Rim artificial é criado com impressora 3D




As impressoras 3D estão decolando e em medicina não estão ficando para trás. Agora, um grupo de estudantes de engenharia química da Universidade de Connecticut (EUA) conseguiram, mediante impressão 3D, desenvolver dois protótipos de um rim artificial.

Este avanço pode ser uma excelente alternativa para a diálise ou transplante do órgão, sendo a primeira uma solução temporária e cara, e a segunda um problema, devido a elevada procura deste tipo de órgão.

"O objetivo do projeto era conseguir que esses estudantes combinassem a mais recente tecnologia e seus conhecimentos de engenharia química aprendidos em seus quatro anos de faculdade, para resolver um problema técnico que marcaria um antes e um depois", diz o professor Anson Ma, responsável pelos estudantes.

Dito e feito. Os estudantes criaram um desenho da parte exterior de um rim artificial utilizando o software AutoCAD e, em seguida, transferiram o modelo para a impressora 3D. O rim foi criado com um tamanho de 12 cm de comprimento por 6 de diâmetro, que simboliza o tamanho médio de um rim adulto.

Os alunos explicaram que só criaram a carcaça do rim, porque o nível de impressão 3D atual não é suficientemente preciso para imprimir uma estrutura que possa filtrar o sangue.

"Membranas de fibras ocas são instaladas no interior, para fazer a função de filtragem. O rim é então é lacrado. Além disso, um líquido será distribuído no exterior das membranas, e no interior da "carcaça", que fará o fluxo de componentes do sangue. O exterior da carcaça pode ser usado como um substrato para o crescimento de material biológico e facilitar a integração no corpo ", diz Anson Ma.

Como funciona a bio-impressão:
Fonte: http://www.contextolivre.com.br/2015/05/rim-artificial-e-criado-com-impressora.html

Edital de Divulgação Sessão Ordinária 22/03/2016 da Câmara Municipal de Colombo


O Presidente da Câmara Municipal de Colombo, no uso de suas atribuições legais,
divulga a pauta da Sessão Ordinária
a ser realizada no dia    22/03/2016   às 16 horas 
  Projeto de Lei do Legislativo
  N°:  774       Ano:  2016
  Autor: Givanildo da Silva (Gilgera)
  Assunto    Dispõe sobre a remoção de veículos abandonados em logradouros públicos do
                    Município de Colombo
  Situação: Divulgar
  Projeto de Decreto
  N°:  775       Ano:  2016
  Autor: José Aparecido Gotardo (Ratinho)
  Assunto    Concede o Titulo de Cidadão Honorário Padre Tadeu Camilo - titular da Paróquia
                    Senhor Bom Jesus, no Bairro São Gabriel em Colombo.
  Situação: Divulgar
  Projeto de Lei do Legislativo
  N°:  776       Ano:  2016
  Autor: José Renato Strapasson
  Assunto    Dispõe sobre a presença de "doulas" durante o trabalho de parto, parto e pós-parto
                    imediato, nas maternidades, casas de parto e estabelecimentos hospitalares
                    congêneres, do município de Colombo.
  Situação: Divulgar
  Projeto de Lei do Legislativo
  N°:  777       Ano:  2016
  Autor: Givanildo da Silva (Gilgera)
  Assunto    Institui a Campanha Municipal de Não Violência Contra a Mulher
  Situação: Divulgar
  Pedido de Informação
  N°:  1
  Autor:  Waldirlei Bueno de Oliveira
  Destinatário:  Prefeita Municipal
  Assunto:  Requer informações referentes aos Concursos Públicos dos anos de 2008, 2009, 2010, 2011,
                    2012, 2013, 2014, 2015. Sendo o que segue:
                   1.  Relação de servidores efetivos concursados que tomaram posse nos concursos
                   acima relacionados;
                   2.  Relação de servidores concursados nesse período com respectivas funções;
                   3.  Relação de servidores que apresentaram certificados de conclusão ou
                   declaração de conclusão de ensino médio, superior ou pós-graduação em
                   Instituição do Município de Colombo.
  Moção
  N°:  1
  Autor:  Givanildo da Silva (Gilgera)
  Destinatário:  Ministério Público Federal
  Assunto:  Requeiro, nos termos regimentais, seja encaminhada Moção de Solidariedade ao
                   Ministério Público Federal, representado pela Ilustríssima Procuradora Doutora
                   Cristina Conti Thá, reconhecendo o mérito de seus agentes durante os anos de
                   investigações na “Operação Lava Jato”.
  Moção
  N°:  2
  Autor:  Givanildo da Silva (Gilgera)
  Destinatário:  Juiz Federal Sergio Moro
  Assunto:  Requer que a Câmara Municipal de Colombo apoie Moção de Solidariedade ao
                   Excelentíssimo Juiz Federal Sergio Moro, no que toca aos procedimentos da
                   “Operação Lava-Jato”.
  Indicação
  N°:  75
  Autor:  Eurico Braz de Bomfim
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Solicito junto a esta secretaria estudos para que seja feito asfalto de baixo custo na
                    rua Mandaguari na Vila São José.
  Indicação
  N°:  76
  Autor:  Renato Tocumantel
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Urbanismo
  Assunto:  Estudos para viabilizar a implantação de placas indicativas no Residencial Maiorca
                   no bairro Santa Terezinha com o nome das seguintes ruas: Rua Barcelona, Rua
                   Ibiza,Rua Maiorca, Coimbra e a Rua Sevilha.

  Indicação
  N°:  77
  Autor:  Waldirlei Bueno de Oliveira
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Implantação de uma lombada na Rua Angelo Strapasson Costa, próximo a Rua
                   Zacarias de Paula Xavier.
  Indicação
  N°:  78
  Autor:  Waldirlei Bueno de Oliveira
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Implantação de uma lombada na Rua Antonio André Jonhson, próximo a Rua Antonio
                    Strapasson Costa.

 Indicação
  N°:  79
  Autor:  Renato Lunardon
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Patrolar e ensaibrar a Travessa Faro e notificar proprietária do a fazer limpeza de
                   terreno baldio na altura do numero 59 no Ana Terra
  Indicação
  N°:  80
  Autor:  Hélio Feitosa Lima
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Designar equipe para arrumar um buraco que se abriu no asfalto, da Avenida
                   Prefeito João Batista Stocco, em frente ao nº 1.376.
  Indicação
  N°:  81
  Autor:  Nivaldo Paris
  Destinatário:  Copel - Colombo
  Assunto:  Solicito a viabilidade de se fazer a relocação de um poste que encontra-se caindo
                   na Rua Sudão em frente ao número 655 do bairro Rio Verde
  Indicação
  N°:  82
  Autor:  Nivaldo Paris
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Solicito a viabilidade de se fazer uma caixa de captação de águas pluviais na Rua
                   Sudão, ligando a Travessa Madagascar, dando continuidade para uma vala lateral a
                    céu aberto.
  Indicação
  N°:  83
  Autor:  Nivaldo Paris
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Meio Ambiente
  Assunto:  Solicito a possibilidade retirada de árvore na Rua Londrina em frente ao n° 213
  Indicação
  N°:  84
  Autor:  Nivaldo Paris
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Solicito a possibilidade de se efetuar a limpeza da vala a céu aberto ao lado da Rua
                   Sudão no bairro Rio Verde.
  Indicação
  N°:  85
  Autor:  Nivaldo Paris
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Solicito a viabilidade se fazer uma tampa na caixa de lobo da Rua Maringá esquina
                   com a Rua Rio Negro.
  Indicação
  N°:  86
  Autor:  João Marcos Berlesi
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Viabilizar junto a secretária competente, a implantação de um novo Parque Infantil
                   (playground) na Praça Sebastiana de Mattos Miranda, a qual está localizada entre
                   os Bairros Jardim Paraná e Jardim Panorama.
  Indicação
  N°:  87
  Autor:  João Marcos Berlesi
  Destinatário:  DER - Departamento de Estradas e Rodagens
  Assunto:  Viabilizar junto ao departamento competente, a possibilidade de designar equipes
                   para proceder pinturas nas faixas de sinalização horizontal e vertical na P 802,
                   trecho desde o viaduto do Parque Castelo Branco até a divisa com o Município de
                   Quatro Barras (Rio Canguiri), onde termina a referida PR.
  Indicação
  N°:  88
  Autor:  João Marcos Berlesi
  Destinatário:  Secretaria Municipal de obras e Viação
  Assunto:  Viabilizar junto ao departamento competente, a possibilidade de designar equipe
                   para fazer roçadas e limpeza de vegetação nas praças abaixo relacionadas, as
                   quais ficam entre os bairros Jardim Paraná e Jardim Panorama:
                  
                   - Praça Sebastiana de Mattos Miranda
                   - Praça Izanita Straub Colete
  Indicação
  N°:  89
  Autor:  Anderson F. da Silva
  Destinatário:  Prefeita Municipal
  Assunto:  Realizar uma audiência pública com moradores e empresários da Rua Gustavo
                   Kabitschke, com o objetivo de alcançar soluções para os problemas cotidianos de
                   alagamentos naquela via.
  Indicação
  N°:  90
  Autor:  Hélio Feitosa Lima
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e viação
  Assunto:  Patrolar e ensaibrar a Rua Monge Guido de Azevedo no bairro Guarani.
  Indicação
  N°:  91
  Autor:  Renato Tocumantel
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Estudos para viabilizar a colocação da placa de sinalização indicando uma curva ou
                    pintura de chão, na rua Alexandre Andreatta esquina com a Rua José Antônio
                   Gonçalves, Jardim Monza.
  Indicação
  N°:  92
  Autor:  Renato Tocumantel
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Obras e Viação
  Assunto:  Viabilizar a colocação de redutores de velocidade no cruzamento da Rua Carlos
                   Gomes nos dois sentidos, esquina com a Rua Belo Horizonte Jardim Monza.
  Indicação
  N°:  93
  Autor:  Renato Tocumantel
  Destinatário:  Secretaria Municipal de Educação
  Assunto:  Estudos para a implantação de um Pró Criando, no Bairro Jardim Monza.



 Colombo, 21 de março de 2016.
 WALDIRLEI BUENO DE OLIVEIRA
 Presidente

Anvisa libera medicamentos com canabidiol e THC


Folhas de maconha
Anvisa publicou uma resolução que autoriza a prescrição e importação de medicamentos que contenham derivados da maconha(Hugo Ortuño/EFE)
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a prescrição médica e a importação, por pessoa física, de medicamentos e produtos com canabidiol e tetrahidrocannabinol (THC) em sua formulação, desde que exclusivamente para uso próprio e para tratamento de saúde. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União nesta segunda-feira.
Por meio de nota, a Anvisa destacou que os produtos não foram registrados no país e, portanto, não têm sua segurança e eficácia avaliadas e comprovadas pela vigilância sanitária brasileira. A agência alertou que, por essa razão, os produtos à base de canabidiol e THC podem causar reações adversas inesperadas.
"Muitos desses produtos não são registrados como medicamentos em seus países de origem, não tendo sido, portanto, avaliados por qualquer autoridade sanitária competente. Assim sendo, não é possível garantir a dosagem adequada e a ausência de contaminantes e tampouco prever os possíveis efeitos adversos, o que implica riscos imprevisíveis para a saúde dos pacientes que os utilizarão", informou.

Extraído da Cannabis sativa, o canabidiol, conhecido como CBD, é utilizado no combate a convulsões provocadas por diversas enfermidades, entre elas a epilepsia. Em janeiro de 2015, a Anvisa retirou o canabidiol da lista de substâncias proibidas e o classificou como medicamento de uso controlado.
Em seguida, a agência facilitou a importação de medicamentos à base de canabidiol. A norma prevê que o paciente ou seu responsável legal solicite à Anvisa, em formulário próprio, uma autorização excepcional para a importação e utilização do produto, apresentando prescrição médica, laudo médico e declaração de responsabilidade e esclarecimento assinada pelo médico e paciente ou responsável legal.
(com Agência Brasil)

Exclusivo: PF acha contrato de imóvel de Bumlai com Lula



A Polícia Federal encontrou no apartamento de Lula em São Bernardo do Campo um contrato de opção de compra de um imóvel comercial de R$ 6 milhões localizado no bairro de Indianópolis, São Paulo.
Trata-se de prédio em construção num terreno com mais de 3,8 mil m2. No documento, aparecem como outorgante "Asa Agência Sul Americana de Publicidade" e outorgados José Carlos Bumlai e o advogado Roberto Teixeira, compadre e parceiro de Lula nos negócios.
Como não faz sentido que Lula guarde um documento de Bumlai e Teixeira, a Lava Jato suspeita que o imóvel seja do ex-presidente.
O documento foi assinado em 5 de março de 2010, quando Lula ainda estava no governo.

Fonte; O antagonista



Lava Jato apura propina em plano de saúde dos Correios


paulo-bernardo-gleisi
Via Blog do Fausto Macedo, Estadão
A Operação Lava Jato apura suposto esquema de pagamento de propina por contratos na Postal Saúde, gestora dos planos de assistência médica de funcionários dos Correios. Para conseguir fechar negócio com a operadora, uma empresa teria pago suborno a dirigentes da estatal ligados ao casal de ex-ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Gleisi Hoffman (Casa Civil), senadora pelo PT paranaense. As informações estão sendo tratadas num acordo de delação premiada.
Conforme trechos da denúncia, aos quais o Estado teve acesso, a Unibem Medicina e Segurança do Trabalho pagava aos responsáveis por viabilizar o negócio uma comissão sobre o valor mensal recebido da Postal Saúde. A empresa presta serviços de saúde ocupacional, fazendo exames nos funcionários dos Correios.
Entre os supostos beneficiários de vantagens ilegais, estariam o ex-vice-presidente de Gestão de Pessoas dos Correios Nelson Luiz Oliveira de Freitas, o ex-diretor da Postal Saúde Alexandre Câmara e o ex-conselheiro dos Correios Leones Dall’Agnol. Ele foi chefe de gabinete de Gleisi na Casa Civil e de Bernardo nas Comunicações. Os três ocuparam os cargos na gestão de Paulo Bernardo à frente das Comunicações, ministério responsável pela estatal.
Conforme a denúncia, a Unibem começou a negociar com a Postal Saúde em novembro de 2013, por indicação de Freitas. O acerto da propina a ser paga teria sido feito em reuniões entre os administradores da prestadora de serviços com os dirigentes da Postal Saúde, entre eles Câmara. O contrato foi fechado no ano seguinte.
Um pagamento inicial, de R$ 2 milhões, teria sido feito pela operadora para viabilizar investimentos. Desse total, R$ 900 mil teriam sido rateados entre os envolvidos. Conforme o colaborador, R$ 200 mil foram pagos a Câmara e outros R$ 200 mil para Freitas. Outro beneficiário, uma pessoa identificada como “Carlos Santana”, teria ficado com R$ 300 mil.
Os pagamentos ao ex-vice presidente dos Correios seriam feitos por meio de depósitos em contas bancárias supostamente indicadas por ele.
Com o início da prestação dos serviços, a Unibem teria passado a pagar 8% do valor mensal recebido da Postal Saúde a um intermediário. Essa pessoa seria a responsável por repassar a metade, equivalente a 4%, a Freitas. As transferências seriam por depósitos bancários, cheques ou em dinheiro vivo.
A Lava Jato também recebeu informações de que Dall’Agnol ficava com outros 4% dos valores pagos à empresa. Os pagamentos seriam feitos pela Unibem a uma empresa ligada ao ex-chefe de gabinete de Gleisi e Bernardo.
O delator, cujo nome é mantido em sigilo, reuniu contrato de prestação de serviços, notas fiscais, extratos e boletos de transações bancárias, cheques e trocas de e-mails, entre outros documentos, como prova do suposto esquema.
COM A PALAVRA:
Nelson Freitas, ex-vice presidente de Gestão de Pessoas dos Correios, disse que jamais recebeu “qualquer valor” pela contratação da Unibem. Em nota, ele afirmou que não se recorda de ter marcado reuniões entre os negociantes do contrato e ressaltou que, embora seja vinculada aos Correios, a Postal Saúde é “uma entidade privada autônoma”.
Freitas alegou não ter tratado do negócio com representantes da Unibem ou da operadora de saúde. “Não era minha competência. Essa contratação é da alçada da Postal Saúde, que possui gestão própria e independente da sua mantenedora, a ECT (Empresa de Correios e Telégrafos)”, sustentou.
Ele explicou que, durante a execução do contrato, apenas acompanhou reuniões técnicas para resolver problemas que afetavam “a rotina de trabalho” dos Correios, “pois havia certa incompatibilidade entre a agenda de prestação de serviços da Unibem e a jornada de trabalho dos empregados da ECT”.
O Estado não conseguiu localizar Leonis Dall’Agnoll.
Alexandre Câmara disse que a acusação não tem cabimento. Segundo ele, houve uma negociação normal, e sem ilicitudes, para a contratação da Unibem. Ele explicou que a prestadora de serviços passou por uma “peneira” de 15 empresas do setor, que disputavam o contrato. A escolha se deveu, segundo ele, a critérios técnicos, como melhores estrutura e preço, além da possibilidade de se usar um sistema eficiente de informações para registrar e acessar os exames.
Câmara pontuou não saber se houve a indicação da Unibem por qualquer pessoa. Ele explicou que a Postal Saúde identificou a empresa após pesquisa no mercado.
Gleisi e Paulo Bernardo afirmaram não ter qualquer informação sobre a investigação e que, possivelmente, trata-se de “mais um desses vazamentos que acontecem o tempo todo”. Em nota, os ex-ministros alegaram desconhecer “completamente esse assunto” e não ter “nada a comentar”.
A Unibem não respondeu aos questionamentos do Estado, enviados por e-mail. Por telefone, o diretor executivo da empresa, Edvaldo Galano, disse que desconhece irregularidades. “O processo que eu acompanhei não foi esse”, sustentou, acrescentando que a escolha da empresa levou nove meses e envolveu muitas etapas, entre elas provas de conceito e cotações de preços. “Foi um processo de venda normal.”
A Postal Saúde não informou o valor pago à Unibem, justificando que a informação é protegida por “cláusula de confidencialidade”. Em nota, informou que todos os contratos estão sendo examinados pela área de auditoria dos Correios. Conforme apurou o Estado, o trabalho começou por haver indícios de malversação dos recursos.
A Postal Saúde informou também que sua nova gestão – iniciada em dezembro de 2015, após o PDT passar a comandar os Correios – está revisando todos os contratos e substituindo membros dos conselhos Fiscal e Deliberativo por servidores de carreira. O comunicado diz ainda que o contrato com a Unibem foi rescindido, mas não esclareceu o motivo.