Eike Batista não poderá comandar companhias abertas até 2020

Eike Batista, participa de audiência no Tribunal do Júri da Justiça Federal no Rio de Janeiro. O ex-bilionário está sendo julgado por manipulação de mercado e uso indevido de informação privilegiada - 18/11/2014
O advogado de Eike, Darwin Correa, do escritório PCPC, anunciou que recorrerá da decisão (Felipe Dana/AP)
O empresário Eike Batista foi condenado nesta terça-feira pela Comissão de Valores Mobiliários(CVM) à inabilitação temporária de cinco anos para o exercício de cargo de administrador ou de conselheiro fiscal de companhias abertas. O julgamento de hoje foi o sétimo de dezessete processos administrativos sancionadores da CVM envolvendo Eike e ex-executivos de diversas empresas do Grupo EBX.
A condenação foi por unanimidade com o voto favorável dos três diretores da CVM presentes, incluindo o relator, Pablo Renteria. O advogado do empresário, Darwin Correa, do escritório PCPC, anunciou que recorrerá da decisão da autarquia ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o chamado Conselhinho. Com isso, a pena de inabilitação fica suspensa até o julgamento do recurso, em Brasília (DF).
No processo julgado nesta terça (RJ2014/10060), Eike foi acusado de ter votado irregularmente em uma assembleia de acionistas da OGPar, nome atual da OGX, petroleira do grupo e origem de sua derrocada. Segundo reclamação do acionista minoritário Márcio Lobo, o empresário não poderia ter votado, pois acumulava, na época, o cargo de presidente do conselho de administração com o de sócio-controlador.
A assembleia foi em 2 de maio do ano passado e aprovou, entre outros itens da pauta, os resultados da OGPar em 2013, ano em que a companhia entrou em recuperação judicial e registrou prejuízo de 17,5 bilhões de reais. A alegação de Lobo é que Eike não poderia ter votado para aprovar as contas de um exercício durante o qual participava da administração.

Lobista volta a falar em propina para Renan e Cunha

Fernando Soares, o Fernando Baiano, durante a CPI da Petrobras na sede Justiça Federal Curitiba (PR) - 11/05/2015
Fernando Soares, o Fernando Baiano, durante a CPI da Petrobras na sede Justiça Federal Curitiba (PR) - 11/05/2015(Vagner Rosario/VEJA)
Apontado pelo Ministério Público como o operador do PMDB no escândalo do petrolão, o lobista Fernando 'Baiano' Soares negou, em acareação com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, ter atuado como arrecadador de propina em nome do partido, mas voltou a admitir que atuou em "repasses pontuais" aos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A Polícia Federal pediu que Baiano e Costa ficassem frente a frente para esclarecer pontos sobre o propinoduto instalado na Petrobras. Ambos são delatores da Operação Lava Jato.
Baiano diz que, embora não atuasse como operador do PMDB, repassou propina a integrantes do partido relativa à compra da refinaria de Pasadena, no Texas, e de contratos de sondas. "[Baiano] realizou apenas alguns repasses pontuais envolvendo o PMDB, dentre eles o relacionado a Eduardo Cunha e a Renan Calheiros, quanto a este sempre por meio de Jorge Luz", diz trecho da acareação. Luz é uma espécie de lobista histórico da Petrobras.
Em acordo de delação premiada, conforme revelou VEJA, Baiano contou que o esquema de corrupção na área internacional da Petrobras começou em 2006, no governo Lula, e envolveu os senadores Renan Calheiros (PMDB), Delcídio Amaral (PT), Jader Barbalho (PMDB) e o ex-ministro Silas Rondeau, que, após o mensalão, substituiu Dilma Rousseff na pasta de Minas e Energia. Todos negam as acusações.
Na acareação, Paulo Roberto Costa disse que os repasses ao PMDB eram feitos de forma pontual, e "não de forma sistemática, como em relação ao PP", e afirmou não saber de repasses a Eduardo Cunha.
Costa e Baiano divergiram, porém, sobre a relação do lobista com o senador Renan Calheiros. Enquanto Baiano disse que "jamais teve contato pessoal" com o peemedebista e que a propina foi tratada com Jorge Luz como intermediário, o ex-diretor da Petrobras declarou que o lobista admitiu a ele que se encontrou com Renan "em algumas oportunidades".

Dilma critica caminhoneiros e diz que governo impedirá "prejuízo à economia popular"




RIO DE JANEIRO (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff criticou nesta terça-feira a interdição de rodovias por conta da greve de caminhoneiros e disse que o governo vai impedir "qualquer prejuízo à economia popular do país".
“Tem que ficar claro que reivindicar no país é um direito de todo mundo e há muito tempo não é crime... Agora, esse é um país responsável. Interditar estradas, comprometer a economia popular desabastecendo com alimentos ou combustíveis isso tem componentes de crime já previstos”, disse ela a jornalistas, após visitar obras do metrô do Rio de Janeiro.
Ela garantiu que o governo fará todos os esforços necessários para evitar que a mobilização provoque desabastecimento e prejuízos à economia.
“O que vamos impedir é qualquer prejuízo à economia popular do país...o abastecimento de todo país, as atividades econômicas, o tráfego de combustível que é essencial. Isso não será permitido“, disse ela.
Logo após o início da greve, na segunda-feira, ministros já tinham condenado o protesto dos caminhoneiros e disseram que viam no movimento uma conotação política para tentar desestabilizar o governo federal.
A greve é lidera por uma grupo de caminhoneiros que não tem reconhecimento na liderança da categoria. Eles protestam contra a presidente Dilma e se concentram em Estados importantes para a produção agrícola do país: Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Goiás, Bahia e Santa Catarina.
“A Polícia Federal sabe o que é a lei. Todos temos que cumprir a lei, principalmente os que exercem a faculdade de fazer a lei ser cumprida”, finalizou a presidente.
O governo federal determinou que a Polícia Rodoviária aplique multa de 1.915 reais a caminhoneiros que bloquearem estradas e que use todo o seu efetivo para desbloquear estradas.
(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Veja aqui o RESUMO do cap 168 dessa QUARTA de os 10 MANDAMENTOS


11/11/2015 - Quarta-feira -Moisés ouve a instrução de Deus e estende a mão sobre o mar, fazendo as paredes de água se desfazerem. Bakenmut, Ikeni e Jahi morrem afogados. Derrotado, Ramsés chora com ódio de Moisés. Karoma consola Nefertari, que sofre com a morte de Paser. Tutmósis inicia a cerimônia de embalsamamento de Paser.
Agradecidos pelo livramento, Moisés e o povo começam a louvar a Deus. Joquebede e Miriã ficam admiradas ao verem Moisés concentrado escrevendo o livro. Arão diz que os hebreus estão livres da opressão do Egito, mas tem a sensação de que a jornada está apenas começando.
Simut, Radina, Chibale e Gahiji lamentam que Ikeni e Jahi tenham morrido tragicamente. Nefertari lê um papiro que ganhou de Paser e chora. Karoma diz para Pepy que Ikeni em breve estará de volta. Hur e Leila sofrem com saudades de Uri.
Ahmós se impressiona ao ver Ramsés retornando da batalha sozinho e arruinado. Meketre se surpreende ao saber que Ramsés voltou derrotado. Ramsés avisa Nefertari que perdeu a guerra e todos os soldados morreram, deixando-a espantada. Bak estranha ao ser vestir como egípcio.
Ramsés se sensibiliza com a tristeza de Nefertari pela morte de Paser. Karoma descobre que Ikeni morreu e se desespera. Apuki reclama com Moisés da falta de água. Karoma hesita em contar para Pepy que Ikeni não está mais vivo. Os hebreus caminham exaustos pelo deserto até que Moisés avista um oásis.
Corá, Apuki e Jairo são os primeiros a chegar até o lago, experimentam a água e reclamam do gosto e começam a cobrar Moisés. Arão diz que Deus não os tirou do Egito para morrerem de sede no deserto e pede para terem fé. Karoma decide deixar o palácio e se despede de Nefertari. Diante do lago de água inapropriada de se beber, Moisés pede ajuda ao Senhor.

Polícia intercepta ônibus e apreende adolescente com 18 kg de maconha


Por Marina Sequinel

Um adolescente de 15 anos foi apreendido com 18 kg de maconha em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, nesta terça-feira (10). Ele levava a droga em um ônibus executivo quando foi abordado por policiais das Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone).
“Nós recebemos a informação de que uma grande quantidade de entorpecentes havia saído de Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná, em direção à capital. Com as denúncias, interceptamos o ônibus e encontramos o adolescente com a droga”, explicou o capitão Sérgio, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), em entrevista à Banda B.
Segundo ele, o menor levava 3 kg na bagagem de mão e o restante no bagageiro. “Nós até achamos estranho, porque se tratava de uma linha executiva e parecia que o rapaz não condizia com o lugar onde estava”, completou o capitão.
A Polícia Civil deve, agora, dar continuidade às investigações para identificar o dono da droga e a trajetória que ela faria. O menor foi encaminhado à delegacia de Campo Largo.

Procuradoria diz que Pizzolato tem cela 'espaçosa, limpa e bem iluminada'


Pedro Ladeira - 23.out.2015/Folhapress
O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, antes de seguir para o presídio da Papuda
O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, antes de seguir para o presídio da Papuda

PUBLICIDADE
A Procuradoria-Geral da República fez uma inspeção nesta terça-feira (10) na cela onde está detido o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, no Centro de Detenção Provisória do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, e declarou que ele tem os "direitos respeitados".
Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses de prisão por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro no mensalão, estava preso na Itália, para onde havia fugido, e foiextraditado para o Brasil no mês passado.
A visita foi feita pelo secretário-substituto da Secretaria de Cooperação Internacional da PGR, procurador Carlos Bruno da Silva.
Segundo a Procuradoria, Pizzolato está em uma ala com capacidade para 90 pessoas e que atualmente é ocupada por 23, separadas em celas de acordo com o regime a que foram condenadas. Pizzolato divide cela com o publicitário Ramon Hollerbach, também condenado no mensalão.
Ainda de acordo com a Procuradoria-Geral da República, a cela é "espaçosa, limpa, organizada e bem iluminada". O procurador Carlos Bruno declarou que Pizzolato está "muito bem" tanto fisicamente como psicologicamente.
A PGR fará um relatório para ser encaminhado à Justiça italiana, para mantê-la informada das condições de cumprimento da pena do ex-diretor do Banco do Brasil, que possui cidadania italiana.

PF pede ao STF mais prazo para investigar Renan na Lava Jato



PUBLICIDADE
A Polícia Federal enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) um novo pedido de prorrogação do inquérito que investiga a suposta participação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), com o esquema de corrupção da Petrobras.
Renan começou a ser investigado em março pelo Supremo na Lava Jato e esse é o quarto pedido de extensão das investigações envolvendo o peemedebista. Agora, a concessão de mais tempo será analisado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e pelo relator da Lava Jato, Teori Zavascki.
Renan foi citado por delatores do escândalo de corrupção como integrante do "núcleo político" de uma quadrilha formada para desviar recursos da estatal e um dos beneficiados com pagamento de propina.
Ao lado de outros peemedebistas, dizem delatores, o senador teria dado sustentação política para o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, considerado um dos principais personagens da engenharia criminosa.
Paulo Roberto relatou que o deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) era o interlocutor de Renan com o esquema e recebia a propina. O deputado também é alvo do inquérito de Renan.
A Polícia Federal identificou que Gomes foi o político com maior número de visitas, 46 agendas, com Paulo Roberto.
Sem alarde, Renan prestou depoimento na Superintendência da PF em Brasília, em agosto. Aos investigadores, o senador disse não ter relação próxima e negou conhecer os principais personagens do esquema de corrupção na Petrobras.
Admitiu, porém, que o ex-diretor Paulo Roberto Costa esteve em um almoço em sua residência particular, levado por Aníbal Gome, mas diz que na ocasião o PMDB negou dar-lhe apoio para assumir uma outra diretoria da estatal.
O lobista Fernando Baiano, considerado operador do PMDB no esquema, também afirmou aos investigadores que o presidente do Senado também foi beneficiado por desvios em contratos de navios-sonda.
Renan nega as acusações de envolvimento na Lava Jato e diz que jamais autorizou quem quer que seja a falar em seu nome.
No início das investigações, o presidente do Senado fez coro com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e acusou Janot de agir politicamente para definir os investigados. O senador, no entanto, acabou abandonando o embate com o procurador-geral e também os ataques ao governo Dilma. Nos bastidores, Cunha e aliados políticos dizem que houve um acordão para preservar o senador nas investigações –o que o procurador nega com veemência.
Além de Renan e Gomes, o pedido de mais prazo da PF foi estendido aos senadores Humberto Costa (PT-PE), Lindbergh Faria (PT-RJ), além dos deputados José Mentor (PT-SP) e Eduardo da Fonte (PP-PE).
O STF investiga mais de 59 políticos por suposta ligação com os desvios da Petrobras.
Até agora, Janot apresentou denúncia contra o presidente da Câmara, o ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello (PMDB-RJ), além de pessoas ligadas aos dois congressistas, o deputado Arthur Lira (PP-AL), o senador Benedito de Lira (PP-AL) e o deputado Nelson Meurer (PP-PR) por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro.
O procurador também pediu ao STF e foi determinado o arquivamento do inquérito sobre o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG)

Justiça confirma justa causa a funcionário que postou vídeo dançando em equipamentos da empresa


Da Redação com TRT-PR

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) confirmou nesta terça-feira (10) a validade da justa causa aplicada um instalador da empresa ACDC Engenharia que promoveu com colegas uma dança em cima de equipamentos da TIM em Curitiba, e postou a gravação do chamado “Harlem Shake” no Youtube. Da decisão, cabe recurso.
De acordo com a decisão, a atitude do trabalhador, que chegou a acionar um extintor dentro do contêiner de telecomunicações, colocou em risco bens de terceiros, associou a imagem da empresa a brincadeira de “baixo nível” e quebrou normas expressas de segurança. O instalador foi demitido em junho de 2013, logo após a empresa descobrir a existência de vídeo no YouTube em que o funcionário, com outros colegas, promove dentro do horário e local de trabalho o chamado “Harlem Shake” (dança sensação na internet em 2013).
A gravação e o compartilhamento do vídeo foram feitos sem prévio conhecimento e consentimento do empregador. Ao pedir a anulação da justa causa, o trabalhador argumentou que foi tratado com rigor excessivo, já que os atos praticados não teriam causado qualquer prejuízo à empresa. Ele admitiu em depoimento que a atividade que desempenhava era perigosa, exigia concentração e que havia normas de segurança a ser seguidas. Entretanto, alegou que o fato de não ter sido punido de imediato – foi dispensado um mês depois do ocorrido – deu a entender que tinha sido perdoado pelo episódio.
Para a ACDC Engenharia, a atitude do funcionário foi imperdoável porque pôs em risco a integridade material de bens de terceiro que estavam sob a guarda da empresa, bem como a própria segurança do trabalhador e a dos demais colegas envolvidos na dança. Os funcionários subiram em equipamentos da TIM, acionaram um extintor de incêndio, efetuaram a performance e divulgaram o vídeo nas redes sociais. Segundo a empresa, se os equipamentos fossem danificados toda uma região poderia ficar sem comunicação, gerando o risco de rompimento do contrato terceirizado, o que acarretaria sérios prejuízos financeiros.
A 4ª Turma de desembargadores manteve a decisão da juíza Patrícia de Matos Lemos, da 10ª Vara do Trabalho de Curitiba, que considerou legítima a demissão. Para o relator do processo, desembargador Célio Horst Waldraff, a atitude do trabalhador foi leviana. Segundo Waldraff, a divulgação do filme na internet manchou a imagem da TIM, porque expôs o logotipo da empresa, associado a brincadeiras de baixo nível, quebrando a confiança que deve nortear as relações de trabalho com ato grave o suficiente para encerrar o contrato com base no artigo 482, h, da CLT, que versa sobre dispensa motivada por indisciplina e insubordinação.

Cunha mostra passaporte a líderes como prova de negócios na África



PUBLICIDADE
Para tentar comprovar suas explicações sobre a origem de seu dinheiro em contas na Suíça, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mostrou a líderes partidários na tarde desta terça-feira (10) seu passaporte com carimbos de entradas na África.
Cunha tem sustentado que todo o dinheiro que tem fora do país é fruto de venda de carne enlatada para a África e de operações no mercado financeiro. Apresentar o documento foi uma forma de o usar como um "álibi" de que sua versão é verdadeira.
De acordo com presentes, o passaporte contem 37 carimbos e foi apresentado aos pares ao final do almoço que ocorre tradicionalmente às terças-feiras na residência oficial de Cunha, onde, oficialmente, é discutida a pauta da semana.
Segundo relatos ouvidos pela Folha, apenas dois de seus aliados mais fiéis, Jovair Arantes (PTB-GO) e André Moura (PSC-SE), se mostraram entusiasmados e convencidos com o documento como comprovação.
Estavam presentes os líderes de quase todos os partidos, com exceção do PT, José Guimarães (CE), PSOL, Chico Alencar (RJ), Rede, Alessandro Molon (RJ) e PPS, Rubens Bueno (PR). 

PSDB diz que defesa de Cunha não convenceu e pedirá sua saída do cargo


s
PUBLICIDADE
Até agora um dos pilares de sustentação política do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o PSDB reuniu sua bancada de deputados federais na noite desta terça-feira (10) e, por unanimidade, decidiu pedir no plenário a sua saída do cargo devido às acusações de envolvimento no petrolão.
"A defesa apresentada até agora pelo presidente da Câmara dos Deputados não convenceu nenhum integrante da bancada do PSDB", afirmou na saída da reunião o líder da bancada, Carlos Sampaio (SP).
Os tucanos darão uma entrevista coletiva nesta quarta (11) em que soltarão uma nota pedindo a saída de Cunha. Também usarão o plenário da Câmara para externar essa posição.
"A nota deixará claro que o PSDB considera que a defesa e os argumentos apresentados pelo presidente da Câmara até agora não convenceram e não têm respaldo em provas, e que seu afastamento é imprescindível para que o plenário da Câmara decida seu destino com a devida isenção", afirmou Sampaio.
A decisão desta terça representa uma mudança na posição da legenda até agora. Apesar de ter assinado há algumas semanas uma nota em que pedia a saída de Cunha, o partido vinha mantendo a sustentação política do peemedebista nos bastidores com o intuito de tentar forçá-lo a deflagrar o processo de impeachment contra Dilma Rousseff.
O desgaste público desse jogo duplo de bastidores, porém, levou a maior parte da bancada a defender uma posição mais direta. Isso representa um golpe na sustentação política de Cunha pois, até agora, somente os nanicos PSOL e Rede pediam claramente sua saída nas sessões plenárias.
Aliados do peemedebista afirmam que irão tentar contornar a situação nos bastidores.
Os dois integrantes do PSDB no Conselho de Ética da Câmara estão autorizados pela legenda a votar contra Cunha.
Cunha sofre processo de cassação no Conselho de Ética da Casa. No dia 24 deve começar a ser votado relatório preliminar que irá definir se o processo segue ou é arquivado. Além de ter sido denunciado pela Procuradoria-Geral da República sob a acusação de envolvimento no escândalo da Petrobras, ele escondeu patrimônio milionário no exterior.

FINALMENTE A JUÍZA DE COLOMBO AUTORIZA REABERTURA DA SANTA CASA

Nossa redação acaba de conversar com o Diretor Diogo Vasconcelos da empresa de Saúde que irá administrar a Santa Casa e o Secretário de Saúde de Colombo Fernando Aguilera que nos relatatam que na quinta feira 12 haverá uma sessão extraordinária  na Câmara Municipal de Colombo onde o interventor e sua equipe dará todos os detalhes para a reabertura da Santa Casa que é uma promessa da prefeita Beti Pavin.

Em breve mais informações....

Domingo foi dia da 12ª Caminhada Internacional na Natureza em Colombo


WEBMASTER 10 DE NOVEMBRO DE 2015

Além da caminhada os participantes tiveram a oportunidade de conhecer uma feira com produtos artesanais e comidas típicas

Na manhã do último domingo, 8, muitas pessoas saíram cedo para participar da 12ª Caminhada Internacional na Natureza
Na manhã do último domingo, 8, muitas pessoas saíram cedo para participar da 12ª Caminhada Internacional na Natureza
A concentração da caminhada foi em frente à Igreja Nossa Senhora da Luz, localizada na Comunidade da Roseira
A concentração da caminhada foi em frente à Igreja Nossa Senhora da Luz, localizada na Comunidade da Roseira
O percurso da caminhada era de dificuldade moderada, com 10 quilômetros, o que não desanimou os participantes
O percurso da caminhada era de dificuldade moderada, com 10 quilômetros, o que não desanimou os participantes
Os participantes também conheceram um pouco dos produtos dos empreendedores locais, como os sucos, geleias, conservas e chocolates artesanais
Os participantes também conheceram um pouco dos produtos dos empreendedores locais, como os sucos, geleias, conservas e chocolates artesanais
Na manhã do último domingo, 8, muitas pessoas saíram cedo para participar da 12ª Caminhada Internacional na Natureza. O evento foi promovido pela Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho que incentiva a qualidade de vida das pessoas e também proporciona momentos de descontração.
“Esses momentos são importantes para a nossa população. Além proporcionar um contato maior com a natureza do nosso município entre os amigos, a caminhada ao ar livre traz benefícios para o corpo e a mente”, ressalta a Prefeita de Colombo, Beti Pavin.
A concentração da caminhada foi em frente à Igreja Nossa Senhora da Luz, localizada na Comunidade da Roseira, que logo ficou lotada de pessoas, que iniciaram o dia com alongamentos, para encarar um percurso de 10 quilômetros de caminhada e com dificuldade moderada.
“A caminhada foi um sucesso, tivemos um grande número de participantes, que além de se exercitarem, também se divertiram. Quem foi gostou e isso mostra que mais uma vez tivemos nossos objetivos alcançados” disse o secretário da Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Antonio Ricardo Milgioransa.
Os participantes tiveram a opção de reservar o café da manhã e almoço, no momento da inscrição. As refeições foram preparadas pela comunidade local, com um cardápio de dar água na boca, as opções disponíveis eram risoto, nhoque, arroz branco, farofa, maionese, carne de frango, carne de porco, saladas e de sobremesa gelatina.
Também foram doados alimentos não perecível, repassados para a Provopar Colombo que distribuirá para a comunidade.
Os participantes também tiveram a oportunidade de conhecer uma feira com produtos artesanais e comidas típicas enriquecendo a produção local. “Os participantes conheceram um pouco dos produtos do Circuito Italiano, como por exemplo, os sucos, geleias, conservas, chocolates artesanais, vinhos e também visitaram a igreja”, conta, Antonio Ricardo.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
FOTO: João Senechal/PMC