'Foi feita a vontade dele', diz mãe que doou órgãos do filho para transplante


Jovem vítima de acidente foi sepultado em Presidente Prudente.
Família aguarda as investigações sobre o caso e espera 'justiça'.

Heloise HamadaDo G1 Presidente Prudente
Sepultamento do adolescente foi realizado no Cemitério São João Batista, em Presidente Prudente (Foto: Heloise Hamada/G1)Sepultamento do adolescente foi realizado no Cemitério São João Batista, em Presidente Prudente (Foto: Heloise Hamada/G1)
Foi sepultado em Presidente Prudente na tarde desta quarta-feira (13) o corpo do adolescente Marcos Rodrigo Ramaro de Carvalho, de 14 anos, que morreu vítima de acidente de trânsito no fim de semana, em Álvares Machado. Nesta terça-feira (12), os órgãos do garoto foram doados para transplante.
saiba mais

Quem autorizou a captação dos órgãos foi sua mãe, Maria José dos Santos Ramaro. Ainda muito abalada, ela disse ao G1 que está “perdida”. Além do filho adolescente, ela ainda perdeu no acidente o marido e a filha.
“Sinceramente, eu nem sei o que falar, estou perdida. Os três eram a minha família, e tem meu netinho, que está internado. A doação de órgãos era o que ele já conversava em família, foi feita a vontade dele”, afirmou.
A estudante Adria Cristina da Silva Ramaro, de 15 anos, prima de Marcos Rodrigo, também comentou sobre a doação. “Ele sempre comentava que queria ser doador, foi o último grande gesto dele. Nós crescemos juntos e vou lembrar de tudo o que passamos. Só vão restar essas lembranças”, relatou a garota ao G1.
Jovem foi a terceira vítima falta do acidente (Foto: Heloise Hamada/G1)Jovem foi a terceira vítima fatal do acidente
(Foto: Heloise Hamada/G1)
No túmulo da família, ainda estavam as coroas de flores em homenagem ao pai e à irmã de Marcos Rodrigo, que também morreram no acidente. Com aplausos e orações, o corpo de jovem foi sepultado no Cemitério Municipal São João Batista.
Agora, a auxiliar de produção Jéssica Maiara dos Santos Ramaro, irmã de Maria José, aguarda as investigações da polícia sobre o acidente. “Está sendo difícil. Minha irmã só tinha eles e agora vai ficar com quem?”, questionou.
“A gente espera que seja feita a justiça, porque é difícil”, enfatizou.
Captação dos órgãos foi realizada no Hospital Regional de Presidente Prudente (Foto: David de Tarso/TV Fronteira)Captação dos órgãos foi realizada no Hospital
Regional de Presidente Prudente
(Foto: David de Tarso/TV Fronteira)
A tia de Marcos Rodrigo também ressaltou a importância da doação dos órgãos do jovem para transplante. “O que conforta é que tem um pedacinho dele vivo por aí, fazendo pessoas felizes, ajudando as pessoas. Isso é o que conforta”, finalizou.
A doação
Nesta terça-feira (12), foram captados o coração, os pulmões, os rins e o fígado do adolescente. O procedimento no Hospital Regional (HR) de Presidente Prudente levou cerca de quatro horas e foi realizado por quatro equipes médicas.
Colisão
O acidente foi registrado na noite do último sábado (9), na Rodovia Júlio Budiski (SP-501), em Álvares Machado. A batida foi entre uma caminhonete GM A20, com placas de Santana de Parnaíba (SP), e um VW Parati, de Álvares Machado, e, na ocasião, deixou duas pessoas mortas e três gravemente feridas.
Segundo informações da Polícia Militar Rodoviária, o VW Parati seguia no sentido Alfredo Marcondes-Presidente Prudente e a caminhonete transitava na pista contrária, quando se chocaram, por motivos a serem esclarecidos pela perícia, por volta das 22h, no km 17,5 da rodovia.
Colisão frontal foi neste sábado (9), na Rodovia Júlio Budiski, em Álavres Machado (Foto: Valmir Custódio/G1)Colisão frontal foi no último sábado (9), na Rodovia
Júlio Budiski, em Álavres Machado
(Foto: Valmir Custódio/G1)
O VW Parati era ocupado por quatro moradores do Parque dos Pinheiros, em Álvares Machado. O condutor, de 40 anos, e uma passageira, de 19 anos, morreram no local. Eles eram pai e filha. Também estavam no carro o adolescente e a criança de nove meses.
Conforme a Polícia Rodoviária, a caminhonete era conduzida por uma mulher de 29 anos, moradora de Alfredo Marcondes, que foi encaminhada, também em estado grave, ao HR. A motorista se recusou a fazer o teste do bafômetro.
O bebê de nove meses e a mulher de 29 anos continuam internados nesta quarta-feira (13) no Hospital Regional. Conforme a instituição, os dois estão “fora de risco”. A criança está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica e a paciente, na enfermaria.