Vencedora de concurso no Faustão, cantora denuncia racismo em loja de Curitiba


Da Redação

bo-michele
(Foto: Reprodução/Facebook)

cantora de soul music Michele Mara, de 35 anos, denunciou, neste domingo (10), uma loja de acessórios de Curitiba porracismo na sua página no Facebook. Ela também registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o caso, que aconteceu no último dia 30 em um estabelecimento na Rua XV de Novembro.
michele-maradentro
Michele tornou o caso público em publicação no Facebook neste domingo. (Foto: Reprodução/Facebook)
Segundo ela, a dona da loja, que aparenta ser de origem chinesa, não deixou a cantora experimentar um turbante porque “o cabelo dela poderia danificar o produto”. Michele contou que entrou na loja junto com uma amiga, que começou a provar alguns acessórios.
“Ela falou: ‘olha, amiga, por que você não experimenta também?’. Coloco um e, quando vou provar outro, a dona da loja vem e começa a gritar em inglês e em português, dizendo que não posso usar nada porque o meu cabelo pode danificar o produto, mas minha amiga que é branca pode…”, relatou a cantora.
Perplexas, as duas perguntaram se era isso mesmo o que estava acontecendo e a vendedora frisou: “‘Yes’, ela pode, você não pode”. Segundo Michele, em seguida, a dona da loja pegou o acessório da mão dela e, aos berros, tentou colocar na cabeça da amiga, que recusou a atitude.
“Foi isso que aconteceu comigo, e diante da lei, impedir alguém de fazer algo que todos fazem por causa de sua raça é racismo! É crime!”, completou a postagem da cantora. Após o ocorrido, ela saiu da loja e foi direto para a delegacia fazer o B.O. “Não vou me calar diante disso! Jamais! Isso é inadmissível”, finalizou.
Michele tem mais de 10,4 mil curtidas na página no Facebook. Em 2011, a cantora foi eleita a “Maior Imitadora da América Latina”, no programa “Domingão do Faustão”. Ela venceu o concurso como cover da cantora norte-americana de soul Aretha Franklin.