Os cúmplices Mantega, Barbosa, Coutinho, Bendine, Tombini



No seu parecer, Júlio Marcelo de Oliveira recomenda que os cúmplices de Dilma Rousseff na fraude orçamentária paguem multas e permaneçam de cinco a oito anos inabilitados para funções públicas.
O procurador pede ao TCU para "considerar graves as infrações cometidas e inabilitar os srs. Guido Mantega, Nelson Henrique Barbosa Filho, Dyogo Henrique de Oliveira, Arno Hugo Augustin Filho, Marcus Pereira Aucélio, Marcelo Pereira de Amorim, Jorge Fontes Hereda, Luciano Galvão Coutinho, Aldemir Bendine, Alexandre Antonio Tombini e Tulio José Lenti Maciel para o exercício de cargo em comissão ou função de confiança no âmbito da Administração Pública, por prazo de cinco a oito anos, na forma do art. 60 da Lei 8.443/1992."