Jovens são vítimas de arrastão ao lado de Shopping Estação e ficam 16 horas em delegacia


Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

ciac-sul
Jovens permaneceram mais de 16 horas para fazer flagrante contra trio. Foto: DM/Banda B

Duas vítimas de um arrastão que aconteceu na noite deste sábado (26), em Curitiba, permaneceram no 8º Distrito Policial, no Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul), no bairro Portão, por cerca de 16 horas para conseguir realizar um flagrante, por meio do Boletim de Ocorrência (BO), após o assalto. Três pessoas foram presas após praticar o arrastão, que aconteceu ao lado do Shopping Estação, no Centro de Curitiba, e as vítimas precisaram participar do flagrante para que o trio permanecesse preso. Ao todo, quatorze pessoas foram assaltadas em menos de 15 minutos. As vítimas foram ao Ciac-Sul, mas tiveram de pernoitar no local para fazer o flagrante.
Uma das vítimas tem 25 anos, andava com outras três pessoas pela região, e todas foram vítimas do trio. “Isso aconteceu às 20h30. Eles estavam de carro, pararam do nosso lado, estavam armados, levaram nossas bolsas, celular, tudo. Desceram do carro já falando que era um assalto. Chegando aqui soubemos que o restante das vítimas estava em um ponto de ônibus, ao lado do Estação”, descreveu.
Por volta das 12 horas de hoje (27), as vítimas do trio permaneciam na delegacia. “Soubemos pouco da prisão. A mulher dirigia e os dois desciam para assaltar. Falaram aqui que encontraram muitos pertences dentro do carro deles e até um cachimbo que eles estavam usando para se drogar. Estamos aqui sem dormir, cansadas, tudo para que eles fiquem presos”, disse a vítima, indignada com a delonga da segurança pública do Paraná.
Segundo ela, um casal – também vítima do trio – que chegou depois desse grupo assaltado foi ouvido pela delegada de plantão, antes deles. “Eles chegaram com um policial aqui, eram amigos, foram direto lá pra dentro, a delegada ouviu os dois e eles foram embora. Poxa, que descaso, a gente está aqui há horas e porque não conhecemos ninguém não fomos nem ouvidos ainda”, reclamou a jovem. Até o fechamento da reportagem, as vítimas ainda não tinham confeccionado o Boletim de Ocorrência.
Retorno
A Banda B tentou contato com a Polícia Civil e não teve sucesso. Nessa segunda-feira (28) a redação tentará novo contato

Grampo revela "fragilidade total" de proteção a dados no Planalto

BBC

Thiago Guimarães
Da BBC Brasil em Londres

  • Pedro Ladeira/Folhapress
    A presidente Dilma Rousseff mexe no telefone do ministro Afif Domingos (Micro e Pequena Empresa), durante evento em 2014
    A presidente Dilma Rousseff mexe no telefone do ministro Afif Domingos (Micro e Pequena Empresa), durante evento em 2014
As gravações de conversas telefônicas da presidente Dilma Rousseff mostram que a segurança da informação da principal instituição do Brasil varia entre "frágil" e "inexistente".
Para Silvio Meira, professor do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco, é "inconcebível" que a líder de um dos maiores países do mundo "fale com um telefone que não sabe de quem é nem a quê esse aparelho está submetido".
"A fragilidade é total. Você tem uma situação em que o presidente da República corre o risco de ser gravado por alguém vigiado pela Polícia Federal numa das maiores investigações criminais da história do Brasil e onde claramente existia um potencial gigantesco dessa conversa ser gravada", disse Meira à BBC Brasil.
As conversas de Dilma captadas pela PF integram uma série de interceptações telefônicas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, incluídas no inquérito da Operação Lava Jato. A Justiça Federal do Paraná divulgou os áudios e as transcrições na semana passada. No diálogo mais polêmico, Dilma diz a Lula que enviará seu "termo de posse" como novo ministro da Casa Civil, para uso "em caso de necessidade". Investigadores interpretaram o diálogo como tentativa da presidente de evitar eventual prisão do antecessor.
Para Meira, o Brasil deveria se espelhar nos EUA, onde todas as conversas de interesse do Estado mantidas pelo presidente são seguras (criptografadas). Os diálogos não são gravados, segundo o especialista, mas a Casa Branca produz transcrições informais."O presidente americano fala em comunicações seguras, como o primeiro-ministro da Inglaterra, França e Alemanha, mas não tem o direito de falar o que quiser sozinho. Ele não pode, por exemplo, ligar para outro e combinar um ataque nuclear, há todo um protocolo de comunicações de Estado, um grau de sofisticação alto", afirma.

Sistemas de proteção

Criptografia é uma maneira de aprimorar a segurança de uma mensagem ou arquivo. A tecnologia embaralha o conteúdo para que ele só possa ser lido por quem tenha a chamada chave de criptografia, necessária para desembaralhá-lo.
A Abin (Agência Brasileira de Segurança) oferece uma série de equipamentos que podem garantir a segurança da comunicação da presidente e de funcionários de alto escalão. Há, por exemplo, telefone fixo e aplicativo para smartphones com criptografia de voz e dados, que empregam algoritmo matemático de propriedade e uso exclusivo do Estado brasileiro.
Questionada sobre os motivos pelos quais a presidente não usa a tecnologia oferecida pela Abin, como o telefone seguro, a Secretaria de Imprensa do Planalto informou apenas que "não comenta assuntos que possam interferir na privacidade ou na segurança da Presidência da República".
Procurada pela reportagem, a Abin, que é sucessora no período democrático do SNI (Serviço Nacional de Informações), órgão de espionagem da ditadura militar (1964-1985), também não comentou.
Segundo Meira, para a conversa entre Lula e Dilma ser considerada segura, ambos teriam que ter usado telefones criptografados ou aplicativos de criptografia no smartphone. Segundo a Justiça Federal do Paraná, o telefone grampeado era usado com frequência pelo ex-presidente e pertence a um assessor do Instituto Lula.

Ironia de Snowden

O grampo envolvendo Dilma e Lula foi alvo de um comentário irônico de Edward Snowden, ex-assessor da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês).
Twitter/Reprodução
Edward Snowden abriu sua conta no Twitter em setembro de 2015
Em 2013, Snowden divulgou documentos ultrassecretos que mostram que a NSA teria espionado comunicações de Dilma e de outros líderes mundiais. Na época, os vazamentos causaram revolta no governo brasileiro e esfriaram as relações entre Brasil e EUA – Dilma chegou a cancelar uma visita de Estado a Washington em razão do episódio.
"Going dark (ficando no escuro, na tradução em português) é um conto de fadas. Três anos depois das manchetes de grampos de @dilmabr ela ainda está fazendo chamadas não criptografadas", escreveu Snowden no Twitter. A expressão "going dark" remete ao uso de criptografia.
Meira afirma que o Brasil não avançou – e provavelmente até retrocedeu - em segurança da informação desde as revelações de Snowden. "De lá para cá, por exemplo, o sistema de e-mail de agentes de Estado que deveria ter mudado para sistema fechado, criptografado, continua igual. Continuamos mandando e-mail para agentes públicos em ministérios, em nível bastante alto, usando serviços como Gmail."
O especialista diz que não se trata de um problema de tecnologia, mas de implementação de processos, pois os recursos para tornar as comunicações seguras estão disponíveis. Ele cita, por exemplo, que há aplicativos simples para criptografar troca de informações (voz e dados) por smartphones. "Não é um problema tecnológico, esse está resolvido há muito tempo. É de processos, métodos, compliance (política interna), responsabilização. É outro problema."

Segurança nacional

Na primeira viagem após a divulgação dos grampos de Lula, na semana passada, a presidente Dilma criticou a interceptação de suas conversas e afirmou que se trata de um crime contra a Lei de Segurança Nacional.
Para Meira, engenheiro eletrônico pelo ITA, mestre em informática pela UFPE e doutor em computação pela Universidade de Kent (Inglaterra), o problema é outro.
"O problema que deveria estar sendo discutido por causa dessas gravações é como as comunicações da Presidência da República são tão rudimentares e estão sujeitas a tão poucos crivos a ponto de a presidente estar falando com telefones de quem a priori não se sabe nem de quem são?", questiona.
Informada sobre as declarações do professor, a Presidência da República não comentou.

Ataque contra cristãos deixa 65 mortos e 300 feridos no Paquistão



PUBLICIDADE
Um ataque deixou ao menos 65 mortos e mais de 300 feridos neste domingo (27) em um parque na cidade paquistanesa de Lahore, informou o porta-voz do governo de Punjab, Zaeem Qadri.
A maior parte das vítimas são mulheres e crianças. "Muitos dos feridos estão em estado grave e tememos que o número de mortes aumente de forma considerável", disse Salman Rafique, conselheiro de saúde do governo de Punjab, província onde fica a cidade de Lahore.
A explosão aconteceu em um estacionamento perto de um playground infantil no parque de Gulshan-e-Iqbal, segundo o chefe policial Haider Ashraf. Segundo ele, a área estava cheia de cristãos celebrando a Páscoa.
Aparentemente, disse Ashraf, o atentado foi lançado por um suicida, mas as investigações ainda estão em andamento.
O ministro chefe da província, Shahbaz Sharif, decretou três dias de luto e prometeu assegurar que os envolvidos no atentado sejam levados à Justiça.
Jamaat-ul-Ahrar, facção dissidente do grupo radical islâmico Taleban, reivindicou o ataque. À Associated Press, Ahsanullah Ahsan, porta-voz do Jamaat-ul-Ahrar, afirmou que um homem-bomba teve como alvo a comunidade cristã reunida no local.
Testemunhas relatam ter visto partes de corpos espalhadas pela área atingida.
"Quando a explosão aconteceu, as chamas eram tão altas que atingiram o topo das árvores. Vi corpos voando no ar", disse Hasan Imran, 30, morador que caminhava no parque.
Logo após o atentado, o governo fechou todos os parques públicos. As principais áreas comerciais também foram fechadas e muitas das vias principais da cidade ficaram desertas.
Com 190 milhões de habitantes, o Paquistão enfrenta a insurgência do grupo radical islâmico Taleban, facções criminosas e violência sectária. Punjab é a maior e mais rica província do país.
Em 2014, o Paquistão lançou uma ofensiva contra o Taleban e grupos extremistas para impedi-los de lançar ataques no Paquistão e no Afeganistão.
A província de Punjab é tradicionalmente mais pacífica do que outras partes do Paquistão. A oposição acusa o governo local de tolerar as milícias em troca de paz na região, o que é negado fortemente pelas autoridades.

Apontada como gerente do tráfico, jovem de 23 anos morre após confronto com a PM no Rio


Larissa aparece com pistola no colo em foto que trazia no celular Foto: Divulgação
Luã Marinatto
Tamanho do texto A A A
Uma operação do 9º BPM (Rocha Miranda) no Morro do Calango, na Praça Seca, Zona Oeste do Rio, resultou em duas prisões e na morte de uma jovem de 23 anos na tarde deste sábado. Segundo o comando do batalhão, Larissa Dias da Silva, conhecida como Tiazona, exercia a função de gerente do tráfico de drogas na comunidade e estava com uma pistola quando foi baleada na perna e na barriga.
Após o confronto, a suspeita chegou a ser levada para o Hospital estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, na Zona Norte, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo na madrugada deste domingo. Em um celular que estava com Larissa, a jovem aparece com uma pistola e um radiotransmissor no colo.
A arma que, segundo a PM, estava com a jovem quando ela foi baleada
A arma que, segundo a PM, estava com a jovem quando ela foi baleada Foto: Divulgação
Os dois suspeitos presos são Túlio Cesar dos Santos Costa, de 27 anos, e Thiago Souza da Cunha Gallote, de 24. Com eles, havia 70 trouxinhas de maconha, 42 pinos de cocaína, 47 frascos de "cheirinho da loló" e dois radiotransmissores. A pistola que estava com Larissa e todo o material apreendido foram encaminhados à 29ª DP (Madureira), onde a ocorrência foi registrada.
Ainda de acordo com o comando do 9º BPM, a incursão no Calango tinha como objetivo combater os roubos de carro e de carga na região, além do próprio tráfico. Ao ingressar na comunidade, uma guarnição da PM deparou-se com quatro suspeitos, pelo menos dois deles armados. Depois da troca de tiros, Larissa e Túlio foram localizados pela PM. Em seguida, Thiago também acabou preso em outro ponto da favela.
Todo o material apreendido na operação do 9º BPM
Todo o material apreendido na operação do 9º BPM Foto: Divulgação


L

Saiba quais terminais da RMC e estações-tubo têm wi-fi gratuito


Agência Estadual de Notícias

Usuários do transporte público portadores do cartão Metrocard, podem utilizar o serviço da rede wifi nas estações tubo enquanto aguradam o ônibus. Curitiba, 24/03/2016. Foto: Pedro Ribas/ANPr
Usuários do transporte público portadores do cartão Metrocard, podem utilizar o serviço da rede wifi nas estações tubo enquanto aguradam o ônibus. Foto: Pedro Ribas/ANPr

Enquanto aguardam a chegada dos ônibus, os usuários de 9 terminais e 5 estações-tubos metropolitanos já podem se conectar à internet gratuitamente. O serviço de rede Wi-Fi nestes locais iniciou no mês passado e pode ser utilizado por todos os portadores do cartão Metrocard.
“Em breve, como todos os ônibus da Região Metropolitana de Curitiba estarão equipados com aparelho GPS, os usuários terão à disposição um aplicativo para saber com exatidão que horas o ônibus passará no seu ponto”, informa Omar Akel, diretor-presidente da Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba). Por meio deste aplicativo também será possível acompanhar o itinerário de todas as linhas metropolitanas.
“A nossa preocupação com a melhoria da qualidade de vida da população inclui também a eficiência e eficácia dos serviços prestados nos mais diferentes setores, inclusive no transporte público metropolitano”, diz o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior. Segundo ele, a bilhetagem eletrônica, o acesso à internet gratuita, o sistema de biometria facial e o aplicativo dos horários dos ônibus são parte desses serviços que beneficiam o dia a dia dos cidadãos. “E vamos melhorar ainda mais a mobilidade urbana para todos”, afirmou.
INTERNET – Para fazer a conexão com a internet basta procurar, no smartphone ou tablet, pela rede Metrocard Wi-Fi. O usuário deve informar o CPF e o número do cartão Metrocard e preencher um breve cadastro para fazer a autenticação. Assim, poderá desfrutar do serviço durante 30 minutos, podendo renovar a conexão após 10 minutos. Em média a utilização tem sido de 10 minutos, tempo que os usuários aguardam a chegada do ônibus.
Todos os portadores do cartão Metrocard têm acesso à internet para consulta de horários e para navegar no site da Metrocard. Os usuários que utilizaram o cartão Metrocard nos últimos 60 dias (colocaram crédito ou pagaram uma passagem) podem acessar a internet em outros aplicativos e sites, exceto streaming de vídeos e sites impróprios.
Os 09 terminais metropolitanos onde a rede Wi-Fi já pode ser acessada são: Colombo (Maracanã e Guaraituba), Fazenda Rio Grande (Novo e Velho), Almirante Tamandaré (Cachoeira), Pinhais, Araucária (Central), São José dos Pinhais (Central) e Campo Largo.
A rede também está disponível em 05 estações-tubo metropolitanas: 19 de Dezembro (Centro Cívico), Rui Barbosa (Centro), Carlos Gomes (Centro), PUC (Prado Velho) e Camilo Di’Lellis (Pinhais).
NOVOS PONTOS – Nos próximos meses novos pontos permitirão o acesso à internet gratuita. São os terminais de Almirante Tamandaré; Araucária (Maria Angélica); Colombo (Roça Grande), Campina Grande do Sul (Jardim Paulista); Quatro Barras e Piraquara.
E as estações-tubo Autódromo (Pinhais); Paulo Kissula (Capão da Imbuia); Pastor Manoel Virgílio de Souza (Cajuru); Vila Nova (Capão da Imbuia); Ferrari (Campo Largo) e Aeroporto (São José dos Pinhais).

Câmara de Colombo declara-se solidária à Operação Lava Jato e ao Ministério Público Federal




Na sessão plenária da Câmara de Colombo desta terça-feira (22/3), os vereadores aprovaram, por 16 votos a um, duas Moções de Solidariedade aos agentes das investigações de corrupção no governo federal. Uma delas manifesta-se solidária ao Ministério Público Federal, representado pela procuradora-chefe da entidade, Paula Cristina Conti Thá, reconhecendo o mérito de seus agentes durante os anos de investigações na “Operação Lava Jato”. A outra moção é destinada ao juiz federal Sérgio Moro, também por sua atuação nas investigações da Lava Jato.
Foi aprovado pelo legislativo municipal o pedido de informação de autoria do vereador Professor Waldirlei Bueno, presidente da Câmara, à Prefeitura de Colombo sobre o andamento dos concursos públicos realizados entre os anos de 2008 e 2015. O pedido solicita a relação de servidores efetivos concursados que tomaram posse; a relação de servidores concursados nesse período e suas respectivas funções e quais apresentaram certificados ou declarações de conclusão do Ensino Médio, superior ou Pós-Graduação emitidos por instituições educacionais colombenses.
Ainda na sessão de 22 de março, foram apresentados três projetos de lei: dois deles de autoria vereador Gilgera, vice-presidente da casa: um sugere a remoção de veículos abandonados em logradouros públicos da cidade (PL 774/16) e outro que visa instituir a Campanha Municipal de Não Violência Contra a Mulher (PL 775/16). O terceiro (PL 776/2016) foi uma proposição do vereador Pelé, que trata da presença de doulas (mulheres acompanhantes de parto) durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato nas maternidades, casas de parto e estabelecimentos hospitalares congêneres no município. Os projetos seguirão para parecer jurídico e, se aprovados, seguem para avaliação nas Comissões.  
Também segue para parecer jurídico o Projeto de Decreto 90/2016 do vereador Ratinho, que visa conceder o título de Cidadão Honorário da cidade ao padre Tadeu Camilo, titular da Paróquia Senhor Bom Jesus, no bairro São Gabriel.


Prefeitura investe mais de 2 milhões em asfalto na última semana


WEBMASTER 24 DE MARÇO DE 2016

Ao todo, serão mais de 2,3 quilômetros de asfalto novo em oito ruas do município

A Prefeita Beti Pavin fez questão de destacar a importância que os serviços de pavimentação proporcionam na vida dos moradores.
A Prefeita Beti Pavin fez questão de destacar a importância que os serviços de pavimentação proporcionam na vida dos moradores.
Às tubulações que vão fazer parte da drenagem que compõem a pavimentação asfáltica já estão chegando às Ruas.
Às tubulações que vão fazer parte da drenagem que compõem a pavimentação asfáltica já estão chegando às Ruas.
Os moradores se reuniram para acompanhar a assinatura da ordem de serviço de pavimentação asfáltica.
Os moradores se reuniram para acompanhar a assinatura da ordem de serviço de pavimentação asfáltica.
A Prefeitura de Colombo vem realizando, por meio do Programa de Asfalto Comunitário obras de infraestrutura viária. Nos dias 16, 17, 18 e 21 de março, os moradores dos bairros Campo Pequeno, Osasco, São Gabriel, Santa Fé, São Domingos, Jardim Carvalho e João Paulo II foram beneficiados com asfalto, drenagem e sinalização em frente as suas casas.
Ao todo, serão oito ruas asfaltadas, contabilizando mais de 2,3 quilômetros de asfalto novo. Na última semana, a prefeita assinou a ordem de serviço autorizando o início das obras. Desde 2013, a Prefeitura de Colombo, pavimentou 115 ruas, através do Programa de Pavimentação Comunitária, obras executadas ou coordenadas pela Secretaria de Obras e Viação.
A Prefeita Beti Pavin fez questão de destacar a importância que os serviços de pavimentação proporcionam na vida dos moradores. “Sabemos o quanto este serviço é essencial para o bem estar da nossa população. Além de trazer mais segurança a motoristas e pedestres, que terão vias adequadas para transitar”, afirmou a prefeita durante a assinatura da ordem de serviço.
Às tubulações que vão fazer parte da drenagem que compõem a pavimentação asfáltica já estão chegando às Ruas Domingos Cavalli, Marcos Wosch, Manoel Quinzani, Francisco Sgoda, México, Gregório de Matos, Vitório Manoel Franceschi e Juvevê. É a prefeitura investindo cada vez mais na qualidade de vida da população.
Satisfeita em receber o asfalto em frente de casa a dona Francisca Kolpi, moradora do bairro Campo Pequeno, há 37 anos, falou sobre os benefícios que a obra vai trazer para ela e os vizinhos. “Estamos muito felizes em saber que em breve o problema da poeira vai se resolver. As nossas casas ficarão mais limpas e valorizadas”.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Celso de Mello: "Impeachment não é golpe e Lava Jato não é causa de crise" veja vídeo


Ministro Celso de Mello
Ministro Celso de Mello(STF/Divulgação)
Em vídeo divulgado no Youtube, o ministro Celso de Mello, decano no Supremo Tribunal Federal, afirmou que a figura do impeachment é instrumento previsto na Constituição democrática brasileira e não pode ser reduzido à condição de golpe. "A figura do impeachment não pode ser reduzida à condição de um mero golpe de estado porque o impeachment é um instrumento previsto na Constituição, uma Constituição democrática, que está em vigor no país e que estabelece regras básicas", disse o ministro, ao ser questionado sobre o assunto em um shopping. "Se essas regras básicas forem respeitadas, obviamente o impeachment não pode ser considerado um ato de arbítrio político e de violência política", completou.
Mello é o terceiro ministro do Supremo a defender publicamente nesta semana a constitucionalidade da figura do impeachment de um presidente da República e refutar a tese de que o instrumento em si não pode ser considerado golpe. O discurso é recorrente entre os defensores da manutenção da presidente Dilma Rousseff no cargo. A própria presidente chegou a fazer esta afirmação.

Na quarta-feira, a ministra Cármen Lúcia comentou as declarações de Dilma sobre o assunto. "Não acredito que a presidente tenha falado que impeachment é golpe. Impeachment é um instituto previsto constitucionalmente", disse ela. "O que não pode acontecer de jeito nenhum é impeachment nem ou qualquer tipo de processo político-penal ou penal sem observar as regras constitucionais. Não há impeachment em andamento ainda, não tenho nenhuma dúvida que teremos que observar todas as regras constitucionais", completou. No mesmo dia, o ministro Dias Toffoli afirmou que o processo de impeachment é previsto na Constituição e nas leis brasileiras, mas não quis opinar sobre o caso específico da presidente Dilma Rousseff.
Celso de Mello afirma que suas respostas estão de acordo com posicionamentos já dados por ele em julgamentos no Supremo Tribunal Federal. Segundo ele, o impeachment é um instrumento legítimo pelo qual se objetiva responsabilização política de qualquer presidente da República, independente de sua filiação partidária. "É um instrumento posto à disposição da cidadania. Porque só o cidadão, o eleitor, é que quem legitimidade para provocar a abertura do processo do impeachment. É o que diz claramente a lei", disse.
Vídeo: Ministro Celso de Mello fala sobre o impeachment



Mega-Sena: ninguém acerta e prêmio vai a R$ 13 milhões


Redação

Ninguém acertou as dezenas do concurso 1.803 da Mega-Sena, que foi sorteado neste sábado (26) em Canela (RS), e o prêmio acumulou em R$ 13 milhões. Veja as dezenas sorteadas: 04 – 08 – 29 – 38 – 49 – 50.
Na Quina houve 35 apostas ganhadoras e cada uma levou R$ 46.830,05. Outras 2.641 apostas acertaram a Quadra, e levaram R$ 886,59 cada.
Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Governador do RJ termina o primeiro ciclo de quimioterapia


Político reagiu bem às primeiras três sessões de quimioterapia.
Pezão espera receber alta até o aniversário de 61 anos, na terça (29).

Do G1 Rio
Governador do Rio, Fernando Pezão, é diagnosticado com linfoma não-Hodgkin (Foto: Reprodução/GloboNews)Governador do Rio, Fernando Pezão, foi diagnosticado com linfoma não-Hodgkin (Foto: Reprodução/GloboNews)
O governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, encerrou neste domingo (27) o primeiro ciclo de quimioterapia para tratar um linfoma não-Hodgkin anaplásico de células T-Alk positivo no Hospital Pró-Cardíaco, onde está internado. A assessoria do político afirma que ele reagiu bem às primeiras três sessões de aplicação, que acontecem desde sexta (25).
“Estou bem. Agradeço, mais uma vez, as manifestações de carinho que tenho recebido e desejo a todos feliz Páscoa”, informou Pezão.
O tratamento do governador do RJ durará de seis a oito ciclos de tratamento que duram 21 dias cada um, sendo três deles de quimioterapia e 18 dias de descanso.
saiba mais

O governador está internado desde o dia 12 de março no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, e continua sem poder receber visitas. Ele deve ter alta hospitalar desse primeiro ciclo de tratamento na terça-feira (29), data em que completa 61 anos de idade. Ele ficará licenciado durante 30 dias para iniciar o tratamento. Na tarde desta quinta (24), o governador fez um procedimento para inserir um cateter debaixo da clavícula, por onde receberá a quimioterapia.
Na quinta (24), o governador convocou uma coletiva de imprensa para informar que havia sido diagnosticado com linfoma não-Hodgkin. O linfoma não-Hodgkin é um tipo de câncer no sistema linfático que afeta o sistema de defesa do organismo.
O intervalo entre os ciclos de tratamento é de 21 dias, pois o organismo sofre os efeitos da quimioterapia. "Isso não quer dizer que ele precise ficar isolado. Porém, temos que reconhecer que é uma situação diferente, de acordo com as necessidades do cargo. Estamos conversando sobre isso", disse o oncologista Daniel Tabak, ressaltando que o tratamento, ao todo, deve durar entre seis e oito meses.
Durante a coletiva, Pezão garantiu que vai enfrentar a doença com determinação e firmeza. "Tem coisas piores na vida. Tem coisas que Deus dá para a gente porque sabe que somos capazes de carregar. Eu sei que vou passar por isso daí e vou acabar mais forte", afirmou.
Câncer do governador tem cura
Ainda segundo a equipe médica, o comprometimento ósseo é comum e, no caso do governador, duas vértebras foram atingidas.
"Mas o dado mais importante é que não existe nenhum comprometimento volumoso de linfonodomegalias. Não atingiu nenhum órgão crítico. Por isso, temos uma perspectiva boa. Mais de 70% dos pacientes ficam curados com este tipo de tratamento", disse Tabak.
O tipo de linfoma diagnosticado nos exames é o anaplásico de grandes células T-ALK positivo que, segundo os médicos, é um dos mais agressivos, mas totalmente curável. O tratamento se estenderá por ciclos, sendo três dias de quimioterapia e 18 dias sem a medicação. Esses ciclos devem ser realizados de seis a oito vezes. Avaliações serão feitas ao longo do tratamento. E o governador não vai passar por nenhuma intervenção cirúrgica, a não ser a colocação de um cateter para receber a medicação.

"O câncer acontece em pessoas que não têm esse grau de impacto. Por isso, não podemos atribuir à atividade do governador. A recomendação médica é que ele seja preservado para conduzir de forma adequada o tratamento. Para que a periodicidade dos ciclos seja garantida", destacou o médico, ressaltando que o linfoma do governador Pezão não é o mesmo da presidente Dilma Rousseff, que teve um linfoma das células B.
Doença que atinge Pezão representa 1% de todos os linfomas
Estima-se que os linfomas representem a nona ou a décima causa mais comum de câncer no Brasil, variando de acordo com a região do país. São classificados mais de 60 tipos de linfoma. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o Brasil deve registrar 10.240 casos de linfoma não-Hodgkin em 2016, com incidência maior em homens do que em mulheres.
Na maioria das vezes, os linfomas não têm causa específica que contribua para o seu surgimento, como é o caso, por exemplo, do câncer de pulmão, que tem no fumo um agente catalisador. O tratamento de Luiz Fernando Pezão se estenderá por ciclos, sendo três dias de quimioterapia e 18 dias sem a medicação. Esses ciclos devem ser realizados de seis a oito vezes. Avaliações serão feitas ao longo do tratamento. Ele vai se licenciar do cargo por 30 dias.
Para identificar o tipo de linfoma de Pezão, os médicos fizeram uma biópsia, analisando uma parte do tumor retirada em cirurgia. Esta amostra foi analisada em laboratório. O governador também passou por um pet scan, que é um exame de imagem que ajuda a identificar a atividade metabólica de possíveis tumores.
Os linfomas são divididos em dois grandes subtipos: os Hodgkin e os não-Hodgkin, porque possuem células com características diferentes. Os não-Hodgkin são mais comuns, acometendo cerca de 80% dos pacientes. Os Hogdkin atingem apenas 20% do total de pessoas que têm linfoma e costuma ser mais frequente nos dois extremos da vida, principalmente pacientes jovens e os mais velhos.
Correligionários desejam melhoras  
Não faltam mensagens de apoio a Pezão, nesta quinta-feira. Nas redes sociais, companheiros de partido do governador desejaram melhoras e disseram estar confiantes na recuperação de Pezão.
"Estou confiante na pronta recuperação do companheiro e amigo, governador do nosso estado, Luiz Fernando Pezão. Eu já tive câncer e, com fé em Deus, seguindo as orientações médicas, me curei. Pezão vai se curar rapidamente", dizia a publicação no perfil de Jorge Picciani, presidente da Assembleia Lesgislativa do Rio.
O prefeito Eduardo Paes disse que "Pezão está acostumado a vencer desafios" e desejou força ao governador. "Mais do que fazer o registro de nossa amizade nesse momento, queria aqui reconhecer e enaltecer o super ser humano que nos honra governando o Estado nesse momento tão difícil", afirmou no texto.