Preso em Curitiba, ex-senador sonda advogados especialistas em delação


Gim Argello, do PTB do Distrito Federal, foi alvo da Operação Lava Jato no começo da semana

DANIEL HAIDAR
15/04/2016 - 18h35 - Atualizado 15/04/2016 19h07
Gim Argello (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
O ex-senador Gim Argello (PTB) e seu ex-assessor Valério Neves Campos sondaram advogados para tentar um acordo de delação premiada. As conversas ainda não superaram a barreira dos honorários e da confissão do que podem revelar. Argello tem mais pressa, porque está preso por tempo indeterminado. A prisão temporária de Campos vence no sábado.
Atualização: Valério não precisará mais dos serviços de advogados especializados em delação premiada. Isso porque o juiz Sergio Moro mandou soltá-lo da prisão. Já Gim Argello não teve a mesma sorte, ao menos por enquanto.