Lula move 15 ações cíveis e criminais contra jornalistas e personalidades


lula--
Mônica Bergamo, Folha de S. Paulo
O número de ações cíveis e criminais movidas por Lula contra jornalistas e personalidades por afirmações que considera injuriosas ou ofensivas chegará a 15 nesta semana. Elas tramitam em tribunais de SP, do Rio e de Brasília.
Na mesma
Na sexta-feira, Lula anunciou a iniciativa mais recente: ele interpelará João Doria Jr., pré-candidato tucano a prefeito de São Paulo. Doria diz que não recuará das afirmações que fez em um debate em que disse que o ex-presidente é “um sem-vergonha, um cara de pau” e que pediria ao juiz Sergio Moro para “adiar” eventual prisão do petista.
Linha
Lula disse recentemente que vai “processar todo mundo”. O advogado do ex-presidente, Cristiano Martins, disse que a decisão foi tomada há um ano. “Observamos que havia relação entre informações falsas que eram publicadas e a abertura de investigações contra o ex-presidente. Decidimos impugnar as próprias reportagens, além de buscar reparação à honra de Lula.”

O balanço da Lava Jato: a Era da Canalhice está morrendo em Curitiba


sergiomoro3
Augusto Nunes, Veja
Quem acha que o Brasil já não tem salvação, que nem capim voltará a crescer na terra arrasada por oito anos de Lula e cinco de Dilma, que depois da passagem dessas duas cavalgaduras do Apocalipse está tudo para sempre dominado – quem acredita, enfim, que a única saída é o aeroporto deve adiar a compra do bilhete e visitar o site da Lava Jato. O balanço da operação – ainda muito longe do fim, insista-se – informa que os bandidos perderam. Valeu a pena a luta travada nos últimos 13 anos pela resistência democrática. O projeto criminoso de poder fracassou.
A Era da Canalhice está morrendo em Curitiba, atesta o quadro acima. Os números resumem o que aconteceu entre entre março de 2014, quando as investigações se concentraram no bando do Petrolão, e 18 de dezembro de 2015. “Até o momento, são 80 condenações, contabilizando 783 anos e 2 meses de pena”, avisa o tópico que fecha o cortejo de cifras superlativas. Algumas são decididamente assombrosas, como a que revela que “os crimes já denunciados envolvem pagamento de propina de cerca de R$ 6,4 bilhões”. A herança maldita do lulopetismo anexou a criação do pixuleco bilionária.
Confrontados com o maior esquema corrupto forjado desde o dia da Criação, os escândalos protagonizados pelos quadrilheiros do Mensalão e da FIFA parecem coisa de black bloc. A roubalheira consumada pelos 37 mensaleiros julgados em 2012, por exemplo, foi orçada em R$ 141 milhões pela Procuradoria Geral da República. Somadas as condenações ao regime fechado, aberto e semiaberto, as penas mal chegaram a 270 anos. E o Supremo Tribunal Federal só tratou com severidade os desprovidos de imunidades parlamentares.
A maioria dos ministros mostrou-se tão branda com a ala dos políticos que José Dirceu já dormia em casa quando foi devolvido à cadeia pelo que fez no Petrolão. A performance do reincidente sem remédio sugere que, se não tivesse entrado na mira do juiz Sérgio Moro, da força-tarefa de procuradores e da Polícia Federal, o ex-chefe da Casa Civil de Lula poderia igualar em em poucos meses a quantia embolsada ao longo de 24 anos pelos cartolas da FIFA algemados por agentes do FBI e indiciados pela Justiça americana: 200 milhões de dólares.
Duas linhas do balanço – “40 acordos de colaboração premiada firmados com pessoas físicas” – ajudam a entender a angústia dos advogados que, por falta de álibis consistentes e truques eficazes, trocaram tribunais por manifestos ditados por doutores da Odebrecht e agora fingem enxergar na Lava Jato a versão brasileira da Inquisição. Para bacharéis especializados em canonizar culpados e insultar homens da lei, são 40 clientes a menos. O desespero dos doutores com a redução da freguesia será decerto aguçado pelo levantamento da Procuradoria Geral da República divulgado no Estadão desta segunda-feira.
Entre março de 2014 e dezembro passado, defensores dos quadrilheiros apresentaram 413 recursos a instâncias superiores. Desse total, apenas 16 reclamações foram aceitas, integralmente ou em parte. O STF, por exemplo, rejeitou 50 dos 54 recursos ali julgados. Tudo somado, menos de 4% das decisões do juiz Sérgio Moro foram reformadas. O levantamento pulveriza a lengalenga dos signatários do papelório que tentou transformar os condutores da Lava Jato em torturadores dos presos políticos que saquearam a Petrobras.
“Magistrados das altas cortes estão sendo atacados ou colocados sob suspeita para não decidirem favoravelmente aos acusados”, fantasiou um trecho do manifesto a favor do Petrolão. “Pura fumaça”, replicou uma nota da Associação dos Juízes Federais. Quem vê as coisas como as coisas são enxerga, atrás da fumaça, uma vigarice de quinta categoria – e mais uma evidência de que os vilões do faroeste à brasileira não escaparão do final infeliz. Infeliz para eles, naturalmente.

Eu respondo por mim, diz José Dirceu



dirceu ze
Mônica Bergamo, Folha de S. Paulo
José Dirceu (PT-SP) assumirá “os erros que cometeu” no depoimento de sexta-feira ao juiz Sergio Moro sobre a Operação Lava Jato, diz o advogado Roberto Podval. “Mas não dá para ele responder por tudo. Para se beneficiar, todos [os investigados] estão jogando a culpa nas costas dele.”
De ônibus – Segundo Podval, “um monte de gente grudou nele oferecendo favores. Agora é fácil falar ‘foi o Zé, foi o Zé’. Mas ganharam bilhões enquanto filhos de José Dirceu estão viajando de ônibus para Curitiba para visitá-lo porque estão sem dinheiro”.

Mega-Sena pode pagar R$ 10 milhões esta quarta; veja números sorteados


Do UOL, em São Paulo
o
A Caixa sorteou nesta quarta (27) os números do concurso 1.784 da Mega-Sena, com prêmio estimado em R$ 10 milhões. As dezenas premiadas são: 04 - 15 - 26 - 30 - 54 - 55. A Caixa ainda não divulgou se houve vencedores e qual será o rateio.
O sorteio foi realizado em Leopoldina, na Zona da Mata de Minas Gerais, a cerca de 300 km de Belo Horizonte. O próximo concurso, com resultado no sábado (30), também terá os números da sorte revelados em Leopoldina.
No concurso anterior, sorteado no sábado (23), não houve acertadores. A última vez em que alguém levou a Mega foi no concurso 1.781, no dia 16, quando dois apostadores de Manaus (AM) e Prata (MG) dividiram R$ 25,3 milhões.
Segundo a Caixa, a probabilidade de acertar na Mega-Sena com o jogo mais simples -- uma aposta de seis números por R$ 3,50 -- é de uma em 50 milhões.

O QUE VOCÊ FARIA COM O PRÊMIO DA MEGA-SENA?

Ampliar

O que dá para fazer com o prêmio da Mega-Sena?7 fotos

1 / 7
A Mega-Sena da Virada de 2013/2014 pagou um prêmio de R$ 224,6 milhões. Você já pensou o que faria com tanto dinheiro? Clique nas imagens acima e veja opções de como empregar essa fortuna Leia mais Thinkstock

Investigadores reagem à blindagem do PT a Lula



Lula-300x236
Severino Motta, Veja
Investigadores que atuam na Operação Zelotes da Polícia Federal reagem com ironia aos argumentos do PT de que a operação se desvirtuou para “pegar” o ex-presidente Lula.
De acordo com eles, as operações possuem desdobramentos naturais, e não é possível os investigadores ignorarem evidências de outros crimes quando eles aprecem nas apurações.
Eles usam o exemplo da Lava-Jato, que começou investigando doleiros e acabou derivando para o esquema muito maior de corrupção na Petrobras envolvendo políticos, empresários e funcionários públicos da estatal.

Petista é preso na Argentina acusado de assaltar mulheres


gif alliana
Mais um petista paranaense enrolado na Justiça e desta vez na Argentina.André Alliana, ex-secretário de Comunicação do PT do Paraná, foi preso na sexta-feira, 22, em Puerto Iguazú, fronteiriça a Foz do Iguaçu, acusado de assaltar mulheres. A prisão do petista provoca maior rebuliço nas redes sociais. “Acabei de chegar da Argentina onde André Alliana se encontra preso acusado de 2 assaltos à mão armada. As vítimas o reconheceram. A polícia suspeita que ele tenha realizado dezenas de assaltos na mesma modalidade, sempre nas madrugadas do vizinho país”, diz o jornalista Hélio Lucas que acompanha o caso.
Segundo informações obtidas por Lucas, Alliana quebrou a perna (femur) quando era perseguido pelos policiais argentinos. Para quem não o conhece, Alliana foi assessor do ex-deputado André Vargas (ex-PT) e coordenou todas as campanhas do ex-deputado na região Oeste. Em 2014, como Vargas não disputou o pleito, Alliana coordenou a campanha de outro petista na região: o deputado Zeca Dirceu, filho de José Dirceu. Dirceu, o pai, e Vargas estão presos no Complexo Penal de Pinhais, acusados de desvio de recursos da Petrobras.
Sob influência de Vargas, Alliana conseguiu nomear sua mãe, Ilza Rahmeier Alliana, como ‘assessora parlamentar’ do deputado e também trabalhou em uma empresa terceirizada da Petrobras, no Rio de Janeiro, indicado por Vargas. Em 2014 na região oeste, Alliana também coordenou as campanhas de Gleisi Hoffmann ao governo e de Dilma Rousseff a presidente.
Alliana também foi secretário do Meio Ambiente de Foz do Iguaçu no governo de Paulo Mac Donald (PDT) entre 2004 e 2006. E no início dos anos 2000, respondeu inquérito acusado por estupro a uma mulher.
Veja a matéria de Viviana Merlo no Prensa Policial
Con un arma de juguete le robo la cartera a una mujer, luego fue detenido
Efectivos policiales que realizaban recorridas de prevención, fueron avisados de este hecho delictivo y tras una persecución detuvieron a un hombre de nacionalidad brasileña autor del robo mencionado. Al mismo se le secuestró un arma de juguete similar a una calibre 9 mm.
Nickol de 23 años edad denunció que cuando caminaba por la Calle 1° de Mayo fue interceptada por un hombre, quien tras exhibirle un arma de fuego le sustrajo la cartera dándose a la fuga.
Efectivos que se hallaban realizando recorridas tras recibir la información, pudieron dar con el masculino, y tras una persecución, procedieron a la detención de André Roberto A. Brasileño, domiciliado en Foz Do Iguazú.
Se secuestró un arma de juguete similar a una calibre 9mm., y cartera de la mujer denunciante, como así también varias documentaciones brasileras de otras personas. El hombre fue trasladado a prisión.
Fuente: Prensa Policial, UR-V, Of. Ppal. Viviana Merlo.

Jovem é executado com 20 tiros em rua de Curitiba


Por Marina Sequinel e Flávia Barros
homicidio-cic
(Foto: Colaboração/Banda B)

Um jovem de 26 anos foi morto a tiros na Cidade Industrial de Curitiba na tarde desta quarta-feira (27). Moradores da região ouviram cerca de 20 disparos e encontraram o cadáver do rapaz caído na Rua Amélia Rocio dos Santos.
Segundo informações preliminares, a vítima, identificada como Jeferson Majewski, já tem passagens pela polícia por porte de arma. Não há detalhes sobre a autoria ou o motivo do crime.
O corpo dele foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba e a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

Polícia segue quadrilha até esconderijo e apreende 300 kgs de maconha; cinco foram presos


Da Polícia Civil
Foto: Flávia Barros - Banda B
Foto: Flávia Barros – Banda B

A Polícia Civil prendeu em flagrante na madrugada desta quarta-feira (27), cinco pessoas suspeitas de tráfico de drogas. Com elas a polícia apreendeu cerca de 300 quilos de maconha, 1,7 quilos de crack, dois carros, além de uma pistola calibre ponto 40 e 28 munições.  A operação aconteceu nos municípios de Campina Grande do Sul e Quatro Barras, na região metropolitana de Curitiba (RMC) e foi realizada pela Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), com o apoio da Polícia Militar e da Guarda Municipal.
As investigações iniciaram depois que a Denarc recebeu informações anônimas de uma residência localizada na cidade de Quatro Barras, estaria com uma intensa movimentação de pessoas suspeitas.
Após seguir até a região, foi constatado que quatro homens estavam carregando caixas e sacos plásticos para dois carros, um Corsa preto e um Honda City prata, e descarregando as mesmas mercadorias suspeitas em uma outra casa no município de Campina Grande do Sul.
Na sequência das investigações, os policiais da Denarc durante monitoramento, perceberam que os suspeitos se deslocaram novamente até a residência de Quatro Barras, momento em que a equipe policial pediu o apoio dos Polícia Militar e da Guarda Municipal.
Marcos Ferreira de Camargo, 31 anos; Johny Mailon Antunez Rodrigues, 28 anos; Ramão Antunes, 45 anos; Douglas Antunes de Oliveira, 30 anos e Ismael Farias de Souza, 25 anos, foram presos em flagrante pela polícia. Todos os suspeitos responderão pelos crimes de tráfico de drogas e associação criminosa.
No interior do veículo Honda, os policiais encontraram quatro caixas com aproximadamente 94 quilos de maconha e no Corsa, três caixas com 78 quilos da mesma substância. Na residência foram apreendidos uma pistola, dois carregadores e cerca de R4 2 mil em dinheiro.
Na sequência das investigações os policiais da Denarc foram até a casa situada em Campina Grande do Sul, onde mais 126 quilos de maconha e 1,7 quilos de crack foram apreendidos.
Douglas Antunes de Oliveira além de responder pelos crimes de tráfico de drogas e associação criminosa, responderá por posse irregular de arma de fogo de uso restrito.

Polícia recupera materiais de telefonia e prende irmãos que deixavam cidades inteiras sem sinal


Por Marina Sequinel e Flávia Barros
(Fotos: Flávia Barros – Banda B)

Dois irmãos foram presos no bairro Umbará, em Curitiba, na posse de dois galpões cheios de materiais roubados de telefonia e internet na manhã desta quarta-feira (27). Segundo as investigações, Laertes Brun, de 57 anos, e Sérgio Luiz Brun, 56, fazem parte de uma quadrilha que age em toda a região Sul do país.
“Os criminosos descobriram que, dentro das torres, havia todo o equipamento responsável pelo sinal de internet e telefonia, e que eles tinham um grande custo. Na medida em que furtavam ou roubavam as peças, cidades inteiras eram prejudicadas. O dano das empresas é baixo perto daquele causado para a população, que ficava ‘no escuro’, sem os serviços”, disse o delegado do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Rodrigo Brown, em entrevista à Banda B.
De acordo com ele, o valor de todos os equipamentos apreendidos ultrapassa a casa dos milhões. Os produtos eram furtados das estações de rádio base das companhias prestadoras de serviço e, em seguida, revendidos para estações piratas. “Nós precisaremos de dois dias para analisar a origem dos materiais. Indícios apontam que eles foram levados de diferentes cidades do Sul do país”, completou o delegado.
Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos pelo Cope (Cope) em apoio à Polícia Civil do Rio Grande do Sul (RS). Os detidos foram encaminhados à delegacia, onde permanecem à disposição da Justiça.

Após nova agressão, cinegrafista mordido no 29 de abril entra com ação contra sargento da PM


Por Felipe Ribeiro e Flávia Barros
Reprodução
Reprodução

Conhecido por levar uma mordida enquanto cobria o 29 de abril ou “Batalha do Centro Cívico”, o cinegrafista da Band Curitiba, Luiz Carlos de Jesus, entrou nesta quarta-feira (27) com uma representação por abuso de autoridade contra um sargento do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar (PM) após sofrer uma nova agressão. No último dia 17, Jesus utilizava o celular para filmar um tumulto no bairro Santa Cândida, quando o soldado bateu em sua mão para impedir o registro. (Vídeo abaixo)
De acordo com Jesus, a agressão ocorreu após uma troca de tiros dos policiais com um suspeito reconhecido pelo roubou de um carro. “O local estava isolado e houve esse princípio de confusão entre familiares e policiais. Como estava no exercício da minha profissão, comecei a filmar o que estava acontecendo, foi quando ele me agrediu e o celular caiu no chão”, relatou.
Jesus filmou a mordida no ano passado
Jesus filmou a mordida no ano passado
Segundo o cinegrafista, a representação foi uma recomendação do advogado Marluz Dalledone, uma vez que ele já havia sido agredido pelo cachorro da PM no ano passado. “Decidimos pedir providências por abuso de autoridade. Não questiono o isolamento e as medidas tomadas no local, questiono a proibição ocorrida ao meu trabalho no momento”, concluiu.
Nesta mesma situação, duas pessoas foram presas por desacato à autoridade e encaminhadas para o Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul).
A representação pede pela responsabilização criminal e administrativa do policial. O documento foi protocolado na Corregedoria Geral da PM e também na Promotoria da Vara de Auditoria Militar de Curitiba.
A Banda B entrou em contato com a assessoria da PM e aguarda retorno.
Mordida
No dia 29 de abril do ano passado, Jesus e o deputado estadual Rasca Rodrigues (PV) foram mordidos na Assembleia Legislativa logo após o início do confronto entre policiais militares e professores. O cinegrafista foi mordido na perna e por pouco não foi atingido em uma artéria.
Confira o vídeo da agressão no player abaixo:


Publicitária é um dos principais alvos da nova fase da Lava Jato

Neuci Warken presa durante a operação Lava Jato
Nelci Warken sendo encaminhada para a PF de São Paulo(Rede Globo/Reprodução)
Um dos alvos principais da 22ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta quarta-feira, é a publicitária Nelci Warken, que foi presa hoje em São Paulo e será levada para a Superintendência da PF em Curitiba. Ela é apontada pela força-tarefa como proprietária de um apartamento no Condomínio Solaris, no Guarujá (SP), e vinculada à offshore Murray, criada pela empresa Mossack Fonseca no Panamá para supostamente lavar dinheiro. Os outros presos são Ricardo Honório Neto e Renata Pereira Brito. Maria Mercedes Riano, Ademir Auada e Luiz Fernando Hernandes não foram localizados e provalvelmente estão no exterior. Todos são funcionários da Mossack Fonseca.
Para o procurador Carlos Fernando de Souza Lima, há fortes indícios que mostram que Nelci é uma "laranja" no esquema por não ter condições financeiras de manter a offshore e o apartamento. "Agora estamos investigando quem está por trás dela. Ela não tem nem documentos para viajar para o exterior", diz o procurador.
Segundo as investigações, a empreiteira OAS utilizou o edifício Solaris, onde o ex-presidente Lula tem um imóvel, para "repasse disfarçado de propina a agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobras". O cerco contra mais um flanco de lavagem de dinheiro no petrolão ocorreu depois de os policiais terem detectado que a cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, Marice Correa de Lima, atuou no recolhimento de propina do esquema criminoso da Petrobras e lavou parte dos valores na compra do apartamento 44-A, no Solaris. A esposa de Vaccari, Giselda Rousie de Lima, declarou à Receita Federal ser proprietária de outra unidade no condomínio, a de número 43. Mas foi o tríplex 163-B, registrado em nome da offshore Murray Holdings, que acendeu o sinal de alerta nos investigadores da Lava Jato - este é o que está no nome de Nelci.
Publicidade
O quebra-cabeças começou a ser desvendado a partir da descoberta de que a Murray teve uma execução decretada por dívidas de cerca de 1,22 milhão de reais, mas apenas o tríplex 163-B, avaliado em 1,8 milhão de reais, conseguiria quitar o débito. As suspeitas ficaram mais fortes depois da constatação que a empresa Paulista Plus Promoções Ltda, que tem como proprietária Nelci Warken, teve o imóvel transferido para a Murray. Um terreno baldio, uma consultoria de imóveis em um local atualmente disponível para locação e duas empresas registradas no mesmo endereço da Mossack Fonseca, no Panamá, reforçaram os indicativos de que Nelci era uma laranja do esquema. "Oportuno destacar que, apesar de Nelci Warken comportar-se como a aparente proprietária dos imóveis, quem figura como responsável pela Murray Holdings junto à Mossack Fonseca é a pessoa de Ademir Auada. Ademir é responsável, junto à Mossack Fonseca, por pelo menos dezenove offshores, dentre as quais Murray Holdings, Hazelville International e Woodbay Holdings", destacou o juiz Sergio Moro na ordem de prisão na fase Triplo X da Lava Jato.
Carlos Fernando de Sousa Lima disse que ficou "evidenciado" que a Mossack Fonseca é uma "grande lavadora de dinheiro", que já é investigada por outros esquemas de corrupção no país.
Conforme os investigadores, a Mossack Fonseca intermediou a abertura das offshores Milzart Overseas Holdings, controlada pelo ex-diretor da Petrobras Renato Duque, da Backspin Management S.A., Daydream Properties Ltd, Tropez Real Estate S. A. e Dole Tec Inc, todas controladas pelo ex-gerente de Serviços da petroleira Pedro Barusco, e da empresa Mayana Trading Corp, do operador Mario Goes. Barusco e Goes são delatores do escândalo do petrolão e deram detalhes de como funcionava o esquema criminoso que sangrou os cofres da Petrobras. o operador de propina e delator da Lava Jato Roberto Trombeta também recorreu à Mossack Fonseca para a constituição de pelo menos oito offshores, sendo uma delas, a Kingsfield Consulting Corp, usada para receber propinas da OAS em obras no Peru e no Equador.
"O declarante foi contratado para assumir o controle acionário de uma sociedade panamenha denominada Kingsfield Consulting Corp que foi usada como canal de recebimentos de valores decorrentes do trabalho efetuado no Chile e na Espanha envolvendo as subsidiárias da OAS no Peru e Equador", disse Trombeta em seu acordo de delação. As contas da Kingsfield foram abastecidas com cerca de 5,7 milhões de dólares em propina entre novembro de 2012 e fevereiro de 2013. Outros 8 milhões de dólares recebidos pela Kingsfield acabaram repassados por ordem da OAS para uma conta indicada pelo doleiro Alberto Youssef na Suíça.
Para o juiz Sergio Moro, que decretou as prisões da fase Triplo X, existem "provas, em cognição sumária, de que a Mossack Fonseca providenciou os serviços necessários para a abertura de offshores para pelo menos quatro agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobrás e que as utilizaram para lavagem de dinheiro". "Existentes provas, em cognição sumária, de que a Mossack Fonseca, inclusive sua representação no Brasil, vêm auxiliando agentes criminosos, inclusive no esquema criminoso da Petrobras, para a prática de fraudes e lavagem de dinheiro. Disponibilizando offshores para criminosos, a empresa Mossack estaria participando, mediante auxílio, da prática desses crimes", disse Moro. Interceptações de mensagens eletrônicas evidenciaram que orientações para que documentos da Mossack fossem destruídos. Maria Mercedes Riano Quijano, dirigente da Mossack no Brasil, orientou, por exemplo, a destruição e ocultação de documentos. Diz a mensagem: "sacar todo papeles de la oficina, nombres de clientes, documentos a entregar, due diliguence, libretas telefonica y borrar del computador todo lo que pueda haber inclusive tirar los favoritos de la maquina". Mercedes continua as orientações: "No dejar nada, yo lo voy a guardar en mi carro o en mi casa".
JBS - A trama criminosa investigada pela força-tarefa da Lava Jato concluiu que a Murray atuava com uma espécie de central de fabricação de offshores. Duas dessas empresas, a Elany Trading LLC e a Avel Grup LLC, foram identificadas na Operação Ararath, da Polícia Federal, que apura o envolvimento delas com as companhias Global Participações e Confiança Participações, do empresário Wesley Mendonça Batista, CEO da JBS.

Outro vexame do Ministro Cardozo




José Eduardo Cardozo é patético. Sempre que há uma operação da Lava Jato, lá vai o ministro da Justiça explicar-se ao PT -- e passar vexame em público.
Ele classificou de "especulações absolutamente indevidas" as informações de que Lula está sendo investigado pela Lava Jato.
José Eduardo Cardozo é um ministro absolutamente desinformado. E é natural que seja assim, porque ele não tem de meter o bedelho em investigações da PF e do MPF.

Para Cardozo, associação entre Lula e operação é 'especulação indevida'


Pedro Ladeira/Folhapress
BRASILIA, DF, BRASIL, 27-01-2016, 16h00: Os ministros Aloizio Mercadante (Educação) e Jose Eduardo Cardozo (Justiça) durante Solenidade de Lançamento do PAR/2016, programa de ações articuladas de combate à crimes contra educação, no MEC. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER)
O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça), em entrevista coletiva no MEC nesta quarta (27)
"O presidente Lula não está sendo investigado e nem me parece que na investigação de hoje tenha sido determinada qualquer medida investigativa em relação à figura do ex-presidente. Portanto, qualquer das outras situações que possam estar sendo colocadas ou veiculadas são especulações absolutamente indevidas", afirmou Cardozo nesta quarta-feira (27), ao ser questionado sobre o tema.
Nesta manhã, a Polícia Federal deflagrou a fase "Triplo X" da Lava Jato, que investiga se a empreiteira OAS lavou dinheiro por meio de negócios imobiliários para favorecer o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.
Procuradores afirmaram que todos os apartamentos do condomínio Solaris, em Guarujá (SP), são alvo da investigação. No edifício, havia um triplex reservado para a família de Lula, que acabou desistindo do negócio.
Cardozo lembrou que o juiz Sergio Moro afirmou recentemente que o petista não é investigado. "Acho que isso está absolutamente claro pelas manifestações do próprio Judiciário e daquelas que decorrem das próprias investigações."
Nos bastidores, contudo, auxiliares da presidente Dilma avaliam que a nova fase da Lava Jato tem como objetivo "desgastar" a imagem de Lula no momento em que o governo está "fragilizado" e "tenta encontrar saídas" para a crise política e econômica do país.

MANIFESTO
Ele ainda preferiu não fazer críticas a manifesto de advogados sobre supostos abusos da operação realizada pela Polícia Federal.
"Não posso jamais imaginar que alguém não possa defender as posições em que acredita. Tenho visto pessoas que criticaram os advogados porque se manifestaram. Advogado tem direito de se manifestar sim, e não pode haver nenhum tipo de perseguição a quem defende aquilo que acredita", disse ele, na presença do diretor-geral da PF, Leandro Daiello.
"Num Estado de direito, a investigação deve ser feita de forma imparcial e contundente, mas sempre dentro da lei. E se alguém acha que a lei está sendo desrespeitada, tem legítimo direito de se manifestar", concluiu.