Comando-Geral da PM pede desculpas a vereadores


cmc_pmpr
A polêmica declaração do major Alex Breunig, da Polícia Militar, durante a votação do projeto que libera a venda de bebidas alcoólicas nos estádios, na sessão plenária desta quarta-feira (26), motivou um pedido oficial de desculpas por parte do Comando da Polícia Militar do Paraná. O comandante-geral da PM, Maurício Tortato, visitou na manhã desta quinta-feira (27) o presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Ailton Araújo (PSC). “Humildemente venho aqui manifestar meu absoluto respeito a todos os integrantes da Câmara de Vereadores em relação à forma como foi conduzido o debate acalorado. Podemos traduzir isso [essa visita] em um pedido de desculpas a todos os vereadores”, disse.
O tenente-coronel ainda deixou claro que a postura institucional da Polícia Militar é “de absoluto respeito aos legítimos representantes do povo curitibano, razão pela qual não adotaríamos institucionalmente nenhuma postura mais agressiva que não fosse da composição, da construção e do aperfeiçoamento do processo democrático em prol da sociedade curitibana”, complementou.
Durante a votação em segundo turno do projeto de lei que libera a venda de bebidas alcoólicas dentro dos estádios, Breunig ameaçou publicar os nomes dos responsáveis pela aprovação, sempre que forem registrados crimes relacionados a bebidas nos jogos. “Desta vez, o aumento da criminalidade tem endereço e tem nomes. Cada vez que um vereador oficiar a polícia dizendo que está com problemas de segurança, vou colocar esse cartaz de votação na resposta, incluindo quem votou a favor e, pior, aqueles que se omitiram”, disse na tribuna da Câmara Municipal.

Paulo Bernardo dançou, não vai mais para Itaipu


paulo-bernardo-andre-dusek-estadao1
da Folhapress
A presidente Dilma Rousseff suspendeu a nomeação do ex-ministro Paulo Bernardo para a direção-geral brasileira de Itaipu Binacional. Segundo assessores presidenciais, a nomeação estava pronta na Casa Civil desde a semana passada, mas Dilma mandou segurar a indicação após o ex-ministro aparecer citado na Operação Lava Jato em um esquema de corrupção investigado no Ministério do Planejamento.
Auxiliares de Dilma já comunicaram ministros e dirigentes petistas sobre a decisão. A presidente quer esperar os desdobramentos das investigações da Lava Jato antes de confirmar o petista à frente de Itaipu.
Paulo Bernardo foi ministro do Planejamento do governo Lula e de ocupou a pasta das Comunicações no primeiro governo Dilma. Ele é casado com a senadora e ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR), investigada na Lava Jato.
Nesta segunda-feira (24), o juiz federal Sergio Moro, do Paraná, enviou despacho ao STF (Supremo Tribunal Federal) afirmando que as investigações da Lava Jato identificaram “indícios de que a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) seria beneficiária de valores de possível natureza criminosa”, recebendo “pagamentos sem causa”.
De acordo com o documento, Gleisi teria se beneficiado do chamado “Fundo Consist”, empresa que teria atuado no desvio de recursos de empréstimos consignados do Ministério do Planejamento – que, à época, era comandado pelo seu marido, Paulo Bernardo.
Pelo menos R$ 50 mil desse fundo em pagamentos do esquema teriam sido repassados também em favor da congressista e de pessoas ligadas a ela, além do ex-ministro.
As apurações mostram que os desvios envolviam os escritórios do advogado Guilherme Gonçalves, responsáveis pela coordenação jurídica das campanhas da petista, e o pagamento de propina ligado à atuação da empresa de tecnologia Consist no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, e ainda o uso de empresas de fachada.
Um documento apreendido durante as investigações indica o pagamento feito pela Consist de R$ 50 mil de honorários a Gonçalves em novembro de 2011. Ele teria acertado a operação com Paulo Bernardo, que ficaria, segundo as investigações, com todo o valor.

Do álbum de quadrilha


álbum
A senador Gleisi Hoffmann diz que não lembra de nada. Esqueceu, entre outras, que conhecia de perto políticos como André Vargas, ex-deputado federal do PT, hoje recolhido ao xadrez da Lava Jato, à disosição do juiz Sérgio Moro, que Glaisi acusa de tê-la indiciado sem lhe permitir defesa. Acontece que as fotos da grande família petista não deixam ninguém esquecer da turma reunida, alegre, quando a vida sorria e a prosperidade era grande em cima de esquemas como esse fantástico desvio de recursos da Petrobras.
Fonte: Fabio Campana

Vitória de Sérgio Moro. STF valida delação de Alberto Youssef


juiz-federal-sergio-moro
Gorou a tentativa de advogados de empreiteiros e políticos que pretendiam anular a delação premiada do doleiro Alberto Youssef e, por consequencia, toda a Operação Lava Jato. O juiz Sérgio Moro viu sua decisão de validar os depoimentos de Youssef confirmada por unanimidade no Supremo Tribunal Federal. Fica evidente que Sérgio Moro não está sozinho e tem apoio no STF para levar em frente as novas investigações. Políticos vão berrar feito cabrito desmamado. A senadora Gleisi Hoffmann se diz injustiçada e impedida de se defender. Requião critica o Paladino da Justiça, apontando o dedo para Moro. Balela. Não há como recuar depois de tudo que a Lava Jato expôs.

Polícia Federal indicia almirante e filha


othon_original
O vice-almirante Othon Luiz Pinheiro, ex-presidente da Eletronuclear, foi indiciado pela PF por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Em relatório de 30 páginas, a PF disse que “há evidências” de que as empresas do consórcio que estavam construindo Angra 3 “fizeram um ajuste”, ou seja, combinaram o resultado da licitação. Othon é suspeito de embolsar até R$ 30 milhões em propinas.
Além de Othon, também foi indiciada sua filha Ana Cristina Toniolo, e Flavio Barra, presidente da Andrade Gutierrez Energia, além de cinco intermediários.

Agente penitenciário é feito refém em penitenciária na Região de Curitiba


Equipes da Polícia Militar e do Depen negociam libertação do homem.
Ao todo, 11 detentos participam do ato; ainda não se sabe o que querem.

Do G1 PR
Um agente penitenciário foi feito refém, por volta das 17h desta quinta-feira (27), na Penitenciária Central do Estado, em Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Sesp), 11 detentos renderam o agente e o mantiveram refém.
Por volta das 19h, equipes da Polícia Militar e do departamento de Execução Penal  (Depen) faziam as negociações com os presos. Os negociadores pediram aos presos para que fizessem uma lista com as demandas deles. Ainda não se sabe o que os detentos querem com o motim.
Segundo a Sesp, o homem detido passa bem e não tem ferimentos. Até as 21h, não havia mais informações sobre a situação.

Preso por sexo e furto de TV de motel namorava menina há 8 meses em MS


Polícia ainda achou garrafa de conhaque e suspeito responde por 3 crimes.
Suspeito tinha o consentimento da adolescente de 13 anos, diz delegado.

Graziela RezendeDo G1 MS
Homem é preso após fazer sexo com menina e furtar TV de motel em MS (Foto: Divulgação/GCM)Homem é preso após fazer sexo com menina e furtar
TV de motel em MS (Foto: Divulgação/GCM)
A Polícia Civil, após investigar um caso de estupro envolvendo uma adolescente e um homem de 35 anos, em Campo Grande, constatou que os dois possuíam um relacionamento afetivo e houve consentimento da vítima, de acordo com o delegado Paulo Sérgio Lauretto, titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca).
"Eles namoravam há oito meses, desde o início do ano conforme o depoimento dos envolvidos. Nós constatamos que o crime ocorreu com o consentimento da vítima, porém o homem responde pelo estupro porque a vítima tem 13 anos", afirmou ao G1 o delegado, ressaltando o artigo 217 do Código Penal e o Estatuto da Criança e o Adolescente (ECA).
Conforme o delegado, os policiais ainda encontraram uma garrafa de conhaque com o suspeito. Ele teve o pedido de prisão convertida em preventiva e permanece na cadeia. O homem responde pelos crimes de estupro de vulnerável, furto e por dirigir sob efeito de álcool. O suspeito, que seria irmão do padrasto da vítima, possui antecedentes por porte de arma, receptação e lesão corporal dolosa.
Entenda o caso
Um homem de 35 anos foi preso no domingo (23), após fazer sexo com uma adolescente de 13 anos em um motel de Campo Grande. Ao sair, ele furtou um televisor de 32 polegadas do quarto do estabelecimento. Segundo a Guarda Civil Municipal, o suspeito transportava a menina e o aparelho em uma motocicleta, quando foi flagrado.
saiba mais

De acordo com o boletim de ocorrência, o homem fugiu quando percebeu que ia ser abordado pelos guardas, mas foi interceptado durante a fuga.
Ao ser questionado sobre a televisão, o suspeito disse que tinha comprado em uma boca de fumo na área central da cidade. A adolescente relatou aos guardas que estava com o homem em um motel no bairro Guanandi, onde tiveram relação sexual, e que ele furtou o televisor do quarto. Depois do relato da garota, o suspeito confessou o furto.
Os dois foram encaminhados para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Piratininga. Segundo a delegada plantonista Ana Paula Trindade Ferreira, o homem alegou que namorava com a garota, enquanto ela disse que manteve relações com ele algumas vezes.
A adolescente foi ouvida e entregue para a mãe dela. O homem foi autuado por: estupro de vulnerável; corrupção de menores; furto qualificado com abuso de confiança, ou mediante fraude ou escalada ou destreza; desobediência; falta de permissão ou habilitação para dirigir – trânsito; vender, fornecer ainda que gratuitamente, ministrar ou entregar, de qualquer forma, a criança ou adolescente, sem justa causa, produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica, ainda que por utilização indevida.
Conforme a delegada, o suspeito é portador de hanseníase e foi transferido para o Instituto Penal de Campo Grande.

Caseiro de sítio mata patrão a facadas após ser demitido, diz polícia


Jovem confessou ter esfaqueado engenheiro agrônomo em Ourinhos (SP).
Suspeito foi preso e encaminhado à cadeia de São Pedro do Turvo. 

Do G1 Bauru e Marília
Engenheiro foi morto à facadas (Foto: Nelson Minucci/ Repórter na Rua)Engenheiro foi morto à facadas
(Foto: Nelson Minucci/ Repórter na Rua)
Um caseiro de um sítio de Ourinhos (SP) foi preso nesta quinta-feira (27) suspeito de ter matado o patrão a facadas. De acordo com informações da Polícia Civil, Devanil de Jesus Caetano, de 22 anos, confessou ter esfaqueado o engenheiro agrônomo Armando Kenso Ichimura, de 56 anos, na quarta-feira (26), após receber a notícia de que seria demitido.
A polícia informou que Devanil contou que os dois saíram de carro na quarta-feira à tarde e, no meio do caminho, o empregado tentou matar o patrão. O engenheiro ainda correu para um milharal, mas foi seguido pelo suspeito, que o esfaqueou. A vítima morreu no local.
Por conta do desaparecimento, a mulher do engenheiro registrou boletim de ocorrência e durante a manhã a polícia esteve no sítio e Devanil acabou confessando o crime. O corpo de Armando Kenso está sendo velado em Ourinhos e o caseiro está preso na cadeia de São Pedro do Turvo.
Caseiro confessou o crime (Foto: Nelson Minucci/ Repórter na Rua)Caseiro confessou o crime (Foto: Nelson Minucci/ Repórter na Rua)

Vídeo mostra ladrão arrancando mulher de dentro do carro para roubar


Vídeo mostra ação do bandido jogando mulher no canteiro de via do ABC.
Na fuga, o ladrão capotou o carro na Via Anchieta.

Do G1 São Paulo
O vídeo acima exibido pelo SPTV mostra a ação de um ladrão atacando uma motorista em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Depois de tirar a mulher de dentro do veículo, o bandido sai com o carro até capotar alguns quilômetros à frente. Em seguida, ele roubou o carro de outro motorista para fugir.
Vídeo mostra ladrão arrancando mulher de dentro do carro para roubar (Foto: Reprodução/TV Globo)Vídeo mostra ladrão arrancando mulher de dentro
do carro para roubar (Foto: Reprodução/TV Globo)
O caso aconteceu no último sábado (22). O ladrão não estava armado e ainda não foi identificado.
A mulher estava parada no trânsito na Avenida José Fornari, no bairro Ferrazópolis, quando um homem apareceu e começou a dar socos no vidro até conseguir abrir a porta.
Ele jogou a mulher no canteiro, entrou no carro e saiu. A passageira escapou pela outra porta e foi socorrer a motorista caída no chão.
Na fuga, o ladrão capotou o carro na Via Anchieta. Um rapaz parou seu veículo para ajudar e acabou tendo o carro roubado também.
De janeiro a julho deste ano quase 1.500 carros foram roubados no ABC.
Mulher foi jogada pelo bandido no canteiro da via (Foto: TV Globo/Reprodução)Mulher foi jogada pelo bandido no canteiro da via (Foto: TV Globo/Reprodução)

Ministro confirma proposta de novo imposto para financiamento da saúde


Alíquota seria de 0,38% sobre movimentação financeira, como na CPMF.
Nova contribuição seria compartilhada com estados e municípios.

Do G1, com informações do JN
O ministro da Saúde, Arthur Chioro, confirmou nesta quinta-feira (27) a proposta do governo de um novo imposto para financiar a saúde. A motivação do novo imposto são as dificuldades do governo para cobrir as despesas de 2016.
O novo imposto seria cobrado sobre as transações bancárias, exatamente como a antiga Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).
O ministro defende uma alíquota de pelo menos 0,38%, o último percentual da CPMF, que vigorou por dez anos e acabou em 2007, quando foi derrubada pelo senado. Segundo ele, o Sistema Único de Saúde (SUS) precisa de mais dinheiro.
O imposto deve nascer com um novo nome – CIS (Contribuição Interfederativa da Saúde) – e arrecadar até R$ 85 bilhões por ano. Diferente da CPMF, cuja arrecadação era destinada somente para o governo federal, a nova proposta prevê a divisão dos recursos entre municípios, estados e governo federal – tudo tem que ser investido em saúde.
A intenção é incluir a contribuição na proposta do governo para o orçamento do ano que vem, que chega ao Congresso na segunda-feira. Para entrar em vigor, terá de ser aprovada pelos parlamentares em dois turnos.
saiba mais

O vice-presidente Michel Temer disse que a discussão ainda está aberta. "Por enquanto éburburinho. Vamos esperar o que vai acontecer nos próximos dias. Nós não examinamos esse assunto ainda. Evidentemente, a primeira ideia é sempre essa: não se deve aumentar tributo. Mas, por outro lado, há muitas vezes a necessidade – não estou dizendo que vamos fazer isso –, há necessidade de apoiar medidas de contenção", afirmou.
Os presidentes da Câmara e do Senado reagiram contra. "A solução é a retomada da confiança para a retomada da economia, não aumentar a carga tributária do contribuinte. Então, eu pessoalmente sou contrário à recriação da CPMF neste momento e acho pouco provável que tenha apoio na Casa.", disse Eduardo Cunha.
"Eu tenho muita preocupação com aumento de imposto, com aumento da carga. O Brasil não está preparado para voltar a conviver com isso. Nós estamos numa crise econômica, profunda, e qualquer movimento nessa direção pode agravar a crise", afirmou Renan Calheiros.
O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), defende a ideia. "Acho que tinha que ser uma contribuição social para a saúde vinculada constitucionalmente. (...) Estou com projeto prontinho, está no forno, e eu estou apenas avaliando, porque como eu sou do governo, para não dar ideia de que é o governo que está apresentando, mas é uma iniciativa que eu quero tomar nos próximos dias", declarou.
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) avalia como "absurda" a volta da CPMF porque aumenta custos e tira a competitividade. Segundo a entidade, o país precisa de corte nos gastos públicos para equilibrar as contas públicas e não de aumento de impostos.