonhadores.
Durante os três dias, os artistas do município e cidadãos em geral, puderam participar de palestras e oficinas – que tinham como tema principal o Empreendedorismo e Gestão Financeira.
Os cursos contavam com duração de 20 horas e certificado as pessoas que participaram das atividades nos três dias de evento. Ao total, 31 pessoas se inscreveram nas oficinas e cerca de 100 pessoas participaram das palestras.
O objetivo principal do Procuram-se Sonhadores, foi incentivar e apoiar as pessoas que possuem alguma ideia criativa e desejam transforma-las em empreendimentos.
“Esse curso foi muito importante para as pessoas criativas que não tem muita informação de como desenvolver as ideias que surgem e colocá-las em práticas. Ensinamos e as incentivamos para que tenham mais empreendedores no futuro”, afirma a diretora do Departamento de Cultura, Rita Straioto.
O evento também foi uma preparação para outro projeto do departamento de Cultura: a Incubadora Parana Criativa, que funcionará em Curitiba.
Incubadora
A Incubadora Paraná Criativo será um espaço público de fomento ao desenvolvimento sustentável a partir da Economia Criativa. Fruto de um convênio entre o Ministério da Cultura – MinC e a Secretaria de Estado da Cultura. A incubadora faz parte da Rede Brasil Criativo coordenada pelo MinC e está alinhada ao Programa de Economia Criativa do Paraná.
O projeto funcionará no espaço que abrigava a Casa João Turin, localizada na Rua Mateus Leme, em Curitiba, onde passará por reforma para adequação ao programa. O espaço será dedicado ao apoio de empreendimentos criativos, vai sediar eventos, oferecer cursos de formação e consultorias e funcionará também como primeiro espaço público de Coworking na área de economia criativa no Estado. As atividades desenvolvidas na sede da incubadora também serão realizadas em diversos municípios do Estado, com o propósito de expandir o atendimento aos profissionais e empreendedores criativos de todo o Paraná.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Divulgação

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos é desenvolvido em Colombo


WEBMASTER 11 DE AGOSTO DE 2015

As famílias prioritárias no atendimento desta ação são identificadas e encaminhadas, por meio dos programas sociais desenvolvidos pela prefeitura

A secretaria de Assistência Social desenvolve no município o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
A secretaria de Assistência Social desenvolve no município o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
 A ação é destinada às crianças e adolescentes, entre seis e 15 anos e idosos
A ação é destinada às crianças e adolescentes, entre seis e 15 anos e idosos
As famílias prioritárias são identificadas e encaminhadas por meio dos CRAS, Projetos Pró-Criando e os Centros de Convivência do município
As famílias prioritárias são identificadas e encaminhadas por meio dos CRAS, Projetos Pró-Criando e os Centros de Convivência do município
Com a finalidade de complementar o trabalho social com as famílias e prevenir a ocorrência de situações de vulnerabilidade e risco social, a Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria de Assistência Social desenvolve o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.
De acordo com a secretária de Assistência Social, Maria da Silva Souza a iniciativa possui caráter preventivo e proativo. “Lembrando, que é sempre pautado na defesa e afirmação de direitos. Além, do desenvolvimento de capacidade e da potencialidade das pessoas que são beneficiadas, buscando alternativas emancipatórias”, destaca.
A ação é promovida em grupos organizados, a partir, da trajetória de vida destas pessoas para garantir a conquista progressiva, conforme o seu ciclo de vida, as trocas culturais e de vivências. Entre os métodos utilizados durante o trabalho estão: a criação de espaços de reflexão sobre o papel das famílias na proteção de seus membros; o estímulo e orientação dos usuários na construção e reconstrução de suas histórias de vida; a organização por trajetória, conforme as especificidades dos ciclos de vivência; e também o incentivo, a participação comunitária, a apropriação dos espaços públicos e o protagonismo na sociedade.
Entre os principais objetivos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos estão: assegurar os espaços de convívio familiar, comunitário e o desenvolvimento de relações de afetividade e sociabilidade; a valorização da cultura de família e comunidades locais pelo resgate de suas culturas e a promoção de vivências lúdicas; desenvolver o sentimento de pertença e de identidade; além de, promover a socialização e a convivência.
“As famílias prioritárias no atendimento deste serviço são identificadas e encaminhadas por meio dos Centros de Referencia de Assistência Social (CRAS), para os Projetos Pró-Criando e os Centros de Convivência do município”, explica a secretária da pasta.
Público-alvo
O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos é destinado às crianças e adolescentes, entre seis e 15 anos de idade, encaminhadas pelos projetos sociais desenvolvidos pela Prefeitura de Colombo, entre eles: o Serviço de Proteção Social Especial, o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), pelo Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), beneficiários de programas de transferência de renda, e de famílias com precário acesso à renda e a serviços públicos. E, também aquelas em situação de acolhimento, como medidas de proteção do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e em situação de rua.
– Os idosos com idade igual ou superior a 60 anos também podem participar da iniciativa. Principalmente aqueles que estão em situação de vulnerabilidade social, favorecidos do Beneficio de Prestação Continuada (BPC), beneficiários de programas de transferência de renda. Além, de pessoas com vivências de isolamento por ausência de acesso a serviços e oportunidade de convívio familiar e comunitário, cujas necessidades, interesses e disponibilidade indiquem a inclusão no serviço.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Fotos: Marcio Fausto/ PMC

Ruas da área rural em Colombo passam por obras de melhorias


WEBMASTER 11 DE AGOSTO DE 2015

Os bairros Santa Gema, Imbuial e Itajacuru recebem importantes serviços de infraestrutura; alargamento de rua, patrolagem e saibramento estão entre as ações

A Rua José Strapasson, localizada no bairro Santa Gema passa por diversas obras de melhorias, entre elas o alargamento da rua
A Rua José Strapasson, localizada no bairro Santa Gema passa por diversas obras de melhorias, entre elas o alargamento da rua
Os bairros Santa Gema, Imbuial e Itajacuru recebem importantes serviços de infraestrutura
Os bairros Santa Gema, Imbuial e Itajacuru recebem importantes serviços de infraestrutura
Na primeira etapa, um dos trechos será alargado em um metro de cada lado
Na primeira etapa, um dos trechos será alargado em um metro de cada lado
Com o intuito de facilitar o dia a dia das pessoas que trafegam pela área rural a prefeitura de Colombo, por meio da secretaria de Obras e Viação vem realizando importantes serviços de infraestrutura. “O intuito da ação é melhor a qualidade de vida dos moradores”, enfatiza a prefeita de Colombo, Beti Pavin.
Nesta semana, a Rua José Strapasson, localizada no bairro Santa Gema passa por diversas obras de melhorias, entre elas o alargamento da rua, – que contará com uma extensão de dois quilômetros de expansão. Na primeira etapa, um dos trechos será alargado em um metro de cada lado e logo após receberá recapeamento de saibro e nivelamento de barranco.
A via é uma importante ligação entre a Estrada da Ribeira e o bairro São João sendo bastante utilizada pelos moradores. Para o secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso o mais importante, nesta fase dos trabalhos, é consultar os moradores para que as obras aconteçam com o mínimo de transtorno para a comunidade.
“A rua estava muito estreita, e havia muita dificuldade na passagem de caminhões. Além da visibilidade, que estava sendo prejudicada. Agora com as obras de alargamento o problema será solucionado”, ressalta o secretário da pasta. Para a realização das obras estão sendo utilizados quatro caminhões, serviço de patrola, retroescavadeira e rolo compactado.
Porém, o alargamento da Rua José Strapasson não é a única obra de infraestrutura que está sendo realizada pela prefeitura na região rural. O bairro Imbuial já recebeu serviço de patrolagem e saibramento para melhorar a mobilidade do local. E, na próxima semana os moradores do bairro Itajacuru também serão beneficiados com a ação que vem melhorando a vida dos moradores. “Vamos trabalhar nos próximos dias nesta região. Serão realizados serviços de patrolagem e saibramento”, conta o secretário.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio fausto/ PMC