Escola Municipal Juscelino Kubitschek é vencedora da 1° Gincana Ecológica de Colombo


WEBMASTER 6 DE NOVEMBRO DE 2015

Competição mobilizou aproximadamente 7 mil estudantes da rede municipal de ensino em prol do meio ambiente

Aproximadamente 500 pessoas entre alunos, diretores e coordenadores participaram do encerramento
Aproximadamente 500 pessoas entre alunos, diretores e coordenadores participaram do encerramento
A Escola Municipal Juscelino Kubitschek foi à vencedora da competição
A Escola Municipal Juscelino Kubitschek foi à vencedora da competição
Após dois meses de disputa, aconteceu nesta quarta-feira, 04 o encerramento da 1° Gincana Ecológica de Colombo, que teve como vencedora a Escola Municipal Juscelino Kubitschek. O evento reuniu cerca de 500 pessoas entre alunos, diretores e coordenadores, no Pavilhão de Eventos do Parque Municipal da Uva.
O prêmio aos vencedores será a gravação do clip musical – de autoria dos alunos. Já a Escola Municipal Monteiro Lobato ficou com a segunda colocação, se destacando na coleta de óleo, e receberá, além de um equipamento de coleta, uma visita ao Parque da Ciência para 30 alunos. Em terceiro lugar ficou a Escola Municipal Durval Secchi, que foi premiada com um passeio para 30 alunos, na Área de Proteção Ambiental do Rio Iraí.
A Prefeita Beti Pavin esteve presente e parabenizou o trabalho desenvolvido pelos grupos. “A situação do nosso planeta em relação ao meio ambiente não é das melhores, mas acreditamos que ainda há tempo para reverter este quadro. Por isso, estamos investindo nas crianças, pois elas podem mudar o nosso país, começando por nossa cidade. Precisamos transmitir essa ideia e devemos trabalhar para preservar o meio ambiente. Aproveito também para parabenizar todos os envolvidos,” resaltou a Prefeita Beti Pavin.
Durante a gincana foram recolhidos cerca de 1.835 litros de óleo de cozinha usado. Além disso, as crianças desenvolveram atividades como oficinas, confecção de lixeiras, passeatas de conscientização, adoção de espaços públicos, confecção de uma mascote, criação de uma música e coreografia.
“Estamos felizes com os resultados dessa atividade de conscientização, nossa intenção é que as escolas continuem colocando em pratica essas atividades e incentivando cada vez mais as mudanças de hábitos para preservar o meio ambiente,” afirmou o secretário de Meio Ambiente, Evandro Busato.
Sobre a Ecogincana
O projeto realizado pela Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, contou com a participação de 15 escolas.
Aproximadamente 7mil alunos estavam envolvidos na ação que teve como principal objetivo desenvolver atividades socioambientais e culturais – promovendo e disseminando a conscientização sobre a importância do meio ambiente.
Para os alunos, com essas atividades desenvolvidas, foi possível colocar em pratica todo o conhecimento adquirido. “Plantamos flores no jardim da nossa escola e ficou muito bonito, agora temos que continuar cuidando dele e de toda a natureza,” declarou a aluna da Escola Durval Secchi, Jaqueline Cunha.
Também estava presente no evento a secretária de Educação, Aziolê Maria Cavallari Pavin parceira desta iniciativa.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/PMC

Prefeitura de Colombo lança Programa de Recuperação Fiscal


WEBMASTER 6 DE NOVEMBRO DE 2015

São oferecidas várias formas de pagamento, entre elas a opção mais vantajosa que é o pagamento à vista dos débitos

PCA 0031 15 A OUTDOOR REFIS
A Prefeitura de Colombo lança o Programa de Recuperação Fiscal do Município de Colombo – REFIS/Colombo 2015 – com descontos de até 100% nos juros e multas ou parcelamento dos tributos atrasados. Entre a opção mais vantajosa que é o pagamento à vista dos débitos o qual contempla a queda de 100% de multa e juros sobre o valor dos tributos devidos.
“Esta ação é um grande incentivo, pois possibilita a todos os contribuintes que, por algum motivo, ainda não quitaram suas dívidas como o município efetue seus débitos. A prefeitura reverterá essa arrecadação em melhorias para a população, desde infraestrutura com obras de pavimentação até investimentos na saúde e educação, entre outras áreas”, esclarece a prefeita de Colombo, Beti Pavin.
O REFIS tem como objetivo promover a regularização de créditos do município relativos a impostos, taxas, contribuições e de outros débitos de natureza não tributária, ocorridos até 31 de dezembro de 2014.
“Será uma grande oportunidade para regularizar os débitos e também fazer parte do crescimento do município, além de ficar em dia com a sua cidade”, destaca o Secretário de Fazenda, Márcio Strapasson. Vale lembrar, que os débitos não quitados serão ajuizados, conforme previsto na lei de Responsabilidade Fiscal.
Os interessados em aderir ao REFIS/Colombo 2015, devem se dirigir até a Prefeitura de Colombo ou nas Regionais do Maracanã ou Osasco.  Dessa maneira, o cidadão pode fazer sua negociação e aproveitar essa oportunidade.
Os débitos referentes a impostos, taxas e outras dívidas de natureza não tributária, poderão ser parcelados da seguinte maneira:
                                      Percentual de Desconto
Forma de pagamentoJurosMulta
À vista100%100%
Em 06 parcelas80%80%
Em 12 parcelas60%60%

Já os débitos referentes à Contribuição de Melhoria poderão ser parcelados na forma estabelecida na tabela abaixo:
Percentual de Desconto
Forma de PagamentoJurosMulta
À vista100%100%
Em 06 parcelas90%
85%
100%
Em 12 parcelas100%
Em 24 parcelas80%100%
Em 36 parcelas75%100%
Em 48 parcelas70%100%
Em 60 parcelas65%100%


Serviço:
As Regionais Maracanã e Osasco, quanto a Prefeitura, na Sede, funcionam das 8h às 12h e das 13h às 17h. Nos seguintes endereços:
Prefeitura:
Rua XV de Novembro, 105 Centro – Telefones: 41 3656-8080 / 41 3656-8000
Regional Maracanã:
Rua Dorval Ceccon, 664 – Alto Maracanã – Telefone: 41 3675-5900
Regional Osasco:
Rua Prefeito Pio Alberti, 450 – Jardim Osasco – Telefone: 41 3621-3112
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

“Parecia um filme de terror”, diz moradora de Bento Rodrigues


Rompimento da barragem no distrito de Mariana, em Minas Gerais, deixou um morto e 15 desaparecidos, segundo os Bombeiros

REDAÇÃO ÉPOCA
06/11/2015 - 11h53 - Atualizado 06/11/2015 12h00
Barragem em Bento Rodrigues, Mariana, rompe e deixa um morte e 15 desaparecidos (Foto: Divulgação)
Na tarde desta quinta-feira (5), duas barragens de contenção de minério romperam perto de Mariana e Ouro Preto, em Minas Gerais. A primeira informação era de que apenas a barragem deFundão havia rompido, mas em nota oficial, a Samarco Mineração explicou que a barragem de Santarém também rompeu. 
Em entrevista ao programa Hora 1, da TV Globo, uma moradora da região disse que tentou correr para o local mais alto. “Parecia um filme de terror o que nós vivemos [...] foram momentos terríveis”, relatou.
O distrito mais afetado foi o de Bento Rodrigues. O Corpo de Bombeiros confirmou que 15 pessoas estão desaparecidas e que um homem morreu. Segundo o G1, ele teve um mal súbito no momento em que a barragem rompeu. Já o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Extração de Ferro e Metais Básicos de Mariana (Metabase) informou que 15 a 16 pessoas teriam morrido e que 45 estão desaparecidas.
A Samarco postou um vídeo em sua página no Facebook, em que o diretor-geral, Ricardo Vescovi, aparece dando mais informações. Ele diz que assim que as barragens romperam um plano emergencial foi acionado.
A prefeitura de Bento Rodrigues informou que a cidade tem cerca de 600 moradores e 200 imóveis, mas outras regiões próximas podem ter sido atingidas, o que aumenta o número de pessoas afetadas para quase 2 mil.
O acidente mobiliza mais de 200 pessoas da Guarda Municipal,Corpo dos Bombeiros, polícia Civil e Militar, Defesa Civil e da mineradora que trabalham nas buscas. Pessoas que estão sem moradia passaram a noite do ginásio de Mariana.
Terrremoto
Alguns moradores e mineradores disseram sentir um tremor por volta das 14h. Um pouco mais tarde, o abalo foi maior. “Começou praticamente um terremoto”, disse Andrew Oliveira.
O observatório da Universidade de São Paulo (USP) diz que registrou quatro pequenos abalos entre às 14h30 até às 15h59. O epicentro deles ocorreu a 5 quilômetros da barragem de Fundão.Nenhum desses abalos foi significante o bastante para ser sentido ou causar um estrago dessa magnitude.

Acareação entre delatores da Lava Jato durou quase 10 horas


A acareação teve duas etapas: primeiro sobre o dinheiro recebido por Palocci. E a segunda, sobre a empreiteira Andrade Gutierrez. No final, houve divergências

REDAÇÃO ÉPOCA
06/11/2015 - 10h18 - Atualizado 06/11/2015 10h18
Fernando Baiano e Paulo Roberto Costa frente a frente em uma acareação (Foto: Alan Marques/Folhapress e Junior Pinheiro/Folhapress)
O lobista Fernando Baiano e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa ficaram frente a frente para uma acareaçãorealizada na tarde de quinta-feira (5), com duração de quase 10 horas. A assessoria de imprensa da Polícia Federal confirmou que a acareação teve início às 14h e foi até as 23h30.
Dois temas foram foco da acareação. O primeiro se tratava das suspeitas de que o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci teria recebido R$ 2 milhões do esquema de corrupção da Petrobras para a campanha de Dilma, em 2010.
Na segunda, eles falaram sobre o envolvimento da construtora Andrade Gutierrez no esquema de corrupção da Petrobras, investigado pela Operação Lava Jato. As acusações são de que a construtora obtia preços favoráveis, e recebia lucros extraordinários em contratos.
Segundo informações do G1, os advogados de Baiano e Costadisseram que houve divergências nos depoimentos dos dois, mas que não podem revelar o conteúdo por conta do sigilo dos termos da delação premiada.
Se ficar provado que tanto Baiano quanto Costa mentiram ou omitiram fatos criminosos que participaram ou presenciaram, eles ficam sujeitos a perder os benefícios da delação.

Moro desmembra parte de ação que evolve ex-executivo da Odebrecht


Paulo Boghossian, Celso Araripe e Eduardo Freitas respondem em nova ação.
Apesar da mudança, novo processo segue sob supervisão de Sérgio Moro.

Fernando CastroDo G1 PR
Celso Araripe (Foto: Reprodução/RPC)Celso Araripe vai responder em processo separado
dos demais (Foto: Reprodução/RPC)
O juiz federal Sérgio Moro desmembrou parte de uma das ações penais a que respondem executivos e ex-executivos da Odebrecht na Operação Lava Jato. Paulo Boghossian, ex-executivo da empreiteira, Celso Araripe e Eduardo Freitas Filho vão responder pelos crimes que foram acusados em processo diferente do que responde, por exemplo, o presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht.
No despacho, o juiz considerou que os crimes imputados aos três não tem relação com os demais contratos da Odebrecht com a Petrobras denunciados pelo Ministério Público Federal(MPF). Segundo Moro, a medida se justifica ainda pois, ao contrário de outros réus do processo, os três respondem ao processo em liberdade.
Boghossian, Araripe e Freitas Filho são acusados de irregularidades em contrato da Petrobras com um consórcio do qual a Odebrecht fazia parte para construção do prédio sede da estatal em Vitória (ES). A denúncia diz que 1% do valor do contrato seria pago em propina para a Diretoria de Serviços, e R$ 3 milhões a Celso Araripe.
Araripe era o gerente do empreendimento pela Petrobras, e foi acusado de corrupção passiva e lavagem de capitais. Paulo Boghossian é ex-executivo da Odebrecht e foi denunciado por organização criminosa, corrupção ativa, e lavagem de capitais. Já Eduardo Freitas Filho é sócio-gerente da empreiteira Freitas Filho Construções e responde por lavagem de dinheiro.
Os demais contratos da Odebrecht investigados no mesmo processo são relacionados à Diretoria de Abastecimento, então comandada Paulo Roberto Costa. “Quanto à Diretoria de Serviços e Engenharia, (...) o acusado Pedro Barusco, declarou que, embora tenha solicitado propina no referido contrato, ela não chegou a ser paga pela Odebrecht”, considerou Moro.
Ainda com relação à Odebrecht, o juiz apontou que a obra, ao contrário das demais, não pertencia à área da Odebrecht Plantas Industriais, ocupada por outros executivos acusados no processo.
Mesmo com o desmembramento, a nova ação penal segue sob o comando de Sérgio Moro. As futuras sentenças, porém, já não estão mais relacionadas.

Ex diz à polícia que teve relação sexual com dançarina antes do assassinato


Segundo delegado, Anderson disse que assistiu filme com Ana Carolina.
Porteiro de prédio e outras testemunhas serão ouvidas na tarde desta sexta.

Do G1 São Paulo
Anderson Leitão confessou ter matado Ana Carolina Vieira (Foto: Glauco Araújo/G1)Anderson Leitão confessou ter matado Ana Carolina Vieira (Foto: Glauco Araújo/G1)
Anderson Rodrigues Leitão, que confessou ter matado a ex-namorada Ana Carolina Vieira no apartamento em que ela vivia na Zona Sul deSão Paulo, contou em depoimento à polícia que teve relação sexual com a vítima pouco antes de assassiná-la, segundo o delegado Carlos Cesar Rodrigues, do 95º Distrito Policial, responsável pela investigação do caso.(assista ao vídeo)
O delegado disse ainda que o ex-namorado afirmou ter visto um filme com a dançarina e comido juntos antes de uma discussão que teria terminado com a morte da jovem. O delegado espera receber o laudo do exame necroscópico do Instituto Médico Legal (IML) deve ser expedido até segunda-feira (9).
Ana Carolina foi encontrada morta na manhã desta quarta-feira (4) no apartamento em que morava na Rua Vergueiro, no Sacomã, na Zona Sul de São Paulo. O corpo foi achado após os zeladores sentirem um cheiro forte vindo do apartamento. Eles tocaram a campainha, notaram que a porta estava aberta, entraram e encontraram o corpo na cama do quarto, coberto.
A Polícia Civil pediu, nesta sexta-feira (6), um levantamento à Polícia Militar para apurar se Ana Carolina alguma vez havia acionado o 190, telefone de emergência da PM, por conta do ex-namorado. Caso a PM identifique alguma chamada do tipo, o delegado Carlos Cesar Rodrigues, do 95º Distrito Policial, responsável pela investigação do caso, disse que vai solicitar o aúdio do telefonema.
Ainda nesta sexta, o delegado afirmou que devem depor o irmão e uma prima de Ana Carolina. Além deles, Rodrigues quer ouvir o porteiro do condomínio e vizinhos da dançarina para apurar se algum deles ouviu algo diferente, que chamasse a atenção, durante os três dias em que Anderson permaneceu no apartamento da ex. Com isto, a princípio, a polícia ficará apenas no aguardo do laudo do IML para concluir o inquérito.
Nos registros da Polícia Civil, não há nenhum boletim de ocorrência feito pela dançarina contra ele. A investigação quer saber, então, se em algum momento ela chamou a PM devido a uma briga ou discussão com Anderson, mas que acabou contornada na hora, sem avançar para um registro oficial na delegacia.
Anderson confessou à polícia ter matado a bailarina por ciúmes. Preso no 95º Distrito Policial (Cohab Heliópolis), na capital paulista, Anderson disse que estrangulou a ex-namorada e contou ainda que tomou veneno de rato para morrer abraçado com ela.
Ao G1, ele disse que depois de estrangular a vítima, afirmou que a maquiou, deu banho no corpo dela e usou incenso para esconder o mau cheiro (veja no vídeo abaixo).
"Estrangulei com minhas próprias mãos. Comprei chumbinho, veneno de rato, porque eu queria morrer abraçado com ela. Fiquei com ela morta dois dias", disse Anderson.
Segundo ele, o casal teve uma discussão na segunda-feira. "Ela foi pra cozinha e disse pra eu não mexer no celular dela. Eu mexi e vi umas fotos, umas mensagens de Whatsapp e não gostei. Fiquei com ciúmes".
Tráfico e violência doméstica
Anderson já havia sido condenado por tráfico de drogas em Santa Catarina e respondia a termo circunstanciado por violência doméstica em Fortaleza, no Ceará.
Segundo o delegado, ele foi condenado a cinco anos e 10 meses em setembro deste ano pelo crime de tráfico, mas apelou e respondia em liberdade. Anderson disse em depoimento que foi detido porque traficou lança-perfume. O termo circunstanciado por violência doméstica foi registrado em 2013, por outra mulher.
Com Anderson, no momento da prisão, foram apreendidos R$ 800, US$ 700 e 80 libras. Testemunhas disseram que esse dinheiro pertencia a Ana Carolina. Ele alega que a quantia lhe pertencia.
Uma amiga da dançarina afirmou que mais do que por ciúmes, o crime teria sido motivado porque Anderson Rodrigues Leitão era "totalmente bancado" pela vítima e não aceitaria "perder a boa vida que tinha". "Ela proporcionava isso a ele", disse a amiga, que não quis se identificar.
Corpo
O delegado disse ainda que o corpo já foi liberado pelo Instituto Médico-Legal. De acordo com ele, o corpo da dançarina foi encontrado em estado de decomposição avançado e não deverá ser levado para Fortaleza, como era desejo da família, porque não suportaria a pressão atmosférica imprimida durante o transporte aéreo.
Folha com duas fotos de Anderson que a vítima deixou na portaria do prédio indicando que ele estava proibido de entrar no local (Foto: Glauco Araújo/G1)Folha com duas fotos de Anderson que a vítima deixou na portaria do prédio indicando que ele estava proibido de entrar no local (Foto: Glauco Araújo/G1)
Mensagem de Whatsapp trocada por Ana Carolina com a família sobre a presença de Anderson na porta do prédio (Foto: Glauco Araújo/G1)Mensagem de Whatsapp trocada por Ana Carolina com a família sobre a presença de Anderson na porta do prédio (Foto: Glauco Araújo/G1)
Prédio onde aconteceu crime, na Zona Sul de São Paulo (Foto: Glauco Araújo/G1)Prédio onde aconteceu crime, na Zona Sul de São Paulo (Foto: Glauco Araújo/G1)