Richa homenageia personalidades e enaltece conquistas do Paraná

Nesta sexta-feira (18), o governador Beto Richa irá condecorar com a Ordem do Pinheiro, a mais alta honraria do Estado, 42 personalidades que se destacam em suas áreas de atuação e contribuem para o desenvolvimento do Estado. fot orlando kissner anpr
O Governo do Estado condecorou nesta sexta-feira (18.12), com a Ordem Estadual do Pinheiro, 42 personalidades que se destacam em suas áreas de atividade e contribuem para o desenvolvimento do Paraná e do Brasil. A outorga da mais alta comenda do Estado foi dada pelo governador Beto Richa, em cerimônia no Palácio Iguaçu, com a presença de autoridades, amigos e familiares dos homenageados. A tradicional cerimônia fez parte das ações que marcam os 162 anos de Emancipação Política do Paraná, comemorados dia 19 de Dezembro.

“Um momento especial para todo o Paraná. Estamos homenageando pessoas ilustres, que dão exemplos e contribuem para o fortalecimento da sociedade paranaense e brasileira”, disse Richa. Receberam a Ordem do Pinheiro expoentes da política, economia, da área da Justiça, da religião, das letras e artes, do esporte, da comunicação, da administração pública, empresários e profissionais de diversas áreas. O governador enalteceu o trabalho dos homenageados.

Entre os homenageados, os presidentes da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano; do Tribunal de Justiça, desembargador Paulo Roberto Vasconcelos, e do Tribunal de Contas, Ivan Bonilha; o jurista Ives Gandra da Silva Martins; o arcebispo metropolitano de Curitiba, Dom José Antonio Peruzzo; o empresário João Dória Junior, presidente do Grupo Lide; o presidente da OAB-PR, Juliano Breda, e o presidente da Cooperativa Agrária, Jorge Karl.

“A homenagem se deve às mulheres e aos homens que ajudaram a moldar o Brasil como uma nação que se reconhece nas suas raízes, nas suas realizações e no seu maravilhoso potencial humano e material. E que também contribuíram para formar a identidade paranaense, que é tão cara aos cidadãos deste Estado”, disse o governador.

CONQUISTAS - No seu pronunciamento, Richa falou sobre a trajetória do Paraná, desde a sua Emancipação Política, em 1853, e ressaltou as conquistas econômicas e sociais mais recentes, atribuindo-as ao esforço e o trabalho dos paranaenses. “O Paraná não está livre dos efeitos da tormenta política, econômica e moral que abala o País. Mas não vamos nos deixar consumir pelo sentimento de paralisia que, infelizmente, domina outras instâncias institucionais”, disse Richa. “Os paranaenses, assim como seus irmãos de tantos outros estados, não se deixarão abater pelo imobilismo e pelo medo. Vamos extrair as necessárias lições da crise, trabalhar pela recuperação da economia e promover as reformas de que o Brasil tanto precisa”, declarou.

MASSA CRÍTICA – O governador citou a conquista pelo Paraná da posição de quarta maior economia do País e de segundo estado mais competitivo. “Somos o sexto estado em população e o 15º em extensão territorial, mas temos o quarto maior PIB. Este não é um fato trivial, mas reflete um esforço contínuo deste Estado em favor do diálogo, da transparência pública, da segurança jurídica e da melhoria das políticas sociais”, disse Richa.

O Paraná é o segundo Estado com menor desigualdade social (segundo o Ipea) e tem 96% dos seus 399 municípios com nível de desenvolvimento alto ou moderado e 45 cidades entre os 500 com melhor classificação no Brasil (índice Firjan).

“Para além deste ato cerimonial em si, a outorga desta medalha tem um valor simbólico pelo qual o Estado e o povo paranaense se reconhecem como uma unidade orgânica da federação pautada pelos princípios desenvolvimento, da liberdade, da justiça e da solidariedade.

Box 

RECONHECIMENTO É HONRA

E ESTÍMULO, DIZEM HOMENAGEADOS 


A condecoração pelo Governo do Paraná é uma honra pessoal e um estímulo ao prosseguimento do trabalho, afirmaram os homenageados com a Ordem Estadual do Pinheiro em 2015. “Uma consagração pelo trabalho realizado. A honraria fará me dedicar com mais intensidade ao Estado”, afirmou o presidente da Assembleia legislativa, Ademar Traiano.

“É uma honra e um reconhecimento pelo trabalho que fazemos pelo Paraná no Poder Judiciário”, afirmou o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Paulo Roberto Vasconcelos. “Me sinto muito feliz, fico muito motivado a trabalhar e a me empenhar ainda mais para fazer coisas boas pelo povo paranaense”, disse ele.

“Tenho anos de afeto e um vínculo importante com o Estado do Paraná”, afirmou o jurista Ivens Gandra, que é doutor honoris causa da PUC-PR, onde participa de diversas atividades e palestras. “Aos 80 anos de idade, receber a maior homenagem que o Estado pode oferecer evidentemente me sensibiliza e mexe muito com o coração”, afirmou o jurista.

O orgulho pelo trabalho realizado foi o sentimento manifestado, também, pelo presidente da Federação das Associações Comerciais e Industriais do Paraná (Faciap), Guido Bresolin Junior. Nascido em Cascavel, filho de gaúchos que migraram para o Paraná, o empresário falou de sua trajetória na atividade e como dirigente de entidades de representação. “Me sinto muito honrado e reconhecido pelo trabalho e pela minha dedicação a este Estado onde nasci e que tanto amo.”

O reitor da Unicentro, Aldo Nelson Bona, disse que a homenagem é, também, um reconhecimento ao trabalho das universidades estaduais em prol do desenvolvimento do Estado. “Estendemos essa homenagem a todo o sistema estadual de ensino superior. Fico muito grato por ter sido escolhido, mas divido esta honraria com toda a comunidade acadêmica da Unicentro, instituição que tem feito uma grande trabalho na região Central do Estado”, afirmou ele.

O reconhecimento pelo trabalho na área da saúde e da educação é o ponto que mais emocionou a irmã Rosa Maria Ruthes, gestora educacional do Colégio Mãe de Deus, de Londrina. “Foi uma surpresa este reconhecimento”, disse ela, lembrando que o governo estadual ajuda muito em um grande projeto em Londrina, destinado à comunidade, que é a construção do Teatro Mãe de Deus.

Fazer mais pelo Paraná, lutar para que o municipalismo seja uma referência no Paraná e no Brasil. Essas as palavras de Marcel Micheletto, prefeito de Assis Chateaubriand e presidente da Associação dos Municípios do Paraná. “Uma honraria como a Ordem do Pinheiro mostra que estamos fazendo um bom trabalho pelo municipalismo. Quero cada dia mais representar este Estado”, disse Micheletto.

A valorização pelo trabalho é o aspecto mais importante da homenagem, disse a empresária Flora Madalosso Bertoli. “Sempre trabalhei com o turismo, comércio e com o restaurante e esta homenagem mostra que este trabalho ajudou a levantar o nosso Paraná”, afirmou ela.

O presidente do Conselho Estadual de Educação, Oscar Alves, atribuiu a inclusão de seu nome no rol dos homenageados ao trabalho que realiza na área. “Transfiro a homenagem a todo o Conselho, que tem feito um trabalho excelente durante 51 anos e presta relevantes serviços na área da educação. Nós deliberamos e normatizamos sobre toda a a educação pública básica e superior do Estado”, afirmou.

O empresário e jornalista João Doria Junior, presidente do Grupo Lide, agradeceu a homenagem. “É uma grande honra receber um reconhecimento tão importante como esse, que é oferecido para quem contribui para o desenvolvimento do Paraná e do Brasil. Receber essa homenagem me motiva a fazer mais e a dobrar minha obrigação”, afirmou. Expoente da área do esporte, o técnico Levir Culpi, curitibano do bairro Santa Felicidade, dedicou a honraria aos amigos e familiares. “Tenho uma proximidade muito grande com minha terra natal que é Curitiba”, disse.

CONHEÇA OS HOMENAGEADOS

Classe Grã-Cruz

ADEMAR LUIZ TRAIANO –
 Deputado estadual por sete mandatos e atual presidente da Assembleia Legislativa do Paraná. Advogado, nasceu em Francisco Beltrão e começou sua carreira política em 1982, em Santo Antônio do Sudoeste, onde foi vereador e prefeito.

PAULO ROBERTO VASCONCELOS – Presidente do Tribunal de Justiça do Paraná. Formado em Administração pela UFPR e Direito pela PUC-PR, iniciou na magistratura em 1984 como juiz substituto. Em 2005, foi promovido ao cargo de desembargador do TJ-PR. Nasceu no município de Santo Thomaz de Aquino, em Minas Gerais.

IVAN LELIS BONILHA – Presidente do Tribunal de Contas do Estado. Formado em Direito pela UFPR e mestre em Direito pela PUC-SP. É professor-adjunto da Faculdade de Direito de Curitiba desde 1999.

PLAUTO MIRÓ GUIMARÃES FILHO – Deputado estadual pelo sétimo mandato. Nasceu em Ponta Grossa em 1963 e exerce, pela terceira vez consecutiva, o cargo de primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Paraná.

DOM JOSÉ ANTÔNIO PERUZZO – Arcebispo Metropolitano de Curitiba e bispo referencial da Pastoral da Pessoa Idosa da CNBB e da Catequese na Regional Sul 2. Foi bispo da diocese de Palmas e Francisco Beltrão entre 2005 e 2015. Nasceu em Cascavel, em 1960.

JOÃO DORIA JUNIOR – Formado em jornalismo e publicidade, o empresário, é presidente do Grupo Dória, fundador e presidente do LIDE – Grupo de Líderes Empresariais e membro do Conselho Deliberativo do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo.

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS – Jurista e professor. É professor honorário das universidades Austral (Argentina), San Martin de Porres (Peru) e Vasili Goldis (Romênia). Doutor honoris causa das universidades de Craiova (Romênia) e da PUC-PR. Catedrático da Universidade do Minho (Portugal) e presidente do Conselho Superior de Direito da Fecomércio-SP.

ALCENI ANGELO GUERRA – Formado em medicina pela UFPR, foi prefeito de Pato Branco, ministro da Saúde e da Criança, deputado federal por três mandatos e deputado constituinte, além de ocupar diversas secretarias estaduais e municipais. É vice-presidente do Coritiba Futebol Clube.

LUIZ CARLOS BORGES DA SILVEIRA – Foi ministro da Saúde entre 1987 e 1989, presidente do Parlamento Brasileiro de Saúde, vice-prefeito de Pato Branco, deputado estadual e secretário de Ciência e Tecnologia do Estado de Tocantins. Nasceu na Lapa.

CLÁUDIO LUIZ LOTTENBERG – Presidente do Hospital Israelita Albert Einstein. Graduado pela Escola Paulista de Medicina, é mestre e doutor em Oftalmologia e professor de Políticas Públicas de Saúde do curso do MBA em Saúde do INSPER, em São Paulo. Foi Secretário Municipal de Saúde de São Paulo.

Classe Grande Oficial 

ANTÔNIO MIGUEL ESPOLADOR NETO – Presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP). Inaugurou seu primeiro empreendimento comercial, a loja Pague Menos Calçados, aos 14 anos de idade. Foi presidente do SINDCCAL, fundou e presidiu a Associação Brasileira de Lojistas de Artefatos e Calçados (ABLAC).

JOSÉ DELIBERADOR NETO – Procurador de Justiça. Ingressou no Ministério Público do Paraná em 1978 como promotor e, em 1994, foi promovido a procurador. Foi diretor da Penitenciária Feminina do Paraná, chefe de gabinete das secretarias de Estado da Justiça, da Casa Civil, da Governadoria e diretor-geral do Detran-PR.

ALDO NELSON BONA – Reitor da Unicentro, presidente da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (APIESP) e vice-presidente da Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (ABRUEM). É graduado em Filosofia pela UFPE, mestre pela Unicamp e doutor em História pela UFF. Nasceu em Foz do Iguaçu.

CARLOS EDUARDO GARCIA – Reitor da Universidade Paranaense (UNIPAR ), membro do corpo editorial da Akrépolis – Revista de Ciências Humanas da instituição, onde também atua nos arquivos de Ciências Veterinárias e Zoologia.

OSCAR ALVES – Presidente do Conselho Estadual de Educação desde 2012. Membro da Academia de Letras, Ciências e Artes de Londrina, membro honorário da Academia Paranaense de Medicina e cidadão honorário de Curitiba. Graduado em medicina pela PUC-PR e doutor pela USP. Nasceu em Birigui (SP).

DANIEL PIMENTEL SLAVIERO – Diretor-geral do SBT Brasília e presidente em segundo mandato da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert). Foi membro do Conselho de Administração da Editora O Estado do Paraná e vice-Presidente da América Latina da Associação Internacional de Radiodifusão.

FLORA MADALOSSO BERTOLLI – Nascida em Caxias do Sul (RS), veio com a família a Curitiba com nove anos de idade. Em 1963, começou, com um marido, um pequeno restaurante em frente à casa da família. Com a clientela aumentando, inaugurou sete anos depois o restaurante Novo Madalosso, recebeu o título de “Maior Restaurante das Américas” no Guinness Book.

GUIDO BRESOLIN JUNIOR – Empresário, presidente da Bresolin Indústria e Comércio de Madeiras Ltda e da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (FACIAP), além de outras entidades do setor empresarial.

JORGE KARL – Presidente da Cooperativa Agrária Agroindustrial e diretor da Ocepar. É graduado em Engenharia Agronômica pela UEM, participa de diversas entidades que representam o setor agrícola.

JOSÉ EUGENIO SOUZA DE BUENO GIZZI – Presidente do Sinduscon-PR. Formado em engenharia civil pela UFPR, é proprietário da Itaúba Incorporações e Construções, especializada na construção de pontes e viadutos. É também vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, da FIEP e do Movimento Pró-Paraná.

JULIANO BREDA – Advogado e presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Paraná (OAB-PR). É formado em Direito, mestre e doutor Direito das Relações Sociais pela UFPR. Membro da direção do Grupo Brasileiro da Associação Internacional de Direito Penal.

JORGE AMIN BACILA – Médico formado pela Faculdade Fluminense de Medicina, em 1947, exerceu a profissão por 63 anos, até se aposentar em 2010, com 90 anos de idade. Atendeu, por 29 anos, comunidades de Palmeira, Porto Amazonas e São João do Triunfo, até se mudar para Curitiba, onde trabalhou por 34 anos. É natural de Palmeira. 

MARCEL HENRIQUE MICHELETTO
 – Prefeito de Assis Chteaubriand e presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP). É formado em gestão imobiliária pela Unigram e foi o mais jovem prefeito eleito em Assis Chateaubriand.

PASCHOAL PIRAGINE JUNIOR – Pastor titular da Primeira Igreja Batista de Curitiba há 26 anos e presidente da Associação Brasileira de Ação Social (ABASC). Atua como palestrante e conferencista nacional e internacional e já publicou sete livros. Foi professor das Faculdades Teológicas Batista em São Paulo e no Paraná. Nasceu em São Paulo.

WAGNER TADEU DOS SANTOS GABY – Presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba e do Conselho Deliberativo do Instituto Betânia de Ação Social. É advogado, mestre em Teologia e em Educação e capelão do Exército Brasileiro. Membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil e da Casa de Letras Emílio Conde.

Classe Comendador 

DINO ZAMBENEDETTI – Escritor e professor da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Formado em Letras Neolatinas pela UEL e em Direito pela PUC-PR. Integrou o primeiro corpo docente da Faculdade de Cornélio Procópio, assumindo a cadeira de Literatura Portuguesa. Foi um dos fundadores do MDB em Londrina.

HELIO DE FREITAS PUGLIELLI – Jornalista e escritor. Foi editorialista dos jornais O Estado do Paraná, Indústria e Comércio e Gazeta Do Povo e assessor de comunicação de órgãos públicos estaduais. É professor aposentado da UFPR e da PUC-PR.

IRMÃ ROSA MARIA RUTHES - Membro do Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt e gestora educacional do Colégio Mãe de Deus de Londrina. É mestre em Administração pela Unopar e doutora em Ciências pela Unifesp. Foi conselheira do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS).

ARMANDO STAUDT MANFROI – Administrador do Jornal do Oeste, em Toledo, membro da Diretoria da Associação dos Jornais Diários do Paraná (ADI-PR) e professor adjunto da PUC-PR – Campus Toledo. É natural de Passo Fundo (RS).

ARNO KUNZLER – Jornalista. É secretário-geral da Associação dos Jornais Diários do Interior (ADI-PR), diretor e fundador do jornal O Presente e da Editora Amigos da Natureza. Nasceu em Santo Cristo (RS).

MARCIO ALBINO DARIN – Economista e empresário. Sócio da Itaipu Construtora de Obras, proprietário do Buffet Du Batel e administrador da Santa Cruz Construtora de Obras.

MAURO RIBEIRO – Empresário e ciclista profissional, é proprietário da Mauro Ribeiro Sports, empresa especializada na produção vestuário para ciclistas. Foi tricampeão Paranaense, campeão Brasileiro Adulto e Júnior, campeão Pan-americano, medalhista nos jogos Pan-Americanos de Mar Del Plata e campeão do Tour de France, entre outros.

VALTER PITOL – Engenheiro Agrônomo e presidente da UNITÁ Cooperativa Central. Foi extensionista do Emater, presidente da Copacol, da Cotriguaçu e diretor da Central Frimesa e da Ocepar. É natural de Passo Fundo (RS).

VLADEMIR DALEFFE – Diretor da Copel Distribuição. Trabalha na Copel há 31 anos, onde começou como estagiário do programa Clic Rural, quando tinha apenas 14 anos. É engenheiro eletricista pela UTFPR, especialista em Gestão Empresarial (PUC-PR), Gestão Técnica de Concessionárias de Energia Elétrica (UFPR), Administração Geral e Estratégia (Unioeste) e em Gestão de Qualidade (Juse – Japão).

WILSON SOUZA DE OLIVEIRA – Diretor presidente da Editora Diário dos Campos, responsável pelo jornal Diário dos Campos, de Ponta Grossa, o mais antigo periódico do Paraná, com 108 anos. Foi um dos fundadores do Jornal de Londrina.

LEVIR CULPI - Técnico de futebol por 30 anos, dirigiu vários times brasileiros e internacionais em mais de 1.500 jogos. Foi Campeão no Brasil e América do Sul e recordista de jogos no Japão. Atuou no Paraná Clube, Cruzeiro, São Paulo, Botafogo, Palmeiras, Sport Pernambuco, Portuguesa, Guarani, Internacional, Atlético Mineiro, Cerezo Ozaka, no Japão, e Al Ettifaq, na Arábia Saudita.

NILSON MONTEIRO – Jornalista e escritor, é membro da Academia Paranaense de Letras. Trabalhou em vários veículos, como a revista IstoÉ e os jornais O Estado de São Paulo e Gazeta Mercantil, no qual foi chefe de redação da sucursal paranaense. Escreveu onze livros, entre biografias, reportagens, crônicas, poesias e romance.

ADEMAR PAES DE ALMEIDA – Empresário, foi sócio do laboratório Biopar e do Grupo de empresas Biosystems, Equipar, Eximlab, Metrocenter e TDS. Em 1980, fundou a empresa Comlab, de produtos para laboratórios e análises clínicas. É natural de Sertânia (PE).

EVANIUS GARCIA WIERMANN – Médico e oncologista do Instituto de Oncologia do Paraná, Hospital Vita e Santa Cruz. É presidente nacional da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica. Formou-se em medicina na UFMG e em oncologia clínica pela Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte.

LUIZ ERNESTO WENDLER – Médico e proprietário do Hospital Nossa Senhora do Rocio, em Campo Largo. Formou-se na Faculdade Evangélica de Medicina, onde também fez residência médica em cirurgia. Fez mestrado e doutorado em cirurgia no Hospital Universitário Evangélico pelo Instituto de Pesquisas Médicas deste hospital.

MIGUEL CARLOS RIELLA – Médico nefrologista, fundador e presidente da Fundação Pró-Renal e professor da PUC-PR e da Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná. Foi pioneiro no Brasil na introdução da diálise peritoneal domiciliar e é o único médico formado e atuante no Paraná que é membro da Academia Nacional de Medicina.

MONSENHOR BERNARD CARMEL GAFÁ – Vigário-geral da Arquidiocese de Londrina, juiz do Tribunal Eclesiástico, professor de latim no curso de pós- graduação de Direito Canônico afiliado à Universidade de Roma. Nasceu em Misida, na Ilha de Malta.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:

www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr
Áudio

Senado gasta R$ 2,6 milhões em móveis novos


Entre os itens comprados há sofás, cadeiras, mesas, armários e gaveteiros

MURILO RAMOS
18/12/2015 - 07h01 - Atualizado 18/12/2015 08h41
Plenário do Senado Federal. Nesta quarta-feira (2), a Casa aprovou o fim das doações empresariais a campanhas eleitorais (Foto: Pedro França/Agência Senado)
É uma festa sem fim. Servidores do Senado ganharão aumento de 21% e, de sobra, alguns móveis novos. As compras, que envolvem sofás, cadeiras, mesas, armários e gaveteiros, somam o  valor de R$ 2,6 milhões. Contudo, com o recesso de fim de ano, os servidores só poderão desfrutar de seus “presentes” em 2016.

Cerveró e Youssef vão passar as festas de fim de ano em casa


Os dois devem deixar a carceragem da Polícia Federal em Curitiba entre os dias 23 de dezembro e 2 de janeiro de 2016

REDAÇÃO ÉPOCA
18/12/2015 - 15h44 - Atualizado 18/12/2015 15h44
Nestor Cerveró  e Alberto Youssef  (Foto: Geraldo Bubniak / AGB / Ag. O Globo e Geraldo Bubniak/AGB/Folhapress)
O doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró vão passar as festas de fim de ano em casa. Os dois estão presos na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba (PR), por suspeitas de envolvimento nos esquemas de corrupçãoinvestigados na Lava Jato. A defesa de ambos, segundo o G1, afirmou que a saída temporária está prevista nos acordo dedelação premiada firmados com a Justiça. O STF autorizou a saída.
Os dois devem ficar fora da carceragem entre os dias 23 de dezembro e 2 de janeiro de 2016. Segundo o G1Youssef Cerveróserão monitorados por tornozeleira eletrônica e por escolta policial.
De acordo com a Folha de São Paulo, o doleiro deve passar as festas de fim de ano em uma casa alugada em Curitiba com as três filhas. Segundo o jornal, o local ainda está sendo procurado por familiares de Youssef, que deverão bancar os custos da casa. Uma das dificuldades para encontrar um local é que a casa precisa ter um espaço independente para abrigar os agentes da PF, responsáveis não só pela vigilância do local como também da segurança do delator, segundo a Folha.
"Não é um favor nem um privilégio. Mais de dez operações da PF tiveram origem na colaboração do Alberto. É uma homenagem da Procuradoria e do Supremo a essa colaboração", afirmou o advogado Antonio Augusto Figueiredo Basto à Folha.
O local onde Cerveró deverá ficar não foi revelado por questões de segurança. Segundo reportagem da Folhahá uma preocupação maior com ele visto que ele colaborou com as investigações que levaram o senador Delcídio do Amaral e do banqueiro André Esteves, do BTG Pactural.

Exclusivo: Agência ligada ao PT e mulher de Fernando Pimentel faziam lobby no BNDES, diz PF


Documentos apreendidos pela operação Acrônimo revelam intermediação de negócios junto ao banco estatal e pagamentos de viagens do governador Fernando Pimentel por empresário

FILIPE COUTINHO E THIAGO BRONZATTO
18/12/2015 - 12h54 - Atualizado 18/12/2015 14h50
Relatório sigiloso da Polícia Federal obtido por ÉPOCA afirma que a  agência de publicidade Pepper , ligado ao PT, e a mulher do atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), Carolina Oliveira,  faziam lobby  junto ao governo federal e ao BNDES, justamente no período em que o petista era o presidente do conselho de administração do banco.

>>PF deflagra nova fase da Acrônimo e mira em empresário do ramo de planos de saúde
Documento apreendido pela Operação Acrônimo (Foto: Reprodução)

 
O grupo é investigado por lavagem de dinheiro na operação Acrônimo, que realizou a quarta fase na última quarta-feira. Ao pedir uma série de buscas e apreensões, a PF apresentou aoSuperior Tribunal de Justiça diversas provas de lobby no BNDES, incluindo e-mails de Danielle Fonteles, dona da agência Pepper, que recebeu R$15 milhões por serviços de comunicação prestados ao PT, e  que é amiga pessoal do casal Pimentel.

>>

“No transcorrer da investigação, constatou-se que a Pepper/Danielle atuava não apenas como empresária da comunicação, mas também por meio de Carolina Oliveira, era uma espécie de intermediária entre empresas privadas interessadas em obter benefícios junto ao governo e a Fernando Pimentel”, diz a PF.

>>

Um exemplo utilizado pela PF para retratar como Danielleintermediava negócios de empresas privadas com o governo são e-mails impressos apreendidos na casa da dona da agência Pepper. Na troca de correspondências eletrônicas, datadas em setembro de 2011, a empresária Marta Rocha, da Atitude Brasil, especializada em comunicação social, cultural e ambiental, pede a ajuda de Danielle para viabilizar um negócio junto ao então ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Pimentel. Marta queria que Danielle fizesse lobby para o BNDES, subordinado ao MDIC, contratar a consultaria do prêmio Nobel da Paz Muhammad Yunus, do Grameen Bank, que se popularizou como o “banco dos pobres” na Índia por oferecer microcrédito para clientes de baixa renda. "Dany, como combinado ao telefone gostaria de montar uma parceria com você para que pudesse nos ajudar na articulação com a participação do governo em dois dos nossos projetos. Tenho certeza que ambos são de interesse do próprio Ministro Fernando Pimentel (a articulação com Dilma/governo)...”, diz o e-mail do dia 1º de setembro, enviado por Marta às 16h22.

>>

Quatro dias depois, Danielle responde a Marta e diz no meio da mensagem: “Copio a Carol para que ela nos ajude na questão da aproximação do Prof Yunus com o BNDES. Essa semana eles viajam para a Colômbia, mas semana que vem a gente vê se existe a possibilidade dela, Carol, te receber juntamente com o Ministro", diz o e-mail. Carol é Carolina Oliveira, atual mulher de Pimentel. Em 2011, na época dos fatos, ela era assessora de imprensa do BNDES e mantinha relacionamento bem próximo com Pimentel. A ligação entre Carolina e Danielle não se resume apenas a uma amizade. As duas fizeram negócios juntas. Já fora do banco estatal, Carolina recebeu por meio de sua consultoria, a Oli Comunicação, R$ 300 mil da Pepper, entre 2012 e 2014, por supostos serviços de marketing digital. “O papel de Danielle Fonteles vai além do papel de uma empresária na área de comunicação, pois ela aparece como uma intermediária dos interesses de empresas privadas, brasileiras e estrangeiras, junto ao governo federal. Para tal atividade, ela conta com a participação direta de Carolina de Oliveira, mulher de Pimentel”, diz a PF.

>>

Outro material apreendido pela PF na casa de Danielle Fonteles revela a proximidade entre a dona da Pepper e Fernando Pimentel.  Durante as diligências dos policiais foi encontrado um ofício endereçado ao presidente de Gana John Dramani Mahamae emitido pelo gabinete do MDIC, na data de 9 de outubro de 2012, assinado pelo então ministro Pimentel. O documento oficial trata da satisfação de Pimentel pelo sucesso da cooperação comercial entre o país africano e o BNDES relacionada ao aeroporto Tamale. Investigadores ficaram surpresos quando se depararam com uma carta assinada pelo então ministro do MDIC, que deveria ser restrita a pessoas do governo.
Os passeios de Pimentel
A investigação também descobriu que o empresário Benedito Oliveira Neto, o Bené, suspeito de ser o operador de Pimentel, pagou pelo menos R$ 237 mil de despesas do casal em viagens. Tinha até réveillon em Miami quando o petista era ministro do Desenvolvimento. Ao mesmo tempo em que bancava os passeios de Pimentel e Carolina, Bené arrecadava dinheiro junto a empresas e, segundo a PF, até fraudava relatórios para justificar serviços de consultoria que não foram prestados. 

>>Investigação da PF aponta compra de portaria no governo Dilma em favor da Caoa
Documentos da Operação Acrônimo revelam lobby no BNDES (Foto: Reprodução)

 
A operação Acrônimo apreendeu ainda diversos documentos que comprovam que Bené pagava despesas de Pimentel. As notas fiscais tratam de gastos com táxi aéreo, hotéis no Rio de Janeiro e viagens a Miami. Fernando Pimentel e Carolina Oliveira tinham predileção por jatinhos particulares.

Em 28 de dezembro de 2013, Pimentel tirava uma folga doMinistério do Desenvolvimento para passar o réveillon em Miami junto com a mulher. Voltaram dez dias depois, com uma fatura de exatos R$ 44.369,10. A PF apreendeu a cobrança da agência de turismo e a nota emitida para pagamento. Não era Fernando Pimentel ou Carolina Oliveira o destinatário da cobrança. Era Bené. O episódio do réveillon é apenas mais um caso envolvendo os pagamentos de Bené e os passeios do casal. Houve ainda uma viagem no feriado e diversos deslocamentos no ano passado, no período da eleição. A PF descobriu também queera Bené quem controlava os voos de Pimentel na campanha e que ele mantinha uma “tabela de voos em separado”, o que pode ser um indicativo de caixa dois. “A utilização de empresas de turismo é uma forma de ocultar o verdadeiro pagador dos benefícios usufruídos por Fernando Pimentel e Carolina Oliveira, que no caso concreto são as empresas de fachada de Bené”, diz a PF. “Existem fortes indícios de que os valores resultantes do uso de aeronaves particulares para aquele fim não oram declarados na prestação de contas do governador de Minas Gerais”, completa o relatório.

Enquanto Bené pagava despesas de Pimentel, ele usava empresas de fachada, que nem sequer tinham funcionários, para arrecadar. Como ÉPOCA revelou, Bené fazia lobby no Ministério do Desenvolvimento em favor da CAOA, para viabilizar benefícios fiscais para a montadora. “Acredita-se que os benéficos fiscais concedidos a empresa CAOA foram em decorrência do modus operandi identificado no esquema criminoso ora investigado, qual seja, uso de influência junto a servidores públicos para a realização de atos de ofício em troca de pagamentos indevidos”, diz a PF.

Não foi de graça que Bené fez lobby para a CAOA no Ministério do Desenvolvimento. No total, suas empresas de fachada ganharam R$ 2 milhões da CAOA em consultorias prestadas. E foi aí que começaram os problemas. Os relatórios que comprovariam os serviços trazem graves indícios de fraudes. São, na verdade, cópias de trabalhos publicados na internet. Bené nem se dava ao trabalho de reescrever: apenas tirava o nome do autor e coloca a logomarca de suas empresas de fachada.
Em nota, o BNDES negou as suspeitas levantadas pela PF. “Nunca houve nenhuma ação de lobby junto ao BNDES por parte de Daniele Fonteles em favor da empresa Atitude Brasil, da consultoria de Muhammad Yunus ou de qualquer outra empresa ou pessoa. O BNDES possui apenas um contrato de patrocínio a um evento da Atitude Brasil, firmado em 2008 e no valor de R$ 150 mil. O evento foi efetivamente realizado e as prestações de contas foram devidamente entregues, não havendo nenhuma pendência em relação ao contrato.”
Em nota, a CAOA afirmou que não há irregularidade no contrato com as empresas de Bené. "O projeto de consultoria em questão é um trabalho eminentemente técnico, realizado por consultores, seguindo uma metodologia específica, e está sendo utilizado por diversas áreas da CAOA em suas atividades."

Procurados, os advogados de Fernando Pimentel e de Benedito de Oliveira não responderam. Marta Rocha, da Atitude Brasil, não foi localizada. A reportagem aguarda um posicionamento da Pepper.

Chefe do tráfico de maior facção do Rio é preso em apartamento de luxo no litoral de Santa Catarina


PL no apartamento que alugou, em Balneário Camboriú
PL no apartamento que alugou, em Balneário Camboriú Foto: Divulgação
Paolla Serra
Tamanho do texto A A A
Policiais da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) prenderam, na manhã desta sexta-feira, um dos chefes do tráfico da maior facção criminosa do Rio. Paulo César Souza dos Santos, o PL, que é chefe da quadrilha que domina o tráfico no Complexo do Lins, estava em um apartamento de luxo, com vista para o mar do Balneário Camboriú, no litoral de Santa Catarina.
A vista do apartamento onde o criminoso estava com a família
A vista do apartamento onde o criminoso estava com a família
De acordo com o delegado Antenor Lopes Martins Junior, titular da especializada, PL é chefe do "bonde do Lins" - uma referência ao bairro da Zona Norte do Rio onde bando ficou conhecido. Os integrantes foram flagrados, armados, numa comunidade da região, em 2013. PL aparece em um vídeo descendo escadas da favela ao lado de homens armados.
Um dos carros que estava com PL
Um dos carros que estava com PL Foto: Divulgação
Com o criminoso, estavam dois carros do modelo IX35. Um veículo novo desse tipo está custando cerca de R$ 100 mil.
PL, de blusa listrada, ao lado de criminosos armados
PL, de blusa listrada, ao lado de criminosos armados Foto: Reprodução
PL estava com o família, em um flat alugado por R$ 10 mil, onde iria passar as festas de Natal e réveillon. O apartamento, de três quartos e vista para o mar, fica em um prédio na esquina da praia.
O apartamento tem dois quartos e uma suíte
O apartamento tem dois quartos e uma suíte Foto: Divulgação
Ainda segundo o delegado, PL deixou o Lins após o anúncio da instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) e foi morar em Porto Alegre. Na cidade, ele se apresentava como Carlos e dizia ser dono de lojas no Rio.
O prédio de luxo onde o criminoso passaria o Natal
O prédio de luxo onde o criminoso passaria o Natal Foto: Divulgação
Contra ele, havia sete mandados de prisão e 25 anotações criminais. Ele deixou o sistema penitenciário em 2010, em liberdade condicional, depois de cumprir duas penas pelo crime de tráfico de drogas. A operação para prender o bandido contou com o apoio do delegado Raphael Werling, da Polícia Civil de Santa Catarina.


PGR denuncia deputado Vander Loubet e mais quatro


Parlamentar do PT-MS é acusado de integrar organização criminosa.
Segundo denúncia, grupo teria recebido R$ 1 milhão entre 2012 e 2014.

Renan RamalhoDo G1, em Brasília
A Procuradoria Geral da República apresentou nesta sexta-feira (18) denúncia contra o deputado federal Vander Loubet (PT-MS) e outras quatro pessoas envolvidas na Operação Lava Jato: Pedro Paulo Leoni Ramos, Ademar Chagas da Cruz, Fabiane Karina Miranda Avanci e Roseli da Cruz Loubet, segundo informou a assessoria do órgão.
Todos são acusados dos crimes de organização criminosa, em esquema ligado ao senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) junto à BR Distribuidora. Segundo a peça, mantida sob segredo de Justiça, foram encontrados indícios de corrupção passiva no valor de R$ 1.028.866,00, entre 2012 e 2014.

Procurado pelo G1, o advogado de Loubet, Paulo Quezado, afirmou que ainda não teve acesso à denúncia e só se manifestará após ler a peça. Quando as suspeitas envolvendo Collor vieram à tona, o advogado do parlamentar não comentou o caso.

Loubet faz parte do primeiro grupo de políticos investigados pela Lava Jato. Em março deste ano, foi aberto um inquérito sobre ele. Na peça, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedia investigação dele por supostamente ter se associado ao lobista Jorge Luz e ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa para discutir repasses de dinheiro para o ex-deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), que é investigado no mesmo inquérito.
As investigações apontam que Loubet teria recebido recursos de Pedro Paulo Leoni Ramos, ligado a Collor e que atuava na gestão de fundos de investimentos e de recursos junto à BR Distribuidora. Para isso, teria se utilizado de “esquema fraudulento de transferências de recursos” por meio de empresas de fachada do doleiro Alberto Youssef, em contratos com a Petrobras.
Ainda segundo as investigações, Loubet faria parte do núcleo político do esquema da Petrobras e recebeu valores que sabia terem origem em fraudes na Petrobras. Segundo a PGR, ele teria ele dissimulado a origem dos valores pagando fornecedores de campanha eleitoral em 2012.
Em depoimento à PF, Loubet negou ter recebido qualquer vantagem financeira de contratos da Petrobras, que não possui negócio em comum com Vaccarezza, nem “qualquer tipo de subordinação na atuação político-partidária”.

Bandidos invadem lojas vizinhas ao mesmo tempo e deixam um baleado no Boa Vista


Por Felipe Ribeiro e Daniela Sevieri
Foto: Daniela Sevieri - Banda B
Foto: Daniela Sevieri – Banda B

Um assalto simultâneo contra uma papelaria e uma loja de produtos automotivos terminou com um jovem de 25 anos baleado no final da tarde desta sexta-feira (18) no bairro Boa Vista, em Curitiba. De acordo com testemunhas, a vítima saía do banheiro no momento da voz de abordagem e os bandidos acreditavam que ela tinha se escondido para chamar a polícia.
Segundo uma das comerciantes do local, esta foi a primeira vez que isso ocorreu com ela no local. “Foi um susto muito grande. Nós já estávamos fechando a loja quando um deles entrou. Até pensei que fosse um cliente, mas imediatamente ele já nos ameaçou e mandou nós nos abaixarmos”, comentou.
O assalto ocorreu no cruzamento das ruas Simão Mansur com Flávio Dalegrave e todo o dinheiro dos caixas foi levado.
Uma moradora da esquina relatou que foi a primeira vez que presenciou um assalto na região. “Abandonei tudo o que eu estava fazendo para atender. Ficamos muito assustados com toda a situação”, relatou.
O jovem de 25 anos foi socorrido pelo Siate e encaminhado ao pronto-socorro com um disparo nas costas.
A Polícia Militar já busca os três suspeitos. A Delegacia de Furtos e Roubos investiga o caso.