COLUNA DE SAÚDE DE ROSANE DO CARMO: Dia 27/09 dia Nacional de Doação de Órgãos

.


  Quem já teve um ente querido nessa situação, sabe o sofrimento e a tristeza que é aguardar a chegada de um órgão. Sabe que além da espera ser longa, existe critérios e situações para que possa um paciente ser colocado na fila, e esse tempo pode ser muito longo para quem não pode esperar.

 Ontem estava pensando sobre qual assunto eu falaria hoje, e nesse meio, fui assistir um vídeo que recebi, muito bonito e importante, quando na mesma hora decidi que seria sobre esse assunto, e coincidentemente hoje é o dia nacional da doação de órgãos. É importante também esclarecer algumas dúvidas, que sabemos que nos incomoda e muitas vezes faz com que deixemos de praticar esse ato de solidariedade.

 Tentarei esclarecer algumas questões a respeito. O que é doação de órgãos? Consiste na remoção de órgãos e tecidos do corpo de uma pessoa que recentemente morreu (doador cadáver) ou de um doador voluntário (doador vivo), com o propósito de transplantá-lo ou fazer um enxerto em outras pessoas vivas. Os órgãos e tecidos são removidos com procedimentos similares a uma cirurgia, e todas as incisões (cortes) são fechadas após a conclusão da cirurgia. 

Estes procedimentos são realizados para que a pessoa em seu funeral não seja reconhecida como uma doadora por apresentar deformações e cortes visíveis.

 O que podemos doar? 
• Pulmão;
 • Pâncreas; 
• Córneas; 
• Coração;
 • Rim;
 • Fígado;
 • Válvulas cardíacas;
 • Pele;
 • Meninge;
 • Medula óssea;
 • Ossículos do ouvido; e outros. 

Quem pode doar? 

 Pessoas de todas as idades podem ser doadores de órgãos e tecidos, e que tenha dado consentimento em vida ou a família autorizou por escrito, e estiver nas condições desejadas. Só não é muito comum doações com idade acima de setenta anos. 

 No caso do rim, medula óssea, pâncreas, fígado e pulmão, existe a possibilidade de que se realize o transplante com doador vivo. A legislação brasileira permite a doação de órgãos entre parentes até quarto grau. Mas é necessário uma autorização judicial.

 Em que condições pode se um doador? Um potencial doador pós-morte é o paciente que se encontra internado no hospital, com cuidados intensivos, que sofreu morte por: • Acidente vascular cerebral; • Traumatismo craniano encefálico; • Lesões irreversíveis no cérebro.

 Quem não pode doar? Não há possibilidades de ser um doador de órgãos e tecidos, as pessoas que: • São portadoras de doenças degenerativas; • De alguma patologia (doença), que comprometa a função dos órgãos; • Portadores de neoplasias malignas; • Portadores de HIV, doença de chagas, Hepatites B e C.

 Mas lembre-se, é importante quebrar alguns tabus, e deixar comunicado a família, pois é ela quem realmente decide se os órgãos devem ser doados ou não, independentemente da decisão do possível doador em vida. Pensar no próximo, avaliar com carinho, importância, e amor, esse momento em que poderá salvar a vida de alguém. Eu sou doadora de órgãos e tecidos. Espero entrar nos critérios para doação, pois, se eu puder fazer o bem, ajudando o próximo, saberão que realmente fui feliz e realizada.

 Fontes: www.hospitalalberteinstern.com.br www.doacaodeorgaos.com.br

 Um abraço

 Rosane do Carmo

 Romor123@icloud.com