O Lula real


índice
Editorial, Estadão
A cada dia revelam-­se mais detalhes da grande afeição que empreiteiras e empresas de telefonia nutrem pelo ex-­presidente Lula. O País vai descobrindo que se fez um verdadeiro mutirão para oferecer-­lhe um pouco de conforto e sossego após sua saída do Palácio do Planalto, em 2010. Os capítulos dessa história mostram não apenas a falta de escrúpulos de Lula na fruição dessas benesses, distribuídas entre os campos de Atibaia e a praia do Guarujá. Mais do que indicar os endereços de descanso do ex­-presidente, essa história confirma quem é o verdadeiro Lula.
Com o que foi revelado até agora, cai por terra, por exemplo, a versão apresentada meses atrás pelo Instituto Lula – que funciona como assessoria de imprensa do ex-­presidente – de que o pecuarista José Carlos Bumlai não seria tão amigo de Lula. “O Bumlai frequentava as festas e aniversários, mas não era ‘aquele’ amigo do Lula que todo mundo está falando”, disse o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, em novembro, por ocasião da prisão de Bumlai.
Essa alegada distância entre o ex­-sindicalista e o pecuarista precisou ser revista, já que – diante da crescente dificuldade em explicar tudo bem explicado – José Carlos Bumlai deve assumir a responsabilidade pela reforma no sítio de Atibaia. A partir de agora, é o grande amigo a quem dona Marisa foi recorrer para conseguir que a casa estivesse ajeitada para o Natal de 2010 da família Silva. De fato, Bumlai parece ter sido um bom amigo. Documentos apreendidos pela Polícia Federal revelam que uma empresa de estruturas metálicas prestou serviços a Bumlai, no sítio Santa Bárbara, em Atibaia, no valor de R$ 550 mil. Representante da empresa admitiu ter recebido R$ 40 mil em dinheiro do pecuarista.
Fica evidente que Lula não tem muitos escrúpulos em usufruir dos bens que lhe são ofertados, desde que a titularidade seja de terceiros. Também não tem grande dificuldade em usar para o mesmo fato a versão que for mais conveniente no momento. Mostra também que a proximidade com Lula tem um alto preço. Quando as circunstâncias apertam, é preciso que cada um se sacrifique um pouco pelo grande líder. Tudo vale para blindar Lula. É Bumlai dizendo que a responsabilidade é dele e nunca tratou da reforma com o ex­-presidente. É a versão de que foi dona Marisa quem procurou Bumlai, para pedir uma mãozinha, mas não comentou nada com o marido.
A receita é a mesma. Cada um reconhece que fez um pouco e, muito especialmente, reafirma em alto e bom som, de forma clara e inequívoca, que Lula de nada sabia, que Lula não tem celular, que Lula nunca tratou desses assuntos com ninguém, que Lula nem mesmo gostava do tríplex.
A partir daí, tenta­-se construir a narrativa da perseguição política, como se tudo não passasse de intriga da oposição e da “mídia golpista”. Mas não é a oposição ou a imprensa que perseguem Lula. Ele é perseguido pelos seus atos. Ele é perseguido pela simples revelação do jeito tão próximo de se relacionar com empreiteiras e empresários envolvidos em escândalos.
Com as últimas revelações, confirma­se que o Lula mítico é muito diferente do Lula real. Faz inflamados discursos sobre a perversidade da elite e sua inveja diante de seu sucesso político, mas, ato contínuo, aceita, sem maiores problemas de consciência, os favores que lhe são prestados por essa mesma elite, por essa mesma gente que minutos atrás ele vergastava implacavelmente.
A evidência da disparidade entre a figura pública e o homem privado vem fazendo despencar sua popularidade. É isso o que vem minando dia a dia seu capital político, esse capital que por um bom tempo Lula julgou ser inesgotável, podendo ser esbanjado como bem lhe apetecesse. Lula finalmente começa a se dar conta de que não é uma lenda. É um homem de carne e osso que carrega as suas servidões e deve responder pelos seus atos.

Bandidos invadem plantão de vendas de imobiliária, rendem corretores e fazem arrastão


Por Luiz Henrique de Oliveira


Bandidos armados invadiram um plantão de vendas de uma imobiliária na marginal da BR-116, no bairro Atuba, em Curitiba, na manhã de sábado (20). A dupla rendeu sete pessoas, fez um arrastão e fugiu com o carro de dois corretores. Outros dois comparsas davam cobertura à ação, de acordo com testemunhas.
Um corretor que foi rendido, e que pediu para não ser identificado, teve um Fox branco 1.6 placas AYL9388 (com adesivo de São Jorge na traseira) levado pelos marginais. Ele contou em detalhes o momentos de terror que passou durante o assalto.
“Estávamos em cinco corretores de plantão, além da segurança e da recepcionista. Por volta das 10h, eu fui tomar café e quando retornei havia dois rapazes dentro, um deles armado. Eles estavam arrumados e pareciam até clientes, na faixa dos 25 anos”, iniciou.
As sete pessoas rendidas foram trancadas em uma das salas do imóvel. “Levaram o meu carro e o de outra corretora (um Palio Fire preto com placa inicial APQ), em uma ação que durou em torno de dez minutos. Também levaram os celulares de todos nós, cinco notebooks e demais produtos que eu e meus companheiros de trabalho tínhamos”, completou.
O corretor disse que se um cliente chegasse na hora do assalto o pior poderia ter acontecido. “Ainda bem que não entrou ninguém. Quem tiver informações sobre os carros, peço que entre em contato imediatamente com o 190 da Polícia Militar”, concluiu o corretor.
A investigação do caso fica a cargo da Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba (DFR).

Motorista de caminhonete mata aposentado e foge sem prestar socorro; família se revolta


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento


Um aposentado de 62 anos, que passeava de bicicleta no bairro Uberaba, em Curitiba, morreu depois de ser atingido por uma caminhonete na Rua Antônio de Paula, por volta das 8h45 deste domingo (21). Pedro Paulo Pondelek chegou a ser socorrido pelo Siate do Corpo de Bombeiros, mas morreu no local. O motorista causador do acidente não ficou para prestar socorro.
bike
Aposentado foi atingido por trás pela caminhonete (Foto: Reprodução)
O vidraceiro Márcio José Pondelek, filhode Pedro Paulo, disse à Banda B que ele havia saído de casa para comprar pão. “No caminho, foi atingido por trás por essa caminhonete marrom. Ele ficou no capô e foi arrastado por alguns metros, quando o motorista fez uma manobra e fugiu sem prestar socorro”, lamentou.
Segundo Márcio, o Siate do Corpo de Bombeiros foi até o local, mas nada pôde ser feito por Pedro Paulo. “Fizeram seis tentativas de reanimação, mas ele acabou não resistindo. Infelizmente aconteceu essa tragédia e agora a única coisa que queremos é Justiça”, disse o filho.
Pedro Paulo deixa três filhos e uma neta. A PM confirmou o caso e passou os dados apurados no local à Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba, que irá atrás do motorista que não ficou para prestar atendimento. A placa chegou a ser anotada por uma testemunha, porém os dados não batem.
Abaixo, confira um registro fotográfico feito pelas câmeras de segurança de uma casa próxima ao local do acidente. Importante ressaltar que a câmera ainda está com o horário de verão, por isso a diferença de uma hora para o horário do atropelamento. A caminhonete é marrom, com detalhes em prateado, e ficou com a parte dianteira destruída devido ao acidente.
camionete dentrto
Caminhonete que teria causado o acidente, segundo testemunhas (Foto: Reprodução)

Lula vai denunciar procuradores por ‘abusos e ilegalidades’


Investigadores dizem que ex-presidente fez tráfico de influência em favor da construtora Odebrecht

Fonte: O Globo Publicado por: Sávia Barreto21/02/2016 17h28 - Atualizado em 21/02/2016 17h29
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai denunciar a Procuradoria da República no Distrito Federal ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A defesa do petista afirma que os procuradores do DF cometeram “abusos e ilegalidades contra o ex-presidente”. A reação de Lula acontece depois que a revista “Época” revelou na edição deste fim de semana que os investigadores concluíram que o petista fez tráfico de influência em favor da construtora Odebrecht.
O ex-presidente Luis Inacio Lula da Silva - Fernando Donasci / Agência O Globo
“A gravidade dos fatos é gritante, razão pela qual os advogados do ex-Presidente Lula irão, mais uma vez, levar a situação ao conhecimento do Procurador Geral da Republica — que até hoje não deu resposta às ilegalidades antes denunciadas — e ao Conselho Nacional do Ministério Público, que necessita cumprir as suas funções constitucionais e impedir que continue havendo o vazamento de informações sigilosas sonegadas aos advogados” afirma a nota assinada pelo advogado Cristiano Zanin Martins.
De acordo com a revista, os procuradores concluíram que “havia um modus operandi criminoso na atuação de Lula, dos executivos da Odebrecht e dos diretores do BNDES para liberar dinheiro do banco à empreiteira”. O ex-presidente teria vendido sua “influência política à Odebrecht por R$ 7 milhões”. A “Época” diz ainda que “o contrato de palestras entre uma empresa de Lula e a Odebrecht serviu para ‘dar aparência de legalidade’ ao tráfico de influência”.
Os procuradores também identificaram que o BNDES aprovava com velocidade incomum — até 49% acima da média — os financiamentos que envolviam gestões de Lula e interessavam à Odebrecht. Em nota divulgada pelo Instituto Lula, a defesa do ex-presidente contesta a reportagem.
"O único crime evidenciado na reportagem é o vazamento ilegal de um procedimento sigiloso, ao qual os advogados de Lula tiveram acesso negado, também de forma ilegal ”, afirma a defesa de Lula.

Seis são presos na BA suspeitos de matar nutricionista no ES


Camila dos Santos ficou desaparecida por dois dias em São Mateus.
Polícia informou que suspeitos fazem parte de quadrilha de roubo de carros.

Juirana Nobres e Ariele RuiDa TV Gazeta
Nutricionista desaparece após visitar prima em São Mateus, no Espírito Santo (Foto: Arquivo Pessoal)Nutricionista desapareceu após visitar prima em
São Mateus (Foto: Arquivo Pessoal)
Seis pessoas foram presas em Teixeira de Freitas, na Bahia, suspeitas de participação na morte da nutricionista Camila dos Santos Lopes, de 29 anos.
Os detidos vão prestar depoimento à polícia na tarde deste domingo (21) e em seguida serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Mateus, no Norte do Espírito Santo.
A polícia informou que o suspeitos fazem parte de uma quadrilha de roubo de carros.
A vítima ficou desaparecida por dois dias. O corpo foi encontrado por amigos e reconhecido pelo pai neste sábado (20), em São Mateus.
O corpo da jovem foi velado na capela mortuária no Centro de São Mateus na manhã deste domingo (21) e enterrado por volta de 12h.
"Minha prima era uma pessoa do bem, não fazia nada de errado, era calma. Não sei porque fizeram isso, porque a mataram", disse Cristiano Clementino dos Santos.
O secretário de Segurança Pública do estado, André Garcia, também foi ao velório. “Vim prestar solidariedade. Temos uma legislação frouxa que autoriza que situações assim aconteçam. Daqui há quatro anos podem estar na rua. Já fui a vários velórios em que muitas vidas foram interrompidas por causa da impunidade. Conseguimos prender essa quadrilha que já era procurada na Bahia”, disse Garcia.
Na frente do Departamento de Polícia Judiciária (DPJ), onde os detidos estavam, um grupo de amigos e familiares gritavam por Justiça.
Na frente do DPJ, onde os detidos estavam, amigos pediam Justiça, espírito santo (Foto: Ariele Rui/ TV Gazeta)Na frente do DPJ, onde os detidos estavam,
amigos pediam Justiça (Foto: Ariele Rui/ TV Gazeta)
Prisão
Os policiais militares chegaram aos suspeitos depois de terem acesso às imagens de câmeras de videomonitoramento de casas e lojas que ficam próximas à praça São Benedito, no Centro de São Mateus, local onde Camila foi abordada pelos criminosos.
Entre os presos está uma mulher de 49 anos.
A polícia ainda não informou como foi a participação de cada um e como o crime aconteceu. Disse apenas, que Camila foi atingida por um tiro e que dois suspeitos confessaram a morte da nutricionista.
Material encontrados com os suspeitos  (Foto: Divulgação/Polícia Militar)Material encontrados com os suspeitos
(Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Segundo a PM, nas imagens eles conseguiram observar que o carro da nutricionista estava sendo seguido por um veículo cor prata com placas da Bahia.
Em contato com a PM da Bahia, os policiais do Espírito Santo conseguiram informações da quadrilha especializada em roubo de carros. 
Os militares foram à Teixeira de Freitas para procurar os suspeitos. Na região o carro prata foi encontrado.
Segundo a polícia, os dois homens que estavam no veículo confessaram que mataram a nutricionista para roubar o carro dela. “Os dois suspeitos confessaram o crime e alguns objetos da vítima foram encontrados", relatou o delegado Roberto Fonte.
O carro de Camila, roubado pela quadrilha, também foi encontrado na Bahia depois que um dos suspeitos levou a polícia até o local que o veículo estava.
Corpo foi encontrado em plantação de eucalipto no espírito santo (Foto: Divulgação/Polícia Militar)Corpo foi encontrado em plantação de eucalipto
(Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Corpo encontrado
Depois de dois dias de angústia para família e amigos, no fim da tarde de sábado, o corpo da nutricionista foi encontrado no meio de uma plantação de eucalipto, a três quilômetros do bairro litorâneo, em São Mateus.
Camila desapareceu na última quinta-feira depois de sair de casa por volta 12h dizendo que iria visitar duas primas no bairro Porto e não voltou mais. Além da polícia, amigos da jovem também ajudaram nas buscas, e foi por um grupo de amigos que o corpo da jovem foi encontrado.
"Nós nos dividimos em cinco carros e saímos procurando em estradas rurais, levamos apitos, bombinhas e fogos na tentativa de encontrar ela viva, mas foi da pior maneira", contou o amigo da vítima, Vagner Souza.

Comandante da Rota é baleado em assalto em SP





O Globo

SÃO PAULO - Um comandante da Rota (Rondas Ostensivas de Tobias e Aguiar) foi baleado na noite deste sábado num assalto a uma casa na Rua Adriano Silva, no Rio Pequeno, Zona Oeste de São Paulo. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) o caso ainda estava em apuração na tarde deste domingo e não havia a identificação da vítima.
Segundo a Polícia Militar, o comandante estava em uma festa de família, quando pelo menos quatro bandidos invadiram a residência. Os ladrões teriam descoberto que o homem era um militar e dispararam três vezes contra ele.
O policial foi socorrido ao Pronto-Socorro do Hospital Universitário e transferido para o Hospital Samaritano, onde permanece internado. Seu estado de saúde é estável. Ninguém foi preso até o momento.


L

Aos 4 anos, menino sonha ser lixeiro e participa da coleta na rua de casa; veja


Miguel tem até roupa de coletor e virou grande amigo da turma da limpeza.
Família produziu até festa temática de aniversário para agradar o menino.

Do G1 Ribeirão e Franca
Com apenas 4 anos, um menino de Ribeirão Preto (SP) já sabe muito bem o que vai ser quando crescer. Miguel Silva Campos tem verdadeira admiração pelo trabalho da turma da limpeza da cidade e não vacila na resposta. “Quero ser lixeiro”, diz.
O pai de Miguel, o executivo de contas Alexandre Luiz Rocha Campos, afirma que o entusiasmo do filho pelo trabalho dos lixeiros surgiu naturalmente. “Acho que ele gosta de ver os caras montando no caminhão. Em casa ele brinca, pega as almofadas do sofá, joga no primeiro lance de escada, pendura no corrimão numa mão só, como se fosse o lixeiro. É engraçado, a gente se diverte”, conta. 
Miguel confirma a suspeita do pai ao contar o que mais acha legal na profissão de lixeiro. “Eles correm, pegam o lixo. Eles limpam todo o quarteirão”, diz.
Miguel tem quatro anos e diz que quer ser lixeiro quando crescer (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)Miguel tem quatro anos e diz que quer ser lixeiro quando crescer (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)
Por causa da paixão do menino, a rotina da família passou até por mudanças. Segundo Campos, a equipe da coleta passa na rua onde moram no Jardim Interlagos, na zona leste, às segundas, quartas e sextas-feiras, por volta das 12h30, mesmo horário em que Miguel chega da escola. O pai diz que ele costuma dormir após o almoço, mas, nesses dias, o sono fica de lado.
"Ele come mais rápido e vai para a rua esperar o caminhão dobrar a esquina. Às vezes, ele fica horas lá fora esperando e, enquanto ele não vê o lixeiro, corre atrás, fala oi e dá água, ele não dorme."
Ao ver o caminhão, Miguel não só olha, como também participa do trabalho dos coletores. É ele quem joga parte simbólica do lixo da casa no veículo. “Eu sempre espero eles. Eu gosto muito do dia que eles vêm”, conta o menino.
Miguel vibra com a equipe da coleta de lixo na rua onde mora na zona leste de Ribeirão Preto (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)Miguel vibra com a equipe da coleta de lixo na rua onde mora na zona leste de Ribeirão Preto (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)
Festa de aniversário temática
Campos afirma que a admiração do Miguel não é só coisa de criança, passageira. Quando completou 4 anos, ao invés de uma festa temática com ídolos dos desenhos animados, o menino pediu a decoração de lixeiro. A ideia pegou os pais de surpresa, mas os dois se desdobraram para realizar a vontade do filho.
“Nada, nada conseguia tirar a ideia dele de caminhão de lixo. E não achava essa festa de jeito nenhum, A gente teve que montar ponto a ponto, de mesa às cadeiras, a mesa de bolo, doces, enfeites, ninguém tinha uma festa completa dessas”, diz.
Caminhões verdes enfeitaram a mesa do bolo. Os doces e as lembrancinhas também foram personalizados, assim como árvores e latas de lixo coloridas, sinalizando os tipos de materiais recicláveis.
Família precisou improvisar para fazer festa temática de coletor de lixo em aniversário de quatro anos (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)Família se desdobrou para fazer festa temática de coletor de lixo  (Foto: Reprodução/EPTV)
Por fim, Miguel ganhou uma roupa de coletor de lixo, e até o pai se vestiu com o uniforme. “Fizemos a roupa de lixeiro para ele, para o recreador também, e eu também me vesti para ficar igual a eles. Foi um barato”, conta.
Agora, é com a roupa da festa que Miguel espera pela chegada da equipe da limpeza.
Para o coletor de lixo Juliano Douglas dos Santos, o reconhecimento vindo de uma criança representa o valor dado ao trabalho árduo feito diariamente pela equipe. "Parabéns por gostar de nós, porque é um privilégio uma criança gostar de nós o tanto que ele gosta. É amigo do lixeiro ele, virou nosso amiguinho pra sempre”, diz.
Miguel arremessa o lixo de casa para dentro do caminhão da limpeza em Ribeirão Preto, SP (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)Miguel arremessa o lixo de casa para dentro do caminhão da limpeza (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)

Aliados usam depoimentos prestados para negar que Lula fuja de explicações


Parlamentares que estiveram com ex-presidente dizem que ele está 'aliviado' e preparam plano de defesa

RICARDO DELLA COLETTA
20/02/2016 - 11h41 - Atualizado 20/02/2016 11h41
Cobrança de R$ 20 bilhões desviados da Petrobras preocupam Lula e o PT (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)O ex-presidente Lula (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
Lula está aliviado com a suspensão do depoimento ao Ministério Público para se explicar sobre
o tríplex no Guarujá, mas seus aliados traçam uma estratégia para que o ex-presidente não
fique com a imagem de que está fugindo das investigações. Parte do plano passará pelo fato
de o ex-presidente ter prestado depoimento na Operação Zelotes sobre supostas vendas de medidas provisórias e sobre contratos milionários de um dos seus filhos.

“O BNDES sofre tráfico de influência”, diz presidente da CPI


Deputado Marcos Rotta (PMDB-AM), que lidera a comissão que investiga o banco estatal, questiona financiamentos concedidos com dinheiro público para Angola, Cuba e Venezuela

DA REDAÇÃO
21/02/2016 - 12h24 - Atualizado 21/02/2016 12h24
O deputado Marcos Rotta (PMDB-AM) foi eleito presidente da CPI do BNDES  (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O presidente da CPI do BNDES, Marcos Rotta (PMDB-AM), fez um trabalho minucioso na comissão que investiga o banco estatal. Levantou os contratos sigilosos do BNDES com grandes companhias e países da América Latina e da África. Quebrou o sigilo de pessoas ligadas ao governo e de empresas que receberam recursos do BNDES. A CPI, porém, acabou terminando antes de aprofundar as investigações, segundo a avaliação de seus próprios membros. Apesar disso, Rotta acredita que os trabalhos apontam para uma conclusão assustadora: “O BNDES sofre tráfico de influência”. De acordo com o parlamentar, os empréstimos concedidos pelo banco para Angola, Cuba e Venezuela tiveram pouca transparência e um critério de seleção questionável. “A questão do tráfico de influência é uma coisa latente e visível”, diz Rotta. Veja a seguir os principais trechos da entrevista.
Época: Qual a principal conclusão da CPI do BNDES?
Marcos Rotta: Nós não conseguimos detectar no BNDES desvios de recursos, como é o caso da Petrobras, que é patente. O que a gente identificou é que o BNDES sofre tráfico de influência. E isso é muito claro. O BNDES esconde os critérios para financiar obras em países como Angola, Cuba e Venezuela -- e não deixa transparecer a motivação desses créditos. Enquanto isso, o Brasil enfrente problemas de portos, de metrô e de infraestrutura. É uma situação extremamente complicada, porque você não sabe quais foram os critérios utilizados pelo banco para liberar crédito para a exportação. O BNDES é um banco nacional de desenvolvimento. Não é um banco internacional. Como se chegaram a essa decisão política de fazer o porto de Mariel? Como se chegou ao ponto de financiar o metrô da Venezuela? Por que Angola recebeu tantos bilhões de dólares? Isso também não sabemos. Por exemplo: na minha cidade, Manaus, há problemas terríveis de mobilidade urbana. Não temos metrô e nem monotrilho. Essa falta de critério nos leva a acreditar que as empresas e os financiamentos são motivados por escolhas políticas. Isso também é evidente nos chamados campeões nacionais, empresas como a JBS que receberam uma enxurrada de dinheiro do BNDES. Algumas deram lucros. Mas outras deram prejuízos terríveis. A questão do tráfico de influência é uma coisa latente e visível. O BNDES precisa equacionar essa questão. Esses grandes financiamentos, principalmente os internacionais, tinham que passar pelo crivo do Congresso, para que possamos fiscalizar e ver um novo grau de transparência nas operações do banco.
>> 

Época: E quais são os indícios que vocês identificaram de tráfico de influência no BNDES?
Rotta: O maior indício é a forma como os financiamento foram concedidos. A partir das operações de crédito realizadas pelo banco, chega-se a essa conclusão do tráfico de influência. Tantas empresas campeãs nacionais no Brasil conseguiram empréstimos, seja pela amizade ou pela proximidade com o banco ou ainda pelo tráfico de influência. Não tem lógica. Os financiamentos não sofrem um processo sequencial e de lógica. São empresas que são escolhidas a dedo. E o dedo de quem?
>> 

Época: De quem?
Rotta: Ainda não sabemos, porque a CPI não teve o prazo renovado. A próxima etapa seria aprofundar as investigações para saber quem faz esse tráfico de influência. Nos foi pedido pelo MPF todo material envolvendo essa questão específica do tráfico de influência. Ao receber a solicitação, não me limitei a compartilhar o documento específico solicitado, mas enviei também tudo o que levantamos em nosso trabalho de apuração, preservando, claro, os documentos sigilosos. Essa foi uma iniciativa minha, já que não tínhamos o tempo hábil e condições para nos aprofundar nessa questão. Acredito que as autoridades brasileiras poderão aprofundar na investigação do tráfico de influência e identificar os responsáveis.
>> 

Época: A CPI do BNDES está terminando, e o relator, o deputado José Rocha (PR-BA), apresentou um relatório final sem qualquer pedido de indiciamento. Qual será o grande legado do trabalho que vocês realizaram ao longo de seis meses?
Rotta: O nosso trabalho na CPI sempre foi muito consensual e plural. Todos os membros tiveram espaço para trabalhar. Em meu papel como presidente, fiz tudo o que estava ao meu alcance para atender a todos os requerimentos, sugestões e demandas dos meus colegas. O legado que deixaremos para a sociedade é, sem dúvida alguma, a necessidade de termos mais transparência do dinheiro que sai dos cofres do BNDES. Acredito que deixamos como legado também uma reflexão sobre o papel do BNDESPar, braço de investimento do BNDES. Na minha opinião, o BNDESPar não deveria existir mais. Os critérios de investimentos dessa instituição não são tão claros. Como é que o BNDESPar se associou à JBS? Devemos repensar os investimentos do banco como um todo, sobretudo os financiamentos para a exportação, levando em consideração, inclusive, o momento atual que vivemos, de crise e recessão no país. Espero que o nosso trabalho não tenha sido em vão.

Familiares de Isabella fazem manifestação pela doação de órgãos; criança segue na UTI


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento
isabella2
Isabella está internada na UTI do Pequeno Príncipe (Foto: Arquivo Pessoal)

Pais, familiares e amigos da pequena Isabella Fuentes Silva, de cinco meses, realizaram na manhã deste domingo (21) uma panfletagem em favor da doação de órgãos, no Parque Barigui, em Curitiba. Isabella, que aguarda por um transplante de coração com urgência, segue internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Pequeno Príncipe.
doe vida
Manifestação aconteceu neste domingo no Parque Barigio (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)
A criança está no terceiro mês de internação na UTI. Ela sofre de miocardiopatia dilatada do ventrículo esquerdo, uma doença rara no músculo do coração que impede o bombeamento adequado de sangue para o corpo, causando complicações como arritmias, coágulos de sangue e morte súbita.
O pai de Isabella, o analista de sistema Daniel Fagundes da Silva, falou que a intenção com a manifestação é incentivar a doação de órgãos.
“É um movimento para incentivar a doação de órgão. Ninguém pode doar diretamente para ela, mas queremos alertar as pessoas da importância disso e como vidas podem ser salvas, porque são inúmeras pessoas na fila de transplante hoje em dia”, disse à Banda B.
O pai lembrou que uma doação pode salvar até seis vidas. “É uma campanha de conscientização. Uma pessoa que doe órgãos pode salvar até seis outras pessoas. Neste momento de dor, é um gesto de amor a quem se foi”, descreveu.
Por fim, o pai comentou o atual estado de saúde de Isabella. “Ela está internada no estado grave na UTI do hospital, está em prioridade para receber um coração e essa é a única solução para ela”, disse Daniel.
Em recente entrevista à Banda B, a diretora da Central Estadual de Transplantes, Arlene Badock, explicou que as doações de crianças são as mais difíceis e é necessário cada vez mais campanhas como esta de conscientização. “Felizmente, o número de mortes em crianças vítimas de acidentes é muito menor que a de adultos, mas isso ocasiona o número de doações menores. Mas precisamos lembrar que das 793 mortes encefálicas no estado, apenas 300 resultaram em doações, sendo que quase metade dos não fornecidos foi por opção familiar”, relatou.