Vídeo mostra ladrões atirando contra vigia em assalto a ótica no PR; veja


Trabalhador foi atingido no pescoço e nas costas e morreu, pouco depois.
Desarmado, ele tentou lutar com os dois criminosos que invadiram a loja.

Do G1 PR, com informações da RPC Maringá
Um vigia de 56 anos foi morto a tiros, nesta quinta-feira (24), ao reagir a um assalto a uma ótica no Centro de Sarandi, no norte do Paraná. Dois suspeitos do crime foram detidos, pouco depois - um de 20 anos e outro de 17.
Câmeras de segurança flagraram a ação dos ladrões (veja vídeo acima). Nas imagens, o vigia aparece sentado, quando dois homens entram na ótica e anunciam o assalto. O homem reage e tenta tirar a arma da mão de um dos bandidos.
Sem sucesso e desguarnecido, o trabalhador empurra um dos criminosos para fora da loja, mas é atingido por um tiro no pescoço pelo rapaz de 20 anos, segundo a Polícia Civil. O menor também atira contra as costas da vítima.
Já baleado, o vigia volta caminhando para a ótica, fala com alguns clientes e cai, em poucos segundos. Ele chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu sem chegar ao hospital.
Segundo a polícia, os dois suspeitos moram em Arapongas e podem ter participado de mais roubos em Sarandi. O adolescente foi apreendido e responderá por ato infracional; o maior segue preso da delegacia da cidade e foi indiciado por latrocínio (roubo seguido de morte).

Adolescente que tentou usar garrafas pet como boias morre afogado

Adolescente que tentou usar garrafas pet como boias morre afogado

Segundo os bombeiros, ele não sabia nadar e deixou garrafa escapar.
Acidente aconteceu nesta quinta (24) em represa da Região de Curitiba.

Do G1 PR, com informações da RPC

00:07
01:51
Um adolescente de 17 anos se afogou nesta quinta-feira (24) na Represa do Passaúna, emAraucária, na Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com os bombeiros, ele não sabia nadar e estava com um grupo de amigos quando resolver entrar na água usando garrafas pet como boias. Uma delas escapou, e ele acabou se afogando.(veja vídeo)
saiba mais

Quando os bombeiros chegaram ao local, o jovem já havia morrido. O corpo dele foi encontrado a 12 metros de profundidade, e diversas garrafas pet foram encontradas às margens da represa. Segundo os bombeiros, é proibido nadar no local – uma ocorrência que cresce em períodos de calor.
Apenas em setembro, foram registrados 18 casos de afogamentos em cavas e represas, com quatro mortes. Os bombeiros alertam que é perigoso nadar nestes locais.
“A pessoa desconhece onde ela está entrando, e isso é extremamente perigoso. Por exemplo, se ela mergulhar, aquele local tem mito galhos ela pode vir a ficar presa e não conseguir voltar para a superfície. Ela pode vir a sofrer um afogamento”, afirmou a tenente Rafaela Diotalevi.

Grupo armado rouba estacionamento na região central de Curitiba


Oito homens renderam um funcionário do local e levaram vários carros.
Polícia não ainda não prendeu nenhum suspeito.

Do G1 PR
Oito homens armados invadiram e assaltaram um estacionamento na tarde desta quinta-feira (24), no bairro Água Verde, em Curitiba. De acordo com a Polícia Militar, os ladrões levaram vários carros.
Segundo testemunhas, inicialmente três homens abordaram um motorista que ia parar o carro no estacionamento. Em seguida, eles anunciaram o assalto e os outros cinco criminosos chegaram.
Os ladrões renderam e amarraram o único funcionário do estacionamento, que fica em frente a uma casa noturna. A PM foi acionada e se deslocou até o local. Até a publicação desta reportagem, ninguém havia sido preso.

Polícia indicia duas pessoas por morte de casal em motel no Paraná


Foram indiciados Marcelo Choti e um homem que está foragido da Justiça.
André Silva e Gabriela Bernabe foram encontrados mortos em Paranavaí.

Luciane CordeiroDo G1 PR , em Paranavaí
Polícia Civil divulgou as causas das mortes de André e Gabriela (Foto: Reprodução RPC  Noroeste)André e Gabriela foram mortos no dia 4 de abril 
(Foto: Reprodução RPC Noroeste)
A Polícia Civil indiciou duas pessoas na conclusão do inquérito sobre a morte do casal encontrado em um motel de Paranavaí, no noroeste do Paraná. De acordo com o delegado-chefe Luiz Carlos Manica foram indiciados Marcelo de Oliveira Choti, que está preso na Casa de Custódia de Maringá, e mais um rapaz que esteve no motel com Marcelo no dia e na hora do crime.

André Perez Silva e Gabriela Cerci Bernabe foram encontrados mortos no dia 4 de abrilem um quarto de motel de Paranavaí. O laudo oficial do Instituto de Criminalística, divulgado pela Polícia Civil no dia 4 de setembro, revelou que Gabriela teve o pescoço quebrado após ser estuprada por Choti, e que André morreu por asfixia.

O inquérito foi enviado ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) e indicia os dois suspeitos por duplo homicídio e estupro seguido de morte. O órgão terá 15 dias para analisar a investigação e decidir se vai denunciar ou não os envolvidos.

“A participação de Choti no crime já foi definida. Ele é apontado como autor dos crimes em razão de exame DNA. Quanto ao outro indiciado, cabe ao MP-PR verificar o grau de culpa, pois já provamos que ele estava junto com Choti no motel e, embora não comprovado sua entrada no quarto do casal, de uma forma ou outra auxiliou para o trágico resultado da morte do casal”, explica o delegado Luiz Carlos Manica.
saiba mais

O segundo suspeito está foragido da Justiça e, por isso, a polícia não revelou o nome dele. Ainda conforme a Polícia Civil, Marcelo Choti não tem advogado constituído, e informou que só vai prestar depoimento sobre o caso na presença de um juiz.
Investigações concluídas
Para a polícia, Choti, aparentemente, escolheu as vítimas aleatoriamente para roubá-las. No entanto, não se descobriu porque o suspeito resolveu matar Gabriela e André. No início de setembro, o preso disse ao delegado Carlos Henrique Rossatto Gomes que esteve no motel no dia do crime, mas não deu detalhes do que foi fazer lá.

A polícia também não detalhou o que aconteceu dentro do quarto onde os jovens foram mortos. As investigações mostraram que o suspeito invadiu a suíte onde ocorreu o crime assim que o casal estacionou o veículo na garagem do quarto. Pouco mais de uma hora depois, ele fugiu do motel com ajuda do segundo suspeito.

“O segundo indiciado vai ter que explicar porque foi ao motel junto com Choti. O fato não é comum. Queremos saber porque ele [segundo suspeito] não procurou a polícia logo após descobrir a morte do casal. Porque fugiu após dias de investigação e logo após a polícia descobrir em imagens internas sua entrada e saída. Porque apenas depois de longos 50 dias esse suspeito resolveu delatar que Choti estava em sua companhia. Agora, a Justiça vai avaliar sua conduta nos fatos”, pontua o delegado-chefe Luiz Manica.

O crime
Gabriela e André foram encontrados mortos em um motel de Paranavaí no dia 4 de abril. Segundo as investigações, os jovens saíram de uma boate da cidade na madrugada daquele dia e foram até o motel por volta das 4h.

Como os dois não apareceram em casa, as famílias procuraram a polícia e registraram Boletim de Ocorrência sobre os desaparecimentos. Pouco tempo depois, os dois foram encontrados mortos deitados na cama de um dos quartos do motel.

'Pensei que ia morrer', diz turista carioca estuprada em Natal

24/09/2015 13h40 - Atualizado em 24/09/2015 16h31


Crime aconteceu na noite desta quarta-feira (23) no bairro de Ponta Negra.
Vítima disse que o criminoso, armado com revólver, a levou para um matagal.

Do G1 RN
Uma turista carioca que foi estuprada na noite desta quarta-feira (23) no bairro Ponta Negra, em Natal, disse que chegou a pensar que morreria. "Eu pensei que eu já estaria morta e que não ia mais voltar para o Rio. Eu pensei que depois daquilo tudo eu ia morrer", afirmou. (veja vídeo)
A turista estava em Natal há uma semana e ia para uma boate em Ponta Negra, na Zona Sul da capital potiguar, quando foi abordada por um homem. Armado, ele a rendeu e a levou para um matagal, onde a violentou.
Rua do Salsa é muito frequentada por estrangeiros que visitam Natal (Foto: Muriu Mesquita/Inter TV Cabugi)Boate para onde a turista estava indo fica na
chamada Rua do Salsa, uma das mais badaladas
da região (Foto: Muriu Mesquita/Inter TV Cabugi)
"Ele não me segurou, só mostrou a arma e falou para eu andar do lado dele, fingir ser namorada dele e continuar andando tranquila. Ele foi me levando até o campo, me ameaçando o tempo todo, para que eu não tivesse nenhuma atitude suspeita", disse a turista.
O crime
Segundo boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Plantão da Zona Sul, a jovem conta que o crime aconteceu por volta das 23h, nas proximidades da Rua do Salsa, uma das regiões mais badaladas de Ponta Negra.
É no bairro, que possui uma das maiores concentrações de bares e restaurantes da cidade, onde também está o famoso Morro do Careca, considerado o principal cartão-postal de Natal. 
A turista disse que estava a pé, pois a pousada onde está hospedada fica a poucos quarteirões da boate. Ainda de acordo com o relato da vítima, o criminoso se aproximou e a conduziu até uma região de mata fechada que fica por trás da pousada, local onde ocorreu o crime.
A mulher ainda relatou que o criminoso usava cavanhaque, é magro e que tem pouco mais de 1,70 m de altura. E que após o estupro, ele ainda levou o aparelho celular dela. A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) investigará o caso.

Mãe perde guarda dos filhos após queimar criança com garfo quente


Menino de quatro anos de idade sofreu queimadura no rosto.
Ele e a irmã foram encaminhados à casa de parentes; mãe foi liberada.

Do G1 PE
Uma mulher de 25 anos perdeu a guarda dos dois filhos nesta quarta-feira (24), após confessar à polícia que usou um garfo quente para punir uma das crianças, de quatro anos de idade. Os policiais foram até a casa dela após denúncias de vizinhos, que dizem ter ouvido sons de chutes e agressões vindos de dentro da casa, em Olinda.
“Ela pegou um garfo e esquentou no fogo para punir o menino porque ele estava fazendo algo que ela não gostava”, contou a delegada responsável pelo caso, Ana Elisa Sobreira. A mulher confirmou as denúncias dos vizinhos e disse considerar normal punir dessa forma. “Ela acha que a atitude dela é normal, tanto é que ela disse que fez isso sem o menor problema”, continua a delegada.
O caso foi levado para a Delegacia de Polícia da Criança e do Adolescente de Paulista. Ainda segundo Ana Elisa Sobreira, a mulher vai responder em liberdade porque não houve flagrante. Os menores serão ouvidas pelo Conselho Tutelar. Além do menino de quatro anos, a mulher tem uma filha, de um ano e oito meses. Os dois foram encaminhadas à casa de parentes.
O pai das crianças não estava em casa no momento. Ele é reeducando e cumpre pena com base na Lei Maria da Penha, por agredir a esposa.