STJ solta homem preso há 5 meses por furto de creme de cabelo de R$ 7,95


1

De São Paulo

Em tempos de Lava Jato e desvios a perder de vista de recursos públicos, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) concedeu habeas corpus a um homem preso preventivamente desde agosto de 2015 por furto de um frasco de creme de pentear avaliado em R$ 7,95.
O habeas corpus foi relatado pelo ministro Nefi Cordeiro. O magistrado alegou o "princípio da insignificância" e votou pela revogação da prisão e trancamento da ação penal contra o réu.
As informações foram divulgadas no site do STJ.
A Corte aceitou os argumentos da Defensoria Pública do Estado de São Paulo de que "o direito penal é destinado aos bens jurídicos mais importantes, não devendo ser banalizado, ou seja, não devendo se ocupar de insignificâncias".
No pedido de habeas corpus, a Defensoria cita que em uma pesquisa de mercado constata-se que o valor do item furtado é ainda menor que a referência estabelecida na acusação, varia de R$ 4,60 a R$ 5,08.
Em seu voto, acompanhado por unanimidade pelos demais ministros da Sexta Turma da Corte, o ministro Nefi Cordeiro disse que "a subsidiariedade do direito penal não permite tornar o processo criminal instrumento de repressão moral, de condutas reprováveis, mas sem efetivo dano a bem juridicamente relevante".
Segundo o ministro, o princípio da insignificância é devidamente aplicado se preenchidos os seguintes requisitos: a mínima ofensividade da conduta do agente; nenhuma periculosidade social na ação; o reduzidíssimo grau de reprovabilidade do comportamento, e a inexpressividade da lesão jurídica provocada.
No caso citado, o ilícito, equivalente à época a 0,95% do salário mínimo, mobilizou a Polícia, o Ministério Público do Estado de São Paulo, o Tribunal de Justiça de São Paulo, a Defensoria Pública do Estado de São Paulo, bem como o Ministério Público Federal e o STJ.
Após a prisão em flagrante, foi arbitrada pela polícia a fiança em R$ 1.576. Posteriormente, a prisão em flagrante foi convertida em preventiva. Em segunda instância o pedido de habeas corpus foi indeferido por unanimidade. A Defensoria Pública recorreu ao STJ.

Aumenta tensão entre Coreias depois de lançamento de foguete


Navio norte-coreano permenceu na área da Coreia do Sul por 20 minutos depois de receber disparos de advertência

REDAÇÃO ÉPOCA
08/02/2016 - 16h18 - Atualizado 08/02/2016 16h32
Um navio patrulha da Coreia do Norte entrou em águas da Coreia do Sul depois de ter lançado um satélite de longo alcance no domingo (7). De acordo com a imprensa internacional, o navio permenceu na área por 20 minutos depos que a Coreia do Sul fez disparos de advertência contra o território de Kin Jong-un. Segundo a CNN, os Estados Unidos planejam implantar um novo sistema de defesa de mísseis na Coreia do Sul, plano que a China critica.
No domingo mais cedo, o Conselho de Segurança das Nações Unidas se reuniu em caráter de urgência em Nova York e condenou "firmemente" lançamento de um satélite pela Coreia do Norte ao acreditar que o país está fazendo ensaios com mísseis balísticos que poderiam transportar armas nucleares. O órgão também deve anunciar novas sanções contra o país. 
A declaração do Conselho foi apoiada, inclusive, pela China, país que se mantém aliado ao regime fechado da Coreia do Norte. Conforme a imprensa oficial do regime de Kim Jong-un, o foguete carregou um satélite para o espaço. A âncora da TV norte-coreana disse que o lançamento foi acompanhado pessoalmente por Kim Jon-un e que há planos para que mais satélites sejam colocados em órbita.
Pyongyang alega que seu programa espacial é de natureza científica, e que suas iniciativas bélicas são necessárias para se defender do que classifica como décadas de hostilidade dos EUA.

Há cerca de um mês, a Coreia do Norte espantou a comunidade internacional ao anunciar que havia feito testes com bomba de hidrogênio - fato que ainda não foi confirmado. Segundo um diplomata informou à agência de notícias Reuters, a Coreia do Norte vai continuar a fazer testes nucleares até que a China, os Estados Unidos e a Coreia do Sul aceitem assinar um tratado que dá um fim oficial à Guerra da Coreia, que ocorreu entre 1950 e 1953 mas foi finalizada com um armistício, e não um tratado de paz.

Norte-coreanos em Pyongyang celebram lançamento de satélite (Foto: AP Photo/Jon Chol Jin)

"Atletas preocupados com o zika devem considerar não ir às Olimpíadas", diz comitê dos EUA


Comitê Olímpico dos EUA fez alerta a seus atletas

REDAÇÃO ÉPOCA
08/02/2016 - 12h31 - Atualizado 08/02/2016 13h04
O Comitê Olímpico dos Estados Unidos disse a federações desportivas americanas que atletas e funcionários preocupados com sua saúde devido ao vírus zika devem considerar não comparecer aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em agosto deste ano. A informação foi dada pela Reuters nesta segunda-feira (8).
A mensagem foi entregue em uma conferência envolvendo autoridades do comitê e líderes de federações desportivas em janeiro, de acordo com duas pessoas que estiveram presentes. As federações foram alertadas que "ninguém deve ir ao Brasil se não se sentir confortável em ir", disse o presidente da federação de esgrima dos EUA, Donald Anthony.
A Reuters lembra que o país ganhou a maioria das medalhas nas Olimpíadas de Londres em 2012, "portanto qualquer desfalque na sua presença seria importante para os jogos do Rio".
Autoridades mundiais de saúde suspeitam que o mosquito causador do zika vírus seja responsável por um surto de microcefalia no país, o que fez com que a Organização Mundial de Saúde decretasse estado de emerência global no dia 1º de fevereiro deste ano.
Segundo a reportagem, o diretor da Federação Equestre dos EUA, Will Connell , ressaltou que a decisão é individual. "Eles disseram que não aquele que tem razões para se preocupar não deve se sentir obrigado a ir", acrescentou.
No entanto, funcionários do comitê também expressaramotimismo em relação à época em que será realizada a competição, no inverno, e ao risco minimizado devido à cooperação entre as agências de saúde e os esforços de controle do mosquito. A orientação do comitê deve ser atualizada à medida que as Olimpíadas se aproximarem.
O mosquito Aedes aegypti é o transmissor do zika vírus (Foto: Esteban Biba/EFE)
O potencial de dispersão do vírus zika (acima) e a possível ocorrência no mundo de espécies de mosquito transmissoras da doença (Foto: ÉPOCA)

Dilma sangra, Lula se esfacela


índice
Ricardo Noblat
Um Lula mais fraco do que está seria melhor ou pior para o futuro do governo Dilma? A resposta mais fácil é que seria pior. Porque dele deriva a força que assegura a respiração artificial do governo.
É por causa dele que os movimentos sociais, embora de má vontade, ainda sustentam Dilma. O PT só não se esfacelou porque sonha com Lula outra vez presidente em 2019. Parece um sonho impossível?
A levar-se em conta pesquisas de opinião, tudo indica que sim. As investigações da Lava-Jato atingiram em cheio a imagem de Lula.
Pesquisa do Instituto Ipsos, divulgada na semana passada, ouviu 1,2 mil pessoas em 72 municípios do país entre os dias 13 e 27 de janeiro. Antes, portanto, da massificação do noticiário sobre o tríplex da família Lula no Guarujá e do sítio em Atibaia.
Para 25% dos entrevistados, o ex-presidente é um político honesto. Em 2005, no auge do escândalo do mensalão, 49% pensavam assim.
Para 68%, Lula não tem mais moral para falar de ética, ante 57% no mensalão. Na avaliação de 67%, ele é tão corrupto quanto os outros políticos. No mensalão, 49% compartilhavam a mesma opinião.
Sobrou para os partidos, PT na cabeça.
Em 2002, ano em que Lula se elegeu presidente da República pela primeira vez, 37% dos entrevistados disseram que não tinham preferência por nenhum partido. Agora, espantosos 82%.
A opção pelo PT caiu de 28% em 2002 para 6% em 2016. Segundo a pesquisa, o partido é apontado por 71% como mais corrupto do que os demais.
Oito em cada dez entrevistados (82%) consideram que o PT não tem mais moral para falar de ética. Em 2005, com o mensalão, eram 68%. Apenas 15% afirmam que o PT ainda é um partido honesto contra 27% em 2005.
Dilma tem procurado manter distância do PT para tentar escapar do seu desgaste. Não o condena, mas também não o defende. Procede assim em relação a Lula também.
Nem por isso a situação de Dilma melhorou: 92% dos entrevistados acreditam que o Brasil está no rumo errado, e 79% avaliam o governo como ruim ou péssimo.
O impeachment de Dilma é defendido por 60%. Nove em cada dez entrevistados não só apoiam a Lava-Jato como dizem que as investigações devem continuar “custe o que custar”, apesar dos estragos na economia.
A corrupção desbancou a saúde como o problema que mais aflige os brasileiros. É a primeira vez que isso acontece desde 2002.
Cerca de 92% dos entrevistados concordam com a afirmação de que “sempre vai existir corrupção no país”. Talvez por isso, 46% imaginam que a Lava-Jato terminará em “pizza”, contra 31% que discordam, e 23% que não responderam à pergunta.
Lula e Dilma estão impedidos de circular livremente pelo país. Só comparecem a solenidades fechadas. Mesmo assim, em sessão do Congresso, Dilma acabou vaiada.
Um panelaço nas maiores cidades do país recepcionou seu mais recente pronunciamento na televisão.
Interlocutores de Lula confidenciam que ele pensa que só se recuperará se o governo se recuperar. Não é bem assim.
O destino de Lula depende mais dos resultados das investigações policiais do que da sorte do governo.
Dilma poderá continuar sangrando até o último dia do seu mandato e, no entanto, as chances de Lula sucedê-la naufragarem antes.
Ninguém melhor do que ele sabe que isso é verdade. Ninguém melhor do que ele sabe o que fez. Daí o seu silêncio e desespero.

Lula se queixa de Dilma e do avanço das investigações


O ex-­presidente Luiz Inácio Lula da Silva se queixou com amigos, nos últimos dias, da ausência de manifestação mais contundente da presidente Dilma Rousseff em sua defesa desde o recrudescimento do bombardeio contra ele. Na avaliação de Lula, o Ministério da Justiça deveria coibir “abusos” da Polícia Federal para devassar sua vida nas investigações. As informações são de Vera Rosa e Ricardo Galhardo no Estadão.
Em reunião com dirigentes do PT, deputados e advogados, anteontem, Lula argumentou que, diante do desgaste sofrido, é preciso uma nova estratégia de comunicação. A ideia do PT para estancar a crise é montar uma rede de apoio ao ex­-presidente, na linha “somos todos Lula” – incluindo políticos de outros partidos e representantes de movimentos sociais –, com ações de rua e de mídia.
Dilma confirmou presença na comemoração dos 36 anos do PT, marcada para os dias 26 e 27, no Rio, quando a cúpula do partido fará um desagravo a Lula. No ato, os petistas baterão na tecla de que há uma “caçada política” contra o ex-­presidente para interditar o PT, inviabilizar o governo e derrotar a esquerda nas eleições de 2018. Lula sempre foi o “plano A” do PT para a sucessão de Dilma, mas agora tudo depende dos desdobramentos das investigações.
O Palácio do Planalto foi informado da insatisfação do ex-­presidente no último dia 28, um dia depois de Dilma ter voltado de viagem a Quito. Na ocasião, ao ser questionada se a Operação Lava Jato se aproximava de Lula, Dilma criticou as “insinuações” contra ele e disse achar “extremamente incorreto” esse tipo de vazamento, mas não quis se alongar no assunto.
Embora o ex­-presidente esperasse mais solidariedade da sucessora, um integrante do Instituto Lula tentou pôr panos quentes. “Como é que a Dilma vai defender o Lula se ela própria não consegue se defender?”, perguntou ele, sob a condição de anonimato, em referência ao cerco contra o Planalto.
Lula é alvo da Operação Zelotes, que investiga um esquema suspeito de “compra” de medidas provisórias em seu governo. O Ministério Público de São Paulo, por sua vez, apura a suspeita de ocultação de patrimônio relacionada à compra de um tríplex no edifício Solaris, no Guarujá, no litoral paulista. Lula admite ter visitado o condomínio com o então presidente da empreiteira OAS, Léo Pinheiro, condenado à prisão, mas nega ser proprietário do apartamento.
A Lava Jato também vasculha benfeitorias executadas por empresas envolvidas no escândalo da Petrobrás em um sítio frequentado por Lula e sua família, em Atibaia, no interior de São Paulo. O ex-­presidente afirma que usa o sítio para descansar, mas não é dono da propriedade.
No Planalto, auxiliares de Dilma comparam as investigações da Polícia Federal à CPI dos Bingos, batizada de “Fim do mundo” pelo ex-presidente por abrir várias frentes contra o governo e o PT, em 2005 e 2006. Ministros do núcleo político dizem não ter dúvidas de que a oposição quer “esquentar” o processo de impeachment contra Dilma, jogando agora os holofotes sobre Lula.
“Se estão fazendo isso contra um ex­-presidente da República respeitado como o Lula, imagine o que não vão fazer com a classe política?”, perguntou o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, na terça-­feira, em reunião com líderes de partidos da base aliada na Câmara. Sob a alegação de que, do jeito que as coisas andam, todos podem ter a vida “devassada” pela Polícia Federal, o ministro pediu aos deputados que saiam em defesa do ex-­presidente.
O Instituto Lula e o PT ainda não têm uma estratégia definida para enfrentar a atual temporada de denúncias. Após o carnaval, advogados do ex-­presidente Lula, do PT e líderes políticos vão se reunir, em São Paulo, para decidir os próximos passos da contraofensiva. Profissionais de mídia simpáticos ao PT estiveram no instituto, na sexta­feira, para discutir um plano de “recomposição” da imagem do ex­-presidente. Pesquisas internas mostram que Lula vem perdendo apoio em todos os cenários e, se as eleições para presidente fossem hoje, o petista não seria eleito.
Iniciativas. Na semana passada, o PT decidiu de última hora levar à TV inserções nas quais o presidente da legenda, Rui Falcão, defendeu Lula. Uma resolução aprovada pela Frente Brasil Popular, que inclui PT, PC do B, PDT, Movimento dos Sem Terra, CUT, UNE e Central de Movimentos Populares, repudiou a “forma seletiva” como são conduzidas as investigações da Lava Jato e o tratamento dado a Lula pela imprensa. “Todos nos sentimos atingidos com os constantes ataques feitos a Lula”, diz o texto. No próximo dia 17, a Frente Brasil Popular também fará uma manifestação diante do Fórum Criminal da Barra Funda, onde o ex-­presidente prestará depoimento, com o mote “Lula eu defendo, Lula eu respeito!”.

Homem “jurado de morte” e jovem que visitava irmão são assassinados em Curitiba


 


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento


Dois crimes aconteceram no fim da noite deste domingo (7) de Carnaval em diferentes bairros de Curitiba. As duas vítimas foram assassinadas com disparos de arma de fogo, segundo aPolícia Militar (PM).
Um jovem de 19 anos foi morto na Praça União, próximo a Rua Sebastião Ribeiro Batista, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Ocupantes de uma Palio de cor preta efetuaram vários disparos contra a vítima, por volta das 21h50. De acordo com a PM, a vítima vinha sendo ameaçada de morte.
Já no bairro Uberaba, um homem de 34 anos, de primeiro nome Fábio, foi assassinado com vários tiros na Rua Deputado Tenório Cavalcanti. Ele estava na casa do irmão quando foi chamado e levou vários tiros, por volta das 23h50.
A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

Suspeito é flagrado com plantas de maconha na mochila no Terminal do Portão


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento


Um homem de 28 anos foi preso em flagrante pela Guarda Municipal de Curitiba (GM) dentro do Terminal do bairro Portão por volta das 10h desta segunda-feira (8). Dentro da mochila que ele carregava, foram encontradas várias plantas de maconha.
maconha dentro
Plantas de maconha apreendida pela GM (Foto: Divulgação GM)
O guarda municipal Fernando Ribas afirmou à Banda B que a abordagem aconteceu porque o jovem estava em atitude suspeita no terminal.
“Ele tinha oito gramas de maconha pronta para uso e também várias plantas dela. Ainda não sabemos o que fazia naquela região com o entorpecente”, descreveu.
De acordo com o guarda, o rapaz deu informações confusas à equipe. “Primeiro disse que era dele e cultivava a droga, depois que pegou de um amigo. A situação está muito confusa ainda”, concluiu.
O suspeito foi levado ao Centro de Atendimento Integrado ao Cidadão, o Ciac-Sul, no bairro Portão, em Curitiba.

Mãe de jovem morto há 1 ano em RO escreve carta: 'tenho vontade de gritar'


Douglas do Nascimento morreu após ser espancado perto de boate. 
Doze meses depois, nenhum suspeito do crime foi preso pela polícia.

Pâmela FernandesDo G1 RO
Douglas Nascimento (Foto: Reprodução/ Facebook)Douglas  foi achado espancado na manhã
seguinte após festa (Foto: Reprodução/ Facebook)
Um ano depois da morte do estudante de odontologia Douglas Nascimento, de 22 anos, a mãe do rapaz escreveu uma carta emocionante para relatar a saudade que sente do filho e a impunidade sobre o suspeito. O jovem morreuao ser espancado por um grupo na frente de uma boate em Ji-Paraná (RO), em fevereiro de 2015. Mesmo a polícia afirmando que já possui suspeitos, ninguém foi preso em 12 meses.
Indignada por não ter respostas, a mãe de Douglas, Irene Nascimento, fez um desabafo em uma carta. "As vezes a dor e tão grande Dodô, que tenho vontade de gritar, mas não pro mundo me escutar, e sim pra Deus, pra que ele, por favor, não demore mais pra solucionar a sua partida tão bruta e precoce".
Douglas foi encontrado com sinais de espancamento perto de uma casa de shows da cidade. De acordo com depoimentos de testemunhas à polícia, na boate houve uma confusão, mas o jovem não teria se envolvido. Ele foi retirado do local pelos seguranças e só foi encontrado no dia seguinte com várias lesões pelo corpo.
O estudante foi encaminhado para Porto Velho e ficou internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), mas acabou morrendo em consequência de um traumatismo craniano.
A 1° Delegacia de Polícia Civil de Ji-Paraná começou a investigar o crime, mas o caso tinha poucas informações, imagens ou testemunhas que gerassem provas suficiente que levassem ao autor do crime. Em setembro, o caso foi repassado e o delegado Cristiano Matos. De acordo com Matos, a polícia conseguiu progredir com o caso. "O inquérito ainda não foi finalizado, mas já temos uma luz no fim do túnel que pode nos levar aos autores deste crime", explica.
Em Ji-Paraná, RO, pai de jovem morto após ser espancado pede justiça (Foto: Arquivo Pessoal)Carta da mãe de Douglas foi postada na internet
(Foto: Arquivo Pessoal)
Carta
Para relatar a saudade que sente do filho e a sensação de impunidade em um ano, Irene escreveu uma carta de desabafo. Logo na abertura, a mãe fala da rotina desde o crime. "O dia que não queria que chegasse, chegou e a dor está cada vez maior em nossos corações, pois um ano se passou e a pessoa que tirou sua vida, ou as pessoas, continuam em liberdade, seguindo suas vidas normalmente, deitando e levantando como qualquer pessoa normal  e a gente aqui, deitando e levantando cada dia, mas com a saudade em tempo de explodir", diz o texto.
Em outro trecho, Irene fala que a saudade do filho cresce a cada dia: "Penso em você em silêncio e muitas vezes chamo o seu nome. Penso que você ainda está aqui, ao meu lado, mas infelizmente tudo que me resta são memórias, são imagens, objetos, músicas e poemas que me fazem lembrar de você, e reacender o amor dentro do meu coração".

A mãe de Douglas também relembra a crueldade como filho foi morto. "Se esse covarde soubesse o tamanho do buraco e da dor que abriu em nossos corações, tirando a vida de um ser tão maravilhoso como você Dodô, não teria feito tamanha maldade".
Pais de jovem se reuniram com delegado (Foto: Pâmela Fernandes/G1)Pais do jovem pedem Justiça pela morte de Douglas (Foto: Pâmela Fernandes/G1)
Pai
Para o pai, Claudemir do Nascimento, saber que a família sofre com a falta do filho e o culpado por isto ainda está solto, a situação só piora. "A gente sente dor todo dia com a falta dele. Então, pensamos que para quem cometeu este ato, não aconteceu nada com ele, ele simplesmente está por aí, solto", lamenta.
No inicio de março de 2015, familiares e amigos fizeram uma passeata pedindo justiça e que as testemunhas se manifestassem para ajudar na solução do caso. Os pais afirmam que acompanham o caso de perto, e esperam que seja solucionado o mais rápido possível. "Sempre ligamos pro delegado e ele nos passa como está a investigação. O inquérito seria finalizado em dezembro, mas não sabemos o que houve para adiar", explica Irene.
Leia na íntegra a carta escrita pela mãe de Douglas:
Então... o dia que não queria que chegasse, chegou e a dor está cada vez maior em nossos corações, pois um ano se passou e a pessoa que tirou sua vida, ou as pessoas, continuam em liberdade, seguindo suas vidas normalmente, deitando e levantando como qualquer pessoa normal, e a gente aqui, deitando e levantando cada dia, mas com a saudade em tempo de explodir. Pensamos em você todos os dias “DODÔ”, mas hoje foi mais forte ainda. Hoje pensamos em você com saudades e meu coração se encheu de tristeza, e fez as lágrimas transbordarem pelos meus olhos, mas não há nenhuma novidade nisso, porque eu pensei em você ontem, e antes de ontem, e todos os dias desde que você se foi.
Penso em você em silêncio e muitas vezes chamo o seu nome. Penso que você ainda está aqui, ao meu lado, mas infelizmente tudo que me resta são memórias, são imagens, objetos, músicas e poemas que me fazem lembrar de você, e reacender o amor dentro do meu coração.
saiba mais

A sua lembrança continua viva, presente em minha vida e em todos que te amavam verdadeiramente e nunca irá desaparecer.
Deus agora tem você em seus braços, mas nós teremos você eternamente no coração. Sabemos que você vinha cumprindo sua missão com fidelidade. Jovem, cheio de sonhos e expectativas de uma vida futura melhor. Alegre, extrovertido, um menino super de família que nos honrava como ninguém. Amigo presente, dedicado, responsável, dono de um sorriso como ninguém tem, e quem te conheceu sabe do que estou falando.
Se esse covarde soubesse o tamanho do buraco e da dor que abriu em nossos corações, tirando a vida de um ser tão maravilhoso como você DODÔ, não teria feito tamanha maldade.
Estamos aqui hoje, revivendo tudo o que aconteceu a 365 dias atrás, aquela angustia de saber do que tinha ocorrido com você, e agente inocente aqui achando que estava tudo bem, que só tinha sido apenas uma 'briguinha' em boate coisa de jovens mesmo sabe? E olha no que resultou, essa briguinha que, ate hoje não sabemos como aconteceu, e “o porquê? ”.  Custou sua vida DODÔ e isso dói demais, dói na alma. Meus Deus, será possível que ninguém viu nada? Ninguém passou nessa hora? O demais da festa, os que estavam junto com ele, pelo amor de Deus, onde estavam nessa hora?
As vezes a dor e tão grande DODÔ, que, tenho vontade de gritar, mais não pro mundo me escutar, e sim pra Deus, pra que ele por favor não demore mais pra solucionar a sua partida tão bruta e precoce, que ele dê a resposta que tanto pedimos, porque sei que não se passa um dia se quer sem pensar em você. DODÔ, Se a justiça pensa que desistimos, estão enganados, viu?
Senhores, autoridades desse Brasil, queremos a justiça por DOUGLAS NASCIMENTO, não vamos desistir em quanto esse caso não for solucionado. Não é possível que numa festa onde tinha mais de 50 jovens, ninguém viu nada, ninguém sabe de nada, que não existe provas. Não estamos pedindo nada demais, somente que, a justiça cumpra com seu dever e coloque atrás das grades quem cometeu esse crime irreparável e incalculável, de tamanha dor e profunda tristeza para família e amigos de verdade.
QUE A JUSTIÇA SEJA FEITA EM MEMÓRIA DE DOUGLAS NASCIMENTO.
1 ano sem você, nosso eterno e amado DODÔ.

Homem fica com faca cravada após ser flagrado com outro pelo marido


Suspeito flagrou companheiro beijando outro homem na casa deles em MT.
Casal tem relacionamento conturbado e violento, segundo a Polícia Militar.

Do G1 MT
Vítima ficou com faca cravada no pescoço e precisou ser socorrida pelo Samu (Foto: Divulgação/Polícia Militar)Vítima ficou com faca cravada no pescoço e precisou ser socorrida pelo Samu (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Um homem de 34 anos ficou com uma faca cravada no pescoço após discutir com o companheiro, em Santa Carmem, a 493 km de Cuiabá. A vítima foi flagrada beijando outro homem na residência do casal. Segundo a Polícia Militar, o suspeito, de 30 anos, usou uma faca da própria residência para ferir o companheiro. Ele foi preso em flagrante e encaminhado para a delegacia daquele município.
Segundo a polícia, os dois homens moram juntos há cerca de cinco anos e tem um relacionamento conturbado, tanto que brigas violentas entre os dois já foram registradas em outras ocasiões.
saiba mais

De acordo com o boletim de ocorrências da PM, a confusão ocorreu após o suspeito retornar de um bar e flagrar o companheiro beijando outro homem na residência em que moram. Com ciúmes, ele usou uma faca para se vingar do companheiro. O objeto ficou cravado no pescoço da vítima até que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) realizasse o socorro.
Após ferir o companheiro, o suspeito do crime correu para um bar e se escondeu da polícia. Ele foi encontrado e preso. Em seguida, o homem confessou que golpeou o companheiro no pescoço na tentativa de matá-lo.
A vítima foi encaminhada para um hospital em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, para que a faca fosse retirada do pescoço. O G1 tentou contato com o hospital para obter informações sobre o estado de saúde da vítima, mas as ligações não foram atendidas.