Em cenário otimista, governo poderia ter cinco votos do PMDB do Senado


Com enfraquecimento de Dilma e investidas de Temer, número já baixo tenderia a cair ainda mais

RICARDO DELLA COLETTA
19/04/2016 - 09h29 - Atualizado 19/04/2016 09h29
Senado vota sobre decisão de manter ou liberar Delcídio do Amaral (PT-MS) da prisão (Foto: Wilson Dias / Agência Brasil)O Plenário do Senado Federal (Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil)
No mais otimista dos cenários, Dilma Rousseff poderia ter até cinco votos do PMDB no Senado, segundo interlocutores do partido na Casa. Seriam eles Roberto Requião, João Alberto, Edison Lobão, Sandra Braga e Jader Barbalho, de um total de 18 senadores peemedebistas. O problema é que o enfraquecimento da presidente e as investidas do vice Michel Temer - cada vez mais próximo ao Planalto - podem diminuir esse número ainda mais. Até poucos dias da votação na Câmara, por exemplo, governistas chegaram a contar com 15 votos do PMDB. Acabaram só com sete.
A propósito, senadores do PT avaliam que barrar o afastamento de Dilma já seria extremamente difícil caso só precisassem de um terço da Casa para arquivar o processo. Como a votação preliminar que define a suspensão se dá por maioria simples, a tarefa é tratada nos bastidores como uma espécia de missão impossível.