Em inauguração de linha de metrô, Temer prevê paz na Olimpíada e comete gafe ao falar que ‘câncer foi útil’


estadao_conteudo_cor


ebc-des
Presidente interino Michel Temer participa da inauguração da Linha 4 do Metrô no Rio de Janeiro Beto Barata/PR/Agência Brasil
O presidente em exercício Michel Temer participou, neste sábado, da inauguração da linha 4 do metrô do Rio, que liga Ipanema, na zona sul, a Barra, na zona oeste. Em discurso a cinco dias para a abertura da Olimpíada, disse que “o Brasil precisa de paz, e nada melhor para isso do que o esporte”. Otimista em relação ao sucesso do evento, Temer ainda afirmou que os Jogos Olímpicos “demonstrarão a unidade do Brasil e nossa capacidade obreira”.
Durante o discurso, o presidente em exercício cometeu uma gafe ao cumprimentar o governador afastado Luiz Fernando Pezão, em rara presença pública, depois de cinco meses de tratamento contra o câncer. “Pezão está até mais bonito, acabou sendo uma coisa útil para o Pezão”, discursou.
O governador do Rio foi diagnosticado com linfoma não-Hodgkin, tipo de câncer linfático, em março. Ele entrou de licença médica, prevista para terminar em 31 de agosto. Pezão passou por seis ciclos de quimioterapia e foi dispensado dos últimos dois depois que os resultados de exames mostraram “resolução precoce” do câncer.
A previsão total de gastos na linha 4 do metrô Ipanema – Barra é de R$ 9,7 bilhões. A obra é do Governo do Estado com suporte financeiro do Governo Federal, em parceria público-privada (PPP) É a empreitada mais atrasada e cara dos Jogos Olímpicos: será inaugurada na segunda-feira, 1º de agosto, mas a princípio só para a “família olímpica” – usuários credenciados para os Jogos. Inicialmente, o trecho deveria estar pronto no início de 2016, mas atrasos já deixaram uma das estações para 2018.