Emílio Odebrecht 2018 vice Lula



A Folha lembra que a Odebrecht, antes da Lava Jato, sobreviveu intocável a pelo menos dois escândalos de corrupção importantes: os casos PC Farias/Collor e Anões do Orçamento.
Um trecho da matéria sintetiza a trajetória da empreiteira:
"Em 1992, o empresário Emílio Odebrecht, então presidente do grupo fundado na Bahia por seu pai, Norberto, nos anos 1940, sentou-se à frente do delegado da Polícia Federal Paulo Lacerda — que anos mais tarde se tornaria diretor-geral da corporação. Estava acompanhado do advogado Márcio Thomaz Bastos, que veio a ser ministro da Justiça no primeiro governo Lula (2003-2006)."
O Antagonista acha que, se Lula não for preso, ele poderá voltar ao poder em 2018 com Emílio de vice - ou o contrário.