Após votar contra o impeachment, Aliel indica cargo na Caixa


aliel
Johnny Willian Soares
O deputado federal Aliel Machado (Rede, ex-PCdoB)) deve indicar o novo superintendente da Caixa Econômica Federal nos Campos Gerais. Na última segunda-feira, 11, ele votou contrário ao relatório que recomenda a abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Informações dão conta que o atual superintendente, Luiz Henrique Borgo, que é do PT, será transferido.
Mesmo havendo se declarado oposição e feito duras críticas ao governo do PT, Aliel Machado que trocou o PCdoB pela Rede, manteve relações estreitas com lideranças petistas como a senadora Gleisi Hoffmann e o deputado estadual Péricles de Holleben Mello.

Lula parte para o vale tudo


images
Do Diário do Poder
O ex-presidente Lula prometeu visitar esta tarde o mensaleiro Valdemar Costa Neto, controlador do Partido da República (PR), para tentar negociar a permanência da agremiação na base de apoio ao governo Dilma Rousseff, e obter dele o compromisso de voto em bloco contra o impeachment.
Lula terá de ir ao encontro de Costa Neto na sede do PR em Brasília, no centro empresarial Brasil 21, porque o controlador do PR não pode se ausentar do local em razão da sua tornozeleiroa eletrônica. Ele reside em um flat e a sede do PR fica no prédio vizinho, no raio máximo de 200m de deslocamento permitido pela tornozeleira.

Preços de vacina contra H1N1 podem variar até 60%; confira o valor mínimo e o máximo em pesquisa do Procon-PR


Redação


O Procon-Pr, Departamento vinculado a Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos – SEJU, realizou, entre os dias 11 e 13, pesquisa de preços em relação a vacina contra a gripe H1N1. Os preços informados pelos estabelecimentos se referem a dois tipos de vacina disponíveis, a Trivalente e a Quadrivalente.
A maior variação encontrada foi de 60% para a Vacina Trivalente, que está sendo oferecida com valores entre R$ 75,00 e 120,00. De acordo com Claudia Silvano, diretora do Procon-PR a “pesquisa de preços é importante, pois a diferença de um local para o outro é realmente significativa e também nesse momento é possível economizar”, avalia.
Procura
Com o rápido avanço da doença, curitibanos adiantaram a procura pela vacina de combate à doença e formaram grandes em laboratórios privados. Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba confirmou três casos de Influenza A-H1N1, apesar de haver a suspeita de mais nesta última semana. A morte de uma gestante foi confirmada em São José dos Pinhais.
Em um dos laboratórios que oferece a vacinação, a senha, na tarde de ontem, ia de zero a 899. A espera era de duas horas, aproximadamente. Dias atípico que só ocorrem quando há chegada de lotes da vacina.
Cuidados
Além da vacinação, outros cuidados devem ser tomados para a prevenção. Lavar frequente as mãos, principalmente antes de tocar olhos, nariz e boca; manter locais arejados; cobrir a boca ao tossir ou espirrar; e evitar aglomerações. Em caso de gripe ou resfriado, o paciente deve fazer repouso, manter o corpo hidratado e, se necessário, buscar atendimento médico.

Dupla invade loja de automóveis, tranca funcionários no banheiro e rouba dois carros em Curitiba


 

Por Marina Sequinel e Flávia Barros
loja-automoveis
(Foto: Flávia Barros – Banda B)

Uma loja de automóveis foi assaltada por uma dupla armada na Vila Izabel, em Curitiba, na tarde desta quarta-feira (13). Os criminosos entraram no estabelecimento, na Avenida Presidente Arthur da Silva Bernardes, fizeram os clientes reféns e fugiram com dois veículos.
“Eles estavam bem vestidos e chegaram disfarçando, pedindo para fazer um consórcio ou financiamento, mas logo deram voz de assalto. Em seguida, ameaçaram todo mundo e trancaram os funcionários no banheiro”, contou um sócio da loja, que preferiu não se identificar, em entrevista à Banda B.
O sobrinho dele foi obrigado a entregar dois carros para a dupla, um Peugeot 208 bordô e um Nissan Tiida preto. “Infelizmente, nós não temos o que fazer, o jeito é dar o que eles querem”, completou o sócio.
A dupla, formada por um rapaz loiro e outro moreno, fugiu e ainda não foi localizada. A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) deve investigar o caso.

Acidente entre carro e moto deixa jovem gravemente ferido na BR-376


Por Felipe Ribeiro e Daniela Sevieri
Foto: Daniela Sevieri - Banda B
Foto: Daniela Sevieri – Banda B

Um motociclista de 27 anos ficou gravemente ferido na noite desta quarta-feira (13) após acidente com um carro no quilômetro 619 da BR-376, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. O garupa da motocicleta também sofreu ferimentos, mas passa bem.
Acidente interditou parcialmente BR-376 (Foto: Colaboração Rede News)
Acidente interditou parcialmente BR-376 (Foto: Colaboração Rede News)
De acordo com o soldado Vieira, do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate), ainda não é possível saber as causas do acidente, mas o estado da vítima é muito grave. “O rapaz, que era o piloto da motocicleta, sofreu uma fratura exposta na perna e estava com um nível de consciência bem baixo”, disse.
A colisão aconteceu no bairro São Marcos. O motorista do veículo Ecosport permaneceu no local durante todo o atendimento realizado pelo Siate e também pela ambulância da concessionária Autopista Litoral Sul.
O piloto, Andrei Camargo, foi encaminhado ao Hospital Cajuru, onde passa por procedimentos médicos.

Tribunal derruba liminar e Eugênio Aragão volta ao Ministério da Justiça


Caso ainda deverá ser analisado pelo Supremo Tribunal Federal

REDAÇÃO ÉPOCA
13/04/2016 - 17h36 - Atualizado 13/04/2016 17h36
O desembargador Cândido Ribeiro, presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), acolheu nesta quarta-feira (13) recurso da Advocacia-Geral da União e derrubou a decisão de terça-feira (12) que suspendia a nomeação de Eugênio Aragão como novo ministro da Justiça. A decisão do desembargador considerou que a pasta não poderia ficar desocupada. No entanto, ressalvou que o caso ainda deverá ser analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
Eugênio Aragão, subprocurador da República, é o novo ministro da Justiça  (Foto: André Coelho / Agência O Globo)
“A liminar questionada, como afirma a requerente, ‘deixa sem comando, do dia para a noite, um ministério que tem como responsabilidade direta a segurança pública, as garantias constitucionais, a administração penitenciária, entre outros assuntos de extrema relevância’”, diz o despacho.
Na terça, a juíza federal Luciana Raquel Tolentino de Moura suspendeu Aragão do cargo sob pretexto de que a Constituição de 1988 proíbe membros do Ministério Público de assumir outros cargos públicos, como ministérios e secretarias no Poder Executivo. Contudo, ainda em março, o Conselho Superior do Ministério Público Federal, instância administrativa do MP, autorizou o licenciamento de Aragão como subprocurador-geral da República para assumir o cargo de ministro. A AGU também usou como argumentou em seu recurso o fato de Aragão ter ingressado no Ministério Público antes de 1988, quando a regra passou a valer.
A nomeação de Aragão também é questionada pelo PPS em uma ação apresentada em 17 de março ao STF. A relatora do caso,ministra Cármen Lúcia, já pediu informações à Presidência para analisar a situação, mas ainda não marcou data para o julgamento.

Bancada do PSD oficializa posição a favor do impeachment, anuncia líder


Atualmente, partido detém o Ministério das Cidades, cujo ministro é Kassab.
Desde terça, quatro partidos (PSD, PTB, PP, PRB) abandonaram governo.

Nathalia Passarinho e Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília
Líder do PSD, Rogério Rosso concede entrevista para anunciar que partido votarpa a favor do impeachment (Foto: Nathalia Passarinho/G1)Líder do PSD, Rogério Rosso concede entrevista para anunciar que partido votará a favor do impeachment (Foto: Nathalia Passarinho/G1)
Após consultas aos integrantes a legenda, o líder do PSD na Câmara, Rogério Rosso (DF), afirmou nesta quarta-feira que vai orientar a bancada para votar favoravelmente à continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A informação já tinha sido antecipada pelo Blog do Camarotti.
Além do PSD, nesta quarta-feira o PTB também anunciou a adesão da bancada à proposta do impeachment. O mesmo se deu nesta terça, quando PRB e PP retiraram o apoio ao governo e anunciaram que as bancadas na Câmara votarão favoravelmente ao impeachment. O PDT fechou questão a favor do governo.
Segundo ele, há ampla maioria no PSD em defesa processo de afastamento. Não haverá punição aos que votarem contra o impeachment.
"Vai ter orientação favorável à admissibilidade [do processo de impeachment], mas respeitando a posição de quem vota contra. Portanto, a partir de agora a bancada apoia, vai encaminhar favorável à admissibilidade do impeachment", disse.
O PSD conta atualmente com 36 deputados e comanda o Ministério das Cidades, uma das pastas com maior orçamento na Esplanada. Além dos 36 deputados, há ainda dois secretários estaduais do partido que podem deixar os cargos momentaneamente para voltar à Câmara no fim de semana e participar da votação do processo de impeachment.
Kassab
Rosso disse que a bancada não vai cobrar do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, que deixe o cargo. Ele também não quis adiantar se Kassab pretende entregar a pasta por vontade própria.
"O ministro respeitou a nossa soberania, como bancada. E a bancada não cobra do ministro Kassab outra posição porque isso é uma decisão do ministro e da Executiva. O ministro fica totalmente à vontade", afirmou.
Outros partidos
Também nesta quarta, o PTB decidiu que votará a favor da continuidade do processo de impeachment. A decisão foi anunciada pelo líder em exercício do partido, deputado Wilson Filho (PB). Segundo ele, a orientação da liderança na votação em plenário será pela instauração do processo.
saiba mais

O partido conta com 19 parlamentares em exercício e, de acordo com Wilson Filho, 15 se declararam favoráveis ao impeachment da presidente.
Nesta terça (12), o PP decidiu que votará a favor do processo. A decisão foi anunciada pelo líder do partido, Aguinaldo Ribeiro (PB), que já havia informado ser pessoalmente contra o afastamento da petista.
O PP vinha demonstrando racha na bancada nas últimas semanas quanto ao processo de impeachment e a cúpula do partido negociava cargos com o governo em troca de apoio. O Planalto chegou a cogitar entregar o Ministério da Saúde à legenda, umas das pastas mais cobiçadas por causa do alto orçamento. No entanto, parcela dos deputados pressionava fortemente por um rompimento. Atualmente, o partido conta com 47 parlamentares em exercício na Câmara.
Também na noite desta terça-feira, a bancada do PRB decidiu que votará a favor do impeachment de Dilma. O partido foi o primeiro a desembarcar do governo, ao devolver o Ministério dos Esportes, que ocupava. De acordo com o presidente nacional do partido, Marcos Pereira, os 22 deputados federais do partido votarão a favor do impeachment.
PDT, por outro lado, anunciou nesta quarta (13) que vai votar contra a continuidade do processo. Segundo o líder do PDT, Weverton Rocha (MA), o partido fechou questão para que a bancada toda, formada por 20 deputados, vote contra a abertura do processo de afastamento.
O PMDB, que tem a maior bancada da Câmara, com 66 deputados, deve se reunir nesta quinta-feira (14) para definir se haverá orientação favorável ao impeachment.
A Executiva Nacional do PR decidiu que haverá orientação contrária ao processo de afastamento. No entanto, a legenda está rachada e pelo menos 20 dos 40 deputados da bancada devem votar a favor do impeachment.

Bancada do PSD oficializa posição a favor do impeachment, anuncia líder


Atualmente, partido detém o Ministério das Cidades, cujo ministro é Kassab.
Desde terça, quatro partidos (PSD, PTB, PP, PRB) abandonaram governo.

Nathalia Passarinho e Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília
Líder do PSD, Rogério Rosso concede entrevista para anunciar que partido votarpa a favor do impeachment (Foto: Nathalia Passarinho/G1)Líder do PSD, Rogério Rosso concede entrevista para anunciar que partido votará a favor do impeachment (Foto: Nathalia Passarinho/G1)
Após consultas aos integrantes a legenda, o líder do PSD na Câmara, Rogério Rosso (DF), afirmou nesta quarta-feira que vai orientar a bancada para votar favoravelmente à continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A informação já tinha sido antecipada pelo Blog do Camarotti.
Além do PSD, nesta quarta-feira o PTB também anunciou a adesão da bancada à proposta do impeachment. O mesmo se deu nesta terça, quando PRB e PP retiraram o apoio ao governo e anunciaram que as bancadas na Câmara votarão favoravelmente ao impeachment. O PDT fechou questão a favor do governo.
Segundo ele, há ampla maioria no PSD em defesa processo de afastamento. Não haverá punição aos que votarem contra o impeachment.
"Vai ter orientação favorável à admissibilidade [do processo de impeachment], mas respeitando a posição de quem vota contra. Portanto, a partir de agora a bancada apoia, vai encaminhar favorável à admissibilidade do impeachment", disse.
O PSD conta atualmente com 36 deputados e comanda o Ministério das Cidades, uma das pastas com maior orçamento na Esplanada. Além dos 36 deputados, há ainda dois secretários estaduais do partido que podem deixar os cargos momentaneamente para voltar à Câmara no fim de semana e participar da votação do processo de impeachment.
Kassab
Rosso disse que a bancada não vai cobrar do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, que deixe o cargo. Ele também não quis adiantar se Kassab pretende entregar a pasta por vontade própria.
"O ministro respeitou a nossa soberania, como bancada. E a bancada não cobra do ministro Kassab outra posição porque isso é uma decisão do ministro e da Executiva. O ministro fica totalmente à vontade", afirmou.
Outros partidos
Também nesta quarta, o PTB decidiu que votará a favor da continuidade do processo de impeachment. A decisão foi anunciada pelo líder em exercício do partido, deputado Wilson Filho (PB). Segundo ele, a orientação da liderança na votação em plenário será pela instauração do processo.
saiba mais

O partido conta com 19 parlamentares em exercício e, de acordo com Wilson Filho, 15 se declararam favoráveis ao impeachment da presidente.
Nesta terça (12), o PP decidiu que votará a favor do processo. A decisão foi anunciada pelo líder do partido, Aguinaldo Ribeiro (PB), que já havia informado ser pessoalmente contra o afastamento da petista.
O PP vinha demonstrando racha na bancada nas últimas semanas quanto ao processo de impeachment e a cúpula do partido negociava cargos com o governo em troca de apoio. O Planalto chegou a cogitar entregar o Ministério da Saúde à legenda, umas das pastas mais cobiçadas por causa do alto orçamento. No entanto, parcela dos deputados pressionava fortemente por um rompimento. Atualmente, o partido conta com 47 parlamentares em exercício na Câmara.
Também na noite desta terça-feira, a bancada do PRB decidiu que votará a favor do impeachment de Dilma. O partido foi o primeiro a desembarcar do governo, ao devolver o Ministério dos Esportes, que ocupava. De acordo com o presidente nacional do partido, Marcos Pereira, os 22 deputados federais do partido votarão a favor do impeachment.
PDT, por outro lado, anunciou nesta quarta (13) que vai votar contra a continuidade do processo. Segundo o líder do PDT, Weverton Rocha (MA), o partido fechou questão para que a bancada toda, formada por 20 deputados, vote contra a abertura do processo de afastamento.
O PMDB, que tem a maior bancada da Câmara, com 66 deputados, deve se reunir nesta quinta-feira (14) para definir se haverá orientação favorável ao impeachment.
A Executiva Nacional do PR decidiu que haverá orientação contrária ao processo de afastamento. No entanto, a legenda está rachada e pelo menos 20 dos 40 deputados da bancada devem votar a favor do impeachment.

Candidato do PDT quer atirar e enfocar "golpistas"



O empresário Silvio dos Santos, candidato a deputado pelo PDT de Brasília, postou em seu perfil no Facebook uma mensagem em que convoca simpatizantes armados a ocuparem a Esplanada dos Ministérios no domingo, "atirando para matar".
Ele também pede cordas para enforcar deputados e senadores golpistas. O Antagonista entrevistou Silvio dos Santos, que confirmou ser o autor da mensagem.
Vejam o que ele disse:
Silvio - Essa mensagem não era para o publico não. 
Antagonista - Era para quem?
Silvio - Era só para alguns amigos meus.
Antagonista - Mas qual era a ideia de mensagem? Era convocar os amigos para irem armados para a Esplanada?
Silvio - Não era nada disso, não. Eu só passei a ideia.
Antagonista - Quando o senhor pede aqui para enforcar todo mundo, não é para por em prática não?
Silvio - Não. (risos) Tá maluco?!
Antagonista - Mas está na mensagem.
Silvio - Olha, estou atrasado aqui para ir para a igreja. Faz o seguinte, esquece essa mensagem, tá?!

PSD: os oito do contra



O Antagonista teve acesso à lista dos deputados do PSD que (ainda) pretendem votar contra o impeachment. A saber:
José Nunes (BA)
Sérgio Brito (BA)
Antonio Brito (BA)
Fernando Torres (BA)
Paulo Magalhães (BA)
Irajá Abreu (TO)
Fábio Mitidieri (SE)
Domingos Neto (CE)

Curitiba dá adeus a Dilma


índice
Depois de pressionar os deputados contra o impeachment através de outdoors, agora os movimentos em favor do impedimento da presidente Dilma Rousseff (PT) estão colocando outras peças nas ruas já com o adeus à petista. “Tchau, querida!”, diz o outdoor assinado pela “República de Curitiba”. A saudação é do ex-presidente Lula ao se despedir de Dilma em telefonemas grampeados por ordem da justiça.

Perdidos e negociantes


índice
Há quatro deputados paranaenses que costumam negociar até o fim o seu voto no parlamento. O dilema é esse: a oferta substanciosa de Dilma em troca do voto, de um lado, de outro a pressão dos eleitores. São eles: Sérgio Souza, do PMDB; Hermes Frangão Parcianello, também do PMDB; Nelson Meurer, do PP, e Toninho Wandscheer (foto), de carreira sinuosa, ex-PT,PPS, PMDB, PSDB, etc, agora no Pros. Meurer deve seguir orientação do partido e mudar de voto. Wandscheer vai ganhar outdoors em Fazenda Rio Grande, sua base eleitoral, que vai denunciar seu comportamento na Câmara.
Os casos perdidos, segundo o MBL e VPR, são os votos de Enio Verri (PT), Zeca Dirceu (PT) e Assis Couto (PDT), ex-petista. O mesmo ocorre no Senado com Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião (PMDB) – os cinco são colocados na conta de Dilma. Alvaro Dias (PV) votará pelo impeachment se o processo chegar ao Senado.

Maioria do Senado apoia afastamento da presidente Dilma


dilma__zangada
O impeachment da presidente Dilma Rousseff já conta com apoio de 42 senadores. Segundo levantamento feito pelo jornal Estado de São Paulo, 17 senadores se declararam contrários. Dez parlamentares se disseram indecisos, 8 não quiseram responder e 4 não foram encontrados. Para que o processo seja admitido e aberto no Senado, são necessários 41 votos.
A Câmara dos Deputados vota neste domingo se será aberto um processo de impeachment da petista. Se aprovado o relatório do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), Dilma seria afastada até ser julgada pelo Senado e o vice Michel Temer exerceria a Presidência provisoriamente.
Entre os senadores que se declararam indecisos está Walter Pinheiro (BA), recém-saído do PT. Há três peemedebistas que disseram não ter posição: o ex-ministro Edison Lobão (MA), que é investigado na Lava Jato, e os paraibanos José Maranhão e Raimundo Lira. Cristóvão Buarque (PPS-DF) e João Capiberibe (PSB-AP) também estão indecisos. Ambos pertencem a partidos pró-impeachment.
Fernando Collor (PTC-AL) e Jader Barbalho (PMDB-PA) não quiseram responder. O peemedebista é pai do ministro Helder Barbalho, que permanece no comando da pasta de Portos.
Delator na Lava Jato e acusado de corrupção, o ex-petista Delcídio Amaral (MS) disse que votará pelo impeachment. Outra ex-petista pró-afastamento é Marta Suplicy (SP).

O mapa do governo tem 150 votos



Pelos cálculos do governo, Dilma Rousseff pode contar, neste momento, com apenas 148 votos, segundo a Folha de S. Paulo.
Andréia Sadi, na GloboNews, deu um número semelhante.
Ela disse:
"O mapa do governo, que tinha 200 votos semana passada, agora tem 150".