O GARÇOM DE LULA TAMBÉM LAVA



No recebimento da denúncia do MPF, o juiz Paulo Bueno lembrou que um percentual da propina desviada do esquema do crédito consignado era repassado ao PT, para ser distribuído por João Vaccari Neto, e menciona o papel de Carlos Cortegoso, o ex-garçom de Lula.
Leiam, por favor:
"Em relação à corrupção e lavagem de capitais mediante contrato e notas ideologicamente falsas entre a Consist e a CRLS, apurou-se que a CRLS foi a primeira empresa indicada por João Vaccari. Tal empresa é de propriedade de Carlos Cortegoso, vulgo Carlão. A CRLS emitiu duas notas simulando a prestação de serviços para a Consist, sem que nenhum serviço tenha sido de fato prestado. Carlos Cortegoso confirmou perante a autoridade policial que nenhum serviço foi prestado."