Advogado contesta declaração do próprio cliente na Lava Jato


Paulo César Roxo havia criticado conduta da Polícia Federal na segunda-feira (29)

MURILO RAMOS
30/08/2016 - 20h14 - Atualizado 30/08/2016 20h46
Paulo César Roxo em depoimento ao juiz Sergio Moro (Foto: Reprodução)
Após Paulo César Roxo, antigo assessor do ex-senador Gim Argello e réu na Operação Lava Jato, afirmar em interrogatório ter sido “coagido, chantageado e intimado ostensivamente de maneira pouco usual” pela Polícia Federal, seus advogados pediram ao juiz Sergio Moro que retirasse tais declarações dos autos. Eles dizem que o delegado da Polícia Federal e os procuradores da República que trabalham no caso “atuam de forma digna, honrosa e leal nos  presentes  autos”.
Moro não gostou da controvérsia entre cliente e advogados. O juiz afirmou que não há a menor base legal para qualquer pedido de retirada de depoimentos ou arquivos no processo.
Para integrantes da força-tarefa da Lava Jato, o fato é mais um exemplo de “críticas infundadas” de supostos abusos.