Sobe para 18 mil número de atingidos pelas chuvas no Paraná; 15 ficaram feridos


Da Redação com AEN

Boletim atualizado divulgado no começo da noite desta quarta-feira (13) pela Defesa Civil do Paraná aponta que a chuva que caiu sobre o Paraná nas últimas 24 horas deixou 17.935 afetados, em 29 cidades. Com 4.910 afetados e 800 desalojados, Santo do Lontra, no sudoeste do estado, é a cidade mais afetada do Paraná.
Foto: AEN
Em Curitiba são 32 afetados e sete casas danificadas. Já na região metropolitana, Fazenda Rio Grande tem 709 afetados e 10 desalojados. Lapa, São José dos Pinhais, Colombo e Campo Magro também possuem registro de estragos por granizo e vendavais.
Segundo o Simepar, o tempo permaneceu instável durante a quarta-feira nas regiões Oeste, Sudoeste, Campos Gerais, Curitiba e Região metropolitana e Litoral. “Houve incidência de ventos em algumas regiões, mas mais fracos que os verificados durante a madrugada”, explicou o meteorologista Samuel Braun. A previsão é de que a chuva continue na madrugada e durante toda esta quinta-feira, principalmente no Sul e Sudoeste.
A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil está em permanente contato com os municípios para colher dados e definir as ações de apoio à população. Já foram distribuídas 260 bobinas de lona para proteção emergencial de residências nas regiões de Cascavel, Francisco Beltrão e São José dos Pinhais. “Novo lote de material segue na manhã desta quinta-feira para suprir as necessidades de regiões afetadas”, informou a tenente Cassandra Costa, da Defesa Civil. O Corpo de Bombeiros está atuando desde a tarde de terça-feira, em conjunto com as equipes de defesa civil dos municípios.
Foram atingidos os municípios de Bela Vista da Caroba, Boa Vista da Aparecida, Capitão Leônidas Marques, Campo Magro, Carambeí, Cascavel, Colombo, Curitiba, Fazenda Rio Grande, Guaraniaçu, Guarapuava, Imbituva, Lapa, Laranjeiras do Sul, Morretes, Nova Aurora, Pérola do Oeste, Ponta Grossa, Prudentópolis, Rio Branco do Ivaí, Salto do Lontra, Santa Helena, Santa Izabel do Oeste, Santa Maria do Oeste, São Jorge do Oeste, São José das Palmeiras, São José dos Pinhais, Telêmaco Borba, Toledo.
A Defesa Civil alertou nesta quarta que, em situações de tempestade, vendavais e granizo que danifiquem o telhado da residência, os moradores tendem a subir até o local para realizar o conserto, mas que esta não é a melhor solução. Estatisticamente foi comprovado que a maioria dos acidentes nesse período se dá após o evento, no momento de recuperação dos estragos, então alguns cuidados são muito importantes para evitar acidentes.