Emenda Amin deixa Gleisi e outros 30 impunes


gleisi
A senadora Gleisi Hoffmann (PT) e outros 30 congressistas investigados pela Operação Lava Jato podem ficar impunes se a Câmara dos Deputados aprovar a emenda do deputado Esperidião Amin (PP-SC) que prevê um prazo de seis meses, prorrogáveis por mais seis, para a conclusão de investigações contra políticos com mandato. A emenda tenta driblar o pacote pacote anticorrupção proposto pelo Ministério Público Federal e que deve ser votado nesta terça-feira (29). As informações são Kelli Kadanus na Gazeta do Povo.

Atualmente, 21 deputados federais e 10 senadores são investigados em inquéritos da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. A maioria dos nomes já está sob investigação desde que o procurador-geral da República Rodrigo Janot entregou uma lista com cerca de 50 nomes a serem investigados em instância superior na Lava Jato por terem prerrogativa de foro. A lista de Janot foi divulgada em março de 2015 – um ano e oito meses atrás – e ainda há inquéritos em andamento.
Caso a emenda seja aprovada, Janot teria apenas mais um ano, no máximo, para apresentar denúncia contra os 31 parlamentares. Há casos de parlamentares que respondem a mais de um inquérito no Supremo, como o senador Fernando Collor (PSB-AL), por exemplo. A emenda prevê que, caso não seja possível concluir a investigação no tempo previsto, as acusações devem ser arquivadas, a menos que um órgão colegiado – nesse caso, o plenário do STF – resolva estender o prazo.
Dos 31 parlamentares investigados no Supremo, o PP é o que mais tem políticos respondendo a inquéritos. Ao todo são 21 parlamentares, 18 deputados federais e três senadores. O PMDB tem um deputado federal e quatro senadores sob investigação, enquanto o PT tem dois deputados e dois senadores. No PSB, há inquéritos abertos apenas para investigar Collor. Esse número é referente apenas a inquéritos já abertos pelo STF. Janot ainda aguarda a autorização para abertura de inquéritos contra outros políticos na Suprema Corte.
(foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)