Mobilização contra a Dengue vistoria cerca de 2.500 mil casas no Monte Castelo


WEBMASTER 22 DE MARÇO DE 2016

Ação na região do Monte Castelo contou com o apoio de Militares da Aeronáutica; a próxima mobilização já tem data e local definido

Ao todo, 2.500 mil casas foram vistoriadas pelos Agentes de Combate a Endemias do município.
Ao todo, 2.500 mil casas foram vistoriadas pelos Agentes de Combate a Endemias do município.
A ação contou com a participação de 20 militares da Aeronáutica que orientaram a população em relação ao mosquito.
A ação contou com a participação de 20 militares da Aeronáutica que orientaram a população em relação ao mosquito.
A terceira mobilização de combate ao Aedes Aegipty foi realizada na região do Monte Castelo
A terceira mobilização de combate ao Aedes Aegipty foi realizada na região do Monte Castelo
A terceira mobilização de combate ao Aedes Aegipty foi realizada na região do Monte Castelo e não poderia ter sido mais proveitosa. Ao todo, 2.500 mil casas foram vistoriadas pelos Agentes de Combate a Endemias do município, a ação ainda contou com a participação de 20 militares da Aeronáutica que orientaram a população em relação ao mosquito. A próxima mobilização já tem dada marcada, será no dia 02 de abril, no Jardim Monza.
Segundo o Secretário de Saúde, Darci Martins Braga, o município não registrou nenhum caso autóctone. Ou seja, nos casos registrados pelos profissionais de saúde, os pacientes foram infectados fora do município. “Isso nos mostra que estamos realizando um trabalho eficaz de combate ao Aedes Aegypti. Mesmo com o registro de focos do mosquito em municípios vizinhos estamos conseguindo manter Colombo livre das doenças provocadas pelo Aedes”, afirma.
As vistorias foram realizadas em pontos onde já haviam registros de denúncias por parte dos moradores. “Vistoriamos diversos locais e aqueles onde havia grande número de entulhos os moradores terão um prazo de sete dias para adequarem os terrenos, caso contrário serão notificados”, explica a Coordenadora da Vigilância Epidemiológica do município, Adriana Cordeiro.
A mobilização no Monte Castelo ainda teve a participação da secretaria de Meio Ambiente, que durante a semana estará na região para recolher os entulhos que podem esconder possíveis focos, os locais por onde essa limpeza passará serão definidos conforme a solicitação dos moradores.
Lembrando que nas Unidades de Saúde do município Agentes de Combate a Endemias estão preparados para esclarecer quaisquer dúvidas com relação ao Aedes Aegypti, que além de transmissor da dengue é responsável pela transmissão da febre chikungunya e do zika vírus. As denúncias de possíveis focos do mosquito podem ser direcionadas a Casa do Agente, no telefone (41) 3666-6846. Ressaltando, que é fundamental que os moradores indiquem o endereço com a maior precisão possível, informando endereço e número das residências.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Eventos esportivos agitam fim de semana em Colombo


WEBMASTER 22 DE MARÇO DE 2016

Mountain Bike e Torneio de Futsal foram atrações principais para os amantes do esporte

Ao todo foram 60 quilômetros de muita pedalada e nas trilhas da região rural de Colombo.
Ao todo foram 60 quilômetros de muita pedalada e nas trilhas da região rural de Colombo.
Mais de 500 atletas da categoria de ciclismo de todas as idades participaram do evento.
Mais de 500 atletas da categoria de ciclismo de todas as idades participaram do evento.
A Prefeita Beti Pavin prestigiou o evento e parabenizou os esportistas.
A Prefeita Beti Pavin prestigiou o evento e parabenizou os esportistas.
No Torneio Solidário de Futsal Feminino 18 equipes participaram e 360 quilos de alimentos foram arrecadados.
No Torneio Solidário de Futsal Feminino 18 equipes participaram e 360 quilos de alimentos foram arrecadados.
No último domingo, 20, o município de Colombo foi palco de disputas esportivas, onde o lazer e o entretenimento foram garantidos. Durante todo o período da manhã o município recebeu no Parque Municipal Roça Grande, 527 atletas, que participaram da 1º Etapa do Esquenta Panturrilha Mountain Bike. Já no Ginásio do Rio Verde a bola rolou com o Torneio Solidário de Futsal Feminino, que contou com 18 equipes da categoria inscritas.
“É muito bom poder participar desses momentos importantes paras os nossos atletas, que estão representando a nossa cidade nas mais diversas categorias esportivas. Quero parabenizar esses guerreiros e dizer que iremos continuar trabalhando para garantir que a atividade esportiva, em suas diferentes áreas, alcance as nossas crianças, jovens, adultos e idosos,” afirmou a Prefeita, Beti Pavin.
O evento ciclístico contou com um público de aproximadamente 500 pessoas e o cenário para essa disputa foram às trilhas da região rural do município. Ao todo, 60 quilômetros de muita pedalada.
No Torneio Solidário de Futsal Feminino – 400 pessoas prestigiaram os jogos. A equipe campeã foi a Audax, a vice-campeã foi a Sky e na terceira colocação ficou a Destroyer. Durante a competição foram arrecadados 360 quilos de alimento que serão encaminhados para instituições carentes.
“Nós trabalhamos muito para apoiar o evento ciclístico e organizar o torneio de futsal. Por isso queremos parabenizar esses grandes atletas que participaram conosco e que são orgulho para a nossa cidade. O nosso maior objetivo é garantir que cada vez mais, as pessoas tenham contato com o esporte. Vamos levar cada vez mais lazer e qualidade de vida a população”, declarou o secretário de Esporte, Cultura, Lazer e Juventude,
José Mauri Henemann.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: João Senechal / PMC

Rua Juvevê recebe obra do Programa de Pavimentação Comunitária em Colombo


WEBMASTER 22 DE MARÇO DE 2016

A prefeita assinou a ordem de serviço de pavimentação asfáltica no bairro São Gabriel; as obas estão previstas para começar nesta semana

Os moradores da Rua Juvevê, na região do São Gabriel poderão contar com vias adequadas para o trânsito de veículos e pedestres.
Os moradores da Rua Juvevê, na região do São Gabriel poderão contar com vias adequadas para o trânsito de veículos e pedestres.
Prefeita Beti Pavin assina ordem de serviço para a pavimentação na Rua Juvevê, no São Gabriel
Prefeita Beti Pavin assina ordem de serviço para a pavimentação na Rua Juvevê, no São Gabriel
Moradores acompanham a assinatura de ordem de serviço
Moradores acompanham a assinatura de ordem de serviço
A prefeita Beti Pavin autorizou a pavimentação de mais uma rua do município. A assinatura da ordem de serviço aconteceu na última segunda-feira, 21, e beneficiará os moradores da Rua Juvevê, na região do São Gabriel, que poderão contar com vias adequadas para o trânsito de veículos e pedestres. Os serviços executados no local serão realizados por meio do Programa de Pavimentação Comunitária.
A Prefeita Beti Pavin fez questão de destacar a importância que os serviços de pavimentação proporcionam na vida dos moradores. “Sabemos o quanto este serviço é essencial para o bem estar da nossa população. Além de trazer mais segurança a motoristas e pedestres, que terão vias adequadas para transitar”, afirma.
A Rua Juvevê possui uma extensão de 175,29 metros, o valor investido para a realização dos serviços será de R$167.650,82. As obras no local estão previstas para ter início ainda nesta semana e o prazo para execução é de 90 dias.
Na última semana, a prefeita assinou a ordem de serviço autorizando o início das obras em outras sete ruas do município. Desde 2013 a Prefeitura de Colombo pavimentou 115 ruas, através do Programa de Pavimentação Comunitária, obras executadas ou coordenadas pela Secretaria de Obras e Viação.
Participaram da assinatura da ordem de serviço: a prefeita Beti pavin; o vice-prefeito, Ademir Goulart; o secretário de Governo, Luiz Gilberto Pavin; a secretária de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Tânia Mara Tosin, os vereadores Ratinho, Renato da Farmácia e Pelé.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/ PMC

Prefeitura de Colombo abre inscrição para concurso público com 272 vagas


WEBMASTER 21 DE MARÇO DE 2016

São 142 vagas para a área da saúde e 130 para a educação; e o prazo para inscrição termina em 8 de abril

A Prefeitura de Colombo está com inscrições abertas para o concurso público que visa contratar profissionais da área da educação e da saúde, com salário entre R$ 3.149,96 e R$ 3.464,95 para médicos, generalistas de Atenção Especializada em Psiquiatria e Infectologia e para Enfermeiros o salário será de R$ 3.149,96.
Serão disponibilizadas vagas também em nível superior para (Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Nutricionista e Terapeuta Ocupacional) e em técnico para (Técnico em Saúde Bucal, Técnico em Radiologia, Técnico em Farmácia) além de Auxiliar de Saúde Bucal (para nível fundamental completo e curso específico).
Para a área da educação, as vaga de Educador Infantil com Ensino Médio (modalidade normal – antigo magistério e equivalente) – a remuneração é de R$ 2.152,97. Já os professores com carga horária de 20h semanais, o salário é de R$ 1.374,3. São disponibilizadas vagas para nível fundamental completo no Cargo de Assistente de Alunos.
As inscrições podem ser feitas pela internet no período de 18 de março até as 16h de 8 de abril deste ano. Para efetuar a inscrição, o candidato deverá acessar o sitio www.nc.ufpr.br.
A taxa de inscrição é de R$ 20,00 para os interessados no cargo de nível médio, R$ 70,00 para aqueles que serão candidatos a uma das vagas de níveo médio e técnico e R$ 120,00 para cargos de nível superior.
O concurso é organizado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) – confira o edital.EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO 2
Concurso Público
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

REFIS 2015 termina nesta quarta-feira, 23 em Colombo


WEBMASTER 22 DE MARÇO DE 2016

O Programa visa reduzir os juros e as multas para quem não está em dia com as taxas municipais

Termina nesta quarta-feira, 23 o prazo para que os contribuintes de Colombo acertem seus débitos com a Prefeitura. A administração municipal informa que esta é a última chance para liquidar as dívidas, optando pelo pagamento à vista e em até três parcelas, com desconto de 100% sobre os juros e multa.
O objetivo do programa é promover a regularização de créditos dos contribuintes com o município relativos a impostos, taxas, contribuições e de outros débitos de natureza não tributária, ocorridos até 31 de dezembro de 2014, os débitos não quitados serão ajuizados, conforme previsto na lei de Responsabilidade Fiscal.
Uma realização da Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Fazenda, o Programa de recuperação Fiscal 2015, oferece descontos de até 100% nos juros e multas e ainda concede o parcelamento destes tributos. Os contribuintes que possuem dívidas tem só mais duas semanas e meia para aderir ao REFIS/Colombo 2015. A opção mais vantajosa do programa é o pagamento à vista dos débitos o qual contempla a queda de 100% de multa e juros sobre o valor dos tributos devidos.
Os interessados em aderir ao REFIS/Colombo 2015, devem se dirigir até a Prefeitura de Colombo ou nas Regionais do Maracanã ou Osasco. Dessa maneira, o cidadão pode fazer sua negociação e aproveitar esta oportunidade.
Os débitos referentes a impostos, taxas e outras dívidas de natureza não tributária, poderão ser parcelados da seguinte maneira:
Percentual de Desconto
Forma de pagamentoJurosMulta
À vista100%100%
Em 06 parcelas80%80%
Em 12 parcelas60%60%
Já os débitos referentes à Contribuição de Melhoria poderão ser parcelados na forma estabelecida conforme a tabela abaixo:
Percentual de Desconto
Forma de PagamentoJurosMulta
À vista100%100%
Em 06 parcelas90%
85%
100%
Em 12 parcelas100%
Em 24 parcelas80%100%
Em 36 parcelas75%100%
Em 48 parcelas70%100%
Em 60 parcelas65%100%
Serviço:
As Regionais Maracanã e Osasco/Roça Grande, quanto a Prefeitura, na Sede, funcionam das 8h às 12h e das 13h às 17h. Nos seguintes endereços:
Prefeitura:
Rua XV de Novembro, 105 Centro – Telefones: 41 3656-8080 / 41 3656-8000
Regional Maracanã:
Rua Dorval Ceccon, 664 – Alto Maracanã – Telefone: 41 3675-5900
Regional Osasco/Roça Grande:
Rua Prefeito Pio Alberti, 450 – Jardim Osasco – Telefone: 41 3621-3112
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Tinha armas com porte vencido, diz vice do Corinthians após pagar fiança


André Luiz de Oliveira foi preso pela PF por posse ilegal de armas.
Ele havia sido alvo de condução coercitiva pela 26ª fase da Lava Jato.

Glauco AraújoDo G1 São Paulo
O vice-presidente do Corinthians, André Luiz de Oliveira, pagou fiança e foi liberado na tarde desta terça-feira (22) pela Polícia Federal em São Paulo. Conhecido como André Negão, foi preso em flagrante nesta terça por posse ilegal de armas, informou a PF. Ele havia sido alvo de condução coercitiva pela manhã – quando uma pessoa é levada mesmo contra a sua vontade – para depor na 26ª fase da Operação Lava Jato.      assista ao vídeo
Na casa do dirigente corintiano, no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo, a polícia encontrou duas armas de fogo com registro irregular: duas pistolas calibre 380. “Eu vim aqui porque eu tinha umas armas velhas em casa, de porte vencido, e acabou dando nisso aí”, afirmou ao sair do prédio da PF, na Lapa, Zona Oeste da capital paulista.
De acordo com a GloboNews, a PF estabeleceu uma fiança de R$ 5 mil, que Oliveira pagou para responder em liberdade. "As armas são minhas, tenho recibo e porte, mas estava vencido. Você pode andar com uma carta vencida, não pode? Você vai assumir as responsabilidades. Foi isso."
Depoimento
A Operação Lava Jato investiga se Oliveira teria recebido o pagamento de propina de R$ 500 mil relacionada à construção da Arena Corinthians, palco da abertura da Copa do Mundo de 2014. "Eu não sei de valor nenhum", disse Oliveira ao ser questionado. "A mim não foi atribuído valor nenhum. Nunca recebi nada. Perguntado eu fui, mas disse que não recebi." Segundo o vice-presidente do Corinthians, seu depoimento durou 15 minutos.
Uma planilha apreendida pelos investigadores aponta pagamento de R$ 500 mil em data não especificada a alguém de codinome Timão, que a PF acredita ser Oliveira.O contato para o pagamento, de acordo com o documento, é Antônio Roberto Gavioli, diretor do contrato naOdebrecht Infraestrutura, vinculado à Arena Corinthians.
A planilha foi apreendida com Maria Lúcia Guimarães Tavares, apontada pela Lava Jato como uma das funcionárias da Odebrecht responsável pela gestão das propinas pagas pela empresa.
André Luiz de Oliveira, vice-presidente do Corinthians, chega à sede da Polícia Federal em São Paulo (Foto: Paula Paiva Paulo/G1)André Luiz de Oliveira, vice-presidente do Corinthians, chega à Polícia Federal (Foto: Paula Paiva Paulo/G1)
De acordo com a procuradora Laura Gonçalves Tesser, surgiram nesta 26ª fase da Operação Lava Jato, indícios de pagamentos indevidos em diversas obras que ainda precisam ser analisados com mais profundidade. "Nessa fase foi observado que havia pagamentos direcionados as obras. E por isso foi feita a medida, mas ainda há muito a investigar".
A Arena Corinthians é o único estádio entre os empreendimentos citados na operação.
Praça fica perto da Arena Corinthians, em Itaquera  (Foto: Glauco Araújo/ G1 )Arena Corinthians, em Itaquera (Foto: Glauco Araújo/G1 )
Procurada, o Corinthians informou, em nota, que "quaisquer irregularidades ou desvios de conduta, constatados por autoridades ou não, serão devidamente apurados, e a instituição tomará todas as providências a si cabíveis para punir os responsáveis, bem como diligenciar para que todos os prejuízos causados ao Clube e à Arena Corinthians sejam ressarcidos" (leia abaixo a nota na íntegra).
A Odebrecht informou, sobre a 26ª fase da Lava Jato, que  "tem prestado todo o auxílio nas investigações em curso, colaborando com os esclarecimentos necessários”.
Estrutura paralela de propinas
A construção da Arena Corinthians faz parte de um conjunto de obras realizadas pela Odebrecht nas quais o Mininistério Público Federal suspeita ter ocorrido pagamento de propinas. Além do vice-presidente do Corinthians, outras 27 pessoas foram levadas a depor em condução coercitiva nesta terça-feira (22), no âmbito da 26ª fase da Operação Lava Jato.
Ao deflagrar a nova fase, o Ministério Público Federal informou ter indícios de que a Odebrecht montou uma estrutura paralela, chamada de setor de operações estruturadas, responsável pela gestão das propinas pagas pelo grupo.
O setor tinha um sistema informatizado próprio utilizado para armazenar os dados referentes ao processamento de pagamentos ilícitos e para permitir a comunicação reservada entre os executivos e funcionários envolvidos nas tarefas ilícitas, ainda de acordo com o MPF.
Um outro sistema - no qual os envolvidos usavam codinomes - permitia a comunicação secreta entre executivos, funcionários da Odebrecht e os doleiros responsáveis por movimentar os recursos espúrios.
As apurações apontam que ao menos 14 executivos de outros setores da Odebrecht, que demandavam os “pagamentos paralelos”, encaminhavam aos funcionários as solicitações de pagamentos ilícitos, de forma a centralizar nessa estrutura a contabilidade paralela e a entrega dos valores espúrios.
As evidências, conforme o MPF, abrem uma nova linha de apuração de pagamento de propinas em função de variadas obras públicas, que se estenderam até novembro de 2015, mais de um ano após a deflagração da Lava Jato e da prisão do presidente do grupo, Marcelo Odebrecht.

Leia a nota do Corinthians, na íntegra:
"O SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA vem a público, por meio da presente NOTA OFICIAL, esclarecer que:
1 - Até o momento, o SCCP ainda não assinou o Certificado de Aceitação Final da Obra (CAF) da Arena Corinthians, o que significa dizer que a Obra não foi, inclusive contratualmente, dada por concluída pelo SCCP;
2 - O SCCP solicitou e recebeu Relatório de Acompanhamento da Obra das empresas de arquitetura para confrontação entre o contratado pelo Clube e o efetivamente executado pela construtora; Relatório este que já foi enviado à construtora para que preste esclarecimentos;
3 - O SCCP vem executando uma verificação de engenharia com profissionais técnicos e independentes, e encontra-se na fase final da contratação de uma auditoria completa em relação às áreas de elétrica, hidráulica, TI e infraestrutura total da Arena Corinthians;
4 - Os valores correspondentes a itens previstos no Contrato de Construção - EPC e que não tenham sido realizados pela construtora serão objeto de abatimento junto ao SCCP, estando os mesmos, ainda, em fase de verificação final, observando-se que servirão de motivação para o ressarcimento dos prejuízos causados à Arena Corinthians e, consequentemente, ao Clube;
5 - O Sport Club Corinthians Paulista atesta por meio desta que quaisquer irregularidades ou desvios de conduta, constatados por autoridades ou não, serão devidamente apurados, e a Instituição tomará todas as providências a si cabíveis para punir os responsáveis, bem como diligenciar para que todos os prejuízos causados ao Clube e à Arena Corinthians sejam ressarcidos.
O que for justo e correto, sempre será a busca do Corinthians, em respeito ao seu torcedor e ao Brasil.
São Paulo, 22 de Março de 2016."

EXCLUSIVO: O DUPLEX DA FILHA DE ROSEMARY NORONHA



Como O Antagonista revelou, a nova investigação do MP de São Paulo mira imóveis da Bancoop que foram entregues a dirigentes petistas.
Os imóveis estão localizados nos residenciais Solaris, Mirante do Tatuapé, Anália Franco, Altos do Butantã e Ilhas D'itália.
No Ilhas D'Itália, Mirelle Noronha, filha de Rosemary, ocupa o duplex 182.
Os promotores Cassio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique querem saber se o imóvel foi adquirido regularmente ou se foi mais um presente da OAS.

Fonte: O antagonista

EXCLUSIVO: TESTEMUNHA FALA DO ESQUEMA COM OAS E LULA



A nova investigação do MP de São Paulo sobre a Bancoop foi deflagrada após o depoimento bombástico de Sandra Aparecida Gomes.
Sandra contou aos promotores que foi convidada em fevereiro de 2007 por Miriam Regina de Freitas, proprietária da Embrick Corporation e ligada ao PT, para ser executiva do projeto 'Minha Casa Minha Vida'.
Ela diz que participou de uma reunião na Bancoop para conhecer "o sistema de trabalho", que, segundo Miriam, seria "parecido". Foi recebida por João Vaccari Neto.
Na conversa, Vaccari comentou que o "chefe" não poderia comparecer ao encontro pois não conseguiu sair de Brasília. Em seguida, disse rindo que começaria "a quebradeira", em referência à falência da Bancoop.
Segundo Sandra, Miriam indagou Vaccari se quatro torres da cooperativa, entre elas a do Solaris, seriam preservadas. Vaccari então respondeu: "Ficarão com o 'staff' (equipe)."
Dias depois, ela soube que o 'chefe' era Lula e desistiu de participar do negócio.




Fonte: O Antagonista

A Lava Jato venceu



Não havia mais caminho para a Odebrecht, a não ser a delação premiada de todos os seus executivos, depois de revelada a existência de um setor dentro da empresa especializado em distribuir propinas.
A Lava Jato venceu.

Fonte; O antagonista

Inquérito de Lula vai para o STF



Teori Zavascki determinou há pouco que Sérgio Moro envie ao Supremo as investigações da Lava Jato sobre o ex-presidente Lula. O ministro atende a pedido do governo, que alega irregularidade no grampo que fisgou Dilma Rousseff e em sua divulgação.
Moro terá dez dias para explicar suas decisões. Se Teori concordar com elas, o juiz de Curitiba sairá mais forte.

Fonte: O Antagonista

A República deve tremer



Acredita-se que a "colaboração definitiva" de Marcelo Odebrecht fará tremer não apenas o PT, mas todos os grandes partidos.
Marcelo Odebrecht já havia dito que só abriria o bico se fosse para contar tudo. Tudo mesmo.

Fonte: O antagonista

Grupo Odebrecht diz em nota que pretende colaborar com a Lava Jato


Acordos devem envolver delação de executivos e acordo de leniência.
Ministério Público Federal informou que não ainda existem acordos.

Do G1 PR, com informações do Jornal Nacional
Marcelo Odebrecht negou a versão de que tenha planejado fugir do país na sessão da CPI da Petrobras, em Curitiba (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS)Marcelo Odebrecht podee assinar acordo de delação premiada (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS)
O Grupo Odebrecht informou nesta terça-feira (22), em nota, que pretende colaborar com as investigações da Operação Lava Jato. Segundo a empresa, além de um acordo de leniência em curso com a Controladoria-Geral da União (CGU), todos os executivos da empreiteira concordaram em fazer acordos de delação premiada. A informação foi noticiada com exlusividade pelo Jornal Nacional(Leia a íntegra da nota abaixo)
A decisão foi anunciada no mesmo dia em que a 26ª fase da Operação Lava Jato cumpriu mandados de busca e apreensão e prisões de pessoas ligadas ao grupo. A Polícia Federal(PF) sustenta que a empresa mantinha um “Setor de Operações Estruturadas” que servia como uma contabilidade paralela para o pagamento de propina.
Embora a nota não cite nomes, a TV Globo apurou que a decisão inclui o presidente afastado do grupo, Marcelo Odebrecht, preso desde junho de 2015. Ele já foi condenado a 19 anos e quatro meses de prisão em um processo da Lava Jato, pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa e responde a mais uma ação criminal por corrupção.
Cabe ao Ministério Público Federal (MPF) avaliar as vantagens de selar, ou não esses acordos com a empresa e os executivos. O órgão informou que não existem acordos de colaboração fechados com executivos da Odebrecht.  Informou ainda que terão prioridade acordos de delação que se revelarem mais importantes para o interesse público.
Os acordos de delação precisam, por lei, ser sigilosos.
Na nota emitida, a Odebrecht informou que os acionistas e os executivos “decidiram por uma colaboração definitiva” com as investigações da Lava Jato. Afirmou ainda que espera que os esclarecimentos da colaboração contribuam com a Justiça Brasileira, e prometeu adotar novas práticas de relacionamento com a esfera pública.
O pronunciamento diz ainda que a Odebrecht não tem “responsabilidade dominante” sobre os fatos apurados pela Lava Jato, mas que eles revelam a “existência de um sistema ilegal e ilegítimo de financiamento partidário-eleitoral do país”.
Marcelo Bahia Odebrecht, presidente da holding Odebrecht S.A, participou da CPI da Petrobras, em Curitiba, nesta terça-deira (1º) (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS)Marcelo Odebrecht havia negado possibilidade de
delatar (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS)
"Dedurar"
Em setembro de 2015, Marcelo Odebrecht  negou aos deputados da CPI da Petrobras a possibilidade de assinar acordo de delação premiada. “Para alguém dedurar, ele precisa ter o que dedurar. Isso não ocorre aqui", disse.
Odebrecht disse ainda que tinha valores dos quais não abriria mão, citando uma briga entre suas filhas. "Eu talvez brigasse mais com quem dedurou do que aquela que fez o fato”, afirmou.
Processos
Marcelo Odebrecht, Marcio Faria da Silva, Rogério Santos de Araújo, César Ramos Rocha e Alexandrino Alencar foram condenados em ação que apurou crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), na Refinaria Abreu e Lima (RNEST) e no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).
As penas deles variaram de 13 anos e seis meses de prisão até 19 anos e quatro meses. Relembre.
No processo que ainda tramita na primeira instância da Justiça Federal, Marcelo Odebrecht, Marcio Faria da Silva, Rogério Santos Araújo, e César Ramos Rocha respondem por corrupção.
Os contratos investigados são relacionados aos projetos de terraplenagem no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e na Refinaria Abreu de Lima (RNEST); à Unidade de Processamento de Condensado de Gás Natural (UPCGN II e III) do Terminal de Cabiunas (Tecab); à Tocha e Gasoduto de Cabiunas; e às plataformas P-59; P-60, na Bahia.
22/03/2016 - Executivos da Odebrecht são escoltados por policiais federais ao deixar a sede da Polícia Federal, em São Paulo, durante transferência para Curitiba   (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)Executivos da Odebrecht foram presos na 26ª fase
da Lava Jato (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)
26ª fase
A força-tarefa da Lava Jato afirmou nesta terça-feira que a Odebrecht tinha uma estrutura profissional de pagamento de propina em dinheiro no Brasil. A empresa, ainda conforme a investigação, tinha funcionários dedicados a uma espécie de contabilidade paralela que visava pagamentos ilícitos. A área era chamada de "Setor de Operações Estruturadas".
O Ministério Público Federal (MPF) afirma que os pagamentos feitos pela Odebrecht estão atrelados a diversas obras e serviços federais e também a governos estaduais e municipais. Dentre elas está a construção da Arena Corinthians, segundo o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima.
A estimativa é de, ao menos, R$ 66 milhões em propina distribuída entre 25 a 30 pessoas. Este valor, segundo a Polícia Federal (PF), estava disponível em apenas uma das contas identificada como pertecente à contabilidade paralela da empresa.
Além do estádio, a operação também investiga irregularidades no Canal do Sertão, na Supervias, no Aeroporto de Goiânia e na Trensurb, do Rio Grande do Sul.
Foram expedidos 110 mandados judiciais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Piauí, Minas Gerais, Pernambuco e no Distrito Federal. A atual fase foi batizada de Xepa.
Esta nova fase foi embasada na delação premiada de Maria Lúcia Tavares, ex-funcionária da Odebrecht, que trabalhava no Setor de Operações Estruturadas. Ela havia sido presa na 23ª fase da operação e decidiu colaborar com as investigações.
Segundo os depoimentos, ela era responsável por repassar as informações das planilhas de pagamentos paralelos para os entregadores, e depois receber deles os extratos para fazer a conferência com as planilhas que recebia.
As planilhas geradas a cada semana continham nome de obras, codinomes dos beneficiários dos pagamentos, os números das requisições e os nomes de quem era os responsáveis pelas solicitações. Cabia à delatora somar os valores que deveriam ser entregues em cada uma das cidades indicadas na planilha para verificar quanto seria preciso disponibilizar.
Leia a íntegra da nota:
As avaliações e reflexões levadas a efeito por nossos acionistas e executivos levaram a Odebrecht a decidir por uma colaboração definitiva com as investigações da Operação Lava Jato.
A empresa, que identificou a necessidade de implantar melhorias em suas práticas, vem mantendo contato com as autoridades com o objetivo de colaborar com as investigações, além da iniciativa de leniência já adotada em dezembro junto à Controladoria Geral da União.
Esperamos que os esclarecimentos da colaboração contribuam significativamente com a Justiça brasileira e com a construção de um Brasil melhor.
Na mesma direção, seguimos aperfeiçoando nosso sistema de conformidade e nosso modelo de governança; estamos em processo avançado de adesão ao Pacto Global, da ONU, que visa mobilizar a comunidade empresarial internacional para a adoção, em suas práticas de negócios, de valores reconhecidos nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção; estabelecemos metas de conformidade para que nossos negócios se enquadrarem como Empresa Pró-Ética (da CGU), iniciativa que incentiva as empresas a implantarem medidas de prevenção e combate à corrupção e outros tipos de fraudes. Vamos, também, adotar novas práticas de relacionamento com a esfera pública.
Apesar de todas as dificuldades e da consciência de não termos responsabilidade dominante sobre os fatos apurados na Operação Lava Jato – que revela na verdade a existência de um sistema ilegal e ilegítimo de financiamento do sistema partidário-eleitoral do país – seguimos acreditando no Brasil.
Ao contribuir com o aprimoramento do contexto institucional, a Odebrecht olha para si e procura evoluir, mirando o futuro. Entendemos nossa responsabilidade social e econômica, e iremos cumprir nossos contratos e manter seus investimentos. Assim, poderemos preservar os empregos diretos e indiretos que geramos e prosseguir no papel de agente econômico relevante, de forma responsável e sustentável.
Em respeito aos nossos mais de 130 mil integrantes, alguns deles tantas vezes injustamente retratados, às suas famílias, aos nossos clientes, às comunidades em que atuamos, aos nossos parceiros e à sociedade em geral, manifestamos nosso compromisso com o país. São 72 anos de história e sabemos que temos que avançar por meio de ações práticas, do diálogo e da transparência.
Nosso compromisso é o de evoluir com o Brasil e para o Brasil.