A denúncia recebida por Sérgio Moro contra Adriana Ancelmo reforça as comprinhas que a mulher de Sérgio Cabral realizou entre dezembro de 2009 e março de 2016, com "pagamentos em espécie de vultosas quantias", para "evitar rastreamento, comunicação e identificação de transações financeiras".
Eis a lista: