Mega-Sena, concurso 1758: ninguém acerta e prêmio vai a R$ 55 milhões


Veja as dezenas sorteadas: 06 - 11 - 16 - 23 - 36 - 42.
Quina teve 230 apostas ganhadoras; cada um levará R$ 21.071,57.

Do G1, em São Paulo
 
MEGA-SENA
CONCURSO 1758
06 11 16
23 36 42
Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.758 da Mega-Sena sorteadas neste sábado (7), em Presidente Figueiredo (AM). O prêmio estimado para o próximo sorteio é de R$ 55 milhões.
Veja os números sorteados: 06 - 11 - 16 - 23 - 36 - 42
A quina teve 230 apostas ganhadoras, que irão levar R$ 21.071,57 cada uma. Outros 13.800 bilhetes acertaram a quadra e devem levar R$ 501,70 cada.
Para apostar
As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.
Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.
Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Tributaristas dizem que dinheiro de Cunha deveria ter sido declarado


Especialistas da USP divergem sobre se houve crime tributário. 
Cunha diz que não declarou porque recurso foi obtido e mantido no exterior.

Do G1, em Brasília
Especialistas em direito tributário escutados pela TV Globo afirmaram neste sábado (7) considerar que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), precisaria ter declarado os valores acumulados em contas na Suíça, mesmo tendo sido os recursos obtidos no exterior e mantidos em contas no exterior.(veja vídeo)
Cunha reafirmou nesta sexta-feira (6), em entrevista ao G1 e à TV Globo, que não tem contas bancárias nem é proprietário, acionista ou cotista de empresas no exterior. Ele admite, porém, ser "usufrutuário" de ativos mantidos na Suíça. Os valores, segundo Cunha, não foram declarados à Receita Federal e nem ao Banco Central.
saiba mais

O parlamentar diz ter um contrato com um truste proprietário de recursos "de origem antiga" que ele acumulou no exterior nos anos 1980. Um truste é uma entidade legal que administra propriedades e bens em nome de um ou mais beneficiários mediante outorga.
O professor de direito tributário da Universidade de São Paulo (USP) Fernando Zilveti disse considerar que Cunha precisaria ter declarado o dinheiro à Receita Federal no Brasil, mesmo em se tratando de contrato com um truste.
“Neste caso, ele é dono do dinheiro, porque ele tem um truste revogável, em que ele é beneficiário econômico, ou seja, ele é aquele que usufrui dos benefícios econômicos. Ele é o beneficiário efetivo na visão da Receita Federal do Brasil. Ou seja, ele deveria declarar este valor na sua declaração de bens anualmente”, explicou.

O tributarista e professor da Fundação Getúlio Vargas Ary Oswaldo Mattos Filho afirma que a legislação brasileira segue um sistema que tem base mundial. Segundo ele, não importa se a pessoa ganhou dinheiro dentro ou fora do país. Ele explica que é preciso declarar às autoridades brasileiras mesmo que sobre esse dinheiro não seja necessário pagar imposto.
“O ato de seguir o caminho do dinheiro produz uma série de documentos, uma série de contratos. Então, agora, provavelmente, ele [Cunha] vai mostrar esses contratos na medida em que ele queira alegar legitimidade do dinheiro que chegou lá, muito embora não declarado aqui entre nós, o que ele deveria ter feito”, explica Mattos Filho.

O professor de direito financeiro da USP Heleno Torres considera que o caso de Cunha representa uma situação particular no Brasil devido ao fato de não haver legislação sobre trustes no país. No entanto, ele acredita que o beneficiário de dinheiro administrado por esse tipo de entidade precisa declarar o valor recebido na declaração de Imposto de Renda.

"A partir da Constituição do truste, o truste em si está no exterior, então, ele não tem o dever de informar ao Brasil. Quem teria o dever de informar seria o beneficiário, quando do momento do recebimento, em face da declaração de Imposto de Renda", explicou.

Por outro lado, segundo Torres, em tese, a titularidade dos bens pertence ao administrador, e não ao beneficiário.
"Este sujeito [truste] administra em favor de beneficiários. Esses beneficiários são pessoas que terão o direito a receber, segundo as regras do contrato, os valores que estão ali definidos. Então, é perfeitamente possível nós falarmos, em tese, que, de fato, a titularidade desses bens é do administrador e não de quem fez a seção dos bens para o truste."
Crime de ordem tributária
Em relação a um eventual crime de ordem tributária, especialistas USP divergem ao analisar o caso de Cunha. Para o professor Fernando Zilveti, o parlamentar pode ter cometido crimes como sonegação fiscal e evasão de divisase ao não declarar o dinheiro no Brasil.

“Ele cometeu crime contra o ordem tributária. Ele deveria declarar-se como beneficiário econômico do truste revogável de valor dois milhões, dois milhões de francos suíços, o valor que fosse. Essa é uma sonegação fiscal separada da questão do Banco Central. O presidente da Câmara deveria ter declarado esses valores à Receita e ao Banco Central. A circular do Banco Central obriga que você declare bens ou direitos em valor superior a US$ 100 mil”, disse Zilveti.

Heleno Torres, no entanto, afirma que é preciso cuidado para não "prejulgar a situação". Segundo ele, o fato de o dinheiro ser administrado por um truste, que não tem regras específicas na legislação brasileira, dificulta a análise do caso.

"É preciso antes de tudo, junto ao governo de Estado de localização do truste, provar e desconstituir o truste naquela jurisdição para daí, sim, termos a imputação de eventuais efeitos [...].  Nós não podemos, de nenhum modo, prejulgar a situação porque isso depende das leis dos países nos quais eles estão constituídos", disse.

O professor de direito da FGV Thiago Bottino disse que os trustes contratados por Cunha podem esconder negócios fictícios.
“Se esses trustes, se essas empresas offshore, na verdade ficarem caracterizados apenas como fachadas para a posse desses recursos sem ter uma relação direta com o nome da pessoa, ou seja, tentando afastar a titularidade desses valores, se essa fraude for caracterizada, ainda assim você não vai ter a possibilidade de usar o argumento de que ‘ah, não era no  meu nome, então eu não preciso declarar’. Justamente porque seria uma tentativa de burlar essa obrigação”, disse o jurista.

Investigado em conselho e na Lava Jato
O presidente da Câmara responde a processo no Conselho de Ética da Casa, no qual é acusado de quebra de decoro parlamentar por ter supostamente mentido ao declarar à CPI da Petrobras que não tem contas fora do país. Ele informou neste sábado que deverá entregar defesa preliminar ao colegiado dentro de até duas semanas.

Ele também é investigado na Operação Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro, devido à suspeita de ter recebido pelo menos US$ 5 milhões por contratos de aluguel de navios-sonda pela Petrobras.

Políticos comentaram neste sábado (5) a explicação do presidente da Câmara sobre contas no exterior. Membros do Conselho de Ética disseram receber as explicações do parlamentar com cautela.

Governo de MG confirma segunda morte após rompimento de barragens, corpo encontrado a 100 km


Corpo foi encontrado em Rio Doce, a 100 km do distrito de Bento Rodrigues.
Na quinta, duas barragens se romperam em Mariana.

Raquel FreitasDo G1 MG
O Governo de Minas Gerais confirmou no início da noite deste sábado (7) a segunda morte em decorrência do rompimento das barragens no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana. O corpo estava em Rio Doce, cidade a mais de 100 quilômetros do local do rompimento. A vítima ainda não foi identificada.
As barragens de Fundão e de Santarém, da Samarco Mineração, se romperam na quinta-feira (5) e liberaram 62 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério e água. O empregado de uma empresa terceirizada da Samarco Cláudio Fiúza, de 40 anos, foi a primeira vítima confirmada. Ele teve um mal súbito quando as barragens se romperam.
Até as 19h30 deste sábado, a Prefeitura de Mariana havia confirmado 28 pessoas desaparecidas, sendo 13 trabalhadores e 15 moradores de distritos de Mariana.
Corpos em Rio Doce
O prefeito de Rio Doce, Silvério Joaquim da Luz, disse na tarde deste sábado (7) que dois corpos estavam no leito do Rio Doce, próximos à ponte na cidade, a mais de 100 quilômetros do distrito de Bento Rodrigues, em Mariana. A localidade foi devastada após o rompimento de duas barragens de mineração da Samarco, na última quinta-feira (5). e liberaram 62 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério e água.
Segundo Silvério, a lama das barragens, que segue para o leste do estado e para o Espírito Santo, chegou ao município pelo Rio Doce nesta sexta. Os corpos estão no leito no rio e ainda não foram resgatados. Não é possível confirmar se eles são vítimas do rompimento.
Nesta sexta-feira (6), um outro corpo foi visto descendo pelo leito do rio junto com a lama das barragens por moradores da cidade, mas ele não foi resgatado. Esta vítima também não foi confirmada como morte em decorrência do rompimento.
Até a tarde deste sábado (7), havia a confirmação de apenas uma morte. Um trabalhador sofreu um mal súbito no momento do rompimento da barragem de Fundão.
Distrito foi tomado pela lama após rompimento de barragens em Minas. (Foto: Reprodução/Globocop)Distrito foi tomado pela lama após rompimento de barragens em Minas. (Foto: Reprodução/Globocop)

Sem dinheiro, família vende rifa para pagar cirurgia de criança fora do PR


Menino de Santa Terezinha de Itaipu tem laringomalácia severa.
Procedimento deve ser feito em São Paulo, de acordo com a família.

Do G1 PR, com informações da RPC Foz do Iguaçu
A mãe Lilian dos Santos Variani decidiu organizar uma rifa para pagar uma cirurgia de R$ 60 mil para o filho, de um ano e cinco meses, que tem laringomalácia severa – uma doença que atinge a laringe da criança a impedindo de respirar e comer. A família, que mora em Santa Terezinha de Itaipu, no oeste do Paraná, diz que o prcedimento só é realizado em São Paulo.(veja vídeo)

Desde o nascimento de Elias Samuel, eles lutaram para ter o diagnóstico correto. Logo depois do parto, o garoto já recebeu tratamento intensivo.

“Quatorze horas depois [de nascer] ele foi transferido para a UTI. Ele nasceu em um hospital e foi levado para outro. Quando ele veio para casa, já estava com quatro meses e usava oxigênio”, contou a mãe Lilian Variani.
saiba mais

Hoje, Elias Samuel se alimenta por uma sonda e tem uma abertura na traqueia para poder respirar.

A médica que diagnosticou a doença é de São Paulo e não atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ciente da condição financeira da família, ela não cobrou pela consulta e orientou pela cirurgia.

A família precisa levantar o dinheiro em 60 dias para evitar que a criança passe por procedimentos agressivos e que não irão resolver o problema. De acordo com a mãe, a família tentou a liberação da cirurgia junto à 9ª Regional de Saúde do Paraná, porém o pedido foi negado.

“Nós, enquanto gestores públicos, só podemos encaminhar esta criança para fora do estado, quando esgotadas as possibilidades internas, que não é o caso”, disse Ademir Ferreira de Souza que é chefe da 9ª Regional de Saúde. A orientação de médicos locais é para um tratamento conservador e realização da cirurgia quando a criança tiver seis anos.

Diante da negativa, a família vende as rifas por R$ 30,00. Serão sorteados produtos, que foram doados por pessoas que se sensibilizaram com a história Elias Samuel, e uma moto. Também haverá um bingo em Santa Terezinha de Itaipu no dia 22 de novembro.

Náufrago que ficou 14 meses no mar manteve corpo de amigo ao seu lado por seis dias por medo da solidão


Jose Salvador Alvarenga antes da viagem e quando foi resgatado em janeiro
Jose Salvador Alvarenga antes da viagem e quando foi resgatado em janeiro Foto: JOSE CABEZAS / HILARY HOSIA / AFP
Extra
Tamanho do texto A A A
O pescador que sobreviveu mais de um ano no mar após um naufrágio no Oceano Pacífico revelou, pela primeira vez, detalhes da morte de seu amigo. Jose Salvador Alvarenga, de 36 anos, chocou o mundo ao ficar 438 dias desaparecido, e ser encontrado numa ilha remota em janeiro do ano passado.
O pescador de El Salvador estava acompanhado de Ezequiel Cordoba, de 22 anos, que morreu após quatro meses no mar porque comeu aves marinhas. Em mais de 40 entrevistas para um jornalista do “The Guardian”, ele contou como os dois lutaram pela vida.
Eles precisaram desenvolver métodos engenhosos para capturar peixes, aves e até mesmo uma tartarugas. Alvarenga pescava peixes com as próprias mãos. “Eu estava com tanta fome que eu estava comendo minhas próprias unhas, engolindo todos os pequenos pedaços”, contou.
Cordoba tinha recebido 50 dólares para o trabalho com o pescador. Ele ficou doente após comer aves marinhas, e passou a se recusar a comer. Ele morreu após tirar um cochilo. Durante seis dias Alvarenga ficou com o corpo do amigo no barco e falava com ele porque não aguentava a solidão.
Ele disse que perguntava “Como foi o seu sono?” e “Você já tomou café da manhã?”, se recusando a aceitar a tragédia. Até que ele aceitou o que tinha acontecido e jogou o corpo do companheiro na água. “Eu convidei ele para pescar. Eu me culpava por sua morte”, disse.
O barco de Jose Alvarenga
O barco de Jose Alvarenga Foto: Reprodução do Facebook


Corinthians vence o Coxa por 2 x 1 e espera o o resultado do GALO amanhã para gritar é CAMPEÃO

O torcedor que quebrou o recorde de público da Arena Corinthians para gritar "é campeão" – ainda que fosse impossível garantir matematicamente o título do Campeonato Brasileiro já neste sábado – quase saiu frustrado de Itaquera. Mas um gol do "talismã" Lucca aos 42 minutos do segundo tempo garantiu a vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba, possibilitando que a conquista da taça seja sacramentada neste domingo, quando o Atlético-MG visita o Figueirense.
Agora, o Corinthians soma 76 pontos, 14 a mais que o vice-líder Atlético. Se os mineiros empatarem ou perderem em Florianópolis neste domingo, a briga pelo título acaba definitivamente nesta rodada. Já o Coritiba, com 35 pontos, segue na zona do rebaixamento.
O gol de pênalti de Jadson logo no início animou os corintianos, mas Negueba, que teve ótima atuação, empatou no segundo tempo. O Coritiba marcou bem e sufocou a criatividade do Corinthians, que teve seus principais jogadores de meio-campo em tarde pouco inspirada. Mas Lucca, que já havia marcado na vitória por 3 a 0 sobre o Atlético-MG, entrou no segundo tempo e fez o gol decisivo no final.
Se o Atlético-MG vencer o Figueirense, a disputa segue viva por mais 12 dias. A próxima rodada do Brasileiro é em 19 de novembro, e os dois postulantes ao título entram em campo ao mesmo tempo: o Corinthians visita o Vasco, enquanto o Atlético pega o São Paulo no Morumbi.
FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 x 1 CORITIBA
Data: 7 de novembro de 2015
Horário: 19h30 (de Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Público: 43.688 pagantes
Renda: R$ 2.772.735,50
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa/PA)
Auxiliares: José Javel Silveira (RS) e Guilherme Dias Camilo (Fifa/MG)
Gols: Jadson, aos 16 minutos do primeiro tempo; Negueba, aos 3 minutos, e Lucca, aos 42 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Kleber, Leandro Silva e Rafael Marques (Coritiba)
CORINTHIANS: Cássio; Edilson, Felipe, Gil e Guilherme Arana; Ralf; Jadson, Elias, Renato Augusto (Rodriguinho) e Malcom (Lucca); Vagner Love (Danilo). Técnico: Tite
CORITIBA: Wilson; Leandro Silva, Rafael Marques, Juninho e Carlinhos; João Paulo, Alan Santos (Cáceres), Negueba (Lúcio Flávio) e Juan (Thiago Lopes); Kleber e Henrique Almeida. Técnico: Pachequinho
Ampliar

Fotos de Corinthians x Coritiba (07/11)12 fotos

6 / 12
Jadson comemora gol que abriu o placar na partida, de pênalti Leia mais Ricardo Nogueira / Folhapress