Fundos de pensão foram usados como braços do governo petista


foto_tania-rego-agencia-brasil
Míriam Leitão
A Polícia Federal deve mesmo investigar o que acontece com os grandes fundos de pensão do país, porque algumas irregularidades são visíveis. A PF não dará entrevista para comentar o assunto, hoje, como normalmente faz, mas o que se pode falar é que há um problema em aberto nos fundos de pensão.
Durante os últimos anos, eles foram usados como braços governamentais do PT, mas essa não é a função dos fundos. Eles são dos trabalhadores das empresas, com objetivo de complementar as suas aposentadorias, e precisam tomar decisões técnicas e profissionais.
O governo, como mantenedora da empresa da qual o fundo de pensão faz parte, tem as suas obrigações. No passado, eu briguei muito com o excesso de contribuição feita pelos governos. Já se chegou a pagar 17 vezes o valor que o trabalhador aportava.
Essas distorções do passado já foram corrigidas, mas surgiu o uso dos fundos como braço de governo. O governo do PT colocou quadros do partido para gerir os fundos. Colocou indicados políticos. Além de má gestão e erros, tudo indica que houve má-fé explícita.
Na operação da PF, estão sendo levadas para depor pessoas ligadas às avaliadoras desses fundos, como empresas de auditoria. Se elas não viram o erro, é preciso também investigar as causas.
Os trabalhadores estão tendo acréscimo de contribuição para tapar o rombo que foi causado pelos gestores. É preciso investigar, para saber se foi apenas erro ou se houve também algum tipo de crime.