Mãe mostra mensagens enviadas pelo filho que estava na boate em Orlando: 'Vou morrer'


Mina Justice mostra o sms enviado pelo filho
Mina Justice mostra o sms enviado pelo filho Foto: Courtesy of Mina Justice via AP
Extra

Uma mãe mostrou aos repórteres as últimas mensagens que recebeu do filho que estava na boate Pulse, em Orlando, onde aconteceu o massacre. Mina Justice estava dormindo quando recebeu o primeiro texto de seu filho, Eddie Justice. Ela ainda não teve informações do filho, segundo a agência de notícias “Associated Press”.
"Mamãe eu te amo", diz a primeira mensagem às 02:06. “Na boate onde houve o disparo disparo”, escreve ele em seguida. Mina Justiça tentou ligar para seu filho, mas não teve nenhuma resposta.
Ela, então enviou uma resposta: “Você está bem?” Às 2:07, ele escreveu: “Preso no ​​banheiro”. Ela perguntou o nome da boate e ele respondeu “Pulse..chame a polícia”. Então, às 2:08 ele escreveu: “Eu vou morrer”.
A mãe ligou para a polícia e enviou várias mensagens ao filho depois na esperança de que eles respondesse. Às 02:39 ele respondeu: “Chame eles mãe. Agora. Ele está vindo. Eu vou morrer”, escreveu.
Mina Justice recebeu mensagens do filho Eddie Justice que estava escondido num banheiro
Mina Justice recebeu mensagens do filho Eddie Justice que estava escondido num banheiro Foto: Tamara Lush / AP
A mãe apelou desesperadamente para que o filho respondesse. Então, às 2:49 Eddie escreveu que ainda estava escondido no banheiro. "Ainda aqui no banheiro. Eles (policiais) precisam vir nos pegar". A mãe informou que a polícia estava lá, e o jovem escreveu "Depressa" e "Ele está no banheiro com a gente" e "Ele é um terrorista". Em seguida ela perguntou se o terrorista estava no banheiro e, um minuto depois, a mãe recebeu um texto final de seu filho: "Sim".
A mãe ainda aguarda notícias do filho, mas afirmou aos repórteres locais que estava com uma sensação ruim. "Seu nome ainda não foi divulgado e isso é ruim. Eu só tenho esse sentimento. Eu tenho uma sensação ruim", disse Mina, segundo o "Florida Times Union".