Deputado do PSDB defende afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Câmara


Ele é o primeiro tucano que pede publicamente a saída do peemedebista, que é alvo de denúncia de corrupção

RICARDO DELLA COLETTA E THIAGO BRONZATTO
29/09/2015 - 18h03 - Atualizado 29/09/2015 19h43
 A bancada do PSDB na Câmara, que atua próxima ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), teve hoje seu primeiro representante que defendeu publicamente o afastamento do peemedebista do comando da Casa. O novo pedido foi feito pelo deputado Betinho Gomes (PSDB-PE).(veja vídeo)
Cunha foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por envolvimento no escândalo da Petrobras. Ontem, sofreu um novo revés: João Henriques, lobista ligado ao PMDB, disse à Polícia Federal que abriu uma conta na Suíça para repassar propina a Cunha. O presidente da Câmara nega as acusações.
"As últimas denúncias são de extrema gravidade", disse Betinho Gomes. "No nosso entendimento é importante que o presidente da Câmara se afaste para que se possa apurar com mais tranquilidade", disse o tucano.  
O deputado Betinho Gomes (Foto: Reprodução)

Sabrina Candreva, musa do São Paulo, é eleita a Bela da Torcida 2015


Do UOL, em São Paulo

Ampliar

Veja imagens da final do concurso Belas da Torcida 201517 fotos

3 / 17
Sabrina Candreva, representante do São Paulo, desfila na final do Belas da Torcida 2015 Júnior Lago/UOL
Sabrina Candreva, musa do São Paulo foi a grande vencedora do Belas da Torcida de 2015. A final foi disputada com um clássico, contra a corintiana Kely Rosângela Machado, que ficou com o segundo lugar, seguida por Jamila Sandora, do Vasco. Em 2014, Nívea Kalmar, também do São Paulo também foi a campeã. 
"Pensei que não fosse ter chances, porque tinham muitas candidatas, mas depois que fiquei de mais votada, me deu esperança. Sempre tive vontade e dessa vez eu me inscrevi", comentou a vencedora. 
A campeã foi eleita pelos jurados MC Guimé, Babi Rossi, Morango, Christian Pior e o editor do UOL Esporte, Vinícius Mesquita, que presenciaram ao vivo os desfiles. O evento de escolha da Bela 2015 foi apresentado por João Kléber.

O primeiro desafio das Belas foi com vestido de gala

Polícia encontra jornalista que estava sumido, foi encontrado no centro de BH

Renato Soares foi achado no Centro de Belo Horizonte.
Ex-repórter da TV Globo Minas, ele trabalha atualmente na Record.

Do G1 MG
Família diz que repórter Renato Soares foi visto pela última vez neste domingo (Foto: Arquivo Pessoal)Renato Soares foi achado no Centro de Belo Horizonte
(Foto: Arquivo Pessoal)
A Polícia Civil informou que o jornalista Renato Soares, de 31 anos, que estava desaparecido, foi encontrado nesta terça-feira (29) no Centro de Belo Horizonte. Ele estava sumido desde o domingo.
Segundo o delegado Thiago Saraiva, Soares foi achado debilitado, mas fisicamente está bem. “Ele agora precisa descansar, reidratar e seguir a vida”, disse. Ainda de acordo com o delegado, ele apresenta um quadro de depressão. Soares já está em casa com a família.
Ele foi localizado em ação da polícia e de parentes, segundo Saraiva.
De acordo com parentes, Soares havia sido visto pela última vez na Região Centro-Sul, da capital mineira. Ex-repórter da TV Globo Minas, ele trabalha atualmente na Record.
Os pais de Renato Soares haviam sido avisados sobre o desaparecimento, nesta segunda-feira (28), pelo amigo que divide apartamento com o jornalista. Em seguida, eles seguiram de Curvelo, cidade da Região Central de Minas, para Belo Horizonte.
Segundo Cássia Soares e Silva, irmã do repórter, ainda nesta segunda, a família procurou a Polícia Civil e registrou um boletim de ocorrência.
Cássia também contou que o repórter estava de bermuda, camiseta e chinelo quando sumiu.
Após divulgar o desaparecimento nas redes sociais, muitos belo-horizontinos compartilharam a informação durante todo o dia. A mobilização pela internet e da polícia surtiu efeito, e, na noite desta terça-feira, ele foi localizado

Heloisa Helena se filia ao Rede Sustentabilidade de Marina Silva


Heloisa Helena concorreu à presidência em 2006 e deixou o PSOL para integrar o novo partido

REDAÇÃO ÉPOCA
29/09/2015 - 18h23 - Atualizado 29/09/2015 18h30
A ex-senadora – e atual vereadora por Maceió- Heloisa Helena se filiou ao Rede Sustentabilidade, o partido de Marina Silvana sexta-feira (25). Heloisa, que estava no PSOL, ajudou a criar o novo partido. A informação foi confirmado pelo G1 junto à assessoria da vereadora nesta terça-feira (29).
>> PSB e Rede ensaiam união nas eleições municipais de 2016

“Sabemos que milhares de honrados lutadores sociais estão sem partido ou em outros partidos ou de coração partido, mas a construção da Rede nasce também para acolher os que insistem em não perder a esperança! Rede sim!! Porque Marina merece e o Brasil precisa!”, disse Heloisa pelo Facebook.

>>Rede, de Marina Silva, condiciona ‘voz e voto’ a contribuições de filiados
>> TSE autoriza criação do Rede Sustentabilidade, partido fundado por Marina Silva
Heloisa Helena - o anúncio está no Facebook (Foto: Reprodução)

Heloisa Helena foi candidata à presidência da República em 2006. Terminou a disputa como o terceiro nome mais votado, com 6.575.393 votos nominais. Já o partido que ajudou a criar, o Rede Sustentabilidade, foi aprovado pelo TSE na semana passada, no dia 22 de setembro. Marina Silva e seus apoiadores tentaram aprovar a criação do partido ainda em 2013, a tempo de disputar a presidência. Na ocasião, não conseguiram o número de assinaturas exigido por lei. Em maio deste ano, Marina apresentou outras 56,1 mil assinaturas, somando apoio de 498 mil eleitores, acima do exigido atualmente (486,6 mil eleitores).

Obama e Raúl Castro se reúnem e defendem fim do embargo entre EUA e Cuba


Decisão está nas mãos do Congresso americano, com o qual o presidente Obama prometeu a cubanos a negociar

REDAÇÃO ÉPOCA
29/09/2015 - 19h19 - Atualizado 29/09/2015 19h20
Raúl Castro e Barack Obama no primeiro encontro entre presidentes de Cuba e EUA após relações serem reatadas (Foto: AP)
Barack Obama e Raúl Castro, presidentes dos Estados Unidos e de Cuba, encontraram-se nesta terça-feira (29) na sede da Organização das Nações Unidas (ONU). É a primeira vez que chefes de estado têm uma reunião bilateral desde que as embaixadas em Washington e Havana foram abertas, em julho, após 50 anos sem relações entre os países. Na conversa, o líder cubano pediu ao americano para que o embargo econômico seja suspenso.
"O presidente cubano reiterou que, para que haja relações normais entre Cuba e Estados Unidos, deve ser levantado o bloqueio que causa danos e privações ao povo cubano. O ritmo do processo de normalização das relações bilaterais dependerá da suspensão do bloqueio, que a realidade do bloqueio seja modificada substancialmente mediante as amplas faculdades que o presidente dos Estados Unidos tem", afirmou Bruno Rodríguez, chanceler cubano, em trecho relatado pelo G1.
A decisão não está nas mãos de Obama, mas do Congresso americano. "O presidente dos Estados Unidos se comprometeu a se envolver em um debate com o Congresso", disse Rodríguez. Em público, pelo menos, Obama já fez a parte dele: defendeu em discurso na Assembleia Geral da ONU que o bloqueio seja suspenso e recebeu aplausos dos representantes dos países presentes.

Zico convoca ex-consultor de Serra e Aécio para coordenar campanha à Fifa


Entenda como o ex-jogador quer mobilizar o público e o mercado esportivo para conseguir mudanças na estrutura da federação

RODRIGO CAPELO
29/09/2015 - 17h32 - Atualizado 29/09/2015 18h23
Zico, pré-candidato à presidência da Fifa, e Rafael Oliveira, coordenador da campanha (Foto: Reprodução / Facebook)
Pré-candidato à presidência da FifaZico escolheu como coordenador Rafael Oliveira, designer que trabalhou nas campanhas de José Serra (PSDB) a governador em 2010 e Aécio Neves (PSDB) a presidente em 2014. O papel dele no esporte será similar ao que teve na política: vai usar redes sociais para mobilizar torcedores e profissionais do esporte, sobretudo atletas, em torno das propostas defendidas pelo ex-jogador para reformar a federação. A base da estratégia é colocar o público para induzir mudanças na estrutura da Fifa.
O maior problema de Zico é que o sistema eleitoral da Fifadificulta a chegada de novos líderes. Alguém que queira ser presidente precisa (1) ter papel ativo na gestão do futebol por pelo menos dois dos últimos cinco anos; (2) ser apresentado formalmente por uma das 209 federações; e (3) ter apoio público de pelo menos cinco membros, que só podem apoiar um candidato – apoiar dois resulta na invalidação do apoio. Este modelo faz com que federações, por receio de represálias políticas e financeiras, não se arrisquem a indicar um rival para Joseph Blatter em público. O voto nas eleições é secreto, mas candidatos nem chegam ao pleito. O cartolão suíço só teve concorrente duas vezes em cinco eleições por causa deste sistema.
"O Zico colocou que, se for para fazermos uma campanha tradicional, que tente ganhar votos pelo trâmite exclusivo dos gabinetes, nunca vai ser realmente o Zico. Os gabinetes estão vinculados a um modelo de negócios e de organização que o Zicocontraria. Ele não vai ligar na federação para oferecer presente. Não vai ligar para dirigente para negociar apoio. O que ele pensa é que enquanto o modelo da Fifa for piramidal e escondido haverá o palco perfeito para a corrupção", explica Oliveira em entrevista a ÉPOCA.
A proposta do Galinho é que, um dia, torcedores possam votar para presidente da Fifa em um modelo de sócio-torcedor. O peso deste voto, a maneira como a eleição ocorreria, entre outros detalhes, ainda precisam ser pensados. A inclusão de outros agentes do mercado nas eleições, como atletas, técnicos e médicos, também é tida como prioridade. Zico acredita que, se um novo sistema eleitoral fosse implementado, mais dinheiro, inclusive, poderia entrar no futebol. "As marcas não querem se aproximar porque tem um caso de corrupção atrás do outro. Ao quebrar isso, a Fifa passaria a ter novos negócios e novos mercados e teria como chancela uma marca de credibilidade, a doZico", conta o coordenador da campanha.
O que distingue a campanha de Zico das feitas por Serra e Aécio é que, no caso dos tucanos, a mobilização terminou depois que eles foram eleitos, ou não, no pleito. O ex-jogador, que tem como prazo para emplacar sua candidatura na Fifa até 26 de outubro, vai manter a mobilização no ar mesmo se não conseguir. "O que está em jogo é a campanha do Zico, mas a derrota se a candidatura dele não for aceita será da Fifa. Se houver uma mobilização mundial que envolva torcedores e jogadores defendendo mudanças, mas ela não puder seguir em frente por causa de um modelo eleitoral, quem fica em xeque é a própria organização", explica Oliveira. A partir desta sexta-feira (2), com um novo site para a campanha no ar, a expectativa do coordenador é que os apoios públicos de personalidades do futebol comecem a ser veiculados nas redes sociais.
Participam da campanha de Zico, além de Oliveira, a empresa AM4, responsável pelo novo site, a assessoria de imprensa Approach e o designer gráfico Hans Donner, que fez o logo. Todos são voluntários, isto é, não recebem nada pelo trabalho, segundo o coordenador.
Logo da campanha de Zico à Fifa feito por Hans Donner (Foto: Reprodução / YouTube)
+

'PR fez o lobby', diz ministro de Lula a executivo da Odebrecht em e-mail


Empreiteira é acusada de envolvimento nas fraudes investigadas na Lava Jato.
Documento da PF mostra possível lobby de Lula para a empresa.

Do G1 PR
Um relatório da Polícia Federal (PF), anexado à ação penal envolvendo a Odebrecht na Operação Lava Jato, mostra trocas de e-mails entre executivos da empreiteira e também com o então ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Miguel Jorge, na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2009.(veja vídeo)
Em uma delas, Miguel Jorge diz que "o PR fez o lobby" para a empresa em uma obra na Namíbia. A Polícia Federal acredita que "PR" era a sigla para Presidente da República. (veja o conteúdo das mensagens abaixo)
saiba mais

Odebrecht é acusada de participar do chamado clube de empreiteiras, que combinava as empresas que seriam vencedoras de licitações abertas pela Petrobras.
O presidente da holding, Marcelo Odebrecht, está preso desde 19 de junho, quando foi realizada a 14ª fase da Lava Jato, que prendeu executivos suspeitos de participação no esquema de corrupção na estatal.
Na sexta-feira (25), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) no qual concorda com pedido da PF para que Lula e ex-ministros do governo dele sejam ouvidos na Lava Jato como testemunhas.
Em nota, o Instituto Lula destacou a "legalidade e a lisura da conduta de Lula". A Odebrecht afirmou que "a troca de e-mails registra uma atuação institucional legítima". O ex-ministro Miguel Jorge disse considerar "uma obrigação funcional e do ministro vender os interesses da empresa brasileira num mercado internacional altamente competitivo".
Mensagens
Uma das mensagens que consta no relatório da PF é entre Miguel Jorge e Marcos Wilson, executivo da Odebrecht. No e-mail, o então ministro diz que esteve com "PR" e que foi feito o "lobby" para a empresa em uma obra no segmento hidrelétrico na Namíbia, na África.

“estive e o PR fez o lobby
aliás, o PR da Namíbia é quem começou – disse que será licitação, mas que torce muito para que os brasileiros ganhem, o que é meio caminho andado”, diz o e-mail.
Executivo da Odebrecht trocou email com ex-ministro do governo Lula (Foto: Reprodução)Executivo da Odebrecht trocou email com ex-ministro do governo Lula (Foto: Reprodução)
Segundo o relatório, a mensagem foi encaminhada por Marcos Wilson a Marcelo Odebrecht. Antes, Wilson tinha enviado um e-mail a Miguel Jorge explicitando o projeto.

“Miguel, se você estiver hoje com os presidentes Lula e o da Namíbia, é importante que esteja informado sobre esta negociação e, se houver oportunidade manifestar sua confiança na capacidade desta multinacional brasileira chamada Odebrecht”.
Convite
Outra troca de e-mail, desta vez entre Marcelo Odebrecht e a secretária dele, cita um convite do ex-presidente Lula ao presidente da holding.

“Marcelo,
O Presidente Lula está lhe fazendo um convite para participar de um almoço com o Presidente da Namíbia, no dia 11/02 (quarta-feira), às 13h, Itamaraty, Salão Brasília”.