Homem mata a esposa a facadas dentro de casa e comete suicídio em seguida, em SP


Paulo Roberto cometeu suicídio após matar a esposa, Elisângela Foto: Reprodução / Facebook
Breno Boechat
Tamanho do texto A A A
Uma mulher foi encontrada morta, dentro de casa, nesta quinta-feira, em Aricanduva, bairro da Zona Leste de São Paulo. De acordo com a polícia, a analista financeira Elisângela Cristiane Biffi, de 38 anos, foi morta a facadas pelo marido, Paulo Roberto Pereira, de 45, que cometeu suicídio em seguida. Os corpos dos dois só foram encontrados no dia seguinte, depois que a motorista que realiza o transporte escolar dos filhos do casal chegou para buscá-los e viu o corpo de Paulo Roberto na garagem. Os dois eram casados há 17 anos.
Os dois meninos, de 9 e 13 anos, não estavam em casa. Eles haviam sido levados pelo casal para dormir na casa de um amigo. Segundo a polícia, o corpo de Elisângela foi encontrado na cozinha do imóvel, próximo à faca usada no crime, e havia sinais de briga pela casa. Elisângela era lutadora de karatê e foi encontrada com marcas de luta física no corpo. Antes de se matar, Paulo Roberto deixou uma mensagem na mesa da cozinha.
Elisângela tinha sinais de agressão pelo corpo
Elisângela tinha sinais de agressão pelo corpo Foto: Reprodução / Facebook
Vizinhos contaram à polícia que o casal tinha um histórico de brigas. De fato, três boletins de ocorrência envolvendo a dupla já haviam sido registrados. Há três meses, Elisângela prestou queixa por agressão contra o marido. Em 2007 e 2014, Paulo foi à delegacia para registrar ocorrência contra a esposa, por lesão corporal.
Os corpos do casal foram encaminhados para o Instituto Médico Legal. Ainda não há informações sobre o enterro dos dois. No Facebook, parentes e amigos lamentaram o ocorrido. “Difícil acreditar que isso é verdade. Que essa tragédia aconteceu , que você se foi assim brutalmente... Vai ficar um vazio em todas nós. Descanse em paz, Eli”, escreveu uma amiga da analista financeira.
Casal estava junto há 17 anos
Casal estava junto há 17 anos Foto: Reprodução / Facebook
Elisângela foi mora na cozinha da casa onde morava
Elisângela foi mora na cozinha da casa onde morava Foto: Reprodução / Facebook


Novo ministro quer CPMF permanente e com repasse para a Saúde


Marcelo Castro (PMDB-PI) foi escolhido por Dilma para comandar Saúde.
Ele quer CPMF com bitributação e recursos para estados e municípios.

Nathalia Passarinho, Filipe Matoso e Laís Alegretti *Do G1, em Brasília
Logo após ser anunciado como novo ministro da Saúde, o deputado Marcelo Castro (PMDB), defendeu nesta sexta-feira (2) a volta da CPMF com alíquota de 0,2%, cobrada no débito e no crédito, e repasses tanto para a Previdência Social quanto para a Saúde. Pela proposta de Castro, o imposto sobre movimentação financeira será permanente, ou seja, sem prazo para ser extinto, e os recursos deverão ser compartilhados entre União, estados e municípios.
Integrante da bancada do PMDB na Câmara, Marcelo Castro vai substituir o petista Arthur Chioro no comando da pasta mais cobiçada e com maior Orçamento da Esplanada. A troca foi anunciadapela presidente Dilma Rousseff nesta sexta, como parte da reforma ministerial.
A volta da CPMF é a principal medida do pacote de ajuste fiscal do governo, já que responde por metade dos R$ 64 bilhões que a equipe econômica pretende obter com os cortes de gastos e aumento de impostos. Mas propostaenviada pelo governo para o Congressoprevê alíquota de 0,2% e recursos destinados somente para a União custear a Previdência Social.

Para Castro, parte do dinheiro precisa ir para a Saúde, para que Congresso e população se convençam da necessidade do tributo. "Esperamos que o PMDB e todos os partidos que querem salvar a saúde [apoiem a volta da CPMF]", disse.

Pela ideia do novo ministro, 50% dos recursos arrecadados com a CPMF iria para a União arcar com gastos da Previdência Social. Os outros 50% iriam para a área da Saúde, sendo 25% para estados e 25% para municípios. A alíquota seria mantida em 0,2%, mas tanto quem fizer a operação financeira quanto quem receber os recursos provenientes dessa operação terão que pagar o percentual sobre o dinheiro movimentado.

"O que estou propondo é engenhosos e simples. Não vamos aumentar alíquota e vamos dividir com estados e municípios. Ficaria assim: tudo do que for arrecadado da CPMF 50% para a seguridade social do governo e 50% para a saúde—25% para os estados e 25% para os municípios. Para sermos merecedores desse sacrifício temos que melhorar a gestão e mostrar que estamos cuidando de cada centavo", disse Castro.
 
saiba mais

De acordo com o novo ministro, o governo vai arrecadar o dobro de recursos com a bitributação cobrada do contribuinte.
"Como vamos arrecadar o dobro com a mesma alíquota? Cobrando no débito e no crédito. O raciocínio é: João dá R$ 1 mil a Pedro. Pedro vai no banco e compensa o cheque. O cheque vai para a conta de Pedro. Entram, então, no débito de João, R$ 1002 (R$ 1000 para Pedro e R$ 2 para a CPMF). E na conta de Pedro não vão entrar R$ 1 mil, vão entrar R$ 998, porque R$ 2 também vão para a CPMF", exemplificou.
Castro também defendeu que o imposto não tenha prazo para ser extinto. Pela proposta do governo, a CPMF duraria até quatro anos.
"O meu ponto de vista, mas esta não é a tese do governo, é que isso [CPMF] seja permanente. O imposto da CPMF - e eu não sou professor tributário, sou médico psiquiatra – preenche as características do bom imposto. A CPMF preenche os requisitos, porque tem baixa alíquota, tem ampla base arrecadatória, arrecada grandes volumes, é insonegável e o governo tem gasto zero na sua arrecadação".
* Colaborou Alexandro Martello, do G1, em Brasília
Novo ministério (Foto: Reprodução)

Vídeo mostra ação de homem que salvou PM em tiroteio com 2 mortos

02/10/2015 20h00 - Atualizado em 02/10/2015 20h16


Em tentativa de assalto, homem pegou arma de PM e matou criminoso.
Um policial militar também morreu e outro ficou ferido; 1 bandido fugiu.

Do G1 Rio
Parte da ação heroica de um homem que passava pela Avenida Marechal Fontenele, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio, foi filmada por uma testemunha na manhã desta sexta-feira (2). As imagens, exibidas no RJTV, mostram um policial militar, que havia sido ferido por criminosos durante assalto, rastejando no asfalto. O homem, protegido atrás de um carro, faz disparos contra os bandidos usando a arma do policial que estava no chão e mata um deles.(veja vídeo)
saiba mais

A atitude permitiu que o PM ferido fosse levado para um hospital. Bombeiros do quartel de Campinho foram acionados e, segundo a corporação, o policial ferido, cabo Antônio Carlos Dias Leite, foi socorrido e levado para o Hospital Albert Schweitzer. Segundo a direção da unidade, o paciente apresenta estado de saúde estável.
“Ele viu os policias atingidos, pegou a arma de um deles e atirou contra um dos dois criminosos. Além disso, ele socorreu o policial e ficou para prestar depoimento. Esse comportamento dele nos aponta boa fé e uma atitude bem legal no que diz respeito a população. Ele atuou com heroísmo”, disse o delegado Rivaldo Barbosa, da Divisão de Homicídios (DH).
Um colega do PM baleado, o sargento Marcelo de Morais, também foi atingido, na cabeça e na barriga, e morreu na hora. Ele fazia parte do Grupo de Ações Táticas (GAT) do Batalhão de Olaria, considerada a elite da tropa. Um criminoso conseguiu fugir.
O homem que matou o bandido prestou um depoimento de duas horas na DH e está sendo tratado pelos investigadores como testemunha.

De acordo com informações do 14 BPMº (Bangu), os agentes estavam em uma motocicleta indo para um curso no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap) quando foram surpreendidos pelos criminosos, que também estavam em uma motocicleta.

Prefeito de Elias Fausto pode ter sido vítima de 'emboscada', afirma SSP


Secretário de Segurança Pública diz que essa é principal suspeita do crime.
Caso será investigado pela DIG de Piracicaba; Laércio Betarelli levou 5 tiros.

Do G1 Piracicaba e Região
Prefeito de Elias Fausto morreu baleado nesta sexta-feira (Foto: Reprodução)Prefeito de Elias Fausto, Laércio Betarelli, morreu
baleado (Foto: Reprodução/Propaganda eleitoral)
O prefeito de Elias Fausto (SP), Laércio Betarelli (PSDB), morto a tiros na manhã desta sexta-feira (2) ao visitar uma obra na cidade, pode ter sido vítima de uma emboscada, segundo a Secretária de Segurança Pública (SSP).(veja vídeos)
O titular da pasta, Alexandre de Moraes, afirmou em Piracicaba (SP), para onde o corpo do político foi levado, que "a cena do crime e o modo como foi realizado indicam para uma execução, uma emboscada de algum desafeto".
Betarelli tinha 58 anos e foi assassinado por volta das 9h na Rua Amadeu Patelli, no bairro Carimã. O corpo foi retirado do local e levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Piracicaba.
“Assim que nós soubemos do homicídio, determinamos que fosse providenciado todo o apoio da (Delegacia) Seccional e do Deinter (Departamento de Polícia Judiciária). O IML também providenciou a necropsia para acelerar a investigação. O prefeito foi morto com seis tiros", afirmou.
Alexandre de Moraes, secretário de Segurança Pública de São Paulo (Foto: Claudia Assencio/G1)Alexandre de Moraes, da SSP, fala sobre morte
de Laércio Betarelli (Foto: Claudia Assencio/G1)
Emboscada
Ainda segundo o secretário, uma das testemunhas disse que viu que uma pessoa aguardava em cima de uma árvore, pulou no chão e disparou. "Tudo indica que o assassino estava esperando o prefeito para executá-lo, porque era hábito dele visitar obras nesse horário”.
A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) vai comandar a apuração do caso. "Solicitamos imagens do perímetro, vamos analisar os projéteis que foram recolhidos. Eram de calibre 38. Preservamos o máximo de provas para identificar o assassino ou os assassinos", afirmou Moraes.
De acordo com a Guarda Municipal, Betarelli estava no bairro Carimã para visitar uma obra de canalização de um córrego. A corporação informou ainda que maior parte do efetivo estava fora da cidade, em um curso na cidade de Capivari (SP).
Moradores cercaram corpo do prefeito de Elias Fausto, Laércio Betarelli (Foto: Reprodução/ EPTV)Moradores cercaram corpo do prefeito de Elias Fausto, Laércio Betarelli (Foto: Reprodução/ EPTV)
Embate com delegado
Na terça-feira (22), durante um evento em Piracicaba (SP), o prefeito de Elias Fausto pediu publicamente a retirada do delegado da Polícia Civil do município, Gillis Scrocca, durante uma visita do secretário de Segurança Pública à região. "Ele é omisso, inoperante e ausente", disse Betarelli durante a reunião (veja o vídeo abaixo).
O titular da delegacia alegou na ocasião que as declarações do prefeito não passavam de manobra política. "Ele não quer que eu permaneça no cargo até as próximas eleições. Faz nove anos que estou lá e já cumpri mandados de prisão contra funcionários da alta cúpula da gestão dele", disse Scrocca na ocasião.

Segundo a Câmara de Vereadores, o prefeito participou, na quinta-feira (1), de uma reunião com parlamentares e o secretário de Segurança Pública em São Paulo para discutir uma possível troca do titular da Polícia Civil da cidade.

Nesta sexta-feira, o delegado do município esteve no local onde Betarelli foi assassinado e afirmou que, apesar dos problemas de relacionamento e conflitos que teve durante a gestão do chefe do Executivo, isso não vai interferir na investigação para descobrir o autor do crime.
O secretário de Segurança Pública do estado disse não haver suspeitas contra Scrocca. “Não acreditamos em envolvimento do delegado. O prefeito e o delegado da cidade são desafetos políticos desde 2007. O prefeito inclusive colocou isso pra mim durante a reunião, mas em nenhum momento ele disse que foi ameaçado”, afirmou.
Processo
Outra polêmica recente na carreira política de Betarelli é um processo que ele respondia por improbidade administrativa. No final de 2014, a 5ª Câmara de Direito Público do estado de São Paulo negou recurso à defesa do prefeito. A ação já não aceitava mais recursos na instância estadual, e só poderia ser questionada em Brasília.
Em 2013, o chefe ele havia sido condenado em primeira instância na ação, que prevê pagamento de multa, ressarcimento de valores aos cofres municipais e perda de função pública. No entanto, Betarelli recorreu com embargos de declaração para tentar reverter a decisão, o que foi negado pela Justiça.
O processo teve início em 2008. Betarelli era o prefeito e o Ministério Público apresentou, tanto à Justiça Eleitoral como à comum, denúncia de que a Prefeitura teria pagado por propaganda irregular em prol de candidatura à reeleição do chefe do Executivo.
A defesa do prefeito de Elias Fausto no processo informou que já tinha recorreu da sentença e que confia na absolvição. Segundo o advogado, Betarelli já havia sido absolvido das mesmas acusações na Justiça Eleitoral e as ações apontadas pelo Ministério Público não configuram improbidade administrativa.
Luto
O vice-prefeito Joaquim Antonio de Campos Bicudo decretou, nesta tarde, luto oficial na cidade durante sete dias. As atividades e atendimentos em serviços municipais foram suspensos nesta sexta e permanecerão parados também durante toda a próxima segunda-feira (5). A retomada ocorrerá na terça-feira (6), mas ainda sob o luto oficial, segundo a Prefeitura.
 Vida
Laércio Betarelli, conhecido como Dude, nasceu no dia 13 de fevereiro de 1957, em Monte Mor (SP). Em 2012, o tucano foi eleito para seu terceiro mandato com 67% dos votos. Ele deixa a esposa Marina Arakaki e dois filhos. Na infância, estudou durante o ensino médio e fundamental em duas escolas de Elias Fausto.

Laércio fez colégio técnico em bioquímica em Campinas (SP) e se formou em Engenharia Civil na Pontfícia Universidade Católica de Campinas (Puc-Campinas) . Ele também foi professor de estatística e física em dois colégios da cidade. 

De 1982 a 1992 e de 2001 a 2004 ele trabalhou como responsável pelo departamento de Obras da Prefeitura de Elias Fausto. Dude já foi vereador de 1989 a 1992 e presidente da Casa em 1991 e 1992.

O tucano já foi eleito prefeito de Elias Fausto em outros dois mandatos, entre 1997 e 2000, e de 2005 a 2008. Dude também atuou como chefe de gabinete da Prefeitura de Monte Mor (SP) de janeiro de 2009 a março de 2012, quando se candidatou novamente à chefia do Executivo e foi eleito com 6,7 mil votos.

‘Processo é nulo’, diz Pessuti


pessuti - pmdb2
O ex-governador Orlando Pessuti disse há pouco que vai recorrer dadecisão da comissão de ética do PMDB que pretende expulsá-lo do partido.”Eu nem sequer tenho conhecimento da existência deste processo, não fui notificado, não tive direito à defesa, portanto é totalmente nulo”, garante Pessuti que está reunindo com seus advogados.
Pessuti disse que vai recorrer à própria comissão de ética e, se for o caso, à Justiça contra a decisão. O ex-governador afirma desconhecer este novo processo. Segundo ele, um outro processo anterior aberto em outubro, por infidelidade partidária, pelo grupo do senador Roberto Requião, foi suspenso judicialmente.

Agenda indica encontro com ministro ligado a ex-presidente


Foto: Marcelo Camargo – Agência Brasil
gilberto_carvalho_2 foto marcelo camargo agencia brasil
Andreza Matais e Fábio Fabrini, O Estado de S. Paulo
O ex-ministro Gilberto Carvalho, que assessorava o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto, teria se reunido com representantes das montadoras para tratar dos incentivos fiscais quatro dias antes da edição da MP 471. Um encontro consta de uma agenda do lobista Alexandre Paes dos Santos, que atuava em conjunto com a Secretaria-Geral da Presidência, uma das empresas de lobby envolvidas na negociação. APS, como é conhecido, tem ligações com a ex-ministra Erenice Guerra, que era secretária executiva da Casa Civil na época das tratativas.
As anotações, obtidas pelo Estado, registram valores e regras dos contratos de lobby, além de nomes de executivos que teriam participado das negociações para viabilizar a MP. Numa das páginas está registrado um “café” com “Gilberto Carvalho” em “16/11/2009”.
Procurado, o ex-ministro não se pronunciou ontem. A defesa de Paes dos Santos afirmou que seu cliente soube da reunião, à época, mas não participou dela. Ele não informou quem esteve no suposto encontro.
Os contratos com as montadoras estabelecem o pagamento de “honorários de êxito” em caso de “edição de ato normativo” prorrogando benefícios para as montadoras. Os documentos descrevem as parcelas a serem pagas aos lobistas conforme o sucesso da empreitada e o tempo de vigência da MP.

Novos emails apontam lobby de Lula a Andrade Gutierrez com Maduro na Venezuela


unnamed
E-mails de executivos da cúpula da Andrade Gutierrez, apreendidos na sede da empresa, agora juntados aos autos da Operação Lava Jato, revelam que o grupo buscou apoio do ex-presidente Lula (PT) para intervir em negócios na Venezuela. Às 12h13 do dia 20 de março de 2014, Sérgio Lins Andrade, dono da Andrade Gutierrez, escreveu para Otávio Marques de Azevedo, presidente da companhia, e a outros executivos da AG. “Isto pode complicar a situação dos contratos lá. Abs”, referindo-se a uma reportagem de jornal que indicava disposição da presidente Dilma Rousseff (PT) em se ‘distanciar’ da Venezuela. As informações são do Estadão.
Em resposta, ao e-mail de Sérgio Andrade, o executivo Flávio Gomes Machado Filho escreveu às 12h24, citando o presidente da Venezuela Nicolás Maduro. “Temos que tomar todos os cuidados. O Presidente Maduro já está incomodado com essa postura dela há algum tempo. O nosso ponto focal de apoio tem que ser o ex-Presidente Lula. O Pres Maduro reconhece como um grande amigo pessoal e um grande amigo da Venezuela.”
Quatro minutos depois, Flávio Gomes Machado Filho acrescentou. “Estou marcando um encontro com o Pres Lula na próxima semana em SP para discutir com ele a situação da Venezuela e uma estratégia de apoio. Abs, Flavio.”
Segundo Otávio Marques de Azevedo, em depoimento à Polícia Federal, em 19 de maio deste ano, Flávio Gomes Machado Filho foi diretor de Relações Institucionais da Andrade Gutierrez entre 2004 a 2012. O presidente do grupo, Otávio Marques de Azevedo, está preso desde 19 de junho, quando foi deflagrada a Operação Erga Omnes, 14ª etapa da Lava Jato.

Zeca Dirceu usa ônibus da prefeitura de Toledo para encontro partidário


unnamed
Novo fuzuê no atribulado mandato do deputado Zeca Dirceu (PT-PR), enrolado com o pai e doações de empreiteiras às suas campanhas. A secretária de Juventude de Toledo, Jaqueline Fernanda Machado, e um servidor da Secretaria da Cultura, Ivan Junior Peron, foram acusados na Justiça pelo Ministério Público de autorizarem o uso de ônibus da prefeitura em evento de interesse político-partidário promovido por Zeca Dirceu. A senadora Gleisi Hoffmann (PT) também participou do encontro. Com informações do Bem Paraná.
De acordo com a Promotoria, o ônibus foi utilizado, com a permissão dos dois, para o transporte de jovens ao evento de Zeca Dirceu e seu partido político em Umuarama, no dia 23 de maio. Segundo as investigações, os acusados tinham pleno conhecimento de que o evento não era de natureza pública, mas se tratava de atividade com predominante caráter político-partidário.
Na ação, o MP aponta que, além do dano causado aos cofres públicos devido a gastos com combustível e remuneração do condutor do veículo, os fatos caracterizaram violação dos princípios de legalidade, impessoalidade e moralidade da administração pública, uma vez que bens e serviços públicos não podem se destinar a interesses particulares de políticos e seus partidos. O episódio também é objeto de apuração por CPI instalada na Câmara de Vereadores de Toledo.

Reforma ministerial aumenta em 5 vezes orçamentos sob comando do PMDB


Número de ministérios do partido sobe de 6 para 7. Os peemedebistas assumem a Saúde, o terceiro maior em gastos da Esplanada

TEXTO: RODRIGO CAPELO ARTE: GIOVANA TARAKDJIAN
02/10/2015 - 16h33 - Atualizado 02/10/2015 16h33
Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB): presidente e vice anunciam reforma ministerial (Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil)
O novo rateio de ministérios entre partidos, anunciado por Dilma Rousseff nesta sexta-feira (2), favorece o PMDB não só quantitativamente, no número de pastas, que passou de seis para sete. Mas, em termos de orçamento, os peemedebistas passaram a ter R$ 143,6 milhões para administrar em 2016, segundo o Orçamento enviado ao Congresso em 31 de agosto, – quase 500% mais dinheiro do que os R$ 24,1 milhões que teriam até a reforma.
ÉPOCA cruzou as mudanças da reforma ministerial com os orçamentos previstos para o ano que vem para cada pasta. Cabe a ressalva de que, com os cortes de R$ 200 milhões queDilma anunciou nesta sexta, algumas cifras devem variar para baixo. Mas elas dão o tom do poder eleitoral que cada partido terá em 2016, uma vez que um ministério com mais orçamento, em tese, pode realizar e propagandear mais.
As fatias de cada partido nos orçamentos dos ministérios para 2016 (Foto: Giovana Tarakdjian)
O que faz diferença para o PMDB é o Ministério da Saúde, então nas mãos do PT por meio de Arthur Chioro. A pasta tem previstos para o ano que vem R$ 109,4 milhões. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, antes de PC do B e Aldo Rebelo, põe mais R$ 9,8 milhões no cálculo. A pasta perdida pelos peemedebistas, de Pesca e Aquicultura, incorporada à Agricultura, tem um orçamento de R$ 202,6 mil. O valor adicionado foi imenso, e o subtraído, pequenino.
PT manteve a hegemonia em termos de orçamento, sobretudo porque a Previdência Social, com R$ 506,2 milhões, foi incorporada a Trabalho e Emprego, e este passou das mãos deManoel Dias (PDT) para Miguel Rossetto (PT). Mas o partido do governo perdeu. Caiu de R$ 805,4 milhões para R$ 767,6 milhões. A Educação, tirada do apartidário Renato Janine Ribeiro, também faz diferença, com R$ 96,5 milhões projetados para despesas no ano que vem.
PDT murchou. Muito. O Ministério do Trabalho e do Emprego, com R$ 64,7 milhões, foi para o PT. Os pedetistas não ficaram sem pasta alguma, pois passaram a ter André Figueiredo nasComunicações, mas o dinheiro disponível é de apenas um décimo: R$ 6,6 milhões.
Na tabela dos orçamentos por ministério, abaixo, seis deles estão sem valor. O motivo: o valor do Banco Central está incluso na unidade orçamentária do Ministério da Fazenda, e outros cinco – Casa Civil, Gabinete de Segurança Institucional, Secretaria da Comunicação Social, Secretaria-Geral da Presidência e Secretaria de Relações Institucionais – estavam embutidos na unidade da Presidência. Como não podem ser detalhados, não foram incluídos.
Quanto cada ministério terá para gastar em 2016 (Foto: Giovana Tarakdjian)

Acidente entre moto e bicicleta deixa dois feridos no Centro: “Assustador”, diz testemunha


Por Felipe Ribeiro

Dois homens ficaram feridos no final da tarde desta sexta-feira (2) após acidente entre uma motocicleta e uma bicicleta no cruzamento das ruas Visconde do Rio Branco e Professor Fernando Moreira, no Centro de Curitiba.
acidentesescesquina
Foto: Banda B
De acordo com Nilvea Marques, que testemunhou a batida, o ciclista seguia pela canaleta do biarticulado e já estava sobre a faixa de segurança quando foi atingido. “Foi bem assustador a cena e acredito que o motociclista também teve ferimentos bem graves. Ele descia a Visconde do Rio Branco e aparentava estar em velocidade alta”, relatou.
Segundo o soldado Boing, do Batalhão de Polícia de Trânsito (BpTran), os dois condutores foram levados para o Hospital Evangélico e o ciclista requer cuidados especiais. “O Samu atendeu eles e por enquanto não temos depoimento do que ocorreu”, disse.
Durante o período de atendimento, o trânsito ficou complicado no local devido ao encontro de várias ruas. Uma poça de de óleo estava nas proximidades da canaleta e derrubou outros três ciclcistas durante o atendimento.
A Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) deve cuidar da ocorrência.